A morte de Moisés

Lições da Bíblia1

Pobre Moisés! Depois de chegar tão longe e passar por tanta coisa, ficar de fora do cumprimento da promessa a Abrão: “Darei esta terra à sua descendência” (Gn 12:7).

4. Leia Deuteronômio 34:1-12. O que aconteceu com Moisés, e o que o Senhor disse sobre ele que mostrou como era um homem especial?

Deuteronômio 34:1-12 (ARA)2: “1 Então, subiu Moisés das campinas de Moabe ao monte Nebo, ao cimo de Pisga, que está defronte de Jericó; e o Senhor lhe mostrou toda a terra de Gileade até Dã; 2 e todo o Naftali, e a terra de Efraim, e Manassés; e toda a terra de Judá até ao mar ocidental; 3 e o Neguebe e a campina do vale de Jericó, a cidade das Palmeiras, até Zoar. 4 Disse-lhe o Senhor: Esta é a terra que, sob juramento, prometi a Abraão, a Isaque e a Jacó, dizendo: à tua descendência a darei; eu te faço vê-la com os próprios olhos; porém não irás para lá. 5 Assim, morreu ali Moisés, servo do Senhor, na terra de Moabe, segundo a palavra do Senhor. Este o sepultou num vale, na terra de Moabe, defronte de Bete-Peor; e ninguém sabe, até hoje, o lugar da sua sepultura. Tinha Moisés a idade de cento e vinte anos quando morreu; não se lhe escureceram os olhos, nem se lhe abateu o vigor. 8 Os filhos de Israel prantearam Moisés por trinta dias, nas campinas de Moabe; então, se cumpriram os dias do pranto no luto por Moisés. 9 Josué, filho de Num, estava cheio do espírito de sabedoria, porquanto Moisés impôs sobre ele as mãos; assim, os filhos de Israel lhe deram ouvidos e fizeram como o Senhor ordenara a Moisés. 10 Nunca mais se levantou em Israel profeta algum como Moisés, com quem o Senhor houvesse tratado face a face, 11 no tocante a todos os sinais e maravilhas que, por mando do Senhor, fez na terra do Egito, a Faraó, a todos os seus oficiais e a toda a sua terra; 12 e no tocante a todas as obras de sua poderosa mão e aos grandes e terríveis feitos que operou Moisés à vista de todo o Israel”

“Na solidão, Moisés reviu sua vida de lutas e dificuldades, desde que havia deixado as honras da corte e de um reino que poderia ter sido seu no Egito, para arriscar o futuro com o povo escolhido de Deus. Lembrou-se dos longos anos no deserto com os rebanhos de Jetro, do aparecimento do Anjo na sarça ardente e do chamado para libertar Israel. Viu de novo os milagres do poder de Deus realizados em favor do povo escolhido e Sua paciente misericórdia durante os anos de peregrinação e rebelião. Apesar de tudo que Deus tinha feito pelo povo, apesar das próprias orações e dos esforços de Moisés, apenas dois de todos os adultos do vasto exército que deixou o Egito foram considerados dignos de entrar na terra prometida. Revendo os resultados de seus trabalhos, sua vida de provações e sacrifícios, Moisés tinha a impressão de que quase tudo havia sido em vão” (Ellen G. White, Patriarcas e Profetas, p. 471, 472).

Deuteronômio 34:4 diz algo interessante. “Esta é a terra que, sob juramento, prometi a Abraão, a Isaque e a Jacó, dizendo que a daria à descendência deles”. O Senhor usou quase as mesmas palavras que havia dito repetidamente aos patriarcas e seus filhos, sobre dar-lhes a terra. Naquele momento, Ele as repetiu a Moisés.

O Senhor também disse: “Estou permitindo que você a veja com os seus olhos, mas você não entrará nela” (Dt 34:4, grifo nosso). Não havia como Moisés, parado onde estava, ter visto tudo o que o Senhor lhe apontou, de Moabe a Dã, a Naftali e assim por diante. Ellen G. White esclareceu: foi uma revelação sobrenatural, não apenas da terra, mas de como seria depois que tivessem tomado posse dela.

Era como se Deus estivesse provocando Moisés, cutucando a ferida: Você poderia ter estado aqui se tivesse Me obedecido. Mas o Senhor mostrou a ele que apesar do erro do Seu servo, Deus seria fiel às promessas da aliança feita com os patriarcas e com Israel. Além disso, o Senhor tinha algo melhor para aquele servo fiel e imperfeito.

Terça-feira, 21 de dezembro de 2021. Saiba mais, faça gratuitamente um Curso Bíblico

_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. A verdade presente em Deuteronômio. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 506, out. nov. dez. 2021. Adulto, Professor. 
2 BÍBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

Escolham a vida – Estudo adicional

Lições da Bíblia1

No presente, como no passado, devemos fazer uma escolha. Sim, a palavra crucial é escolha. Ao contrário de uma ideia difundida no cristianismo, segundo a qual, mesmo antes do nascimento, Deus predestinou alguns não apenas a se perderem, mas até a queimarem no inferno para sempre, as Escrituras ensinam que nossa escolha pela vida ou pela morte, bênção ou maldição, bem ou mal, determina qual tríade (vida, bem, bênção – ou morte, mal, maldição) iremos finalmente encarar. É reconfortante saber que, mesmo que alguém faça a escolha errada, o resultado será morte eterna, não tormento eterno em um lago de fogo sem fim.

“‘O salário do pecado é a morte, mas o dom gratuito de Deus é a vida eterna em Cristo Jesus, nosso Senhor’ (Rm 6:23). Ao passo que a vida é a herança dos justos, a morte é o destino dos ímpios. Moisés declarou a Israel: ‘Vê que proponho, hoje, a vida e o bem, a morte e o mal’ (Dt 30:15). A morte a que se faz referência nessas passagens não é a que foi pronunciada sobre Adão, pois a humanidade toda sofre a pena de sua transgressão. É a ‘segunda morte’ que contrasta com a vida eterna” (Ellen G. White, O Grande Conflito, p. 544).

Perguntas para consideração

1. É Deus quem diretamente traz a punição pela desobediência ou é consequência dos atos de desobediência? Ou podem ser ambos? Como entender esse assunto?

2. O que os textos de Ellen White ensinam sobre o poder para vencer o pecado?

3. Leia Romanos 10:1-10, em que Paulo cita Deuteronômio 30:11-14 ao explicar a salvação pela graça mediante a fé em Jesus em contraste com a busca pela salvação e justiça por meio da lei. Por que ele citou Deuteronômio? Observe especialmente Romanos 10:10. O que Paulo defende?

4. A cultura e a sociedade ao seu redor têm opiniões que levam à adoração falsa?

Sexta-feira, 19 de novembro de 2021. Saiba mais, faça gratuitamente um Curso Bíblico

_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. A verdade presente em Deuteronômio. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 506, out. nov. dez. 2021. Adulto, Professor. 

Sem meio-termo

Lições da Bíblia1

Em toda a Bíblia, duas opções são apresentadas ao ser humano. No contexto da história do pecado, dois caminhos, dois senhores e dois destinos foram colocados diante da humanidade.

2. Leia os seguintes textos. Quais são as duas opções, declaradas abertamente ou implícitas? De que modo elas são apresentadas?

Jo 3:16 (ARA)2: “Porque Deus amou ao mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo o que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna.”

Gn 7:22, 23 (ARA)2: “22 Tudo o que tinha fôlego de vida em suas narinas, tudo o que havia em terra seca, morreu. 23 Assim, foram exterminados todos os seres que havia sobre a face da terra; o homem e o animal, os répteis e as aves dos céus foram extintos da terra; ficou somente Noé e os que com ele estavam na arca.”

Rm 6:23 (ARA)2: “porque o salário do pecado é a morte, mas o dom gratuito de Deus é a vida eterna em Cristo Jesus, nosso Senhor.”

Rm 8:6 (ARA)2: “Porque o pendor da carne dá para a morte, mas o do Espírito, para a vida e paz.”

1Jo 5:12 (ARA)2: “Aquele que tem o Filho tem a vida; aquele que não tem o Filho de Deus não tem a vida.”

Mt 7:24-27 (ARA)2: “24 Todo aquele, pois, que ouve estas minhas palavras e as pratica será comparado a um homem prudente que edificou a sua casa sobre a rocha; 25 e caiu a chuva, transbordaram os rios, sopraram os ventos e deram com ímpeto contra aquela casa, que não caiu, porque fora edificada sobre a rocha. 26 E todo aquele que ouve estas minhas palavras e não as pratica será comparado a um homem insensato que edificou a sua casa sobre a areia; 27 e caiu a chuva, transbordaram os rios, sopraram os ventos e deram com ímpeto contra aquela casa, e ela desabou, sendo grande a sua ruína.”

No final das contas, não existe meio-termo para nós. Antes que o grande conflito termine, o pecado, Satanás, o mal, a desobediência e a rebelião serão erradicados. Depois disso, cada um de nós, individualmente, terá a vida eterna, que Deus planejou para todos antes da criação do mundo, ou enfrentaremos a morte eterna, isto é, “penalidade de eterna destruição, banidos da face do Senhor e da glória do Seu poder” (2Ts 1:9). A Bíblia parece não nos dar outras opções.

Qual será o nosso destino? Essa resposta depende de nós mesmos. Temos a escolha diante de nós: vida ou morte.

3. Sobre a morte eterna, qual das opções abaixo reflete a verdade bíblica?

A. ( ) O lago de fogo queimará os ímpios até que eles sejam completamente extintos e a justiça seja cumprida.
B. ( ) O fogo atormentará os ímpios eternamente.

Resposta sugestiva: Alternativa A.

No contexto da vida ou morte eterna, por que é reconfortante a verdade bíblica de que o inferno não queima e tortura as pessoas para sempre? Se o tormento eterno e consciente fosse o destino dos perdidos, o que isso diria sobre o caráter divino?

Segunda-feira, 15 de novembro de 2021. Saiba mais, faça gratuitamente um Curso Bíblico

_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. A verdade presente em Deuteronômio. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 506, out. nov. dez. 2021. Adulto, Professor. 
2 BÍBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

Descanse em paz

Lições da Bíblia1

Há muitos séculos, os cristãos aguardam a volta de Cristo. Ela é a culminação das nossas esperanças – e não apenas das nossas, mas das esperanças dos fiéis ao longo da História.

6. Qual é a grande promessa em Hebreus 11:13-16, não apenas para as pessoas da antiguidade, mas também para nós?

Hebreus 11:13-16 (ARA): “13 Todos estes morreram na fé, sem ter obtido as promessas; vendo-as, porém, de longe, e saudando-as, e confessando que eram estrangeiros e peregrinos sobre a terra. 14 Porque os que falam desse modo manifestam estar procurando uma pátria. 15 E, se, na verdade, se lembrassem daquela de onde saíram, teriam oportunidade de voltar. 16 Mas, agora, aspiram a uma pátria superior, isto é, celestial. Por isso, Deus não se envergonha deles, de ser chamado o seu Deus, porquanto lhes preparou uma cidade.”

Esses versos não teriam sentido se a versão popular da morte fosse verdadeira. Do que trata essa passagem bíblica ao dizer que essas pessoas “não obtiveram as promessas”? De modo equivocado, muitos pensam que, após a morte, os fiéis estão supostamente no Céu com Jesus, desfrutando da recompensa. Por exemplo, após a morte de Billy Graham, repetidamente ouvimos que ele estava agora no Céu com Jesus.

Há uma ironia nessa visão, porque muitas vezes, quando alguém morre, ouvimos: “Que descanse em paz”. Mas o que está acontecendo? As pessoas estão descansando em paz ou estão no Céu fazendo o que deveriam fazer lá (talvez observando a vida aqui na Terra)?

7. Como Jesus descreveu a morte? Jo 11:11

Jo 11:11 (ARA): “Isto dizia e depois lhes acrescentou: Nosso amigo Lázaro adormeceu, mas vou para despertá-lo.”

A ideia do descanso “em paz” é a verdade sobre o que acontece na morte, não é mesmo? Os mortos estão em repouso. “Para aquele que crê, a morte é de pouca importância. Cristo fala dela como possuindo pouco valor. ‘Se alguém guardar a Minha palavra, nunca verá a morte’, ‘nunca provará a morte’ (Jo 8:51, 52, ARC). Para o cristão, a morte é apenas um sono, um período de silêncio e escuridão. A vida está escondida com Cristo em Deus, e ‘quando Cristo, que é a nossa vida, Se manifestar, então, vós também sereis manifestados com Ele, em glória’” (Cl 3:4; Ellen G. White, O Desejado de Todas as Nações, p. 787).

Jesus comparou com um sono inconsciente a condição da pessoa entre a morte e a manhã da ressurreição (Jo 11:11, 14), mas também enfatizou que os salvos e os perdidos receberão sua recompensa após a ressurreição (Jo 5:28, 29). Ele destacou a necessidade de estarmos preparados para a morte.

Que conforto obtemos ao saber que nossos queridos falecidos estão descansando agora?

Quarta-feira, 22 de setembro de 2021. Saiba mais, faça gratuitamente um Curso Bíblico

_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. Descanso em Cristo. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 505, jul. ago. set. 2021. Adulto, Professor. 
2 BÍBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

O destino dos mortos em Cristo

Lições da Bíblia

“No século 17, um escritor francês chamado Blaise Pascal refletiu sobre a condição da humanidade. Para ele, um ponto era muito claro: não importava quanto tempo um ser humano vivesse (e naquela época a expectativa de vida era baixa) nem se a vida dessa pessoa fosse boa (e a vida naquela época também não era tão boa assim) – o fato é que, mais cedo ou mais tarde, essa pessoa morreria.”1

“Além disso, o que quer que viesse após a morte seria infinitamente mais longo do que o curto período de vida aqui na Terra. Portanto, para Pascal, a coisa mais lógica que uma pessoa deveria descobrir é o destino dos mortos. E ele ficou surpreso ao ver as pessoas se preocupando com coisas como ‘a perda de emprego ou algum insulto imaginário à sua honra’, não dando atenção ao que aconteceria depois que morressem.”1

“Pascal tinha razão. E não há dúvida do motivo pelo qual grande parte da Bíblia é dedicada às promessas reservadas para os que encontraram a salvação em Jesus, promessas relacionadas ao que os aguarda no futuro. Na segunda vinda de Jesus, os salvos ressuscitarão para a vida eterna. Após os mil anos, os perdidos ressuscitarão para a morte eterna (Ap 20).”1

“1. Qual esperança é oferecida a nós? Leia Jo 6:54; 3:16; 1Jo 5:13; 1Tm 1:16; Jo 4:14; 6:40; Jd 1:21; Tt 3:7. Assinale a alternativa correta:”1

Jo 6:54 (ARA)2: “Quem comer a minha carne e beber o meu sangue tem a vida eterna, e eu o ressuscitarei no último dia.”

Jo 3:16 (ARA)2: “Porque Deus amou ao mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo o que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna.”

1Jo 5:13 (ARA)2: “Estas coisas vos escrevi, a fim de saberdes que tendes a vida eterna, a vós outros que credes em o nome do Filho de Deus.”  

1Tm 1:16 (ARA)2: “Mas, por esta mesma razão, me foi concedida misericórdia, para que, em mim, o principal, evidenciasse Jesus Cristo a sua completa longanimidade, e servisse eu de modelo a quantos hão de crer nele para a vida eterna.”

Jo 4:14 (ARA)2: “aquele, porém, que beber da água que eu lhe der nunca mais terá sede; pelo contrário, a água que eu lhe der será nele uma fonte a jorrar para a vida eterna.

Jo 6:40 (ARA)2: “De fato, a vontade de meu Pai é que todo homem que vir o Filho e nele crer tenha a vida eterna; e eu o ressuscitarei no último dia.”

Jd 1:21 (ARA)2: “guardai-vos no amor de Deus, esperando a misericórdia de nosso Senhor Jesus Cristo, para a vida eterna.”

Tt 3:7 (ARA)2: “a fim de que, justificados por graça, nos tornemos seus herdeiros, segundo a esperança da vida eterna.”

A.( ) A esperança da ressurreição e da vida eterna com Cristo.
B.( ) A esperança de obter ascensão social e fama.

Reposta sugestiva: Alternativa A.

“A vida eterna faz muito sentido à luz da cruz; na realidade, à luz da cruz, nada mais faz sentido senão a vida eterna. Afinal, qual teria sido o propósito do Criador, Aquele que ‘fez o Universo’ (Hb 1:2), em quem ‘vivemos, e nos movemos, e existimos’ (At 17:28), ao encarnar em um corpo humano e morrer nesse corpo, se o nosso destino fosse apenas morrer e apodrecer como animais atropelados à beira da estrada?”1

“Por isso, o Novo Testamento inclui muitas promessas de vida eterna, pois somente a eternidade garante restituição. Nem um bilhão de anos de bons momentos compensariam os momentos ruins passados aqui. Unicamente a eternidade pode equilibrar todas as coisas e superar infinitamente os sofrimentos e limitações produzidos pela história do pecado.”1

“Pascal acertou ao dizer que nosso tempo aqui é muito limitado, se comparado ao que está por vir. É tolice não estarmos prontos para a eternidade.”1

Domingo, 20 de dezembro de 2020. Saiba mais, faça um Curso Bíblico

Leia o livro A Grande Esperança,
baixe o seu exemplar gratuitamente

A Grande Esperança

VIVA COM A CERTEZA DE QUE TUDO VAI TERMINAR BEM

Esse livro é parte de uma grande campanha desenvolvida nos últimos anos em favor da esperança, com o objetivo de discutir uma visão do futuro para mudar o presente.

São 11 capítulos curtos, simples, mas provocativos. Discutem algumas das questões que mais interessam a todos nós, como: a razão do sofrimento, a verdadeira paz, a vida após a morte e a vitória final do amor de Deus.

Eles seguem uma ordem lógica, que começa com a origem dos problemas e termina com a solução definitiva.
Mas entre esses dois extremos cada um de nós tem que viver o seu dia a dia e nesse ponto é que a esperança faz toda a diferença.
A boa notícia é que há uma luz no fim. E essa luz está chegando até nós, para iluminar o nosso caminho.

_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. Educação e redenção. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 502, out. nov. dez. 2020. Adulto, Professor. 
2 BÍBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

Perdas – Estudo adicional

Lições da Bíblia

Assista em vídeo a discussão do tema da semana.

Estudo adicional

“Muitos sofrem como resultado de seus vícios. Eles se tornam escravos de seus desejos e perdem dinheiro, trabalho, saúde e liberdade. Mas Jesus veio para nos libertar do nosso pecado e de todos os nossos vícios. Se, pois, o Filho nos libertar, verdadeiramente seremos livres (Jo 8:36). Jesus também prometeu que sempre estaria conosco (Mt 28:20; Is 43:2); portanto, não temos que enfrentar essa guerra sozinhos. Na verdade, devemos nos lembrar de que a batalha é do Senhor (1Sm 17:47) e Ele promete a vitória (1Pe 1:3-9). Hoje podemos começar a trilhar o caminho da vitória sobre todo vício e receber a liberdade que desejamos e que Deus quer para nós. Isso não significa que não teremos lutas nem significa que não podemos, às vezes, falhar. Mas a boa notícia é que, desde que não desistamos do Senhor, Ele não desistirá de nós. E, evidentemente, não há nada de errado em procurar também ajuda profissional. Assim como o Senhor usa um médico para ajudá-lo com problemas de saúde, Ele também pode guiar um conselheiro profissional para o ajudar na questão do vício.”1

“Quando nos assediam dificuldades e provações, devemos fugir para Deus e confiantemente esperar auxílio Dele, que é poderoso para salvar e forte para livrar. Temos que pedir as bênçãos de Deus, se é que as queremos receber. A oração é um dever e uma necessidade; não negligenciamos, porém, o louvor? Não deveríamos mais frequentemente render ações de graças ao Doador de todas as nossas bênçãos? Precisamos cultivar a gratidão. Devemos frequentemente contemplar e contar de novo as misericórdias de Deus e louvar e glorificar o Seu santo nome, mesmo quando passamos por tristeza e aflição” (Ellen G. White, Mensagens Escolhidas, v. 2, p. 268).1

Perguntas para discussão

“1. Qual é a função do perdão na restauração de um relacionamento rompido? (Mt 6:12-15; 18:21, 22) “O amor […] não se ressente do mal” (1Co 13:4, 5).”1

“2. Qual é o benefício de contemplar e relatar as misericórdias de Deus ao passarmos por tristeza e aflição?”1

“3. Como podemos, como igreja, ajudar os que estão sofrendo com qualquer tipo de perda?”1

Sexta-feira, 31 de maio de 2019. Saiba mais, faça um Curso Bíblico.

_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. Estações da vida. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 496, abr. maio. jun. 2019. Adulto, Professor.

Perda da vida

Lições da Bíblia

“Como seres humanos, conhecemos a realidade da morte. Lemos a respeito dela, convivemos com ela e talvez até tenhamos chegado perto de enfrentá-la.”1

“5. Leia 1 Coríntios 15:26. Como a morte é descrita? Por que ela é descrita dessa maneira?”1

1 Coríntios (15:26 ARA)2:O último inimigo a ser destruído é a morte.

“Quem, tendo perdido uma pessoa amada, não sente pessoalmente o quanto a morte é um inimigo poderoso? Por outro lado, os mortos estarão em ‘boas circunstâncias’, caso eles fechem os olhos no Senhor e, em um tempo que pareça apenas um instante, sejam ressuscitados para a imortalidade. ‘Para o crente a morte não é senão de pouca importância. […] Para o cristão a morte não é mais que um sono, um momento de silêncio e escuridão. A vida está escondida com Cristo em Deus, e ‘quando Cristo, que é a nossa vida, Se manifestar, então também vós vos manifestareis com Ele em glória’ (Cl 3:4; Ellen G. White, O Desejado de Todas as Nações, p. 787).”1

“Os vivos, especialmente os amigos ou familiares do falecido, conhecem a dor e a tristeza após a morte. O fato é que o luto é uma resposta natural e normal à perda. É o sofrimento emocional que vivenciamos quando algo ou alguém que amamos nos é tirado.”1

“O processo do luto não é igual para todos, mas a maioria das pessoas passa por vários estágios. Normalmente, a primeira reação à morte de um ente querido é o choque e a negação, mesmo quando a morte é esperada. O choque é a proteção emocional por ser subitamente esmagado pela perda e dura de dois a três meses. Podemos também passar por um momento em que somos constantemente consumidos por pensamentos sobre o ente querido, mesmo durante tarefas comuns. Muitas vezes as conversas se voltam para nossa perda ou para a pessoa querida. Esse período pode durar de seis meses a um ano.”1

“O estágio do desespero e depressão é um longo período de pesar, provavelmente o estágio mais doloroso e prolongado, durante o qual gradualmente aceitamos e lidamos com a realidade da perda. Nesse estágio, podemos sentir emoções como ira, culpa, arrependimento, tristeza e ansiedade. O objetivo do luto não é eliminar a dor ou as lembranças da nossa perda. No estágio final da recuperação, começamos a ter interesse renovado nas atividades diárias e a exercer nossas funções normalmente.”1

“Quais palavras confortadoras encontramos na Bíblia? Rm 8:31-39; Ap 21:4; 1Co 15:52-57.”1

Romanos (8:31-39 ARA)2: 31 Que diremos, pois, à vista destas coisas? Se Deus é por nós, quem será contra nós? 32 Aquele que não poupou o seu próprio Filho, antes, por todos nós o entregou, porventura, não nos dará graciosamente com ele todas as coisas? 33 Quem intentará acusação contra os eleitos de Deus? É Deus quem os justifica. 34 Quem os condenará? É Cristo Jesus quem morreu ou, antes, quem ressuscitou, o qual está à direita de Deus e também intercede por nós. 35 Quem nos separará do amor de Cristo? Será tribulação, ou angústia, ou perseguição, ou fome, ou nudez, ou perigo, ou espada? 36 Como está escrito: Por amor de ti, somos entregues à morte o dia todo, fomos considerados como ovelhas para o matadouro. 37 Em todas estas coisas, porém, somos mais que vencedores, por meio daquele que nos amou. 38 Porque eu estou bem certo de que nem a morte, nem a vida, nem os anjos, nem os principados, nem as coisas do presente, nem do porvir, nem os poderes, 39 nem a altura, nem a profundidade, nem qualquer outra criatura poderá separar-nos do amor de Deus, que está em Cristo Jesus, nosso Senhor.”

Apocalipse (21:4 ARA)2: “E lhes enxugará dos olhos toda lágrima, e a morte já não existirá, já não haverá luto, nem pranto, nem dor, porque as primeiras coisas passaram.”

1 Coríntios (15:52-57 ARA)2: “52 num momento, num abrir e fechar de olhos, ao ressoar da última trombeta. A trombeta soará, os mortos ressuscitarão incorruptíveis, e nós seremos transformados. 53 Porque é necessário que este corpo corruptível se revista da incorruptibilidade, e que o corpo mortal se revista da imortalidade. 54 E, quando este corpo corruptível se revestir de incorruptibilidade, e o que é mortal se revestir de imortalidade, então, se cumprirá a palavra que está escrita: Tragada foi a morte pela vitória. 55 Onde está, ó morte, a tua vitória? Onde está, ó morte, o teu aguilhão? 56 O aguilhão da morte é o pecado, e a força do pecado é a lei. 57 Graças a Deus, que nos dá a vitória por intermédio de nosso Senhor Jesus Cristo.”

Quinta-feira, 30 de maio de 2019. Saiba mais, faça um Curso Bíblico.

_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. Estações da vida. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 496, abr. maio. jun. 2019. Adulto, Professor.
2 BIBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

Morte e solidão

Lições da Bíblia

“Alguém perguntou: ‘Qual é a diferença entre o ser humano e a galinha em relação à morte?’ A resposta é que, ao contrário das galinhas, que morrem, nós, seres humanos, que também morremos, sabemos que morreremos. As galinhas não sabem disso. E o conhecimento da nossa morte iminente afeta grandemente a nossa maneira de viver.”1

“Todos os relacionamentos, incluindo o casamento, mais cedo ou mais tarde chegam ao fim por ocasião do nosso maior inimigo: a morte. Não importa a proximidade da união, o grande amor, o companheirismo profundo nem o tempo que passamos juntos, nós (diferentemente das galinhas) sabemos que a morte virá (a menos que Jesus retorne antes) e, quando isso acontecer, todos os nossos relacionamentos cessarão. Esse tem sido nosso destino desde o primeiro pecado e assim será até a volta de Jesus.”1

“A Bíblia não revela qual dos dois, Adão ou Eva, morreu primeiro, mas deve ter sido particularmente doloroso para o outro, especialmente porque, para começar, a morte nunca foi o plano de Deus. Se, como vimos em uma lição anterior, a morte de uma única folha os fez lamentar, quem pode imaginar o que eles sofreram com a morte do cônjuge?”1

“O problema é que estamos tão acostumados com a morte que simplesmente a tomamos como certa. Mas ela jamais deveria ser experimentada. Portanto, até hoje nos esforçamos para dar sentido a ela, quando, muitas vezes, simplesmente não conseguimos.”1

“5. O que os seguintes textos ensinam sobre a morte? Como as pessoas lutam contra ela? Is 57:1; Ap 21:4; 1Ts 4:17, 18; Mt 5:4; 2Sm 18:33; Gn 37:34. Assinale a alternativa correta”1

Isaías (57:1 ARA)2: “Perece o justo, e não há quem se impressione com isso; e os homens piedosos são arrebatados sem que alguém considere nesse fato; pois o justo é levado antes que venha o mal

Apocalipse (21:4 ARA)2: “E lhes enxugará dos olhos toda lágrima, e a morte já não existirá, já não haverá luto, nem pranto, nem dor, porque as primeiras coisas passaram.

1 Tessalonicenses (4:17, 18 ARA)2: “17 depois, nós, os vivos, os que ficarmos, seremos arrebatados juntamente com eles, entre nuvens, para o encontro do Senhor nos ares, e, assim, estaremos para sempre com o Senhor. 18 Consolai-vos, pois, uns aos outros com estas palavras.

Mateus (5:4 ARA)2: “Bem-aventurados os que choram, porque serão consolados.

2 Samuel (18:33 ARA)2: “Então, o rei, profundamente comovido, subiu à sala que estava por cima da porta e chorou; e, andando, dizia: Meu filho Absalão, meu filho, meu filho Absalão! Quem me dera que eu morrera por ti, Absalão, meu filho, meu filho!

Gênesis (37:34 ARA)2: “Então, Jacó rasgou as suas vestes, e se cingiu de pano de saco, e lamentou o filho por muitos dias.

  1. ( ) Temos esperança, pois Jesus venceu a morte e um dia seremos ressuscitados.
  2. ( ) A morte é uma passagem para outra vida, pela reencarnação.

Resposta sugestiva: alternativa A.

“Evidentemente, não apenas enfrentamos a realidade da nossa morte, como também encaramos a realidade da morte de outros, de nossos entes queridos, talvez de nosso(a) companheiro(a) mais próximo(a). Portanto, mais cedo ou mais tarde, muitos entre nós enfrentarão uma fase de solidão ocasionada pela morte de outra pessoa. É difícil, dói, e nesses momentos podemos e devemos apenas reivindicar as promessas de Deus. Afinal, neste mundo de pecado, sofrimento e morte, o que mais temos?”1

“Como sua igreja pode ajudar aqueles que estão sofrendo a solidão pela morte de um ente querido?”1

Quarta-feira, 24 de abril de 2019. Saiba mais, ouça o Comentário em áudio da Lição da Escola Sabatina (LES) ou se preferir faça um Curso Bíblico.
_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. Estações da vida. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 496, abr. maio. jun. 2019. Adulto, Professor.
2 BIBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.