Ofertas e adoração

Lições da Bíblia1

A Bíblia não estabelece um programa para o culto de adoração. Mas parece que pelo menos quatro coisas estão presentes nos cultos de adoração. No NT, a lista inclui estudo/pregação, oração, música e dízimos e ofertas.

Três vezes por ano os homens (e famílias) de Israel deviam comparecer perante o Senhor em Jerusalém. “Não devem se apresentar de mãos vazias diante do Senhor” (Dt 16:16). Em outras palavras, parte da experiência de adoração era a devolução do dízimo e a entrega das ofertas. Era na Páscoa, no Pentecostes e na Festa dos Tabernáculos que os filhos de Deus traziam seus dízimos e ofertas. É difícil imaginar alguém chegando a essas festas de mãos vazias.

Para o antigo Israel, entregar seus dízimos e ofertas era uma parte central de sua experiência de adoração. O culto verdadeiro não é apenas expressar em palavras, cânticos e orações a gratidão a Deus, mas também demonstrar essa gratidão ao levar as ofertas à casa do Senhor. Os israelitas as levavam ao templo; nós as levamos à igreja aos sábados em um ato de adoração.

4. Leia 1 Crônicas 16:29; Salmo 96:8, 9; e 116:16-18. Como aplicamos os princípios expressos nesses textos bíblicos à nossa própria experiência de adoração?

1 Crônicas 16:29 (ARA)2: “Tributai ao Senhor a glória devida ao seu nome; trazei oferendas e entrai nos seus átrios; adorai o Senhor na beleza da sua santidade.

Salmo 96:8, 9 (ARA)2: “8 Tributai ao Senhor a glória devida ao seu nome; trazei oferendas e entrai nos seus átrios.Adorai o Senhor na beleza da sua santidade; tremei diante dele, todas as terras.

Salmo 116:16-18 (ARA)2: “16 Senhor, deveras sou teu servo, teu servo, filho da tua serva; quebraste as minhas cadeias. 17 Oferecer-te-ei sacrifícios de ações de graças e invocarei o nome do Senhor. 18 Cumprirei os meus votos ao Senhor, na presença de todo o seu povo,

Como filhos de Deus, encarregados da responsabilidade de administrar Seus negócios na Terra, é um privilégio, uma oportunidade e uma responsabilidade levar nossas ofertas. Se o Senhor nos deu filhos para criar para Ele, devemos compartilhar com eles a alegria de levar dízimos e ofertas para a Escola Sabatina e aos cultos da igreja. Em alguns lugares, pessoas devolvem o dízimo por meio de plataformas online ou outros meios. Seja como for, os dízimos e as ofertas fazem parte de nossa experiência de adoração a Deus.

Como tem sido sua experiência em relação ao papel da devolução dos dízimos e ofertas como parte da adoração? Como essa prática impacta seu relacionamento com Deus e seu testemunho aos outros?

Terça-feira, 24 de janeiro de 2023. Saiba mais, faça gratuitamente um Curso Bíblico
_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. Administradores fiéis: à espera do Mestre. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 511, jan. fev. mar. 2023. Adulto, Professor. 
2 BÍBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

Sobrevivendo por meio da adoração

Lições da Bíblia1

3. Leia Jó 1:6–2:10. O que causou o sofrimento de Jó?

Jó 1:6–2:10 (ARA)2: “6 Num dia em que os filhos de Deus vieram apresentar-se perante o Senhor, veio também Satanás entre eles.Então, perguntou o Senhor a Satanás: Donde vens? Satanás respondeu ao Senhor e disse: De rodear a terra e passear por ela.Perguntou ainda o Senhor a Satanás: Observaste o meu servo Jó? Porque ninguém há na terra semelhante a ele, homem íntegro e reto, temente a Deus e que se desvia do mal. Então, respondeu Satanás ao Senhor: Porventura, Jó debalde teme a Deus? 10 Acaso, não o cercaste com sebe, a ele, a sua casa e a tudo quanto tem? A obra de suas mãos abençoaste, e os seus bens se multiplicaram na terra. 11 Estende, porém, a mão, e toca-lhe em tudo quanto tem, e verás se não blasfema contra ti na tua face. 12 Disse o Senhor a Satanás: Eis que tudo quanto ele tem está em teu poder; somente contra ele não estendas a mão. E Satanás saiu da presença do Senhor. 13 Sucedeu um dia, em que seus filhos e suas filhas comiam e bebiam vinho na casa do irmão primogênito, 14 que veio um mensageiro a Jó e lhe disse: Os bois lavravam, e as jumentas pasciam junto a eles; 15 de repente, deram sobre eles os sabeus, e os levaram, e mataram aos servos a fio de espada; só eu escapei, para trazer-te a nova. 16 Falava este ainda quando veio outro e disse: Fogo de Deus caiu do céu, e queimou as ovelhas e os servos, e os consumiu; só eu escapei, para trazer-te a nova. 17 Falava este ainda quando veio outro e disse: Dividiram-se os caldeus em três bandos, deram sobre os camelos, os levaram e mataram aos servos a fio de espada; só eu escapei, para trazer-te a nova. 18 Também este falava ainda quando veio outro e disse: Estando teus filhos e tuas filhas comendo e bebendo vinho, em casa do irmão primogênito, 19 eis que se levantou grande vento do lado do deserto e deu nos quatro cantos da casa, a qual caiu sobre eles, e morreram; só eu escapei, para trazer-te a nova. 20 Então, Jó se levantou, rasgou o seu manto, rapou a cabeça e lançou-se em terra e adorou; 21 e disse: Nu saí do ventre de minha mãe e nu voltarei; o Senhor o deu e o Senhor o tomou; bendito seja o nome do Senhor! 22 Em tudo isto Jó não pecou, nem atribuiu a Deus falta alguma. 2:1 Num dia em que os filhos de Deus vieram apresentar-se perante o Senhor, veio também Satanás entre eles apresentar-se perante o Senhor.Então, o Senhor disse a Satanás: Donde vens? Respondeu Satanás ao Senhor e disse: De rodear a terra e passear por ela.Perguntou o Senhor a Satanás: Observaste o meu servo Jó? Porque ninguém há na terra semelhante a ele, homem íntegro e reto, temente a Deus e que se desvia do mal. Ele conserva a sua integridade, embora me incitasses contra ele, para o consumir sem causa.Então, Satanás respondeu ao Senhor: Pele por pele, e tudo quanto o homem tem dará pela sua vida. Estende, porém, a mão, toca-lhe nos ossos e na carne e verás se não blasfema contra ti na tua face.Disse o Senhor a Satanás: Eis que ele está em teu poder; mas poupa-lhe a vida.Então, saiu Satanás da presença do Senhor e feriu a Jó de tumores malignos, desde a planta do pé até ao alto da cabeça.Jó, sentado em cinza, tomou um caco para com ele raspar-se. Então, sua mulher lhe disse: Ainda conservas a tua integridade? Amaldiçoa a Deus e morre. 10 Mas ele lhe respondeu: Falas como qualquer doida; temos recebido o bem de Deus e não receberíamos também o mal? Em tudo isto não pecou Jó com os seus lábios.

Em Jó 1, aconteceu algo assombroso. Os anjos se apresentaram diante de Deus, e Satanás estava com eles. Deus lhe perguntou de onde ele vinha, e Satanás respondeu: “De rodear a Terra e passear por ela”. Então Deus perguntou: “Você reparou no Meu servo Jó?” (v. 7, 8). A pergunta em si não é fora do comum. O que chama a atenção é quem a fez. Não foi Satanás quem apontou Jó como alguém a se examinar, mas Deus. Como sabia o que aconteceria, Deus chamou a atenção de Satanás para Jó. O patriarca não tinha ideia de que passaria por um crisol de temperaturas excessivas. Embora esteja muito claro que foi Satanás, não Deus, quem causou o sofrimento de Jó, também está claro que foi Deus quem lhe deu permissão para destruir as propriedades, os filhos e a própria saúde física do Seu servo. Se Deus permitiu que Jó sofresse, que diferença faz se foi Deus ou Satanás quem infligiu o sofrimento? Como pode Deus ser justo e santo se ativamente permitiu que Satanás causasse tal dor a Jó? Essa situação é um caso especial ou caracteriza a forma pela qual o Senhor ainda lida conosco hoje?

4. Em Jó 1:20, 21, como o patriarca reagiu às provações?

Jó 1:20, 21 (ARA)2: “20 Então, Jó se levantou, rasgou o seu manto, rapou a cabeça e lançou-se em terra e adorou; 21 e disse: Nu saí do ventre de minha mãe e nu voltarei; o Senhor o deu e o Senhor o tomou; bendito seja o nome do Senhor!

É possível reagir de duas formas a sofrimentos assim. Podemos nos tornar mais amargos e zangados, e virar as costas para Deus acreditando que Ele seja cruel ou que não exista, ou podemos nos apegar ao Senhor com mais força. Jó lidou com sua catástrofe permanecendo na presença de Deus e adorando-O.

Em Jó 1:20, 21, vemos três aspectos de adoração que nos ajudam quando estamos angustiados. Primeiro, Jó aceitou seu desamparo e reconheceu que não tinha direito a reivindicar nada: “Nu saí do ventre de minha mãe e nu voltarei”. Segundo, Jó reconheceu que Deus tinha o controle total da situação: “O Senhor o deu e o Senhor o tomou”. Terceiro, ele concluiu reafirmando sua crença na justiça divina. “Bendito seja o nome do Senhor”.

Você está passando por uma prova? Siga os passos de Jó. Isso pode ajudar você?

Terça-feira, 26 de julho de 2022. Saiba mais, faça gratuitamente um Curso Bíblico

_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. Provados pelo fogo. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 509, jul. ago. set. 2022. Adulto, Professor. 
2 BÍBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

O céu dos céus

Lições da Bíblia1

Deuteronômio deixa bem claro que a lei e a aliança eram centrais, não apenas para o relacionamento de Israel com Deus, mas também para o propósito da nação como povo “escolhido” (Dt 7:6; 14:2; 18:5).

2. Leia Deuteronômio 10:12-15, onde são enfatizadas a lei e a posição de Israel. O que quer dizer a frase “céu dos céus”? Que conceito Moisés quis apresentar com essa expressão?

Deuteronômio 10:12-15 (ARA)2: “12 Agora, pois, ó Israel, que é que o Senhor requer de ti? Não é que temas o Senhor, teu Deus, e andes em todos os seus caminhos, e o ames, e sirvas ao Senhor, teu Deus, de todo o teu coração e de toda a tua alma, 13 para guardares os mandamentos do Senhor e os seus estatutos que hoje te ordeno, para o teu bem? 14 Eis que os céus e os céus dos céus são do Senhor, teu Deus, a terra e tudo o que nela há. 15 Tão somente o Senhor se afeiçoou a teus pais para os amar; a vós outros, descendentes deles, escolheu de todos os povos, como hoje se vê.”

O que “céu dos céus” significa não está absolutamente claro, pelo menos nesse contexto imediato, mas Moisés aponta para a majestade, poder e grandeza de Deus. Ou seja, não apenas o próprio céu, mas “o céu dos céus” pertence a Ele, muito provavelmente uma expressão idiomática que aponta para a soberania de Deus sobre toda a criação. O Deus grandioso, que governa o céu dos céus, olhou com amor para Seu povo Israel e o chamou para uma aliança. Isso mostra o valor do povo de Deus.

3. Leia os seguintes versos, todos fundamentados na expressão que aparece primeiro em Deuteronômio. Em cada caso, que ponto está sendo defendido e como vemos a influência de Deuteronômio?

1Rs 8:27 (ARA)2: “Mas, de fato, habitaria Deus na terra? Eis que os céus e até o céu dos céus não te podem conter, quanto menos esta casa que eu edifiquei.”

Ne 9:6 (ARA)2: “Só tu és Senhor, tu fizeste o céu, o céu dos céus e todo o seu exército, a terra e tudo quanto nela há, os mares e tudo quanto há neles; e tu os preservas a todos com vida, e o exército dos céus te adora.

Sl 148:4 (ARA): “Louvai-o, céus dos céus e as águas que estão acima do firmamento.

Neemias 9 apresenta Deus como Criador e como o Único que deve ser adorado. Ele fez tudo, até mesmo “o céu dos céus e todo o seu exército” (Ne 9:6). Na verdade, Neemias 9:3 diz que “leram no Livro da Lei”, muito provavelmente, como no tempo de Josias, o livro de Deuteronômio, o que explica porque mais tarde os levitas, em meio a louvores e adoração a Deus, usaram a frase “céu dos céus”, que está em Deuteronômio.

Deus é o Criador não só da Terra, mas do “céu dos céus”. E pensar que esse mesmo Soberano foi crucificado! Por que a adoração é uma resposta tão apropriada ao que o Senhor fez por nós?

Segunda-feira, 06 de dezembro de 2021. Saiba mais, faça gratuitamente um Curso Bíblico

_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. A verdade presente em Deuteronômio. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 506, out. nov. dez. 2021. Adulto, Professor. 
2 BÍBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

Uma questão de adoração

Liçoes da Bíblia1

O cerne da aliança entre o Senhor e Israel era a adoração. O que o tornava diferente de todo o mundo era que somente essa nação adorava o Deus verdadeiro, em contraste com os falsos deuses do mundo pagão, que na verdade não eram deuses. “Vejam, agora, que Eu, sim, Eu sou Ele, e que não há nenhum deus além de Mim” (Dt 32:39).

7. Leia Deuteronômio 4:19; 8:19; 11:16 e 30:17. Qual é a advertência comum nesses versos? Por que ela era essencial para a nação de Israel?

Deuteronômio 4:19 (ARA)2: “Guarda-te não levantes os olhos para os céus e, vendo o sol, a lua e as estrelas, a saber, todo o exército dos céus, sejas seduzido a inclinar-te perante eles e dês culto àqueles, coisas que o Senhor, teu Deus, repartiu a todos os povos debaixo de todos os céus.”

Deuteronômio 8:19 (ARA)2: “Se te esqueceres do Senhor, teu Deus, e andares após outros deuses, e os servires, e os adorares, protesto, hoje, contra vós outros que perecereis.”

Deuteronômio 11:16 (ARA)2: “Guardai-vos não suceda que o vosso coração se engane, e vos desvieis, e sirvais a outros deuses, e vos prostreis perante eles;

Deuteronômio 30:17 (ARA)2: “Porém, se o teu coração se desviar, e não quiseres dar ouvidos, e fores seduzido, e te inclinares a outros deuses, e os servires,”

Milhares de anos atrás, como hoje, o povo de Deus vivia em meio a uma cultura e ambiente que, geralmente, exalava padrões, tradições e conceitos que conflitavam com sua fé. Por isso, o povo de Deus deve estar alerta, para que os caminhos do mundo, seus ídolos e seus “deuses” não se tornem objetos de sua adoração.

Nosso Deus é zeloso (Dt 4:24; 5:9; 6:15), e somente Ele, como Criador e Redentor, é digno de adoração. Não há meio-termo: ou adoramos o Senhor, que traz vida, o bem e bênçãos, ou adoramos outro deus, que traz morte, mal e maldições.

Leia Apocalipse 13:1-15 e concentre-se na questão de como a adoração é apresentada. Em seguida, compare esses versos com Apocalipse 14:6-12. O que acontece em Apocalipse que reflete a advertência dada em Deuteronômio (e em toda a Bíblia) sobre a adoração falsa?

Apocalipse 13:1-15 (ARA)2: “1 Vi emergir do mar uma besta que tinha dez chifres e sete cabeças e, sobre os chifres, dez diademas e, sobre as cabeças, nomes de blasfêmia. 2 A besta que vi era semelhante a leopardo, com pés como de urso e boca como de leão. E deu-lhe o dragão o seu poder, o seu trono e grande autoridade. 3 Então, vi uma de suas cabeças como golpeada de morte, mas essa ferida mortal foi curada; e toda a terra se maravilhou, seguindo a besta; 4 e adoraram o dragão porque deu a sua autoridade à besta; também adoraram a besta, dizendo: Quem é semelhante à besta? Quem pode pelejar contra ela? 5 Foi-lhe dada uma boca que proferia arrogâncias e blasfêmias e autoridade para agir quarenta e dois meses; 6 e abriu a boca em blasfêmias contra Deus, para lhe difamar o nome e difamar o tabernáculo, a saber, os que habitam no céu. 7 Foi-lhe dado, também, que pelejasse contra os santos e os vencesse. Deu-se-lhe ainda autoridade sobre cada tribo, povo, língua e nação; 8 e adorá-la-ão todos os que habitam sobre a terra, aqueles cujos nomes não foram escritos no Livro da Vida do Cordeiro que foi morto desde a fundação do mundo. 9 Se alguém tem ouvidos, ouça. 10 Se alguém leva para cativeiro, para cativeiro vai. Se alguém matar à espada, necessário é que seja morto à espada. Aqui está a perseverança e a fidelidade dos santos. 11 Vi ainda outra besta emergir da terra; possuía dois chifres, parecendo cordeiro, mas falava como dragão. 12 Exerce toda a autoridade da primeira besta na sua presença. Faz com que a terra e os seus habitantes adorem a primeira besta, cuja ferida mortal fora curada. 13 Também opera grandes sinais, de maneira que até fogo do céu faz descer à terra, diante dos homens. 14 Seduz os que habitam sobre a terra por causa dos sinais que lhe foi dado executar diante da besta, dizendo aos que habitam sobre a terra que façam uma imagem à besta, àquela que, ferida à espada, sobreviveu; 15 e lhe foi dado comunicar fôlego à imagem da besta, para que não só a imagem falasse, como ainda fizesse morrer quantos não adorassem a imagem da besta.

Apocalipse 14:6-12 (ARA)2: “6 Vi outro anjo voando pelo meio do céu, tendo um evangelho eterno para pregar aos que se assentam sobre a terra, e a cada nação, e tribo, e língua, e povo, 7 dizendo, em grande voz: Temei a Deus e dai-lhe glória, pois é chegada a hora do seu juízo; e adorai aquele que fez o céu, e a terra, e o mar, e as fontes das águas. 8 Seguiu-se outro anjo, o segundo, dizendo: Caiu, caiu a grande Babilônia que tem dado a beber a todas as nações do vinho da fúria da sua prostituição. 9 Seguiu-se a estes outro anjo, o terceiro, dizendo, em grande voz: Se alguém adora a besta e a sua imagem e recebe a sua marca na fronte ou sobre a mão, 10 também esse beberá do vinho da cólera de Deus, preparado, sem mistura, do cálice da sua ira, e será atormentado com fogo e enxofre, diante dos santos anjos e na presença do Cordeiro. 11 A fumaça do seu tormento sobe pelos séculos dos séculos, e não têm descanso algum, nem de dia nem de noite, os adoradores da besta e da sua imagem e quem quer que receba a marca do seu nome. 12 Aqui está a perseverança dos santos, os que guardam os mandamentos de Deus e a fé em Jesus.”

Por mais diferente que seja o contexto, a questão é a mesma: as pessoas irão adorar o Deus verdadeiro e terão vida, ou sucumbirão às pressões, abertas ou sutis, ou ambas, para deixar sua fidelidade a Ele e enfrentarão a morte? Em última análise, a resposta está no coração de cada um. Deus não forçou o antigo Israel a segui-Lo e não nos forçará. Como vemos em Apocalipse 13, força é o que a besta e sua imagem irão empregar. Deus, em contraste, atua por meio do amor.

Como podemos ter certeza de que, mesmo de forma sutil, não estamos pouco a pouco deixando nossa lealdade a Jesus por algum outro deus?

Quinta-feira, 18 de novembro de 2021. Saiba mais, faça gratuitamente um Curso Bíblico

_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. A verdade presente em Deuteronômio. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 506, out. nov. dez. 2021. Adulto, Professor. 
2 BÍBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

Missionários e líderes de adoração (Is 66:19-21)

Lições da Bíblia1

6. O que significa a profecia dos sobreviventes trazendo pessoas das nações como oferta ao Senhor? Is 66:19, 20

Isaías 66:19, 20 (ARA)2: “19 Porei entre elas um sinal e alguns dos que foram salvos enviarei às nações, a Társis, Pul e Lude, que atiram com o arco, a Tubal e Javã, até às terras do mar mais remotas, que jamais ouviram falar de mim, nem viram a minha glória; eles anunciarão entre as nações a minha glória. 20 Trarão todos os vossos irmãos, dentre todas as nações, por oferta ao Senhor, sobre cavalos, em liteiras e sobre mulas e dromedários, ao meu santo monte, a Jerusalém, diz o Senhor, como quando os filhos de Israel trazem as suas ofertas de manjares, em vasos puros à Casa do Senhor.”

Deus enviaria sobreviventes da destruição aos confins da Terra, a povos que não O conheciam, e eles anunciariam entre as nações a Sua glória (Is 66:19). Essa é uma das afirmações mais claras do Antigo Testamento sobre a expansão missionária. Em outras palavras, não apenas os povos seriam atraídos à nação hebraica, mas algumas pessoas do povo hebreu iriam a outras nações e lhes ensinariam sobre o verdadeiro Deus – um paradigma explícito no Novo Testamento. Embora tenha havido uma expansão missionária dos judeus entre os dias do retorno do exílio e os dias de Cristo (Mt 23:15), os primeiros cristãos espalharam o evangelho rapidamente e em grande escala (Cl 1:23).

Assim como os israelitas traziam ofertas de cereais ao Senhor em Seu templo, os missionários também trariam uma oferta a Ele. Mas a oferta deles seria todos os seus irmãos, dentre todas as nações (Is 66:20). Assim como as ofertas de cereais eram dádivas a Deus que não eram mortas, os convertidos conduzidos ao Senhor seriam apresentados a Ele como “sacrifício vivo” (compare com Rm 12:1). Em referência à ideia de que as pessoas poderiam ser apresentadas como uma espécie de oferta a Deus, observe a dedicação muito anterior dos levitas “como oferta movida diante do Senhor, da parte dos filhos de Israel”; e seriam “para o serviço do Senhor” (Nm 8:11).

7. Qual é o significado da promessa de que Deus tomaria “alguns para sacerdotes e para levitas” (Is 66:21)?

Isaías 66:21 (ARA)2: “Também deles tomarei a alguns para sacerdotes e para levitas, diz o Senhor.”

A expressão “alguns deles” no verso 21 (NVI) refere-se a todos os seus irmãos, dentre todas as nações, do verso anterior. Esses são gentios, alguns dos quais Deus escolheria como líderes de adoração, juntamente com os sacerdotes e levitas. Essa é uma mudança revolucionária. Deus anteriormente havia autorizado somente descendentes de Arão a servir como sacerdotes e somente outros membros da tribo de Levi para ajudá-los. Os gentios não podiam literalmente se tornar descendentes de Arão ou Levi, mas Deus autorizaria alguns a servir nessas funções, que antes eram proibidas até para a maioria dos judeus.

Leia 1 Pedro 2:9, 10 [“9 Vós, porém, sois raça eleita, sacerdócio real, nação santa, povo de propriedade exclusiva de Deus, a fim de proclamardes as virtudes daquele que vos chamou das trevas para a sua maravilhosa luz; 10 vós, sim, que, antes, não éreis povo, mas, agora, sois povo de Deus, que não tínheis alcançado misericórdia, mas, agora, alcançastes misericórdia.”]. Para quem Pedro escreveu? O que ele disse? Qual é a mensagem dele para nós, membros da “nação santa”? Estamos nos saindo melhor do que Israel (Êx 19:6)?

Terça-feira, 23 de março de 2021. Saiba mais, faça um Curso Bíblico

_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. Isaías: Consolo para o povo de Deus. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 503, jan. fev. mar. 2021. Adulto, Professor. 
2 BÍBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

Adoração no contexto da educação – Estudo adicional

Lições da Bíblia

“‘Enganoso é o coração, mais do que todas as coisas, e desesperadamente corrupto’ (Jr 17:9). Os professores de religião* não estão dispostos a se examinarem intimamente para ver se estão na fé, e é um fato temeroso que muitos estejam se apoiando em uma falsa esperança. Alguns se apoiam em uma experiência antiga que tiveram anos atrás; mas quando são levados a esse momento de examinar o coração, quando todos deveriam ter uma experiência diária, não têm nada a relatar. Eles pensam que uma profissão da verdade os salvará. Quando os pecados que Deus detesta forem subjugados, Jesus entrará e ceará com vocês e vocês com Ele. Portanto, vocês se fortalecerão com a força divina de Jesus e crescerão Nele, e poderão, com santo triunfo, dizer: Bendito seja Deus, que nos dá a vitória por meio de nosso Senhor Jesus Cristo. Seria mais agradável ao Senhor se professores de religião* mornos nunca tivessem mencionado Seu nome. Eles são um peso contínuo àqueles que seriam fiéis seguidores de Jesus. São uma pedra de tropeço para os incrédulos, e anjos maus exultam a seu respeito e insultam os anjos de Deus com seu procedimento tortuoso. Eles são uma maldição para a causa. Aproximam-se de Deus com os lábios, enquanto seu coração está longe Dele” (Ellen G. White, Spiritual Gifts [“Dons Espirituais”], v. 2, p. 227). *As palavras dessa citação podem ser aplicadas aos professores de todas as disciplinas.1

Perguntas para consideração

“1. Em Marcos 7:1-13, a causa da adoração falsa está no coração. Deus não aceita a adoração se ela não brotar do coração. Por que a cruz abre o coração para que amemos a Deus?”1

“2. Adorar “em espírito e em verdade”. É possível que a adoração envolva um aspecto e não o outro, ou a verdadeira adoração exige ambos? Por quê?”1

“3. Nosso coração precisa estar justificado para adorar a Deus. O que isso significa? Precisamos esperar até que estejamos com a vida em perfeita ordem, antes de poder adorar? Por outro lado, como a verdadeira adoração nos justifica diante de Deus?”1

Sexta-feira, 13 de novembro de 2020. Saiba mais, faça um Curso Bíblico

Leia o livro A Esperança para a família Maior Esperança,
baixe o seu exemplar gratuitamente

O CAMINHO PARA UM FINAL FELIZ

Como vai sua família? Se você respondesse com sinceridade a essa pergunta, o que diria? O relacionamento entre marido e mulher, entre pais e filhos muitas vezes parece encantador para os que olham de fora, mas só quem vivencia os dramas do cotidiano conhece as frustrações, as feridas e os traumas sofridos dentro de uma casa que deveria ser um lugar de paz. Se você precisa superar uma crise familiar ou conduzir sua família à excelência nos relacionamentos, este livro vai ajudar você a alcançar o que deseja. O Criador da família é quem pode restaurá-la ao plano original de real felicidade. Diante das dificuldades, não desanime! Em Deus, há esperança para todas as famílias, inclusive a sua.

_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. Educação e redenção. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 502, out. nov. dez. 2020. Adulto, Professor. 
2 BÍBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

A beleza da santidade

Lições da Bíblia

“5. Leia 1 Crônicas 16:1-36. Tente imaginar a cena descrita. Você a imagina solene e temível ou festiva e alegre? De que maneira ela pode ser uma combinação de ambos? O que aprendemos com essa cena sobre adoração e como devemos ensinar e vivenciar a adoração?”1

1 Crônicas 16:1-36 (ARA): 1 Introduziram, pois, a arca de Deus e a puseram no meio da tenda que lhe armara Davi; e trouxeram holocaustos e ofertas pacíficas perante Deus. 2 Tendo Davi acabado de trazer os holocaustos e ofertas pacíficas, abençoou o povo em nome do Senhor. 3 E repartiu a todos em Israel, tanto os homens como as mulheres, a cada um, um bolo de pão, um bom pedaço de carne e passas.Designou dentre os levitas os que haviam de ministrar diante da arca do Senhor, e celebrar, e louvar, e exaltar o Senhor, Deus de Israel, a saber, 5 Asafe, o chefe, Zacarias, o segundo, e depois Jeiel, Semiramote, Jeiel, Matitias, Eliabe, Benaia, Obede-Edom e Jeiel, com alaúdes e harpas; e Asafe fazia ressoar os címbalos. 6 Os sacerdotes Benaia e Jaaziel estavam continuamente com trombetas, perante a arca da Aliança de Deus. 7 Naquele dia, foi que Davi encarregou, pela primeira vez, a Asafe e a seus irmãos de celebrarem com hinos o Senhor. 8 Rendei graças ao Senhor, invocai o seu nome, fazei conhecidos, entre os povos, os seus feitos. 9 Cantai-lhe, cantai-lhe salmos; narrai todas as suas maravilhas. 10 Gloriai-vos no seu santo nome; alegre-se o coração dos que buscam o Senhor. 11 Buscai o Senhor e o seu poder, buscai perpetuamente a sua presença. 12 Lembrai-vos das maravilhas que fez, dos seus prodígios e dos juízos dos seus lábios, 13 vós, descendentes de Israel, seu servo, vós, filhos de Jacó, seus escolhidos. 14 Ele é o Senhor, nosso Deus; os seus juízos permeiam toda a terra. 15 Lembra-se perpetuamente da sua aliança, da palavra que empenhou para mil gerações; 16 da aliança que fez com Abraão e do juramento que fez a Isaque; 17 o qual confirmou a Jacó por decreto e a Israel, por aliança perpétua, 18 dizendo: Dar-vos-ei a terra de Canaã como quinhão da vossa herança. 19 Então, eram eles em pequeno número, pouquíssimos e forasteiros nela; 20 andavam de nação em nação, de um reino para um povo. 21 A ninguém permitiu que os oprimisse; antes, por amor deles, repreendeu a reis, 22 dizendo: Não toqueis nos meus ungidos, nem maltrateis os meus profetas. 23 Cantai ao Senhor, todas as terras; proclamai a sua salvação, dia após dia. 24 Anunciai entre as nações a sua glória, entre todos os povos, as suas maravilhas, 25 porque grande é o Senhor e mui digno de ser louvado, temível mais do que todos os deuses. 26 Porque todos os deuses dos povos são ídolos; o Senhor, porém, fez os céus. 27 Glória e majestade estão diante dele, força e formosura, no seu santuário. 28 Tributai ao Senhor, ó famílias dos povos, tributai ao Senhor glória e força. 29 Tributai ao Senhor a glória devida ao seu nome; trazei oferendas e entrai nos seus átrios; adorai o Senhor na beleza da sua santidade. 30 Tremei diante dele, todas as terras, pois ele firmou o mundo para que não se abale. 31 Alegrem-se os céus, e a terra exulte; diga-se entre as nações: Reina o Senhor. 32 Ruja o mar e a sua plenitude; folgue o campo e tudo o que nele há. 33 Regozijem-se as árvores do bosque na presença do Senhor, porque vem a julgar a terra. 34 Rendei graças ao Senhor, porque ele é bom; porque a sua misericórdia dura para sempre. 35 E dizei: Salva-nos, ó Deus da nossa salvação, ajunta-nos e livra-nos das nações, para que rendamos graças ao teu santo nome e nos gloriemos no teu louvor. 36 Bendito seja o Senhor, Deus de Israel, desde a eternidade até a eternidade. E todo o povo disse: Amém! E louvou ao Senhor.”

“O local de adoração era o tabernáculo, onde Deus havia habitado com o antigo Israel e onde o plano da salvação lhes havia sido revelado. Portanto, Jesus e o plano da salvação, prefigurados no serviço do tabernáculo, deviam ser centrais à adoração e à educação. Tudo o mais que Deus fez por nós e que merece louvor e adoração não significa nada sem a esperança de vida eterna oferecida a nós por Sua morte sacrifical e substitutiva na cruz.”1

“Observe também o enfoque ‘evangelístico’ da passagem: todo o mundo deveria conhecer o Deus de Israel.”

“6. Observe 1 Crônicas 16:29: ‘Tributai ao Senhor a glória devida ao Seu nome; trazei oferendas e entrai nos Seus átrios; adorai o Senhor na beleza da Sua santidade’. O que significa a ‘beleza da Sua santidade’? Assinale a alternativa correta:”

A.( ) Apenas que Deus tem uma aparência bela e majestosa.
B.( ) Significa que a santidade de Deus e adoração proposta por Ele são belas.

Resposta sugestiva: Alternativa B.

“Para começar, pense em como o pecado é feio, prejudicial e degradante. Além disso, é difícil para nós hoje imaginarmos como as práticas de adoração das nações vizinhas de Israel eram más, terríveis e degradantes – práticas que incluíam sacrifícios de crianças. Evidentemente, essas coisas refletiam como eram as pessoas que as praticavam.”1

“Em contraste com isso, o antigo Israel deveria ser uma nação santa, separada dos maus costumes ao seu redor. Eles deveriam ser santos em seu coração e em sua mente; isso conferia significado e beleza à sua adoração diante de Deus. Repetidas vezes, os profetas do Antigo Testamento protestaram contra pessoas que adoravam o Senhor enquanto estavam envolvidas em corrupção e, em seu coração, estavam longe Dele.”1

Quarta-feira, 11 de novembro de 2020. Saiba mais, faça um Curso Bíblico

Leia o livro A Esperança para a família Maior Esperança,
baixe o seu exemplar gratuitamente

O CAMINHO PARA UM FINAL FELIZ

Como vai sua família? Se você respondesse com sinceridade a essa pergunta, o que diria? O relacionamento entre marido e mulher, entre pais e filhos muitas vezes parece encantador para os que olham de fora, mas só quem vivencia os dramas do cotidiano conhece as frustrações, as feridas e os traumas sofridos dentro de uma casa que deveria ser um lugar de paz. Se você precisa superar uma crise familiar ou conduzir sua família à excelência nos relacionamentos, este livro vai ajudar você a alcançar o que deseja. O Criador da família é quem pode restaurá-la ao plano original de real felicidade. Diante das dificuldades, não desanime! Em Deus, há esperança para todas as famílias, inclusive a sua.

_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. Educação e redenção. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 502, out. nov. dez. 2020. Adulto, Professor. 
2 BÍBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

Em espírito e em verdade

Lições da Bíblia

“Um dos relatos mais maravilhosos do Novo Testamento sobre como Cristo ministrou a pessoas arruinadas é o encontro de Jesus com a mulher no poço.”1

“4. Leia João 4:7-26. O que Jesus disse à mulher acerca da adoração? Como eles entraram nesse assunto?”1

João 4:7-26 (ARA)2: “7 Nisto, veio uma mulher samaritana tirar água. Disse-lhe Jesus: Dá-me de beber. 8 Pois seus discípulos tinham ido à cidade para comprar alimentos. 9 Então, lhe disse a mulher samaritana: Como, sendo tu judeu, pedes de beber a mim, que sou mulher samaritana (porque os judeus não se dão com os samaritanos)? 10 Replicou-lhe Jesus: Se conheceras o dom de Deus e quem é o que te pede: dá-me de beber, tu lhe pedirias, e ele te daria água viva. 11 Respondeu-lhe ela: Senhor, tu não tens com que a tirar, e o poço é fundo; onde, pois, tens a água viva? 12 És tu, porventura, maior do que Jacó, o nosso pai, que nos deu o poço, do qual ele mesmo bebeu, e, bem assim, seus filhos, e seu gado? 13 Afirmou-lhe Jesus: Quem beber desta água tornará a ter sede; 14 aquele, porém, que beber da água que eu lhe der nunca mais terá sede; pelo contrário, a água que eu lhe der será nele uma fonte a jorrar para a vida eterna. 15 Disse-lhe a mulher: Senhor, dá-me dessa água para que eu não mais tenha sede, nem precise vir aqui buscá-la. 16 Disse-lhe Jesus: Vai, chama teu marido e vem cá; 17 ao que lhe respondeu a mulher: Não tenho marido. Replicou-lhe Jesus: Bem disseste, não tenho marido; 18 porque cinco maridos já tiveste, e esse que agora tens não é teu marido; isto disseste com verdade. 19 Senhor, disse-lhe a mulher, vejo que tu és profeta. 20 Nossos pais adoravam neste monte; vós, entretanto, dizeis que em Jerusalém é o lugar onde se deve adorar. 21 Disse-lhe Jesus: Mulher, podes crer-me que a hora vem, quando nem neste monte, nem em Jerusalém adorareis o Pai. 22 Vós adorais o que não conheceis; nós adoramos o que conhecemos, porque a salvação vem dos judeus. 23 Mas vem a hora e já chegou, em que os verdadeiros adoradores adorarão o Pai em espírito e em verdade; porque são estes que o Pai procura para seus adoradores. 24 Deus é espírito; e importa que os seus adoradores o adorem em espírito e em verdade. 25 Eu sei, respondeu a mulher, que há de vir o Messias, chamado Cristo; quando ele vier, nos anunciará todas as coisas. 26 Disse-lhe Jesus: Eu o sou, eu que falo contigo.”

“Embora a mulher tivesse tentado mudar de assunto ao falar sobre adoração, Jesus usou a estratégia dela para apresentar algumas verdades profundas sobre adoração e o que esta envolve. Talvez, o mais importante para nossos propósitos imediatos seja o que Ele disse em João 4:24: ‘Deus é espírito; e importa que os Seus adoradores O adorem em espírito e em verdade’.”

“A verdadeira adoração ao Senhor deve ser ‘em espírito’, isto é, deve vir do amor a Deus, da experiência de conhecê-Lo pessoalmente. ‘A religião que vem de Deus é a única que leva a Ele. Para O servirmos devidamente, é necessário nascermos do Espírito divino. Isso purificará o coração e renovará a mente, dando-nos nova capacidade para conhecer e amar a Deus. Também nos comunicará obediência voluntária a todas as Suas ordens. Esse é o verdadeiro culto. É o fruto da atuação do Espírito Santo’ (Ellen G. White, O Desejado de Todas as Nações, p. 189).”1

“Ao mesmo tempo, a adoração deve ser ‘em verdade’. Precisamos ter um conhecimento correto de Deus, de quem Ele é e o que Ele exige de nós. Em outras palavras, a doutrina também está envolvida. (É muito significativo, por exemplo, saber que adoramos um Deus que não deixa as pessoas queimando no inferno por toda a eternidade.) Portanto, vemos aqui dois elementos na adoração: a experiência advinda do conhecimento de Deus e obediência a Ele e as verdades objetivas que nos são reveladas sobre Ele. O espírito sem a verdade pode levar a um sentimentalismo superficial que se baseia mais em emoções inconstantes do que em qualquer outra coisa. Por outro lado, a verdade sem o espírito pode levar a um formalismo morto. Por isso, precisamos de ambos.”1

“Como podemos ensinar outras pessoas a adorar ‘em espírito e em verdade’? Em quais casos alguém pode precisar de uma ênfase maior em um aspecto do que em outro?”1

Terça-feira, 10 de novembro de 2020. Saiba mais, faça um Curso Bíblico

Leia o livro A Esperança para a família Maior Esperança,
baixe o seu exemplar gratuitamente

O CAMINHO PARA UM FINAL FELIZ

Como vai sua família? Se você respondesse com sinceridade a essa pergunta, o que diria? O relacionamento entre marido e mulher, entre pais e filhos muitas vezes parece encantador para os que olham de fora, mas só quem vivencia os dramas do cotidiano conhece as frustrações, as feridas e os traumas sofridos dentro de uma casa que deveria ser um lugar de paz. Se você precisa superar uma crise familiar ou conduzir sua família à excelência nos relacionamentos, este livro vai ajudar você a alcançar o que deseja. O Criador da família é quem pode restaurá-la ao plano original de real felicidade. Diante das dificuldades, não desanime! Em Deus, há esperança para todas as famílias, inclusive a sua.

_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. Educação e redenção. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 502, out. nov. dez. 2020. Adulto, Professor. 
2 BÍBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.