Fazer discípulos

Lições da Bíblia

“Depois da ressurreição, Jesus Se reuniu com os discípulos na Galileia, no ‘monte que Jesus lhes designara’ (Mt 28:16). Não somente os onze, mas também cerca de 500 irmãos ali estavam reunidos para se encontrar com o Senhor ressuscitado (1Co 15:6). Aquele que tinha vencido a morte, disse a eles: ‘Toda a autoridade Me foi dada no Céu e na Terra’ (Mt 28:18). Seu poder e autoridade não mais estavam limitados voluntariamente como estiveram durante Seu ministério terrestre. Ao contrário, como havia sido antes da encarnação, Sua autoridade incluía todo o Universo. Com base na Sua autoridade inquestionável, Ele confiou aos Seus seguidores uma missão.”1

“Segundo o relato de Mateus, ao dar a grande comissão, Jesus usou quatro verbos: ir, fazer discípulos, batizar e ensinar. Infelizmente, muitas versões da Bíblia não refletem o fato de que, no grego, o único verbo que está no imperativo aparece na expressão ‘fazer discípulos’, enquanto os outros três verbos estão no particípio. Isso significa que a ênfase da frase está em ‘fazer discípulos’. A isso estão subordinadas as outras três atividades.”1

“4. No cumprimento da ordem de ‘fazer discípulos’, qual é o papel das ações de ‘ir, batizar e ensinar’?” “19 Ide, portanto, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo; 20 ensinando-os a guardar todas as coisas que vos tenho ordenado. E eis que estou convosco todos os dias até à consumação do século.” (Mateus 28:19-20 RA)2. Para fazer discípulos é necessário ir ao encontro das pessoas batizando-as e ensinando-as a guardar a palavra de Deus.

“A ordem de Jesus indica três atividades envolvidas na obra de “fazer discípulos”. As três atividades não precisam ocorrer numa sequência específica. Ao contrário, elas se complementam. Ao ir a lugares diferentes, e finalmente ao mundo inteiro, devemos ensinar tudo o que Jesus ensinou, batizando os que O aceitam como Salvador e estão dispostos a guardar todas as coisas que Ele ordenou.”1

“Alegramo-nos quando alguém é batizado, mas o batismo não é o fim da história. É apenas parte do processo de fazer um discípulo. Nossa tarefa é convidar as pessoas a seguir Jesus, o que significa crer nEle, obedecer aos Seus ensinamentos, adotar Seu estilo de vida e convidar outros para que também se tornem Seus discípulos.”1

“A palavra toda [s] caracteriza esse texto. Porque Jesus tem ‘toda a autoridade’, temos que ir a ‘todas as nações’ ensinando-as a observar ‘todas as coisas’ que dizem respeito ao evangelho, com a certeza de que Cristo está conosco ‘sempre’ (literalmente, ‘todos os dias’) ‘até o fim dos tempos’ (NVI).”1

“O que é feito em sua igreja para nutrir e discipular novos cristãos? O que mais pode ser feito? E quanto a você? Quais talentos você pode usar para cumprir a comissão evangélica?”1

Quarta-feira, 27 de agosto de 2014. Saiba mais, ouça o Comentário em áudioda Lição da Escola Sabatina (LES) ou se preferir faça um Curso Bíblico.

__________________

1 LIÇÕES da escola sabatina. Ensino de Jesus. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 477, Jul. Ago. Set. 2014. Adulto, Professor.

2 BIBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

Cidadãos do reino

Lições da Bíblia.

“Em alguns casos, pessoas que passam a viver em outro país, têm que renunciar a toda lealdade à sua terra natal, se quiserem a cidadania em sua nova pátria. No entanto, alguns países permitem que uma pessoa mantenha dupla cidadania, ou seja, podem jurar lealdade a ambos os lugares.”1

“No entanto, no grande conflito, não existe algo parecido com dupla cidadania. Estamos de um lado ou do outro. O reino do mal tem lutado contra o reino da justiça durante milênios. É impossível que uma pessoa seja fiel aos dois lados ao mesmo tempo. Temos que escolher qual reino terá a nossa lealdade.”1

“2. Leia 1 Pedro 2:11, Hebreus 11:13, Efésios 2:12, Colossenses 1:13, Deuteronômio 30:19 e Mateus 6:24. O que esses textos dizem sobre a impossibilidade de ‘dupla cidadania’ no grande conflito entre Cristo e Satanás? Qual é o papel da observância da lei em mostrar o que é a nossa cidadania? Ap 14:12”1. Amados, exorto-vos, como peregrinos e forasteiros que sois, a vos absterdes das paixões carnais, que fazem guerra contra a alma,” (1 Pedro 2:11 RA)2; “Todos estes morreram na fé, sem ter obtido as promessas; vendo-as, porém, de longe, e saudando-as, e confessando que eram estrangeiros e peregrinos sobre a terra.” (Hebreus 11:13 RA)2; “naquele tempo, estáveis sem Cristo, separados da comunidade de Israel e estranhos às alianças da promessa, não tendo esperança e sem Deus no mundo.” (Efésios 2:12 RA)2; Ele nos libertou do império das trevas e nos transportou para o reino do Filho do seu amor,” (Colossenses 1:13 RA)2; Os céus e a terra tomo, hoje, por testemunhas contra ti, que te propus a vida e a morte, a bênção e a maldição; escolhe, pois, a vida, para que vivas, tu e a tua descendência,” (Deuteronômio 30:19 RA)2; Ninguém pode servir a dois senhores; porque ou há de aborrecer-se de um e amar ao outro, ou se devotará a um e desprezará ao outro. Não podeis servir a Deus e às riquezas.” (Mateus 6:24 RA)2; Aqui está a perseverança dos santos, os que guardam os mandamentos de Deus e a fé em Jesus.” (Apocalipse 14:12 RA)2. Não é possível a dupla cidadania, ou somos cidadãos do Reino dos Céus ou somos cidadãos do reino desse mundo, cujo o príncipe é o próprio Satanás. Todo aquele que que se torna cidadão do reino de Celestial é chamado a viver em harmonia com a vontade de Deus se abstendo das paixões da carne.

“Quando as pessoas tomam a decisão de seguir a Cristo, decidem virar as costas para o reino do diabo e passam a fazer parte de outro reino, o do Senhor Jesus Cristo. Como resultado, agora obedecem às Suas regras e aos Seus mandamentos, em lugar das ordens de Satanás. Porém, a obediência delas não é universalmente apreciada. Certamente, o diabo não fica feliz com essa escolha. Ele está ansioso para reconquistá-las. A fidelidade dos seguidores de Cristo também não é apreciada pelos incrédulos, que tendem a desconfiar dos “forasteiros e peregrinos” entre eles. Apesar desses obstáculos, Deus tem um povo cuja lealdade é voltada para Ele, não para “o príncipe deste mundo” (Jo 12:31, ARC).”1

“Muitas vezes, estrangeiros se destacam porque são diferentes das pessoas nascidas em um país. Sendo “estrangeiros e peregrinos no mundo”, como devemos nos destacar? Devemos ser iguais em algum aspecto?”1

Segunda-feira, 23 de junho de 2014. Saiba mais, ouça o Comentário em áudio da Lição da Escola Sabatina (LES) ou se preferir faça um Curso Bíblico.

__________________

LIÇÕES da escola sabatina. Cristo e sua lei. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 476, Abr. Maio Jun. 2013. Adulto, Professor.

2 BIBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

A morte de Cristo e a lei – Vídeo

Lições da Bíblia.

Assista em vídeo a discussão do tema da semana.

 

“Leia, de Ellen G. White, O Desejado de Todas as Nações, p. 758-764: ‘Está Consumado’.”

“A lei requer justiça – vida justa, caráter perfeito; e isso o homem não tem para dar. […] Mas Cristo, vindo à Terra como homem, viveu vida santa, e desenvolveu caráter perfeito. Estes Ele oferece como dom gratuito a todos quantos o queiram receber. Sua vida substitui a dos homens. Assim obtêm remissão de pecados passados, mediante a paciência de Deus. Mais que isso, Cristo lhes comunica os atributos divinos. […] Assim, a própria justiça da lei se cumpre no crente em Cristo. Deus pode ser ‘justo e justificador daquele que tem fé em Jesus'” (Rm 3:26, ARC; Ellen G. White, O Desejado de Todas as Nações, p. 762).1

“A morte de Jesus demonstrou a permanência da lei de Deus. Quando nossos primeiros pais pecaram, Deus poderia ter abolido a lei, eliminando a penalidade da transgressão. No entanto, isso significaria uma existência miserável em uma sociedade sem leis. Em vez disso, Deus escolheu enviar Seu Filho como nosso substituto. Por isso, Ele recebeu a justa penalidade pelo pecado, conforme exigido pela lei, em favor de todas as pessoas. Mediante a morte de Jesus, a humanidade está em novo relacionamento com Deus. Isso significa que, pela fé em Jesus, podemos ter o perdão de nossos pecados e nos tornar perfeitos aos olhos de Deus.”1

Perguntas para reflexão

“1. Muitas religiões ensinam que, no fim da vida Deus compara as boas ações com as más ações, antes de determinar qual será a recompensa da pessoa. O que está errado com esse pensamento?”1

“2. Jesus morreu pelos nossos pecados. Se a obediência à lei pudesse acrescentar alguma coisa a esse sacrifício, qual seria a eficácia do sacrifício de Cristo?”1

“3. Por que é falsa a ideia de que a lei de Deus foi abolida depois da cruz? Quando as pessoas defendem esse pensamento, o que elas realmente querem dizer que foi abolido? Qual mandamento as pessoas alegam que foi abolido?”1

Sexta-feira, 09 de maio de 2014. Saiba mais, ouça o Comentário em áudio da Lição da Escola Sabatina (LES) ou se preferir faça um Curso Bíblico.

__________________

1 LIÇÕES da escola sabatina. Cristo e sua lei. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 476, Abr. Maio Jun. 2013. Adulto, Professor.

“Mas o álcool não é bom para o coração?”

Lições da Bíblia

“Ai dos que se levantam pela manhã e seguem a bebedice e continuam até alta noite, até que o vinho os esquenta!” (Isa. 5:11).

“A intoxicação é produzida tão positivamente pelo vinho, cerveja e sidra, como pelas bebidas mais fortes. O uso delas suscita o gosto pelas outras, estabelecendo-se assim o hábito da bebida. O beber moderado é a escola em que os homens se educam para a carreira da embriaguez. Todavia, tão perigosa é a obra desses estimulantes mais brandos que a vítima entra no caminho da embriaguez antes de suspeitar o perigo em que se encontra.

Alguns que nunca são considerados realmente bêbados estão sempre sob a influência de intoxicantes brandos. São febris, de mente instável, desequilibrados. Imaginando-se seguros, vão mais e mais adiante, até que toda barreira é derribada, todo princípio sacrificado. São minadas as mais vigorosas resoluções, as mais elevadas considerações não são suficientes para manter o degradado apetite sob o controle da razão.

Em parte alguma sanciona a Bíblia o uso de vinho intoxicante. O vinho feito por Cristo da água, nas bodas de Caná, foi o puro suco da uva. Esse é o vinho novo que se ‘acha mosto em um cacho de uvas’, de que a Escritura diz: ‘Não o desperdices, pois há bênção nele.’ (Isa. 65:8)." (Ellen G. White, A ciência do bom viver, p. 331-333)

Saiba mais, estude a Lição da Escola Sabatina – Terça-feira, 25 de maio de 2010. Escolha o formato para o estudo: Texto, Comentário em áudio ou se preferir faça um Curso Bíblico.

Este conteúdo é publicado simultaneamente em: Blogspot, WordPress, Livejournal.

Para impressão acesse arquivo em formato PDF