“Faço novas todas as coisas” – Estudo adicional

Lições da Bíblia

Assista em vídeo a discussão do tema da semana.

Estudo adicional

“Leia o capítulo ‘Diante do Supremo Tribunal’, do livro Parábolas de Jesus, p. 307-319, e o capítulo ‘O Final e Glorioso Triunfo’, do livro O Grande Conflito, p. 662-678, de Ellen G. White.”1

“O livro do Apocalipse conclui com o que foi apresentado no início: a segunda vinda de Cristo em poder e glória e o estabelecimento do reino eterno de Deus. O retorno de Jesus, quando Ele finalmente Se unirá à Sua noiva, é o ponto culminante do livro.”1

“No entanto, o livro não deseja colocar esses eventos em um contexto fora da realidade. A breve volta de Jesus é a primeira realidade. A segunda é que ainda estamos aqui aguardando Seu retorno. Enquanto esperamos, devemos ter uma compreensão clara das mensagens do Apocalipse, e podemos obter isso lendo e estudando o livro repetidamente até que venha o fim de todas as coisas. Nessa espera, as mensagens do Apocalipse constantemente nos lembram de não olhar para as coisas do mundo e nos motivam a fixar nossos olhos no Céu e Naquele que é nossa única esperança. O Cristo do Apocalipse é a resposta para os anseios humanos. Nosso futuro e o futuro deste mundo estão nas mãos de Deus.”1

“O livro também nos lembra de que, antes que venha o fim, somos encarregados de proclamar a todo o mundo a mensagem do breve retorno de Cristo. Nossa espera não é passiva, mas ativa. Tanto o Espírito quanto a noiva dizem: ‘Vem!’ (Ap 22:17). Devemos nos unir a esse movimento e fazer esse chamado. São boas-novas e, como tais, devem ser anunciadas ao mundo.”1

Perguntas para discussão

“1. Os salvos terão mil anos para que as suas perguntas sejam respondidas. Então Deus trará o castigo final aos perdidos. O que essa verdade nos revela sobre Deus?”1

“2. Em Apocalipse 1:3, estão registradas bênçãos a quem lê, ouve e guarda as palavras da profecia. Quais coisas você precisa guardar?”1

Sexta-feira, 29 de março de 2019. Saiba mais, ouça o Comentário em áudio da Lição da Escola Sabatina (LES) ou se preferir faça um Curso Bíblico.
_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. O livro do Apocalipse. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 495, jan. fev. mar. 2019. Adulto, Professor.

A nova Jerusalém

Lições da Bíblia

“Então João descreveu a capital da nova Terra, a nova Jerusalém. Embora seja um lugar real habitado por pessoas reais, a nova Jerusalém e a vida ali estão além de qualquer descrição terrestre (veja 1Co 2:9 [‘mas, como está escrito: Nem olhos viram, nem ouvidos ouviram, nem jamais penetrou em coração humano o que Deus tem preparado para aqueles que o amam.’]2).”1

“6. Leia Apocalipse 21:9-21. Quais são as características exteriores da nova Jerusalém?”1

Apocalipse (21:9-21 ARA): “9 Então, veio um dos sete anjos que têm as sete taças cheias dos últimos sete flagelos e falou comigo, dizendo: Vem, mostrar-te-ei a noiva, a esposa do Cordeiro; 10 e me transportou, em espírito, até a uma grande e elevada montanha e me mostrou a santa cidade, Jerusalém, que descia do céu, da parte de Deus, 11 a qual tem a glória de Deus. O seu fulgor era semelhante a uma pedra preciosíssima, como pedra de jaspe cristalina. 12 Tinha grande e alta muralha, doze portas, e, junto às portas, doze anjos, e, sobre elas, nomes inscritos, que são os nomes das doze tribos dos filhos de Israel. 13 Três portas se achavam a leste, três, ao norte, três, ao sul, e três, a oeste. 14 A muralha da cidade tinha doze fundamentos, e estavam sobre estes os doze nomes dos doze apóstolos do Cordeiro. 15 Aquele que falava comigo tinha por medida uma vara de ouro para medir a cidade, as suas portas e a sua muralha. 16 A cidade é quadrangular, de comprimento e largura iguais. E mediu a cidade com a vara até doze mil estádios. O seu comprimento, largura e altura são iguais. 17 Mediu também a sua muralha, cento e quarenta e quatro côvados, medida de homem, isto é, de anjo. 18 A estrutura da muralha é de jaspe; também a cidade é de ouro puro, semelhante a vidro límpido. 19 Os fundamentos da muralha da cidade estão adornados de toda espécie de pedras preciosas. O primeiro fundamento é de jaspe; o segundo, de safira; o terceiro, de calcedônia; o quarto, de esmeralda; 20 o quinto, de sardônio; o sexto, de sárdio; o sétimo, de crisólito; o oitavo, de berilo; o nono, de topázio; o décimo, de crisópraso; o undécimo, de jacinto; e o duodécimo, de ametista. 21 As doze portas são doze pérolas, e cada uma dessas portas, de uma só pérola. A praça da cidade é de ouro puro, como vidro transparente.

“A nova Jerusalém é referida como a noiva, a esposa do Cordeiro. Essa cidade é o lugar que Cristo está preparando para Seu povo (Jo 14:1-3).”1

“A cidade é cercada por uma alta muralha com 12 portas: três portas em cada lado, possibilitando a entrada a partir de todas as direções. Essa característica indica o escopo universal da cidade. Na nova Jerusalém, todos terão acesso ilimitado à presença de Deus.”1

“A cidade é ainda representada como um cubo perfeito; são 12 mil estádios de comprimento, largura e altura. O cubo é composto por seis faces e 12 arestas. Portanto, a cidade totaliza 144 mil estádios, que refletem os 144 mil que são trasladados sem passar pela morte na segunda vinda de Jesus. No templo do Antigo Testamento, o lugar santíssimo era um cubo perfeito (1Rs 6:20). Portanto, a nova Jerusalém funciona como o centro de adoração a Deus.”1

“7. Leia Apocalipse 21:21-22:5. Quais características interiores da cidade o fazem lembrar do Jardim do Éden? Qual é a importância da promessa de que não haverá mais maldição na cidade (Ap 22:3)?”1

Apocalipse (21:21-22:5 ARA)2: “21 As doze portas são doze pérolas, e cada uma dessas portas, de uma só pérola. A praça da cidade é de ouro puro, como vidro transparente. 22 Nela, não vi santuário, porque o seu santuário é o Senhor, o Deus Todo-Poderoso, e o Cordeiro. 23 A cidade não precisa nem do sol, nem da lua, para lhe darem claridade, pois a glória de Deus a iluminou, e o Cordeiro é a sua lâmpada. 24 As nações andarão mediante a sua luz, e os reis da terra lhe trazem a sua glória. 25 As suas portas nunca jamais se fecharão de dia, porque, nela, não haverá noite. 26 E lhe trarão a glória e a honra das nações. 27 Nela, nunca jamais penetrará coisa alguma contaminada, nem o que pratica abominação e mentira, mas somente os inscritos no Livro da Vida do Cordeiro. […] 1 Então, me mostrou o rio da água da vida, brilhante como cristal, que sai do trono de Deus e do Cordeiro. 2 No meio da sua praça, de uma e outra margem do rio, está a árvore da vida, que produz doze frutos, dando o seu fruto de mês em mês, e as folhas da árvore são para a cura dos povos. 3 Nunca mais haverá qualquer maldição. Nela, estará o trono de Deus e do Cordeiro. Os seus servos o servirão, 4 contemplarão a sua face, e na sua fronte está o nome dele. 5 Então, já não haverá noite, nem precisam eles de luz de candeia, nem da luz do sol, porque o Senhor Deus brilhará sobre eles, e reinarão pelos séculos dos séculos.

Apocalipse (22:3 ARA)2: “Nunca mais haverá qualquer maldição. Nela, estará o trono de Deus e do Cordeiro. Os seus servos o servirão,

“A característica mais notável da nova Jerusalém é o rio da água da vida que flui do trono de Deus (veja Gn 2:10 [‘E saía um rio do Éden para regar o jardim e dali se dividia, repartindo-se em quatro braços.’]). Em contraste com o rio em Babilônia, em que o povo de Deus se assentava como cativos, com saudades de Jerusalém (Sl 137), nas margens do rio da vida na nova Jerusalém o peregrino povo de Deus de todos séculos encontra seu lar.”1

“Em ambas as margens do rio, está a árvore da vida, com suas folhas para ‘a cura das nações’ (Ap 22:2). Essa cura não se refere à doença, visto que na nova Terra não haverá enfermidades. Ela se refere à cura de todas as feridas causadas pelas barreiras que separaram as pessoas ao longo da história. Os remidos de todas as eras e de todas as nações pertencerão a um só povo: a família de Deus.”1

Quinta-feira, 28 de março de 2019. Saiba mais, ouça o Comentário em áudio da Lição da Escola Sabatina (LES) ou se preferir faça um Curso Bíblico.
_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. O livro do Apocalipse. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 495, jan. fev. mar. 2019. Adulto, Professor.
2 BIBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

“Um novo Céu e uma nova Terra”

Lições da Bíblia

“Após a erradicação do pecado, a Terra será transformada no lar dos remidos. Como ela será?”1

“Em Apocalipse 21:1, João relata a visão de ‘um novo Céu e uma nova Terra’ (NVI). A Bíblia faz referência a três céus: o firmamento, o espaço sideral e o lugar em que Deus habita (veja 2Co 12:2 [‘Conheço um homem em Cristo que, há catorze anos, foi arrebatado até ao terceiro céu (se no corpo ou fora do corpo, não sei, Deus o sabe)’]). Em Apocalipse 21:1, há uma referência à atmosfera da Terra. O planeta contaminado e o Céu não poderão suportar a presença de Deus (Ap 20:11). Em grego, a palavra ‘novo’ (kainós) se refere a algo novo em qualidade, não em origem nem em tempo. Este planeta será purificado pelo fogo e restaurado ao seu estado original (2Pe 3:10-13).”1

“A primeira coisa observada por João na nova Terra foi que não havia mar, o que é especialmente interessante. O fato de João ter se referido ‘[ao] mar’ (com o artigo definido) mostra que ele provavelmente tivesse em mente o mar que o cercava em Patmos, que havia se tornado um símbolo de separação e sofrimento. Para João, a ausência desse mar na nova Terra significava a ausência da dor causada por sua separação daqueles a quem ele amava.”1

“5. Leia Apocalipse 21:2-8 e 7:15-17. Quais paralelos existem na descrição da nova Terra e do Jardim do Éden, em Gênesis 2?”1

Apocalipse (21:2-8 ARA)2: “2 Vi também a cidade santa, a nova Jerusalém, que descia do céu, da parte de Deus, ataviada como noiva adornada para o seu esposo. 3 Então, ouvi grande voz vinda do trono, dizendo: Eis o tabernáculo de Deus com os homens. Deus habitará com eles. Eles serão povos de Deus, e Deus mesmo estará com eles. 4 E lhes enxugará dos olhos toda lágrima, e a morte já não existirá, já não haverá luto, nem pranto, nem dor, porque as primeiras coisas passaram. 5 E aquele que está assentado no trono disse: Eis que faço novas todas as coisas. E acrescentou: Escreve, porque estas palavras são fiéis e verdadeiras. 6 Disse-me ainda: Tudo está feito. Eu sou o Alfa e o Ômega, o Princípio e o Fim. Eu, a quem tem sede, darei de graça da fonte da água da vida. 7 O vencedor herdará estas coisas, e eu lhe serei Deus, e ele me será filho. 8 Quanto, porém, aos covardes, aos incrédulos, aos abomináveis, aos assassinos, aos impuros, aos feiticeiros, aos idólatras e a todos os mentirosos, a parte que lhes cabe será no lago que arde com fogo e enxofre, a saber, a segunda morte.

Apocalipse (7:15-17 ARA)2: “15 razão por que se acham diante do trono de Deus e o servem de dia e de noite no seu santuário; e aquele que se assenta no trono estenderá sobre eles o seu tabernáculo. 16 Jamais terão fome, nunca mais terão sede, não cairá sobre eles o sol, nem ardor algum, 17 pois o Cordeiro que se encontra no meio do trono os apascentará e os guiará para as fontes da água da vida. E Deus lhes enxugará dos olhos toda lágrima.1

“A presença de Deus entre Seu povo garantirá uma vida sem sofrimento e sem morte na Terra renovada. Essa presença se manifestará na Nova Jerusalém, e o ‘tabernáculo de Deus’ (Ap 21:3), onde Ele habitará entre Seu povo. A presença do Senhor tornará a vida na Terra renovada verdadeiramente um paraíso.”1

“A presença de Deus garantirá a libertação do sofrimento. Não haverá mais lágrimas, morte, tristeza, choro nem dor, que são consequências do pecado. Com a erradicação do pecado, ‘as primeiras coisas’ terão passado (Ap 21:4).”1

“Essa ideia foi bem articulada por Maria e Marta na morte de seu irmão Lázaro: ‘Senhor, se estivesses aqui meu irmão não teria morrido’ (Jo 11:21, NVI). As irmãs sabiam que a morte não podia existir na presença de Cristo. Da mesma forma, a presença permanente de Deus na nova Terra assegurará a libertação da dor e do sofrimento que experimentamos nesta vida. Essa é a grande esperança que nos foi prometida em Cristo, uma esperança selada com Seu sangue.”1

“Por que essa promessa de uma nova existência em um mundo novo é tão central para nossa crença? Sem ela, de que serviria nossa fé?”1

Quarta-feira, 27 de março de 2019. Saiba mais, ouça o Comentário em áudio da Lição da Escola Sabatina (LES) ou se preferir faça um Curso Bíblico.
_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. O livro do Apocalipse. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 495, jan. fev. mar. 2019. Adulto, Professor.
2 BIBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

A ceia das bodas do Cordeiro

Lições da Bíblia

1 Leia Apocalipse 19:6-9 e João 14:1-3. Por que a ceia das bodas ilustram adequadamente a tão aguardada união entre Cristo e Seu povo?

Apocalipse (19:6-9 ARA)2: “6 Então, ouvi uma como voz de numerosa multidão, como de muitas águas e como de fortes trovões, dizendo: Aleluia! Pois reina o Senhor, nosso Deus, o Todo-Poderoso. 7 Alegremo-nos, exultemos e demos-lhe a glória, porque são chegadas as bodas do Cordeiro, cuja esposa a si mesma já se ataviou, 8 pois lhe foi dado vestir-se de linho finíssimo, resplandecente e puro. Porque o linho finíssimo são os atos de justiça dos santos. 9 Então, me falou o anjo: Escreve: Bem-aventurados aqueles que são chamados à ceia das bodas do Cordeiro. E acrescentou: São estas as verdadeiras palavras de Deus.

João (14:1-3 ARA)2: “1 Não se turbe o vosso coração; credes em Deus, crede também em mim. 2 Na casa de meu Pai há muitas moradas. Se assim não fora, eu vo-lo teria dito. Pois vou preparar-vos lugar. 3 E, quando eu for e vos preparar lugar, voltarei e vos receberei para mim mesmo, para que, onde eu estou, estejais vós também.

“Há dois mil anos, Cristo deixou Sua casa celestial para convidar Seus seguidores às bodas (Mt 22:1-14), que ocorreriam após Seu casamento com Sua noiva. ‘O casamento representa a recepção do reino por parte de Cristo. A santa cidade, a Nova Jerusalém […], é chamada ‘a esposa, a mulher do Cordeiro’ […]. No Apocalipse é dito que o povo de Deus são os convidados à ceia das bodas (Ap 19:9). Se são convidados, não podem ser também representados pela esposa […].”1

“‘A mesma figura do casamento é apresentada na parábola do capítulo 22 de Mateus, em que claramente se representa o juízo de investigação como ocorrendo antes das bodas. Antes das bodas o rei vem para ver os convidados (Mt 22:11), a fim de verificar se todos têm trajes nupciais, vestes imaculadas do caráter lavadas e embranquecidas no sangue do Cordeiro’ (Ap 7:14; Ellen G. White, O Grande Conflito, p. 426-428). Depois de Sua morte e ressurreição, o Noivo voltou à casa de Seu Pai para preparar um lugar para Seu povo, Seus convidados (veja Jo 14:2, 3). Eles permanecem na Terra se preparando para o retorno Dele. No fim deste mundo de pecado, Ele retornará para levá-los à casa de Seu Pai.”1

“Em Apocalipse 19:8, está escrito que Cristo entregou o linho finíssimo e puro à noiva. Isso mostra que os convidados para as bodas que entram na cidade não reivindicam nenhum mérito por suas obras. Portanto, o ‘linho finíssimo, resplandecente e puro’ representa ‘os atos de justiça dos santos’, provenientes de sua união com Cristo, que vive neles. Consequentemente, essas vestes simbolizam Sua justiça, e o fato de que Seu povo guarda ‘os mandamentos de Deus e a fé em Jesus’ (Ap 14:12). Enquanto esteve na Terra, Jesus contou uma parábola sobre um casamento. No entanto, um dos convidados preferiu usar suas próprias vestes em lugar das vestes nupciais oferecidas pelo rei, e foi, assim, expulso da festa (Mt 22:1-14).”

“Em Apocalipse 3:18, vemos que as vestes da justiça de Cristo, o ouro da fé e amor, e o colírio do Espírito Santo são a maior necessidade do povo de Deus que vive no tempo do fim. A oferta de Jesus aos laodiceanos para que eles comprem Dele essas dádivas nos mostram que Ele pede algo em troca daquilo que é oferecido. Devemos abandonar a autossuficiência e a confiança em nós mesmos por uma vida de obediência fiel a Cristo e confiança Nele como nossa única esperança de salvação.”1

“Embora não sejamos salvos por nossas obras, qual é a posição que os ‘atos justos’ ocupam em nossa vida? O que eles revelam sobre nossa salvação?”1

Domingo, 24 de março de 2019. Saiba mais, ouça o Comentário em áudio da Lição da Escola Sabatina (LES) ou se preferir faça um Curso Bíblico.
_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. O livro do Apocalipse. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 495, jan. fev. mar. 2019. Adulto, Professor.
2 BIBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

“Faço novas todas as coisas”

Lições da Bíblia

E Aquele que está assentado no trono disse: Eis que faço novas todas as coisas. E acrescentou: Escreve, porque estas palavras são fiéis e verdadeiras” (Ap 21:5).1

“A destruição da Babilônia do tempo do fim é má notícia para os que colaboraram com esse sistema religioso apóstata. No entanto, é uma boa notícia para o povo de Deus (Ap 19:1-7). Babilônia é a responsável por induzir os poderes políticos seculares a perseguir e a prejudicar os cristãos fiéis (Ap 18:24). A destruição dessa grande adversária significa libertação e salvação para o povo remanescente.”1

“Com a destruição de Babilônia, a oração do povo de Deus, na cena do quinto selo, é finalmente respondida. O clamor deles: ‘Até quando, ó Soberano Senhor?’ (Ap 6:10) representa a súplica dos fiéis oprimidos e sofredores desde Abel até o momento em que Cristo finalmente os vindicará (Sl 79:5; Hc 1:2; Dn 12:6, 7). O livro de Apocalipse assegura ao povo de Deus que o mal, a opressão e o sofrimento chegarão ao fim.”1

“Chegou então o tempo de Cristo inaugurar Seu reino eterno. Os capítulos restantes do Apocalipse descrevem não apenas a destruição da Babilônia do fim dos tempos, mas também a destruição de Satanás e de todo o mal. Também vislumbramos o estabelecimento do reino eterno de Deus.”1

Sábado, 23 de março de 2019. Saiba mais, ouça o Comentário em áudio da Lição da Escola Sabatina (LES) ou se preferir faça um Curso Bíblico.
_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. O livro do Apocalipse. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 495, jan. fev. mar. 2019. Adulto, Professor.

O juízo de Babilônia

Lições da Bíblia

“7. Leia Apocalipse 16:14-16 e 17:12-15. O que esses textos declaram sobre os ‘dez reis’? Assinale ‘V’ para verdadeiro ou ‘F’ para falso:”1

Apocalipse (16:14-16 ARA)2: “14 porque eles são espíritos de demônios, operadores de sinais, e se dirigem aos reis do mundo inteiro com o fim de ajuntá-los para a peleja do grande Dia do Deus Todo-Poderoso. 15 (Eis que venho como vem o ladrão. Bem-aventurado aquele que vigia e guarda as suas vestes, para que não ande nu, e não se veja a sua vergonha.) 16 Então, os ajuntaram no lugar que em hebraico se chama Armagedom.

Apocalipse (17:12-15 ARA)2: “12 Os dez chifres que viste são dez reis, os quais ainda não receberam reino, mas recebem autoridade como reis, com a besta, durante uma hora. 13 Têm estes um só pensamento e oferecem à besta o poder e a autoridade que possuem. 14 Pelejarão eles contra o Cordeiro, e o Cordeiro os vencerá, pois é o Senhor dos senhores e o Rei dos reis; vencerão também os chamados, eleitos e fiéis que se acham com ele. 15 Falou-me ainda: As águas que viste, onde a meretriz está assentada, são povos, multidões, nações e línguas.

  1. ( ) Eles ainda não haviam recebido o reino, mas receberiam autoridade como reis, com a besta, por uma hora.
  2. ( ) Eles haviam se humilhado perante Deus.

Resposta sugestiva: V; F.

“Diferentes interpretações têm sido oferecidas em relação à identidade dos dez reis. No entanto, o Apocalipse não revela quem eles são. Tudo o que podemos extrair do texto é que eles são uma confederação política efêmera que surgirá pouco antes do fim e que apoiará a prostituta. O número deles significa que os poderes mundiais renderão total e resoluta fidelidade à besta.”1

“Em Apocalipse 17:13, 14, reitera-se, em poucas palavras, a batalha do Armagedom, introduzida em Apocalipse 16:12-16. Induzida pelos poderes demoníacos operadores de milagres juntamente com o dragão, a besta do mar e o falso profeta, a confederação política mundial guerreará contra o Cordeiro. Em outras palavras, a batalha do Armagedom não será um conflito bélico no Oriente Médio, mas o conflito final da segunda vinda de Cristo, no qual Satanás e sua confederação lutarão contra Cristo e Sua hoste angélica.”1

“8. Leia Apocalipse 17:16-18. Pelo que vimos em Apocalipse 16:2-12, o que está por trás da mudança de atitude dos dez reis em relação a Babilônia? Quem é responsável pelo que acontecerá com Babilônia?”1

Apocalipse (17:16-18 ARA)2: “16 Os dez chifres que viste e a besta, esses odiarão a meretriz, e a farão devastada e despojada, e lhe comerão as carnes, e a consumirão no fogo. 17 Porque em seu coração incutiu Deus que realizem o seu pensamento, o executem à uma e deem à besta o reino que possuem, até que se cumpram as palavras de Deus. 18 A mulher que viste é a grande cidade que domina sobre os reis da terra.

Apocalipse (16:2-12 ARA)2: “2 Saiu, pois, o primeiro anjo e derramou a sua taça pela terra, e, aos homens portadores da marca da besta e adoradores da sua imagem, sobrevieram úlceras malignas e perniciosas. 3 Derramou o segundo a sua taça no mar, e este se tornou em sangue como de morto, e morreu todo ser vivente que havia no mar. 4 Derramou o terceiro a sua taça nos rios e nas fontes das águas, e se tornaram em sangue. 5 Então, ouvi o anjo das águas dizendo: Tu és justo, tu que és e que eras, o Santo, pois julgaste estas coisas; 6 porquanto derramaram sangue de santos e de profetas, também sangue lhes tens dado a beber; são dignos disso. 7 Ouvi do altar que se dizia: Certamente, ó Senhor Deus, Todo-Poderoso, verdadeiros e justos são os teus juízos. 8 O quarto anjo derramou a sua taça sobre o sol, e foi-lhe dado queimar os homens com fogo. 9 Com efeito, os homens se queimaram com o intenso calor, e blasfemaram o nome de Deus, que tem autoridade sobre estes flagelos, e nem se arrependeram para lhe darem glória. 10 Derramou o quinto a sua taça sobre o trono da besta, cujo reino se tornou em trevas, e os homens remordiam a língua por causa da dor que sentiam 11 e blasfemaram o Deus do céu por causa das angústias e das úlceras que sofriam; e não se arrependeram de suas obras. 12 Derramou o sexto a sua taça sobre o grande rio Eufrates, cujas águas secaram, para que se preparasse o caminho dos reis que vêm do lado do nascimento do sol.

“Os dez chifres, que sãos os poderes que sucedem as nações divididas da Europa, cheios de ódio, de repente se voltarão contra a prostituta, Babilônia (a manifestação do papado no tempo do fim), fazendo-a desolada e despojada. Simbolicamente, eles comerão sua carne e a destruirão com fogo. Ao escrever sobre o que ocorrerá com a prostituta Babilônia, João empregou uma linguagem semelhante ao que Deus disse que ocorreria com a adúltera Jerusalém (Jr 4:30). Queimar no fogo era o castigo da filha do sacerdote que estivesse envolvida com imoralidade sexual (Lv 21:9). Os poderes políticos enganados ficarão desiludidos por causa da incapacidade de Babilônia para protegê-los das pragas. Eles se sentirão enganados e, em hostilidade, a atacarão. Esse sistema religioso apóstata do tempo do fim sofrerá a plenitude do juízo divino, juntamente com todos aqueles que escolheram se identificar com ele.”1

“Muitas perguntas sobre os eventos finais ainda permanecem sem resposta e, portanto, podem parecer confusas para nós. Qual promessa específica foi dada em Apocalipse 17:14 [‘Pelejarão eles contra o Cordeiro, e o Cordeiro os vencerá, pois é o Senhor dos senhores e o Rei dos reis; vencerão também os chamados, eleitos e fiéis que se acham com ele.’]2, e o que essa promessa significa para nós?”1

Quinta-feira, 21 de março de 2019. Saiba mais, ouça o Comentário em áudio da Lição da Escola Sabatina (LES) ou se preferir faça um Curso Bíblico.
_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. O livro do Apocalipse. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 495, jan. fev. mar. 2019. Adulto, Professor.
2 BIBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

 

As sete cabeças da besta

Lições da Bíblia

“6. Leia Apocalipse 17:9-11 e 13:18. A condição para compreender as sete cabeças é ter uma mente sábia (NVI). Que tipo de sabedoria está em questão aqui? Como se obtém essa sabedoria comunicada por Deus (veja Tg 1:5)?”1

Apocalipse (17:9-11 ARA)2: “9 Aqui está o sentido, que tem sabedoria: as sete cabeças são sete montes, nos quais a mulher está sentada. São também sete reis, 10 dos quais caíram cinco, um existe, e o outro ainda não chegou; e, quando chegar, tem de durar pouco. 11 E a besta, que era e não é, também é ele, o oitavo rei, e procede dos sete, e caminha para a destruição.

Apocalipse (13:18 ARA)2: “Aqui está a sabedoria. Aquele que tem entendimento calcule o número da besta, pois é número de homem. Ora, esse número é seiscentos e sessenta e seis.

Tiago (1:5 ARA)2: “Se, porém, algum de vós necessita de sabedoria, peça-a a Deus, que a todos dá liberalmente e nada lhes impropera; e ser-lhe-á concedida.

“O anjo explicou que as sete cabeças eram sete montes. Alguns tradutores consideram que essas sete montanhas fazem alusão às sete colinas sobre as quais a cidade de Roma está situada e, por essa razão, eles traduziram a palavra grega oroi (‘montes’) como ‘colinas’ (NVI). Porém, há também sete reis, que são simbolizados pelos sete montes. Além disso, esses montes são sucessivos, não simultâneos.”1

“Esses montes não simbolizam reis de maneira individual, pois o Apocalipse não lida com indivíduos, mas com sistemas. Na Bíblia, os montes muitas vezes simbolizam poderes ou impérios do mundo (Jr 51:25; Ez 35:2, 3). Na profecia bíblica, os ‘reis’ representam reinos (veja Dn 2:37-39 [‘37 Tu, ó rei, rei de reis, a quem o Deus do céu conferiu o reino, o poder, a força e a glória; 38 a cujas mãos foram entregues os filhos dos homens, onde quer que eles habitem, e os animais do campo e as aves do céu, para que dominasses sobre todos eles, tu és a cabeça de ouro. 39 Depois de ti, se levantará outro reino, inferior ao teu; e um terceiro reino, de bronze, o qual terá domínio sobre toda a terra.’]2; 7:17 [‘Estes grandes animais, que são quatro, são quatro reis que se levantarão da terra.’]2). Portanto, os sete montes simbolizam sete grandes impérios sucessivos que dominaram o mundo ao longo da história, mediante os quais Satanás se opôs a Deus e feriu Seu povo.”1

“Da perspectiva de tempo de João, cinco desses impérios já haviam caído, um deles existia e o outro ainda não havia chegado ao poder. Embora os intérpretes adventistas não concordem em uma única opinião, muitos defendem que os cinco que haviam caído foram os grandes reinos que dominaram e, por vezes, feriram o povo de Deus nos tempos do Antigo Testamento. São estes: Egito, Assíria, Babilônia, Média-Pérsia e Grécia. O reino que existia era o Império Romano dos dias de João.”1

“O sétimo reino que ainda não havia chegado era a besta do mar de Apocalipse 13, o papado romano, que dominou e feriu o povo de Deus, e que viria após os dias de João e após a queda do Império Romano pagão. A história tem atestado poderosamente a verdade dessa profecia, escrita muitos séculos antes que os acontecimentos se desenrolassem.”1

“João foi ainda informado de que a besta escarlate é um oitavo poder mundial, embora seja uma das sete cabeças (poderes mundiais). Qual das sete? Visto que as cabeças estão em uma sequência de tempo, a oitava deve ser a sétima cabeça que recebeu a ferida mortal. Nos dias desse oitavo poder mundial, a besta escarlate aparece, levando a prostituta, Babilônia, e promovendo seus objetivos. Hoje, vivemos no momento da cura da ferida mortal. O oitavo poder mundial aparecerá em cena pouco antes do fim e caminhará para a perdição.”1

Quarta-feira, 20 de março de 2019. Saiba mais, ouça o Comentário em áudio da Lição da Escola Sabatina (LES) ou se preferir faça um Curso Bíblico.
_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. O livro do Apocalipse. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 495, jan. fev. mar. 2019. Adulto, Professor.
2 BIBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.