Jesus como Mestre dos mestres – Estudo adicional

Lições da Bíblia

Texto de Ellen G. White: Educação, p. 73-83 (“O Mestre enviado por Deus”).

“Todo verdadeiro trabalho educativo centraliza-se no Mestre enviado por Deus. De Sua obra hoje, exatamente como da que estabeleceu há mil e oitocentos anos*, o Salvador fala […]. ‘Eu Sou o Alfa e o Ômega, o Princípio e o Fim’ (Ap 1:17, 18; 21:6). Na presença de um Mestre assim, e de oportunidades como essas para educação divina, é mais que insensatez procurar educação fora Dele. É inútil procurar ser sábio distante da Sabedoria, querer ser verdadeiro ao mesmo tempo em que se rejeita a Verdade, procurar iluminação fora da Luz e existência sem a Vida; enfim, deixar o Manancial de água viva e cavar cisternas rachadas que não retêm água. […] ‘Se alguém tem sede, venha a Mim e beba. Quem crer em Mim, como diz a Escritura, do seu interior fluirão rios de água viva’. ‘A água que Eu lhe der será nele uma fonte a jorrar para a vida eterna’” (Jo 7:37, 38; 4:14; Ellen G. White, Educação, p. 83).1

“Caro professor, […]. Como o mais elevado preparo para o seu trabalho, indico-lhe as palavras, a vida e os métodos do Príncipe dos professores. Convido-o a considerá-Lo. Nele está seu verdadeiro ideal. Contemple-O e gaste tempo meditando nisso, até que o Espírito do Mestre divino tome posse de seu coração e de sua vida. ‘Refletindo, como um espelho, a glória do Senhor’, você será transformado ‘na Sua própria imagem’ (2Co 3:18).”1

“Esse é o segredo do poder sobre seus alunos. Reflita Jesus” (­Educação, p. 282).1

*Esta declaração foi publicada em 1903.

Perguntas para consideração

“1. Quais valores e ações são importantes para os professores e alunos que levam a sério a ideia de aprender com a encarnação do Mestre dos mestres?”1

“2. Pais e professores cristãos têm um alto padrão – refletir o caráter de Deus, revelado na encarnação de Jesus. O que devemos fazer quando não atingimos esse padrão?”1

“3. O que o nascimento, a vida e a morte de Jesus nos ensinam sobre o caráter de Deus? Por que isso é tão reconfortante para nós, especialmente em tempos de grandes provações?”1

Sexta-feira, 30 de outubro de 2020. Saiba mais, faça um Curso Bíblico

_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. Educação e redenção. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 502, out. nov. dez. 2020. Adulto, Professor. 

Lendo a mente do Mestre dos mestres

Lições da Bíblia

“5. Qual era a preocupação de Paulo em relação à comunidade cristã de Filipos? Fp 2:1-4; 4:2, 3. Assinale a alternativa correta:”

Fp 2:1-4 (ARA): “1 Se há, pois, alguma exortação em Cristo, alguma consolação de amor, alguma comunhão do Espírito, se há entranhados afetos e misericórdias, 2 completai a minha alegria, de modo que penseis a mesma coisa, tenhais o mesmo amor, sejais unidos de alma, tendo o mesmo sentimento. 3 Nada façais por partidarismo ou vanglória, mas por humildade, considerando cada um os outros superiores a si mesmo. 4 Não tenha cada um em vista o que é propriamente seu, senão também cada qual o que é dos outros.”

Fp 4:2, 3 (ARA): “2 Rogo a Evódia e rogo a Síntique pensem concordemente, no Senhor. 3 A ti, fiel companheiro de jugo, também peço que as auxilies, pois juntas se esforçaram comigo no evangelho, também com Clemente e com os demais cooperadores meus, cujos nomes se encontram no Livro da Vida.”

A.( ) A questão da saúde dos membros da igreja de Filipos.
B.( ) A preocupação de Paulo era a unidade dos membros.

Resposta sugestiva: Alternativa B.

“Filipenses 2:1-11 é uma das passagens mais profundas da Bíblia. Ela apresenta a preexistência de Cristo, Sua divindade, encarnação, humanidade e aceitação da morte na cruz. Esse texto descreve o longo, difícil e descendente caminho que Jesus trilhou do Céu ao Calvário (Fp 2:5-8). E descreve como o Pai exaltou Jesus a uma posição de adoração universal (Fp 2:9-11). Muitas verdades maravilhosas estão presentes nesses versos!”1

“6. Como Paulo introduziu Filipenses 2:5-11? Dos eventos da vida de Jesus celebrados por Paulo, quais, em sua opinião, ele esperava que os cristãos refletissem em sua vida? Fp 2:6-11”

Fp 2:6-11 (ARA)2: “5 Tende em vós o mesmo sentimento que houve também em Cristo Jesus,pois ele, subsistindo em forma de Deus, não julgou como usurpação o ser igual a Deus; antes, a si mesmo se esvaziou, assumindo a forma de servo, tornando-se em semelhança de homens; e, reconhecido em figura humana,a si mesmo se humilhou, tornando-se obediente até à morte e morte de cruz. 9 Pelo que também Deus o exaltou sobremaneira e lhe deu o nome que está acima de todo nome, 10 para que ao nome de Jesus se dobre todo joelho, nos céus, na terra e debaixo da terra, 11 e toda língua confesse que Jesus Cristo é Senhor, para glória de Deus Pai.”

“Paulo esperava que os cristãos de Filipos, que eram inclinados a discussões, aprendessem com Jesus e com Sua encarnação. Se Cristo adotou a forma humana, ‘assumindo a forma de servo, tornando-Se em semelhança de homens’ (Fp 2:7), e até Se submeteu à crucifixão, quanto mais eles deveriam se submeter uns aos outros por amor?”1

“Somos lembrados de que há muito a aprender com o Mestre dos mestres. Aprendemos com as mensagens que Jesus compartilhou durante Seu ministério terrestre, com os milagres que Ele realizou e com Sua maneira de agir com os outros. Podemos moldar nossos relacionamentos com os outros conforme o exemplo da Sua grande complacência e disposição de trocar as glórias do Céu pela manjedoura (Que lição essa reflexão traz para nós!).”1

“Por outro lado, o mundo muitas vezes nos convida a nos exaltar, a nos orgulhar de nossas realizações. Aprendemos uma lição diferente na manjedoura de Belém e com o Mestre – que a grande obra divina de educação e salvação é realizada, não quando nos exaltamos, mas quando nos humilhamos diante de Deus e servimos aos outros.”1

Terça-feira, 27 de outubro de 2020. Saiba mais, faça um Curso Bíblico

_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. Educação e redenção. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 502, out. nov. dez. 2020. Adulto, Professor. 
2 BÍBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

A Lei como professor

Lições da Bíblia

“Amarás, pois, o Senhor, teu Deus, de todo o teu coração, de toda a tua alma e de toda a tua força” (Dt 6:5).1

“Ao advertir os gálatas contra o legalismo, Paulo escreveu: ‘Se fosse promulgada uma lei que pudesse dar vida, a justiça, na verdade, seria procedente de lei’ (Gl 3:21). Evidentemente, se alguma lei pudesse ‘dar vida’, seria a lei de Deus. Contudo, o argumento de Paulo é que, para nós, pecadores, nem mesmo a lei de Deus pode dar vida. Por quê? ‘A Escritura encerrou tudo sob o pecado, para que, mediante a fé em Jesus Cristo, fosse a promessa concedida aos que creem’ (Gl 3:22).”1

“No entanto, se a lei não pode conceder vida aos pecadores, qual é o propósito dela, além de nos mostrar nossa necessidade de graça? Então, a lei teria apenas uma função negativa, existindo somente para nos mostrar nossos pecados?”

“Não! A lei também existe para nos indicar o caminho à vida, que é encontrada somente em Jesus. É disso também que se trata a verdadeira educação, conduzindo-nos a uma vida de graça, de fé e de obediência a Cristo. Por essa razão, estudaremos, nesta semana, a função da lei de Deus em toda a questão da educação cristã. Embora a lei não nos salve, veremos o que ela ainda nos ensina sobre fé, graça e o amor de Deus pela humanidade caída.”

Sábado, 10 de outubro de 2020. Saiba mais, faça um Curso Bíblico

_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. Educação e redenção. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 502, out. nov. dez. 2020. Adulto, Professor. 

Negligenciando a mensagem

Lições da Bíblia

“Como vimos na lição de ontem, apesar da clara ordem de Deus, Eva, mesmo em sua linguagem, atenuou o que havia sido ensinado. Embora ela não tivesse interpretado mal o que o Senhor lhe havia dito, ela evidentemente não levou a questão a sério o suficiente. É difícil descrever as terríveis consequências de suas ações.”1

“Portanto, quando Eva encontrou a serpente, ela lhe repetiu (mas não exatamente) o que Deus havia dito sobre as árvores do jardim (Gn 3:2, 3). Evidentemente, essa mensagem não era novidade para a serpente, que estava familiarizada com a ordem e, portanto, bem preparada para ­distorcê-la, roubando assim a inocência de Eva.”1

“3. Examine Gênesis 3:4-6. Além de negar o que Deus havia dito, o que mais a serpente disse para enganar a mulher? De quais princípios ela se aproveitou?”1

Gênesis 3:4-6 (ARA)2: “4 Então, a serpente disse à mulher: É certo que não morrereis.Porque Deus sabe que no dia em que dele comerdes se vos abrirão os olhos e, como Deus, sereis conhecedores do bem e do mal.

“Quando a serpente disse à Eva que parte da mensagem estava incorreta, a mulher poderia ter consultado a Deus. Esta é a beleza da educação do Éden: o acesso que os alunos tinham ao seu poderoso Mestre estava certamente além de qualquer compreensão humana. No entanto, em vez de fugir, em vez de procurar a ajuda divina, Eva aceitou a mensagem da serpente. Aceitar a revisão da mensagem proposta pela serpente exigia da parte de Eva certa dúvida em relação a Deus e ao que Ele havia dito.”1

“Entretanto, Adão entrou numa situação difícil. ‘Adão compreendeu que sua companheira havia transgredido a ordem de Deus, desrespeitando a única proibição a eles imposta como prova de sua fidelidade e amor. Teve uma terrível luta interior. Lamentou haver permitido que Eva se afastasse dele. Agora, porém, a ação estava praticada; ele devia se separar daquela cuja companhia tinha sido sua alegria. Como poderia suportar isso?’ (Ellen G. White, Patriarcas e Profetas, p. 56). Infelizmente, apesar de saber distinguir o certo do errado, Adão também fez uma escolha errada.”1

“Pense na ironia enganosa aqui: a serpente disse que, se eles comessem da árvore, seriam ‘como Deus’ (Gn 3:5). Mas Gênesis 1:27 [‘Criou Deus, pois, o homem à sua imagem, à imagem de Deus o criou; homem e mulher os criou.’] não afirma que eles já eram como Deus? Como podemos ser facilmente enganados e por que a fé e a obediência são nossa única proteção, mesmo quando recebemos a melhor educação, como Adão e Eva receberam?”1

Terça-feira, 29 de setembro de 2020. Saiba mais, faça um Curso Bíblico

_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. Educação e redenção. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 502, out. nov. dez. 2020. Adulto, Professor. 
2 BÍBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

Mensagem que vale a pena compartilhar – Estudo adicional

Lições da Bíblia

“Deus está chamando Sua igreja hoje, como chamou o antigo Israel, a fim de erguer-se como luz na Terra. Pela poderosa espada da verdade, as mensagens do primeiro, segundo e terceiro anjos, separou-a das igrejas e do mundo para trazê-la a uma santa proximidade Dele. Fez dela depositária de Sua Lei, e lhe confiou as grandes verdades da profecia para este tempo. Como as Santas Escrituras confiadas ao antigo Israel, estas são um sagrado depósito a ser comunicado ao mundo.”1

“Os três anjos de Apocalipse 14 representam o povo que aceita a luz das mensagens de Deus e vão como agentes Seus fazer soar a advertência por toda a extensão e largura da Terra. Cristo declara a Seus seguidores: ‘Vós sois a luz do mundo’ (Mt 5:14). A toda pessoa que aceita a Jesus, diz a cruz do Calvário: Vede o valor da alma. ‘Ide por todo o mundo, pregai o evangelho a toda criatura’ (Mc 16:15). Não se deve permitir que coisa alguma impeça essa obra. É a obra mais importante para este mundo; deve ser de tão vasto alcance como a eternidade. O amor que Jesus manifestou pelas pessoas no sacrifício feito por sua redenção atuará em todos os Seus seguidores.”1

“Cristo aceita – e com que prazer! – todo agente humano que a Ele se renda. Leva o humano à união com o divino, para que possa comunicar ao mundo os mistérios do amor encarnado. Fale sobre a mensagem de Sua verdade, ore por ela, cante-a, encha dela o mundo e prossiga avançando para as regiões longínquas” (Ellen G. White, Conselhos Para a Igreja, p. 58, 59).1

Perguntas para consideração

“1. Como as mensagens dos três anjos (Ap 14) mostram a essência da Igreja Adventista?”1

“2. Pense no sábado, um santuário no tempo. Ao contrário de uma montanha ou cidade sagrada, não precisamos ir até ele para adorar. Toda semana, a cerca de mil e seiscentos quilômetros por hora (pelo menos perto do Equador), o sábado vem a nós. Como isso nos ajuda a entender a importância do dia e seu significado?”1

“3. Como explicar a queda de Babilônia ou a marca da besta de maneira mais cativante? É possível apresentar essas verdades de um modo menos ofensivo, ainda que, apesar de nossos melhores esforços, algumas pessoas se ofendam?”1

Quinta-feira, 18 de setembro de 2020. Saiba mais, faça um Curso Bíblico

_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. Fazendo amigos para Deus: A alegria de participar de Sua missão. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 501, jul. ago. set. 2020. Adulto, Professor. 

O ministério de cura de Jesus: parte 2

Lições da Bíblia

“5. Leia Mateus 4:23-25; 9:35. Que tríplice abordagem formava a base do ministério de Cristo? Como Ele atendeu às necessidades das pessoas e que impacto isso teve na vida delas? Assinale a alternativa correta:”1

Mateus 4:23-25 (ARA)2: “23 Percorria Jesus toda a Galileia, ensinando nas sinagogas, pregando o evangelho do reino e curando toda sorte de doenças e enfermidades entre o povo. 24 E a sua fama correu por toda a Síria; trouxeram-lhe, então, todos os doentes, acometidos de várias enfermidades e tormentos: endemoninhados, lunáticos e paralíticos. E ele os curou. 25 E da Galileia, Decápolis, Jerusalém, Judeia e dalém do Jordão numerosas multidões o seguiam.”

Mateus 9:35 (ARA)2: “E percorria Jesus todas as cidades e povoados, ensinando nas sinagogas, pregando o evangelho do reino e curando toda sorte de doenças e enfermidades.”

A.(  ) Pregação, ensino e cura.
B.(  ) Discussão, prosperidade e tradição.

Resposta sugestiva: Alternativa A.

“Jesus reuniu três aspectos do ministério, isto é, o ensino, a pregação e a cura. Ele compartilhou princípios eternos para que todos pudéssemos viver com significado e propósito. Ele disse: ‘Eu vim para que tenham vida e a tenham em abundância’ (Jo 10:10). Seu ministério revelou uma superabundância de graça. Ele veio para nos habilitar a viver com ‘superabundância’ agora e para sempre.”1

“6. Leia Marcos 1:32-39. Jesus passou o dia todo curando os doentes e expulsando demônios. Na manhã seguinte, depois de passar um tempo em oração, quando multidões buscavam ainda mais cura, Ele partiu para outra cidade. Por que Ele não as curou? Observe a razão nos versos 38 e 39. Assinale a alternativa correta:”1

Marcos 1:32-39 (ARA)2: “32 À tarde, ao cair do sol, trouxeram a Jesus todos os enfermos e endemoninhados. 33 Toda a cidade estava reunida à porta. 34 E ele curou muitos doentes de toda sorte de enfermidades; também expeliu muitos demônios, não lhes permitindo que falassem, porque sabiam quem ele era. 35 Tendo-se levantado alta madrugada, saiu, foi para um lugar deserto e ali orava. 36 Procuravam-no diligentemente Simão e os que com ele estavam. 37 Tendo-o encontrado, lhe disseram: Todos te buscam. 38 Jesus, porém, lhes disse: Vamos a outros lugares, às povoações vizinhas, a fim de que eu pregue também ali, pois para isso é que eu vim. 39 Então, foi por toda a Galileia, pregando nas sinagogas deles e expelindo os demônios.

A.(  ) Porque Ele estava cansado e precisava repousar.
B.(  ) Porque Ele desejava pregar em outros lugares, já que viera também por isso.

Reposta sugestiva: Alternativa B.

“Essa história é esclarecedora. Depois de curar multidões no dia anterior, no dia seguinte Jesus abandonou as multidões, que O buscavam e ainda precisavam de cura. Sua explicação é que o propósito de Sua vinda ao mundo era pregar o evangelho. Cristo não era apenas um milagreiro espetacular. Ele era o divino Filho de Deus, que veio com uma missão redentiva. Ele não estava contente apenas em curar doenças físicas, mas desejava que as pessoas recebessem o dom da vida eterna que Ele tinha a oferecer. Jesus declarou o propósito de Sua vinda à Terra com estas palavras: ‘O Filho do Homem veio buscar e salvar o perdido’ (Lc 19:10). Cada ato de cura era uma oportunidade de revelar o caráter de Deus, aliviar o sofrimento e proporcionar uma oportunidade de vida eterna.”1

“É possível ter a vida abundante que Jesus oferece vivendo em situação de pobreza ou doença? Jesus ofereceu algo mais profundo que a cura física? Na prática, de que maneira podemos levar as pessoas a verdades espirituais quando ministramos às suas necessidades físicas e emocionais?”1

Quarta-feira, 19 de agosto de 2020. Saiba mais, faça um Curso Bíblico

_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. Fazendo amigos para Deus: A alegria de participar de Sua missão. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 501, jul. ago. set. 2020. Adulto, Professor. 
2 BÍBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

O ministério de cura de Jesus: parte 1

Lições da Bíblia

“O método de evangelismo do Senhor ultrapassa discursos memorizados e apresentações ‘enlatadas’; ele é tão rico e dinâmico quanto a própria vida. Todos os dias convivemos com pessoas que têm necessidades físicas, mentais, emocionais e espirituais. Cristo anseia satisfazer essas carências por meio de nós, ao demonstrarmos preocupação pela solidão, tristeza e sofrimento das pessoas, bem como por suas alegrias, esperanças e sonhos.”1

“Jesus ministrava às necessidades perceptíveis das pessoas, para que pudesse, por fim, atender às suas necessidades mais profundas. Uma necessidade percebida é uma área da vida em que as pessoas não conseguem resolver um problema por si mesmas. Pode ser uma necessidade de parar de fumar, perder peso, seguir uma dieta melhor ou reduzir o estresse. Pode ser uma necessidade de comida, moradia ou atendimento médico. Pode ser a necessidade de aconselhamento matrimonial ou familiar.”1

“Contudo, a maior carência do ser humano é a de um relacionamento pessoal com Deus e a percepção de que sua vida tem uma importância eterna. A reconciliação com o Criador neste mundo destruído é nossa necessidade suprema.”1

“4. Leia as histórias do paralítico em Mateus 9:1-7 e da mulher com o fluxo de sangue em Marcos 5:25-34. Que indício temos nessas duas histórias de que Jesus associou a cura física ao atendimento da necessidade suprema de reconciliação com Deus?”1

Mateus 9:1-7 (ARA)2: “1 Entrando Jesus num barco, passou para o outro lado e foi para a sua própria cidade. 2 E eis que lhe trouxeram um paralítico deitado num leito. Vendo-lhes a fé, Jesus disse ao paralítico: Tem bom ânimo, filho; estão perdoados os teus pecados. 3 Mas alguns escribas diziam consigo: Este blasfema. 4 Jesus, porém, conhecendo-lhes os pensamentos, disse: Por que cogitais o mal no vosso coração? 5 Pois qual é mais fácil? Dizer: Estão perdoados os teus pecados, ou dizer: Levanta-te e anda? 6 Ora, para que saibais que o Filho do Homem tem sobre a terra autoridade para perdoar pecados —disse, então, ao paralítico: Levanta-te, toma o teu leito e vai para tua casa. 7 E, levantando-se, partiu para sua casa.”1

Marcos 5:25-34 (ARA): “25 Aconteceu que certa mulher, que, havia doze anos, vinha sofrendo de uma hemorragia 26 e muito padecera à mão de vários médicos, tendo despendido tudo quanto possuía, sem, contudo, nada aproveitar, antes, pelo contrário, indo a pior, 27 tendo ouvido a fama de Jesus, vindo por trás dele, por entre a multidão, tocou-lhe a veste. 28 Porque, dizia: Se eu apenas lhe tocar as vestes, ficarei curada. 29 E logo se lhe estancou a hemorragia, e sentiu no corpo estar curada do seu flagelo. 30 Jesus, reconhecendo imediatamente que dele saíra poder, virando-se no meio da multidão, perguntou: Quem me tocou nas vestes? 31 Responderam-lhe seus discípulos: Vês que a multidão te aperta e dizes: Quem me tocou? 32 Ele, porém, olhava ao redor para ver quem fizera isto. 33 Então, a mulher, atemorizada e tremendo, cônscia do que nela se operara, veio, prostrou-se diante dele e declarou-lhe toda a verdade. 34 E ele lhe disse: Filha, a tua fé te salvou; vai-te em paz e fica livre do teu mal.

“O ministério de cura de Cristo incluía muito mais que a cura física e emocional. Ele ansiava que as pessoas voltassem a experimentar a plenitude que havia sido destruída pelo pecado. Para Cristo, a cura física sem a cura espiritual era incompleta. Se o amor de Deus nos motiva a desejar a saúde física e emocional de alguém, ele também nos motiva muito mais a desejar o bem-estar espiritual da pessoa, para que ela viva da maneira mais plena possível aqui e por toda a eternidade. Afinal, todos os que Jesus curou acabaram morrendo depois. Portanto, a necessidade real deles, acima de tudo, era espiritual.”1

“Como igreja, quais iniciativas podemos tomar para atender às necessidades da nossa comunidade e demonstrar que realmente nos importamos com ela? Estamos fazendo a diferença na vida das pessoas?”1

“Como igreja, quais iniciativas podemos tomar para atender às necessidades da nossa comunidade e demonstrar que realmente nos importamos com ela? Estamos fazendo a diferença na vida das pessoas?”1

Terça-feira, 18 de agosto de 2020. Saiba mais, faça um Curso Bíblico

_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. Fazendo amigos para Deus: A alegria de participar de Sua missão. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 501, jul. ago. set. 2020. Adulto, Professor. 
2 BÍBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

Jesus versus as Escrituras?

Lições da Bíblia

“3. Que mensagem poderosa Jesus nos apresentou em João 5:45-47 sobre Sua relação com a Bíblia? Assinale a alternativa correta:”1

João 5:45-47 (ARA)2: “45 Não penseis que eu vos acusarei perante o Pai; quem vos acusa é Moisés, em quem tendes firmado a vossa confiança. 46 Porque, se, de fato, crêsseis em Moisés, também creríeis em mim; porquanto ele escreveu a meu respeito. 47 Se, porém, não credes nos seus escritos, como crereis nas minhas palavras?

A.( ) É impossível harmonizar o Messias com as Escrituras.
B.( ) Jesus e os escritos de Moisés estão intimamente relacionados.

Resposta sugestiva: Alternativa B.

“Algumas pessoas afirmam que, ao falar, Jesus colocava Suas palavras em claro contraste com as palavras das Escrituras, como as encontramos no Antigo Testamento. Essas pessoas declaram que as palavras de Cristo estão até mesmo acima das palavras da Bíblia.”1

“No Novo Testamento, Jesus disse: ‘Ouvistes que foi dito […] Eu, porém, vos digo…’ (Mt 5:43, 44; compare com Mt 5:21, 22, 27, 28, 33, 34, 38, 39 [‘21 Ouvistes que foi dito aos antigos: Não matarás; e: Quem matar estará sujeito a julgamento. 22 Eu, porém, vos digo que todo aquele que [sem motivo] se irar contra seu irmão estará sujeito a julgamento; e quem proferir um insulto a seu irmão estará sujeito a julgamento do tribunal; e quem lhe chamar: Tolo, estará sujeito ao inferno de fogo. […] 27 Ouvistes que foi dito: Não adulterarás. 28 Eu, porém, vos digo: qualquer que olhar para uma mulher com intenção impura, no coração, já adulterou com ela. […] 33 Também ouvistes que foi dito aos antigos: Não jurarás falso, mas cumprirás rigorosamente para com o Senhor os teus juramentos. 34 Eu, porém, vos digo: de modo algum jureis; nem pelo céu, por ser o trono de Deus; […] 38 Ouvistes que foi dito: Olho por olho, dente por dente. 39 Eu, porém, vos digo: não resistais ao perverso; mas, a qualquer que te ferir na face direita, volta-lhe também a outra;’]). Quando disse essas famosas palavras no Sermão da Montanha, Ele não tentou abandonar nem abolir o Antigo Testamento, como alguns afirmam. Em vez disso, Ele respondeu a várias interpretações das Escrituras e às tradições orais usadas por alguns estudiosos de Sua época para justificar comportamentos em relação a outras pessoas, como odiar os inimigos (Mt 5:43), entre outras coisas que Deus não tolerava nem nunca ordenou.”1

“Jesus não aboliu o Antigo Testamento nem diminuiu sua autoridade em nenhum grau. O oposto é verdadeiro. O Antigo Testamento, de fato, prova quem Ele é. Cristo intensificou o significado das declarações das Escrituras, mostrando-nos as intenções originais de Deus.”1

“Usar a autoridade de Jesus para desqualificar a Bíblia ou denegrir partes da Palavra como se não fossem inspiradas talvez seja uma das mais sutis, e ainda mais perigosas, críticas às Escrituras, visto que ela é feita exatamente no nome de Jesus. Cristo reconheceu a grande autoridade das Escrituras, que, em Seus dias, consistiam apenas no Antigo Testamento. Que outras evidências necessitamos de como também devemos considerar o Antigo Testamento?”1

“Longe de enfraquecer a autoridade das Escrituras, Jesus constantemente as defendeu como um guia confiável e fidedigno. Ele afirmou claramente no mesmo Sermão da Montanha: ‘Não penseis que vim revogar a Lei ou os Profetas; não vim para revogar, vim para cumprir’ (Mt 5:17). Em seguida, Ele disse que todo ‘aquele, pois, que violar um destes mandamentos, posto que dos menores, e assim ensinar aos homens, será considerado mínimo no reino dos Céus’ (Mt 5:19).”1

“Quais doutrinas importantes estão fundamentadas no Antigo Testamento? Por exemplo, a criação (Gn 1 e 2) e a queda (Gn 3). Quais outras verdades cristãs cruciais encontradas no Antigo Testamento são posteriormente ampliadas no Novo Testamento?”1

Terça-feira, 23 de junho de 2020. Saiba mais, faça um Curso Bíblico

_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. Com interpretar as Escrituras Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 500, abr. mai. jun. 2020. Adulto, Professor. 
2 BÍBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.