Lições do passado

Lições da Bíblia

“3. Leia Neemias 9:9-22. Qual é a diferença entre essa parte da oração e a anterior?”1

Neemias (9:9-22 ARA)2: “9 Viste a aflição de nossos pais no Egito, e lhes ouviste o clamor junto ao mar Vermelho. 10 Fizeste sinais e milagres contra Faraó e seus servos e contra todo o povo da sua terra, porque soubeste que os trataram com soberba; e, assim, adquiriste renome, como hoje se vê. 11 Dividiste o mar perante eles, de maneira que o atravessaram em seco; lançaste os seus perseguidores nas profundezas, como uma pedra nas águas impetuosas. 12 Guiaste-os, de dia, por uma coluna de nuvem e, de noite, por uma coluna de fogo, para lhes alumiar o caminho por onde haviam de ir. 13 Desceste sobre o monte Sinai, do céu falaste com eles e lhes deste juízos retos, leis verdadeiras, estatutos e mandamentos bons. 14 O teu santo sábado lhes fizeste conhecer; preceitos, estatutos e lei, por intermédio de Moisés, teu servo, lhes mandaste. 15 Pão dos céus lhes deste na sua fome e água da rocha lhes fizeste brotar na sua sede; e lhes disseste que entrassem para possuírem a terra que, com mão levantada, lhes juraste dar. 16 Porém eles, nossos pais, se houveram soberbamente, e endureceram a sua cerviz, e não deram ouvidos aos teus mandamentos. 17 Recusaram ouvir-te e não se lembraram das tuas maravilhas, que lhes fizeste; endureceram a sua cerviz e na sua rebelião levantaram um chefe, com o propósito de voltarem para a sua servidão no Egito. Porém tu, ó Deus perdoador, clemente e misericordioso, tardio em irar-te e grande em bondade, tu não os desamparaste, 18 ainda mesmo quando fizeram para si um bezerro de fundição e disseram: Este é o teu Deus, que te tirou do Egito; e cometeram grandes blasfêmias. 19 Todavia, tu, pela multidão das tuas misericórdias, não os deixaste no deserto. A coluna de nuvem nunca se apartou deles de dia, para os guiar pelo caminho, nem a coluna de fogo de noite, para lhes alumiar o caminho por onde haviam de ir. 20 E lhes concedeste o teu bom Espírito, para os ensinar; não lhes negaste para a boca o teu maná; e água lhes deste na sua sede. 21 Desse modo os sustentaste quarenta anos no deserto, e nada lhes faltou; as suas vestes não envelheceram, e os seus pés não se incharam. 22 Também lhes deste reinos e povos, que lhes repartiste em porções; assim, possuíram a terra de Seom, a saber, a terra do rei de Hesbom e a terra de Ogue, rei de Basã.”

“A oração passa dos louvores a Deus, por Sua fidelidade, ao relato da contrastante infidelidade dos israelitas em sua experiência no Egito e no deserto. Nela, Neemias menciona todas as diferentes coisas que Deus deu aos israelitas; mas, infelizmente, a resposta dos ‘pais’ a essas dádivas foi orgulho e teimosia, além do desprezo pelas ações graciosas de Deus entre eles.”1

“O reconhecimento do fracasso humano e da falta de verdadeira devoção a Deus é um passo importante no arrependimento e na confissão. E mesmo que o texto esteja falando de pessoas que há muito nos deixaram, ninguém pode negar que todos temos problemas com as mesmas questões que elas enfrentaram.”1

“Aqui entra o evangelho tanto para nós quanto para elas. Confessar nossos pecados não nos salva, somente o sacrifício de Cristo pode fazer isso em nosso favor. O arrependimento, juntamente com a confissão, é central para o nosso reconhecimento de que devemos ser justificados somente por Jesus. ‘Quando por meio do arrependimento e fé aceitamos a Cristo como nosso Salvador, o Senhor perdoa nossos pecados e suspende a punição prescrita para a transgressão da Lei. Então, o pecador se encontra diante de Deus como uma pessoa justa; desfruta o favor do Céu e, por meio do Espírito, tem comunhão com o Pai e o Filho’ (Ellen G. White, Mensagens Escolhidas, v. 3, p. 191).”1

“Ao mesmo tempo, visto que Sua bondade faz com que nos arrependamos dos pecados e os confessemos, devemos estar decididos, pelo poder de Deus, a abandoná-los.”1

“A conclusão é que Israel tinha sido obstinado, e Deus, amoroso. Ao refletir sobre as ações do Senhor em favor dos israelitas, eles se lembraram de que, visto que Deus havia feito muito por eles no passado, Ele continuaria cuidando deles no presente e no futuro. Por isso era tão importante que o povo sempre se lembrasse das ações de Deus em sua história. Quando eles se esqueciam delas, envolviam-se em problemas.”1

“Pense num momento em que você teve certeza de que Deus estava atuando em sua vida. Como essa lembrança pode confortá-lo da próxima vez que enfrentar lutas? Como pode confiar mais na bondade divina ao enfrentar sentimentos de desânimo, abatimento e temor quanto ao futuro?”1

Terça-feira, 12 de novembro de 2019. Saiba mais, faça um Curso Bíblico

_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. Esdras e Neemias. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 498, out. nov. dez. 2019. Adulto, Professor. 
2 BÍBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

O início da oração

Lições da Bíblia

“A resposta do povo à leitura da Bíblia foi uma longa oração que narra a bondade de Deus em contraste com a história da incredulidade de Israel. Podemos observar que a resposta parece mais um sermão do que uma oração, porque quase todos os versos têm um paralelo em alguma passagem da Bíblia.”1

“2. Leia Neemias 9:4-8. Quais são os principais assuntos em que a oração se concentra nesses versos? Por quê?”1

Neemias (9:4-8 ARA)2: “4 Jesua, Bani, Cadmiel, Sebanias, Buni, Serebias, Bani e Quenani se puseram em pé no estrado dos levitas e clamaram em alta voz ao Senhor, seu Deus. 5 Os levitas Jesua, Cadmiel, Bani, Hasabneias, Serebias, Hodias, Sebanias e Petaías disseram: Levantai-vos, bendizei ao Senhor, vosso Deus, de eternidade em eternidade. Então, se disse: Bendito seja o nome da tua glória, que ultrapassa todo bendizer e louvor. 6 Só tu és Senhor, tu fizeste o céu, o céu dos céus e todo o seu exército, a terra e tudo quanto nela há, os mares e tudo quanto há neles; e tu os preservas a todos com vida, e o exército dos céus te adora. 7 Tu és o Senhor, o Deus que elegeste Abrão, e o tiraste de Ur dos caldeus, e lhe puseste por nome Abraão. 8 Achaste o seu coração fiel perante ti e com ele fizeste aliança, para dares à sua descendência a terra dos cananeus, dos heteus, dos amorreus, dos ferezeus, dos jebuseus e dos girgaseus; e cumpriste as tuas promessas, porquanto és justo.”

“Na primeira parte da oração, o povo louvou a Deus e, especificamente, o Seu nome. Na cultura hebraica, um nome não era apenas a maneira pela qual as pessoas chamavam alguém, mas dava a essa pessoa identidade. Portanto, o louvor ao nome de Deus é significativo porque demonstra ao mundo que esse é um nome digno de louvor e honra. Esse é o nome do Senhor do Universo. A oração começa com a adoração a Deus como Criador e Mantenedor de todas as coisas (Ne 9:6; veja também Cl 1:16, 17). Preservar vem de um verbo hebraico que significa ‘manter vivo’.”

“Aquele que criou todas as coisas escolheu Abraão, um ser humano que não era de maneira nenhuma especial, a não ser por ‘seu coração fiel’. Aparentemente Abraão teve falta de fé em muitas ocasiões, mas quando Deus solicitou que entregasse seu filho, não vacilou (veja Gn 22). Ele não aprendeu a ser fiel de um dia para o outro, mas durante sua longa caminhada com Deus. No pensamento hebreu, o coração se refere à mente. Em outras palavras, Abraão desenvolveu fidelidade de pensamento e ação, e Deus o reconheceu por isso.”1

“As primeiras frases da oração se concentram em Deus como (1) Criador, (2) Mantenedor e (3) Aquele que cumpre o que promete. Primeiramente, o povo se lembrou de quem é Deus: Ele é o Deus fiel, que nos criou, que nos preserva e que sempre cumpre Suas promessas. Ter isso em mente nos ajuda a manter nossa vida em perspectiva e a confiar Nele mesmo nas situações mais difíceis, quando parece que Ele está distante e indiferente aos nossos desafios.”1

“Por que a doutrina de Deus como nosso Criador é tão central à nossa fé? Afinal de contas, que outro ensinamento seria tão importante comparado a esse, no qual somos ordenados por Deus a passar a sétima parte de cada semana lembrando Dele como nosso Criador?”1

Segunda-feira, 11 de novembro de 2019. Saiba mais, faça um Curso Bíblico

_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. Esdras e Neemias. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 498, out. nov. dez. 2019. Adulto, Professor. 
2 BÍBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

Jejum e adoração

Lições da Bíblia

1. Leia Neemias 9:1-3. Por que o povo estava se apartando de todos os estrangeiros? Assinale a alternativa correta:

Neemias (9:1-3 ARA)2: “1 No dia vinte e quatro deste mês, se ajuntaram os filhos de Israel com jejum e pano de saco e traziam terra sobre si. 2 Os da linhagem de Israel se apartaram de todos os estranhos, puseram-se em pé e fizeram confissão dos seus pecados e das iniquidades de seus pais. 3 Levantando-se no seu lugar, leram no Livro da Lei do Senhor, seu Deus, uma quarta parte do dia; em outra quarta parte dele fizeram confissão e adoraram o Senhor, seu Deus.”

A. (   ) Porque a mistura com os estrangeiros produziria uma etnia mais fraca.
B. (   ) Para não se contaminar com outros deuses.

Resposta sugestiva: Alternativa B.

“Embora Neemias desejasse muito que o povo associasse esse momento com a alegria, ele conduziu a assembleia ao jejum. Eles se humilharam perante Deus, jogaram pó na cabeça e vestiram pano de saco. Como os estrangeiros não tiveram participação no pecado coletivo do povo de Israel, os israelitas se apartaram deles, pois sabiam que seus pecados precisavam ser perdoados. Eles reconheceram os pecados de sua nação, que a levaram ao exílio.”1

“Suas orações e confissão coletivas demonstraram uma profunda compreensão da natureza do pecado. Os israelitas poderiam ter ficado indignados com o fato de que seus antecessores haviam falhado, levando toda a nação ao exílio. Ou poderiam ter reclamado das escolhas dos líderes e da falta de piedade demonstrada pelas gerações anteriores, as quais os haviam conduzido à situação em que se encontravam naquele momento, sendo apenas um pequeno grupo de repatriados. No entanto, em vez de nutrirem ódio e mágoas, eles se voltaram para Deus em humildade e confissão.”1

“De acordo com Neemias 9:3, os israelitas leram o Livro da Lei durante uma quarta parte do dia; na outra quarta parte, confessaram seus pecados e adoraram a Deus. Essa era a terceira leitura da Torá, um texto importante na confissão, que deve ser fundamentada na verdade originada em Deus. Mediante a leitura da Bíblia, Deus Se aproxima de nós, e o Espírito Santo pode falar conosco e nos ensinar. A verdade da Sua Palavra molda nosso pensamento e compreensão, encorajando-nos e elevando-nos.”1

“O povo também se entristeceu e chorou, pois passar tempo na santa presença de Deus tornou-o consciente de Sua beleza e bondade. Também é extraordinário o fato de que o Criador do Universo escolhe estar conosco, apesar da nossa indignidade. Portanto, percebemos que sem Deus em nossa vida e sem um compromisso com Ele repetiremos os erros dos nossos antepassados espirituais. Somente a atuação divina nos torna quem devemos ser.”1

“Leia Daniel 9:4-19 [‘4 Orei ao Senhor, meu Deus, confessei e disse: ah! Senhor! Deus grande e temível, que guardas a aliança e a misericórdia para com os que te amam e guardam os teus mandamentos; 5 temos pecado e cometido iniquidades, procedemos perversamente e fomos rebeldes, apartando-nos dos teus mandamentos e dos teus juízos; 6 e não demos ouvidos aos teus servos, os profetas, que em teu nome falaram aos nossos reis, nossos príncipes e nossos pais, como também a todo o povo da terra. 7 A ti, ó Senhor, pertence a justiça, mas a nós, o corar de vergonha, como hoje se vê; aos homens de Judá, os moradores de Jerusalém, todo o Israel, quer os de perto, quer os de longe, em todas as terras por onde os tens lançado, por causa das suas transgressões que cometeram contra ti. 8 Ó Senhor, a nós pertence o corar de vergonha, aos nossos reis, aos nossos príncipes e aos nossos pais, porque temos pecado contra ti. 9 Ao Senhor, nosso Deus, pertence a misericórdia e o perdão, pois nos temos rebelado contra ele 10 e não obedecemos à voz do Senhor, nosso Deus, para andarmos nas suas leis, que nos deu por intermédio de seus servos, os profetas. 11 Sim, todo o Israel transgrediu a tua lei, desviando-se, para não obedecer à tua voz; por isso, a maldição e as imprecações que estão escritas na Lei de Moisés, servo de Deus, se derramaram sobre nós, porque temos pecado contra ti. 12 Ele confirmou a sua palavra, que falou contra nós e contra os nossos juízes que nos julgavam, e fez vir sobre nós grande mal, porquanto nunca, debaixo de todo o céu, aconteceu o que se deu em Jerusalém. 13 Como está escrito na Lei de Moisés, todo este mal nos sobreveio; apesar disso, não temos implorado o favor do Senhor, nosso Deus, para nos convertermos das nossas iniquidades e nos aplicarmos à tua verdade. 14 Por isso, o Senhor cuidou em trazer sobre nós o mal e o fez vir sobre nós; pois justo é o Senhor, nosso Deus, em todas as suas obras que faz, pois não obedecemos à sua voz. 15 Na verdade, ó Senhor, nosso Deus, que tiraste o teu povo da terra do Egito com mão poderosa, e a ti mesmo adquiriste renome, como hoje se vê, temos pecado e procedido perversamente. 16 Ó Senhor, segundo todas as tuas justiças, aparte-se a tua ira e o teu furor da tua cidade de Jerusalém, do teu santo monte, porquanto, por causa dos nossos pecados e por causa das iniquidades de nossos pais, se tornaram Jerusalém e o teu povo opróbrio para todos os que estão em redor de nós. 17 Agora, pois, ó Deus nosso, ouve a oração do teu servo e as suas súplicas e sobre o teu santuário assolado faze resplandecer o rosto, por amor do Senhor. 18 Inclina, ó Deus meu, os ouvidos e ouve; abre os olhos e olha para a nossa desolação e para a cidade que é chamada pelo teu nome, porque não lançamos as nossas súplicas perante a tua face fiados em nossas justiças, mas em tuas muitas misericórdias. 19 Ó Senhor, ouve; ó Senhor, perdoa; ó Senhor, atende-nos e age; não te retardes, por amor de ti mesmo, ó Deus meu; porque a tua cidade e o teu povo são chamados pelo teu nome.’].

A oração e a confissão do profeta se aplicam a nós hoje? O que a realidade dessa aplicação nos revela individualmente e como igreja?”1

Domingo, 10 de novembro de 2019. Saiba mais, faça um Curso Bíblico

_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. Esdras e Neemias. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 498, out. nov. dez. 2019. Adulto, Professor. 
2 BÍBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

Neemias se manifesta

Lições da Bíblia

“Em Neemias 1:11, vemos que o servo de Deus era o copeiro do rei. Naquela época, os copeiros podiam ser homens de poderosa influência, já que tinham acesso constante ao rei. Os copeiros provavam as bebidas destinadas ao rei a fim de prevenir doenças ou a morte do monarca. Heródoto ressalta que os persas tinham os copeiros em grande honra, pois eram considerados oficiais superiores. Por exemplo, o copeiro do rei assírio Esar-Hadom era também seu primeiro-ministro. Portanto, Neemias ocupava uma posição elevada no reino e, por causa de seu acesso ao rei, ele pediu a Deus que o usasse para falar ao soberano sobre a situação de Judá.”1

“3. Leia Neemias 2:1-8. O que aconteceu como resultado das orações e jejum do homem de Deus? Assinale ‘V’ para verdadeiro ou ‘F’ para falso:”1

Neemias (2:1-8 ARA)2: “1 No mês de nisã, no ano vigésimo do rei Artaxerxes, uma vez posto o vinho diante dele, eu o tomei para oferecer e lho dei; ora, eu nunca antes estivera triste diante dele. O rei me disse: Por que está triste o teu rosto, se não estás doente? Tem de ser tristeza do coração. Então, temi sobremaneirae lhe respondi: viva o rei para sempre! Como não me estaria triste o rosto se a cidade, onde estão os sepulcros de meus pais, está assolada e tem as portas consumidas pelo fogo?Disse-me o rei: Que me pedes agora? Então, orei ao Deus dos céus e disse ao rei: se é do agrado do rei, e se o teu servo acha mercê em tua presença, peço-te que me envies a Judá, à cidade dos sepulcros de meus pais, para que eu a reedifique.Então, o rei, estando a rainha assentada junto dele, me disse: Quanto durará a tua ausência? Quando voltarás? Aprouve ao rei enviar-me, e marquei certo prazo. E ainda disse ao rei: Se ao rei parece bem, deem-se-me cartas para os governadores dalém do Eufrates, para que me permitam passar e entrar em Judá,como também carta para Asafe, guarda das matas do rei, para que me dê madeira para as vigas das portas da cidadela do templo, para os muros da cidade e para a casa em que deverei alojar-me. E o rei mas deu, porque a boa mão do meu Deus era comigo.

A. (   ) O rei atendeu o pedido dele e o mandou para Judá.
B. (   ) O rei se enfureceu com a ousadia de Neemias e o matou.

Resposta sugestiva: V; F.

“A oração foi respondida no mês de nisã, aproximadamente o mês de abril de 444 a.C. Quatro meses haviam se passado desde que Hanani e os judeus trouxeram a Neemias as notícias perturbadoras sobre Jerusalém. Durante quatro meses Neemias orou e jejuou, e é possível que, enquanto os dias se passavam, ele tivesse a sensação de que Deus não estava respondendo. Mas o tempo no relógio divino é sempre perfeito. O Senhor preparou o rei para ouvir Neemias e responder-lhe favoravelmente.”1

“Não era comum o copeiro ser dispensado de seus deveres por algum tempo a fim de governar um país diferente. Deus falou por meio de Neemias e impressionou o rei persa Artaxerxes I a fazer dele um governador do território de Judá. A menção à rainha sugere que essa talvez tenha sido uma ocasião reservada, já que não era costume a rainha estar presente em banquetes formais. Neemias não mencionou Jerusalém imediatamente para não gerar ideias preconcebidas, mas fez um apelo emocional e pessoal ao rei. No momento em que o local específico foi mencionado, o coração do rei já havia sido conquistado.”1

“Quais são os paralelos entre o cargo de Neemias na corte e o de Daniel em Babilônia? O rei pareceu muito favorável ao pedido do servo de Deus. O que isso revela sobre o caráter do copeiro?”1

Terça-feira, 08 de outubro de 2019. Saiba mais, faça um Curso Bíblico

_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. Esdras e Neemias. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 498, out. nov. dez. 2019. Adulto, Professor. 
2 BÍBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

A oração de Neemias

Lições da Bíblia

“2. Leia a oração de Neemias 1:5-11. Quais são os componentes dessa oração? Por que o servo de Deus se incluiu no grupo dos culpados?”1

Neemias (1:5-11 ARA)2: “5 E disse: ah! Senhor, Deus dos céus, Deus grande e temível, que guardas a aliança e a misericórdia para com aqueles que te amam e guardam os teus mandamentos! Estejam, pois, atentos os teus ouvidos, e os teus olhos, abertos, para acudires à oração do teu servo, que hoje faço à tua presença, dia e noite, pelos filhos de Israel, teus servos; e faço confissão pelos pecados dos filhos de Israel, os quais temos cometido contra ti; pois eu e a casa de meu pai temos pecado. 7 Temos procedido de todo corruptamente contra ti, não temos guardado os mandamentos, nem os estatutos, nem os juízos que ordenaste a Moisés, teu servo. 8 Lembra-te da palavra que ordenaste a Moisés, teu servo, dizendo: Se transgredirdes, eu vos espalharei por entre os povos;mas, se vos converterdes a mim, e guardardes os meus mandamentos, e os cumprirdes, então, ainda que os vossos rejeitados estejam pelas extremidades do céu, de lá os ajuntarei e os trarei para o lugar que tenho escolhido para ali fazer habitar o meu nome. 10 Estes ainda são teus servos e o teu povo que resgataste com teu grande poder e com tua mão poderosa. 11 Ah! Senhor, estejam, pois, atentos os teus ouvidos à oração do teu servo e à dos teus servos que se agradam de temer o teu nome; concede que seja bem-sucedido hoje o teu servo e dá-lhe mercê perante este homem. Nesse tempo eu era copeiro do rei.”

  1. Reconhecimento da grandeza e misericórdia de Deus: Senhor, Tu és grande e tens misericórdia (Ne 1:5).
  2. Súplica para que Deus ouvisse sua oração: Ouça-me (Ne 1:6).
  3. Confissão dos pecados (Ne 1:6, 7).
  4. Solicitação de que o Senhor Se lembrasse das Suas promessas (Ne 1:8, 9).
  5. Reafirmação de que Deus havia resgatado Seu povo (Ne 1:10).
  6. Nova súplica para que Deus ouvisse sua oração: Ouça-me (Ne 1:11).
  7. Pedido especial de ajuda: Deus, concede prosperidade e misericórdia (Ne 1:11).

“A oração de Neemias é uma bela composição que narra a grandeza de Deus, a pecaminosidade do povo e conclui com um pedido de ajuda. Essa oração se assemelha à oração de Daniel 9, e é possível que Neemias estivesse familiarizado com essa oração. Vale a pena observar que o servo de Deus não começou sua oração com um pedido de ajuda, mas primeiro declarou a verdade sobre quem Deus é: grande e temível. Ele também destacou que Deus mantém Sua aliança e tem misericórdia daqueles que O amam, como se quisesse lembrar a Deus que Ele sempre havia sido fiel e agora não podia ser diferente.”1

“A oração apresenta uma estrutura especial (descrita acima) que tem seu centro no verso 8, em que Neemias articula as promessas de Deus. Neemias disse: ‘Lembra-Te’. Em outras palavras: Lembra-Te, Deus, de que prometeste que nos dispersarias quando fôssemos infiéis, mas que também nos trarias de volta e restaurarias todas as coisas. Já que a primeira parte aconteceu, agora é hora de cumprir a segunda, pois estamos nos voltando a Ti.”1

“Neemias não teve medo de reivindicar as promessas de Deus e ­lembrá-Lo delas. Evidentemente, não é que Deus não saiba ou não Se lembre do que prometeu. Em vez disso, Ele sente prazer em nos socorrer quando Lhe pedimos ajuda. Ele deseja que acreditemos em Suas promessas e as falemos em voz alta para Ele. Ao verbalizá-las, podemos ser fortalecidos em nossa decisão de confiar nelas, especialmente nos momentos em que estamos desesperados.”1

“Quais promessas de Deus você pode reivindicar hoje? Por que é importante nunca desistir de clamar por elas?”1

Segunda-feira, 07 de outubro de 2019. Saiba mais, faça um Curso Bíblico

_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. Esdras e Neemias. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 498, out. nov. dez. 2019. Adulto, Professor. 
2 BÍBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

Neemias recebe más notícias

Lições da Bíblia

“O livro de Neemias começa de modo semelhante ao livro de Daniel (leia Daniel 1:1, 2), isto é, com más notícias. Muitos haviam retornado à sua terra de origem, mas as coisas não estavam indo muito bem para eles ali.”1

“1. Leia Neemias 1:1-4. Por que o servo de Deus ficou tão angustiado? Qual foi sua resposta às más notícias recebidas? Assinale a alternativa correta:”1

Neemias (1:1-4 ARA)2: “1 As palavras de Neemias, filho de Hacalias. No mês de quisleu, no ano vigésimo, estando eu na cidadela de Susã, 2 veio Hanani, um de meus irmãos, com alguns de Judá; então, lhes perguntei pelos judeus que escaparam e que não foram levados para o exílio e acerca de Jerusalém. 3 Disseram-me: Os restantes, que não foram levados para o exílio e se acham lá na província, estão em grande miséria e desprezo; os muros de Jerusalém estão derribados, e as suas portas, queimadas. 4 Tendo eu ouvido estas palavras, assentei-me, e chorei, e lamentei por alguns dias; e estive jejuando e orando perante o Deus dos céus.”

A. (   ) Sua família havia sido morta. Ele então chorou.
B. (   ) O povo e a cidade estavam em ruínas. Ele chorou, lamentou e orou ao Senhor.

Resposta sugestiva: Alternativa B.

“Alguns judeus levados cativos anos antes haviam sido enviados a Susã, um dos quatro centros administrativos do Império Persa, onde Neemias servia no palácio real como copeiro. O termo usado para a expressão ‘Hanani, um de meus irmãos’ possivelmente indique um irmão de sangue, pois em Neemias 7:2 há uma referência semelhante a Hanani, de modo bem familiar. No entanto, essa expressão também pode ser aplicada a um conterrâneo israelita apenas. A conversa com Hanani provavelmente tenha ocorrido entre meados de novembro e meados de dezembro de 445 a.C., cerca de 13 anos após o retorno de Esdras a Jerusalém. Hanani relatou que a situação em Jerusalém estava terrível. O povo não havia conseguido reconstruir Jerusalém, e o inimigo tinha destruído os muros da cidade, deixando-a indefesa e desolada.”1

“Neemias tinha ouvido rumores de que os samaritanos haviam destruído os muros da cidade, mas ele não tinha respostas definitivas até aquele momento. Consequentemente, o próprio rei Artaxerxes acabou com a esperança dos que tinham retornado, interrompendo o progresso da construção após as reclamações dos povos dalém do rio (Ed 4).”1

“Apesar de o templo ter sido reconstruído, ele não estava funcionando completamente, porque as pessoas responsáveis pelo serviço do santuário não conseguiam morar em Jerusalém. A situação entristeceu Neemias quando ele sentiu em seu coração as implicações da notícia: os judeus não haviam glorificado a Deus, embora tivessem retornado para esse propósito. Em vez disso, eles haviam negligenciado a casa de Deus e a cidade santa devido ao medo do inimigo e da opressão.”1

“Por isso, Neemias se voltou para Deus. Não reclamou da falta de fé do povo; não o considerou covarde, nem aceitou a situação. Ele orou e jejuou.”1

“Diante das más notícias, Neemias chorou, orou e jejuou. Por que, em tempos de provação, precisamos apelar ao Senhor?”1

Domingo, 06 de outubro de 2019. Saiba mais, faça um Curso Bíblico

_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. Esdras e Neemias. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 498, out. nov. dez. 2019. Adulto, Professor. 
2 BÍBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

Jesus orou por Si mesmo

Jesus orou por Si mesmo

“A oração sacerdotal é dividida em três partes. Primeiramente, Jesus orou por Si (Jo 17:1-5), em seguida por Seus discípulos (Jo 17:6-19) e, por fim, pelos que posteriormente viriam a crer Nele (Jo 17:20-26).”1

“1. Leia João 17:1-5. Qual é a essência de Sua oração, e o que ela significa para nós?”1

João (17:1-5 ARA)2: “1 Tendo Jesus falado estas coisas, levantou os olhos ao céu e disse: Pai, é chegada a hora; glorifica a teu Filho, para que o Filho te glorifique a ti, 2 assim como lhe conferiste autoridade sobre toda a carne, a fim de que ele conceda a vida eterna a todos os que lhe deste. 3 E a vida eterna é esta: que te conheçam a ti, o único Deus verdadeiro, e a Jesus Cristo, a quem enviaste. 4 Eu te glorifiquei na terra, consumando a obra que me confiaste para fazer; 5 e, agora, glorifica-me, ó Pai, contigo mesmo, com a glória que eu tive junto de ti, antes que houvesse mundo.

“Primeiramente, Jesus intercedeu por Si mesmo. Em eventos anteriores, no Evangelho de João, Jesus havia indicado que Sua hora ainda não tinha chegado (Jo 2:4; 7:30; 8:20). Mas agora Ele sabia que aquela era a hora de Seu sacrifício. Havia chegado o momento do dramático fim de Sua vida terrestre, e Ele precisava de forças para completar Sua missão. Era hora de orar.”1

“Jesus glorificaria o Pai fazendo Sua vontade, mesmo que isso significasse suportar a cruz. Sua aceitação da cruz não era uma espécie de fatalismo. Em vez disso, era Sua maneira de exercer a autoridade que o Pai Lhe tinha dado. Ele não morreu como mártir, mas voluntariamente glorificou Seu Pai ao cumprir o motivo de Sua encarnação: Sua morte sacrificial na cruz pelos pecados do mundo.”1

“2. De acordo com João 17:3, o que é a vida eterna? O que significa conhecer a Deus? Complete as lacunas:”1

E a vida eterna é esta: que te conheçam a ti, o único Deus verdadeiro, e a Jesus Cristo, a quem enviaste.” (Jo 17:3).1

“Em primeiro lugar, Jesus disse que a vida eterna consiste em nosso conhecimento pessoal de Deus. Não é salvação pelas obras nem pelo conhecimento, mas a experiência de conhecer o Senhor por causa do que Cristo fez por nós na cruz. Esse conhecimento é mediado por um relacionamento pessoal com o Pai. Nossa tendência humana é limitar o conhecimento aos fatos e detalhes, mas Jesus buscou algo mais profundo e gratificante: um relacionamento pessoal com Deus. O primeiro advento de Cristo também teve o propósito de guiar a humanidade em sua busca por um conhecimento mais significativo e salvífico de Deus e a unidade de uns com os outros à qual esse conhecimento conduz.”1

“Qual é a diferença entre conhecer sobre Deus e conhecê-Lo pessoalmente? O que ajudou você a conhecer o Senhor?”1

Domingo, 14 de outubro de 2018. Saiba mais, ouça o Comentário em áudio da Lição da Escola Sabatina (LES) ou se preferir faça um Curso Bíblico.
_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. Unidade em Cristo. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 494, out. nov. dez. 2018. Adulto, Professor.
2 BIBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.