Descanso sabático – Estudo adicional

Lições da Bíblia1

“Durante toda a semana cumpre-nos ter em mente o sábado e fazer a preparação indispensável, a fim de observá-lo conforme o mandamento. Não devemos observá-lo simplesmente como uma questão de lei” (Ellen G. White, Testemunhos Para a Igreja, v. 6, p. 353). “Todo o Céu celebra o sábado, mas não de maneira ociosa e negligente. Nesse dia todas as energias do coração devem estar despertas, pois vamos nos encontrar com Deus e com Cristo, nosso Salvador. Podemos contemplá-Lo pela fé. Ele está desejoso de refrigerar e abençoar cada pessoa” (Ellen G. White, Testemunhos Para a Igreja, p. 362).

“As demandas para com Deus são ainda maiores no sábado do que nos outros dias. Seu povo deixa então as tarefas comuns e passa mais tempo em meditação e adoração. Pedem-Lhe mais favores no sábado do que nos outros dias. Exigem-Lhe a atenção de modo especial. Anseiam Suas mais preciosas bênçãos. Deus não espera que o sábado passe para atender esses pedidos. A obra no Céu não cessa nunca, e o ser humano não deve descansar de fazer o bem. O sábado não se destina a ser um período inútil de inatividade. A lei de Deus proíbe trabalho secular no dia de repouso do Senhor; a atividade que constitui o ganha-pão deve ser interrompida; nenhum trabalho que vise prazer ou proveito mundanos é lícito nesse dia; mas, como Deus cessou Seu trabalho de criar e repousou no sábado, e o abençoou, assim o ser humano deve deixar as ocupações da vida diária e dedicar essas sagradas horas a um saudável repouso, ao culto e a boas obras. O ato de Cristo em curar o enfermo estava em perfeito acordo com a lei. Era uma obra que honrava o sábado” (Ellen G. White, O Desejado de Todas as Nações, p. 207).

Perguntas para consideração

1. Como ser mordomos do meio ambiente sem aderir a agendas políticas?

2. Como promover com mais fervor a mentalidade de servir? Como o sábado nos oferece mais oportunidades de fazer exatamente isso?

3. O sábado nos ajuda a ver as pessoas com os olhos de Deus. As diferenças raciais, étnicas, socioeconômicas e sexuais são irrelevantes, pois fomos feitos à imagem de um Deus que nos ama. O sábado nos ajuda a lembrar dessa verdade?

Sexta-feira, 03 de setembro de 2021. Saiba mais, faça gratuitamente um Curso Bíblico

_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. Descanso em Cristo. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 505, jul. ago. set. 2021. Adulto, Professor. 

O sinal de que pertencemos a Deus

Lições da Bíblia1

Durante a Segunda Guerra Mundial, a Inglaterra esperava uma invasão iminente do exército alemão. Na medida do possível, foram feitos preparativos para defender a ilha natal. Fortificações adicionais foram instaladas nas praias. As estradas ofereceriam ao inimigo as rotas mais rápidas para seus objetivos e, consequentemente, foram instalados bloqueios em pontos estratégicos. As autoridades inglesas então fizeram algo estranho. Para atrasar e confundir o inimigo, as placas das ferrovias e as placas de trânsito foram removidas. Sinais gravados em pedra ou edifícios não podiam ser retirados, mas foram cobertos com cimento. Os sinais são importantes. Eles servem como indicadores e guias. Antes do GPS, todos tínhamos mapas e contávamos com os sinais da estrada.

9. Do que o sábado é um sinal? (Leia Êx 31:13, 16, 17). Como podemos aplicar essas palavras a nós, que cremos na perpetuidade da lei de Deus?

Êx 31:13, 16, 17 (ARA)2: “13 Tu, pois, falarás aos filhos de Israel e lhes dirás: Certamente, guardareis os meus sábados; pois é sinal entre mim e vós nas vossas gerações; para que saibais que eu sou o Senhor, que vos santifica. […] 16 Pelo que os filhos de Israel guardarão o sábado, celebrando-o por aliança perpétua nas suas gerações. 17 Entre mim e os filhos de Israel é sinal para sempre; porque, em seis dias, fez o Senhor os céus e a terra, e, ao sétimo dia, descansou, e tomou alento.

Embora essas palavras tenham sido ditas ao antigo Israel, nós que somos de Cristo somos “descendentes de Abraão e herdeiros segundo a promessa” (Gl 3:29), e o sábado hoje continua sendo sinal entre Deus e Seu povo. Êxodo 31 destaca que o sábado é sinal da aliança perpétua de Deus (Êx 31:16, 17). Esse sinal nos ajuda a “conhecer” o Criador, Redentor e Santificador. É como uma bandeira levantada a cada sete dias e que funciona para nos ajudar a lembrar, já que tendemos a esquecer.

O sábado é um lembrete constante de nossas origens, libertação, destino e responsabilidade para com os rejeitados e marginalizados. O sábado é tão importante que, em vez de irmos a ele, ele vem a nós a cada semana – uma lembrança perpétua de quem somos, de quem nos fez, do que Deus faz por nós, e do que Ele fará por nós no novo Céu e na nova Terra.

O Deus santo convida a humanidade, Sua parceira na aliança, a considerar o ritmo que governa o que realmente tem valor – o relacionamento salvífico entre o Criador e Suas obstinadas criaturas. A cada semana, com a força e a autoridade de Deus, somos ordenados a entrar no descanso que recebemos gratuitamente em Cristo, “o Autor e Consumador da fé, […] o qual, em troca da alegria que Lhe estava proposta, suportou a cruz” (Hb 12:2).

Como você pode ter uma experiência mais profunda com Deus durante o sábado?

Quinta-feira, 02 de setembro de 2021. Saiba mais, faça gratuitamente um Curso Bíblico

_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. Descanso em Cristo. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 505, jul. ago. set. 2021. Adulto, Professor. 
2 BÍBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

O serviço ao próximo honra o sábado de Deus

Lições da Bíblia1

No Novo Testamento, os líderes religiosos tinham a guarda do sábado como uma “arte”. Havia dezenas de proibições e regras estabelecidas para ajudar na santificação do sábado. Essas regras incluíam a proibição de amarrar ou desamarrar qualquer coisa, de separar dois fios, de apagar uma fogueira, de transportar um objeto entre um domínio privado e o domínio público, ou de transportar algo além de uma distância específica na esfera pública.

7. Que acusação foi feita contra Jesus em João 5:7-16?

João 5:7-16 (ARA)2: “7 Respondeu-lhe o enfermo: Senhor, não tenho ninguém que me ponha no tanque, quando a água é agitada; pois, enquanto eu vou, desce outro antes de mim. 8 Então, lhe disse Jesus: Levanta-te, toma o teu leito e anda.Imediatamente, o homem se viu curado e, tomando o leito, pôs-se a andar. E aquele dia era sábado. 10 Por isso, disseram os judeus ao que fora curado: Hoje é sábado, e não te é lícito carregar o leito. 11 Ao que ele lhes respondeu: O mesmo que me curou me disse: Toma o teu leito e anda. 12 Perguntaram-lhe eles: Quem é o homem que te disse: Toma o teu leito e anda? 13 Mas o que fora curado não sabia quem era; porque Jesus se havia retirado, por haver muita gente naquele lugar. 14 Mais tarde, Jesus o encontrou no templo e lhe disse: Olha que já estás curado; não peques mais, para que não te suceda coisa pior. 15 O homem retirou-se e disse aos judeus que fora Jesus quem o havia curado. 16 E os judeus perseguiam Jesus, porque fazia estas coisas no sábado.”

Ignorando o milagre e a libertação do homem, os líderes ficaram obcecados com o fato de o homem curado carregar a cama em público no sábado. Em vez de ver como o “Senhor do sábado” (Mc 2:28) utilizava esse dia especial, os líderes se empenhavam em manter suas regras. À nossa maneira e em nosso contexto, não devemos cometer erros semelhantes.

8. Como Isaías 58:2, 3 descreve a intenção de Deus para a guarda do sábado?

Isaías 58:2, 3 (ARA)2: “2 Mesmo neste estado, ainda me procuram dia a dia, têm prazer em saber os meus caminhos; como povo que pratica a justiça e não deixa o direito do seu Deus, perguntam-me pelos direitos da justiça, têm prazer em se chegar a Deus, 3 dizendo: Por que jejuamos nós, e tu não atentas para isso? Por que afligimos a nossa alma, e tu não o levas em conta? Eis que, no dia em que jejuais, cuidais dos vossos próprios interesses e exigis que se faça todo o vosso trabalho.

Deus não deseja adoração vazia nem silêncio piedoso. Ele deseja ver Seu povo engajado com outras pessoas, especialmente os oprimidos e marginalizados. “Se vigiarem os seus pés, para não profanarem o sábado; se deixarem de cuidar dos seus próprios interesses no Meu santo dia; se chamarem ao sábado de ‘meu prazer’ e ‘santo dia do Senhor, digno de honra’; se guardarem o sábado, não seguindo os seus próprios caminhos, não pretendendo fazer a sua própria vontade, nem falando palavras vãs, então vocês terão no Senhor a sua fonte de alegria. Eu os farei cavalgar sobre os altos da terra e os sustentarei com a herança de Jacó, seu pai. Porque a boca do Senhor o disse” (Is 58:13, 14).

Buscar o nosso “prazer” (Is 58:13, ou nossos “interesses”) equivale a “profanar o sábado”. A vontade humana não faz parte do ideal de Deus para o sábado. Somos convidados a cuidar dos que lutam, que são cativos, famintos e nus, que caminham nas trevas, cujos nomes ninguém se lembra. Mais do que outros dias da semana, o sábado deve nos tirar do egoísmo e nos fazer pensar mais nos outros e nas necessidades deles do que em nós mesmos.

Quarta-feira, 01 de setembro de 2021. Saiba mais, faça gratuitamente um Curso Bíblico

_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. Descanso em Cristo. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 505, jul. ago. set. 2021. Adulto, Professor. 
2 BÍBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

Descanso sabático

Lições da Bíblia1

“Seis dias vocês trabalharão, mas o sétimo dia será o sábado de descanso solene, santa convocação; não façam nenhuma obra; é sábado dedicado ao Senhor onde quer que vocês morarem” (Lv 23:3).

Ouvimos todos os tipos de argumentos contra a guarda do sétimo dia, o sábado, não é mesmo? Coisas do tipo “Jesus mudou o sábado para o domingo”, ou que Jesus aboliu o sábado, ou que Paulo o anulou, ou ainda que os apóstolos substituíram o sábado pelo domingo em homenagem à ressurreição de Jesus. Nos últimos anos, surgiram argumentos mais sofisticados, alegando, por exemplo, que Jesus é nosso descanso sabático e que, portanto, não precisamos santificar o sábado nem qualquer outro dia. Sempre haverá o estranho argumento de que, descansando no sábado, estamos de alguma forma procurando obter o Céu. Por outro lado, alguns cristãos têm se interessado mais pela ideia de descanso, de um dia de repouso, e, embora argumentem que esse dia é o domingo ou que o dia não importa, assimilaram a noção bíblica de descanso e por que ela é importante.

Entendemos a perpetuidade da lei moral de Deus e que a obediência ao quarto mandamento não significa tentar obter o Céu, da mesma forma que a obediência aos outros mandamentos também não significa isso.

Nesta semana, continuaremos examinando o descanso que Deus nos deu no mandamento do sábado e por que ele é importante.

Sábado, 28 de agosto de 2021. Saiba mais, faça gratuitamente um Curso Bíblico

_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. Descanso em Cristo. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 505, jul. ago. set. 2021. Adulto, Professor. 

Os ritmos do descanso – Estudo adicional

Lições da Bíblia1

“Deus deu aos homens o memorial de Seu poder criador para que O discernissem nas obras de Suas mãos. O sábado nos convida a contemplar, nas obras criadas, a glória do Criador […]. Mais do que em qualquer outro dia, devemos, no santo dia de descanso, estudar as que Deus escreveu para nós na natureza […]. À medida que penetramos no seio da natureza, Cristo nos torna real Sua presença, e nos fala ao coração de Sua paz e amor” (Ellen G. White, Parábolas de Jesus, p. 25, 26). “Uma das razões importantes pelas quais o Senhor libertou Israel da escravidão do Egito foi para que o povo pudesse guardar Seu santo sábado […]. Evidentemente, Moisés e Arão renovaram o ensino sobre a santidade do sábado, pois o faraó se queixou a eles: ‘Vocês ainda querem que eles [o povo] descansem de suas tarefas!’ (Êx 5:5). Isso indica que Moisés e Arão começaram uma reforma do sábado no Egito.

“Entretanto, a observância do sábado não era para ser uma comemoração da escravidão do povo no Egito. A observância do sábado como lembrança da criação devia incluir uma lembrança alegre da libertação da opressão religiosa no Egito, que dificultava a observância do sábado. Da mesma forma, a libertação da escravidão devia acender para sempre no coração do povo uma terna consideração pelos pobres e oprimidos, pelos órfãos e viúvas” (Nota do apêndice do livro de Ellen G. White, From Eternity Past, p. 549).

Perguntas para consideração

1. Como o sábado mostra que a evolução teísta e o adventismo do sétimo dia são incompatíveis? Por que santificar o sétimo dia na comemoração de bilhões de anos, quando a Palavra diz que o sábado foi santificado após os primeiros seis dias da criação?

2. O que você acha do argumento de que o dia não importa, contanto que tenhamos um dia de descanso por semana, ou de que Jesus é nosso descanso sabático e que, portanto, não há necessidade de guardar nenhum dia como dia de descanso?

3. O sábado pode ser um lembrete da liberdade? Como evitar torná-lo restritivo e legalista?

4. Alguns dizem que guardar o sábado é tentar garantir a salvação. Você concorda com isso?

Sexta-feira, 27 de agosto de 2021. Saiba mais, faça gratuitamente um Curso Bíblico

_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. Descanso em Cristo. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 505, jul. ago. set. 2021. Adulto, Professor. 

Guardando o sábado

Lições da Bíblia1

Deus ordena que Seu povo guarde o sábado. Junto com os mandamentos “não matarás” e “não furtarás” está o mandamento para lembrarmos do Seu dia, mesmo que a Bíblia não dê detalhes de como devemos guardá-lo exatamente.

6. Que atmosfera deve ser criada e promovida no sábado? Sl 92; Is 58:13

Sl 92 (ARA)2: “1 Bom é render graças ao Senhor e cantar louvores ao teu nome, ó Altíssimo, 2 anunciar de manhã a tua misericórdia e, durante as noites, a tua fidelidade, 3 com instrumentos de dez cordas, com saltério e com a solenidade da harpa. 4 Pois me alegraste, Senhor, com os teus feitos; exultarei nas obras das tuas mãos. 5 Quão grandes, Senhor, são as tuas obras! Os teus pensamentos, que profundos! 6 O inepto não compreende, e o estulto não percebe isto: 7 ainda que os ímpios brotam como a erva, e florescem todos os que praticam a iniquidade, nada obstante, serão destruídos para sempre; 8 tu, porém, Senhor, és o Altíssimo eternamente. 9 Eis que os teus inimigos, Senhor, eis que os teus inimigos perecerão; serão dispersos todos os que praticam a iniquidade. 10 Porém tu exaltas o meu poder como o do boi selvagem; derramas sobre mim o óleo fresco. 11 Os meus olhos veem com alegria os inimigos que me espreitam, e os meus ouvidos se satisfazem em ouvir dos malfeitores que contra mim se levantam. 12 O justo florescerá como a palmeira, crescerá como o cedro no Líbano. 13 Plantados na Casa do Senhor, florescerão nos átrios do nosso Deus. 14 Na velhice darão ainda frutos, serão cheios de seiva e de verdor, 15 para anunciar que o Senhor é reto. Ele é a minha rocha, e nele não há injustiça.”

Is 58:13 (ARA)2: “Se desviares o pé de profanar o sábado e de cuidar dos teus próprios interesses no meu santo dia; se chamares ao sábado deleitoso e santo dia do Senhor, digno de honra, e o honrares não seguindo os teus caminhos, não pretendendo fazer a tua própria vontade, nem falando palavras vãs,

Visto que a guarda do sábado significa celebrar a criação e a redenção, sua atmosfera deve ser de alegria e deleite no Senhor, não de tristeza.

A lembrança do sábado não começa no sétimo dia. Como o primeiro sábado foi o ponto alto da criação, devemos “nos lembrar do sábado” durante a semana e planejar para deixar de lado o trabalho semanal e santificar o sábado quando ele chegar. A preparação intencional durante a semana e especialmente no dia de preparação (Mc 15:42) – a sexta-feira – é essencial e aumenta a alegria, à medida que cresce a expectativa para esse dia especial.

7. Que aspecto importante da guarda do sábado é destacado em Levítico 19:3?

Levítico 19:3 (ARA)2: “Cada um respeitará a sua mãe e o seu pai e guardará os meus sábados. Eu sou o Senhor, vosso Deus.”

A guarda do sábado também significa cultivar o relacionamento com a família e os amigos. Deus concede tempo para uma concentrada comunhão com a família e inclui o descanso até para os servos e os animais (Êx 20:8-11). O sábado e a família andam juntos.

Embora o tempo para descanso e para a família sejam princípios importantes, a guarda do sábado também significa adorar a Deus coletivamente com a família da igreja. Jesus participou de cultos de adoração e os promoveu (Lv 23:3 [“Seis dias trabalhareis, mas o sétimo será o sábado do descanso solene, santa convocação; nenhuma obra fareis; é sábado do Senhor em todas as vossas moradas.”; Lc 4:16 [“Indo para Nazaré, onde fora criado, entrou, num sábado, na sinagoga, segundo o seu costume, e levantou-se para ler.”]; Hb 10:25 [“Não deixemos de congregar-nos, como é costume de alguns; antes, façamos admoestações e tanto mais quanto vedes que o Dia se aproxima.”]).

Mesmo que nossa rotina e ritmo semanal sejam apressados, no fundo do nosso coração, há um anseio pelo verdadeiro descanso sabático e pela comunhão com o Criador. Ao nos lembrarmos de interromper nossos negócios, de planejar passar mais tempo com Deus e de nutrir os relacionamentos, entramos no ritmo e no descanso do sábado.

Qual tem sido sua experiência com o sábado e com as bênçãos que obtemos de sua guarda? O que mais você pode fazer para torná-lo o momento sagrado que deveria ser?

Quinta-feira, 26 de agosto de 2021. Saiba mais, faça gratuitamente um Curso Bíblico

_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. Descanso em Cristo. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 505, jul. ago. set. 2021. Adulto, Professor. 
2 BÍBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

Outro motivo para descansar

Lições da Bíblia1

Os israelitas estavam acampados no lado oriental do Jordão. Haviam tomado posse das terras do rei de Basã e de dois reis dos amorreus. Mais uma vez, naquele momento crucial, Moisés reuniu o povo e o lembrou de que a aliança feita no Sinai não era apenas para seus pais, mas para eles também. Ele então repetiu os Dez Mandamentos para benefício deles.

5. Compare Êxodo 20:8-11 e Deuteronômio 5:12-15. Qual é a diferença na maneira em que o mandamento do sábado foi expresso nessas passagens?

Êxodo 20:8-11 (ARA)2: “8 Lembra-te do dia de sábado, para o santificar. 9 Seis dias trabalharás e farás toda a tua obra. 10 Mas o sétimo dia é o sábado do Senhor, teu Deus; não farás nenhum trabalho, nem tu, nem o teu filho, nem a tua filha, nem o teu servo, nem a tua serva, nem o teu animal, nem o forasteiro das tuas portas para dentro; 11 porque, em seis dias, fez o Senhor os céus e a terra, o mar e tudo o que neles há e, ao sétimo dia, descansou; por isso, o Senhor abençoou o dia de sábado e o santificou.”

Deuteronômio 5:12-15 (ARA)2: “12 Guarda o dia de sábado, para o santificar, como te ordenou o Senhor, teu Deus. 13 Seis dias trabalharás e farás toda a tua obra. 14 Mas o sétimo dia é o sábado do Senhor, teu Deus; não farás nenhum trabalho, nem tu, nem o teu filho, nem a tua filha, nem o teu servo, nem a tua serva, nem o teu boi, nem o teu jumento, nem animal algum teu, nem o estrangeiro das tuas portas para dentro, para que o teu servo e a tua serva descansem como tu; 15 porque te lembrarás que foste servo na terra do Egito e que o Senhor, teu Deus, te tirou dali com mão poderosa e braço estendido; pelo que o Senhor, teu Deus, te ordenou que guardasses o dia de sábado.

Em Êxodo 20:8, o mandamento começa com a ordem: “Lembre-se”. Em Deuteronômio 5:12, começa com a palavra “Guarde”. A palavra “lembrar” aparece posteriormente no próprio mandamento (Dt 5:15). Nesse verso, eles foram instruídos a se lembrarem de que haviam sido escravos. Embora aquela geração tivesse crescido livre, todos eles teriam nascido na escravidão se não fosse o resgate milagroso. O mandamento do sábado devia lembrá-los de que o mesmo Deus que esteve ativo na história da criação também estava ativo em sua libertação: “O Senhor, seu Deus, o tirou de lá com mão poderosa e braço estendido” (Dt 5:15).

Essa verdade se encaixa nas circunstâncias dos israelitas daquele momento, que estavam pela segunda vez na fronteira da terra prometida, cerca de quarenta anos depois que a primeira geração tinha falhado tão miseravelmente. Eles eram tão incapazes de conquistar aquela terra quanto seus antepassados o foram de escapar do Egito. Necessitavam do Deus que age com “mão poderosa” e com “braço estendido”.

O sábado estava prestes a assumir uma dimensão adicional. Visto que Deus é o Libertador, Israel devia guardar o dia de sábado (Dt 5:15).

A criação está relacionada ao sábado, mesmo em Deuteronômio 5, apesar da motivação diferente. Em certo sentido, a libertação de Israel do Egito foi o início de uma nova criação, semelhante à história da criação em Gênesis. O povo libertado era a nova criação (Is 43:15).

O Êxodo é visto como símbolo da libertação do pecado, ou seja, da redenção. Por isso, encontramos no sábado um símbolo tanto da criação quanto da redenção. De maneira muito real, então, o sábado nos aponta para Jesus, nosso Criador e Redentor.

Leia João 1:1-13. O que esses versos nos ensinam sobre Jesus como nosso Criador e Redentor?

João 1:1-13 (ARA)2: “1 No princípio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus. 2 Ele estava no princípio com Deus. 3 Todas as coisas foram feitas por intermédio dele, e, sem ele, nada do que foi feito se fez. 4 A vida estava nele e a vida era a luz dos homens. 5 A luz resplandece nas trevas, e as trevas não prevaleceram contra ela. 6 Houve um homem enviado por Deus cujo nome era João. 7 Este veio como testemunha para que testificasse a respeito da luz, a fim de todos virem a crer por intermédio dele. 8 Ele não era a luz, mas veio para que testificasse da luz, 9 a saber, a verdadeira luz, que, vinda ao mundo, ilumina a todo homem. 10 O Verbo estava no mundo, o mundo foi feito por intermédio dele, mas o mundo não o conheceu. 11 Veio para o que era seu, e os seus não o receberam. 12 Mas, a todos quantos o receberam, deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus, a saber, aos que creem no seu nome; 13 os quais não nasceram do sangue, nem da vontade da carne, nem da vontade do homem, mas de Deus.”

Quarta-feira, 25 de agosto de 2021. Saiba mais, faça gratuitamente um Curso Bíblico

_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. Descanso em Cristo. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 505, jul. ago. set. 2021. Adulto, Professor. 
2 BÍBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

Novas circunstâncias

Lições da Bíblia1

Após 40 anos de peregrinação no deserto, surgiu uma nova geração de israelitas que tinha vagas lembranças do Egito. Eles tiveram uma experiência muito diferente da vida de seus pais e haviam testemunhado a repetida falta de fé de seus antepassados e, como consequência, também tiveram que vagar pelo deserto enquanto a geração de seus pais ia morrendo. Eles tiveram o privilégio de ter o santuário no centro do acampamento e podiam ver a nuvem indicando a presença de Deus pairando sobre o tabernáculo. Quando a nuvem se movia, eles sabiam que era hora de fazer as malas e segui-la. Essa nuvem que fornecia sombra durante o dia e luz e calor à noite era um lembrete constante do amor e do cuidado de Deus por eles.

4. Qual lembrete personalizado do descanso sabático eles tinham? Êx 16:14-31.

Êx 16:14-31 (ARA)2: “14 E, quando se evaporou o orvalho que caíra, na superfície do deserto restava uma coisa fina e semelhante a escamas, fina como a geada sobre a terra. 15 Vendo-a os filhos de Israel, disseram uns aos outros: Que é isto? Pois não sabiam o que era. Disse-lhes Moisés: Isto é o pão que o Senhor vos dá para vosso alimento. 16 Eis o que o Senhor vos ordenou: Colhei disso cada um segundo o que pode comer, um gômer por cabeça, segundo o número de vossas pessoas; cada um tomará para os que se acharem na sua tenda. 17 Assim o fizeram os filhos de Israel; e colheram, uns, mais, outros, menos. 18 Porém, medindo-o com o gômer, não sobejava ao que colhera muito, nem faltava ao que colhera pouco, pois colheram cada um quanto podia comer. 19 Disse-lhes Moisés: Ninguém deixe dele para a manhã seguinte. 20 Eles, porém, não deram ouvidos a Moisés, e alguns deixaram do maná para a manhã seguinte; porém deu bichos e cheirava mal. E Moisés se indignou contra eles. 21 Colhiam-no, pois, manhã após manhã, cada um quanto podia comer; porque, em vindo o calor, se derretia. 22 Ao sexto dia, colheram pão em dobro, dois gômeres para cada um; e os principais da congregação vieram e contaram-no a Moisés. 23 Respondeu-lhes ele: Isto é o que disse o Senhor: Amanhã é repouso, o santo sábado do Senhor; o que quiserdes cozer no forno, cozei-o, e o que quiserdes cozer em água, cozei-o em água; e tudo o que sobrar separai, guardando para a manhã seguinte. 24 E guardaram-no até pela manhã seguinte, como Moisés ordenara; e não cheirou mal, nem deu bichos. 25 Então, disse Moisés: Comei-o hoje, porquanto o sábado é do Senhor; hoje, não o achareis no campo. 26 Seis dias o colhereis, mas o sétimo dia é o sábado; nele, não haverá. 27 Ao sétimo dia, saíram alguns do povo para o colher, porém não o acharam. 28 Então, disse o Senhor a Moisés: Até quando recusareis guardar os meus mandamentos e as minhas leis? 29 Considerai que o Senhor vos deu o sábado; por isso, ele, no sexto dia, vos dá pão para dois dias; cada um fique onde está, ninguém saia do seu lugar no sétimo dia. 30 Assim, descansou o povo no sétimo dia. 31 Deu-lhe a casa de Israel o nome de maná; era como semente de coentro, branco e de sabor como bolos de mel.

Assinale a alternativa correta:

A. ( ) Eles tinham o lembrete da arca da aliança.
B. ( ) Eles tinham o lembrete do maná, que caía em dobro na sexta-feira.

Resposta sugestiva: Alternativa B.

Diferente da teologia popular, esse texto prova que o sábado é anterior ao Sinai.

O que aconteceu? O alimento especial que Deus provia era um lembrete diário de que o Criador sustenta a criação. De modo tangível, o Senhor supria suas necessidades. Cada dia em que a comida aparecia e desaparecia com o Sol era um milagre. Sempre que alguém tentava guardar o maná para o dia seguinte, ele apodrecia e cheirava mal; no entanto, todas as sextas-feiras havia porção dupla, e o que restava para o sábado permanecia miraculosamente fresco.

Israel agora tinha o serviço do santuário e todas as leis e regulamentos registrados em Levítico e Números. Ainda assim, o idoso Moisés convocou todos, repetiu a história do povo e recapitulou as leis que Deus tinha dado (Dt 5:6-22).

Essa nova geração finalmente estava pronta para entrar na Terra Prometida. Israel estava prestes a passar por uma mudança de liderança, e Moisés desejava garantir que eles se lembrassem de quem eram e qual era sua missão. Ele não queria que repetissem os erros de seus pais. Portanto, ele repetiu as leis de Deus. Os Dez Mandamentos foram repetidos para que aquela geração, prestes a conquistar Canaã, não se esquecesse deles.

Os mortos em Cristo aguardam inconscientes a segunda vinda Dele. Sentirão como se tivessem esperado apenas um momento. O retorno de Jesus está sempre mais perto do que imaginamos. O sábado nos lembra do que Deus fez por nós e do que Ele fará por nós na volta de Jesus?

Terça-feira, 24 de agosto de 2021. Saiba mais, faça gratuitamente um Curso Bíblico

_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. Descanso em Cristo. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 505, jul. ago. set. 2021. Adulto, Professor. 
2 BÍBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.