O segredo para a unidade

Lições da Bíblia

Deus “nos revelou o mistério da Sua vontade, de acordo com o Seu bom propósito que Ele estabeleceu em Cristo, isto é, de fazer convergir em Cristo todas as coisas, celestiais ou terrenas, na dispensação da plenitude dos tempos” (Ef 1:9, 10, NVI).1

“Éfeso era um grande centro comercial que exercia muita influência na Ásia Menor. A igreja ali era formada por judeus e gentios, pessoas de todas as posições sociais. Esse grupo tão diversificado de membros seria tão propenso a conflitos quanto o mundo em que vivia, se não fosse por Cristo e pela unidade que tinham Nele como membros de Seu corpo. Portanto, a preocupação de Paulo com a unidade entre os seguidores de Cristo é o tema central de sua epístola aos efésios.”1

“O conceito de unidade de Paulo possui duas dimensões: a unidade na igreja, onde judeus e gentios são reunidos em um só corpo – Cristo; e a unidade no Universo, em que todas as coisas no Céu e na Terra encontram sua unidade suprema em Cristo.”1

“A fonte dessa unidade é Cristo. A expressão de Paulo, “em Cristo” ou “com Cristo”, foi utilizada várias vezes nessa epístola para mostrar o que Deus realizou por nós e pelo Universo mediante a vida, morte e ressurreição de Jesus Cristo. O propósito supremo de Deus no plano da salvação é reunificar todas as coisas por meio de Cristo. Essa unidade será plenamente manifestada somente no fim dos séculos.”1

No mês que vem teremos a oportunidade de participar da Semana da Esperança, série de evangelismo em todo o Brasil. Envolva-se!

Sábado, 20 de outubro de 2018. Saiba mais, ouça o Comentário em áudio da Lição da Escola Sabatina (LES) ou se preferir faça um Curso Bíblico.
_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. Unidade em Cristo. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 494, out. nov. dez. 2018. Adulto, Professor.
2 BIBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

O amor como fundamento da unidade

Lições  da Bíblia

“Uma mensagem clara que emana da história da criação em Gênesis 1 e 2 é a harmonia geral que existia no final da semana da criação.  A avaliação final de Deus foi que tudo era ‘muito bom’ (Gn 1:31), não apenas em referência à beleza estética, mas também à ausência de qualquer elemento maligno ou de discórdia quando Deus terminou de criar este mundo e os seres humanos que deveriam povoá-lo. O propósito original de Deus na criação incluía a coexistência harmoniosa e a relação interdependente de todas as formas de vida. Era um mundo belo criado para a família humana. Tudo era perfeito e digno de seu Criador. O ideal de Deus e o Seu propósito original para o mundo eram de harmonia, unidade e amor.”1

“1. O que Gênesis 1:26, 27 ensina sobre a singularidade humana em contraste com o restante da criação terrestre, descrita em Gênesis 1 e 2? Assinale a alternativa correta:”1

Gênesis (1:26, 27 ARA)2: 26 Também disse Deus: Façamos o homem à nossa imagem, conforme a nossa semelhança; tenha ele domínio sobre os peixes do mar, sobre as aves dos céus, sobre os animais domésticos, sobre toda a terra e sobre todos os répteis que rastejam pela terra. 27 Criou Deus, pois, o homem à sua imagem, à imagem de Deus o criou; homem e mulher os criou.

A (  ) Todos os outros animais e criaturas foram feitos conforme sua própria espécie. Apenas o homem foi feito à imagem e semelhança de Deus.
B (  ) O homem foi feito como todos os outros animais.

Resposta sugestiva: Alternativa A.

“O livro de Gênesis declara que Deus criou a humanidade à Sua imagem, algo que não é dito sobre nenhuma outra criatura no relato da criação. ‘Também disse Deus: Façamos o homem à Nossa imagem, conforme a Nossa semelhança […]. Criou Deus, pois, o homem à Sua imagem, à imagem de Deus o criou; homem e mulher os criou’ (Gn 1:26, 27). Embora os teólogos tenham discutido durante séculos a natureza exata dessa imagem, assim como a natureza do próprio Deus, muitas passagens das Escrituras apresentam a natureza de Deus como sendo ‘amor’.”1

“2. Leia 1 João 4:7, 8, 16. Como fomos originalmente criados e como isso poderia ter impactado a unidade original encontrada na criação?”1

1 João (4:7, 8, 16 ARA)2: “7 Amados, amemo-nos uns aos outros, porque o amor procede de Deus; e todo aquele que ama é nascido de Deus e conhece a Deus. 8 Aquele que não ama não conhece a Deus, pois Deus é amor. […] 16 E nós conhecemos e cremos no amor que Deus tem por nós. Deus é amor, e aquele que permanece no amor permanece em Deus, e Deus, nele.

“Deus é amor e, visto que o ser humano também pode amar (e de maneiras que o restante da criação terrestre certamente não pode), o fato de ter sido criado à Sua imagem deve incluir a capacidade de amar. No entanto, o amor só pode existir quando nos relacionamos com os outros. Assim, sejam quais forem as implicações do fato de que fomos feitos à imagem de Deus, essa condição sugere a capacidade de amar, e amar profundamente.”1

Domingo, 30 de setembro de 2018. Saiba mais, ouça o Comentário em áudio da Lição da Escola Sabatina (LES) ou se preferir faça um Curso Bíblico.
_______________

1 LIÇÃO da Escola Sabatina. Unidade em Cristo. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 494, out. nov. dez. 2018. Adulto, Professor.
2 BIBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

Um grande obstáculo para a unidade

Lições da Bíblia

“4. Como as palavras de Jesus em Mateus 7:1-5 podem ajudar a evitar divisões e conflitos na igreja?”1 “1 Não julgueis, para que não sejais julgados. 2 Pois, com o critério com que julgardes, sereis julgados; e, com a medida com que tiverdes medido, vos medirão também. 3 Por que vês tu o argueiro no olho de teu irmão, porém não reparas na trave que está no teu próprio? 4 Ou como dirás a teu irmão: Deixa-me tirar o argueiro do teu olho, quando tens a trave no teu? 5 Hipócrita! Tira primeiro a trave do teu olho e, então, verás claramente para tirar o argueiro do olho de teu irmão.” (Mateus 7:1-5 RA)2. Não Julgar o próximo é um elemento fundamental para evitar a discórdia e o descontentamento na igreja. Cada um deve considerar primeiro sua própria condição de pecador, embora os pecados possam diferir de pessoa para pessoa, todos somos pecadores carentes da graça e misericórdia de Deus.

“É muito mais fácil ver os defeitos nos outros do que em nós. Criticar produz falsa sensação de superioridade, porque o crítico se compara com outros seres humanos que parecem piores do que ele. No entanto, nosso objetivo não é comparar-nos com outros, mas com Jesus.”1

“Quantos problemas evitaríamos se obedecêssemos à ordem divina: ‘Não andarás como mexeriqueiro entre o teu povo’ (Lv 19:16). Uma verdade dolorosa é que ‘o difamador separa os maiores amigos’ (Pv 16:28).”1

“Por outro lado, há circunstâncias em que é necessário falar de outra pessoa. Porém, antes de fazer isso, devemos fazer três perguntas a nós mesmos:”1

“1. O que vou dizer é verdade? ‘Não dirás falso testemunho contra o teu próximo’ (Êx 20:16). Às vezes, podemos contar algo como um fato, embora seja apenas uma suposição ou hipótese. Além disso, podemos inconscientemente adicionar nossa avaliação subjetiva, correndo o risco de julgar erroneamente as intenções de outras pessoas.”1

“2. O que vou dizer é edificante? Será útil aos que ouvirem? Paulo nos exorta a falar somente a palavra ‘que for boa para edificação, conforme a necessidade’ (Ef 4:29). Se algo fosse verdade, mas não edificante, não seria melhor não dizer?”1

“3. É possível dizer isso de maneira amorosa? Nossa maneira de dizer algo é tão importante quanto aquilo que dizemos (Pv 25:11). Se é verdade e edificante, temos que ter certeza de que podemos dizer isso de uma forma que não ofenderá outras pessoas.”1

“Tiago compara a língua com uma simples fagulha que incendeia uma grande selva (Tg 3:5, 6). Se ouvimos uma fofoca, não devemos colocar mais lenha na fogueira, porque ‘sem lenha, o fogo se apaga; e, não havendo maldizente, cessa a contenda’ (Pv 26:20). A fofoca exige uma cadeia de transmissores para se manter viva. Podemos impedi-la, simplesmente recusando-nos a ouvi-la, ou, se já a ouvimos, evitando repeti-la. ‘Em lugar de espalhar rumores, ocasionando o mal, conversemos sobre o inigualável poder de Cristo, e falemos de Sua glória’ (Ellen G. White, Olhando Para o Alto [MM 1983], p. 300).”1

“Não há dúvida sobre isto: criticar os outros pode nos fazer sentir melhor sobre nós mesmos. O que acontece, porém, quando nos comparamos a Jesus?”1

Quarta-feira, 20 de agosto de 2014. Saiba mais, ouça o Comentário em áudioda Lição da Escola Sabatina (LES) ou se preferir faça um Curso Bíblico.

__________________

1 LIÇÕES da escola sabatina. Ensino de Jesus. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 477, Jul. Ago. Set. 2014. Adulto, Professor.

2 BIBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

Provisão de Cristo para a unidade

Lições da Bíblia

“3. Qual é a base para a unidade sobre a qual Jesus orou em favor de Sua igreja?1  “eu neles, e tu em mim, a fim de que sejam aperfeiçoados na unidade, para que o mundo conheça que tu me enviaste e os amaste, como também amaste a mim.” (João 17:23 RA). “1 Eu sou a videira verdadeira, e meu Pai é o agricultor. 2 Todo ramo que, estando em mim, não der fruto, ele o corta; e todo o que dá fruto limpa, para que produza mais fruto ainda. 3 Vós já estais limpos pela palavra que vos tenho falado; 4 permanecei em mim, e eu permanecerei em vós. Como não pode o ramo produzir fruto de si mesmo, se não permanecer na videira, assim, nem vós o podeis dar, se não permanecerdes em mim. 5 Eu sou a videira, vós, os ramos. Quem permanece em mim, e eu, nele, esse dá muito fruto; porque sem mim nada podeis fazer.” (João 15:1-5 RA)2. A base da unidade é Cristo, só em Cristo pode haver a unidade necessária para o cumprimento da missão da igreja.

“As palavras ‘Vocês em Mim, e Eu em vocês’ (Jo 14:20, NVI) revelam o relacionamento íntimo que precisamos ter com Jesus. A presença dEle em nosso coração produz unidade. Ele traz à nossa vida duas coisas indispensáveis à unidade: a Palavra e o amor divino.”1

“Se temos Jesus, também temos Suas palavras, que são realmente as palavras do Pai (Jo 14:24; 17:8, 14). Jesus é ‘a verdade’ (Jo 14:6), e a Palavra do Pai também ‘é a verdade’ (Jo 17:17). Unidade em Jesus significa unidade na Palavra de Deus. A fim de ter unidade, precisamos estar de acordo sobre o conteúdo da verdade, conforme apresentado na Palavra de Deus. Qualquer tentativa de alcançar a unidade sem fidelidade a um conjunto de crenças bíblicas está destinada ao fracasso.”1

“O Senhor também quer que Seus seguidores sejam unidos pelo verdadeiro amor. Se temos Jesus, teremos o perfeito amor que o Pai tem pelo Filho (Jo 17:26). Esse amor não é uma emoção ou sentimento temporários, mas um princípio de ação vivo e permanente. Para ter o verdadeiro amor, devemos ter menos de nós mesmos e mais de Jesus. Nosso orgulho egoísta deve morrer, e Jesus deve viver em nós. Então, amaremos uns aos outros de modo verdadeiro e sincero, tornando possível a perfeita unidade pela qual Jesus orou.”1

“’Quando os que afirmam crer na verdade são santificados pela verdade, quando aprendem de Cristo, Sua mansidão e humildade, haverá completa e perfeita unidade na igreja’ (Ellen G. White, The Signs of the Times [Sinais dos Tempos], 19 de setembro de 1900).”1

“Nem sempre tem sido fácil manter uma elevada visão da verdade e ao mesmo tempo ter profundo amor pelos outros. Existe sempre o risco de enfatizar um em prejuízo do outro. Houve um tempo em que somente a doutrina era considerada o elemento mais importante para a unidade. Felizmente, essa falta de equilíbrio tem sido gradualmente corrigida. Hoje, no entanto, corremos o risco de ir para o outro extremo: pensar que, para a unidade, o amor seja mais importante do que a verdade. Precisamos nos lembrar de que o amor sem a verdade é cego, e a verdade sem amor é infrutífera. Mente e coração devem trabalhar juntos.”1

“A igreja apostólica mostrou a unidade pela qual Cristo orou. ‘Perseveravam na doutrina dos apóstolos [verdade] e na comunhão [amor]’ (At 2:42). O que você pode fazer para que sua igreja revele essa unidade?”1

Segunda-feira, 18 de agosto de 2014. Saiba mais, ouça o Comentário em áudio da Lição da Escola Sabatina (LES) ou se preferir faça um Curso Bíblico.

__________________

1 LIÇÕES da escola sabatina. Ensino de Jesus. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 477, Jul. Ago. Set. 2014. Adulto, Professor.

2 BIBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

Unidade: o vínculo do reavivamento – Estudo adicional

Lições da Bíblia.

“Havia nesses primeiros discípulos marcante diversidade. Eles deviam ser ensinadores do mundo e representavam amplamente variados tipos de caráter. Para conduzir com êxito a obra para a qual haviam sido chamados, esses homens, diferindo em características naturais e em hábitos de vida, necessitavam chegar à unidade de sentimentos, pensamento e ação. Essa unidade Cristo tinha por objetivo assegurar. Para alcançar esse fim, Ele procurou mantê-los em união consigo mesmo” (Ellen G. White, Atos dos Apóstolos, p. 20).

Perguntas para reflexão

“1. Por que uma estrutura eclesiástica unificada é importante para nós? O que aconteceria com a nossa missão, mensagem e com nossa Igreja se congregações, Associações, Uniões ou Divisões seguissem seu próprio caminho? Imagine o caos que se seguiria.”

“2. Por que sou adventista do sétimo dia?”

“3. Por mais importante que seja a unidade para a igreja, há coisas ainda mais importantes? Por exemplo, ao lidar com os que pregavam doutrinas com as quais ele não concordava, Paulo escreveu o seguinte: ‘Mas, ainda que nós ou mesmo um anjo vindo do Céu vos pregue evangelho que vá além do que vos temos pregado, seja anátema. Assim, como já dissemos, e agora repito, se alguém vos prega evangelho que vá além daquele que recebestes, seja anátema’ (Gl 1:8, 9). O que aconteceu com a unidade nesse caso, pelo menos com essas pessoas?”

“4. Reflita sobre a importância da mensagem e missão para a identidade dos adventistas do sétimo dia. Afinal, qual seria o propósito da igreja sem essa mensagem singular? Que outras coisas nos unem como adventistas do sétimo dia e que ajudam a definir quem somos?”

“5. Por que a unidade é tão importante para todo reavivamento e reforma entre nós?”

Sexta-feira, 16 de agosto de 2013. Saiba mais, ouça o Comentário em áudio da Lição da Escola Sabatina (LES) ou se preferir faça um Curso Bíblico. Este conteúdo é uma adaptação da LES publicado simultaneamente no Blogspot e WordPress. Para impressão acesse arquivo em PDF

Alcançando a unidade

Lições da Bíblia.

“Quanto mais nos aproximamos de Jesus, mais próximos ficamos uns dos outros. Vemos com nova visão espiritual. O Espírito de Cristo nos permite ver o outro de forma diferente. Pela graça de Cristo, as pequenas coisas que antes nos aborreciam recebem novo significado. Hostilidades alimentadas são abandonadas à luz da Sua maravilhosa graça. Antigos ressentimentos e contendas são, tanto quanto possível, colocados de lado. Barreiras são derrubadas. O evangelho cura os relacionamentos quebrados.”

“Quando o Espírito Santo foi derramado em plenitude no Pentecostes, as atitudes dos discípulos para com seus irmãos de fé foram drasticamente alteradas. Diante da luz que provinha da cruz, eles passaram a ver um ao outro de modo diferente.”

“Cada cristão via em seu irmão uma revelação do amor e benevolência divinos. Só um interesse prevalecia; um elemento de emulação absorveu todos os outros. A ambição dos cristãos era revelar a semelhança do caráter de Cristo, bem como trabalhar pelo desenvolvimento de Seu reino” (Ellen G. White, Atos dos Apóstolos, p. 48).

“5. Que práticas promoveram a unidade entre os cristãos do primeiro século? Por que essas práticas são tão poderosas em unir cristãos?” Se, porém, não te ouvir, toma ainda contigo uma ou duas pessoas, para que, pelo depoimento de duas ou três testemunhas, toda palavra se estabeleça. E, se ele não os atender, dize-o à igreja; e, se recusar ouvir também a igreja, considera-o como gentio e publicano. Em verdade vos digo que tudo o que ligardes na terra terá sido ligado nos céus, e tudo o que desligardes na terra terá sido desligado nos céus. Em verdade também vos digo que, se dois dentre vós, sobre a terra, concordarem a respeito de qualquer coisa que, porventura, pedirem, ser-lhes-á concedida por meu Pai, que está nos céus. Porque, onde estiverem dois ou três reunidos em meu nome, ali estou no meio deles.” (Mateus 18:16-20 RA); Todos estes perseveravam unânimes em oração, com as mulheres, com Maria, mãe de Jesus, e com os irmãos dele.” (Atos 1:14 RA); Pedro, pois, estava guardado no cárcere; mas havia oração incessante a Deus por parte da igreja a favor dele.” (Atos 12:5 RA); “Considerando ele a sua situação, resolveu ir à casa de Maria, mãe de João, cognominado Marcos, onde muitas pessoas estavam congregadas e oravam.” (Atos 12:12 RA); “Crescia a palavra de Deus, e, em Jerusalém, se multiplicava o número dos discípulos; também muitíssimos sacerdotes obedeciam à fé.” (Atos 6:7 RA); “Seguiram os onze discípulos para a Galiléia, para o monte que Jesus lhes designara. E, quando o viram, o adoraram; mas alguns duvidaram. Jesus, aproximando-se, falou-lhes, dizendo: Toda a autoridade me foi dada no céu e na terra. Ide, portanto, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo; ensinando-os a guardar todas as coisas que vos tenho ordenado. E eis que estou convosco todos os dias até à consumação do século.” (Mateus 28:16-20 RA). ”Seguiam a orientação de Cristo para a solução de desavenças. Por isso, Deus confirmava suas decisões. Oravam unidos e viviam unidos, mesmo quando eram perseguidos; tinham uma missão comum, em torno da qual todos estavam unidos. Por isso, a igreja crescia. Jesus os mantinha unidos.”

“A unidade não é alcançada simplesmente porque a esperamos ou desejamos. Os cristãos do Novo Testamento oravam juntos e conversavam. Juntos, estudavam a Palavra de Deus e compartilhavam a fé. Oração, estudo bíblico e testemunho são poderosos elementos que criam, promovem e sustentam a unidade da igreja. Ao orarmos uns pelos outros, ficamos cada vez mais unidos. Participar de uma campanha evangelística para a comunidade cria um senso de harmonia ou união. Uma igreja viva, dinâmica, unida e reavivada é aquela cujos membros oram juntos, estudam a Palavra de Deus e alcançam sua comunidade.”

“Quais são algumas das forças que ameaçam a unidade de sua igreja, ou até mesmo da igreja como um todo? Por que é importante entender quais são essas forças e estar pronto para lidar com elas?”

Quinta-feira, 15 de agosto de 2013. Saiba mais, ouça o Comentário em áudio da Lição da Escola Sabatina (LES) ou se preferir faça um Curso Bíblico. Este conteúdo é uma adaptação da LES publicado simultaneamente no Blogspot e WordPress. Para impressão acesse arquivo em PDF

Organização da igreja: estrutura para a unidade

Lições da Bíblia.

“O Novo Testamento revela que a igreja primitiva tinha uma estrutura organizacional definida. Essa estrutura ajudou a preservar a pureza doutrinária da igreja e a mantê-la focalizada na missão.”

“Em Atos 6, um pequeno grupo de discípulos se reuniu para resolver o problema da distribuição de alimentos para as viúvas dos gregos convertidos. Eles selecionaram diáconos para resolver a dificuldade. Os membros da igreja respeitaram a autoridade desses líderes.”

“Quando o apóstolo Paulo se converteu na estrada de Damasco, ele foi encaminhado a Ananias, um representante da igreja (At 9:10-17).”

“Depois de haver sido batizado por Ananias, Paulo foi instruído pelo Espírito Santo a se encontrar com os líderes da igreja em Jerusalém, a fim de confirmar seu ministério (At 9:26-30).”

“Em Atos 20 Paulo se encontrou com os anciãos da igreja de Éfeso para exortá-los a vigiar contra os falsos mestres e suas heresias (At 20:17, 27-32).”

“4. Como a igreja do Novo Testamento resolveu a controvérsia sobre a circuncisão?” “Alguns indivíduos que desceram da Judéia ensinavam aos irmãos: Se não vos circuncidardes segundo o costume de Moisés, não podeis ser salvos. Tendo havido, da parte de Paulo e Barnabé, contenda e não pequena discussão com eles, resolveram que esses dois e alguns outros dentre eles subissem a Jerusalém, aos apóstolos e presbíteros, com respeito a esta questão. Enviados, pois, e até certo ponto acompanhados pela igreja, atravessaram as províncias da Fenícia e Samaria e, narrando a conversão dos gentios, causaram grande alegria a todos os irmãos. Tendo eles chegado a Jerusalém, foram bem recebidos pela igreja, pelos apóstolos e pelos presbíteros e relataram tudo o que Deus fizera com eles. Insurgiram-se, entretanto, alguns da seita dos fariseus que haviam crido, dizendo: É necessário circuncidá-los e determinar-lhes que observem a lei de Moisés. Então, se reuniram os apóstolos e os presbíteros para examinar a questão. Havendo grande debate, Pedro tomou a palavra e lhes disse: Irmãos, vós sabeis que, desde há muito, Deus me escolheu dentre vós para que, por meu intermédio, ouvissem os gentios a palavra do evangelho e cressem. Ora, Deus, que conhece os corações, lhes deu testemunho, concedendo o Espírito Santo a eles, como também a nós nos concedera. E não estabeleceu distinção alguma entre nós e eles, purificando-lhes pela fé o coração. Agora, pois, por que tentais a Deus, pondo sobre a cerviz dos discípulos um jugo que nem nossos pais puderam suportar, nem nós? Mas cremos que f… ídolos, bem como das relações sexuais ilícitas, da carne de animais sufocados e do sangue. Porque Moisés tem, em cada cidade, desde tempos antigos, os que o pregam nas sinagogas, onde é lido todos os sábados. Então, pareceu bem aos apóstolos e aos presbíteros, com toda a igreja, tendo elegido homens dentre eles, enviá-los, juntamente com Paulo e Barnabé, a Antioquia: foram Judas, chamado Barsabás, e Silas, homens notáveis entre os irmãos, escrevendo, por mão deles: Os irmãos, tanto os apóstolos como os presbíteros, aos irmãos de entre os gentios em Antioquia, Síria e Cilícia, saudações. Visto sabermos que alguns [que saíram] de entre nós, sem nenhuma autorização, vos têm perturbado com palavras, transtornando a vossa alma, pareceu-nos bem, chegados a pleno acordo, eleger alguns homens e enviá-los a vós outros com os nossos amados Barnabé e Paulo, homens que têm exposto a vida pelo nome de nosso Senhor Jesus Cristo. Enviamos, portanto, Judas e Silas, os quais pessoalmente vos dirão também estas coisas. Pois pareceu bem ao Espírito Santo e a nós não vos impor maior encargo além destas coisas essenciais: que vos abstenhais das coisas sacrificadas a ídolos, bem como do sangue, da carne de animais sufocados e das relações sexuais ilícitas; destas coisas fareis bem se vos guardardes. Saúde. Os que foram enviados desceram logo para Antioquia e, tendo reunido a comunidade, entregaram a epístola. Quando a leram, sobremaneira se alegraram pelo conforto recebido.” (Atos 15:1-31 RA). “Com a orientação do Espírito Santo, membros da igreja e líderes chegaram a pleno acordo. A igreja trabalhou unida e de modo organizado.”

“O concílio de Jerusalém evitou um grande cisma na igreja do primeiro século. A organização da Igreja com autoridade administrativa foi essencial para preservar sua integridade doutrinária. Nesse caso, representantes da igreja local foram enviados a Jerusalém para participar de discussões doutrinárias, que teriam sérias implicações para o futuro da igreja. Uma vez que esses representantes chegaram a um consenso, a comissão escreveu a decisão tomada e a fez circular em todas as igrejas onde o problema se havia originado: Antioquia, Síria e Cilícia (At 15:23).”

“Os membros aceitaram a decisão do concílio de Jerusalém e se alegraram porque o Espírito Santo os havia guiado a uma resposta ao seu dilema (At 15:30-35).”

“Se você é membro da Igreja Adventista do Sétimo Dia, então está envolvido na estrutura da igreja. Qual é seu papel nessa estrutura, e como você pode ser mais envolvido de maneira construtiva?”

Quarta-feira, 14 de agosto de 2013. Saiba mais, ouça o Comentário em áudio da Lição da Escola Sabatina (LES) ou se preferir faça um Curso Bíblico. Este conteúdo é uma adaptação da LES publicado simultaneamente no Blogspot e WordPress. Para impressão acesse arquivo em PDF