A redenção – Estudo adicional

Lições Bíblia

Assista em vídeo a discussão do tema da semana.

 

 

Estudo adicional

Pense sobre o milênio e acerca da compreensão que temos dele. Embora muita coisa não seja revelada, recebemos informação suficiente para compreender alguns aspectos. Primeiro, o milênio ocorrerá antes da destruição final dos perdidos. Segundo, antes dessa destruição final, os salvos passarão por um período de tempo obtendo respostas para muitas perguntas, a tal ponto que eles mesmos participarão do julgamento, isto é, eles mesmos julgarão. ‘Ou não sabeis que os santos hão de julgar o mundo?’ (1Co 6:2). ‘Não sabeis que havemos de julgar os próprios anjos?’ (1Co 6:3). Como lemos nesta semana, durante os mil anos será dada aos santos a ‘autoridade de julgar’ (Ap 20:4). Assim, juntos, esses dois pontos revelam uma importante verdade: nenhum dos perdidos enfrentará o juízo final antes do término do milênio, até que os salvos não apenas entendam por que os ímpios se perderam, mas também tenham desempenhado um papel no julgamento deles. Pense no que isso mostra sobre o caráter de Deus e a transparência de Seu governo: antes que uma única pessoa enfrente o destino final dos perdidos, o povo de Deus verá claramente a justiça e retidão do juízo final de Deus sobre eles. Será doloroso, certamente; mas quando terminar, como já vimos, exclamaremos: ‘Tu és justo, Tu que és e que eras, o Santo, pois julgaste estas coisas’ (Ap 16:5).

Perguntas para reflexão

1. Como o grande conflito nos ajuda a compreender por que o sofrimento e a morte existem, embora muitas perguntas difíceis permaneçam sem resposta?

2. Se alguém lhe perguntasse: ‘Como posso ter uma experiência mais profunda e íntima com o Senhor?’, o que você responderia?

3. O que significa estar preparado para o Céu? Como entender essa ideia à luz do evangelho?

4. Você busca respostas para perguntas difíceis? Até que elas sejam respondidas, como confiar na bondade e justiça de Deus, apesar das tragédias?

Sexta-feira, 25 de março de 2016. Saiba mais, ouça o Comentário em áudio  da Lição da Escola Sabatina (LES) ou se pref//8ça um Curso Bíblico.

__________________

1 LIÇÕES da escola sabatina. Rebelião e redenção. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 484, Jan. Fev. Mar. 2016. Adulto, Professor.

A redenção

Lições da Bíblia

E lhes enxugará dos olhos toda lágrima, e a morte já não existirá, já não haverá luto, nem pranto, nem dor, porque as primeiras coisas passaram (Ap 21:4).1

“Muitas vezes as pessoas perguntam: Por que surgiu o mal? O ponto principal da resposta é a liberdade. A verdadeira liberdade moral envolve riscos, porque se as pessoas (ou anjos) são verdadeiramente livres, devem ter a opção de fazer o mal.”1

“Certo, mas então surge a pergunta seguinte: Por que Deus simplesmente não os exterminou quando fizeram o mal e poupou os outros seres dos horríveis resultados da rebelião?”1

“A resposta leva ao âmago do grande conflito. Como veremos nesta semana, o Senhor exerce um tipo de governo ‘aberto’, e embora haja muita coisa envolta em mistério a respeito dEle e dos Seus caminhos, Ele resolverá o grande conflito de um jeito que responderá para sempre a todas as perguntas a respeito de Sua abnegação, bondade, justiça, amor e lei.”1

“Na verdade, o Senhor nos dará mil anos para obter as respostas, pelo menos as respostas referentes ao destino dos perdidos (teremos uma eternidade para o restante). Após a segunda vinda, os redimidos viverão e reinarão com Cristo durante mil anos. E o que é ainda mais incrível: eles terão um papel ativo no juízo.”1

“Examinemos então os passos finais no longo drama do grande conflito.”1

Hoje começa a Semana Santa, que tem como tema “ComPaixão”. Já convidou a pessoa que você levará ao pequeno grupo?
Comece hoje a orar por essa pessoa e perceba a diferença em sua vida!

Comentário da Lição.

 

 

Sábado, 19 de março de 2016. Saiba mais, ouça o Comentário em áudio  da Lição da Escola Sabatina (LES) ou se pref//8ça um Curso Bíblico.

__________________

1 LIÇÕES da escola sabatina. Rebelião e redenção. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 484, Jan. Fev. Mar. 2016. Adulto, Professor.

Os setenta anos

Lições da Bíblia

“As profecias de Jeremias deviam ter duplo efeito sobre o pensamento dos cativos: por um lado, eles não deviam crer no que os falsos profetas estavam dizendo; por outro, não deviam ficar desanimados. Ele pediu a seus compatriotas cativos que orassem por Babilônia. Essa solicitação talvez tenha deixado surpresos os que haviam sido deportados. O que Jeremias estava pedindo dos cativos nunca tinha sido ouvido na história de Israel. Era algo absolutamente desconhecido orar por um inimigo que havia feito o que os babilônios tinham executado contra eles, a nação escolhida de Deus. O profeta rompeu com todos os conceitos deles sobre o templo e sobre Jerusalém. Eles podiam orar num país pagão, e o Deus Eterno os ouviria.”1

“Além disso, o profeta disse em Jeremias 29:7 que a prosperidade da nação ‘anfitriã’ deles significava a prosperidade deles também. Como estrangeiros e peregrinos naquela terra, eles estariam em situação especialmente vulnerável se as coisas fossem mal para a nação em geral. Ao longo de toda a História, temos visto tristes exemplos de que a intolerância se torna especialmente mais severa quando uma nação enfrenta tempos difíceis. As pessoas procuram bodes expiatórios, alguém a quem possam culpar, e as minorias, ou os estrangeiros, logo se tornam alvos fáceis. Essa é uma triste realidade.”1

“8. Que maravilhosa esperança foi dada aos exilados em Jeremias 29:10? Ver também Jr 25:11, 12; 2Cr 36:21; Dn 9:2”1 Assim diz o SENHOR: Logo que se cumprirem para a Babilônia setenta anos, atentarei para vós outros e cumprirei para convosco a minha boa palavra, tornando a trazer-vos para este lugar.” (Jeremias 29:10 ARA)2. “11 Toda esta terra virá a ser um deserto e um espanto; estas nações servirão ao rei da Babilônia setenta anos. 12 Acontecerá, porém, que, quando se cumprirem os setenta anos, castigarei a iniqüidade do rei da Babilônia e a desta nação, diz o SENHOR, como também a da terra dos caldeus; farei deles ruínas perpétuas.” (Jeremias 25:11-12 ARA)2. “para que se cumprisse a palavra do SENHOR, por boca de Jeremias, até que a terra se agradasse dos seus sábados; todos os dias da desolação repousou, até que os setenta anos se cumpriram.” (2 Crônicas 36:21 ARA)2. “no primeiro ano do seu reinado, eu, Daniel, entendi, pelos livros, que o número de anos, de que falara o SENHOR ao profeta Jeremias, que haviam de durar as assolações de Jerusalém, era de setenta anos.” (Daniel 9:2 ARA)2. “Deus disse que logo que se cumprissem para Babilônia setenta anos, Ele atentaria para Seu povo e cumpriria para com eles Sua boa palavra, tornando a trazê-los para casa.1

“Tudo o que o Senhor tinha dito que aconteceria havia acontecido; portanto, eles tinham todas as razões para crer que Ele cumpriria também essa profecia (Jr 29:10). Não sabemos por que 70 anos seriam o tempo exato de seu exílio, embora ele esteja claramente ligado à ideia do sábado de descanso para a terra (Lv 25:4; 26:34, 43). O que é tão importante com respeito a essa profecia é que, se eles a tivessem aceitado em fé e submissão, ela teria dado aos cativos grande esperança e certeza da completa soberania de Deus. A despeito das aparências, a despeito da terrível calamidade que lhes sobreviera, eles podiam saber que nem tudo estava perdido e que o Senhor não os havia abandonado. Eles ainda eram o povo da aliança, e o Senhor ainda não havia desistido deles nem da nação de Israel. A redenção estava à disposição de todos os que estivessem dispostos a cumprir as condições.1

Que profecias lhe dão esperança para o futuro? Quais delas fortalecem sua fé e o ajudam a confiar no Senhor, diante do que possa acontecer?”1

Quinta-feira, 03 dezembro de 2015 . Saiba mais, ouça o Comentário em áudio  da Lição da Escola Sabatina (LES) ou se preferir faça um Curso Bíblico.

__________________

1 LIÇÕES da escola sabatina. Jeremias. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 482, Out. Nov. Dez. 2015. Adulto, Professor.

2 BIBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

Sábado judaico?

Lições da Bíblia.

“Embora muitos se refiram ao sétimo dia como o ‘sábado judaico’, a Bíblia revela que o sábado precede os judeus em muitos séculos. Suas raízes remontam à própria criação.”1

“O texto de Gênesis 2:1-3 declara que, depois que Deus havia concluído Seus atos de criação em seis dias, Ele descansou no sétimo dia e, em seguida, ‘abençoou Deus o sétimo dia e o santificou’ (NVI). Isso mostra claramente a posição elevada do sábado na criação de Deus. Além da bênção, o sábado também foi ‘santificado’. Em outras palavras, Deus aplicou algumas das Suas qualidades a esse monumento no tempo.”1

“1. Compare os dois textos que citam o mandamento do sábado, Êxodo 20:8-11 e Deuteronômio 5:12-15. Qual é a relação entre esses textos e a teoria de que o sábado é apenas para os judeus?”1 “Lembra-te do dia de sábado, para o santificar. Seis dias trabalharás e farás toda a tua obra. Mas o sétimo dia é o sábado do SENHOR, teu Deus; não farás nenhum trabalho, nem tu, nem o teu filho, nem a tua filha, nem o teu servo, nem a tua serva, nem o teu animal, nem o forasteiro das tuas portas para dentro; porque, em seis dias, fez o SENHOR os céus e a terra, o mar e tudo o que neles há e, ao sétimo dia, descansou; por isso, o SENHOR abençoou o dia de sábado e o santificou.” (Êxodo 20:8-11 RA)2; “Guarda o dia de sábado, para o santificar, como te ordenou o SENHOR, teu Deus. Seis dias trabalharás e farás toda a tua obra. Mas o sétimo dia é o sábado do SENHOR, teu Deus; não farás nenhum trabalho, nem tu, nem o teu filho, nem a tua filha, nem o teu servo, nem a tua serva, nem o teu boi, nem o teu jumento, nem animal algum teu, nem o estrangeiro das tuas portas para dentro, para que o teu servo e a tua serva descansem como tu; porque te lembrarás que foste servo na terra do Egito e que o SENHOR, teu Deus, te tirou dali com mão poderosa e braço estendido; pelo que o SENHOR, teu Deus, te ordenou que guardasses o dia de sábado.” (Deuteronômio 5:12-15 RA)2. Através do sábado Deus lembra o homem que Ele é o Criador, sendo o sábado o memorial da criação e também da redenção, pois Deus não só criou como também liberta o homem de seus pecados através de Jesus nosso redentor.

“A diferença mais notável entre os dois textos sobre o mandamento do sábado é a razão para a observância desse dia. Êxodo faz uma referência direta a Gênesis 2:3, ao realçar o fato de que Deus ‘abençoou’ e ‘santificou’ o dia de sábado. Por outro lado, Deuteronômio 5:15 aponta para o livramento de Israel da escravidão no Egito como sendo uma razão para a guarda do sábado. Com base no texto de Deuteronômio, muitos acreditam que o sábado seja apenas para os judeus. No entanto, esse argumento ignora completamente o fato de que o texto de Êxodo aponta para a criação, quando Deus estabeleceu o sábado para toda a humanidade.”1

“Além disso, a referência de Deuteronômio 5:15 à libertação do Egito é um símbolo da salvação que temos em Cristo. Por isso, o sábado é um símbolo não apenas da criação, mas também da redenção; dois temas interligados na Bíblia (Hb 1:1-3; Cl 1:13-20; Jo 1:1-14). Unicamente pelo fato de Jesus ser nosso Criador, Ele pode também ser nosso Redentor, e o sábado é o símbolo de Sua obra nesses dois aspectos.”1

“Qualquer pessoa pode alegar que está descansando em Cristo. Em sua experiência, como a observância do sábado o ajuda a encontrar esse descanso?”1

Domingo, 27 de abril de 2014. Saiba mais, ouça o Comentário em áudio da Lição da Escola Sabatina (LES) ou se preferir faça um Curso Bíblico.

__________________

1 LIÇÕES da escola sabatina. Cristo e sua lei. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 476, Abr. Maio Jun. 2013. Adulto, Professor.

2 BIBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

O melhor presente do Céu

Lições da Bíblia.

“O Senhor, seu Deus, naquele dia, os salvará, como ao rebanho do Seu povo; porque eles são pedras de uma coroa e resplandecem na terra dEle” (Zc 9:16).

“Pensamento-chave: Zacarias tem algumas profecias messiânicas maravilhosas que apontam para Jesus e confirmam nossa fé nEle.”

“No centro da mensagem bíblica está a mais bela história contada, do Deus Criador que, na pessoa de Seu Filho, deixou a glória do Céu para salvar a humanidade do pecado e da morte. Na segunda metade de Zacarias há várias profecias messiânicas, promessas proféticas do Antigo Testamento sobre Jesus, Aquele que fez tudo isso por nós.”

“Essas promessas específicas foram dadas primeiramente ao povo de Deus que vivia nos perigosos tempos de Zacarias, a fim de mantê-lo concentrado na promessa de redenção. Embora não devamos ignorar o contexto original dessas profecias, a importância delas nunca deve se limitar ao seu cumprimento no passado. Em vez disso, analisaremos de que forma elas foram cumpridas em Jesus, em termos universais, pois elas influenciam o destino final do mundo e não apenas do antigo Israel e de Judá.”

Sábado, 15 de junho de 2013. Saiba mais, ouça o Comentário em áudio da Lição da Escola Sabatina (LES) ou se preferir faça um Curso Bíblico. Este conteúdo é uma adaptação da LES publicado simultaneamente no Blogspot e WordPress. Para impressão acesse arquivo em PDF

A redenção

Lições da Bíblia.

“O cristianismo é ‘uma religião de redenção’, na qual as pessoas são salvas da ruína do pecado por meio do que outra Pessoa, neste caso Jesus, fez por elas. Assim, a religião cristã pode ser diferenciada de ‘uma religião da lei’, em que alguém pode mudar seu destino pelos próprios esforços em ‘fazer boas obras’. Precisamos dessa redenção porque, segundo a Bíblia, sem Cristo as pessoas são escravas do pecado (‘Replicou-lhes Jesus: Em verdade, em verdade vos digo: todo o que comete pecado é escravo do pecado.’ João 8:34) e estão sob sentença de morte (‘porque o salário do pecado é a morte, mas o dom gratuito de Deus é a vida eterna em Cristo Jesus, nosso Senhor.’ Rom. 6:23). Elas não podem se libertar dessas duas condições. A situação do pecador requer intervenção externa, e essa intervenção tem um preço. Como o Novo Testamento ensina de modo tão claro, esse preço foi a morte de Jesus na cruz.”

“1. Leia os textos bíblicos e marque ‘s’ para sim ou ‘n’ para não: O que está incluído no conceito de redenção?”Todavia, ao SENHOR agradou moê-lo, fazendo-o enfermar; quando der ele a sua alma como oferta pelo pecado, verá a sua posteridade e prolongará os seus dias; e a vontade do SENHOR prosperará nas suas mãos.” (Isa. 53:10). Pois o próprio Filho do Homem não veio para ser servido, mas para servir e dar a sua vida em resgate por muitos. (Mar. 10:45). “vindo, porém, a plenitude do tempo, Deus enviou seu Filho, nascido de mulher, nascido sob a lei, para resgatar os que estavam sob a lei, a fim de que recebêssemos a adoção de filhos.” (Gál. 4:4-5). o qual a si mesmo se deu por nós, a fim de remir-nos de toda iniquidade e purificar, para si mesmo, um povo exclusivamente seu, zeloso de boas obras.” (Tito 2:14).não por meio de sangue de bodes e de bezerros, mas pelo seu próprio sangue, entrou no Santo dos Santos, uma vez por todas, tendo obtido eterna redenção.” (Heb. 9:12). “sabendo que não foi mediante coisas corruptíveis, como prata ou ouro, que fostes resgatados do vosso fútil procedimento que vossos pais vos legaram, mas pelo precioso sangue, como de cordeiro sem defeito e sem mácula, o sangue de Cristo, (1 Ped. 1:18-19).

A) O nascimento, vida, morte e ressurreição de Cristo. ( )

B) O ministério de Cristo no santuário celestial, com base no Seu sangue. ( )

C) O fato de que Deus escolheu uns para a redenção e outros para a perdição. ( )

D) A nossa adoção como filhos de Deus, perdoados e purificados. ( )

Sim para as letras A, B e D.

“Do ponto de vista do Novo Testamento, a morte redentora de Cristo é sacrifical e substitutiva. Ele tomou nosso lugar, sacrificando-Se em nosso favor, sofrendo a nossa morte para que não tenhamos que enfrentá-la. Embora alguns rejeitem essa ideia porque não gostam da noção do sofrimento de alguém no lugar de outro (especialmente no lugar do culpado), essa é a essência da mensagem evangélica.”

“‘A menos que nossa linguística esteja em falta, quando o Novo Testamento fala de redenção, isso significa que Cristo pagou o preço da nossa redenção. Visto que o preço pago deve ser adequado à compra em questão, isso indica uma equivalência, uma substituição’ (Leon Morris, The Apostolic Preaching of the Cross [A Pregação Apostólica da Cruz]; Grand Rapids, Wm. B. Eerdman Publishing Co., 1965, p. 61).”

“Pense em algumas coisas em sua vida que você acha impossível mudar, questões sobre as quais você é absolutamente impotente para resolver. Da mesma forma, somos absolutamente impotentes para nos salvar. Como essa compreensão nos ajuda a entender melhor o que Cristo fez por nós na cruz? Mais importante ainda, como essa verdade maravilhosa da redenção deve afetar nossa vida?”

Saiba mais, estude a Lição da Escola Sabatina (LES) – domingo 28 de outubro de 2012. Escolha o formato para o estudo: Texto, Comentário em áudio ou se preferir faça um Curso Bíblico. Este conteúdo é uma adaptação da LES e é publicado simultaneamente em: Blogspot, WordPress. Para impressão acesse arquivo em PDF

Restauração

Lições da Bíblia.

“Embora os efeitos do pecado sobre a humanidade sejam muito profundos e penetrantes, nossa situação não é irreversível. A Bíblia fala sobre a possibilidade de renovação e restauração da imagem de Deus em nós, pelo menos até certo grau.”

“9. Que promessas de transformação trazem esperança ao nosso coração?” “Porquanto aos que de antemão conheceu, também os predestinou para serem conformes à imagem de seu Filho, a fim de que ele seja o primogênito entre muitos irmãos.” (Rom. 8:29). “E todos nós, com o rosto desvendado, contemplando, como por espelho, a glória do Senhor, somos transformados, de glória em glória, na sua própria imagem, como pelo Senhor, o Espírito.” (2 Cor. 3:18). “e vos renoveis no espírito do vosso entendimento, e vos revistais do novo homem, criado segundo Deus, em justiça e retidão procedentes da verdade.” (Efés. 4:23-24). “Fomos planejados para ser semelhantes ao Filho de Deus; pela contemplação seremos transformados e revestidos do novo homem, criado segundo Deus.”

“A Bíblia claramente apresenta a esperança de que podemos ser recriados à imagem de Deus. A renovação da imagem de Deus na humanidade é acompanhada de uma redução dos efeitos do pecado sobre nós e nossos relacionamentos. Nada disso, porém, é resultado da realização do próprio homem. A Bíblia aponta para Cristo como sendo a base da esperança de renovação do homem. Além disso, todas as mudanças operadas em nossa vida e nossa esperança de salvação devem repousar sempre no que Cristo realizou por nós e na oferta de salvação com base na Sua justiça, não na nossa.”

“10. Que condição deve ser cumprida para que seja iniciado o processo de recriação do homem à imagem de Deus? Ser uma nova criatura coloca a pessoa fora do alcance do pecado e de seus efeitos? O que sua experiência lhe diz sobre a resposta?” “E, assim, se alguém está em Cristo, é nova criatura; as coisas antigas já passaram; eis que se fizeram novas. (2 Cor. 5:17). “Estar em Cristo; enquanto ocorre o processo de recriação, ainda somos pecadores, lutando ao lado de Deus para vencer as tendências do mal, até o dia da vitória final.”

“De modo geral, as evidências das Escrituras levam à conclusão de que a renovação espiritual ocorre ao custo de vigilância em uma guerra espiritual. É uma guerra entre a carne e o espírito (‘Digo, porém: Andai pelo Espírito, e não haveis de cumprir a cobiça da carne. Porque a carne luta contra o Espírito, e o Espírito contra a carne; e estes se opõem um ao outro, para que não façais o que quereis.’ Gál 5:16-17). Os que estão sendo renovados à imagem de Deus percebem que essa guerra espiritual é a realidade da experiência humana e, por isso, eles abraçam o desafio na força do Senhor (‘Quanto ao mais, sede fortalecidos no Senhor e na força do seu poder. Revesti-vos de toda a armadura de Deus, para poderdes ficar firmes contra as ciladas do diabo; porque a nossa luta não é contra o sangue e a carne, e sim contra os principados e potestades, contra os dominadores deste mundo tenebroso, contra as forças espirituais do mal, nas regiões celestes. Portanto, tomai toda a armadura de Deus, para que possais resistir no dia mau e, depois de terdes vencido tudo, permanecer inabaláveis.’ Efés. 6:10-13). Decidir ser recriado à imagem de Deus é se colocar ao lado do Senhor no grande conflito. Escrevendo sobre os que experimentaram o poder renovador de Cristo, Ellen White observou: ‘Mas porque esta é sua experiência, o cristão não deve cruzar os braços, satisfeito com o que já conseguiu. Aquele que está determinado a entrar no reino espiritual perceberá que todos os poderes e paixões da natureza não regenerada, apoiados pelas forças do reino das trevas, estão arregimentados contra ele. Ele precisa renovar sua consagração cada dia, e cada dia batalhar contra o mal. Velhos hábitos, tendências hereditárias para o erro, lutarão para manter a supremacia, e contra isso ele deve estar sempre em guarda, lutando na força de Cristo pela vitória’ (Atos dos Apóstolos, p. 476, 477).”

Saiba mais, estude a Lição da Escola Sabatina (LES) – quinta-feira 18 de outubro de 2012. Escolha o formato para o estudo: Texto, Comentário em áudio ou se preferir faça um Curso Bíblico. Este conteúdo é uma adaptação da LES e é publicado simultaneamente em: Blogspot, WordPress. Para impressão acesse arquivo em PDF