Não mais lágrimas nem dor

Lições da Bíblia

“6. Leia Apocalipse 21:1-5; 22:1-5 e tente imaginar como será a vida descrita nesses versos. Por que é difícil imaginar a vida sem pecado, morte, dor e lágrimas?”1

Apocalipse (21:1-5 ARA)2: “1 Vi novo céu e nova terra, pois o primeiro céu e a primeira terra passaram, e o mar já não existe. 2 Vi também a cidade santa, a nova Jerusalém, que descia do céu, da parte de Deus, ataviada como noiva adornada para o seu esposo. 3 Então, ouvi grande voz vinda do trono, dizendo: Eis o tabernáculo de Deus com os homens. Deus habitará com eles. Eles serão povos de Deus, e Deus mesmo estará com eles.E lhes enxugará dos olhos toda lágrima, e a morte já não existirá, já não haverá luto, nem pranto, nem dor, porque as primeiras coisas passaram.E aquele que está assentado no trono disse: Eis que faço novas todas as coisas. E acrescentou: Escreve, porque estas palavras são fiéis e verdadeiras.”

Apocalipse (22:1-5 ARA)2: “1 Então, me mostrou o rio da água da vida, brilhante como cristal, que sai do trono de Deus e do Cordeiro. 2 No meio da sua praça, de uma e outra margem do rio, está a árvore da vida, que produz doze frutos, dando o seu fruto de mês em mês, e as folhas da árvore são para a cura dos povos. 3 Nunca mais haverá qualquer maldição. Nela, estará o trono de Deus e do Cordeiro. Os seus servos o servirão, 4 contemplarão a sua face, e na sua fronte está o nome dele. 5 Então, já não haverá noite, nem precisam eles de luz de candeia, nem da luz do sol, porque o Senhor Deus brilhará sobre eles, e reinarão pelos séculos dos séculos.”

“As descrições bíblicas da vida após o pecado são indiscutivelmente maravilhosas e gloriosas e, sem dúvida, representam somente em parte o que nos espera. Mesmo nesses versículos, as descrições tratam quase tanto do que não haverá ali quanto do que haverá. Visto que esse mundo é tudo o que conhecemos, é difícil imaginar a vida sem dor, sofrimento, morte, medo, injustiça nem pobreza.”1

“Ali, não apenas não haverá mais essas coisas, mas a descrição do Apocalipse acrescenta um toque pessoal: ‘E lhes enxugará dos olhos toda lágrima’ (Ap 21:4). No contexto dos salvos, a compaixão de Deus pelos que sofreram ao longo da história humana atinge um clímax nessa sentença. O Senhor não apenas acabará com o sofrimento deles, mas também enxugará suas lágrimas.”1

“Feridos e marcados por uma vida de pecado e um mundo de injustiças e tragédias, podemos ver no livro do Apocalipse um processo de cura para todos os que foram vítimas do pecado de diversas maneiras. Descrevendo a árvore da vida, João explicou que ‘as folhas da árvore são para a cura dos povos’ (Ap 22:2). Mais uma vez, Deus mostrará Sua compaixão pelo ser humano, que sente, experimenta, testemunha e sofre o mal neste mundo. Seu plano de recriar a Terra inclui restaurar e curar cada um de nós.”1

“Até esse tempo, busquemos ser tudo o que podemos em Cristo, fazendo nossa parte, por mais que ela seja pequena, a fim de ministrar àqueles que precisam do que temos para oferecer. Seja o que for – palavras gentis, uma refeição quente, ajuda médica, atendimento odontológico, roupas ou aconselhamento – devemos fazê-lo com o amor abnegado que Jesus manifestou quando esteve aqui.”1

“Evidentemente, o mundo ainda vai piorar cada vez mais, apesar dos nossos melhores esforços. Jesus sabia disso; no entanto, essa verdade não O impediu de ministrar aos outros, e isso também não deve nos impedir.”1

Quinta-feira, 12 de setembro de 2019. Saiba mais, faça um Curso Bíblico

_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. “Meus pequeninos irmãos”: servindo aos necessitados. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 496, jul. ago. set. 2019. Adulto, Professor. 
2 BÍBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

“Faço novas todas as coisas” – Estudo adicional

Lições da Bíblia

Assista em vídeo a discussão do tema da semana.

Estudo adicional

“Leia o capítulo ‘Diante do Supremo Tribunal’, do livro Parábolas de Jesus, p. 307-319, e o capítulo ‘O Final e Glorioso Triunfo’, do livro O Grande Conflito, p. 662-678, de Ellen G. White.”1

“O livro do Apocalipse conclui com o que foi apresentado no início: a segunda vinda de Cristo em poder e glória e o estabelecimento do reino eterno de Deus. O retorno de Jesus, quando Ele finalmente Se unirá à Sua noiva, é o ponto culminante do livro.”1

“No entanto, o livro não deseja colocar esses eventos em um contexto fora da realidade. A breve volta de Jesus é a primeira realidade. A segunda é que ainda estamos aqui aguardando Seu retorno. Enquanto esperamos, devemos ter uma compreensão clara das mensagens do Apocalipse, e podemos obter isso lendo e estudando o livro repetidamente até que venha o fim de todas as coisas. Nessa espera, as mensagens do Apocalipse constantemente nos lembram de não olhar para as coisas do mundo e nos motivam a fixar nossos olhos no Céu e Naquele que é nossa única esperança. O Cristo do Apocalipse é a resposta para os anseios humanos. Nosso futuro e o futuro deste mundo estão nas mãos de Deus.”1

“O livro também nos lembra de que, antes que venha o fim, somos encarregados de proclamar a todo o mundo a mensagem do breve retorno de Cristo. Nossa espera não é passiva, mas ativa. Tanto o Espírito quanto a noiva dizem: ‘Vem!’ (Ap 22:17). Devemos nos unir a esse movimento e fazer esse chamado. São boas-novas e, como tais, devem ser anunciadas ao mundo.”1

Perguntas para discussão

“1. Os salvos terão mil anos para que as suas perguntas sejam respondidas. Então Deus trará o castigo final aos perdidos. O que essa verdade nos revela sobre Deus?”1

“2. Em Apocalipse 1:3, estão registradas bênçãos a quem lê, ouve e guarda as palavras da profecia. Quais coisas você precisa guardar?”1

Sexta-feira, 29 de março de 2019. Saiba mais, ouça o Comentário em áudio da Lição da Escola Sabatina (LES) ou se preferir faça um Curso Bíblico.
_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. O livro do Apocalipse. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 495, jan. fev. mar. 2019. Adulto, Professor.

“Um novo Céu e uma nova Terra”

Lições da Bíblia

“Após a erradicação do pecado, a Terra será transformada no lar dos remidos. Como ela será?”1

“Em Apocalipse 21:1, João relata a visão de ‘um novo Céu e uma nova Terra’ (NVI). A Bíblia faz referência a três céus: o firmamento, o espaço sideral e o lugar em que Deus habita (veja 2Co 12:2 [‘Conheço um homem em Cristo que, há catorze anos, foi arrebatado até ao terceiro céu (se no corpo ou fora do corpo, não sei, Deus o sabe)’]). Em Apocalipse 21:1, há uma referência à atmosfera da Terra. O planeta contaminado e o Céu não poderão suportar a presença de Deus (Ap 20:11). Em grego, a palavra ‘novo’ (kainós) se refere a algo novo em qualidade, não em origem nem em tempo. Este planeta será purificado pelo fogo e restaurado ao seu estado original (2Pe 3:10-13).”1

“A primeira coisa observada por João na nova Terra foi que não havia mar, o que é especialmente interessante. O fato de João ter se referido ‘[ao] mar’ (com o artigo definido) mostra que ele provavelmente tivesse em mente o mar que o cercava em Patmos, que havia se tornado um símbolo de separação e sofrimento. Para João, a ausência desse mar na nova Terra significava a ausência da dor causada por sua separação daqueles a quem ele amava.”1

“5. Leia Apocalipse 21:2-8 e 7:15-17. Quais paralelos existem na descrição da nova Terra e do Jardim do Éden, em Gênesis 2?”1

Apocalipse (21:2-8 ARA)2: “2 Vi também a cidade santa, a nova Jerusalém, que descia do céu, da parte de Deus, ataviada como noiva adornada para o seu esposo. 3 Então, ouvi grande voz vinda do trono, dizendo: Eis o tabernáculo de Deus com os homens. Deus habitará com eles. Eles serão povos de Deus, e Deus mesmo estará com eles. 4 E lhes enxugará dos olhos toda lágrima, e a morte já não existirá, já não haverá luto, nem pranto, nem dor, porque as primeiras coisas passaram. 5 E aquele que está assentado no trono disse: Eis que faço novas todas as coisas. E acrescentou: Escreve, porque estas palavras são fiéis e verdadeiras. 6 Disse-me ainda: Tudo está feito. Eu sou o Alfa e o Ômega, o Princípio e o Fim. Eu, a quem tem sede, darei de graça da fonte da água da vida. 7 O vencedor herdará estas coisas, e eu lhe serei Deus, e ele me será filho. 8 Quanto, porém, aos covardes, aos incrédulos, aos abomináveis, aos assassinos, aos impuros, aos feiticeiros, aos idólatras e a todos os mentirosos, a parte que lhes cabe será no lago que arde com fogo e enxofre, a saber, a segunda morte.

Apocalipse (7:15-17 ARA)2: “15 razão por que se acham diante do trono de Deus e o servem de dia e de noite no seu santuário; e aquele que se assenta no trono estenderá sobre eles o seu tabernáculo. 16 Jamais terão fome, nunca mais terão sede, não cairá sobre eles o sol, nem ardor algum, 17 pois o Cordeiro que se encontra no meio do trono os apascentará e os guiará para as fontes da água da vida. E Deus lhes enxugará dos olhos toda lágrima.1

“A presença de Deus entre Seu povo garantirá uma vida sem sofrimento e sem morte na Terra renovada. Essa presença se manifestará na Nova Jerusalém, e o ‘tabernáculo de Deus’ (Ap 21:3), onde Ele habitará entre Seu povo. A presença do Senhor tornará a vida na Terra renovada verdadeiramente um paraíso.”1

“A presença de Deus garantirá a libertação do sofrimento. Não haverá mais lágrimas, morte, tristeza, choro nem dor, que são consequências do pecado. Com a erradicação do pecado, ‘as primeiras coisas’ terão passado (Ap 21:4).”1

“Essa ideia foi bem articulada por Maria e Marta na morte de seu irmão Lázaro: ‘Senhor, se estivesses aqui meu irmão não teria morrido’ (Jo 11:21, NVI). As irmãs sabiam que a morte não podia existir na presença de Cristo. Da mesma forma, a presença permanente de Deus na nova Terra assegurará a libertação da dor e do sofrimento que experimentamos nesta vida. Essa é a grande esperança que nos foi prometida em Cristo, uma esperança selada com Seu sangue.”1

“Por que essa promessa de uma nova existência em um mundo novo é tão central para nossa crença? Sem ela, de que serviria nossa fé?”1

Quarta-feira, 27 de março de 2019. Saiba mais, ouça o Comentário em áudio da Lição da Escola Sabatina (LES) ou se preferir faça um Curso Bíblico.
_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. O livro do Apocalipse. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 495, jan. fev. mar. 2019. Adulto, Professor.
2 BIBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

Restauração final da unidade – Estudo adicional

Lições da Bíblia

Assista em vídeo a discussão do tema da semana.

Estudo adicional

Leia, de Ellen G. White, “Eis que venho sem demora”, p. 355-359, em Conselhos Para a Igreja; “Resurrection” [Ressurreição], p. 1082-1084 e “Heaven and New Earth” [O Céu e a Nova Terra], p. 863, 864, em Ellen G. White Encyclopedia.1

“A ressurreição e ascensão de nosso Senhor é uma prova segura do triunfo final dos santos de Deus sobre a morte e a sepultura, e um penhor de que o Céu está aberto para os que lavaram as vestes do caráter e as branquearam no sangue do Cordeiro. […] Deus levará os que refletem Sua imagem a contemplar Sua glória e dela participar.”1

“Há ali casas para os peregrinos da Terra. Há vestes para os justos, com coroas de glória e palmas de vitória. Tudo quanto nos tem confundido acerca das providências de Deus será esclarecido no mundo vindouro. As coisas difíceis de serem compreendidas terão então explicação. Os mistérios da graça nos serão desvendados. Naquilo em que nossa mente finita só via confusão e promessas desfeitas, veremos a mais perfeita e bela harmonia. […]” (Ellen G. White, Conselhos Para a Igreja, p. 358).1

Perguntas para discussão

“1. Quanto à segunda vinda de Jesus, qual é a singularidade da esperança adventista?”1

“2. Dois peixes estavam nadando quando um perguntou ao outro: ‘Como está a água?’ O outro respondeu: ‘O que é água?’ Podemos nos acostumar tanto com as coisas que não percebemos que elas são predominantes. Sendo pecadores, como compreender a existência que teremos no Céu? Apesar das limitações, por que devemos tentar imaginar como ela será?”1

“3. Evidentemente, seja como for nossa existência na nova Terra, viveremos em unidade com todos. O que podemos fazer para nos preparar para essa realidade?”1

“Resumo: A Bíblia fala com confiança do tempo em que a Terra será recriada e as ruínas do pecado serão eliminadas. Finalmente, a humanidade será restaurada ao seu propósito original, e todos viverão em harmonia. Nossa atual unidade espiritual em Cristo, embora ainda não plenamente percebida, será então uma realidade viva e eterna.”1

Sexta-feira, 28 de dezembro de 2018. Saiba mais, ouça o Comentário em áudio da Lição da Escola Sabatina (LES) ou se preferir faça um Curso Bíblico.
_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. Unidade em Cristo. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 494, out. nov. dez. 2018. Adulto, Professor.

Vida na nova Terra

Lições da Bíblia

“7. De acordo com Isaías 35:4-10; 65:21-25, em que sentido a vida futura será diferente da que experimentamos hoje?”1

Isaías (35:4-10 ARA)2: “4 Dizei aos desalentados de coração: Sede fortes, não temais. Eis o vosso Deus. A vingança vem, a retribuição de Deus; ele vem e vos salvará. 5 Então, se abrirão os olhos dos cegos, e se desimpedirão os ouvidos dos surdos; 6 os coxos saltarão como cervos, e a língua dos mudos cantará; pois águas arrebentarão no deserto, e ribeiros, no ermo. 7 A areia esbraseada se transformará em lagos, e a terra sedenta, em mananciais de águas; onde outrora viviam os chacais, crescerá a erva com canas e juncos. 8 E ali haverá bom caminho, caminho que se chamará o Caminho Santo; o imundo não passará por ele, pois será somente para o seu povo; quem quer que por ele caminhe não errará, nem mesmo o louco. 9 Ali não haverá leão, animal feroz não passará por ele, nem se achará nele; mas os remidos andarão por ele. 10 Os resgatados do SENHOR voltarão e virão a Sião com cânticos de júbilo; alegria eterna coroará a sua cabeça; gozo e alegria alcançarão, e deles fugirá a tristeza e o gemido.

Isaías (65:21-25 ARA)2: “21 Eles edificarão casas e nelas habitarão; plantarão vinhas e comerão o seu fruto. 22 Não edificarão para que outros habitem; não plantarão para que outros comam; porque a longevidade do meu povo será como a da árvore, e os meus eleitos desfrutarão de todo as obras das suas próprias mãos. 23 Não trabalharão debalde, nem terão filhos para a calamidade, porque são a posteridade bendita do SENHOR, e os seus filhos estarão com eles. 24 E será que, antes que clamem, eu responderei; estando eles ainda falando, eu os ouvirei. 25 O lobo e o cordeiro pastarão juntos, e o leão comerá palha como o boi; pó será a comida da serpente. Não se fará mal nem dano algum em todo o meu santo monte, diz o SENHOR.

“No livro de Isaías, lemos diversas vezes sobre algo novo: ‘novas coisas’ (42:9; 48:6), ‘cântico novo’ (42:10), ‘coisa nova’ (43:19), ‘um nome novo’ (62:2). O capítulo 65 traz uma nova ordem de coisas. Haverá paz e harmonia entre todas as criaturas de Deus. As maldições da aliança na Terra por causa da desobediência e rebelião (veja Lv 26:14-17; Dt 28:30) serão canceladas para sempre, pois não haverá mais pecado. Em vez disso, haverá abundância de bênçãos, casas para morar e comida para apreciar.”1

“Como será a vida em um lugar tão lindo? Algumas pessoas se perguntam se poderemos reconhecer nossos amigos e familiares, depois que nosso corpo receber a imortalidade e for totalmente restaurado à imagem de Deus. Após a ressurreição de Cristo, Seus discípulos foram capazes de reconhecê-Lo. Maria reconheceu Sua voz (Jo 20:11-16). Tomé reconheceu a aparência física de Jesus (Jo 20:27, 28). Os dois discípulos de Emaús reconheceram Seus trejeitos na mesa de jantar (Lc 24:30, 31, 35). Portanto, visto que nosso corpo deverá ser semelhante ao corpo ressuscitado de Cristo, certamente poderemos nos reconhecer e aguardar com ansiedade toda uma eternidade de relacionamentos restaurados. Seguramente podemos supor que continuaremos nossa convivência com os que conhecemos, amamos e que estarão lá conosco.”1

“‘Ali os remidos conhecerão como são conhecidos. O amor e simpatias que o próprio Deus plantou no coração encontrarão ali o mais verdadeiro e suave exercício. A comunhão pura com os seres santos, a vida social harmoniosa com os bem-aventurados anjos e com os fiéis de todos os tempos, que lavaram suas vestes e as branquearam no sangue do Cordeiro, os sagrados laços que reúnem ‘toda a família nos Céus e na Terra (Ef 3:15, ARC) – tudo isso concorre para constituir a felicidade dos remidos’ (Ellen G. White, O Grande Conflito, p. 677).”

“‘Por isso, não desanimamos […]. Porque a nossa leve e momentânea tribulação produz para nós eterno peso de glória, acima de toda comparação, não atentando nós nas coisas que se veem, mas nas que se não veem; porque as que se veem são temporais, e as que se não veem são eternas’ (2Co 4:16-18). Neste mundo tão temporário e passageiro, como podemos alcançar e compreender o invisível e o eterno?”

Quinta-feira, 27 de dezembro de 2018. Saiba mais, ouça o Comentário em áudio da Lição da Escola Sabatina (LES) ou se preferir faça um Curso Bíblico.
_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. Unidade em Cristo. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 494, out. nov. dez. 2018. Adulto, Professor.
2 BIBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

Uma nova Terra para os remidos

Lições da Bíblia

“‘Eis que Eu crio novos céus e nova Terra; e não haverá lembrança das coisas passadas, jamais haverá memória delas’ (Is 65:17). Isaías e João (Ap 21:1) tiveram uma visão da nova Terra prometida aos salvos.

5 Considere a descrição da Nova Jerusalém, em Apocalipse 21:2, 9-27. O que esses textos sugerem sobre a unidade e harmonia que existirão ali?

Apocalipse (21:2, 9-27 ARA)2: “2 Vi também a cidade santa, a nova Jerusalém, que descia do céu, da parte de Deus, ataviada como noiva adornada para o seu esposo. […] 9 Então, veio um dos sete anjos que têm as sete taças cheias dos últimos sete flagelos e falou comigo, dizendo: Vem, mostrar-te-ei a noiva, a esposa do Cordeiro; 10 e me transportou, em espírito, até a uma grande e elevada montanha e me mostrou a santa cidade, Jerusalém, que descia do céu, da parte de Deus, 11 a qual tem a glória de Deus. O seu fulgor era semelhante a uma pedra preciosíssima, como pedra de jaspe cristalina. 12 Tinha grande e alta muralha, doze portas, e, junto às portas, doze anjos, e, sobre elas, nomes inscritos, que são os nomes das doze tribos dos filhos de Israel. 13 Três portas se achavam a leste, três, ao norte, três, ao sul, e três, a oeste. 14 A muralha da cidade tinha doze fundamentos, e estavam sobre estes os doze nomes dos doze apóstolos do Cordeiro. 15 Aquele que falava comigo tinha por medida uma vara de ouro para medir a cidade, as suas portas e a sua muralha. 16 A cidade é quadrangular, de comprimento e largura iguais. E mediu a cidade com a vara até doze mil estádios. O seu comprimento, largura e altura são iguais. 17 Mediu também a sua muralha, cento e quarenta e quatro côvados, medida de homem, isto é, de anjo. 18 A estrutura da muralha é de jaspe; também a cidade é de ouro puro, semelhante a vidro límpido. 19 Os fundamentos da muralha da cidade estão adornados de toda espécie de pedras preciosas. O primeiro fundamento é de jaspe; o segundo, de safira; o terceiro, de calcedônia; o quarto, de esmeralda; 20 o quinto, de sardônio; o sexto, de sárdio; o sétimo, de crisólito; o oitavo, de berilo; o nono, de topázio; o décimo, de crisópraso; o undécimo, de jacinto; e o duodécimo, de ametista. 21 As doze portas são doze pérolas, e cada uma dessas portas, de uma só pérola. A praça da cidade é de ouro puro, como vidro transparente. 22 Nela, não vi santuário, porque o seu santuário é o Senhor, o Deus Todo-Poderoso, e o Cordeiro. 23 A cidade não precisa nem do sol, nem da lua, para lhe darem claridade, pois a glória de Deus a iluminou, e o Cordeiro é a sua lâmpada. 24 As nações andarão mediante a sua luz, e os reis da terra lhe trazem a sua glória. 25 As suas portas nunca jamais se fecharão de dia, porque, nela, não haverá noite. 26 E lhe trarão a glória e a honra das nações. 27 Nela, nunca jamais penetrará coisa alguma contaminada, nem o que pratica abominação e mentira, mas somente os inscritos no Livro da Vida do Cordeiro.

6 Leia Apocalipse 22:1-5. O rio da água da vida que flui do trono de Deus e a árvore da vida que se estende sobre ele são duas outras características importantes da nova cidade. Qual será o propósito deles na nova Terra? Assinale ‘V’ para verdadeiro ou ‘F’ para falso:

Apocalipse (22:1-5 ARA)2: “1 Então, me mostrou o rio da água da vida, brilhante como cristal, que sai do trono de Deus e do Cordeiro. 2 No meio da sua praça, de uma e outra margem do rio, está a árvore da vida, que produz doze frutos, dando o seu fruto de mês em mês, e as folhas da árvore são para a cura dos povos. 3 Nunca mais haverá qualquer maldição. Nela, estará o trono de Deus e do Cordeiro. Os seus servos o servirão, 4 contemplarão a sua face, e na sua fronte está o nome dele. 5 Então, já não haverá noite, nem precisam eles de luz de candeia, nem da luz do sol, porque o Senhor Deus brilhará sobre eles, e reinarão pelos séculos dos séculos.

A (  ) A árvore da vida servirá para enfeitar a cidade.
B (  ) As folhas da árvore da vida servirão para a cura das nações.

Resposta sugestiva: Alternativa B.

“A árvore da vida, à qual Adão perdeu o acesso mediante sua transgressão (Gn 3:22-24), será restaurada por Cristo na Nova Jerusalém. O acesso a essa árvore é uma das promessas aos vencedores (Ap 2:7). O fato de que ela produz doze espécies de frutos, uma nova espécie a cada mês, sugere uma razão para a profecia de Isaías sobre a nova Terra: ‘De uma Festa da Lua Nova à outra e de um sábado a outro, virá toda a carne a adorar perante Mim, diz o Senhor’ (Is 66:23). A referência à ‘cura das nações’ também ressalta a intenção de Deus de remover todas as barreiras entre os povos e de restaurar a humanidade ao seu propósito original: restaurar todos povos, tribos e nações em uma família indivisível, vivendo em harmonia e paz, unida para glorificar a Deus.”1

“‘A cura das nações’ se refere figurativamente à remoção das barreiras nacionais e linguísticas e separação […]. As folhas da árvore da vida curarão a ruptura entre as nações. As nações não mais serão ‘gentílicas’, mas estarão unidas em uma só família como o verdadeiro povo de Deus (compare com 21:24-26). O que Miqueias previu séculos antes será cumprido: ‘Nenhuma nação erguerá a espada contra outra, e não aprenderão mais a guerra. Todo homem poderá sentar-se debaixo da sua videira e debaixo da sua figueira, e ninguém o incomodará’ (Mq 4:3, 4, NVI; compare com Is 2:4). Nas margens do rio da água da vida, os remidos convidarão ‘seu próximo para assentar-se’ (Zc 3:10) com eles debaixo da árvore da vida. A propriedade curativa das folhas da árvore cicatrizará as feridas – étnicas, tribais ou linguísticas – que têm dividido a humanidade por anos’ (Ranko Stefanovic, Revelation of Jesus Christ: Commentary on the Book of Revelation, p. 593).”

Quarta-feira, 26 de dezembro de 2018. Saiba mais, ouça o Comentário em áudio da Lição da Escola Sabatina (LES) ou se preferir faça um Curso Bíblico.
_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. Unidade em Cristo. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 494, out. nov. dez. 2018. Adulto, Professor.
2 BIBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

Novo céu e nova Terra

Lições da Bíblia

“Opecado e a rebelião têm sido intrusos. Nunca deviam ter existido aqui. Causaram grande dano, mas quando a causa desse dano não mais existir, será tempo de restaurar tudo à perfeição. Só quando isso acontecer é que o grande conflito estará terminado.”1

“4. Leia Apocalipse 21:1, 2, 9, 10; 22:1-3. Quais são as principais características da descrição de João? O que elas significam?”1 1 Vi novo céu e nova terra, pois o primeiro céu e a primeira terra passaram, e o mar já não existe. 2 Vi também a cidade santa, a nova Jerusalém, que descia do céu, da parte de Deus, ataviada como noiva adornada para o seu esposo. […] 9 Então, veio um dos sete anjos que têm as sete taças cheias dos últimos sete flagelos e falou comigo, dizendo: Vem, mostrar-te-ei a noiva, a esposa do Cordeiro; 10 e me transportou, em espírito, até a uma grande e elevada montanha e me mostrou a santa cidade, Jerusalém, que descia do céu, da parte de Deus,” (Apocalipse 21:1, 2, 9, 10 ARA)2.  “1 Então, me mostrou o rio da água da vida, brilhante como cristal, que sai do trono de Deus e do Cordeiro. 2 No meio da sua praça, de uma e outra margem do rio, está a árvore da vida, que produz doze frutos, dando o seu fruto de mês em mês, e as folhas da árvore são para a cura dos povos. 3 Nunca mais haverá qualquer maldição. Nela, estará o trono de Deus e do Cordeiro. Os seus servos o servirão,” (Apocalipse 22:1-3 ARA)2. “Não haverá mais tristezas, nem separação das pessoas que amamos. A cidade estará em festa para receber Cristo e reinaremos com Ele. Na nova Jerusalém não entrará a maldição do pecado.”1

“Quando João descreve o novo céu e a nova Terra, está repetindo o que Pedro disse: ‘Os céus passarão com estrepitoso estrondo, e os elementos se desfarão abrasados’ (2Pe 3:10). Como sabemos muito bem, a Terra precisa desesperadamente de mais do que uma simples renovação. Tudo aqui ficará completamente destruído, o que vai dar lugar para uma existência inteiramente nova.”1

“João falou também que o mar já não existirá (Ap 21:1). Ele escreveu isso de uma ilha-prisão (Patmos), onde o mar o impedia de escapar. Mesmo num barco moderno, leva horas para se chegar à ilha em que João escreveu essas palavras. Na Nova Terra não mais haverá nenhum tipo de barreira que impeça os redimidos de se locomoverem livremente ou de ver seus queridos.”1

“A Nova Jerusalém parece incrivelmente espetacular. É descrita em termos de uma cidade dos tempos bíblicos porque essa era toda a realidade que João conhecia. Contudo, as impressões dos artistas que a ilustram com uma arquitetura romana do primeiro século d.C. lhe prestam um grande desserviço, porque essa é uma cidade ‘da qual Deus é o arquiteto e edificador’ (Hb 11:10).”1

“Nossa mente mal pode captar essas descrições. Mas como é prazeroso deixar nossa imaginação se demorar naquilo que nos espera! Mal podemos começar a imaginar. Além disso, as grandes dimensões da cidade nos informam que não há escassez de espaço; há lugar para todos.”1

“Olhe ao redor a beleza do mundo natural e considere o que ela diz sobre o caráter de Deus, apesar das devastações causadas pelo pecado. Como essa visão nos inspira a confiar na esperança do que ainda não vemos?”1

Hoje teremos a quinta noite da Semana Santa. Vá ao pequeno grupo e aprenda mais sobre a “ComPaixão” de Cristo.
Envolva-se e seja abençoado!

Quarta-feira, 23 de março de 2016. Saiba mais, ouça o Comentário em áudio  da Lição da Escola Sabatina (LES) ou se pref//8ça um Curso Bíblico.

__________________

1 LIÇÕES da escola sabatina. Rebelião e redenção. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 484, Jan. Fev. Mar. 2016. Adulto, Professor.

2 BIBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.