Dízimos e ofertas

Lições da Bíblia

“As reformas de Neemias nos serviços do templo incluíram a implementação dos dízimos e ofertas.”1

“3. Leia Números 18:21-24, Malaquias 3:10, Mateus 23:23, 1Coríntios 9:7-14, 2Coríntios 9:6-8 e Hebreus 7:1, 2. Qual é a importância dos dízimos e ofertas, não apenas no serviço do templo, mas atualmente? Assinale a alternativa correta:”1

Números (18:21-24 ARA)2: “21 Aos filhos de Levi dei todos os dízimos em Israel por herança, pelo serviço que prestam, serviço da tenda da congregação. 22 E nunca mais os filhos de Israel se chegarão à tenda da congregação, para que não levem sobre si o pecado e morram. 23 Mas os levitas farão o serviço da tenda da congregação e responderão por suas faltas; estatuto perpétuo é este para todas as vossas gerações. E não terão eles nenhuma herança no meio dos filhos de Israel. 24 Porque os dízimos dos filhos de Israel, que apresentam ao Senhor em oferta, dei-os por herança aos levitas; porquanto eu lhes disse: No meio dos filhos de Israel, nenhuma herança tereis.”

Malaquias (3:10 ARA)2: “Trazei todos os dízimos à casa do Tesouro, para que haja mantimento na minha casa; e provai-me nisto, diz o Senhor dos Exércitos, se eu não vos abrir as janelas do céu e não derramar sobre vós bênção sem medida.”.

Mateus (23:23 ARA)2: “Ai de vós, escribas e fariseus, hipócritas, porque dais o dízimo da hortelã, do endro e do cominho e tendes negligenciado os preceitos mais importantes da Lei: a justiça, a misericórdia e a fé; devíeis, porém, fazer estas coisas, sem omitir aquelas!”.

1Coríntios (9:7-14 ARA)2: 7 Quem jamais vai à guerra à sua própria custa? Quem planta a vinha e não come do seu fruto? Ou quem apascenta um rebanho e não se alimenta do leite do rebanho? 8 Porventura, falo isto como homem ou não o diz também a lei? 9 Porque na lei de Moisés está escrito: Acaso, é com bois que Deus se preocupa? 10 Ou é, seguramente, por nós que ele o diz? Certo que é por nós que está escrito; pois o que lavra cumpre fazê-lo com esperança; o que pisa o trigo faça-o na esperança de receber a parte que lhe é devida. 11 Se nós vos semeamos as coisas espirituais, será muito recolhermos de vós bens materiais? 12 Se outros participam desse direito sobre vós, não o temos nós em maior medida? Entretanto, não usamos desse direito; antes, suportamos tudo, para não criarmos qualquer obstáculo ao evangelho de Cristo. 13 Não sabeis vós que os que prestam serviços sagrados do próprio templo se alimentam? E quem serve ao altar do altar tira o seu sustento? 14 Assim ordenou também o Senhor aos que pregam o evangelho que vivam do evangelho;

2Coríntios (9:6-8 ARA)2: “6 E isto afirmo: aquele que semeia pouco pouco também ceifará; e o que semeia com fartura com abundância também ceifará. 7 Cada um contribua segundo tiver proposto no coração, não com tristeza ou por necessidade; porque Deus ama a quem dá com alegria. 8 Deus pode fazer-vos abundar em toda graça, a fim de que, tendo sempre, em tudo, ampla suficiência, superabundeis em toda boa obra,”

Hebreus (7:1, 2 ARA)2: “1 Porque este Melquisedeque, rei de Salém, sacerdote do Deus Altíssimo, que saiu ao encontro de Abraão, quando voltava da matança dos reis, e o abençoou, 2 para o qual também Abraão separou o dízimo de tudo (primeiramente se interpreta rei de justiça, depois também é rei de Salém, ou seja, rei de paz;”

A. (   ) Os dízimos e ofertas sustentam os servos do Senhor.
B. (   ) O sistema de dízimos foi importante apenas para o antigo Israel.

Resposta sugestiva: Alternativa A.

“Sem o recolhimento dos dízimos e ofertas, o templo não podia funcionar. Quando o povo parou de devolver os dízimos, os serviços no templo foram arruinados, e todo o sistema de adoração estava em risco. Visto que os funcionários do templo saíram para procurar outros empregos a fim de sustentar sua família, eles não conseguiam se concentrar nos cuidados do templo. Consequentemente, a adoração a Deus foi reduzida.”1

“O sistema de dízimos é belo em sua simplicidade. Sua justiça é revelada pela aplicação proporcional sobre o rico e o pobre. Na mesma proporção em que Deus nos concedeu o uso de sua propriedade, devemos Lhe retribuir o dízimo. Quando Deus reclama para Si o dízimo (Ml 3:10), Ele não apela para a nossa gratidão ou generosidade. Embora a gratidão deva fazer parte de todas as nossas expressões dirigidas a Deus, dizimamos porque Deus nos ordenou fazê-lo. O dízimo pertence ao Senhor, e Ele requer que Lhe devolvamos” (Nisto Cremos, 2003, p. 304).1

“Assim como ocorreu com o templo israelita, nossa igreja entraria em decadência sem o sustento dos dízimos e ofertas. Os cultos e serviços da igreja não funcionariam sem pessoas pagas para dedicar tempo a um ministério de qualidade, ao planejamento e à administração da igreja para Deus. A excelência da adoração a Deus também diminuiria. Mais importante ainda, sem os dízimos e ofertas, não existiria evangelismo.”1

“Além disso, devolvemos o dízimo porque Deus estabeleceu esse sistema na Bíblia. Há ocasiões em que o Senhor não precisa explicar por que estabeleceu algo. O Criador espera que confiemos que Ele está no controle. Devemos estar informados sobre como o sistema funciona, mas, depois disso, precisamos confiá-lo aos cuidados do Pai celestial.”1

“Por que o dízimo é tão importante para nossa espiritualidade, como uma atitude que demonstre nossa confiança em Deus?”1

Terça-feira, 10 de dezembro de 2019. Saiba mais, faça um Curso Bíblico

_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. Esdras e Neemias. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 498, out. nov. dez. 2019. Adulto, Professor. 
2 BÍBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

Ofertas de gratidão

Lições da Bíblia

Porque Deus amou ao mundo de tal maneira que deu o Seu Filho unigênito, para que todo o que Nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna” (Jo 3:16).

“Nosso Deus é doador. Essa maravilhosa verdade é vista mais poderosamente no sacrifício de Jesus. ‘Porque Deus amou ao mundo de tal maneira que deu o Seu Filho unigênito para que todo o que Nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna’ (Jo 3:16). Ou neste versículo: ‘Se vocês, apesar de serem maus, sabem dar boas coisas aos seus filhos, quanto mais o Pai que está no Céu dará o Espírito Santo a quem O pedir’ (Lc 11:13, NVI).”1

“Deus dá continuamente; esse é Seu caráter. Portanto, os que procuram refletir esse caráter precisam dar também. É difícil imaginar uma contradição maior do que a de ‘um cristão egoísta’”.1

“Uma forma de devolver o que nos foi dado é apresentar ofertas ao Senhor. Nossas ofertas nos dão a oportunidade de expressar gratidão e amor. No dia em que Jesus receber os remidos no Céu, veremos aqueles que aceitaram Sua graça, e perceberemos que isso foi possível graças às nossas ofertas de sacrifício.”1

“Nesta semana, vamos analisar aspectos importantes das ofertas. Dar generosamente, sejam nossos recursos, tempo ou talentos, é uma poderosa maneira de viver nossa fé e revelar o caráter de Deus, a quem servimos.”1

Dez Dias de Oração Ore para que o Senhor fortaleça sua família para vencer as tentações.

Sábado, 24 de fevereiro de 2018. Saiba mais, ouça o Comentário em áudio  da Lição da Escola Sabatina (LES) ou se preferir faça um Curso Bíblico.
_______________
1 LIÇÃO da escola sabatina. Mordomia cristã: motivos do coração. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 491, Jan. Fev. Mar. 2018. Adulto, Professor.

Dízimo na casa do tesouro

Lições da Bíblia.

“3. O que Deus estava dizendo ao Seu povo em Malaquias 3:1-10? Que elementos específicos são encontrados nesse texto e por que todos eles estão interligados?” Eis que eu envio o meu mensageiro, que preparará o caminho diante de mim; de repente, virá ao seu templo o Senhor, a quem vós buscais, o Anjo da Aliança, a quem vós desejais; eis que ele vem, diz o SENHOR dos Exércitos. Mas quem poderá suportar o dia da sua vinda? E quem poderá subsistir quando ele aparecer? Porque ele é como o fogo do ourives e como a potassa dos lavandeiros. Assentar-se-á como derretedor e purificador de prata; purificará os filhos de Levi e os refinará como ouro e como prata; eles trarão ao SENHOR justas ofertas. Então, a oferta de Judá e de Jerusalém será agradável ao SENHOR, como nos dias antigos e como nos primeiros anos. Chegar-me-ei a vós outros para juízo; serei testemunha veloz contra os feiticeiros, e contra os adúlteros, e contra os que juram falsamente, e contra os que defraudam o salário do jornaleiro, e oprimem a viúva e o órfão, e torcem o direito do estrangeiro, e não me temem, diz o SENHOR dos Exércitos. Porque eu, o SENHOR, não mudo; por isso, vós, ó filhos de Jacó, não sois consumidos. Desde os dias de vossos pais, vos desviastes dos meus estatutos e não os guardastes; tornai-vos para mim, e eu me tornarei para vós outros, diz o SENHOR dos Exércitos; mas vós dizeis: Em que havemos de tornar? Roubará o homem a Deus? Todavia, vós me roubais e dizeis: Em que te roubamos? Nos dízimos e nas ofertas. Com maldição sois amaldiçoados, porque a mim me roubais, vós, a nação toda. Trazei todos os dízimos à casa do Tesouro, para que haja mantimento na minha casa; e provai-me nisto, diz o SENHOR dos Exércitos, se eu não vos abrir as janelas do céu e não derramar sobre vós bênção sem medida.” (Malaquias 3:1-10 RA). “Profecia sobre a vinda de João Batista para preparar o povo para a primeira vinda de Jesus, que julgará e purificará o coração de Seu povo; advertência contra feiticeiros, adúlteros, falsas testemunhas e opressores. Um dos sintomas do afastamento de Deus foi a infidelidade nos dízimos e ofertas. Deus chama o povo de volta ao relacionamento de aliança com Ele, advertindo contra o pecado e prometendo bênçãos para a fidelidade.”

“Com esses versos, Deus reafirmou a mensagem básica dos Profetas Menores: Seu amor continua firme e inabalável. No verso 7, o chamado de Deus é ouvido mais uma vez: ‘Tornai-vos para Mim, e Eu Me tornarei para vós outros.’ O povo então perguntou: ‘Em que havemos de tornar?’ Essa pergunta é semelhante à de Miqueias 6:6, sobre os sacrifícios apresentados a Deus. No caso de Malaquias, no entanto, foi dada uma resposta específica e, surpreendentemente, tinha a ver com a questão da entrega ou não do dízimo.”

“Na verdade, eles foram acusados de roubar o que pertence a Deus. Isso aconteceu porque eles não foram fiéis na devolução de seus dízimos e ofertas.”

“O costume de entregar o dízimo, devolvendo 10% da renda, é apresentado na Bíblia como lembrete de que Deus é dono de tudo e tudo o que as pessoas têm provém dEle. O dízimo era usado em Israel para sustentar os levitas que ministravam no templo. De acordo com Malaquias, negligenciar a devolução do dízimo é o mesmo que roubar a Deus.”

“Malaquias 3:10 é um dos raros textos em que Deus desafia as pessoas a prová­Lo. Nas águas de Meribá, no deserto, os filhos de Israel repetidamente ‘puseram à prova’ a paciência de Deus, o que O deixou irado (Sl 95:8-11). Em Malaquias, no entanto, Deus estava convidando Israel a prová-Lo. Ele queria que eles vissem que podiam confiar nEle a respeito desse assunto, o que, de acordo com o texto, é algo de grande significado espiritual.”

“Como o ato de entregar o dízimo (e também de dar ofertas) fortalece você espiritualmente? Em outras palavras, quando você é desonesto na entrega do dízimo, por que você está enganando a si mesmo, além de tentar enganar a Deus?”

Terça-feira, 25 de junho de 2013. Saiba mais, ouça o Comentário em áudio da Lição da Escola Sabatina (LES) ou se preferir faça um Curso Bíblico. Este conteúdo é uma adaptação da LES publicado simultaneamente no Blogspot e WordPress. Para impressão acesse arquivo em PDF