Adorai o Criador – Estudo adicional

Lições da Bíblia

Textos de Ellen G. White: Beneficência Social, p. 29-34 (“Isaías 58 – A Prescrição Divina”); O Desejado de Todas as Nações, p. 610-620 (“Ais Sobre os Fariseus”).

“Insistindo sobre o valor da piedade prática, o profeta estava unicamente repetindo o conselho dado a Israel séculos antes […]. De século em século esses conselhos foram repetidos pelos servos de Jeová aos que estavam em perigo de cair nos hábitos do formalismo e de esquecer de demonstrar misericórdia” (Ellen G. White, Profetas e Reis, p. 326, 327).1

“Tenho sido instruída a chamar a atenção de nosso povo para o capítulo 58 de Isaías. Leiam cuidadosamente esse capítulo e compreendam a espécie de ministério que levará vida às igrejas. A obra do evangelho deve ser promovida por meio de nossa liberalidade bem como de nossos labores. Quando vocês encontrarem pessoas sofredoras necessitando auxílio, deem-lhes. Quando acharem os que estão famintos, alimentem-nos. Assim fazendo vocês estarão trabalhando nas linhas do ministério de Cristo. O santo trabalho do Mestre era de benevolência. Que nosso povo em todos os lugares seja encorajado a tomar parte nele” (Ellen G. White, Beneficência Social, p. 29).1

Perguntas para discussão

“1. Você já pensou na prática da justiça e da misericórdia como atos de adoração? Isso pode mudar sua maneira de cuidar dos outros e de adorar?”1

“2. Como evitar a negligência aos ‘preceitos mais importantes da Lei’ (Mt 23:23), de maneira individual e coletiva? Você já coou ‘mosquito e’ engoliu ‘camelo’? (Mt 23:24, NVI)?”1

“3. Por que a hipocrisia é um pecado grave?”1

“4. Como a visão de Deus e Sua paixão pelos pobres e necessitados devem mudar sua visão de mundo? Você leria ou ouviria as notícias de maneira diferente caso as visse ou as ouvisse com os olhos e ouvidos de um profeta?”1

Resumo:

“Embora os profetas se preocupassem com o mal na terra, eles se concentraram especialmente no mal cometido por pessoas que alegavam ser adoradoras de Deus. Para os profetas e para Jesus, a adoração é incompatível com a injustiça, e a prática de uma religião assim é hipocrisia. A verdadeira adoração que Deus busca envolve o trabalho contra a opressão e o cuidado para com os pobres e necessitados.”1

Sexta-feira, 09 de agosto de 2019. Saiba mais, faça um Curso Bíblico

_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. “Meus pequeninos irmãos”: servindo aos necessitados. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 496, jul. ago. set. 2019. Adulto, Professor. 

Uma forma de adorar

Lições da Bíblia

“Quando explicaram a relação entre adoração e justiça, os profetas recomendaram insistentemente outro passo: que o interesse em socorrer os pobres, os oprimidos e os necessitados fosse parte importante da adoração. Isaías 58 torna essa relação evidente.”1

“4. Conforme a descrição da primeira parte de Isaías 58, o que estava errado no relacionamento entre Deus e Seu povo? Assinale ‘V’ para verdadeiro ou ‘F’ para falso:”1

Isaías (58 ARA)2: “1 Clama a plenos pulmões, não te detenhas, ergue a voz como a trombeta e anuncia ao meu povo a sua transgressão e à casa de Jacó, os seus pecados. 2 Mesmo neste estado, ainda me procuram dia a dia, têm prazer em saber os meus caminhos; como povo que pratica a justiça e não deixa o direito do seu Deus, perguntam-me pelos direitos da justiça, têm prazer em se chegar a Deus, 3 dizendo: Por que jejuamos nós, e tu não atentas para isso? Por que afligimos a nossa alma, e tu não o levas em conta? Eis que, no dia em que jejuais, cuidais dos vossos próprios interesses e exigis que se faça todo o vosso trabalho.Eis que jejuais para contendas e rixas e para ferirdes com punho iníquo; jejuando assim como hoje, não se fará ouvir a vossa voz no alto. 5 Seria este o jejum que escolhi, que o homem um dia aflija a sua alma, incline a sua cabeça como o junco e estenda debaixo de si pano de saco e cinza? Chamarias tu a isto jejum e dia aceitável ao SENHOR?  6 Porventura, não é este o jejum que escolhi: que soltes as ligaduras da impiedade, desfaças as ataduras da servidão, deixes livres os oprimidos e despedaces todo jugo?Porventura, não é também que repartas o teu pão com o faminto, e recolhas em casa os pobres desabrigados, e, se vires o nu, o cubras, e não te escondas do teu semelhante? 8 Então, romperá a tua luz como a alva, a tua cura brotará sem detença, a tua justiça irá adiante de ti, e a glória do SENHOR será a tua retaguarda; 9 então, clamarás, e o SENHOR te responderá; gritarás por socorro, e ele dirá: Eis-me aqui. Se tirares do meio de ti o jugo, o dedo que ameaça, o falar injurioso; 10 se abrires a tua alma ao faminto e fartares a alma aflita, então, a tua luz nascerá nas trevas, e a tua escuridão será como o meio-dia. 11 O SENHOR te guiará continuamente, fartará a tua alma até em lugares áridos e fortificará os teus ossos; serás como um jardim regado e como um manancial cujas águas jamais faltam. 12 Os teus filhos edificarão as antigas ruínas; levantarás os fundamentos de muitas gerações e serás chamado reparador de brechas e restaurador de veredas para que o país se torne habitável.  13 Se desviares o pé de profanar o sábado e de cuidar dos teus próprios interesses no meu santo dia; se chamares ao sábado deleitoso e santo dia do SENHOR, digno de honra, e o honrares não seguindo os teus caminhos, não pretendendo fazer a tua própria vontade, nem falando palavras vãs, 14 então, te deleitarás no SENHOR. Eu te farei cavalgar sobre os altos da terra e te sustentarei com a herança de Jacó, teu pai, porque a boca do SENHOR o disse.”

A. (   ) Deus havia feito o povo perecer nas mãos dos inimigos.
B. (   ) O povo buscava a Deus de modo egoísta, e jejuava para violência e contendas.

Resposta sugestiva: F; V.

“Essa crítica foi dirigida a um povo ativamente religioso. Os adoradores aparentavam buscar a Deus com sinceridade, mas parece que essa busca não estava funcionando. Então, o Senhor declarou que eles deveriam mudar sua maneira de adorar. A adoração escolhida por Ele era que eles soltassem ‘as correntes da injustiça’, desatassem ‘as cordas do jugo’, pusessem ‘em liberdade os oprimidos’ e rompessem ‘todo jugo’ (Is 58:6, NVI). Eles também deveriam alimentar os famintos, acolher os desabrigados e ajudar os necessitados.”1

“Essas atividades não são a única maneira de adorar, mas Deus as recomendou como uma forma de adoração que não se concentra apenas no interior, mas em algo que traz bênçãos para todos ao redor dos adoradores de Deus. ‘O verdadeiro propósito da religião é libertar o ser humano dos fardos do pecado, eliminar a intolerância e a opressão e promover justiça, liberdade e paz’ (Comentário Bíblico Adventista do Sétimo Dia, v. 4, p. 325).”1

“Em Isaías 58:8-12, Deus prometeu bênçãos em resposta a essa forma de adoração. Com efeito, o Senhor disse que, se o povo fosse menos concentrado em si mesmo, perceberia Deus trabalhando com ele e por meio dele para trazer cura e restauração.”

“Esse capítulo também relaciona a adoração à renovação da prazerosa guarda do sábado. Já refletimos sobre algumas fortes relações entre o sábado e o ministério, mas esses versos incluem ambas as atividades no chamado a que o povo revitalizasse sua adoração. Refletindo sobre eles Ellen G. White comentou: ‘Sobre os que guardam o sábado do Senhor é imposta a responsabilidade de realizar uma obra de misericórdia e beneficência’ (Beneficência Social, p. 121).”

Quarta-feira, 07 de agosto de 2019. Saiba mais, faça um Curso Bíblico

_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. “Meus pequeninos irmãos”: servindo aos necessitados. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 496, jul. ago. set. 2019. Adulto, Professor. 
2 BÍBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

Uma razão para adorar

Lições da Bíblia

“A Bíblia exorta o povo de Deus a adorá-Lo, mas ela também apresenta repetidamente razões para isso. Somos instruídos a prestar culto ao Senhor por Ele ser Deus, pelo que Ele faz e por Seus muitos atributos. Entre eles estão Sua bondade, justiça e misericórdia. Quando somos lembrados de como Deus é, do que Ele fez por nós (especialmente na cruz de Cristo) e do que Ele promete fazer, ninguém fica sem motivos para adorar e louvar o Criador.”1

“2. Leia Deuteronômio 10:17-22; Salmos 101:1; 146:5-10; Isaías 5:16; 61:11. Quais são as motivações para adorar e louvar a Deus nesses versos? Assinale a alternativa correta:”1

Deuteronômio (10:17-22)2: “17 Pois o SENHOR, vosso Deus, é o Deus dos deuses e o Senhor dos senhores, o Deus grande, poderoso e temível, que não faz acepção de pessoas, nem aceita suborno; 18 que faz justiça ao órfão e à viúva e ama o estrangeiro, dando-lhe pão e vestes. 19 Amai, pois, o estrangeiro, porque fostes estrangeiros na terra do Egito. 20 Ao SENHOR, teu Deus, temerás; a ele servirás, a ele te chegarás e, pelo seu nome, jurarás. 21 Ele é o teu louvor e o teu Deus, que te fez estas grandes e temíveis coisas que os teus olhos têm visto. 22 Com setenta almas, teus pais desceram ao Egito; e, agora, o SENHOR, teu Deus, te pôs como as estrelas dos céus em multidão.”

Salmos (101:1; 146:5-10)2: 101:1 “1 Cantarei a bondade e a justiça; a ti, SENHOR, cantarei.”; 146:5-10 “5 Bem-aventurado aquele que tem o Deus de Jacó por seu auxílio, cuja esperança está no SENHOR, seu Deus, 6 que fez os céus e a terra, o mar e tudo o que neles há e mantém para sempre a sua fidelidade.Que faz justiça aos oprimidos e dá pão aos que têm fome. O SENHOR liberta os encarcerados. 8 O SENHOR abre os olhos aos cegos, o SENHOR levanta os abatidos, o SENHOR ama os justos. 9 O SENHOR guarda o peregrino, ampara o órfão e a viúva, porém transtorna o caminho dos ímpios. 10 O SENHOR reina para sempre; o teu Deus, ó Sião, reina de geração em geração. Aleluia!”

Isaías (5:16; 61:11)2: 5:16 “Mas o SENHOR dos Exércitos é exaltado em juízo; e Deus, o Santo, é santificado em justiça.” 61:11 “Porque, como a terra produz os seus renovos, e como o jardim faz brotar o que nele se semeia, assim o SENHOR Deus fará brotar a justiça e o louvor perante todas as nações.”

A. (   ) Sua imutabilidade e severidade.
B. (   ) Sua justiça, bondade e misericórdia.

Resposta sugestiva: Alternativa B.

“Essas razões para adorar o Senhor não eram novas para o povo. Alguns dos mais animados momentos de adoração dos israelitas recém-libertados aconteceram em resposta à evidente intervenção de Deus em favor deles. Por exemplo, depois que eles foram tirados do Egito e atravessaram o Mar Vermelho, Moisés e Miriã conduziram o povo em cânticos de louvor a Deus pelo milagre que tinham acabado de ver e porque tinham sido resgatados da ameaça dos egípcios (Êx 15).”1

“O povo não deveria se esquecer da justiça e da misericórdia de Deus reveladas nesses acontecimentos. Enquanto mantinham essas histórias vivas ao recontá-las regularmente, os atos de Deus e a Sua justiça continuaram sendo uma inspiração para sua adoração nos anos seguintes e em gerações posteriores. Um exemplo dessas histórias recontadas e dessa adoração está registrado em Deuteronômio 10:17-22.”1

“A justiça de Deus é, em primeiro lugar, simplesmente parte de quem Ele é um componente essencial de Seu caráter. ‘Deus não procede maliciosamente; nem o Todo-Poderoso perverte o juízo’ (Jó 34:12). Deus é justo e Se interessa pela justiça – essa é uma razão para adorá-Lo e louvá-Lo.”1

“Em segundo lugar, a justiça de Deus é vista em Seus atos justos e retos em favor de Seu povo e de todos os pobres e oprimidos. Sua justiça jamais é uma mera descrição de Seu caráter. Ao contrário, a Bíblia retrata um Deus que ‘ouviu o lamento dos aflitos’ (Jó 34:28); que age e anseia corrigir os erros tão evidentes no mundo. Em última análise, isso será completamente realizado no juízo final de Deus e em Sua recriação do mundo.”1

“Se o antigo Israel tinha motivos para louvar ao Senhor, não temos muito mais motivos para louvá-Lo, especialmente depois da cruz?”1

Segunda-feira, 05 de agosto de 2019. Saiba mais, faça um Curso Bíblico

_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. “Meus pequeninos irmãos”: servindo aos necessitados. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 496, jul. ago. set. 2019. Adulto, Professor. 
2 BÍBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

Adorai o Criador

Lições da Bíblia

“Porventura, não é este o jejum que escolhi: que soltes as ligaduras da impiedade, desfaças as ataduras da servidão, deixes livres os oprimidos e despedaces todo jugo? Porventura, não é também que repartas o teu pão com o faminto, e recolhas em casa os pobres desabrigados, e, se vires o nu, o cubras, e não te escondas do teu semelhante?” (Is 58:6, 7).

“Até mesmo uma leitura rápida dos profetas do Antigo Testamento nos alerta para a preocupação deles quanto à crueldade para com os pobres e oprimidos. Os profetas e o Deus em nome de quem eles falavam ficavam indignados com o que viam em todas as nações vizinhas (veja, por exemplo, Amós 1 e 2). Mas eles também tinham especialmente um sentimento de ira e pesar diante das iniquidades cometidas pelo próprio povo de Deus, que havia recebido muitas bênçãos divinas. Levando em conta a história dos israelitas, bem como as leis dadas por Deus, eles deveriam ter agido com mais sabedoria. Infelizmente, esse nem sempre foi o caso, e os profetas tinham muito a dizer sobre esses tristes acontecimentos.”1

“É interessante perceber que muitas das declarações mais conhecidas dos profetas do Antigo Testamento sobre justiça e injustiça, na realidade, foram feitas no contexto das instruções sobre adoração. Como veremos, a verdadeira adoração não é algo que acontece apenas durante um ritual religioso, mas é também compartilhar do interesse de Deus pelo bem-estar dos outros, buscando elevar os oprimidos e negligenciados a uma condição mais digna e justa.”1

Sábado, 03 de agosto de 2019. Saiba mais, faça um Curso Bíblico

_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. “Meus pequeninos irmãos”: servindo aos necessitados. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 496, jul. ago. set. 2019. Adulto, Professor. 

Adorando nosso Criador e Redentor

Lições da Bíblia

“Nas discussões sobre adoração, muitas vezes destacamos os elementos da adoração, o que ela inclui e como é realizada. Mas qual é o significado profundo da adoração? O que significa adorar a Deus? E por que o fazemos? No Salmo 29:2, Davi declarou: ‘Tributai ao Senhor a glória devida ao Seu nome, adorai o Senhor na beleza da santidade’ (Sl 29:2). Esse salmo nos indica o significado da adoração. Adorar o Senhor é dar-Lhe a glória e a honra que Ele merece.”1

“1. Apocalipse 4 e 5 descrevem a entronização de Jesus no Céu em Sua ascensão. De acordo com os habitantes do Céu, quais são as razões para adorarmos a Deus e a Jesus, o Cordeiro? Veja Apocalipse 4:8, 11; 5:9, 10, 12, 13.”1

Apocalipse (4:8, 11 ARA)2: “8 E os quatro seres viventes, tendo cada um deles, respectivamente, seis asas, estão cheios de olhos, ao redor e por dentro; não têm descanso, nem de dia nem de noite, proclamando: Santo, Santo, Santo é o Senhor Deus, o Todo-Poderoso, aquele que era, que é e que há de vir. […] 11 Tu és digno, Senhor e Deus nosso, de receber a glória, a honra e o poder, porque todas as coisas tu criaste, sim, por causa da tua vontade vieram a existir e foram criadas.

Apocalipse (5:9, 10, 12, 13 ARA)2: “9 e entoavam novo cântico, dizendo: Digno és de tomar o livro e de abrir-lhe os selos, porque foste morto e com o teu sangue compraste para Deus os que procedem de toda tribo, língua, povo e nação 10 e para o nosso Deus os constituíste reino e sacerdotes; e reinarão sobre a terra. […] 12 proclamando em grande voz: Digno é o Cordeiro que foi morto de receber o poder, e riqueza, e sabedoria, e força, e honra, e glória, e louvor. 13 Então, ouvi que toda criatura que há no céu e sobre a terra, debaixo da terra e sobre o mar, e tudo o que neles há, estava dizendo: Àquele que está sentado no trono e ao Cordeiro, seja o louvor, e a honra, e a glória, e o domínio pelos séculos dos séculos.

“É impressionante essa descrição da adoração na sala do trono do Céu, quando Jesus é apresentado como o Cordeiro de Deus e Salvador do mundo. A adoração ocorre quando as criaturas de Deus Lhe respondem com palavras de reverência e gratidão pelo que Ele tem feito. Adoração é a resposta de uma pessoa grata ao Senhor pela criação e salvação. No fim dos tempos, os remidos também se unirão em adoração e responderão à salvação divina de maneira semelhante. ‘Grandes e admiráveis são as Tuas obras, Senhor Deus, Todo-Poderoso! Justos e verdadeiros são os Teus caminhos, ó Rei das nações! Quem não temerá e não glorificará o Teu nome, ó Senhor? Pois só Tu és santo; por isso, todas as nações virão e adorarão diante de Ti, porque os Teus atos de justiça se fizeram manifestos’ (Ap 15:3, 4).”1

“Portanto, a adoração é uma resposta da nossa fé em Deus por Suas obras poderosas: primeiramente, por nos criar e, em segundo lugar, por nos redimir. Ao adorarmos, damos a Deus o louvor, a reverência, o amor e a obediência que Ele merece receber. Nosso conhecimento sobre Deus como Criador e Salvador é o resultado do que Ele nos revelou nas Escrituras. Além disso, o que conhecemos sobre Ele nos foi revelado mais plenamente na pessoa e no ministério de Jesus (Jo 14:8-14). Por essa razão, adoramos Jesus como nosso Salvador e Redentor, pois Sua morte sacrifical e ressurreição estão no centro da adoração.”1

“Ao nos reunirmos para adorar, nossa adoração deve se originar desse sentimento de admiração e gratidão.”1

“Pense no que recebemos em Cristo como Criador e Salvador, naquilo de que Ele nos poupou e no que Ele nos oferece por Sua morte voluntária em nosso lugar. Por que essas verdades devem ser o fundamento da nossa adoração?”1

Domingo, 09 de dezembro de 2018. Saiba mais, ouça o Comentário em áudio da Lição da Escola Sabatina (LES) ou se preferir faça um Curso Bíblico.
_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. Unidade em Cristo. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 494, out. nov. dez. 2018. Adulto, Professor.
2 BIBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

Uma questão de adoração

Lições da Bíblia

“Ao longo de toda a história sagrada, o Senhor constantemente teve que lidar com aqueles que caíram na idolatria e em outras formas de adoração falsa (veja Mt 4:8-10 [‘8 Levou-o ainda o diabo a um monte muito alto, mostrou-lhe todos os reinos do mundo e a glória deles 9 e lhe disse: Tudo isto te darei se, prostrado, me adorares. 10 Então, Jesus lhe ordenou: Retira-te, Satanás, porque está escrito: Ao Senhor, teu Deus, adorarás, e só a ele darás culto.]2). Na crise final, retratada em Apocalipse 13, a questão da adoração surgirá novamente. O povo de Deus também terá que escolher a quem adorará e servirá (veja Js 24:15 [‘Porém, se vos parece mal servir ao SENHOR, escolhei, hoje, a quem sirvais: se aos deuses a quem serviram vossos pais que estavam dalém do Eufrates ou aos deuses dos amorreus em cuja terra habitais. Eu e a minha casa serviremos ao SENHOR.’]2).”1

“Na lição 2, intitulada ‘Daniel e o tempo do fim’, estudamos a história de três rapazes hebreus que foram ordenados a adorar ‘a imagem de ouro’ (Dn 3:5). Também vimos como Apocalipse 13 utiliza a linguagem desse capítulo para descrever a perseguição que o povo de Deus enfrentará no fim dos tempos. Ou seja, podemos entender o que ocorreu em Daniel 3 como um prenúncio do que ocorrerá nos últimos dias, conforme descrito no contexto imediato dos poderes da besta em Apocalipse 13. Todos foram ordenados a adorar a imagem de ouro, ou seriam mortos na fornalha de fogo ardente. Semelhantemente, em Apocalipse 13, quem não adorar a imagem da besta será morto (Ap 13:15).”1

“4. Leia Apocalipse 14:9 a 11; 16:2; 19:20; 20:4. O que esses textos revelam sobre a importância da questão da adoração? Assinale a alternativa correta:”1

Apocalipse (14:9-11 ARA)2: “9 Seguiu-se a estes outro anjo, o terceiro, dizendo, em grande voz: Se alguém adora a besta e a sua imagem e recebe a sua marca na fronte ou sobre a mão, 10 também esse beberá do vinho da cólera de Deus, preparado, sem mistura, do cálice da sua ira, e será atormentado com fogo e enxofre, diante dos santos anjos e na presença do Cordeiro. 11 A fumaça do seu tormento sobe pelos séculos dos séculos, e não têm descanso algum, nem de dia nem de noite, os adoradores da besta e da sua imagem e quem quer que receba a marca do seu nome.”.

Apocalipse (16:2 ARA)2: “Saiu, pois, o primeiro anjo e derramou a sua taça pela terra, e, aos homens portadores da marca da besta e adoradores da sua imagem, sobrevieram úlceras malignas e perniciosas.”.

Apocalipse (19:20 ARA)2: “Mas a besta foi aprisionada, e com ela o falso profeta que, com os sinais feitos diante dela, seduziu aqueles que receberam a marca da besta e eram os adoradores da sua imagem. Os dois foram lançados vivos dentro do lago de fogo que arde com enxofre.”.

Apocalipse (20:4 ARA)2: “Vi também tronos, e nestes sentaram-se aqueles aos quais foi dada autoridade de julgar. Vi ainda as almas dos decapitados por causa do testemunho de Jesus, bem como por causa da palavra de Deus, tantos quantos não adoraram a besta, nem tampouco a sua imagem, e não receberam a marca na fronte e na mão; e viveram e reinaram com Cristo durante mil anos.”.

A (  ) Quem adorar a imagem da besta sofrerá os juízos de Deus.
B (  ) Não há problema em adorar a imagem da besta e receber sua marca.

Resposta sugestiva: Alternativa A

“Babilônia sempre foi a capital da falsa adoração. A Torre de Babel é um testemunho do desejo de seus construtores de, assim como Lúcifer, subir ‘acima das mais altas nuvens e’ ser semelhante ‘ao Altíssimo’ (Is 14:14), bem como uma evidência de seus esforços para se salvar em caso de outro dilúvio global. Portanto, eles se recusaram a acreditar na promessa de Deus de que Ele jamais traria outro dilúvio sobre a Terra (Gn 9:8-11).”1

“O Império neobabilônico também exaltou a obra das mãos humanas. Nabucodonosor louvou a ‘grande Babilônia’ que ele havia construído (Dn 4:30). Posteriormente, o rei Beltessazar tomou os cálices de ouro do templo de Salomão para dar um banquete, e ‘beberam o vinho e deram louvores aos deuses de ouro, de prata, de bronze, de ferro, de madeira e de pedra’ (Dn 5:4). Observe que os verdadeiros recipientes do templo estavam cheios de vinho intoxicante e amorteciam a sensibilidade de todos os que bebiam deles. Como resultado, muitos na cidade morreram quando Babilônia caiu. Uma aparência exterior da verdade pode nos enganar, disfarçando o mortal ‘vinho da Babilônia’. O que prevalece no reino de Satanás é a falsa adoração e as falsas ideias.”1

“Como podemos saber que não estamos envolvidos com alguma adoração falsa?”1

Terça-feira, 05 de junho de 2018. Saiba mais, ouça o Comentário em áudio da Lição da Escola Sabatina (LES) ou se preferir faça um Curso Bíblico.
_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. Preparação para o tempo do fim. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 492, abr. maio jun. 2018. Adulto, Professor.
2 BIBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

Adore o Criador – Estudo adicional

Lições da Bíblia

Assista em vídeo a discussão do tema da semana. 

Estudo adicional

“Os estudiosos da Bíblia há muito tempo perceberam uma relação entre o chamado para que adoremos ‘Aquele que fez o céu, e a Terra, e o mar, e as fontes das águas’, em Apocalipse 14:7, e o quarto mandamento, em Êxodo 20:11, no qual o sábado nos remete ao fato de que ‘em seis dias, fez o Senhor os céus e a Terra, o mar e tudo o que neles há’. Por mais que a linguagem esteja intimamente relacionada, há uma mudança: o texto de Apocalipse aponta para o Senhor como Aquele que criou ‘as fontes das águas’.”1

“John Baldwin escreveu: ‘Supondo que exista intencionalidade divina por trás da expressão ‘fontes das águas’, por que Jesus fez com que o mensageiro quebrasse o paralelo das coisas mencionadas em Êxodo 20:11? Por que o anjo mencionou as ‘fontes das águas’ e não outra espécie de criatura, como árvores, pássaros, peixes ou montanhas?”1

“Talvez a referência às ‘fontes das águas’, no contexto de um anúncio da chegada de um período singular de juízo divino, busque dirigir a atenção do leitor para um período anterior de juízo […]. Talvez a intenção de Deus fosse que a possível alusão ao dilúvio, pelas palavras ‘fontes das águas’, ressaltasse a verdade de que Ele é realmente um Deus de juízo, bem como de fidelidade eterna e graça (ambos evidenciados na narrativa de Gênesis sobre o dilúvio). Se for assim, as implicações pessoais e espirituais da conotação do dilúvio, desencadeada pela expressão ‘fontes das águas’, podem encorajar o leitor a levar a sério a importante chegada de um novo processo de juízo divino individual já anunciado pelo primeiro mensageiro de Apocalipse 14’ (John Baldwin, Creation, Catastrophe and Calvary: Why a Global Flood is Vital to the Doctrine of Atonement [Criação, catástrofe e calvário: Por que um Dilúvio global é vital para a doutrina da expiação. Hagerstown, Md.: Review and Herald®, 2000, p. 27).”1

Perguntas para discussão

“1. Leia Isaías 53:6. A palavra em hebraico para ‘todos nós’ é cullanu. Isaías disse que o Senhor fez cair sobre Jesus ‘a iniquidade de todos nós’. A palavra ‘todos nós’ aqui também é cullanu. Como isso nos mostra que, não importando a gravidade do problema do pecado, a solução é mais do que suficiente para resolvê-lo?”1

“2. Quais lições extraímos da história do ladrão na cruz? Suponha que o ladrão obtivesse perdão, fosse retirado da cruz e sobrevivesse. A vida dele teria sido diferente? O que a sua resposta revela sobre o poder de Cristo para mudar nossa vida?”1

Sexta-feira, 25 de maio de 2018. Saiba mais, ouça o Comentário em áudio da Lição da Escola Sabatina (LES) ou se preferir faça um Curso Bíblico.
_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. Preparação para o tempo do fim. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 492, abr. maio jun. 2018. Adulto, Professor.