O santuário da nova aliança – Estudo adicional

Lições da Bíblia1

“O mais elevado anjo do Céu não tinha poder para pagar o resgate de uma só pessoa perdida. Querubins e serafins só têm a glória com a qual são dotados pelo Criador, como Suas criaturas que são, e a reconciliação do homem com Deus só podia ser realizada mediante um Mediador que fosse igual a Deus, possuísse atributos que O dignificassem, e O declarassem digno de tratar com o infinito Deus em favor do homem, e também representasse Deus a um mundo caído. O substituto e penhor do homem tinha que ter a natureza do homem, ligação com a família humana a quem devia representar, e, como embaixador de Deus, devia participar da natureza divina, ter ligação com o Infinito, a fim de manifestar Deus ao mundo e ser mediador entre Deus e o homem” (Ellen G. White, Mensagens Escolhidas, v. 1, p. 257).

“Jesus continua: ‘Se vocês Me confessarem diante das pessoas, Eu os confessarei diante de Deus e dos santos anjos. Vocês devem ser Minhas testemunhas na Terra, canais por onde Minha graça possa fluir para curar o mundo. Assim, serei o Representante de vocês no Céu. O Pai não vê o caráter falho, mas olha para vocês revestidos da Minha perfeição. Sou o meio pelo qual as bênçãos do Céu descerão sobre vocês. E todo aquele que Me confessa, partilhando Meu sacrifício pelos perdidos, será declarado como participante na glória e alegria dos salvos’” (Ellen G. White, O Desejado de Todas as Nações, p. 357).

Perguntas para consideração

1. Como entender o acesso ao Pai através de Jesus? (Rm 5:2 [“por intermédio de quem obtivemos igualmente acesso, pela fé, a esta graça na qual estamos firmes; e gloriamo-nos na esperança da glória de Deus.”]; Ef 2:18 [“porque, por ele, ambos temos acesso ao Pai em um Espírito.”]; 3:12 [“pelo qual temos ousadia e acesso com confiança, mediante a fé nele.”]2).

2. Quando o Pai olha para nós, Ele não vê nosso caráter defeituoso, mas a perfeição de Cristo. O que isso significa?

3. Cristo está no santuário celestial. O que isso significa na prática?

Resumo: A antiga aliança, em que animais eram sacrificados por sacerdotes pecadores no santuário terrestre, foi substituída pelo novo sistema, em que Jesus, o sacrifício perfeito, nos representa no santuário celestial, o que é o fundamento da nova aliança e de suas promessas.

Sexta-feira, 11 de junho de 2021. Saiba mais, faça gratuitamente um Curso Bíblico

_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. A promessa: a aliança eterna de Deus. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 504, abr. maio. jun. 2021. Adulto, Professor. 
2 BÍBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

O santuário da nova aliança

Lições da Bíblia1

“Por isso mesmo, Ele é o Mediador da nova aliança, a fim de que os que foram chamados recebam a promessa da herança eterna” (Hb 9:15).

Em uma noite sem luar, o céu estava preto como tinta. As sombras se estendiam sobre Frank enquanto ele caminhava pelas ruas vazias da cidade. Depois de um tempo, ele ouviu passos atrás dele; alguém o seguia na escuridão. Então a pessoa o alcançou e disse: “Você é Frank, o impressor?”.

“Sim, sou eu. Você me conhece?”

“Bem”, respondeu o estranho, “Eu não o conheço. Mas conheço seu irmão muito bem e, mesmo na escuridão, o seu jeito, seu modo de caminhar, sua aparência – tudo me fez lembrar tanto dele que eu simplesmente presumi que você fosse irmão dele, porque ele me disse que tinha um irmão”.

Essa história revela uma verdade poderosa a respeito do serviço do santuário israelita. De acordo com a Bíblia, ele era apenas uma sombra, uma figura, uma imagem do verdadeiro santuário. Contudo, essas sombras e imagens eram suficientes para prenunciar e revelar claramente as verdades sobre a morte e o ministério sumo sacerdotal de Cristo no santuário celestial.

Resumo da semana: Por que Deus desejava que os israelitas construíssem um santuário? O que o santuário nos ensina sobre Cristo como nosso Substituto? O que Jesus faz no Céu como nosso Representante?

Sábado, 05 de junho de 2021. Saiba mais, faça gratuitamente um Curso Bíblico

_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. A promessa: a aliança eterna de Deus. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 504, abr. maio. jun. 2021. Adulto, Professor. 

O ataque ao santuário

Lições da Bíblia

“3. De acordo com Daniel 8:10-12, que tipo de atividade o chifre pequeno realiza? Assinale ‘V’ para verdadeiro ou ‘F’ para falso:”1

Daniel 8:10-12 (ARA) “10 Cresceu até atingir o exército dos céus; a alguns do exército e das estrelas lançou por terra e os pisou. 11 Sim, engrandeceu-se até ao príncipe do exército; dele tirou o sacrifício diário e o lugar do seu santuário foi deitado abaixo. 12 O exército lhe foi entregue, com o sacrifício diário, por causa das transgressões; e deitou por terra a verdade; e o que fez prosperou.

A. (   ) Atinge o exército dos Céus e tira do Príncipe o sacrifício diário.
B. (   ) Ele se dobra ao Príncipe dos exércitos e Lhe rende adoração.

Resposta sugestiva: V; F.

“Em Daniel 8:10, o chifre pequeno tenta replicar, no nível espiritual, os esforços dos construtores de Babel (Gn 11:4). Os termos ‘exército’ e ‘estrelas’ podem designar o povo de Deus no Antigo Testamento. Israel é chamado de hostes/exércitos do Senhor (Êx 12:41). Daniel descreveu o povo fiel de Deus resplandecendo como as estrelas (Dn 12:3). É claro que isso não é um ataque literal aos corpos celestes, mas uma perseguição ao povo de Deus, cuja ‘pátria está nos Céus’ (Fp 3:20). Embora milhares de cristãos tenham sido mortos por imperadores pagãos, o foco agora está nas ações verticais do chifre pequeno. Portanto, o cumprimento supremo dessa profecia deve estar ligado à Roma papal e à sua perseguição através dos séculos.”1

“Além disso, Daniel 8:11 fala sobre um ‘Príncipe’, mencionado em outras porções de Daniel como ‘Messias, o Príncipe’ (Dn 9:25; ARC), ‘Miguel, vosso Príncipe’ (Dn 10:21) e ‘Miguel, o grande Príncipe’ (Dn 12:1). Ninguém, a não ser Jesus Cristo, poderia ser o referente dessa expressão. Jesus Cristo é o Príncipe do ‘exército’ mencionado acima e o nosso Sumo Sacerdote no Céu. Portanto, o papado e o sistema religioso que ele representa ofuscam e tentam substituir a função sacerdotal de Jesus.”1

“Em Daniel 8:11, o ‘sacrifício diário’ aparece em conexão com o santuário terrestre a fim de designar os aspectos diversos e contínuos dos serviços rituais – incluindo os sacrifícios e a intercessão. É mediante esses serviços que os pecadores são perdoados, e o problema dos pecados é resolvido no tabernáculo. Esse sistema terrestre representa o ministério de intercessão de Cristo no santuário celestial. Portanto, como a profecia prediz, o papado troca a intercessão de Cristo pela intercessão dos sacerdotes. Por meio dessa adoração falsificada, o chifre pequeno tira o ministério de intercessão de Cristo e simbolicamente derruba o lugar de Seu santuário.”

“‘Deitou por terra a verdade; e o que fez prosperou’ (Dn 8:12). Jesus declarou que Ele é a verdade (Jo 14:6) e que a Palavra de Deus é a verdade (Jo 17:17). Em contrapartida, o papado proibiu a tradução da Bíblia para o idioma do povo, colocou a interpretação das Escrituras sob a autoridade da igreja e a tradição ao lado da Bíblia como regra de fé.”1

O conhecimento da verdade bíblica é importante em contraste com as tradições humanas?

Terça-feira, 25 de fevereiro de 2020. Saiba mais, faça um Curso Bíblico

_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. Daniel. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 499, jan. fev. mar. 2020. Adulto, Professor. 
2 BÍBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

Da contaminação à purificação

Lições da Bíblia

“Ele me disse: Até duas mil e trezentas tardes e manhãs; e o santuário será purificado” (Dn 8:14).1

“A visão relatada em Daniel 8 foi concedida ao profeta em 548-547 a.C. e apresenta alguns esclarecimentos significativos sobre o juízo referido em Daniel 7. Diferentemente das visões de Daniel 2 e 7, a visão de Daniel 8 deixa de fora Babilônia e começa com a Média-Pérsia, pois naquele momento o Império Babilônico estava em declínio, e os persas estavam prestes a substituí-lo como a próxima potência mundial. A visão de Daniel 8 se assemelha à de Daniel 7. A linguagem e os símbolos mudam em Daniel 8 porque essa visão focaliza de maneira precisa a purificação do santuário celestial em conexão com o Dia da Expiação celestial. Portanto, a contribuição distintiva de Daniel 8 está em seu foco nos aspectos do santuário celestial. Enquanto Daniel 7 mostra o tribunal celestial e o Filho do Homem recebendo o reino, Daniel 8 apresenta a purificação do santuário celestial. Portanto, como os paralelos entre esses dois capítulos indicam, a purificação do santuário celestial retratada em Daniel 8 corresponde à cena do juízo de Daniel 7.”1

Sábado, 22 de fevereiro de 2020. Saiba mais, faça um Curso Bíblico

_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. Daniel. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 499, jan. fev. mar. 2020. Adulto, Professor. 

O tema do santuário no Apocalipse

Lições da Bíblia

“Além das duas principais divisões, no livro do Apocalipse há também outra camada estrutural, fundamentada no santuário hebraico. Esse tema do santuário não se limita a nenhuma das duas principais divisões, mas percorre ambas.”1

“No santuário terrestre, o ritual começava no pátio, no altar do holocausto, onde os animais eram mortos. Após a morte do animal, símbolo do sacrifício na cruz, o sacerdote entrava no primeiro compartimento do santuário, o que era um modelo do que Cristo fez no santuário celestial após Sua ascensão. Isso é representado pela cena de Jesus caminhando entre os candelabros (Ap 1:13).”1

“4. Leia Apocalipse 4:1 e 2. O que representa a porta aberta? Onde se localiza essa cena? (Veja também At 2:33; 5:31; Ef 1:20; Hb 10:12, 13; Sl 110:1; Ap 12:5).”1

Apocalipse (4:1-2 ARA)2: “1 Depois destas coisas, olhei, e eis não somente uma porta aberta no céu, como também a primeira voz que ouvi, como de trombeta ao falar comigo, dizendo: Sobe para aqui, e te mostrarei o que deve acontecer depois destas coisas. 2 Imediatamente, eu me achei em espírito, e eis armado no céu um trono, e, no trono, alguém sentado;”.

Atos (2:33 ARA)2: “Exaltado, pois, à destra de Deus, tendo recebido do Pai a promessa do Espírito Santo, derramou isto que vedes e ouvis.”.

Atos (5:31 ARA)2: “Deus, porém, com a sua destra, o exaltou a Príncipe e Salvador, a fim de conceder a Israel o arrependimento e a remissão de pecados.”.

Efésios (1:20 ARA)2: “o qual exerceu ele em Cristo, ressuscitando-o dentre os mortos e fazendo-o sentar à sua direita nos lugares celestiais,”.

Hebreus (10:12-13 ARA)2: “12 Jesus, porém, tendo oferecido, para sempre, um único sacrifício pelos pecados, assentou-se à destra de Deus, 13 aguardando, daí em diante, até que os seus inimigos sejam postos por estrado dos seus pés.”.

Salmo (110:1 ARA)2: “Disse o SENHOR ao meu senhor: Assenta-te à minha direita, até que eu ponha os teus inimigos debaixo dos teus pés.”.

Apocalipse (12:5 ARA)2: “Nasceu-lhe, pois, um filho varão, que há de reger todas as nações com cetro de ferro. E o seu filho foi arrebatado para Deus até ao seu trono.

“Logo após Sua ascensão, Cristo foi entronizado no lugar santo do templo celestial, através dessa primeira porta aberta. Quando Jesus aparece pela primeira vez no livro do Apocalipse, Ele está diante dos candelabros, no primeiro compartimento no santuário celestial (veja Ap 1:10-18).”1

“5. Leia Apocalipse 11:19. Quando o templo celestial foi aberto, João pôde ver a arca da aliança, que, no caso do santuário terrestre, ficava no segundo compartimento. Qual é a importância desse fato? (Veja Lv 16:12-14).”1

Apocalipse (11:19 ARA): “Abriu-se, então, o santuário de Deus, que se acha no céu, e foi vista a arca da Aliança no seu santuário, e sobrevieram relâmpagos, vozes, trovões, terremoto e grande saraivada.”.

Levítico 16:12-14 ARA)2: “12 Tomará também, de sobre o altar, o incensário cheio de brasas de fogo, diante do SENHOR, e dois punhados de incenso aromático bem moído e o trará para dentro do véu. 13 Porá o incenso sobre o fogo, perante o SENHOR, para que a nuvem do incenso cubra o propiciatório, que está sobre o Testemunho, para que não morra. 14 Tomará do sangue do novilho e, com o dedo, o aspergirá sobre a frente do propiciatório; e, diante do propiciatório, aspergirá sete vezes do sangue, com o dedo.”.

“A imagem da arca da aliança no santuário celestial é uma referência incontestável ao lugar santíssimo, ou o segundo compartimento do santuário celestial. No livro do Apocalipse, podemos observar não apenas o ministério de Jesus nos dois compartimentos, mas o fato crucial e confortador de que os acontecimentos no Céu e na Terra estão interligados. Mesmo em meio às provações da história e dos últimos dias, descritas no livro do Apocalipse, podemos ter a certeza de que ‘todo o Céu está empenhado na obra de preparar um povo para estar de pé no dia preparado pelo Senhor. A ligação entre o Céu e a Terra parece muito próxima’ (Ellen G. White, Minha Consagração Hoje [Meditação Matinal, 1952], p. 288).”1

Terça-feira, 17 de abril de 2018. Saiba mais, ouça o Comentário em áudio  da Lição da Escola Sabatina (LES) ou se preferir faça um Curso Bíblico.
_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. Preparação para o tempo do fim. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 492, abr. maio jun. 2018. Adulto, Professor.
2 BIBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

 

A doutrina do santuário

Lições da Bíblia

“Geralmente, as pessoas não pensam no santuário no contexto de mordomia. No entanto, a ligação existe porque o santuário é fundamental para nosso sistema de crenças, e a mordomia é parte desse sistema. ‘A compreensão correta do ministério do santuário celestial constitui o alicerce de nossa fé’ (Ellen G. White, Evangelismo, p. 221). É indispensável que compreendamos a função da mordomia à luz desse conceito bíblico.”1

“No livro de 1 Reis 7:33, há uma descrição da roda de uma carruagem. Vamos ilustrar a doutrina do santuário como o cubo dessa roda. O cubo se liga ao eixo e proporciona mais estabilidade para a roda quando ela gira. Tendo experimentado a morte e a ressurreição vitoriosa (2Tm 1:10), Cristo, mediante Sua morte, é o fundamento de Sua obra no santuário celestial (Hb 6:19, 20) e proporciona estabilidade para nossa fé. Além disso, Ele ministra no santuário em nosso benefício aqui na Terra (veja Hb 8:1, 2 [‘1 Ora, o essencial das coisas que temos dito é que possuímos tal sumo sacerdote, que se assentou à destra do trono da Majestade nos céus, 2 como ministro do santuário e do verdadeiro tabernáculo que o Senhor erigiu, não o homem.’]).”

“‘Apoiado no princípio da sola Scriptura (somente a Escritura), o adventismo bíblico estabelece seu sistema doutrinário a partir da perspectiva geral da doutrina do santuário’ (Fernando Canale, Secular Adventism? Exploring the Link Between Lifestyle and Salvation[Adventismo secular? Examinando a relação entre estilo de vida e salvação]. Lima: Peru, Universidad Peruana Unión, 2013, p. 104, 105).”1

“2. O que os seguintes textos revelam sobre o ministério de Jesus no santuário? (1Jo 2:1; Hb 4:14-16; Ap 14:7). Assinale ‘V’ para verdadeiro ou ‘F’ para falso:”1

1 João (2;1 ARA)2: “Filhinhos meus, estas coisas vos escrevo para que não pequeis. Se, todavia, alguém pecar, temos Advogado junto ao Pai, Jesus Cristo, o Justo;”.

Hebreus (4:14-16 ARA)2: 14 Tendo, pois, a Jesus, o Filho de Deus, como grande sumo sacerdote que penetrou os céus, conservemos firmes a nossa confissão. 15 Porque não temos sumo sacerdote que não possa compadecer-se das nossas fraquezas; antes, foi ele tentado em todas as coisas, à nossa semelhança, mas sem pecado. 16 Acheguemo-nos, portanto, confiadamente, junto ao trono da graça, a fim de recebermos misericórdia e acharmos graça para socorro em ocasião oportuna.

Apocalipse (14:7 ARA)2: “dizendo, em grande voz: Temei a Deus e dai-lhe glória, pois é chegada a hora do seu juízo; e adorai aquele que fez o céu, e a terra, e o mar, e as fontes das águas.

A. ( ) Jesus nos acusa dos nossos pecados no santuário celestial.
B. ( ) Cristo é o nosso Sumo Sacerdote, Advogado e Juiz no santuário.

Resposta sugestiva: F; V.

“A doutrina do santuário ajuda a revelar a maravilhosa verdade da salvação e redenção, que está no cerne de toda a teologia cristã. No santuário, não vemos apenas a morte de Cristo por nós, mas também Seu ministério no santuário celestial. Podemos ver também, no lugar santíssimo, a importância da lei de Deus e a realidade do juízo final. A promessa de redenção, disponível a nós pelo sangue derramado por Jesus, está no centro de tudo isso.”1

“A função da mordomia reflete uma vida ancorada na grande verdade da salvação, conforme revelada na doutrina do santuário. Quanto mais profundamente entendemos o que Cristo fez por nós e o que Ele está realizando em nós hoje, mais nos aproximamos Dele, de Seu ministério, Sua missão, Seu ensino e de Seu propósito para aqueles que vivem os princípios da mordomia.”1

“Leia Hebreus 4:14-16 [‘14 Tendo, pois, a Jesus, o Filho de Deus, como grande sumo sacerdote que penetrou os céus, conservemos firmes a nossa confissão. 15 Porque não temos sumo sacerdote que não possa compadecer-se das nossas fraquezas; antes, foi ele tentado em todas as coisas, à nossa semelhança, mas sem pecado. 16 Acheguemo-nos, portanto, confiadamente, junto ao trono da graça, a fim de recebermos misericórdia e acharmos graça para socorro em ocasião oportuna.’]. O que esse texto revela sobre nossa luta contra o pecado e o egoísmo? Como podemos extrair força e esperança das promessas encontradas ali?”1

Segunda-feira, 05 de março de 2018. Saiba mais, ouça o Comentário em áudio  da Lição da Escola Sabatina (LES) ou se preferir faça um Curso Bíblico.
_______________
1 LIÇÃO da escola sabatina. Mordomia cristã: motivos do coração. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 491, Jan. Fev. Mar. 2018. Adulto, Professor.
2 BIBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

O Espírito Santo e o santuário

Lições da Bíblia

“‘E Me farão um santuário, para que Eu possa habitar no meio deles’ (Êx 25:8). Depois do ato da criação, o plano da salvação é de primordial importância na Bíblia. Neste mundo caído, qual seria o benefício da criação sem o plano da redenção? Como pecadores, não precisamos apenas de um Criador, mas também de um Redentor. Ah, como devemos ser gratos por ter esse Redentor, Jesus Cristo! Sem Ele estaríamos sem esperança neste mundo que não nos oferece nenhuma esperança.”1

“No Antigo Testamento, o santuário e seu serviço ilustravam o divino perdão do pecado e prenunciavam a obra de Jesus, nosso Redentor. No santuário o plano da salvação foi revelado aos antigos israelitas (veja Hb 4:2 [‘Porque também a nós foram anunciadas as boas-novas, como se deu com eles; mas a palavra que ouviram não lhes aproveitou, visto não ter sido acompanhada pela fé naqueles que a ouviram.’]2). Embora grande parte do serviço do santuário apontasse para Jesus e Sua morte para o perdão dos pecados, o Espírito Santo é descrito como estando ativamente envolvido, habilitando pessoas específicas a construir o santuário de acordo com o modelo que Deus tinha revelado a Moisés.”1

“3. Leia Êxodo 31:1-5. De que maneira o Espírito Santo esteve envolvido na construção do santuário? Como Ele auxiliou aqueles que construíram a habitação de Deus? Complete as lacunas:”1

“1 Disse mais o SENHOR a Moisés: 2 Eis que chamei pelo nome a Bezalel, filho de Uri, filho de Hur, da tribo de Judá, 3 e o enchi do Espírito de Deus, de habilidade, de inteligência e de conhecimento, em todo artifício, 4 para elaborar desenhos e trabalhar em ouro, em prata, em bronze, 5 para lapidação de pedras de engaste, para entalho de madeira, para toda sorte de lavores.” (Êxodo 31:1-5 ARA)2.

“O Espírito Santo deu àqueles homens habilidade e plena capacidade artística para desenhar, fazer trabalhos em ouro, prata e bronze, para talhar e esculpir pedras e realizar todo tipo de obra de arte.”1

“A Bíblia diz que o Espírito Santo esteve presente também na edificação do santuário, o principal lugar em que acontecia a reconciliação entre Deus e os seres humanos, e onde o Deus santo Se encontrava com pecadores. Foi o Senhor quem comunicou a Moisés Seu plano de construir o santuário terrestre de acordo com o original que há no Céu (Êx 25:9, 40).”1

“O santuário era o modelo de Deus para ilustrar Seu plano de salvação. Deus habitaria no meio de Seu povo de maneira especial, no santuário que Ele mandou construir. Era a obra do Espírito Santo capacitar os homens a realizar, com habilidade artística e beleza, o que Deus lhes mandara fazer. Sem Sua ajuda, Israel não teria sido capaz de realizar essa obra de arte.”1

“O Espírito Santo não precisava de ajuda humana na construção do santuário. No entanto, Ele capacitou pessoas a construí-lo com habilidade e beleza. Como você pode encorajar e ajudar outros a usar os talentos que eles têm para o avanço do reino de Deus?”1

Terça-feira, 10 de janeiro de 2017. Saiba mais, ouça o Comentário em áudio  da Lição da Escola Sabatina (LES) ou se preferir faça um Curso Bíblico.

_______________
1HASEL, Frank. O Espírito Santo e a espiritualiadade. Lições da escola sabatina. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 487, Jan. Fev. Mar. 2017. Adulto, Professor.

2 BIBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

Exortações do santuário – Vídeo

Lições da Bíblia.

Assista em vídeo a discussão do tema da semana.

 

"O Mediador, em Seu ofício e obra, excederia grandemente em dignidade e glória o sacerdócio terreno, simbólico. […] Esse Salvador devia ser um mediador, para ficar entre o Altíssimo e Seu povo. Mediante essa provisão, um caminho foi aberto pelo qual o pecador culpado pode encontrar acesso a Deus pela mediação de outro. O pecador não podia se aproximar em sua própria pessoa, com sua culpa sobre ele, e sem maior mérito do que possuía em si mesmo. Unicamente Cristo podia abrir o caminho, apresentando uma oferta à altura das exigências da lei divina. […]. A extensão das terríveis consequências do pecado nunca poderia ter sido conhecida, se o remédio provido não tivesse sido de valor infinito" (Ellen G. White, The Spirit of Prophecy [Espírito de Profecia], v. 2, p. 11).

"A fé na expiação e intercessão de Cristo nos manterá firmes e inabaláveis em meio às tentações que pressionam a igreja militante" (Ellen G. White, SDA Bible Commentary [Comentário Bíblico Adventista], v. 7A, p. 484).

Perguntas para reflexão

“1. Quantas vezes, no livro de Hebreus, somos chamados a agir pela nossa fé?”

“2. O que significa ter pleno acesso a Deus? Como isso deve influenciar nossa vida, em momentos de tentação ou desânimo por causa de nossa condição espiritual?”

“3. Qual é a diferença entre ‘plena certeza’ de fé e uma atitude presunçosa?”

“4. ‘A extensão das terríveis consequências do pecado nunca poderia ter sido conhecida, se o remédio provido não tivesse sido de valor infinito’. O que essas palavras nos dizem sobre a malignidade do pecado, que custou algo de ‘valor infinito’, a vida de Jesus? Sabendo disso, como nossa vida pode não ser transformada? Como podemos saber dessas coisas e não querer ensiná-las aos outros?”

“5. Como podemos desenvolver amizades nas quais incentivamos uns aos outros a ser mais amorosos e praticar boas obras? Que benefícios espirituais você obtém ao ‘congregar’ com outras pessoas? Do que você sentiria falta se não pudesse adorar na igreja?”

Sexta-feira, 27 de dezembro de 2013. Saiba mais, ouça o Comentário em áudio da Lição da Escola Sabatina (LES) ou se preferir faça um Curso Bíblico. Este conteúdo é uma adaptação da LES, veja sua versão original no site da Casa Publicadora Brasileira (CPB).