O Espírito Santo, a Palavra e a oração – Estudo adicional

Lições da Bíblia
Assista em vídeo a discussão do tema da semana.

Estudo adicional

“Leia, de Ellen G. White, ‘Como Aumentar a Fé e a Confiança’, em Parábolas de Jesus, p. 139-149.”1

“Sem oração, não teríamos poder espiritual em nossa vida, pois a oração nos liga à Fonte desse poder. Sem ela, não teríamos nenhuma ligação vital com Deus e nos tornaríamos vasos vazios, que poderiam até ter uma ‘forma de piedade’, mas seriam destituídos do poder e da promessa das dádivas do alto. Como vimos durante esta semana, é evidente que Deus nos deu promessas maravilhosas sobre Sua resposta à oração. Mas, o que dizer das vezes em que não recebemos as coisas pelas quais oramos, mesmo quando procuramos atender a todas as condições da melhor maneira, conforme a capacidade que Deus nos concede?”1

“‘Não vos desanimeis se vossas orações não parecem alcançar resposta imediata. O Senhor vê que a oração é muitas vezes misturada com coisas terrestres. Os homens oram pedindo aquilo que satisfaça seus desejos egoístas, mas o Senhor não lhes atende os pedidos da maneira que esperam. Leva-os através de provas e aflições, conduzindo-os através de humilhações, até que vejam mais claramente quais são suas necessidades. Ele não dá aos homens aquilo que satisfaça a um apetite pervertido, e que se demonstraria um mal ao homem, tornando-o uma desonra para Deus. Não concede aos homens aquilo que lhes satisfaça às ambições, resultando apenas em exaltação própria. Quando vamos a Deus, temos que ser submissos e contritos de coração, tudo subordinando à Sua sagrada vontade’ (Ellen G. White, Nos Lugares Celestiais [MM 1967], p. 184).”1

Perguntas para reflexão

  1. “Em quais aspectos a oração impacta toda nossa vida espiritual? Você fica diferente depois que ora?”1
  2. “O que você diria a alguém que tem orado constantemente por algo, mas a resposta não tem sido como essa pessoa espera, como no caso da oração pela cura de uma criança doente ou algo semelhante? Como podemos confiar em Deus, mesmo em situações como essa?”1

“Pergunte à classe: Qual tem sido sua experiência com a oração e o que ela significa para você? Como você poderia ajudar outras pessoas que estejam lutando para compreender o propósito da oração?”1

Sexta-feira, 10 de março de 2017. Saiba mais, ouça o Comentário em áudio  da Lição da Escola Sabatina (LES) ou se preferir faça um Curso Bíblico.
_______________
1HASEL, Frank. O Espírito Santo e a espiritualiadade. Lições da escola sabatina. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 487, Jan. Fev. Mar. 2017. Adulto, Professor.
2 BIBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

O fundamento da oração bíblica: reivindicar as promessas de Deus

Lições da Bíblia

“Toda fé é inútil se não reivindicamos as coisas pelas quais oramos.”1

“6. Leia 1 João 5:14, 15. Embora Deus sempre nos ouça, quando podemos ter a certeza de que Ele nos ouve e de que receberemos o que temos Lhe pedido?”1

“14 E esta é a confiança que temos para com ele: que, se pedirmos alguma coisa segundo a sua vontade, ele nos ouve. 15 E, se sabemos que ele nos ouve quanto ao que lhe pedimos, estamos certos de que obtemos os pedidos que lhe temos feito.” (1 João 5:14-15 ARA)2.

“O terceiro aspecto da oração bíblica é o recebimento. Depois de pedir a Deus e crer em Suas promessas, precisamos reivindicar o que Ele prometeu. Reivindicamos a promessa de Deus quando Lhe agradecemos por tê-la recebido. Assim, as promessas são aplicadas ao nosso coração. Ellen White disse que ‘Podemos pedir […] qualquer dom que Ele tenha prometido; então devemos crer que o recebemos, e agradecer a Deus porque o temos recebido’ (Ellen G. White, Educação, p. 258).”1

“Em Lucas 8:11, Jesus comparou a Palavra de Deus a uma semente. Da mesma forma que toda a macieira está contida em uma única semente de maçã, a dádiva de Deus está contida em Suas promessas. Quando reivindicamos a promessa e agradecemos a Deus por ela, já temos a dádiva que Ele prometeu. Recebemos o dom prometido pela fé, mesmo antes de vê-lo ou senti-lo.”1

“No episódio da ressurreição de Lázaro, em João 11, Jesus orou dessa maneira. Ele sabia exatamente qual era a vontade de Deus naquela situação. João 11:11 diz que Ele estava disposto a fazer a vontade de Deus e que foi obediente. Em João 11:39-41, lemos que Jesus agradeceu ao Pai antecipadamente porque Ele ressuscitaria Lázaro, embora o amigo ainda estivesse na sepultura. Ao agradecer ao Pai, Cristo recebeu aquilo que havia pedido. Como filhos de Deus, devemos viver de Suas promessas, não de Suas explicações. Embora não possamos explicar todas as coisas, podemos confiar nas promessas que Ele nos fez.”1

“‘O Senhor diz: ‘Invoca-Me no dia da angústia’ (Sl 50:15). Ele nos convida a Lhe expormos nossas perplexidades e carências, e nossa necessidade de auxílio divino. Exorta-nos a perseverar na oração. Logo que surgirem dificuldades, devemos apresentar-Lhe nossas petições sinceras e francas. Pelas orações insistentes evidenciamos nossa forte confiança em Deus. O senso de nossa necessidade nos induz a orar com fervor, e nosso Pai celestial é movido por nossas súplicas’ (Ellen G. White, Parábolas de Jesus, p. 172).”1

“Por que é tão importante sempre levar tudo a Deus em oração?”1

Quarta-feira, 08 de março de 2017. Saiba mais, ouça o Comentário em áudio  da Lição da Escola Sabatina (LES) ou se preferir faça um Curso Bíblico.
_______________
1HASEL, Frank. O Espírito Santo e a espiritualiadade. Lições da escola sabatina. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 487, Jan. Fev. Mar. 2017. Adulto, Professor.
2 BIBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

O fundamento da oração bíblica: crer

Lições da Bíblia

“4. Leia Marcos 11:24. Além de pedir, que outro aspecto Jesus menciona em conexão com a oração? Assinale a alternativa correta:”1

Por isso, vos digo que tudo quanto em oração pedirdes, crede que recebestes, e será assim convosco.” (Marcos 11:24 ARA)2.

A. ( ) Fé
B. ( ) Confissão
C. ( ) Espera
D. ( ) Paz

Resposta: Alternativa A.

“A penas pedir não é suficiente. Há um segundo aspecto importante que precisa estar presente em nossas orações: a fé. O livro de Hebreus nos diz que ‘sem fé é impossível agradar a Deus’ (Hb 11:6). Quando nos ajoelhamos diante do Senhor e abrimos a Bíblia em qualquer uma das suas mais de três mil promessas e, em seguida, com a simplicidade de uma criança, pedimos ao Senhor que cumpra Sua promessa em nossa vida, precisamos crer que Ele fará o que é melhor para nós em Seu tempo.”1

“5. Leia Tiago 1:6-8. Como o texto descreve a pessoa que não tem fé? Por que a fé é uma condição para receber as dádivas prometidas? Complete as lacunas:”1

“6 Peça-a, porém, com fé, em nada duvidando; pois o que duvida é semelhante à onda do mar, impelida e agitada pelo vento. 7 Não suponha esse homem que alcançará do Senhor alguma coisa; 8 homem de ânimo dobre, inconstante em todos os seus caminhos.” (Tiago 1:6-8 ARA)2.

“Aquele que não tem  é como a onda do mar, levada e agitada pelo vento. Para recebermos as dádivas de Deus é necessário ter fé, pois sem ela é impossível agradar a Deus.”1

“Ao nos aproximarmos de Deus, devemos crer que Ele existe e que vai recompensar aqueles que O buscam. A oração eficaz deve ser acompanhada de uma crença não apenas de que Deus pode responder, mas em que Ele irá fazê-lo de acordo com Sua vontade divina.”1

“Na Bíblia, a crença está associada à confiança. Confiamos em alguém somente quando sabemos que essa pessoa é digna de confiança. Quando nutrimos dúvidas de que Deus vai cumprir Suas promessas, vacilamos e não podemos esperar receber nada dEle. Crer significa confiar na palavra de Deus. Significa que dependemos de Deus e de Suas promessas, mesmo quando nossos sentimentos nos dizem o contrário, pois a ‘fé é a certeza das coisas que se esperam, a convicção de fatos que se não veem’ (Hb 11:1). Pela fé nos agarramos às promessas de Deus, pois confiamos no que Ele tem dito (Hb 11:11). Pela fé sabemos que ‘é impossível que Deus minta’ (Hb 6:18). Ele é o mesmo ontem, hoje e eternamente (Hb 13:8). Pela fé sabemos que, para Deus, nada é impossível (Lc 1:37).”1

“A fé abre as portas para o tesouro divino. Por meio do Espírito Santo, Deus move nosso coração para que confiemos em Sua Palavra e, pela fé, nossas orações movem o braço da Onipotência.”1

“O que ajuda você a crescer na fé? Qual atributo de Jesus nos ajuda a confiar em Sua vontade e capacidade de ajudar em nossas necessidades?”1

Terça-feira, 07 de março de 2017. Saiba mais, ouça o Comentário em áudio  da Lição da Escola Sabatina (LES) ou se preferir faça um Curso Bíblico.
_______________
1HASEL, Frank. O Espírito Santo e a espiritualiadade. Lições da escola sabatina. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 487, Jan. Fev. Mar. 2017. Adulto, Professor.
2 BIBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

O fundamento da oração bíblica: pedir a Deus

Lições da Bíblia

“2 Leia Mateus 7:7. Antes que recebamos qualquer coisa de Deus, precisamos pedir a Ele. Por que nossa petição é tão importante se Deus já sabe de tudo? Assinale “V” para verdadeiro ou “F” para falso:”1

Pedi, e dar-se-vos-á; buscai e achareis; batei, e abrir-se-vos-á.” (Mateus 7:7 ARA).1

A. ( ) Porque quando nos achegamos a Ele em oração, reafirmamos nossa confiança nEle para a satisfação de todas as nossas necessidades e pedidos e somos transformados à Sua imagem

B. ( ) Porque, às vezes, Deus quer nos testar para ver se realmente desejamos receber o que pedimos. Ele quer testar nossa perseverança.

Resposta: A (V); B (F)

“O ato de pedir revela nosso desejo e expressa nossa confiança em Deus. Pela oração nos aproximamos dEle; nEle buscamos amparo e ajuda. Quando pedimos a Deus, também Lhe damos, publicamente, a permissão para atuar em nosso favor. Deus quer que Lhe peçamos. Deseja que levemos a Ele nossos pedidos de oração. Se não Lhe pedirmos, não receberemos as dádivas que prometeu. Jesus disse: ‘Peçam, e lhes será dado; busquem, e encontrarão; batam, e a porta lhes será aberta. Pois todo o que pede, recebe; o que busca, encontra; e àquele que bate, a porta será aberta’ (Lc 11:9, 10, NVI).”1

“3. Leia Marcos 11:241 João 5:14, 15, e Salmo 66:18. Por que nenhum pedido de oração é grande demais para Deus? Por que é bom saber que Ele é generoso e ama conceder Suas muitas bênçãos? Qual é a condição para Deus atender às nossas orações?”1

Por isso, vos digo que tudo quanto em oração pedirdes, crede que recebestes, e será assim convosco.” (Marcos 11:24 ARA)2. “14 E esta é a confiança que temos para com ele: que, se pedirmos alguma coisa segundo a sua vontade, ele nos ouve. 15 E, se sabemos que ele nos ouve quanto ao que lhe pedimos, estamos certos de que obtemos os pedidos que lhe temos feito.” (João 5:14-15 ARA)2. “Se eu no coração contemplara a vaidade, o Senhor não me teria ouvido.” (Salmo 66:18 ARA)2.

“Podemos pedir qualquer coisa a Deus. Nenhum pedido é demasiado pequeno ou sem importância para Ele. Nenhum pedido é tão grande que Deus não possa atender. Ele é onipotente. Pela fé podemos reivindicar cada promessa bíblica e receber a dádiva prometida de Suas mãos de acordo com Sua vontade (2Co 1:20).”1

“No entanto, existem algumas condições que devem ser cumpridas para que recebamos o que pedimos. Se não estamos dispostos a nos submeter totalmente a Deus, e se nossos pedidos refletem apenas nossos desejos egoístas e pecaminosos, Ele não responderá às nossas orações (veja Is 59:1, 2 [‘1 Eis que a mão do SENHOR não está encolhida, para que não possa salvar; nem surdo o seu ouvido, para não poder ouvir. 2 Mas as vossas iniquidades fazem separação entre vós e o vosso Deus; e os vossos pecados encobrem o seu rosto de vós, para que vos não ouça.’]). Uma condição importante para que nossas orações sejam atendidas é nossa disposição de obedecer à vontade de Deus. ‘Todas as dádivas [de Deus] são prometidas sob a condição de obediência’ (Ellen G. White, Parábolas de Jesus, p. 145). Sabendo que Deus é generoso, podemos nos achegar a Ele com confiança. ‘O Senhor não é glorificado pelas monótonas súplicas que demonstram que nada é esperado. Ele deseja que todo aquele que crê se achegue ao trono da graça com fervor e confiança’ (Ellen G. White, Signs of the Times, 7 de agosto de 1901).”1

Segunda-feira, 06 de março de 2017. Saiba mais, ouça o Comentário em áudio  da Lição da Escola Sabatina (LES) ou se preferir faça um Curso Bíblico.
_______________
1HASEL, Frank. O Espírito Santo e a espiritualiadade. Lições da escola sabatina. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 487, Jan. Fev. Mar. 2017. Adulto, Professor.
2 BIBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

A oração que agrada a Deus

Lições da Bíblia

“Embora adornadas de um manto de piedade, muitas orações são orientadas por motivos questionáveis. Podemos orar para que a vida de alguém seja poupada simplesmente porque não gostamos de viver sozinhos. Podemos orar pelo sucesso da obra de Deus porque estamos desempenhando um papel importante nesse processo. Podemos orar pela conversão de alguém porque, então, a nossa vida será mais fácil. Muitas vezes, nossas orações se concentram mais no que queremos do que naquilo que Deus quer. A oração que agrada a Deus tem um foco diferente.”1

“1. Leia João 15:7. Por que é importante para nossas orações que permaneçamos em Jesus e Suas palavras permaneçam em nós? Que foco diferente nossas orações terão se não permanecermos nEle?”1

Se permanecerdes em mim, e as minhas palavras permanecerem em vós, pedireis o que quiserdes, e vos será feito.” (João 15:7 ARA)2.

“Buscar Deus em primeiro lugar e desfrutar da Sua companhia é mais importante do que qualquer outra coisa que Ele possa nos dar. Se Deus estiver em primeiro lugar em nossa vida, vamos querer fazer o que Ele deseja; Seus pensamentos moldarão nossos desejos. Quando Deus é o centro da nossa oração, começamos a orar a partir de Sua perspectiva. Começaremos a ver toda a nossa vida através dos Seus olhos. Essa perspectiva enobrece a oração.”1

“Deus tem profundo interesse em nós. Ele deseja fazer parte de todos os aspectos da nossa vida: nossas preocupações, medos, desejos, esperanças, sucesso, alegrias, falhas – tudo! Podemos falar sobre essas coisas com Ele, como se falássemos com um bom amigo, e podemos examinar tudo isso através do Seu ponto de vista.”1

“A oração não muda Deus; ela nos muda, pois somos levados à Sua presença transformadora.”1

“‘A oração é o abrir do coração a Deus como a um amigo. Não que isso seja necessário para que Deus saiba quem somos, mas para nos habilitar a recebê-Lo. A oração não faz Deus descer até nós, mas nos eleva a Ele’ (Ellen G. White, Caminho a Cristo, p. 93).”1

“Que citação poderosa! Ela expressa muito daquilo que a oração faz para nós e por nós. Somente a oração nos torna receptivos à graça, ao poder e à presença do Senhor em nossa vida. Quem já não viveu, em algum momento, a realidade de como a oração nos aproxima de Deus?”1

“Pense sobre sua vida de oração: pelo que você ora, quando ora, por que ora. O que isso revela sobre sua condição espiritual e seu relacionamento com Deus? Que mudanças você precisa fazer?”1

Fortaleça sua experiência com Deus. Acesse o site reavivados.org/

Domingo, 05 de março de 2017. Saiba mais, ouça o Comentário em áudio  da Lição da Escola Sabatina (LES) ou se preferir faça um Curso Bíblico.
_______________
1HASEL, Frank. O Espírito Santo e a espiritualiadade. Lições da escola sabatina. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 487, Jan. Fev. Mar. 2017. Adulto, Professor.
2 BIBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

O Espírito Santo, a Palavra e a oração

Lições da Bíblia

Introdução ao tema da Lição desta semana e comentários do autor

Da mesma forma o Espírito nos ajuda em nossa fraqueza, pois não sabemos como orar, mas o próprio Espírito intercede por nós com gemidos inexprimíveis. E Aquele que sonda os corações conhece a intenção do Espírito, porque o Espírito intercede pelos santos de acordo com a vontade de Deus” (Rm 8:26, 27, NVI).1

“A verdadeira espiritualidade e a oração andam juntas. Não há vida espiritual sem oração fervorosa. Depois da necessidade de arrependimento, talvez uma das maiores e mais urgentes necessidades seja o reavivamento da nossa vida de oração. A boa notícia é que, mesmo em nossas orações, não ficamos sem a ajuda do Espírito Santo. A oração nos aproxima de Deus; ela nos eleva à Sua presença e Ele nos habilita a viver em resposta às Suas promessas. Nossa vida é transformada quando reivindicamos as bênçãos que Ele prometeu em Sua Palavra. Deus é capaz de suprir todas as nossas necessidades segundo as Suas riquezas (Fp 4:19). A verdadeira oração e a espiritualidade genuína sempre colocam Deus no centro da nossa atenção, e ambas estão fundadas em Sua Palavra escrita.”1

“Não devemos fundamentar a vida espiritual em nossa experiência instável ou em sentimentos subjetivos, nem concentrar nossas orações em práticas meditativas e contemplativas suspeitas. Ao contrário, nossa espiritualidade tem que ser orientada pela Bíblia e deve obedecer à vontade de Deus conforme revelada em Sua Palavra. É o Espírito Santo quem desperta em nós o desejo de buscar a presença de Deus em oração.”1

Hoje à tarde, às 15:00 haverá uma capacitação especial para a Semana Santa, pelo Canal Executivo e internet: aovivo.adventistas.org. Convide todos os membros e líderes da igreja a participar.

Sábado, 04 de março de 2017. Saiba mais, ouça o Comentário em áudio  da Lição da Escola Sabatina (LES) ou se preferir faça um Curso Bíblico.
_______________
1HASEL, Frank. O Espírito Santo e a espiritualiadade. Lições da escola sabatina. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 487, Jan. Fev. Mar. 2017. Adulto, Professor.

Buscando a orientação divina

Lições da Bíblia

3. Leia Jeremias 42. Que poderosa mensagem se encontra nesse texto, não apenas para os ouvintes de Jeremias, mas para qualquer pessoa que procurar a direção de Deus por meio da oração?1 1 Então, chegaram todos os capitães dos exércitos, e Joanã, filho de Careá, e Jezanias, filho de Hosaías, e todo o povo, desde o menor até ao maior, 2 e disseram a Jeremias, o profeta: Apresentamos-te a nossa humilde súplica, a fim de que rogues ao SENHOR, teu Deus, por nós e por este resto; porque, de muitos que éramos, só restamos uns poucos, como vês com os teus próprios olhos; 3 a fim de que o SENHOR, teu Deus, nos mostre o caminho por onde havemos de andar e aquilo que havemos de fazer. 4 Respondeu-lhes Jeremias, o profeta: Já vos ouvi; eis que orarei ao SENHOR, vosso Deus, segundo o vosso pedido. Tudo o que o SENHOR vos responder, eu vo-lo declararei; não vos ocultarei nada. 5 Então, eles disseram a Jeremias: Seja o SENHOR testemunha verdadeira e fiel contra nós, se não fizermos segundo toda a palavra com que o SENHOR, teu Deus, te enviar a nós outros. 6 Seja ela boa ou seja má, obedeceremos à voz do SENHOR, nosso Deus, a quem te enviamos, para que nos suceda bem ao obedecermos à voz do SENHOR, nosso Deus. 7 Ao fim de dez dias, veio a palavra do SENHOR a Jeremias. 8 Então, chamou a Joanã, filho de Careá, e a todos os capitães dos exércitos que havia com ele, e a todo o povo, desde o menor até ao maior, 9 e lhes disse: Assim diz o SENHOR, Deus de Israel, a quem me enviastes para apresentar a vossa súplica diante dele: 10 Se permanecerdes nesta terra, então, vos edificarei e não vos derribarei; plantar-vos-ei e não vos arrancarei, porque estou arrependido do mal que vos tenho feito. 11 Não temais o rei da Babilônia, a quem vós temeis; não o temais, diz o SENHOR, porque eu sou convosco, para vos salvar e vos livrar das suas mãos. 12 Eu vos serei propício, para que ele tenha misericórdia de vós e vos faça morar em vossa terra. 13 Mas, se vós disserdes: Não ficaremos nesta terra, não obedecendo à voz do SENHOR, vosso Deus, 14 dizendo: Não; antes, iremos à terra do Egito, onde não veremos guerra, nem ouviremos som de trombeta, nem teremos fome de pão, e ali ficaremos, 15 nesse caso, ouvi a palavra do SENHOR, ó resto de Judá. Assim diz o SENHOR dos Exércitos, o Deus de Israel: Se tiverdes o firme propósito de entrar no Egito e fordes para morar, 16 acontecerá, então, que a espada que vós temeis vos alcançará na terra do Egito, e a fome que receais vos seguirá de perto os passos no Egito, onde morrereis. 17 Assim será com todos os homens que tiverem o propósito de entrar no Egito para morar: morrerão à espada, à fome e de peste; não restará deles nem um, nem escapará do mal que farei vir sobre eles. 18 Porque assim diz o SENHOR dos Exércitos, o Deus de Israel: Como se derramou a minha ira e o meu furor sobre os habitantes de Jerusalém, assim se derramará a minha indignação sobre vós, quando entrardes no Egito; sereis objeto de maldição, de espanto, de desprezo e opróbrio e não vereis mais este lugar. 19 Falou-vos o SENHOR, ó resto de Judá: Não entreis no Egito; tende por certo que vos adverti hoje. 20 Porque vós, à custa da vossa vida, a vós mesmos vos enganastes, pois me enviastes ao SENHOR, vosso Deus, dizendo: Ora por nós ao SENHOR, nosso Deus; e, segundo tudo o que disser o SENHOR, nosso Deus, declara-no-lo assim, e o faremos; 21 mas, tendo-vos declarado isso hoje, não destes ouvidos à voz do SENHOR, vosso Deus, em coisa alguma pela qual ele me enviou a vós outros. 22 Agora, pois, sabei por certo que morrereis à espada, à fome e de peste no mesmo lugar aonde desejastes ir para morar.” (Jeremias 22 ARA)2. “Eles procuraram conhecer a orientação do Senhor através de Jeremias, que lhes transmitiu a mensagem de que não deviam ir ao Egito, mas permanecer em Judá. Se atendessem à orientação de Deus, Ele os faria prosperar e os protegeria. Mas, se não dessem ouvidos à voz do Senhor, morreriam. Se buscarmos a orientação de Deus através da oração, Ele nos responderá.1

“Com medo dos babilônios, as pessoas procuraram Jeremias e lhe pediram que orasse em favor delas por orientação divina. A essa altura elas já deviam saber que Jeremias era, de fato, um profeta de Deus, e que o que ele havia dito quando falou em nome do Senhor se cumpriria.”1

“Também se comprometeram a fazer o que Deus lhes pedisse ou ordenasse. Assim, vemos um povo que parecia ter aprendido a lição e que desejava não apenas conhecer a vontade de Deus, mas também segui-la, o que é o principal. As palavras que disseram foram uma poderosa confissão de fé: ‘Seja ela boa ou seja má, obedeceremos à voz do Senhor, nosso Deus, a quem te enviamos, para que nos suceda bem ao obedecermos à voz do Senhor, nosso Deus’ (Jr 42:6). Depois de tudo que tinha acontecido, já estava na hora!”1

“Note o paralelo com as mensagens anteriores de Jeremias: Não confiem em potências estrangeiras. Confiem no Senhor, e Ele os fará prosperar e os livrará quando chegar a hora. A salvação não vem de nenhum outro lugar e de ninguém mais. As potências estrangeiras não ajudaram vocês antes, e não os ajudarão agora.”1

“Deus teve que adverti-los porque conhecia a tendência de seu coração: sabia que eles estavam pensando em voltar para o Egito (pense no simbolismo envolvido aqui) com o objetivo de procurar a proteção que desejavam. Assim, o Senhor lhes deu ordens muito claras e específicas para que não fizessem isso, pois esse procedimento lhes traria ruína.”1

“Mais uma vez, o povo estava diante de uma escolha extremamente simples, a escolha que todos nós temos que enfrentar: vida e paz por meio da fé e da obediência a Jesus, ou miséria e morte através da falta de fé e obediência. Não importam as diferentes circunstâncias, no final a questão é a mesma para todos. Diferentemente daquelas pessoas, nem sempre as advertências que recebemos são expressas de maneira tão específica e clara, mas, à semelhança delas, somos advertidos.”1

“Vida ou morte, bênção ou maldição. Que tipo de escolha você está fazendo, todos os dias?”1

Segunda-feira, 14 dezembro de 2015. Saiba mais, ouça o Comentário em áudio  da Lição da Escola Sabatina (LES) ou se preferir faça um Curso Bíblico.

__________________

1 LIÇÕES da escola sabatina. Jeremias. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 482, Out. Nov. Dez. 2015. Adulto, Professor.

2 BIBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999