Preocupações universais

Lições da Bíblia

“3. Leia Gênesis 2:1-3. O que essa passagem nos diz sobre a universalidade do sábado?”1

“1 Assim, pois, foram acabados os céus e a terra e todo o seu exército. 2 E, havendo Deus terminado no dia sétimo a sua obra, que fizera, descansou nesse dia de toda a sua obra que tinha feito. 3 E abençoou Deus o dia sétimo e o santificou; porque nele descansou de toda a obra que, como Criador, fizera.” (Gênesis 2:1-3 ARA)2.

O sábado é um memorial da criação da Terra e de todos os seres vivos. Deus descansou nesse dia, o abençoou e o santificou, para que nele todas as criaturas também descansem nas Suas bênçãos e na Sua santidade, e compartilhem esses benefícios com os que sofrem por falta desse descanso em Deus.1

“Se observarmos verdadeiramente o sábado, não nos contentaremos apenas com nosso próprio descanso (Êx 23:12), redenção (Dt 5:12-15) e restauração final na nova Terra (Is 66:22, 23), mas ajudaremos outras pessoas a encontrarem o descanso em Deus. Na verdade, o sábado nos diz que Deus é o Criador de todos os que vivem na Terra, Aquele que provê descanso para todos eles. A universalidade do descanso do sábado implica que todos nós, ricos ou pobres, temos algo em comum. A paternidade comum de Deus significa uma igualdade e um interesse comum entre todos os seres humanos.”1

“Além disso, como vimos ontem, o interesse pela justiça social se estende dos sábados semanais para os anos sabáticos e ao ano do jubileu. Os princípios por trás dos três sábados apresentados em Levítico 23 e 25 se estendem também para os cristãos. O sábado apontará perpetuamente para o passado, para a criação, para a cruz, bem como para o futuro e a nova Terra. Ele fortalecerá nosso relacionamento com nosso compassivo Criador e Salvador, levando-nos assim para mais perto daqueles que Ele ama profundamente – pessoas que têm necessidades profundas, que são pobres ou estão sofrendo.”1

“Note que, embora o ano sabático e o ano do jubileu ilustrem princípios eternos, isso não significa que devamos observar literalmente essas festas hoje em dia. Não devemos. Diferentemente do sábado semanal, instituído na criação, no mundo anterior à queda, o ano sabático e o ano do jubileu estão entre os sábados cerimoniais que eram ‘sombra das coisas que haviam de vir’ (Cl 2:16, 17) e que apontavam para o futuro, para o ministério e o sacrifício de Jesus, e que terminariam com Sua morte na cruz. Esses sábados apontam para um princípio relacionado à maneira pela qual devemos tratar os outros, especialmente os necessitados. Como um povo redimido, Israel tinha a obrigação de ser uma luz para o mundo, mostrando aos outros a misericórdia de Deus sem parcialidade. Com ações de graças, deviam representar o caráter de Deus àqueles que não O conheciam.”1

“Leia Amós 8:4-7 [‘4 Ouvi isto, vós que tendes gana contra o necessitado e destruís os miseráveis da terra, 5 dizendo: Quando passará a Festa da Lua Nova, para vendermos os cereais? E o sábado, para abrirmos os celeiros de trigo, diminuindo o efa, e aumentando o siclo, e procedendo dolosamente com balanças enganadoras, 6 para comprarmos os pobres por dinheiro e os necessitados por um par de sandálias e vendermos o refugo do trigo? 7 Jurou o SENHOR pela glória de Jacó: Eu não me esquecerei de todas as suas obras, para sempre!]. O que estava acontecendo ali? Somos culpados de fazer a mesma coisa com os outros? De acordo com o contexto, o que significam as palavras: “Eu não Me esquecerei de todas as suas obras, para sempre”?”1

Segunda-feira, 11 de julho de 2016. Saiba mais, ouça o Comentário em áudio  da Lição da Escola Sabatina (LES) ou se preferir faça um Curso Bíblico.
__________________
1 LIÇÕES da escola sabatina. O papel da igreja na comunidade. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 485, Jul. Ago. Set. 2016. Adulto, Professor.

2 BIBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

Descanso em Cristo – Estudo adicional

Lições da Bíblia

Assista em vídeo a discussão do tema da semana.

Estudo adicional

“Alguém disse: ‘Com ou sem religião, espera-se que boas pessoas façam coisas boas, e que más pessoas façam coisas más. Porém, para que boas pessoas façam coisas más, isso requer religião.’ No século 17, o filósofo e matemático francês Blaise Pascal ficou famoso ao declarar que ‘os homens nunca fazem o mal de maneira tão completa e entusiástica como quando fazem isso por convicção religiosa’. Embora haja um pouco de exagero nessas ideias, infelizmente há também um pouco de verdade. Isso pode ser visto no contexto da lição desta semana, que trata da relação entre os fariseus e o sábado. ‘Quando Jesus Se voltou para os fariseus perguntando se era lícito no dia de sábado fazer o bem ou o mal, salvar ou matar, os confrontou com seus próprios maus desígnios. Estavam caçando Sua vida com ódio amargo, ao passo que Ele salvava a vida e trazia felicidade às multidões. Seria melhor matar no sábado, como estavam planejando, do que curar o aflito, como Ele havia feito? Seria mais justo ter o homicídio no coração durante o santo dia de Deus, do que amor para com todos os homens, amor que se expressa em atos de misericórdia?’ (Ellen G. White, O Desejado de Todas as Nações, p. 287.)”1

Perguntas para reflexão

“1. O que Jesus quis dizer quando declarou: ‘Misericórdia quero e não holocaustos’ (Mt 12:7)? Considere também Mateus 9:10-13, Oseias 6:6e Isaías 1:11-17.”1

“2. O que poderíamos fazer, além de mostrar evidências bíblicas, para tornar as pessoas mais abertas à verdade do sábado?”1

“3. Como você guarda o sábado? O que você poderia fazer para obter uma experiência mais profunda e rica a partir da guarda do sábado?”

“4. Jesus disse: ‘O Meu jugo é suave, e o Meu fardo é leve.’ Faça a si mesmo a pergunta: De que modo posso ajudar a diminuir o fardo e a suavizar o jugo daqueles que me cercam?”1

Sexta-feira, 06 de maio de 2016. Saiba mais, ouça o Comentário em áudio  da Lição da Escola Sabatina (LES) ou se preferir faça um Curso Bíblico.

__________________

1 LIÇÕES da escola sabatina. O Evangelho de Mateus. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 485, Abr. Mai. Jun. 2016. Adulto, Professor.

A guarda do sábado

Lições da Bíblia

“Como está claro pelo relato dos evangelhos, Jesus não aboliu o sábado. O que Ele fez foi restaurá-lo, libertando-o dos pesados fardos que as pessoas haviam colocado sobre ele. Centenas de anos mais tarde os cristãos ainda estavam descansando e adorando no sábado. O historiador Sócrates Escolástico escreveu: ‘Quase todas as igrejas ao redor do mundo celebram os mistérios sagrados [a Ceia do Senhor] no sábado todas as semanas, mas os cristãos de Alexandria e de Roma, por causa de alguma tradição antiga, se recusam a fazê-lo’ (História Eclesiástica, livro 5, p. 289). Não há dúvida de que, sejam quais forem as razões pelas quais todos esses incidentes foram registrados nos evangelhos, o motivo não era que as pessoas deixassem de observar o sábado.”1

“5. Leia novamente Mateus 12:12 e se concentre na frase: ‘Logo, é lícito, nos sábados, fazer o bem’. O que isso significa no contexto imediato ao qual Jesus estava se referindo? O que a guarda do sábado deve incluir?”

O sábado é dia de fazer o bem às pessoas, aos animais e à natureza. É dia de amar, servir e ajudar o próximo. O sábado é o dia de descanso físico e espiritual, mas é também o dia de atuar para levar descanso aos cansados.1

“Embora a lei judaica permitisse o cuidado médico no sábado para uma pessoa cuja vida estivesse em perigo, Jesus levou isso um passo adiante: as curas, talvez até aquelas que pudessem ser feitas em outros dias, foram realizadas no sábado. Com isso em mente, leia o que Jesus disse posteriormente em Mateus: ‘Por isso, todo mestre da lei instruído quanto ao Reino dos céus é como o dono de uma casa que tira do seu tesouro coisas novas e coisas velhas’ (Mt 13:52, NVI). Sem dúvida, Jesus também estava tirando novas coisas de Seu tesouro.”

6. Leia Isaías 58:7-13. De que forma esse texto ajuda a refletir sobre o significado verdadeiro de seguir o Senhor e viver os princípios da lei, inclusive o sábado? Como entender a frase ‘reparador de brechas’, especialmente no contexto das três mensagens angélicas?

1 Clama a plenos pulmões, não te detenhas, ergue a voz como a trombeta e anuncia ao meu povo a sua transgressão e à casa de Jacó, os seus pecados. 2 Mesmo neste estado, ainda me procuram dia a dia, têm prazer em saber os meus caminhos; como povo que pratica a justiça e não deixa o direito do seu Deus, perguntam-me pelos direitos da justiça, têm prazer em se chegar a Deus, 3 dizendo: Por que jejuamos nós, e tu não atentas para isso? Por que afligimos a nossa alma, e tu não o levas em conta? Eis que, no dia em que jejuais, cuidais dos vossos próprios interesses e exigis que se faça todo o vosso trabalho. 4 Eis que jejuais para contendas e rixas e para ferirdes com punho iníquo; jejuando assim como hoje, não se fará ouvir a vossa voz no alto. 5 Seria este o jejum que escolhi, que o homem um dia aflija a sua alma, incline a sua cabeça como o junco e estenda debaixo de si pano de saco e cinza? Chamarias tu a isto jejum e dia aceitável ao SENHOR? 6 Porventura, não é este o jejum que escolhi: que soltes as ligaduras da impiedade, desfaças as ataduras da servidão, deixes livres os oprimidos e despedaces todo jugo? 7 Porventura, não é também que repartas o teu pão com o faminto, e recolhas em casa os pobres desabrigados, e, se vires o nu, o cubras, e não te escondas do teu semelhante? 8 Então, romperá a tua luz como a alva, a tua cura brotará sem detença, a tua justiça irá adiante de ti, e a glória do SENHOR será a tua retaguarda; 9 então, clamarás, e o SENHOR te responderá; gritarás por socorro, e ele dirá: Eis-me aqui. Se tirares do meio de ti o jugo, o dedo que ameaça, o falar injurioso; 10 se abrires a tua alma ao faminto e fartares a alma aflita, então, a tua luz nascerá nas trevas, e a tua escuridão será como o meio-dia. 11 O SENHOR te guiará continuamente, fartará a tua alma até em lugares áridos e fortificará os teus ossos; serás como um jardim regado e como um manancial cujas águas jamais faltam. 12 Os teus filhos edificarão as antigas ruínas; levantarás os fundamentos de muitas gerações e serás chamado reparador de brechas e restaurador de veredas para que o país se torne habitável. 13 Se desviares o pé de profanar o sábado e de cuidar dos teus próprios interesses no meu santo dia; se chamares ao sábado deleitoso e santo dia do SENHOR, digno de honra, e o honrares não seguindo os teus caminhos, não pretendendo fazer a tua própria vontade, nem falando palavras vãs,” (Isaías 25:1-13 ARA)2.

Seguir o Senhor é amar as pessoas e aliviar-lhes o sofrimento, inclusive no sábado. É repartir as bênçãos divinas com os necessitados. Os fiéis a esse aspecto da lei do amor, entendem e vivem a verdadeira essência do sábado e da lei. Por isso, são iluminados e sustentados por Deus. A plenitude do descanso do sábado é concedida aos que trabalham para Deus durante a semana, levando amor aos sofredores e restaurando corações iludidos e enganados pelo pecado.1

Quinta-feira, 05 de maio de 2016. Saiba mais, ouça o Comentário em áudio  da Lição da Escola Sabatina (LES) ou se preferir faça um Curso Bíblico.

__________________

1 LIÇÕES da escola sabatina. O Evangelho de Mateus. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 485, Abr. Mai. Jun. 2016. Adulto, Professor.

2 BIBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

Cura no sábado

Lições da Bíblia

“É muito interessante fazer uma leitura completa dos evangelhos para ver todas as vezes em que os escritores registraram incidentes ocorridos no sábado entre Jesus e os líderes religiosos. Se o sábado estava prestes a ser abolido, por qual motivo os escritores dos quatro evangelhos incluíram relatos, numerosos em alguns casos, da luta que Jesus travou com os líderes a respeito da guarda desse dia? Essa ideia se torna ainda mais evidente quando nos lembramos de que os evangelhos foram escritos muitos anos após o ministério de Jesus. Embora os estudiosos estejam divididos quanto às datas exatas, a maioria deles os coloca pelo menos 20 a 30 anos após a morte de Jesus. Assim, naquela altura, se o sábado já havia sido substituído pelo domingo, certamente não há qualquer alusão a essa mudança em nenhum dos relatos inspirados sobre a vida de Jesus. Portanto, temos fortes evidências de que o sábado não foi abolido, mudado nem substituído, por meio de qualquer exemplo ou ordem de Jesus registrada nos quatro evangelhos. Ao contrário, se olharmos para as ordens e o exemplo de Jesus, os evangelhos nos mostram que o sábado continua sendo válido.”1

“4. Leia Mateus 12:9-14. Qual é a questão envolvida nesse texto, e por que esse seria outro motivo para divergência?”1

“9 Tendo Jesus partido dali, entrou na sinagoga deles. 10 Achava-se ali um homem que tinha uma das mãos ressequida; e eles, então, com o intuito de acusá-lo, perguntaram a Jesus: É lícito curar no sábado? 11 Ao que lhes respondeu: Qual dentre vós será o homem que, tendo uma ovelha, e, num sábado, esta cair numa cova, não fará todo o esforço, tirando-a dali? 12 Ora, quanto mais vale um homem que uma ovelha? Logo, é lícito, nos sábados, fazer o bem. 13 Então, disse ao homem: Estende a mão. Estendeu-a, e ela ficou sã como a outra. 14 Retirando-se, porém, os fariseus, conspiravam contra ele, sobre como lhe tirariam a vida.” (Mateus 12:9-14 ARA)2.

Os fariseus não aceitavam que um ser humano fosse curado no sábado. Jesus curou o homem para mostrar que o propósito do sábado é aliviar o sofrimento humano.1

“‘Em outro sábado, ao entrar Jesus na sinagoga, viu ali um homem cuja mão era mirrada. Os fariseus O observavam, ansiosos para ver o que Ele faria. Bem sabia o Salvador que, curando no sábado, seria considerado transgressor, mas não hesitou em derrubar o muro das exigências tradicionais que obstruíam o sábado. […] Era uma máxima entre os judeus que deixar de fazer o bem, havendo oportunidade para isso, era fazer o mal; negligenciar salvar a vida, era matar. Assim, Jesus os atacou com suas próprias armas’ (Ellen G. White, O Desejado de Todas as Nações, p. 286).”1

“Novamente, como no incidente anterior, Jesus procurou indicar o propósito mais elevado da lei e da vida de fé. Essas pessoas prefeririam deixar aquele homem em sua dor e sofrimento, a transgredir suas próprias regras de origem humana a respeito do sábado, o qual havia sido tão pervertido que, embora eles tirassem um boi de uma cova nesse dia, se recusavam a aliviar o sofrimento de um ser humano.”1

“Precisamos ter muito cuidado para garantir que nossa maneira de praticar a fé não esteja atrapalhando o modo pelo qual Deus nos chamou a viver essa fé!”1

Quarta-feira, 04 de maio de 2016. Saiba mais, ouça o Comentário em áudio  da Lição da Escola Sabatina (LES) ou se preferir faça um Curso Bíblico.

__________________

1 LIÇÕES da escola sabatina. O Evangelho de Mateus. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 485, Abr. Mai. Jun. 2016. Adulto, Professor.

2 BIBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

A resposta de Jesus

Lições da Bíblia

“Este era o ambiente no qual Jesus estava trabalhando: regras rígidas para a guarda do sábado, impossíveis de ser cumpridas, que arruinavam o propósito original do sábado. Ele devia ser um dia de repouso do trabalho; um dia para adorar a Deus e ter comunhão com outros fiéis de uma forma que não podemos fazer durante a semana de trabalho. Um dia em que as crianças sabiam que seus pais estariam mais acessíveis a elas do que poderiam estar em outras circunstâncias; um dia para se regozijar especialmente no que foi feito em nosso favor pelo nosso Criador e Redentor.”

“3. Leia Mateus 12:3-8 e 1 Samuel 21:1-6. Como Jesus reagiu ao pesado jugo dos fariseus? Qual foi a linha de raciocínio de Jesus?”1

“3 Mas Jesus lhes disse: Não lestes o que fez Davi quando ele e seus companheiros tiveram fome? 4 Como entrou na Casa de Deus, e comeram os pães da proposição, os quais não lhes era lícito comer, nem a ele nem aos que com ele estavam, mas exclusivamente aos sacerdotes? 5 Ou não lestes na Lei que, aos sábados, os sacerdotes no templo violam o sábado e ficam sem culpa? Pois eu vos digo: 6 aqui está quem é maior que o templo. 7 Mas, se vós soubésseis o que significa: Misericórdia quero e não holocaustos, não teríeis condenado inocentes. 8 Porque o Filho do Homem é senhor do sábado.” (Mateus 12:3-8 ARA)2.

“1 Então, veio Davi a Nobe, ao sacerdote Aimeleque; Aimeleque, tremendo, saiu ao encontro de Davi e disse-lhe: Por que vens só, e ninguém, contigo? 2 Respondeu Davi ao sacerdote Aimeleque: O rei deu-me uma ordem e me disse: Ninguém saiba por que te envio e de que te incumbo; quanto aos meus homens, combinei que me encontrassem em tal e tal lugar. 3 Agora, que tens à mão? Dá-me cinco pães ou o que se achar. 4 Respondendo o sacerdote a Davi, disse-lhe: Não tenho pão comum à mão; há, porém, pão sagrado, se ao menos os teus homens se abstiveram das mulheres. 5 Respondeu Davi ao sacerdote e lhe disse: Sim, como sempre, quando saio à campanha, foram-nos vedadas as mulheres, e os corpos dos homens não estão imundos. Se tal se dá em viagem comum, quanto mais serão puros hoje! 6 Deu-lhe, pois, o sacerdote o pão sagrado, porquanto não havia ali outro, senão os pães da proposição, que se tiraram de diante do SENHOR, quando trocados, no devido dia, por pão quente.” (1 Samuel 21:1-6 ARA)2.

Mostrou que o ser humano é mais importante que o sábado e que o sábado foi criado para beneficiar as pessoas, não para oprimi-las. A transgressão de Davi foi aceitável porque ajudou a manter sua vida. Os sacerdotes transgrediam o sábado para realizar uma obra divina e necessária.1

“Nesse episódio, Jesus disse o que voltou a dizer mais tarde de maneira muito mais forte (ver Mt 23:23, 24): que eles deviam se concentrar no que era realmente importante. Jesus recapitulou a conhecida história do rei Davi que, ao fugir, tomou o pão do tabernáculo, que devia ser comido somente pelos sacerdotes. Nessa situação, a fome de Davi e de seus companheiros era mais importante do que o ritual do tabernáculo que tinha outro propósito. Da mesma forma, a fome dos seguidores de Jesus era mais importante do que as orientações sobre o sábado (a respeito da colheita) que se destinavam a outro propósito.”1

“Jesus citou também o trabalho dos sacerdotes no templo no dia de sábado. O sábado permitia o trabalho do ministério. Da mesma forma, o sábado permitia o trabalho dos companheiros de Jesus, porque Ele e Seu trabalho eram maiores que o templo.”1

“Nada que Jesus disse nessa ocasião ou em qualquer outro momento a respeito da guarda do sábado diminuiu a ordem divina para que o guardemos. Ele estava tentando libertá-los, não do sábado, mas das regras sem sentido que ocultavam o propósito desse dia, que era o de ser uma expressão do descanso que temos em Cristo como nosso Criador e Redentor.”1

“‘Nos dias de Cristo, a observância do sábado havia se tornado tão distorcida que refletia o caráter de homens egoístas e arbitrários, em lugar do caráter do amorável Pai celestial’ (Ellen G. White, O Desejado de Todas as Nações, p. 284). Analisando seus atos, o que você poderia fazer para garantir que eles reflitam o caráter de nosso amorável Pai celestial, e não o caráter do egoísmo e da arbitrariedade?”1

Terça-feira, 03 de maio de 2016. Saiba mais, ouça o Comentário em áudio  da Lição da Escola Sabatina (LES) ou se preferir faça um Curso Bíblico.

__________________

1 LIÇÕES da escola sabatina. O Evangelho de Mateus. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 485, Abr. Mai. Jun. 2016. Adulto, Professor.

2 BIBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

Agitação por causa de um dia de descanso

Lições da Bíblia

“Se, como grande parte do mundo cristão argumenta, o sábado foi abolido, substituído, ultrapassado, cumprido (ou o que quer que seja), por que Jesus passou tanto tempo tratando de como guardar o sábado?”1

“2. Leia os versos seguintes. Sobre quais questões existem divergências nesses textos? Sobre quais pontos não há divergência?

Mt 12:1, 2; “Por aquele tempo, em dia de sábado, passou Jesus pelas searas. Ora, estando os seus discípulos com fome, entraram a colher espigas e a comer.2

Lc 14:1-6; “1 Aconteceu que, ao entrar ele num sábado na casa de um dos principais fariseus para comer pão, eis que o estavam observando. 2 Ora, diante dele se achava um homem hidrópico. 3 Então, Jesus, dirigindo-se aos intérpretes da Lei e aos fariseus, perguntou-lhes: É ou não é lícito curar no sábado? 4 Eles, porém, nada disseram. E, tomando-o, o curou e o despediu. 5 A seguir, lhes perguntou: Qual de vós, se o filho ou o boi cair num poço, não o tirará logo, mesmo em dia de sábado? 6 A isto nada puderam responder.2

Mc 2:23-28; “23 Ora, aconteceu atravessar Jesus, em dia de sábado, as searas, e os discípulos, ao passarem, colhiam espigas. 24 Advertiram-no os fariseus: Vê! Por que fazem o que não é lícito aos sábados? 25 Mas ele lhes respondeu: Nunca lestes o que fez Davi, quando se viu em necessidade e teve fome, ele e os seus companheiros? 26 Como entrou na Casa de Deus, no tempo do sumo sacerdote Abiatar, e comeu os pães da proposição, os quais não é lícito comer, senão aos sacerdotes, e deu também aos que estavam com ele? 27 E acrescentou: O sábado foi estabelecido por causa do homem, e não o homem por causa do sábado; 28 de sorte que o Filho do Homem é senhor também do sábado.2

Jo 5:9-1619 Imediatamente, o homem se viu curado e, tomando o leito, pôs-se a andar. E aquele dia era sábado. 10 Por isso, disseram os judeus ao que fora curado: Hoje é sábado, e não te é lícito carregar o leito. 11 Ao que ele lhes respondeu: O mesmo que me curou me disse: Toma o teu leito e anda. 12 Perguntaram-lhe eles: Quem é o homem que te disse: Toma o teu leito e anda? 13 Mas o que fora curado não sabia quem era; porque Jesus se havia retirado, por haver muita gente naquele lugar. 14 Mais tarde, Jesus o encontrou no templo e lhe disse: Olha que já estás curado; não peques mais, para que não te suceda coisa pior. 15 O homem retirou-se e disse aos judeus que fora Jesus quem o havia curado. 16 E os judeus perseguiam Jesus, porque fazia estas coisas no sábado.2

As divergências giravam em torno do que era lícito fazer aos sábados, como curar ou não uma pessoa, colher espigas para matar a fome e carregar o leito ou a maca, depois de ter sido curado. Essas coisas poderiam prejudicar o descanso físico e espiritual do sábado? Não havia divergência sobre os seguintes fatos: o sábado é o dia do Senhor, precisamos descansar nesse dia e nele não devemos trabalhar.1

“Sabendo que uma das razões pelas quais Israel tinha ido para o cativeiro babilônico foi a profanação do sábado, os fariseus desejavam impedir que isso acontecesse novamente. Portanto, haviam criado uma série de regras e regulamentos sobre o que era e o que não era aceitável no sábado, com a ideia de proteger sua santidade. Quais eram algumas dessas regras?”1

“Se uma galinha botar um ovo no sábado, está certo comê-lo? A opinião da maioria dos fariseus era que, se fosse uma galinha poedeira, não era certo comer o ovo botado no sábado porque ela estaria trabalhando. Contudo, se não fosse uma galinha poedeira, mas apenas uma galinha que estava sendo engordada para ser consumida, então o ovo podia ser consumido, porque esse não era o trabalho principal da galinha. Havia também uma sugestão de que o ovo botado no sábado por uma galinha poedeira podia ser consumido, contanto que a galinha fosse morta mais tarde por ter transgredido o sábado.”1

“Está certo olhar-se no espelho no sábado? A resposta é: Não, porque se você vir um cabelo branco pode ser tentado a arrancá-lo, o que seria uma colheita e, como tal, transgressão do sábado.”1

“Se sua casa pegar fogo no sábado, é certo tentar salvar suas roupas? A resposta é: Você deve tirar apenas uma muda de roupa. Contudo, se você vestir uma muda de roupa, então pode carregar outra muda. A propósito, se sua casa pegar fogo, não é certo pedir a um gentio que apague o fogo, mas se o gentio apagar o fogo assim mesmo, tudo bem.”1

“É certo cuspir no sábado? A resposta é: Você pode cuspir em cima de uma rocha, mas não pode cuspir no chão, porque isso produziria lama ou argamassa.”1

“Podemos rir dessas regras, porém, corremos o risco de fazer a mesma coisa à nossa própria maneira, não só a respeito do sábado, mas também de todos os aspectos de nossa fé, isto é, perder de vista o que é verdadeiramente importante e nos concentrar no que é trivial. Como evitar essa armadilha?”1

Domingo, 01 de maio de 2016. Saiba mais, ouça o Comentário em áudio  da Lição da Escola Sabatina (LES) ou se preferir faça um Curso Bíblico.

__________________

1 LIÇÕES da escola sabatina. O Evangelho de Mateus. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 485, Abr. Mai. Jun. 2016. Adulto, Professor.

2 BIBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

Cristo como Senhor do sábado – Estudo adicional

Lições da Bíblia

Assista em vídeo a discussão do tema da semana.

 

“‘Deus não poderia, nem por um momento, deter a mão, do contrário o homem desfaleceria e viria a morrer. E o homem também tem nesse dia uma obra a realizar. Devem-se atender às necessidades da vida, cuidar dos doentes, suprir as faltas dos necessitados. Não será tido por inocente o que negligenciar aliviar o sofrimento no sábado. O santo dia de repouso de Deus foi feito para o homem, e os atos de misericórdia se acham em perfeita harmonia com seu desígnio. Deus não deseja que Suas criaturas sofram uma hora de dor que possa ser aliviada no sábado, ou noutro dia qualquer’ (Ellen G. White, O Desejado de Todas as Nações, p. 207).”1

“‘Nenhuma outra das instituições dadas aos judeus os distinguia tão completamente das nações circunvizinhas, como o sábado. Era a intenção do Senhor que sua observância os designasse como adoradores Seus. Seria um sinal de sua separação da idolatria, e ligação com o verdadeiro Deus. Mas a fim de santificar o sábado, os homens precisam ser eles mesmos santos. Devem, pela fé, tornar-se participantes da justiça de Cristo’ (Ibid., p. 283).”1

Perguntas para reflexão

“1. Milhões de cristãos ainda insistem em declarar que o sábado já não mais está em vigor e que ele não tem importância, ou que guardá-lo é legalismo. Por que uma inabalável fidelidade à Palavra de Deus é tão importante? As massas estão enganadas a respeito de algo tão importante quanto a santa lei de Deus. Que advertência Jesus nos dá em Marcos 13:22?”1

“2. Veja como Satanás tem trabalhado arduamente para destruir o sábado: ou ele usou os líderes de Israel para transformá-lo num pesado fardo, quase destituindo-o de tudo o que devia significar e ser; ou ele usou, e ainda usa, líderes de igreja para rejeitá-lo como antiquado, legalista, ou como simples tradição judaica. O que há no sábado que o torna alvo tão grande do ataque de Satanás?”1

“3. Jesus é o ‘Senhor […] do sábado’ (Lc 6:5). Que implicações essa declaração tem para os cristãos e para sua atitude com relação ao sábado?”1

Sexta-feira, 01 de maio de 2015 . Saiba mais, ouça o Comentário em áudio  da Lição da Escola Sabatina (LES) ou se preferir faça um Curso Bíblico.

__________________

1 LIÇÕES da escola sabatina. O evangelho de Lucas. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 480, Abr. Mai. Jun. 2015. Adulto, Professor.