Missão cumprida

Lições da Bíblia1

Comparada a qualquer cidade em Israel, Nínive era enorme. “Ora, Nínive era uma cidade muito importante diante de Deus; eram necessários três dias para percorrê-la” (Jn 3:3).

3. Leia Jonas 3:1-10. Qual foi a resposta daquela cidade perversa? Quais lições podemos extrair dessa história em nossa tentativa de testemunhar aos outros?

Jonas 3:1-10 (ARA)2: “1 Veio a palavra do Senhor, segunda vez, a Jonas, dizendo: 2 Dispõe-te, vai à grande cidade de Nínive e proclama contra ela a mensagem que eu te digo. 3 Levantou-se, pois, Jonas e foi a Nínive, segundo a palavra do Senhor. Ora, Nínive era cidade mui importante diante de Deus e de três dias para percorrê-la. 4 Começou Jonas a percorrer a cidade caminho de um dia, e pregava, e dizia: Ainda quarenta dias, e Nínive será subvertida. 5 Os ninivitas creram em Deus, e proclamaram um jejum, e vestiram-se de panos de saco, desde o maior até o menor. Chegou esta notícia ao rei de Nínive; ele levantou-se do seu trono, tirou de si as vestes reais, cobriu-se de pano de saco e assentou-se sobre cinza.E fez-se proclamar e divulgar em Nínive: Por mandado do rei e seus grandes, nem homens, nem animais, nem bois, nem ovelhas provem coisa alguma, nem os levem ao pasto, nem bebam água; mas sejam cobertos de pano de saco, tanto os homens como os animais, e clamarão fortemente a Deus; e se converterão, cada um do seu mau caminho e da violência que há nas suas mãos. 9 Quem sabe se voltará Deus, e se arrependerá, e se apartará do furor da sua ira, de sorte que não pereçamos? 10 Viu Deus o que fizeram, como se converteram do seu mau caminho; e Deus se arrependeu do mal que tinha dito lhes faria e não o fez.

Enquanto caminhava pela cidade, Jonas proclamou a mensagem de Deus: “Ainda quarenta dias, e Nínive será destruída” (Jn 3:4). A mensagem foi ao ponto. Embora os detalhes não tenham sido apresentados, fica claro que a mensagem caiu em ouvidos receptivos e que o povo de Nínive, de maneira coletiva, acreditou nas palavras de advertência de Jonas.

De maneira típica do Oriente Próximo, o rei de Nínive proclamou um decreto para demonstrar mudança no coração. Todos, inclusive os animais, precisariam jejuar e lamentar. O rei desceu de seu trono e sentou-se sobre cinzas, um ato simbólico muito importante.

4. Quais elementos estavam envolvidos no discurso do rei, que mostra sua compreensão do verdadeiro arrependimento? Jn 3:6-9; Jr 25:5; Ez 14:6; Ap 2:5

Jn 3:6-9 (ARA)2: “6 Chegou esta notícia ao rei de Nínive; ele levantou-se do seu trono, tirou de si as vestes reais, cobriu-se de pano de saco e assentou-se sobre cinza.E fez-se proclamar e divulgar em Nínive: Por mandado do rei e seus grandes, nem homens, nem animais, nem bois, nem ovelhas provem coisa alguma, nem os levem ao pasto, nem bebam água;mas sejam cobertos de pano de saco, tanto os homens como os animais, e clamarão fortemente a Deus; e se converterão, cada um do seu mau caminho e da violência que há nas suas mãos. 9 Quem sabe se voltará Deus, e se arrependerá, e se apartará do furor da sua ira, de sorte que não pereçamos?”

Jr 25:5 (ARA)2: “quando diziam: Convertei-vos agora, cada um do seu mau caminho e da maldade das suas ações, e habitai na terra que o Senhor vos deu e a vossos pais, desde os tempos antigos e para sempre.”

Ez 14:6 (ARA)2: “Portanto, dize à casa de Israel: Assim diz o Senhor Deus: Convertei-vos, e apartai-vos dos vossos ídolos, e dai as costas a todas as vossas abominações,

Ap 2:5 (ARA)2: “Lembra-te, pois, de onde caíste, arrepende-te e volta à prática das primeiras obras; e, se não, venho a ti e moverei do seu lugar o teu candeeiro, caso não te arrependas.”

O sermão foi curto, direto ao ponto, mas repleto de teologia correta sobre o arrependimento. Enquanto Jonas pregava, o Espírito Santo trabalhava no coração dos ninivitas.

Os ninivitas não haviam tido o privilégio dos israelitas de vivenciar todas as histórias da terna condução de Deus, e, ainda assim, eles responderam de maneira positiva. Disseram, com efeito, “que nos lancemos na misericórdia do Senhor, não em nossas próprias realizações! Confiemos totalmente em Sua bondade e graça”.

Estranhamente, Jonas, que tinha experimentado a graça de Deus, pensava que a graça fosse algo tão exclusivo que somente alguns podiam ter a oportunidade de depender dela e descansar nela.

Por que o arrependimento é tão essencial na experiência cristã? O que significa nos arrepender dos pecados, especialmente dos pecados que cometemos repetidamente?

Terça-feira, 14 de setembro de 2021. Saiba mais, faça gratuitamente um Curso Bíblico

_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. Descanso em Cristo. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 505, jul. ago. set. 2021. Adulto, Professor. 
2 BÍBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

Nova aliança e missão

Lições da Bíblia1

“Portanto, vão e façam discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo, ensinando-os a guardar todas as coisas que tenho ordenado a vocês. E eis que estou com vocês todos os dias até o fim dos tempos” (Mt 28:19, 20).

Em todo o mundo, as pessoas muitas vezes lutam com o que o escritor sul-africano Laurens Van Der Post chamou de “o fardo da falta de sentido”. As pessoas se descobrem com o dom da vida, mas não sabem o que fazer com ele, não sabem qual é o propósito desse dom e não sabem como usá-lo. É como dar a alguém uma biblioteca cheia de livros raros e a pessoa não os ler, mas usá-los para fazer fogueiras. Que terrível desperdício de algo tão precioso!

Entretanto, o cristão da nova aliança não precisa lutar contra esse problema. Ao contrário, os que conhecem (e experimentam pessoalmente) as notícias maravilhosas de um Salvador crucificado e ressurreto, que morreu pelos pecados de cada ser humano em todos os lugares, para que todos pudessem ter a vida eterna, conhecem a alegria. Considerando o incontestável chamado em Mateus 28:19, 20, o cristão certamente tem uma missão e um propósito de vida, que é espalhar ao mundo a maravilhosa verdade que ele experimentou pessoalmente em Cristo Jesus. Que privilégio! Quase tudo que fazemos aqui acabará quando este mundo terminar. Mas a pregação do evangelho a outras pessoas é uma obra que produzirá resultados para a eternidade. Que senso de missão e propósito!

6. Separe os diversos elementos dos versos de hoje. Quais coisas específicas Jesus estava nos mandando fazer, e o que estava envolvido em cada uma delas? Quais promessas nos dão fé e coragem para fazer o que Cristo ordena?

Devemos fazer discípulos para Cristo, batizando-os em Seu nome e os ensinando a guardar todas as coisas que Ele nos ensinou. A promessa de que Ele estará conosco todos os dias até o fim dos tempos.

Como cristãos da nova aliança, recebemos uma ordem clara do próprio Senhor. Não importa quem somos nem nossa condição de vida, nem mesmo quais sejam nossos limites, todos podemos desempenhar uma função. Você tem feito alguma coisa? Pode fazer mais? O que sua classe pode fazer, em conjunto, para ter uma função maior nessa obra?

Quinta-feira, 24 de junho de 2021. Saiba mais, faça gratuitamente um Curso Bíblico

_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. A promessa: a aliança eterna de Deus. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 504, abr. maio. jun. 2021. Adulto, Professor. 

Apelo universal (Is 60:1, 2)

Lições da Bíblia1

5. Qual é o tema de Isaías 60:1, 2? Qual princípio visto em toda a Bíblia está em atuação nesses versos? Que esperança ele oferecia ao povo exilado?

Isaías 60:1, 2 (ARA)2: “1 Dispõe-te, resplandece, porque vem a tua luz, e a glória do Senhor nasce sobre ti. 2 Porque eis que as trevas cobrem a terra, e a escuridão, os povos; mas sobre ti aparece resplendente o Senhor, e a sua glória se vê sobre ti.”

Isaías 60:1, 2 apresenta uma descrição de Deus libertando Seu povo após o exílio. Essa descrição é expressa com a imagem de Deus criando luz das trevas, indicando um cumprimento supremo na salvação por meio de Cristo.

6. Em Isaías 60:3, a qual luz as nações e reis se encaminharão?

Isaías 60:3 (ARA)2: “As nações se encaminham para a tua luz, e os reis, para o resplendor que te nasceu.”

Em hebraico, essa pessoa está no singular e no feminino (Is 60:1, 2). Deve ser “Sião”, personificada como mulher, mencionada em Isaías 59:20. Portanto, o povo da terra, que estava coberto de trevas, viria a Sião. Eles seriam atraídos pela glória de Deus que surgiria sobre ela (Is 60:2). “Sião foi convocada a entrar para a luz que era dela e, em seguida, observar e reagir às nações à medida que elas se reuniam à mesma luz” (J. Alec Motyer, The Prophecy of Isaiah: An Introduction and Commentary, p. 494). Observe que, embora Sião seja Jerusalém, a ênfase recai mais nas pessoas do que na localização física da cidade.

O restante de Isaías 60 desenvolve o tema introduzido nos versos 1-3: as pessoas do mundo seriam atraídas a Jerusalém, que era abençoada por causa da presença gloriosa de Deus.

7. Como essa profecia se compara à promessa da aliança de Deus com Abraão? (Gn 12:2, 3). Elas não dizem a mesma coisa?

Gênesis 12:2, 3 (ARA)2: “2 de ti farei uma grande nação, e te abençoarei, e te engrandecerei o nome. Sê tu uma bênção! 3 Abençoarei os que te abençoarem e amaldiçoarei os que te amaldiçoarem; em ti serão benditas todas as famílias da terra.”

Deus tinha um propósito universal quando escolheu Abraão e seus descendentes: por meio de Abraão todas as famílias da Terra seriam abençoadas (ver Gn 12:3; 18:18; 22:18). Portanto, a aliança de Deus com Abraão pretendia, em última instância, ser uma aliança com toda a humanidade por meio de Abraão. Ele e seus descendentes seriam o canal da revelação de Deus para o mundo.

Isaías buscou trazer seu povo de volta ao seu destino antigo e universal. Como representantes de Deus, eles eram responsáveis por si mesmos e pelo mundo. Deveriam receber bem os estrangeiros que buscavam a Deus (Is 56:3-8), pois Seu templo seria chamado “Casa de Oração para todos os povos” (Is 56:7).

Qual é a função da Igreja Adventista do Sétimo Dia? Qual é a sua função nessa igreja?

Terça-feira, 16 de março de 2021. Saiba mais, faça um Curso Bíblico

_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. Isaías: Consolo para o povo de Deus. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 503, jan. fev. mar. 2021. Adulto, Professor. 
2 BÍBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

Nossa responsabilidade

Lições da Bíblia

“Se somos chamados por Deus, ainda temos a livre escolha de aceitar ou rejeitar esse chamado, assim como podemos aceitar ou rejeitar a salvação que Ele nos oferece. O Senhor pode nos colocar em uma posição específica, mas podemos escolher não seguir Suas ordens. Evidentemente, Deus deseja que façamos determinadas coisas por Ele, assim como nos convida a nos tornarmos como Ele. A eleição divina para uma tarefa específica faz parte de Seu plano para a nossa salvação. Ao realizarmos o que o Senhor nos chama a fazer, revelamos em nossa vida a realidade da salvação que Ele nos deu.”1

“Saul foi coroado rei, mas, infelizmente, nunca entregou completamente seu coração ao Senhor, apesar da tarefa que lhe foi concedida. Ser chamado por Deus para fazer algo especial para Ele não é garantia de que a pessoa aceite o Senhor. Nosso livre-arbítrio continua sendo o fator determinante. Se não seguimos a orientação divina, podemos perder tudo.”1

“7. Leia Êxodo 3 e Êxodo 4. O que acontece quando o Senhor chama alguém para uma tarefa?”1

Êxodo (3:11 ARA)2: “11 Então, disse Moisés a Deus: Quem sou eu para ir a Faraó e tirar do Egito os filhos de Israel?

Êxodo 4:1, 10 “1 Respondeu Moisés: Mas eis que não crerão, nem acudirão à minha voz, pois dirão: O Senhor não te apareceu. […] 10 Então, disse Moisés ao Senhor: Ah! Senhor! Eu nunca fui eloquente, nem outrora, nem depois que falaste a teu servo; pois sou pesado de boca e pesado de língua.

“Nossa resposta pode ser como a de Esdras e Neemias, que foram sem questionar, ou podemos ser como Moisés, que tinha objeções e desculpas. Moisés acabou obedecendo, mas não sem antes tentar se livrar da tarefa. Ele se opôs a ela, alegando que não era bom o suficiente, que era alguém sem valor e que não tinha um cargo importante. Então, como o faraó poderia ouvi-lo? Moisés também estava preocupado com a possibilidade de o povo judeu não acreditar nele nem o escutar, de modo que a obra se tornasse inútil. Além disso, ele se queixou de que não era qualificado: ‘Sou pesado de boca e pesado de língua’ (Êx 4:10). Ele disse que não tinha as habilidades necessárias. Por fim, Moisés propositalmente pediu a Deus que enviasse outra pessoa. No entanto, ao lermos a história dele, descobrimos o líder poderoso, embora falho, em que ele se tornou. Esse servo do Altíssimo cumpriu fielmente a tarefa que o Senhor o havia chamado para realizar.”1

“Quais desculpas muitas vezes usamos para recusar o chamado do Senhor e não fazer o que Ele deseja que façamos?”1

Quinta-feira, 17 de outubro de 2019. Saiba mais, faça um Curso Bíblico

_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. Esdras e Neemias. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 498, out. nov. dez. 2019. Adulto, Professor. 
2 BÍBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

Deus criou…

Lições da Bíblia

“Você já se esforçou para criar algo (talvez uma obra de arte ou artesanato, uma refeição ou alguma outra obra criativa) que simplesmente foi quebrada ou rejeitada pela pessoa a quem você o deu? Se a resposta for afirmativa, você tem apenas um pequeno vislumbre do que Deus vivenciou quando criou o mundo e deu vida ao ser humano apenas para ver depois Sua criação destruída pelo pecado.”1

“A Bíblia afirma que o mundo foi criado cuidadosamente e que tudo era ‘muito bom’. O sentimento de Deus em relação à Sua criação é evidente nos relatos de Gênesis 1 e 2. Esse é o contexto em que devemos ler a história da queda em Gênesis 3 e a tristeza Dele quando confrontou as pessoas que havia criado.”1

“Surpreendentemente, Deus continua amando nosso mundo, apesar de milênios de pecado, violência, injustiça e completa revolta. E ainda mais admirável é que, quando pôs em ação Seu plano para redimir e recriar o mundo, Deus nos deu, como cristãos, funções a desempenhar no cumprimento de Seus planos maiores. Somos os recebedores de Sua graça; mas, com a graça recebemos também uma obra como colaboradores do nosso Senhor. Que responsabilidade solene e sagrada!”1

Sábado, 29 de junho de 2019. Saiba mais, faça um Curso Bíblico

_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. “Mesus pequeninos irmãos”: servindo aos necessitados. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 496, jul. ago. set. 2019. Adulto, Professor.

Convertendo corações no tempo do fim – Estudo adicional

Lições da Bóblia

Assista em vídeo a discussão do tema da semana.

Estudo adicional

Textos de Ellen G. White: Profetas e Reis, p. 143-154 (“O Carmelo”); O Desejado de Todas as Nações, p. 97-108 (“A Voz do Deserto”).1

“Nossa mensagem precisa ser tão direta quanto a de João. Ele repreendeu reis por sua iniquidade. Apesar do perigo que sua vida corria, ele nunca permitiu que a verdade vacilasse em seus lábios. Nesta época, nossa obra deve ser feita com a mesma fidelidade” (Comentário Bíblico Adventista do Sétimo Dia, v. 4, p. 1306).1

Perguntas para discussão

“1. Pergunte à classe qual é a relevância da mensagem de Elias para sua igreja. Como você pode ajudar sua comunidade a compreender a mensagem e seu papel em ajudar a difundi-la?”1

“2. Peça aos alunos que compartilhem suas histórias de ‘conversão do coração’. Que mudanças ocorreram? Que diferença essas experiências fizeram na vida deles e de sua família?”1

“3. Se entendemos que temos a função de João Batista, o que devemos esperar que aconteça conosco? Qual é a mensagem implícita nessa resposta?”1

“4. Com a ajuda da classe, elabore uma espécie de ‘Declaração de Princípios da Família’ que resuma a ideia bíblica de família. Quais critérios você usaria para elaborar esses princípios? O que você aprendeu neste trimestre que pode ajudá-lo a estabelecê-los? Esteja preparado para compartilhar sua resposta com toda a igreja.”1

“5. Como pai ou mãe, quais promessas você pode reivindicar em favor de filhos que, pelo menos neste estágio, estão afastados do Senhor?”1

Sexta-feira, 28 de junho de 2019. Saiba mais, faça um Curso Bíblico

_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. Estações da vida. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 496, abr. maio. jun. 2019. Adulto, Professor.

Organizando para a missão

Lições da Bíblia

“Como vimos ao longo deste trimestre, e vale a pena repetir, fomos organizados e unificados como igreja para a missão e a evangelização. Não somos apenas um clube que reúne pessoas de mentalidade semelhante com o objetivo de reafirmar suas crenças, embora isso também seja importante. Fomos reunidos para compartilhar com o mundo a verdade que passamos a amar.”1

“6. Em Mateus 28:18-20, Jesus deu aos Seus discípulos as instruções finais para a missão deles no mundo. Identifique as palavras-chave da ordem de Jesus. O que essas palavras sugerem para a igreja hoje?”1

Mateus (28:18-20 ARA)2: “18 Jesus, aproximando-se, falou-lhes, dizendo: Toda a autoridade me foi dada no céu e na terra. 19 Ide, portanto, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo; 20 ensinando-os a guardar todas as coisas que vos tenho ordenado. E eis que estou convosco todos os dias até à consumação do século.

“A grande comissão de Jesus a Seus discípulos inclui quatro conceitos principais: ir, fazer discípulos, batizar e ensinar. De acordo com a gramática grega, o conceito principal está na expressão ‘fazer discípulos’, e os outros três verbos indicam como isso pode ser feito. Fazem-se discípulos quando os cristãos vão a todas as nações para pregar o evangelho, batizam pessoas e lhes ensinam a observar o que Jesus disse.”1

“À medida que a igreja responde a essa comissão, o reino de Deus é ampliado e cada vez mais pessoas de todas as nações se juntam às fileiras dos que aceitam Cristo como Salvador. Sua obediência aos mandamentos de Jesus para serem batizados e observarem Seus ensinos cria uma nova família universal. Os novos discípulos também recebem a certeza da presença de Jesus todos os dias ao fazerem mais discípulos. A presença de Cristo é uma promessa da presença de Deus. O Evangelho de Mateus começa com o anúncio de que o nascimento de Jesus significa a presença de ‘Deus conosco’ (Mt 1:23) e termina com a promessa de Sua contínua presença conosco até Sua segunda vinda.”1

“‘Cristo não disse a Seus discípulos que sua obra seria fácil […]. Assegurou-lhes que estaria com eles e, se fossem avante com fé, seriam protegidos pelo Onipotente. Ordenou-lhes que fossem valorosos e fortes, pois Alguém mais poderoso que os anjos – o General das hostes celestiais – estaria em suas fileiras. Ele tomou completas providências para a continuação de Sua obra, e assumiu a responsabilidade de seu êxito. Enquanto obedecessem Sua Palavra e trabalhassem em harmonia com Ele, não fracassariam” (Ellen G. White, Atos dos Apóstolos, p. 29).”1

“Reflita sobre o significado da promessa da presença de Jesus com Seu povo até Sua segunda vinda. Como a certeza de que Ele está conosco deve nos impressionar a cumprir a comissão que recebemos Dele?”1

Quinta-feira, 20 de dezembro de 2018. Saiba mais, ouça o Comentário em áudio da Lição da Escola Sabatina (LES) ou se preferir faça um Curso Bíblico.
_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. Unidade em Cristo. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 494, out. nov. dez. 2018. Adulto, Professor.
2 BIBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

Unidade na missão

Lições da Bíblia

“5. Compare o ânimo dos discípulos durante a Ceia do Senhor, em Lucas 22:24, com o que tiveram pouco antes da experiência do Pentecostes, em Atos 1:14 e 2:1, 46. O que fez tanta diferença na vida deles?”1

Lucas (22:24 ARA): “Suscitaram também entre si uma discussão sobre qual deles parecia ser o maior.

Atos (1:14 ARA): “Todos estes perseveravam unânimes em oração, com as mulheres, com Maria, mãe de Jesus, e com os irmãos dele.

Atos (2:1, 46 ARA): “1 Ao cumprir-se o dia de Pentecostes, estavam todos reunidos no mesmo lugar; […] 46 Diariamente perseveravam unânimes no templo, partiam pão de casa em casa e tomavam as suas refeições com alegria e singeleza de coração,

“Em Atos 1:14 e 2:46, a expressão ‘perseveravam unânimes’ também significa ‘perseveravam com uma só mente’. Isso aconteceu porque os discípulos estavam reunidos em um lugar, em oração, buscando o cumprimento da promessa de Jesus de lhes enviar o Consolador.”1

“Enquanto esperavam, para eles teria sido fácil criticar uns aos outros. Alguns poderiam ter mencionado o fato de Pedro ter negado Jesus (Jo 18:15-18, 25-27) e a dúvida de Tomé quanto à ressurreição de Cristo (Jo 20:25). Eles poderiam ter se lembrado do pedido de João e Tiago, que solicitaram as posições mais poderosas no reino de Jesus (Mc 10:35-41), ou de que Mateus havia sido um desprezado coletor de impostos (Mt 9:9).”1

“No entanto, ‘esses dias de preparo foram de profundo exame de coração. Os discípulos sentiram sua necessidade espiritual e suplicaram do Senhor a santa unção que os devia capacitar para a obra da salvação. Não suplicaram essas bênçãos apenas para si. Sentiam a responsabilidade que pesava sobre eles. Compreendiam que o evangelho devia ser proclamado ao mundo e clamavam pelo poder que Cristo havia prometido’ (Ellen G. White, Atos dos Apóstolos, p. 37).”1

“A comunhão entre os discípulos e a intensidade de suas orações os prepararam para a importante experiência do Pentecostes. Quando se aproximaram de Deus e abandonaram suas diferenças pessoais, os discípulos foram preparados pelo Espírito Santo para se tornarem testemunhas destemidas e ousadas da ressurreição de Jesus. Eles sabiam que Cristo tinha perdoado suas muitas falhas, e isso lhes deu coragem para avançar. Sabiam o que Jesus tinha feito por eles. Conheciam a promessa de salvação encontrada Nele e, portanto, ‘a ambição dos cristãos era revelar a semelhança do caráter de Cristo, bem como trabalhar pelo desenvolvimento de Seu reino’ (Ibid., p. 48). Não é de admirar que o Senhor tenha feito coisas poderosas por meio deles. Que lição para nós como igreja hoje!”1

“É sempre muito fácil encontrar coisas erradas na vida de outras pessoas. Como podemos deixar de lado os erros dos outros em favor de uma causa maior: fazer a vontade de Deus em uma igreja unida?”1

Quinta-feira, 29 de novembro de 2018. Saiba mais, ouça o Comentário em áudio da Lição da Escola Sabatina (LES) ou se preferir faça um Curso Bíblico.
_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. Unidade em Cristo. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 494, out. nov. dez. 2018. Adulto, Professor.
2 BIBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.