Missionários e líderes de adoração (Is 66:19-21)

Lições da Bíblia1

6. O que significa a profecia dos sobreviventes trazendo pessoas das nações como oferta ao Senhor? Is 66:19, 20

Isaías 66:19, 20 (ARA)2: “19 Porei entre elas um sinal e alguns dos que foram salvos enviarei às nações, a Társis, Pul e Lude, que atiram com o arco, a Tubal e Javã, até às terras do mar mais remotas, que jamais ouviram falar de mim, nem viram a minha glória; eles anunciarão entre as nações a minha glória. 20 Trarão todos os vossos irmãos, dentre todas as nações, por oferta ao Senhor, sobre cavalos, em liteiras e sobre mulas e dromedários, ao meu santo monte, a Jerusalém, diz o Senhor, como quando os filhos de Israel trazem as suas ofertas de manjares, em vasos puros à Casa do Senhor.”

Deus enviaria sobreviventes da destruição aos confins da Terra, a povos que não O conheciam, e eles anunciariam entre as nações a Sua glória (Is 66:19). Essa é uma das afirmações mais claras do Antigo Testamento sobre a expansão missionária. Em outras palavras, não apenas os povos seriam atraídos à nação hebraica, mas algumas pessoas do povo hebreu iriam a outras nações e lhes ensinariam sobre o verdadeiro Deus – um paradigma explícito no Novo Testamento. Embora tenha havido uma expansão missionária dos judeus entre os dias do retorno do exílio e os dias de Cristo (Mt 23:15), os primeiros cristãos espalharam o evangelho rapidamente e em grande escala (Cl 1:23).

Assim como os israelitas traziam ofertas de cereais ao Senhor em Seu templo, os missionários também trariam uma oferta a Ele. Mas a oferta deles seria todos os seus irmãos, dentre todas as nações (Is 66:20). Assim como as ofertas de cereais eram dádivas a Deus que não eram mortas, os convertidos conduzidos ao Senhor seriam apresentados a Ele como “sacrifício vivo” (compare com Rm 12:1). Em referência à ideia de que as pessoas poderiam ser apresentadas como uma espécie de oferta a Deus, observe a dedicação muito anterior dos levitas “como oferta movida diante do Senhor, da parte dos filhos de Israel”; e seriam “para o serviço do Senhor” (Nm 8:11).

7. Qual é o significado da promessa de que Deus tomaria “alguns para sacerdotes e para levitas” (Is 66:21)?

Isaías 66:21 (ARA)2: “Também deles tomarei a alguns para sacerdotes e para levitas, diz o Senhor.”

A expressão “alguns deles” no verso 21 (NVI) refere-se a todos os seus irmãos, dentre todas as nações, do verso anterior. Esses são gentios, alguns dos quais Deus escolheria como líderes de adoração, juntamente com os sacerdotes e levitas. Essa é uma mudança revolucionária. Deus anteriormente havia autorizado somente descendentes de Arão a servir como sacerdotes e somente outros membros da tribo de Levi para ajudá-los. Os gentios não podiam literalmente se tornar descendentes de Arão ou Levi, mas Deus autorizaria alguns a servir nessas funções, que antes eram proibidas até para a maioria dos judeus.

Leia 1 Pedro 2:9, 10 [“9 Vós, porém, sois raça eleita, sacerdócio real, nação santa, povo de propriedade exclusiva de Deus, a fim de proclamardes as virtudes daquele que vos chamou das trevas para a sua maravilhosa luz; 10 vós, sim, que, antes, não éreis povo, mas, agora, sois povo de Deus, que não tínheis alcançado misericórdia, mas, agora, alcançastes misericórdia.”]. Para quem Pedro escreveu? O que ele disse? Qual é a mensagem dele para nós, membros da “nação santa”? Estamos nos saindo melhor do que Israel (Êx 19:6)?

Terça-feira, 23 de março de 2021. Saiba mais, faça um Curso Bíblico

_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. Isaías: Consolo para o povo de Deus. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 503, jan. fev. mar. 2021. Adulto, Professor. 
2 BÍBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

Adoração no contexto da educação – Estudo adicional

Lições da Bíblia

“‘Enganoso é o coração, mais do que todas as coisas, e desesperadamente corrupto’ (Jr 17:9). Os professores de religião* não estão dispostos a se examinarem intimamente para ver se estão na fé, e é um fato temeroso que muitos estejam se apoiando em uma falsa esperança. Alguns se apoiam em uma experiência antiga que tiveram anos atrás; mas quando são levados a esse momento de examinar o coração, quando todos deveriam ter uma experiência diária, não têm nada a relatar. Eles pensam que uma profissão da verdade os salvará. Quando os pecados que Deus detesta forem subjugados, Jesus entrará e ceará com vocês e vocês com Ele. Portanto, vocês se fortalecerão com a força divina de Jesus e crescerão Nele, e poderão, com santo triunfo, dizer: Bendito seja Deus, que nos dá a vitória por meio de nosso Senhor Jesus Cristo. Seria mais agradável ao Senhor se professores de religião* mornos nunca tivessem mencionado Seu nome. Eles são um peso contínuo àqueles que seriam fiéis seguidores de Jesus. São uma pedra de tropeço para os incrédulos, e anjos maus exultam a seu respeito e insultam os anjos de Deus com seu procedimento tortuoso. Eles são uma maldição para a causa. Aproximam-se de Deus com os lábios, enquanto seu coração está longe Dele” (Ellen G. White, Spiritual Gifts [“Dons Espirituais”], v. 2, p. 227). *As palavras dessa citação podem ser aplicadas aos professores de todas as disciplinas.1

Perguntas para consideração

“1. Em Marcos 7:1-13, a causa da adoração falsa está no coração. Deus não aceita a adoração se ela não brotar do coração. Por que a cruz abre o coração para que amemos a Deus?”1

“2. Adorar “em espírito e em verdade”. É possível que a adoração envolva um aspecto e não o outro, ou a verdadeira adoração exige ambos? Por quê?”1

“3. Nosso coração precisa estar justificado para adorar a Deus. O que isso significa? Precisamos esperar até que estejamos com a vida em perfeita ordem, antes de poder adorar? Por outro lado, como a verdadeira adoração nos justifica diante de Deus?”1

Sexta-feira, 13 de novembro de 2020. Saiba mais, faça um Curso Bíblico

Leia o livro A Esperança para a família Maior Esperança,
baixe o seu exemplar gratuitamente

O CAMINHO PARA UM FINAL FELIZ

Como vai sua família? Se você respondesse com sinceridade a essa pergunta, o que diria? O relacionamento entre marido e mulher, entre pais e filhos muitas vezes parece encantador para os que olham de fora, mas só quem vivencia os dramas do cotidiano conhece as frustrações, as feridas e os traumas sofridos dentro de uma casa que deveria ser um lugar de paz. Se você precisa superar uma crise familiar ou conduzir sua família à excelência nos relacionamentos, este livro vai ajudar você a alcançar o que deseja. O Criador da família é quem pode restaurá-la ao plano original de real felicidade. Diante das dificuldades, não desanime! Em Deus, há esperança para todas as famílias, inclusive a sua.

_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. Educação e redenção. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 502, out. nov. dez. 2020. Adulto, Professor. 
2 BÍBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

A beleza da santidade

Lições da Bíblia

“5. Leia 1 Crônicas 16:1-36. Tente imaginar a cena descrita. Você a imagina solene e temível ou festiva e alegre? De que maneira ela pode ser uma combinação de ambos? O que aprendemos com essa cena sobre adoração e como devemos ensinar e vivenciar a adoração?”1

1 Crônicas 16:1-36 (ARA): 1 Introduziram, pois, a arca de Deus e a puseram no meio da tenda que lhe armara Davi; e trouxeram holocaustos e ofertas pacíficas perante Deus. 2 Tendo Davi acabado de trazer os holocaustos e ofertas pacíficas, abençoou o povo em nome do Senhor. 3 E repartiu a todos em Israel, tanto os homens como as mulheres, a cada um, um bolo de pão, um bom pedaço de carne e passas.Designou dentre os levitas os que haviam de ministrar diante da arca do Senhor, e celebrar, e louvar, e exaltar o Senhor, Deus de Israel, a saber, 5 Asafe, o chefe, Zacarias, o segundo, e depois Jeiel, Semiramote, Jeiel, Matitias, Eliabe, Benaia, Obede-Edom e Jeiel, com alaúdes e harpas; e Asafe fazia ressoar os címbalos. 6 Os sacerdotes Benaia e Jaaziel estavam continuamente com trombetas, perante a arca da Aliança de Deus. 7 Naquele dia, foi que Davi encarregou, pela primeira vez, a Asafe e a seus irmãos de celebrarem com hinos o Senhor. 8 Rendei graças ao Senhor, invocai o seu nome, fazei conhecidos, entre os povos, os seus feitos. 9 Cantai-lhe, cantai-lhe salmos; narrai todas as suas maravilhas. 10 Gloriai-vos no seu santo nome; alegre-se o coração dos que buscam o Senhor. 11 Buscai o Senhor e o seu poder, buscai perpetuamente a sua presença. 12 Lembrai-vos das maravilhas que fez, dos seus prodígios e dos juízos dos seus lábios, 13 vós, descendentes de Israel, seu servo, vós, filhos de Jacó, seus escolhidos. 14 Ele é o Senhor, nosso Deus; os seus juízos permeiam toda a terra. 15 Lembra-se perpetuamente da sua aliança, da palavra que empenhou para mil gerações; 16 da aliança que fez com Abraão e do juramento que fez a Isaque; 17 o qual confirmou a Jacó por decreto e a Israel, por aliança perpétua, 18 dizendo: Dar-vos-ei a terra de Canaã como quinhão da vossa herança. 19 Então, eram eles em pequeno número, pouquíssimos e forasteiros nela; 20 andavam de nação em nação, de um reino para um povo. 21 A ninguém permitiu que os oprimisse; antes, por amor deles, repreendeu a reis, 22 dizendo: Não toqueis nos meus ungidos, nem maltrateis os meus profetas. 23 Cantai ao Senhor, todas as terras; proclamai a sua salvação, dia após dia. 24 Anunciai entre as nações a sua glória, entre todos os povos, as suas maravilhas, 25 porque grande é o Senhor e mui digno de ser louvado, temível mais do que todos os deuses. 26 Porque todos os deuses dos povos são ídolos; o Senhor, porém, fez os céus. 27 Glória e majestade estão diante dele, força e formosura, no seu santuário. 28 Tributai ao Senhor, ó famílias dos povos, tributai ao Senhor glória e força. 29 Tributai ao Senhor a glória devida ao seu nome; trazei oferendas e entrai nos seus átrios; adorai o Senhor na beleza da sua santidade. 30 Tremei diante dele, todas as terras, pois ele firmou o mundo para que não se abale. 31 Alegrem-se os céus, e a terra exulte; diga-se entre as nações: Reina o Senhor. 32 Ruja o mar e a sua plenitude; folgue o campo e tudo o que nele há. 33 Regozijem-se as árvores do bosque na presença do Senhor, porque vem a julgar a terra. 34 Rendei graças ao Senhor, porque ele é bom; porque a sua misericórdia dura para sempre. 35 E dizei: Salva-nos, ó Deus da nossa salvação, ajunta-nos e livra-nos das nações, para que rendamos graças ao teu santo nome e nos gloriemos no teu louvor. 36 Bendito seja o Senhor, Deus de Israel, desde a eternidade até a eternidade. E todo o povo disse: Amém! E louvou ao Senhor.”

“O local de adoração era o tabernáculo, onde Deus havia habitado com o antigo Israel e onde o plano da salvação lhes havia sido revelado. Portanto, Jesus e o plano da salvação, prefigurados no serviço do tabernáculo, deviam ser centrais à adoração e à educação. Tudo o mais que Deus fez por nós e que merece louvor e adoração não significa nada sem a esperança de vida eterna oferecida a nós por Sua morte sacrifical e substitutiva na cruz.”1

“Observe também o enfoque ‘evangelístico’ da passagem: todo o mundo deveria conhecer o Deus de Israel.”

“6. Observe 1 Crônicas 16:29: ‘Tributai ao Senhor a glória devida ao Seu nome; trazei oferendas e entrai nos Seus átrios; adorai o Senhor na beleza da Sua santidade’. O que significa a ‘beleza da Sua santidade’? Assinale a alternativa correta:”

A.( ) Apenas que Deus tem uma aparência bela e majestosa.
B.( ) Significa que a santidade de Deus e adoração proposta por Ele são belas.

Resposta sugestiva: Alternativa B.

“Para começar, pense em como o pecado é feio, prejudicial e degradante. Além disso, é difícil para nós hoje imaginarmos como as práticas de adoração das nações vizinhas de Israel eram más, terríveis e degradantes – práticas que incluíam sacrifícios de crianças. Evidentemente, essas coisas refletiam como eram as pessoas que as praticavam.”1

“Em contraste com isso, o antigo Israel deveria ser uma nação santa, separada dos maus costumes ao seu redor. Eles deveriam ser santos em seu coração e em sua mente; isso conferia significado e beleza à sua adoração diante de Deus. Repetidas vezes, os profetas do Antigo Testamento protestaram contra pessoas que adoravam o Senhor enquanto estavam envolvidas em corrupção e, em seu coração, estavam longe Dele.”1

Quarta-feira, 11 de novembro de 2020. Saiba mais, faça um Curso Bíblico

Leia o livro A Esperança para a família Maior Esperança,
baixe o seu exemplar gratuitamente

O CAMINHO PARA UM FINAL FELIZ

Como vai sua família? Se você respondesse com sinceridade a essa pergunta, o que diria? O relacionamento entre marido e mulher, entre pais e filhos muitas vezes parece encantador para os que olham de fora, mas só quem vivencia os dramas do cotidiano conhece as frustrações, as feridas e os traumas sofridos dentro de uma casa que deveria ser um lugar de paz. Se você precisa superar uma crise familiar ou conduzir sua família à excelência nos relacionamentos, este livro vai ajudar você a alcançar o que deseja. O Criador da família é quem pode restaurá-la ao plano original de real felicidade. Diante das dificuldades, não desanime! Em Deus, há esperança para todas as famílias, inclusive a sua.

_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. Educação e redenção. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 502, out. nov. dez. 2020. Adulto, Professor. 
2 BÍBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

Em espírito e em verdade

Lições da Bíblia

“Um dos relatos mais maravilhosos do Novo Testamento sobre como Cristo ministrou a pessoas arruinadas é o encontro de Jesus com a mulher no poço.”1

“4. Leia João 4:7-26. O que Jesus disse à mulher acerca da adoração? Como eles entraram nesse assunto?”1

João 4:7-26 (ARA)2: “7 Nisto, veio uma mulher samaritana tirar água. Disse-lhe Jesus: Dá-me de beber. 8 Pois seus discípulos tinham ido à cidade para comprar alimentos. 9 Então, lhe disse a mulher samaritana: Como, sendo tu judeu, pedes de beber a mim, que sou mulher samaritana (porque os judeus não se dão com os samaritanos)? 10 Replicou-lhe Jesus: Se conheceras o dom de Deus e quem é o que te pede: dá-me de beber, tu lhe pedirias, e ele te daria água viva. 11 Respondeu-lhe ela: Senhor, tu não tens com que a tirar, e o poço é fundo; onde, pois, tens a água viva? 12 És tu, porventura, maior do que Jacó, o nosso pai, que nos deu o poço, do qual ele mesmo bebeu, e, bem assim, seus filhos, e seu gado? 13 Afirmou-lhe Jesus: Quem beber desta água tornará a ter sede; 14 aquele, porém, que beber da água que eu lhe der nunca mais terá sede; pelo contrário, a água que eu lhe der será nele uma fonte a jorrar para a vida eterna. 15 Disse-lhe a mulher: Senhor, dá-me dessa água para que eu não mais tenha sede, nem precise vir aqui buscá-la. 16 Disse-lhe Jesus: Vai, chama teu marido e vem cá; 17 ao que lhe respondeu a mulher: Não tenho marido. Replicou-lhe Jesus: Bem disseste, não tenho marido; 18 porque cinco maridos já tiveste, e esse que agora tens não é teu marido; isto disseste com verdade. 19 Senhor, disse-lhe a mulher, vejo que tu és profeta. 20 Nossos pais adoravam neste monte; vós, entretanto, dizeis que em Jerusalém é o lugar onde se deve adorar. 21 Disse-lhe Jesus: Mulher, podes crer-me que a hora vem, quando nem neste monte, nem em Jerusalém adorareis o Pai. 22 Vós adorais o que não conheceis; nós adoramos o que conhecemos, porque a salvação vem dos judeus. 23 Mas vem a hora e já chegou, em que os verdadeiros adoradores adorarão o Pai em espírito e em verdade; porque são estes que o Pai procura para seus adoradores. 24 Deus é espírito; e importa que os seus adoradores o adorem em espírito e em verdade. 25 Eu sei, respondeu a mulher, que há de vir o Messias, chamado Cristo; quando ele vier, nos anunciará todas as coisas. 26 Disse-lhe Jesus: Eu o sou, eu que falo contigo.”

“Embora a mulher tivesse tentado mudar de assunto ao falar sobre adoração, Jesus usou a estratégia dela para apresentar algumas verdades profundas sobre adoração e o que esta envolve. Talvez, o mais importante para nossos propósitos imediatos seja o que Ele disse em João 4:24: ‘Deus é espírito; e importa que os Seus adoradores O adorem em espírito e em verdade’.”

“A verdadeira adoração ao Senhor deve ser ‘em espírito’, isto é, deve vir do amor a Deus, da experiência de conhecê-Lo pessoalmente. ‘A religião que vem de Deus é a única que leva a Ele. Para O servirmos devidamente, é necessário nascermos do Espírito divino. Isso purificará o coração e renovará a mente, dando-nos nova capacidade para conhecer e amar a Deus. Também nos comunicará obediência voluntária a todas as Suas ordens. Esse é o verdadeiro culto. É o fruto da atuação do Espírito Santo’ (Ellen G. White, O Desejado de Todas as Nações, p. 189).”1

“Ao mesmo tempo, a adoração deve ser ‘em verdade’. Precisamos ter um conhecimento correto de Deus, de quem Ele é e o que Ele exige de nós. Em outras palavras, a doutrina também está envolvida. (É muito significativo, por exemplo, saber que adoramos um Deus que não deixa as pessoas queimando no inferno por toda a eternidade.) Portanto, vemos aqui dois elementos na adoração: a experiência advinda do conhecimento de Deus e obediência a Ele e as verdades objetivas que nos são reveladas sobre Ele. O espírito sem a verdade pode levar a um sentimentalismo superficial que se baseia mais em emoções inconstantes do que em qualquer outra coisa. Por outro lado, a verdade sem o espírito pode levar a um formalismo morto. Por isso, precisamos de ambos.”1

“Como podemos ensinar outras pessoas a adorar ‘em espírito e em verdade’? Em quais casos alguém pode precisar de uma ênfase maior em um aspecto do que em outro?”1

Terça-feira, 10 de novembro de 2020. Saiba mais, faça um Curso Bíblico

Leia o livro A Esperança para a família Maior Esperança,
baixe o seu exemplar gratuitamente

O CAMINHO PARA UM FINAL FELIZ

Como vai sua família? Se você respondesse com sinceridade a essa pergunta, o que diria? O relacionamento entre marido e mulher, entre pais e filhos muitas vezes parece encantador para os que olham de fora, mas só quem vivencia os dramas do cotidiano conhece as frustrações, as feridas e os traumas sofridos dentro de uma casa que deveria ser um lugar de paz. Se você precisa superar uma crise familiar ou conduzir sua família à excelência nos relacionamentos, este livro vai ajudar você a alcançar o que deseja. O Criador da família é quem pode restaurá-la ao plano original de real felicidade. Diante das dificuldades, não desanime! Em Deus, há esperança para todas as famílias, inclusive a sua.

_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. Educação e redenção. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 502, out. nov. dez. 2020. Adulto, Professor. 
2 BÍBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

Todos adoramos alguma coisa

Lições da Bíblia

“Há algo em nós que gera o desejo de adorar. Sem dúvida, esse anseio foi originalmente formado em nós por Deus, mas, como ocorreu com tudo o mais, esse desejo foi distorcido pelo pecado. Evidentemente, no princípio, devíamos adorar o único Ser digno de adoração, nosso Senhor e ­Criador. Mas, desde a queda, tudo isso mudou muito.”1

“Todos adoramos algo, alguém, qualquer coisa. Isso explica por que, ao longo da história humana, e até hoje, o ser humano pratica a adoração. No Egito antigo, algumas pessoas adoravam o faraó; em outras ocasiões, em outros países, as pessoas adoravam estátuas de peixes, deuses de várias cabeças e outras supostas divindades. Algumas pessoas adoravam o sol, a lua, as estrelas.”1

“Hoje, a maioria das pessoas é sofisticada demais para se curvar diante da estátua de uma rã (mas, aparentemente, não de uma estátua de ­Maria). Porém, isso não significa que o ser humano, mesmo o homem secular, não adore algo: dinheiro, poder, sexo, a si mesmo, estrelas do rock, atores, políticos. O que mais amamos, aquilo em que mais concentramos nossa atenção e pelo que vivemos é o que adoramos. Além disso, advertiu o autor secular David Foster Wallace, se você adorar a coisa errada, ela ‘o comerá vivo’.”

“1. O que a história de Daniel 3 nos ensina sobre a importância da verdadeira adoração? Assinale a alternativa correta:”1

Daniel 3 “1 O rei Nabucodonosor fez uma imagem de ouro que tinha sessenta côvados de altura e seis de largura; levantou-a no campo de Dura, na província da Babilônia. 2 Então, o rei Nabucodonosor mandou ajuntar os sátrapas, os prefeitos, os governadores, os juízes, os tesoureiros, os magistrados, os conselheiros e todos os oficiais das províncias, para que viessem à consagração da imagem que o rei Nabucodonosor tinha levantado. 3 Então, se ajuntaram os sátrapas, os prefeitos, os governadores, os juízes, os tesoureiros, os magistrados, os conselheiros e todos os oficiais das províncias, para a consagração da imagem que o rei Nabucodonosor tinha levantado; e estavam em pé diante da imagem que Nabucodonosor tinha levantado. 4 Nisto, o arauto apregoava em alta voz: Ordena-se a vós outros, ó povos, nações e homens de todas as línguas:no momento em que ouvirdes o som da trombeta, do pífaro, da harpa, da cítara, do saltério, da gaita de foles e de toda sorte de música, vos prostrareis e adorareis a imagem de ouro que o rei Nabucodonosor levantou. Qualquer que se não prostrar e não a adorar será, no mesmo instante, lançado na fornalha de fogo ardente. 7 Portanto, quando todos os povos ouviram o som da trombeta, do pífaro, da harpa, da cítara, do saltério e de toda sorte de música, se prostraram os povos, nações e homens de todas as línguas e adoraram a imagem de ouro que o rei Nabucodonosor tinha levantado. 8 Ora, no mesmo instante, se chegaram alguns homens caldeus e acusaram os judeus; 9 disseram ao rei Nabucodonosor: Ó rei, vive eternamente!10 Tu, ó rei, baixaste um decreto pelo qual todo homem que ouvisse o som da trombeta, do pífaro, da harpa, da cítara, do saltério, da gaita de foles e de toda sorte de música se prostraria e adoraria a imagem de ouro; 11 e qualquer que não se prostrasse e não adorasse seria lançado na fornalha de fogo ardente. 12 Há uns homens judeus, que tu constituíste sobre os negócios da província da Babilônia: Sadraque, Mesaque e Abede-Nego; estes homens, ó rei, não fizeram caso de ti, a teus deuses não servem, nem adoram a imagem de ouro que levantaste. 13 Então, Nabucodonosor, irado e furioso, mandou chamar Sadraque, Mesaque e Abede-Nego. E trouxeram a estes homens perante o rei. 14 Falou Nabucodonosor e lhes disse: É verdade, ó Sadraque, Mesaque e Abede-Nego, que vós não servis a meus deuses, nem adorais a imagem de ouro que levantei? 15 Agora, pois, estai dispostos e, quando ouvirdes o som da trombeta, do pífaro, da cítara, da harpa, do saltério, da gaita de foles, prostrai-vos e adorai a imagem que fiz; porém, se não a adorardes, sereis, no mesmo instante, lançados na fornalha de fogo ardente. E quem é o deus que vos poderá livrar das minhas mãos? 16 Responderam Sadraque, Mesaque e Abede-Nego ao rei: Ó Nabucodonosor, quanto a isto não necessitamos de te responder. 17 Se o nosso Deus, a quem servimos, quer livrar-nos, ele nos livrará da fornalha de fogo ardente e das tuas mãos, ó rei. 18 Se não, fica sabendo, ó rei, que não serviremos a teus deuses, nem adoraremos a imagem de ouro que levantaste. 19 Então, Nabucodonosor se encheu de fúria e, transtornado o aspecto do seu rosto contra Sadraque, Mesaque e Abede-Nego, ordenou que se acendesse a fornalha sete vezes mais do que se costumava. 20 Ordenou aos homens mais poderosos que estavam no seu exército que atassem a Sadraque, Mesaque e Abede-Nego e os lançassem na fornalha de fogo ardente. 21 Então, estes homens foram atados com os seus mantos, suas túnicas e chapéus e suas outras roupas e foram lançados na fornalha sobremaneira acesa. 22 Porque a palavra do rei era urgente e a fornalha estava sobremaneira acesa, as chamas do fogo mataram os homens que lançaram de cima para dentro a Sadraque, Mesaque e Abede-Nego. 23 Estes três homens, Sadraque, Mesaque e Abede-Nego, caíram atados dentro da fornalha sobremaneira acesa. 24 Então, o rei Nabucodonosor se espantou, e se levantou depressa, e disse aos seus conselheiros: Não lançamos nós três homens atados dentro do fogo? Responderam ao rei: É verdade, ó rei. 25 Tornou ele e disse: Eu, porém, vejo quatro homens soltos, que andam passeando dentro do fogo, sem nenhum dano; e o aspecto do quarto é semelhante a um filho dos deuses. 26 Então, se chegou Nabucodonosor à porta da fornalha sobremaneira acesa, falou e disse: Sadraque, Mesaque e Abede-Nego, servos do Deus Altíssimo, saí e vinde! Então, Sadraque, Mesaque e Abede-Nego saíram do meio do fogo. 27 Ajuntaram-se os sátrapas, os prefeitos, os governadores e conselheiros do rei e viram que o fogo não teve poder algum sobre os corpos destes homens; nem foram chamuscados os cabelos da sua cabeça, nem os seus mantos se mudaram, nem cheiro de fogo passara sobre eles. 28 Falou Nabucodonosor e disse: Bendito seja o Deus de Sadraque, Mesaque e Abede-Nego, que enviou o seu anjo e livrou os seus servos, que confiaram nele, pois não quiseram cumprir a palavra do rei, preferindo entregar o seu corpo, a servirem e adorarem a qualquer outro deus, senão ao seu Deus. 29 Portanto, faço um decreto pelo qual todo povo, nação e língua que disser blasfêmia contra o Deus de Sadraque, Mesaque e Abede-Nego seja despedaçado, e as suas casas sejam feitas em monturo; porque não há outro deus que possa livrar como este. 30 Então, o rei fez prosperar a Sadraque, Mesaque e Abede-Nego na província da Babilônia.”

A. ( ) Vale a pena adorar Aquele que é digno de adoração.
B. ( ) Se houver riscos, a adoração deve ser oferecida parcialmente.

Resposta sugestiva: Alternativa A.

“Os três jovens judeus levaram o segundo mandamento (Êx 20:4-6) muito a sério, conforme Deus queria que fizessem. Afinal, ele faz parte dos Dez Mandamentos, juntamente com a proibição do assassinato, furto e assim por diante. A adoração apropriada é tão importante que se torna central às questões dos últimos dias, antes da segunda vinda de Cristo. Portanto, a educação cristã precisa incluir a questão da adoração: o que ela é, como adoramos, por que ela é importante e a quem adoramos.”1

“Leia Apocalipse 14:6-12 [‘6 Vi outro anjo voando pelo meio do céu, tendo um evangelho eterno para pregar aos que se assentam sobre a terra, e a cada nação, e tribo, e língua, e povo, 7 dizendo, em grande voz: Temei a Deus e dai-lhe glória, pois é chegada a hora do seu juízo; e adorai aquele que fez o céu, e a terra, e o mar, e as fontes das águas. 8 Seguiu-se outro anjo, o segundo, dizendo: Caiu, caiu a grande Babilônia que tem dado a beber a todas as nações do vinho da fúria da sua prostituição. 9 Seguiu-se a estes outro anjo, o terceiro, dizendo, em grande voz: Se alguém adora a besta e a sua imagem e recebe a sua marca na fronte ou sobre a mão, 10 também esse beberá do vinho da cólera de Deus, preparado, sem mistura, do cálice da sua ira, e será atormentado com fogo e enxofre, diante dos santos anjos e na presença do Cordeiro. 11 A fumaça do seu tormento sobe pelos séculos dos séculos, e não têm descanso algum, nem de dia nem de noite, os adoradores da besta e da sua imagem e quem quer que receba a marca do seu nome. 12 Aqui está a perseverança dos santos, os que guardam os mandamentos de Deus e a fé em Jesus.’]. Por que a questão da adoração será tão central na crise final antes do retorno de Cristo?”

Domingo, 08 de novembro de 2020. Saiba mais, faça um Curso Bíblico

Leia o livro A Esperança para a família Maior Esperança,
baixe o seu exemplar gratuitamente

O CAMINHO PARA UM FINAL FELIZ

Como vai sua família? Se você respondesse com sinceridade a essa pergunta, o que diria? O relacionamento entre marido e mulher, entre pais e filhos muitas vezes parece encantador para os que olham de fora, mas só quem vivencia os dramas do cotidiano conhece as frustrações, as feridas e os traumas sofridos dentro de uma casa que deveria ser um lugar de paz. Se você precisa superar uma crise familiar ou conduzir sua família à excelência nos relacionamentos, este livro vai ajudar você a alcançar o que deseja. O Criador da família é quem pode restaurá-la ao plano original de real felicidade. Diante das dificuldades, não desanime! Em Deus, há esperança para todas as famílias, inclusive a sua.

_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. Educação e redenção. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 502, out. nov. dez. 2020. Adulto, Professor. 
2 BÍBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

Adoração no contexto da educação

Lições da Bíblia

“Tributai ao Senhor a glória devida ao Seu nome; trazei oferendas e entrai nos Seus átrios; adorai o Senhor na beleza da Sua santidade” (1Cr 16:29).1

“A adoração faz parte da natureza humana, até mesmo da natureza humana caída. Evidentemente, fomos criados como seres que, pela liberdade que Deus nos concedeu, adoram o Senhor porque O amam e sabem que Ele é digno de adoração. Essa adoração deve ter sido bastante fácil no mundo antes da queda, em que o homem tinha acesso direto a Deus em uma criação não arruinada pelo pecado, morte e destruição – uma criação que mal podemos imaginar, visto que só conhecemos este mundo caído.”1

“Embora a necessidade inata de adorar ainda exista em nós, ela foi distorcida pelo pecado, assim como tudo neste mundo, o que significa que, entre outras coisas, nós, como seres adoradores, podemos acabar adorando coisas erradas ou até mesmo não adorando a Deus como Ele deveria ser adorado (veja, por exemplo, Mc 7:1-13 [‘1 Ora, reuniram-se a Jesus os fariseus e alguns escribas, vindos de Jerusalém. 2 E, vendo que alguns dos discípulos dele comiam pão com as mãos impuras, isto é, por lavar 3  (pois os fariseus e todos os judeus, observando a tradição dos anciãos, não comem sem lavar cuidadosamente as mãos; 4 quando voltam da praça, não comem sem se aspergirem; e há muitas outras coisas que receberam para observar, como a lavagem de copos, jarros e vasos de metal [e camas]), 5 interpelaram-no os fariseus e os escribas: Por que não andam os teus discípulos de conformidade com a tradição dos anciãos, mas comem com as mãos por lavar? 6 Respondeu-lhes: Bem profetizou Isaías a respeito de vós, hipócritas, como está escrito: Este povo honra-me com os lábios, mas o seu coração está longe de mim. 7 E em vão me adoram, ensinando doutrinas que são preceitos de homens. 8 Negligenciando o mandamento de Deus, guardais a tradição dos homens. 9 E disse-lhes ainda: Jeitosamente rejeitais o preceito de Deus para guardardes a vossa própria tradição. 10 Pois Moisés disse: Honra a teu pai e a tua mãe; e: Quem maldisser a seu pai ou a sua mãe seja punido de morte. 11 Vós, porém, dizeis: Se um homem disser a seu pai ou a sua mãe: Aquilo que poderias aproveitar de mim é Corbã, isto é, oferta para o Senhor, 12 então, o dispensais de fazer qualquer coisa em favor de seu pai ou de sua mãe, 13 invalidando a palavra de Deus pela vossa própria tradição, que vós mesmos transmitistes; e fazeis muitas outras coisas semelhantes.’]2; Jr 7:4 [‘Não confieis em palavras falsas, dizendo: Templo do Senhor, templo do Senhor, templo do Senhor é este.’]2).”1

“Portanto, visto que a adoração é tão central na experiência cristã, a educação cristã deve tratar dessa questão. Esse é o assunto que estudaremos na lição desta semana.”1

Sábado, 07 de novembro de 2020. Saiba mais, faça um Curso Bíblico

Leia o livro A Esperança para a família Maior Esperança,
baixe o seu exemplar gratuitamente

O CAMINHO PARA UM FINAL FELIZ

Como vai sua família? Se você respondesse com sinceridade a essa pergunta, o que diria? O relacionamento entre marido e mulher, entre pais e filhos muitas vezes parece encantador para os que olham de fora, mas só quem vivencia os dramas do cotidiano conhece as frustrações, as feridas e os traumas sofridos dentro de uma casa que deveria ser um lugar de paz.Se você precisa superar uma crise familiar ou conduzir sua família à excelência nos relacionamentos, este livro vai ajudar você a alcançar o que deseja. O Criador da família é quem pode restaurá-la ao plano original de real felicidade. Diante das dificuldades, não desanime! Em Deus, há esperança para todas as famílias, inclusive a sua.

_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. Educação e redenção. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 502, out. nov. dez. 2020. Adulto, Professor. 

O chamado à adoração

Lições da Bíblia

“2. Leia Daniel 3:8-15 e Apocalipse 13:11-18. Quais paralelos podemos ver entre o que aconteceu no tempo de Daniel e o que acontecerá no futuro?”1

Daniel (3:8-15 ARA): “8 Ora, no mesmo instante, se chegaram alguns homens caldeus e acusaram os judeus; 9 disseram ao rei Nabucodonosor: Ó rei, vive eternamente! 10 Tu, ó rei, baixaste um decreto pelo qual todo homem que ouvisse o som da trombeta, do pífaro, da harpa, da cítara, do saltério, da gaita de foles e de toda sorte de música se prostraria e adoraria a imagem de ouro; 11 e qualquer que não se prostrasse e não adorasse seria lançado na fornalha de fogo ardente. 12 Há uns homens judeus, que tu constituíste sobre os negócios da província da Babilônia: Sadraque, Mesaque e Abede-Nego; estes homens, ó rei, não fizeram caso de ti, a teus deuses não servem, nem adoram a imagem de ouro que levantaste. 13 Então, Nabucodonosor, irado e furioso, mandou chamar Sadraque, Mesaque e Abede-Nego. E trouxeram a estes homens perante o rei. 14 Falou Nabucodonosor e lhes disse: É verdade, ó Sadraque, Mesaque e Abede-Nego, que vós não servis a meus deuses, nem adorais a imagem de ouro que levantei? 15 Agora, pois, estai dispostos e, quando ouvirdes o som da trombeta, do pífaro, da cítara, da harpa, do saltério, da gaita de foles, prostrai-vos e adorai a imagem que fiz; porém, se não a adorardes, sereis, no mesmo instante, lançados na fornalha de fogo ardente. E quem é o deus que vos poderá livrar das minhas mãos?”

Apocalipse 13:11-18 ARA): “11 Vi ainda outra besta emergir da terra; possuía dois chifres, parecendo cordeiro, mas falava como dragão. 12 Exerce toda a autoridade da primeira besta na sua presença. Faz com que a terra e os seus habitantes adorem a primeira besta, cuja ferida mortal fora curada. 13 Também opera grandes sinais, de maneira que até fogo do céu faz descer à terra, diante dos homens. 14 Seduz os que habitam sobre a terra por causa dos sinais que lhe foi dado executar diante da besta, dizendo aos que habitam sobre a terra que façam uma imagem à besta, àquela que, ferida à espada, sobreviveu; 15 e lhe foi dado comunicar fôlego à imagem da besta, para que não só a imagem falasse, como ainda fizesse morrer quantos não adorassem a imagem da besta. 16 A todos, os pequenos e os grandes, os ricos e os pobres, os livres e os escravos, faz que lhes seja dada certa marca sobre a mão direita ou sobre a fronte, 17 para que ninguém possa comprar ou vender, senão aquele que tem a marca, o nome da besta ou o número do seu nome. 18 Aqui está a sabedoria. Aquele que tem entendimento calcule o número da besta, pois é número de homem. Ora, esse número é seiscentos e sessenta e seis.”

“A estátua de ouro na planície de Dura, cujo nome em acadiano significa ‘lugar murado’, dava àquela área murada a impressão de um vasto santuário. Como se não bastasse, a fornalha próxima podia muito bem lembrar um altar. A música babilônica devia ser parte da liturgia. Sete tipos de instrumentos musicais foram listados, como que para transmitir a perfeição e eficácia do protocolo de adoração.”1

“Hoje, somos bombardeados por apelos para que adotemos novos estilos de vida, novas ideologias, abandonemos nosso compromisso com a autoridade de Deus expressa em Sua Palavra e rendamos nossa lealdade aos sucessores contemporâneos do Império Babilônico. A sedução do mundo às vezes parece esmagadora, mas devemos nos lembrar de que nossa lealdade suprema pertence ao Deus Criador.”1

“De acordo com o calendário profético, estamos vivendo nos últimos dias da História da Terra. Apocalipse 13 anuncia que os habitantes da Terra serão chamados a adorar a imagem da besta. Essa entidade fará com que ‘todos, os pequenos e os grandes, os ricos e os pobres, os livres e os escravos’ recebam ‘certa marca sobre a mão direita ou sobre a fronte’ (Ap 13:16).”1

“O Apocalipse declara que seis categorias de pessoas oferecem sua lealdade à imagem da besta: “os pequenos e os grandes, os ricos e os pobres, os livres e os escravos”. O número da besta, que é 666, também enfatiza o número seis. Isso mostra que a estátua erguida por Nabucodonosor é justamente uma ilustração do que a Babilônia escatológica fará nos últimos dias (veja em Daniel 3:1 os números seis e sessenta). Portanto, fazemos bem em prestar muita atenção ao que ocorre nessa narrativa e como Deus conduz de modo soberano os assuntos do mundo.”1

“Adorar não é apenas se curvar diante de algo ou alguém e lhe declarar abertamente lealdade suprema. Quais são outras maneiras, muito mais sutis, de adorar algo que não seja o Senhor?”1

Peça a Deus uma experiência de alegria e santidade a cada dia.

Segunda-feira, 20 de janeiro de 2020. Saiba mais, faça um Curso Bíblico

_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. Daniel. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 499, jan. fev. mar. 2020. Adulto, Professor. 
2 BÍBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

Adorando o Senhor – Estudo adicional

Lições da Bíblia

Texto de Ellen G. White: Caminho a Cristo, p. 67-75 (“O Crescimento Espiritual”).

“A cruz de Cristo será a ciência e o cântico dos remidos por toda a eternidade. No Cristo glorificado eles contemplarão o Cristo crucificado. Jamais se olvidará que Aquele cujo poder criou e manteve os inumeráveis mundos através dos vastos domínios do espaço, o Amado de Deus, a Majestade do Céu, Aquele a quem querubins e resplendentes serafins se deleitavam em adorar, humilhou-Se para levantar o homem decaído; que Ele suportou a culpa e a vergonha do pecado e a ocultação da face de Seu Pai, até que as misérias de um mundo perdido Lhe quebrantaram o coração e aniquilaram a vida na cruz do Calvário. O fato de o Criador de todos os mundos, o Árbitro de todos os destinos, deixar Sua glória e humilhar-Se por amor ao ser humano, despertará eternamente a admiração e a adoração do Universo. Ao olharem as nações dos salvos para o seu Redentor e contemplarem a glória eterna do Pai brilhando em Seu semblante; ao verem o Seu trono que é de eternidade em eternidade, e saberem que Seu reino não terá fim, irrompem num hino arrebatador: ‘Digno, digno é o Cordeiro que foi morto e nos remiu para Deus com Seu mui precioso sangue!’” (Ellen G. White, O Grande Conflito, p. 651, 652).1

Perguntas para discussão

“1. Como encontrar o equilíbrio entre a reverência e a alegria? A reverência e a alegria são mutuamente excludentes?”1

“2. Os israelitas colocaram o muro de Jerusalém sob proteção divina mediante a cerimônia de dedicação e assim reconheceram que um muro é inútil a menos que Deus o defenda. Salomão disse: ‘Se o Senhor não edificar a casa, em vão trabalham os que a edificam; se o Senhor não guardar a cidade, em vão vigia a sentinela’ (Sl 127:1). O que isso revela sobre nossos esforços pelo Senhor?”1

“3. Qual é a função da música na experiência de adoração da sua igreja?”1

“4. As Escrituras são claras: Jesus é nosso Sumo Sacerdote no santuário do Céu. O que exatamente Ele está fazendo por nós ali? O que o ministério dos sacerdotes no templo terrestre nos ensina sobre a obra de Jesus por nós no santuário celestial?”1

Sexta-feira, 06 de dezembro de 2019. Saiba mais, faça um Curso Bíblico

_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. Esdras e Neemias. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 498, out. nov. dez. 2019. Adulto, Professor.