Restauração e unidade

Lições da Bíblia

“5. De acordo com Mateus 18:15-17, quais são os três passos indicados por Jesus para resolver conflitos quando somos prejudicados por outro membro da igreja? Como aplicar essas palavras em nosso contexto contemporâneo?”1

Mateus (18:15-17 ARA)2: “15 Se teu irmão pecar [contra ti], vai argui-lo entre ti e ele só. Se ele te ouvir, ganhaste a teu irmão. 16 Se, porém, não te ouvir, toma ainda contigo uma ou duas pessoas, para que, pelo depoimento de duas ou três testemunhas, toda palavra se estabeleça. 17 E, se ele não os atender, dize-o à igreja; e, se recusar ouvir também a igreja, considera-o como gentio e publicano.

“Quando deu o conselho de Mateus 18, Jesus desejava manter o conflito interpessoal dentro da igreja entre o menor número possível de pessoas. Sua intenção era de que as duas pessoas envolvidas solucionassem o problema. Por isso Ele declarou: ‘Se teu irmão pecar [contra ti], vai argui-lo entre ti e ele só. Se ele te ouvir, ganhaste a teu irmão’ (Mt 18:15). Quanto maior é o número de pessoas envolvidas em um conflito entre dois indivíduos, mais discórdia é criada, e mais ela pode afetar a comunhão de outros cristãos. As pessoas tomam partido, e linhas de combate são traçadas. Mas quando os cristãos tentam resolver suas diferenças de maneira reservada, no espírito do amor cristão e da compreensão mútua, cria-se um clima de reconciliação. É a atmosfera certa para o Espírito Santo trabalhar com essas pessoas, enquanto elas se esforçam para resolver suas diferenças.”1

“Às vezes, apelos pessoais à resolução de conflitos são ineficazes. Nesses casos, Jesus nos convida a levar conosco uma ou duas pessoas. Essa segunda etapa no processo de reconciliação deve sempre ocorrer após o primeiro passo. O objetivo é unir as pessoas, e não as distanciar ainda mais. A pessoa que se junta à parte ofendida não vai para provar seu argumento nem para culpar o outro. Ela vai no amor e compaixão de Cristo, como conselheira e parceira de oração a fim de participar do processo de união de duas pessoas separadas.”1

“Há ocasiões em que todas as tentativas de resolver o problema não funcionam. Nesse caso, Jesus nos instruiu a levar a questão diante da igreja. Ele certamente não estava Se referindo a interromper o culto do sábado de manhã com uma questão de conflito pessoal. Se os dois primeiros passos não ajudaram a reconciliar as duas partes, a ocasião apropriada para trazer o problema é a comissão da igreja. O propósito de Cristo é a reconciliação. Não é culpar uma parte e livrar a outra.”1

“‘Não permita que seu ressentimento se torne maldade. Não deixe que a ferida inflame e contamine o que está ao redor com palavras venenosas, que manchem a mente daqueles que as ouvem. Não permita que persistam em você e neles pensamentos de rancor. Vai ter com seu irmão e em humildade e sinceridade resolva com ele o problema’ (Ellen G. White, Obreiros Evangélicos, p. 499).”1

Quinta-feira, 06 de dezembro de 2018. Saiba mais, ouça o Comentário em áudio da Lição da Escola Sabatina (LES) ou se preferir faça um Curso Bíblico.
_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. Unidade em Cristo. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 494, out. nov. dez. 2018. Adulto, Professor.
2 BIBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

Unidade na missão

Lições da Bíblia

“5. Compare o ânimo dos discípulos durante a Ceia do Senhor, em Lucas 22:24, com o que tiveram pouco antes da experiência do Pentecostes, em Atos 1:14 e 2:1, 46. O que fez tanta diferença na vida deles?”1

Lucas (22:24 ARA): “Suscitaram também entre si uma discussão sobre qual deles parecia ser o maior.

Atos (1:14 ARA): “Todos estes perseveravam unânimes em oração, com as mulheres, com Maria, mãe de Jesus, e com os irmãos dele.

Atos (2:1, 46 ARA): “1 Ao cumprir-se o dia de Pentecostes, estavam todos reunidos no mesmo lugar; […] 46 Diariamente perseveravam unânimes no templo, partiam pão de casa em casa e tomavam as suas refeições com alegria e singeleza de coração,

“Em Atos 1:14 e 2:46, a expressão ‘perseveravam unânimes’ também significa ‘perseveravam com uma só mente’. Isso aconteceu porque os discípulos estavam reunidos em um lugar, em oração, buscando o cumprimento da promessa de Jesus de lhes enviar o Consolador.”1

“Enquanto esperavam, para eles teria sido fácil criticar uns aos outros. Alguns poderiam ter mencionado o fato de Pedro ter negado Jesus (Jo 18:15-18, 25-27) e a dúvida de Tomé quanto à ressurreição de Cristo (Jo 20:25). Eles poderiam ter se lembrado do pedido de João e Tiago, que solicitaram as posições mais poderosas no reino de Jesus (Mc 10:35-41), ou de que Mateus havia sido um desprezado coletor de impostos (Mt 9:9).”1

“No entanto, ‘esses dias de preparo foram de profundo exame de coração. Os discípulos sentiram sua necessidade espiritual e suplicaram do Senhor a santa unção que os devia capacitar para a obra da salvação. Não suplicaram essas bênçãos apenas para si. Sentiam a responsabilidade que pesava sobre eles. Compreendiam que o evangelho devia ser proclamado ao mundo e clamavam pelo poder que Cristo havia prometido’ (Ellen G. White, Atos dos Apóstolos, p. 37).”1

“A comunhão entre os discípulos e a intensidade de suas orações os prepararam para a importante experiência do Pentecostes. Quando se aproximaram de Deus e abandonaram suas diferenças pessoais, os discípulos foram preparados pelo Espírito Santo para se tornarem testemunhas destemidas e ousadas da ressurreição de Jesus. Eles sabiam que Cristo tinha perdoado suas muitas falhas, e isso lhes deu coragem para avançar. Sabiam o que Jesus tinha feito por eles. Conheciam a promessa de salvação encontrada Nele e, portanto, ‘a ambição dos cristãos era revelar a semelhança do caráter de Cristo, bem como trabalhar pelo desenvolvimento de Seu reino’ (Ibid., p. 48). Não é de admirar que o Senhor tenha feito coisas poderosas por meio deles. Que lição para nós como igreja hoje!”1

“É sempre muito fácil encontrar coisas erradas na vida de outras pessoas. Como podemos deixar de lado os erros dos outros em favor de uma causa maior: fazer a vontade de Deus em uma igreja unida?”1

Quinta-feira, 29 de novembro de 2018. Saiba mais, ouça o Comentário em áudio da Lição da Escola Sabatina (LES) ou se preferir faça um Curso Bíblico.
_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. Unidade em Cristo. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 494, out. nov. dez. 2018. Adulto, Professor.
2 BIBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

Unidade de comunhão

Lições da Bíblia

“Em resposta ao sermão de Pedro e ao apelo ao arrependimento e à salvação, cerca de 3 mil pessoas tomaram a decisão de aceitar Jesus como o Messias e cumprimento das promessas do Antigo Testamento a Israel. Deus estava trabalhando no coração daquelas pessoas. Muitas já tinham ouvido falar de Jesus de terras longínquas e podem ter viajado para Jerusalém com a esperança de vê-Lo. Alguns tinham visto Jesus e ouvido Suas mensagens sobre a salvação, mas não se comprometeram a se tornar Seus seguidores. No Pentecostes, Deus interveio miraculosamente na vida dos discípulos e os usou como testemunhas da ressurreição de Jesus. Então eles souberam que, em nome de Jesus, as pessoas podiam receber o perdão dos pecados (At 2:38).”1

“3. Leia Atos 2:42-47. Quais atividades os primeiros seguidores de Jesus fizeram como uma comunidade? O que criou essa incrível unidade de comunhão?”1

Atos (2:42-47 ARA): “42 E perseveravam na doutrina dos apóstolos e na comunhão, no partir do pão e nas orações. 43 Em cada alma havia temor; e muitos prodígios e sinais eram feitos por intermédio dos apóstolos. 44 Todos os que creram estavam juntos e tinham tudo em comum. 45 Vendiam as suas propriedades e bens, distribuindo o produto entre todos, à medida que alguém tinha necessidade. 46 Diariamente perseveravam unânimes no templo, partiam pão de casa em casa e tomavam as suas refeições com alegria e singeleza de coração, 47 louvando a Deus e contando com a simpatia de todo o povo. Enquanto isso, acrescentava-lhes o Senhor, dia a dia, os que iam sendo salvos.

“É notável que a primeira atividade da comunidade de novos cristãos foi aprender o ensino dos apóstolos. A instrução bíblica é uma forma importante de facilitar o crescimento espiritual dos conversos. Jesus havia comissionado os apóstolos a ensinar os discípulos ‘a guardar todas as coisas que’ Ele tinha ‘ordenado’ (Mt 28:20). Essa nova comunidade passava tempo com os apóstolos aprendendo sobre Jesus. Provavelmente ouviram falar sobre a vida e o ministério de Cristo, Seus ensinamentos, parábolas, sermões e milagres, todos explicados como o cumprimento das Escrituras hebraicas.”1

“Eles também passavam tempo em oração e partindo o pão. Não está claro se o ‘partir do pão’ é uma alusão à Ceia do Senhor ou simplesmente uma referência às refeições que compartilhavam uns com os outros, como Atos 2:46 parece sugerir. A menção à comunhão certamente pressupõe que os membros dessa nova comunidade passavam tempo juntos, com frequência e regularmente, tanto no templo em Jerusalém, que ainda servia como centro de devoção e adoração, quanto em suas casas. Comiam e oravam juntos. A oração é vital em uma comunidade de fé, e é essencial ao crescimento espiritual. Eles passavam tempo em adoração. Essas atividades foram realizadas com perseverança.”1

“Essa comunhão perseverante gerou bons relacionamentos com outras pessoas em Jerusalém. Os novos cristãos contavam ‘com a simpatia de todo o povo’ (At 2:47). Evidentemente a obra do Espírito Santo na vida deles causou uma impressão poderosa nos que os rodeavam e serviu como um poderoso testemunho da verdade de Jesus como o Messias.”1

“O que a igreja deve aprender com esse exemplo de unidade, comunhão e testemunho?”1

Terça-feira, 30 de outubro de 2018. Saiba mais, ouça o Comentário em áudio da Lição da Escola Sabatina (LES) ou se preferir faça um Curso Bíblico.
_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. Unidade em Cristo. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 494, out. nov. dez. 2018. Adulto, Professor.
2 BIBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

Unidade em um corpo

Lições da Bíblia

“Paulo foi prático em suas palavras aos efésios. A unidade entre judeus e gentios, entre pessoas de diferentes culturas e etnias, não é um mito nem uma teoria; é uma realidade que exige que andemos ‘de modo digno da vocação a que’ fomos ‘chamados’ (Ef 4:1).”1

“3. De acordo com Efésios 4:1-3, como os cristãos devem andar de modo digno de seu chamado em Cristo?”1

Efésios (4:1-3 ARA): “1 Rogo-vos, pois, eu, o prisioneiro no Senhor, que andeis de modo digno da vocação a que fostes chamados, 2 com toda a humildade e mansidão, com longanimidade, suportando-vos uns aos outros em amor, 3 esforçando-vos diligentemente por preservar a unidade do Espírito no vínculo da paz;

“O resultado prático dessas virtudes e graças na vida do cristão ajuda a ‘preservar a unidade do Espírito no vínculo da paz’ (Ef 4:3). Esses atributos estão fundamentados no amor (1Co 13:1-7). O amor em ação preserva as relações entre fiéis, promove a paz e a unidade na comunidade cristã e influencia o mundo. A unidade na igreja manifesta o amor de Deus de modo singular para que as pessoas possam testemunhá-lo.”1

“A igreja é chamada a ser essa testemunha, especialmente em um momento de conflitos, divisões e guerras.”1

“4. Leia Efésios 4:4-6. Qual é o tema dessa passagem?”1

Efésios (4:4-6 ARA)2: “4 há somente um corpo e um Espírito, como também fostes chamados numa só esperança da vossa vocação; 5 um só Senhor, uma só fé, um só batismo; 6 um só Deus e Pai de todos, o qual é sobre todos, age por meio de todos e está em todos.

“Nos primeiros versos desse capítulo, Paulo expressou seu profundo interesse pela unidade da igreja. Ele começou com uma exortação à unidade (Ef 4:1-3); em seguida, apresentou uma lista de sete elementos que unem os cristãos (Ef 4:4-6). A unidade é, ao mesmo tempo, algo que os cristãos já possuem (Ef 4:4-6), que deve ser constantemente trabalhado e mantido (Ef 4:1-3), e que precisa ser também o objetivo futuro, rumo ao qual nos esforçamos (Ef 4:13).”1

“‘O apóstolo exorta seus irmãos a manifestar em sua vida o poder da verdade que ele lhes havia apresentado. Por sua mansidão e bondade, paciência e amor, deviam exemplificar o caráter de Cristo e as bênçãos de Sua salvação. Só há um corpo, e um Espírito, um Senhor, uma fé. Como membros do corpo de Cristo, todos os cristãos são animados pelo mesmo espírito e a mesma esperança. Divisões na igreja desonram a religião de Cristo diante do mundo, e dão ocasião aos inimigos da verdade para justificar seu procedimento. As instruções de Paulo não foram escritas apenas para a igreja de seus dias. Era desígnio de Deus que chegassem até nós. O que estamos fazendo para preservar a unidade, nos laços da paz?’ (Ellen G. White, Testemunhos Para a Igreja, v. 5, p. 239).”1

“Como você pode andar de modo digno da vocação à qual foi chamado?”1

Terça-feira, 23 de outubro de 2018. Saiba mais, ouça o Comentário em áudio da Lição da Escola Sabatina (LES) ou se preferir faça um Curso Bíblico.
_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. Unidade em Cristo. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 494, out. nov. dez. 2018. Adulto, Professor.
2 BIBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

O segredo para a unidade

Lições da Bíblia

Deus “nos revelou o mistério da Sua vontade, de acordo com o Seu bom propósito que Ele estabeleceu em Cristo, isto é, de fazer convergir em Cristo todas as coisas, celestiais ou terrenas, na dispensação da plenitude dos tempos” (Ef 1:9, 10, NVI).1

“Éfeso era um grande centro comercial que exercia muita influência na Ásia Menor. A igreja ali era formada por judeus e gentios, pessoas de todas as posições sociais. Esse grupo tão diversificado de membros seria tão propenso a conflitos quanto o mundo em que vivia, se não fosse por Cristo e pela unidade que tinham Nele como membros de Seu corpo. Portanto, a preocupação de Paulo com a unidade entre os seguidores de Cristo é o tema central de sua epístola aos efésios.”1

“O conceito de unidade de Paulo possui duas dimensões: a unidade na igreja, onde judeus e gentios são reunidos em um só corpo – Cristo; e a unidade no Universo, em que todas as coisas no Céu e na Terra encontram sua unidade suprema em Cristo.”1

“A fonte dessa unidade é Cristo. A expressão de Paulo, “em Cristo” ou “com Cristo”, foi utilizada várias vezes nessa epístola para mostrar o que Deus realizou por nós e pelo Universo mediante a vida, morte e ressurreição de Jesus Cristo. O propósito supremo de Deus no plano da salvação é reunificar todas as coisas por meio de Cristo. Essa unidade será plenamente manifestada somente no fim dos séculos.”1

No mês que vem teremos a oportunidade de participar da Semana da Esperança, série de evangelismo em todo o Brasil. Envolva-se!

Sábado, 20 de outubro de 2018. Saiba mais, ouça o Comentário em áudio da Lição da Escola Sabatina (LES) ou se preferir faça um Curso Bíblico.
_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. Unidade em Cristo. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 494, out. nov. dez. 2018. Adulto, Professor.
2 BIBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

O amor como fundamento da unidade

Lições  da Bíblia

“Uma mensagem clara que emana da história da criação em Gênesis 1 e 2 é a harmonia geral que existia no final da semana da criação.  A avaliação final de Deus foi que tudo era ‘muito bom’ (Gn 1:31), não apenas em referência à beleza estética, mas também à ausência de qualquer elemento maligno ou de discórdia quando Deus terminou de criar este mundo e os seres humanos que deveriam povoá-lo. O propósito original de Deus na criação incluía a coexistência harmoniosa e a relação interdependente de todas as formas de vida. Era um mundo belo criado para a família humana. Tudo era perfeito e digno de seu Criador. O ideal de Deus e o Seu propósito original para o mundo eram de harmonia, unidade e amor.”1

“1. O que Gênesis 1:26, 27 ensina sobre a singularidade humana em contraste com o restante da criação terrestre, descrita em Gênesis 1 e 2? Assinale a alternativa correta:”1

Gênesis (1:26, 27 ARA)2: 26 Também disse Deus: Façamos o homem à nossa imagem, conforme a nossa semelhança; tenha ele domínio sobre os peixes do mar, sobre as aves dos céus, sobre os animais domésticos, sobre toda a terra e sobre todos os répteis que rastejam pela terra. 27 Criou Deus, pois, o homem à sua imagem, à imagem de Deus o criou; homem e mulher os criou.

A (  ) Todos os outros animais e criaturas foram feitos conforme sua própria espécie. Apenas o homem foi feito à imagem e semelhança de Deus.
B (  ) O homem foi feito como todos os outros animais.

Resposta sugestiva: Alternativa A.

“O livro de Gênesis declara que Deus criou a humanidade à Sua imagem, algo que não é dito sobre nenhuma outra criatura no relato da criação. ‘Também disse Deus: Façamos o homem à Nossa imagem, conforme a Nossa semelhança […]. Criou Deus, pois, o homem à Sua imagem, à imagem de Deus o criou; homem e mulher os criou’ (Gn 1:26, 27). Embora os teólogos tenham discutido durante séculos a natureza exata dessa imagem, assim como a natureza do próprio Deus, muitas passagens das Escrituras apresentam a natureza de Deus como sendo ‘amor’.”1

“2. Leia 1 João 4:7, 8, 16. Como fomos originalmente criados e como isso poderia ter impactado a unidade original encontrada na criação?”1

1 João (4:7, 8, 16 ARA)2: “7 Amados, amemo-nos uns aos outros, porque o amor procede de Deus; e todo aquele que ama é nascido de Deus e conhece a Deus. 8 Aquele que não ama não conhece a Deus, pois Deus é amor. […] 16 E nós conhecemos e cremos no amor que Deus tem por nós. Deus é amor, e aquele que permanece no amor permanece em Deus, e Deus, nele.

“Deus é amor e, visto que o ser humano também pode amar (e de maneiras que o restante da criação terrestre certamente não pode), o fato de ter sido criado à Sua imagem deve incluir a capacidade de amar. No entanto, o amor só pode existir quando nos relacionamos com os outros. Assim, sejam quais forem as implicações do fato de que fomos feitos à imagem de Deus, essa condição sugere a capacidade de amar, e amar profundamente.”1

Domingo, 30 de setembro de 2018. Saiba mais, ouça o Comentário em áudio da Lição da Escola Sabatina (LES) ou se preferir faça um Curso Bíblico.
_______________

1 LIÇÃO da Escola Sabatina. Unidade em Cristo. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 494, out. nov. dez. 2018. Adulto, Professor.
2 BIBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

Um grande obstáculo para a unidade

Lições da Bíblia

“4. Como as palavras de Jesus em Mateus 7:1-5 podem ajudar a evitar divisões e conflitos na igreja?”1 “1 Não julgueis, para que não sejais julgados. 2 Pois, com o critério com que julgardes, sereis julgados; e, com a medida com que tiverdes medido, vos medirão também. 3 Por que vês tu o argueiro no olho de teu irmão, porém não reparas na trave que está no teu próprio? 4 Ou como dirás a teu irmão: Deixa-me tirar o argueiro do teu olho, quando tens a trave no teu? 5 Hipócrita! Tira primeiro a trave do teu olho e, então, verás claramente para tirar o argueiro do olho de teu irmão.” (Mateus 7:1-5 RA)2. Não Julgar o próximo é um elemento fundamental para evitar a discórdia e o descontentamento na igreja. Cada um deve considerar primeiro sua própria condição de pecador, embora os pecados possam diferir de pessoa para pessoa, todos somos pecadores carentes da graça e misericórdia de Deus.

“É muito mais fácil ver os defeitos nos outros do que em nós. Criticar produz falsa sensação de superioridade, porque o crítico se compara com outros seres humanos que parecem piores do que ele. No entanto, nosso objetivo não é comparar-nos com outros, mas com Jesus.”1

“Quantos problemas evitaríamos se obedecêssemos à ordem divina: ‘Não andarás como mexeriqueiro entre o teu povo’ (Lv 19:16). Uma verdade dolorosa é que ‘o difamador separa os maiores amigos’ (Pv 16:28).”1

“Por outro lado, há circunstâncias em que é necessário falar de outra pessoa. Porém, antes de fazer isso, devemos fazer três perguntas a nós mesmos:”1

“1. O que vou dizer é verdade? ‘Não dirás falso testemunho contra o teu próximo’ (Êx 20:16). Às vezes, podemos contar algo como um fato, embora seja apenas uma suposição ou hipótese. Além disso, podemos inconscientemente adicionar nossa avaliação subjetiva, correndo o risco de julgar erroneamente as intenções de outras pessoas.”1

“2. O que vou dizer é edificante? Será útil aos que ouvirem? Paulo nos exorta a falar somente a palavra ‘que for boa para edificação, conforme a necessidade’ (Ef 4:29). Se algo fosse verdade, mas não edificante, não seria melhor não dizer?”1

“3. É possível dizer isso de maneira amorosa? Nossa maneira de dizer algo é tão importante quanto aquilo que dizemos (Pv 25:11). Se é verdade e edificante, temos que ter certeza de que podemos dizer isso de uma forma que não ofenderá outras pessoas.”1

“Tiago compara a língua com uma simples fagulha que incendeia uma grande selva (Tg 3:5, 6). Se ouvimos uma fofoca, não devemos colocar mais lenha na fogueira, porque ‘sem lenha, o fogo se apaga; e, não havendo maldizente, cessa a contenda’ (Pv 26:20). A fofoca exige uma cadeia de transmissores para se manter viva. Podemos impedi-la, simplesmente recusando-nos a ouvi-la, ou, se já a ouvimos, evitando repeti-la. ‘Em lugar de espalhar rumores, ocasionando o mal, conversemos sobre o inigualável poder de Cristo, e falemos de Sua glória’ (Ellen G. White, Olhando Para o Alto [MM 1983], p. 300).”1

“Não há dúvida sobre isto: criticar os outros pode nos fazer sentir melhor sobre nós mesmos. O que acontece, porém, quando nos comparamos a Jesus?”1

Quarta-feira, 20 de agosto de 2014. Saiba mais, ouça o Comentário em áudioda Lição da Escola Sabatina (LES) ou se preferir faça um Curso Bíblico.

__________________

1 LIÇÕES da escola sabatina. Ensino de Jesus. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 477, Jul. Ago. Set. 2014. Adulto, Professor.

2 BIBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.