Jesus versus as Escrituras?

Lições da Bíblia

“3. Que mensagem poderosa Jesus nos apresentou em João 5:45-47 sobre Sua relação com a Bíblia? Assinale a alternativa correta:”1

João 5:45-47 (ARA)2: “45 Não penseis que eu vos acusarei perante o Pai; quem vos acusa é Moisés, em quem tendes firmado a vossa confiança. 46 Porque, se, de fato, crêsseis em Moisés, também creríeis em mim; porquanto ele escreveu a meu respeito. 47 Se, porém, não credes nos seus escritos, como crereis nas minhas palavras?

A.( ) É impossível harmonizar o Messias com as Escrituras.
B.( ) Jesus e os escritos de Moisés estão intimamente relacionados.

Resposta sugestiva: Alternativa B.

“Algumas pessoas afirmam que, ao falar, Jesus colocava Suas palavras em claro contraste com as palavras das Escrituras, como as encontramos no Antigo Testamento. Essas pessoas declaram que as palavras de Cristo estão até mesmo acima das palavras da Bíblia.”1

“No Novo Testamento, Jesus disse: ‘Ouvistes que foi dito […] Eu, porém, vos digo…’ (Mt 5:43, 44; compare com Mt 5:21, 22, 27, 28, 33, 34, 38, 39 [‘21 Ouvistes que foi dito aos antigos: Não matarás; e: Quem matar estará sujeito a julgamento. 22 Eu, porém, vos digo que todo aquele que [sem motivo] se irar contra seu irmão estará sujeito a julgamento; e quem proferir um insulto a seu irmão estará sujeito a julgamento do tribunal; e quem lhe chamar: Tolo, estará sujeito ao inferno de fogo. […] 27 Ouvistes que foi dito: Não adulterarás. 28 Eu, porém, vos digo: qualquer que olhar para uma mulher com intenção impura, no coração, já adulterou com ela. […] 33 Também ouvistes que foi dito aos antigos: Não jurarás falso, mas cumprirás rigorosamente para com o Senhor os teus juramentos. 34 Eu, porém, vos digo: de modo algum jureis; nem pelo céu, por ser o trono de Deus; […] 38 Ouvistes que foi dito: Olho por olho, dente por dente. 39 Eu, porém, vos digo: não resistais ao perverso; mas, a qualquer que te ferir na face direita, volta-lhe também a outra;’]). Quando disse essas famosas palavras no Sermão da Montanha, Ele não tentou abandonar nem abolir o Antigo Testamento, como alguns afirmam. Em vez disso, Ele respondeu a várias interpretações das Escrituras e às tradições orais usadas por alguns estudiosos de Sua época para justificar comportamentos em relação a outras pessoas, como odiar os inimigos (Mt 5:43), entre outras coisas que Deus não tolerava nem nunca ordenou.”1

“Jesus não aboliu o Antigo Testamento nem diminuiu sua autoridade em nenhum grau. O oposto é verdadeiro. O Antigo Testamento, de fato, prova quem Ele é. Cristo intensificou o significado das declarações das Escrituras, mostrando-nos as intenções originais de Deus.”1

“Usar a autoridade de Jesus para desqualificar a Bíblia ou denegrir partes da Palavra como se não fossem inspiradas talvez seja uma das mais sutis, e ainda mais perigosas, críticas às Escrituras, visto que ela é feita exatamente no nome de Jesus. Cristo reconheceu a grande autoridade das Escrituras, que, em Seus dias, consistiam apenas no Antigo Testamento. Que outras evidências necessitamos de como também devemos considerar o Antigo Testamento?”1

“Longe de enfraquecer a autoridade das Escrituras, Jesus constantemente as defendeu como um guia confiável e fidedigno. Ele afirmou claramente no mesmo Sermão da Montanha: ‘Não penseis que vim revogar a Lei ou os Profetas; não vim para revogar, vim para cumprir’ (Mt 5:17). Em seguida, Ele disse que todo ‘aquele, pois, que violar um destes mandamentos, posto que dos menores, e assim ensinar aos homens, será considerado mínimo no reino dos Céus’ (Mt 5:19).”1

“Quais doutrinas importantes estão fundamentadas no Antigo Testamento? Por exemplo, a criação (Gn 1 e 2) e a queda (Gn 3). Quais outras verdades cristãs cruciais encontradas no Antigo Testamento são posteriormente ampliadas no Novo Testamento?”1

Terça-feira, 23 de junho de 2020. Saiba mais, faça um Curso Bíblico

_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. Com interpretar as Escrituras Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 500, abr. mai. jun. 2020. Adulto, Professor. 
2 BÍBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

Abordagem bíblica e com espírito de oração

Lições da Bíblia

“5. Leia Atos 17:11; 8:35; 15:15, 16. O que os apóstolos e os membros da igreja primitiva fizeram quando foram confrontados com questões difíceis? Por que as Escrituras ainda são a melhor fonte para sua própria interpretação?”1

Atos 17:11 (ARA): “Ora, estes de Bereia eram mais nobres que os de Tessalônica; pois receberam a palavra com toda a avidez, examinando as Escrituras todos os dias para ver se as coisas eram, de fato, assim.”

Atos 8:35 (ARA): “Então, Filipe explicou; e, começando por esta passagem da Escritura, anunciou-lhe a Jesus.”

Atos 15:15, 16 (ARA): “15 Conferem com isto as palavras dos profetas, como está escrito: 16 Cumpridas estas coisas, voltarei e reedificarei o tabernáculo caído de Davi; e, levantando-o de suas ruínas, restaurá-lo-ei.”

“A melhor solução para as dificuldades da Bíblia ainda se encontra na própria Bíblia. Lidamos melhor com os problemas bíblicos quando os estudamos à luz de todas as Escrituras, em vez de apenas lidarmos com um único texto isoladamente dos outros ou de toda a Palavra. Devemos, de fato, usar a Bíblia para compreender a própria Bíblia. Aprender a escavar as grandes verdades encontradas nas Escrituras é uma das coisas mais importantes que podemos fazer.”1

“Se você não entende uma passagem das Escrituras, tente reunir algum conhecimento de outras passagens bíblicas que tratam do mesmo assunto. Sempre busque encontrar declarações claras das Escrituras para esclarecer as passagens que são menos claras. Também é muito importante nunca obscurecer declarações inequívocas das Escrituras, trazendo a elas passagens difíceis de entender. Em vez de usar fontes extrabíblicas, a filosofia ou a ciência para explicar o significado da Bíblia, devemos permitir que o próprio texto das Escrituras nos revele seu significado.”1

“Dizem que, quando estamos ajoelhados, literalmente olhamos para as dificuldades de uma nova perspectiva, pois, em oração, sinalizamos que precisamos de ajuda divina para interpretar e compreender as Escrituras. Em oração, buscamos a iluminação de nossa mente por meio do mesmo Espírito Santo que inspirou os escritores bíblicos a escrever o que escreveram.”1

“Em oração, nossos motivos são revelados e podemos dizer a Deus por que desejamos entender o que lemos. Em oração, pedimos ao Senhor que abra nossos olhos para a Sua Palavra e nos dê um espírito disposto a seguir e praticar a Sua verdade (isso é fundamental!). Quando Deus nos guia mediante Seu Espírito Santo em resposta às nossas orações, Ele não contradiz o que revelou na Bíblia. Deus sempre estará em harmonia com a Bíblia. O Senhor confirmará o que Ele mesmo inspirou os escritores bíblicos a nos comunicar e edificará com base nesses escritos.”1

“Como a oração ajuda você a ter a atitude correta para compreender mais e obedecer à Palavra?”1

Peça a Deus a capacidade de ser fiel com alegria e generosidade.

Quinta-feira, 18 de junho de 2020. Saiba mais, faça um Curso Bíblico

_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. Com interpretar as Escrituras Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 500, abr. mai. jun. 2020. Adulto, Professor. 
2 BÍBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

Davi, Salomão e a monarquia

Lições da Bíblia

“A monarquia de Davi e Salomão representa a era dourada na história de Israel. E se Davi e Salomão não existiram, como alguns afirmam? E se o reino deles não tivesse sido tão extenso quanto a Bíblia descreve, como alguns também alegam? Sem Davi não haveria Jerusalém, a capital da nação (2Sm 5:6-10). Sem Davi não teria existido nenhum templo construído por seu filho Salomão (1Rs 8:17-20). Finalmente, sem Davi, não haveria um futuro Messias, pois mediante a linhagem de Davi um Messias foi prometido (Jr 23:5, 6; Ap 22:16). A história israelita precisaria ser completamente reescrita. No entanto, essa história, como se lê nas Escrituras, é precisamente o que dá a Israel e à igreja sua função e missão singulares.”1

“1. Leia 1 Samuel 17. Como Deus concedeu uma vitória decisiva a Israel? Quem foi usado para essa vitória? Onde ela aconteceu?”1

1 Samuel 17 (ARA)2: “1 Ajuntaram os filisteus as suas tropas para a guerra, e congregaram-se em Socó, que está em Judá, e acamparam-se entre Socó e Azeca, em Efes-Damim. 2 Porém Saul e os homens de Israel se ajuntaram, e acamparam no vale de Elá, e ali ordenaram a batalha contra os filisteus. 3 Estavam estes num monte do lado dalém, e os israelitas, no outro monte do lado daquém; e, entre eles, o vale. […] 48 Sucedeu que, dispondo-se o filisteu a encontrar-se com Davi, este se apressou e, deixando as suas fileiras, correu de encontro ao filisteu. 49 Davi meteu a mão no alforje, e tomou dali uma pedra, e com a funda lha atirou, e feriu o filisteu na testa; a pedra encravou-se-lhe na testa, e ele caiu com o rosto em terra. 50 Assim, prevaleceu Davi contra o filisteu, com uma funda e com uma pedra, e o feriu, e o matou; porém não havia espada na mão de Davi. 51 Pelo que correu Davi, e, lançando-se sobre o filisteu, tomou-lhe a espada, e desembainhou-a, e o matou, cortando-lhe com ela a cabeça. Vendo os filisteus que era morto o seu herói, fugiram. 52 Então, os homens de Israel e Judá se levantaram, e jubilaram, e perseguiram os filisteus, até Gate e até às portas de Ecrom. E caíram filisteus feridos pelo caminho, de Saaraim até Gate e até Ecrom. 53 Então, voltaram os filhos de Israel de perseguirem os filisteus e lhes despojaram os acampamentos. 54 Tomou Davi a cabeça do filisteu e a trouxe a Jerusalém; porém as armas dele pô-las Davi na sua tenda.”

“Observe a precisa descrição geográfica das linhas de batalha em 1 Samuel 17:1-3. O sítio de Khirbet Qeiyafa está localizado nas colinas exatamente na área do acampamento israelita descrito nesse capítulo. Escavações recentes revelaram uma fortaleza massivamente fortificada da época de Saul e Davi, com vista para o vale. Dois portões do mesmo período de tempo foram escavados. Como a maioria das cidades em Israel tinha apenas um portão, essa característica pode ajudar a identificar o local como Saaraim (1Sm 17:52), que em hebraico significa ‘dois portões’.”

“Se esse for o caso, então identificamos pela primeira vez essa antiga cidade bíblica. Em 2008 e 2013 foram encontradas respectivamente duas inscrições que muitos acreditam que representam a mais antiga escrita hebraica já descoberta. A segunda inscrição menciona o nome Esbaal, o mesmo nome de um dos filhos de Saul (1Cr 9:39).”1

“Em 1993, escavações na cidade de Tel Dan, no norte, descobriram uma inscrição enorme escrita pelo rei Hazael de Damasco, que registrou sua vitória sobre o ‘rei de Israel’ e o rei da ‘casa de Davi’. A dinastia de Davi foi descrita na Bíblia dessa mesma maneira, o que acrescenta evidências arqueológicas poderosas de que Davi existiu historicamente, exatamente como a Bíblia declara.”1

“Imagine se o rei Davi realmente não tivesse existido, como alguns afirmam. Quais seriam as implicações disso para a nossa fé?”1

Deus tem sido prioridade em sua vida?

Domingo, 31 de maio de 2020. Saiba mais, faça um Curso Bíblico

_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. Com interpretar as Escrituras Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 500, abr. mai. jun. 2020. Adulto, Professor. 
2 BÍBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

Palavras e seus significados

Lições da Bíblia

“Em todas as línguas, há palavras tão ricas e profundas em significado que são difíceis de traduzir adequadamente em uma única palavra para outro idioma. Essas palavras exigem um amplo estudo de seu uso na Bíblia para a compreensão da amplitude de seu significado.”1

“3. Leia 1 Reis 3:6; Salmo 57:3; 66:20; 143:8; Miqueias 7:20. Como a misericórdia e a bondade de Deus se estendem às Suas criaturas? Assinale a alternativa correta:”1

1 Reis 3:6 (ARA)2: “Respondeu Salomão: De grande benevolência usaste para com teu servo Davi, meu pai, porque ele andou contigo em fidelidade, e em justiça, e em retidão de coração, perante a tua face; mantiveste-lhe esta grande benevolência e lhe deste um filho que se assentasse no seu trono, como hoje se vê.”

Salmo 57:3 (ARA)2: “Ele dos céus me envia o seu auxílio e me livra; cobre de vergonha os que me ferem. Envia a sua misericórdia e a sua fidelidade.”

Salmo 66:20 (ARA)2: “Bendito seja Deus, que não me rejeita a oração, nem aparta de mim a sua graça.”

Salmo 143:8 (ARA)2: “Faze-me ouvir, pela manhã, da tua graça, pois em ti confio; mostra-me o caminho por onde devo andar, porque a ti elevo a minha alma.”

Miqueias 7:20 (ARA)2: “Mostrarás a Jacó a fidelidade e a Abraão, a misericórdia, as quais juraste a nossos pais, desde os dias antigos.”

A.( ) O Senhor é misericordioso para com os que aceitam a Sua salvação e Seu perdão.
B.( ) O Senhor mantém a graça para com os que rejeitam a salvação.

Resposta sugestiva: Alternativa A.

“A palavra hebraica chesed (‘misericórdia’) é uma das mais ricas e profundas do Antigo Testamento. Ela descreve o amor de Deus, Sua bondade, misericórdia e o propósito da aliança em relação ao Seu povo. Nessas poucas passagens, O vemos demonstrando ‘grande benevolência (chesed) […] para com [Seu] servo Davi’ e ‘[mantendo-lhe] esta grande benevolência (chesed)’ (1Rs 3:6). ‘Deus enviará a Sua misericórdia (chesed) e a Sua verdade’ (Sl 57:3; ARC). Em relação a Israel, Ele mostrou ‘a Jacó a fidelidade e a Abraão, a misericórdia (chesed)’ (Mq 7:20). Livros inteiros foram escritos sobre a palavra chesed, tentando captar a profundidade da misericórdia e do amor de Deus para conosco.”1

“4. Leia Números 6:24-26; Jó 3:26; Salmo 29:11; Isaías 9:6; 32:17. O que é a ‘paz’ (ou shalom) mencionada nessas passagens?”1

Números 6:24-26 (ARA)2: “24 O SENHOR te abençoe e te guarde; 25 o SENHOR faça resplandecer o rosto sobre ti e tenha misericórdia de ti; 26 o SENHOR sobre ti levante o rosto e te dê a paz.”

Jó 3:26 (ARA)2: “Não tenho descanso, nem sossego, nem repouso, e já me vem grande perturbação.”

Salmo 29:11 (ARA)2: “O SENHOR dá força ao seu povo, o SENHOR abençoa com paz ao seu povo.”

Isaías 9:6 (ARA)2: “Porque um menino nos nasceu, um filho se nos deu; o governo está sobre os seus ombros; e o seu nome será: Maravilhoso Conselheiro, Deus Forte, Pai da Eternidade, Príncipe da Paz;”

Isaías 32:17 (ARA)2: “O efeito da justiça será paz, e o fruto da justiça, repouso e segurança, para sempre.”

“A palavra hebraica shalom é muitas vezes traduzida como ‘paz’. Mas seu significado é muito mais profundo e amplo do que esse termo. Ela pode ser traduzida como ‘plenitude, inteireza e bem-estar’. A bênção e a bondade de Deus nos mantêm em estado de shalom, que é um dom de Deus (Nm 6:24-26). Em contrapartida, a experiência de aflição de Jó produziu uma situação em que ele não tinha ‘descanso’ nem ‘sossego’, pois lhe faltava shalom. Neste mundo agitado, é uma bênção profunda receber o sábado com as palavras Shabbat shalom, pois nossa comunhão com Deus proporciona paz e plenitude.”1

Mesmo que não conheçamos o significado original dessas palavras, como podemos viver a realidade da sua essência mediante a boa compreensão e dedicação no estudo das Escrituras?

Segunda-feira, 11 de maio de 2020. Saiba mais, faça um Curso Bíblico

_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. Com interpretar as Escrituras Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 500, abr. mai. jun. 2020. Adulto, Professor. 
2 BÍBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

Razão

Lições da Bíblia

“6. Leia 2 Coríntios 10:5, 6; Provérbios 1:7; 9:10. Por que a obediência a Cristo em nossos pensamentos é tão importante? Por que o temor do Senhor é o princípio da sabedoria? Assinale a alternativa correta:”1

2 Coríntios 10:5, 6 (ARA)2: “5 destruindo os conselhos e toda altivez que se levanta contra o conhecimento de Deus, e levando cativo todo entendimento à obediência de Cristo, 6 e estando prontos para vingar toda desobediência, quando for cumprida a vossa obediência.”

Provérbios 1:7 (ARA): “O temor do Senhor é o princípio da ciência; os loucos desprezam a sabedoria e a instrução.”

Provérbios 9:10 (ARA): “O temor do Senhor é o princípio da sabedoria, e a ciência do Santo, a prudência.”

A.( ) Porque pensamentos submissos levam à prática da obediência.
B.( ) Porque devemos obedecer apenas na teoria, não na prática.

Resposta sugestiva: Alternativa A.

“Deus nos deu a capacidade de pensar e raciocinar. Toda atividade humana e todo argumento teológico supõem nossa capacidade de pensar e tirar conclusões. Não apoiamos uma fé irracional. Entretanto, como consequência do Iluminismo do século 18, a razão assumiu uma função nova e dominante, especialmente no mundo ocidental, que vai muito além de nossa capacidade de pensar e chegar a conclusões corretas.”1

“Em contraste com a ideia de que a base do nosso conhecimento é a experiência sensorial, outra visão considera a razão a principal fonte de conhecimento. Essa visão, chamada racionalismo, é a ideia de que a verdade não é sensorial, mas intelectual e deriva da razão. Ou seja, certas verdades existem, e somente a razão pode compreendê-las diretamente. Isso faz da razão o teste e a norma da verdade. A razão se tornou a nova autoridade diante da qual tudo mais tinha que se curvar, inclusive a autoridade da igreja e, mais dramaticamente, até mesmo a autoridade da Bíblia como a Palavra de Deus. Tudo o que não era evidente para a razão foi descartado e teve sua legitimidade questionada. Essa atitude afetou muitas partes das Escrituras. Todos os milagres e as ações sobrenaturais de Deus, como a ressurreição de Jesus, o nascimento virginal ou a criação em seis dias, para citar apenas alguns, não foram mais considerados verdadeiros e confiáveis.”1

“Lembremo-nos de que mesmo o poder de raciocínio foi afetado pelo pecado e precisa ser colocado sob Cristo. O ser humano foi obscurecido em sua compreensão e alienado de Deus (Ef 4:18). Precisamos ser iluminados pela Palavra. Além disso, o fato de que Deus é o Criador indica que nossa razão não foi criada como algo que funciona de modo independente. Em vez disso, ‘o temor do SENHOR é o princípio da sabedoria’ (Pv 9:10; Pv 1:7). Somente quando aceitamos a revelação de Deus, corporificada em Sua Palavra escrita, como suprema em nossa vida, e estamos dispostos a seguir o que está escrito na Bíblia, podemos raciocinar corretamente.”1

O presidente americano Thomas Jefferson (1743-1826) fez sua própria versão do Novo Testamento excluindo o que, em sua opinião, fosse contrário à razão. Quase todos os milagres de Jesus foram excluídos, incluindo a Sua ressurreição. O que isso nos ensina sobre os limites da razão para a compreensão da verdade?

Terça-feira, 22 de abril de 2020. Saiba mais, faça um Curso Bíblico

_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. Com interpretar as Escrituras Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 500, abr. mai. jun. 2020. Adulto, Professor. 
2 BÍBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

Cultura

Lições da Bíblia

“Todos nós pertencemos a culturas específicas. Também somos influenciados e moldados pela cultura. Nenhum de nós escapa dela. Basta analisarmos o quanto do Antigo Testamento é a história do antigo Israel sendo corrompido pelas culturas ao seu redor. O que nos faz pensar que hoje as coisas ocorram de modo diferente?”1

“A Palavra de Deus também foi dada em uma cultura específica, embora não seja limitada a essa única cultura. Mesmo que os fatores culturais influenciem inevitavelmente nossa compreensão da Bíblia, não devemos perder de vista o fato de que a Palavra também transcende às estabelecidas categorias culturais de etnia, império e status social. Essa é uma razão pela qual a Bíblia ultrapassa qualquer cultura humana e é até capaz de transformar e corrigir os elementos pecaminosos que encontramos em todas as culturas.”1

“5. Leia 1 João 2:15-17. O que João quis dizer ao declarar que não devemos amar as coisas do mundo? Como podemos viver no mundo e ainda assim não ter uma mentalidade mundana?”1

1 João 2:15-17 (ARA): “15 Não ameis o mundo, nem o que no mundo há. Se alguém ama o mundo, o amor do Pai não está nele. 16 Porque tudo o que há no mundo, a concupiscência da carne, a concupiscência dos olhos e a soberba da vida, não é do Pai, mas do mundo. 17 E o mundo passa, e a sua concupiscência; mas aquele que faz a vontade de Deus permanece para sempre.”

“A cultura, como qualquer outra faceta da criação de Deus, é afetada pelo pecado. Consequentemente, ela também está sob o juízo de Deus. Evidentemente, alguns aspectos da nossa cultura podem se alinhar muito bem com nossa fé, mas devemos sempre ter o cuidado de distinguir entre as duas. O ideal é que, se necessário, a fé bíblica se oponha à cultura existente e crie uma contracultura que seja fiel à Palavra de Deus. A menos que tenhamos algo ancorado em nós que venha de cima, logo nos entregaremos ao que está ao nosso redor.”1

Ellen G. White apresentou a seguinte ideia:

“Os seguidores de Cristo devem se separar do mundo em princípios e em interesses; não devem, porém, se isolar do mundo. O Salvador Se misturava constantemente com os homens, não para os animar em qualquer coisa que não estivesse em harmonia com a vontade de Deus, mas para os elevar e enobrecer” (Conselhos aos Pais, Professores e Estudantes, p. 323).1

Quais aspectos da sua cultura estão em completa oposição à fé bíblica? Como podemos nos manter firmes contra esses aspectos que tendem a corromper nossa fé?

Terça-feira, 21 de abril de 2020. Saiba mais, faça um Curso Bíblico

_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. Com interpretar as Escrituras Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 500, abr. mai. jun. 2020. Adulto, Professor. 
2 BÍBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

Experiência

Lições da Bíblia

“3. Leia Romanos 2:4 e Tito 3:4, 5. Como experimentamos a bondade, a paciência, o perdão, a benevolência e o amor de Deus? Por que é importante que a fé não seja apenas conhecimento abstrato, mas algo vivenciado? As experiências podem entrar em conflito com a Bíblia e até mesmo nos enganar na fé?”1

Romanos 2:4 (ARA)2: “Ou desprezas tu as riquezas da sua benignidade, e paciência, e longanimidade, ignorando que a benignidade de Deus te leva ao arrependimento?”

Tito 3:4, 5 (ARA)2: “4 Mas, quando apareceu a benignidade e o amor de Deus, nosso Salvador, para com os homens, 5 não pelas obras de justiça que houvéssemos feito, mas, segundo a sua misericórdia, nos salvou pela lavagem da regeneração e da renovação do Espírito Santo,”

“A experiência faz parte da existência humana. Ela influencia nossos sentimentos e pensamentos de uma forma poderosa. Deus nos projetou de tal maneira que nosso relacionamento com a criação, e até mesmo com o próprio Deus, é significativamente conectado com nossa experiência e moldado por ela.”1

“É o desejo de Deus que experimentemos a beleza dos relacionamentos, da arte, da música e das maravilhas da criação, bem como a alegria de Sua salvação e o poder das promessas de Sua Palavra. Nossa religião e fé são mais do que apenas doutrina e decisões racionais. O que experimentamos molda significativamente nossa visão de Deus e até mesmo nossa compreensão da Sua Palavra. Mas precisamos também ver claramente as limitações e insuficiências de nossas experiências quando se trata de conhecer a vontade de Deus.”1

“4. Que advertência se encontra em 2 Coríntios 11:1-3? O que isso revela sobre os limites da confiança nas nossas experiências?”1

2 Coríntios 11:1-3 (ARA)2: “1 Tomara que me suportásseis um pouco na minha loucura! Suportai-me, porém, ainda. 2 Porque estou zeloso de vós com zelo de Deus; porque vos tenho preparado para vos apresentar como uma virgem pura a um marido, a saber, a Cristo. 3 Mas temo que, assim como a serpente enganou Eva com a sua astúcia, assim também sejam de alguma sorte corrompidos os vossos sentidos e se apartem da simplicidade que há em Cristo.”

“As experiências podem ser muito enganadoras. Biblicamente, a experiência precisa ter sua esfera apropriada. Deve ser influenciada, moldada e interpretada pelas Escrituras. Às vezes desejamos experimentar algo que não está em harmonia com a Palavra e a vontade de Deus. Nessas ocasiões, precisamos confiar na Bíblia acima de nossa experiência e de nossos desejos. Devemos estar atentos para assegurar que as experiências estejam em harmonia com as Escrituras e não contradigam o claro ensino da Bíblia.”1

Na fé em que o amor a Deus e aos outros (Mc 12:28-31) são os mandamentos principais, a experiência é importante. Todavia, por que é crucial provar a experiência pela Palavra?

Segunda-feira, 20 de abril de 2020. Saiba mais, faça um Curso Bíblico

_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. Com interpretar as Escrituras Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 500, abr. mai. jun. 2020. Adulto, Professor. 
2 BÍBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

Tradição

Lições da Bíblia

“A tradição não é ruim. Ela dá às ações recorrentes na vida certa rotina e estrutura. Ela nos ajuda a permanecer conectados com nossas raízes. Por isso, não é surpresa que essa herança tenha uma função importante na religião. Porém, também existem perigos relacionados à tradição.”1

“1. Leia Marcos 7:1-13. Como Jesus reagiu a algumas tradições humanas em Seus dias? O que isso nos ensina? Assinale a alternativa correta:”1

Marcos 7:1-13 (ARA)2: “1 E reuniram-se em volta dele os fariseus e alguns dos escribas que tinham vindo de Jerusalém. 2 E, vendo que alguns dos seus discípulos comiam pão com as mãos impuras, isto é, por lavar, os repreendiam. 3 Porque os fariseus e todos os judeus, conservando a tradição dos antigos, não comem sem lavar as mãos muitas vezes;e, quando voltam do mercado, se não se lavarem, não comem. E muitas outras coisas há que receberam para observar, como lavar os copos, e os jarros, e os vasos de metal, e as camas. 5 Depois, perguntaram-lhe os fariseus e os escribas: Por que não andam os teus discípulos conforme a tradição dos antigos, mas comem com as mãos por lavar? E ele, respondendo, disse-lhes: Bem profetizou Isaías acerca de vós, hipócritas, como está escrito: Este povo honra-me com os lábios, mas o seu coração está longe de mim.Em vão, porém, me honram, ensinando doutrinas que são mandamentos de homens.Porque, deixando o mandamento de Deus, retendes a tradição dos homens, como o lavar dos jarros e dos copos, e fazeis muitas outras coisas semelhantes a estas. E dizia-lhes: Bem invalidais o mandamento de Deus para guardardes a vossa tradição. 10 Porque Moisés disse: Honra a teu pai e a tua mãe e: Quem maldisser ou o pai ou a mãe deve ser punido com a morte. 11 Porém vós dizeis: Se um homem disser ao pai ou à mãe: Aquilo que poderias aproveitar de mim é Corbã, isto é, oferta ao Senhor, 12 nada mais lhe deixais fazer por seu pai ou por sua mãe, 13 invalidando, assim, a palavra de Deus pela vossa tradição, que vós ordenastes. E muitas coisas fazeis semelhantes a estas.

A. (  ) Colocou-as acima dos mandamentos de Deus e da Palavra do Senhor.
B. (  ) Exaltou a Lei de Deus como fonte de autoridade acima das tradições.

Resposta sugestiva: Alternativa A.

“A tradição que Jesus confrontou era cuidadosamente transmitida na comunidade judaica de mestre para discípulo. Nos dias de Jesus, ela havia assumido um lugar ao lado das Escrituras. Contudo, a tradição tem uma tendência de se desenvolver durante longos períodos de tempo, acumulando assim mais e mais detalhes e aspectos que originalmente não faziam parte da Palavra de Deus nem de Seu plano. Embora as tradições fossem promovidas por ‘anciãos’ (Mc 7:3, 5), isto é, pelos líderes religiosos da comunidade judaica, não são iguais aos mandamentos de Deus (Mc 7:8, 9). Eram tradições de homens e, finalmente, levaram a um ponto em que tornaram inválida ‘a Palavra de Deus’ (Mc 7:13).”1

“2. Leia 1 Coríntios 11:2 e 2 Tessalonicenses 3:6. Como distinguimos entre a Palavra de Deus e a tradição humana? É importante fazer essa distinção?”1

1 Coríntios 11:2 (ARA)2: “E louvo-vos, irmãos, porque em tudo vos lembrais de mim e retendes os preceitos como vo-los entreguei.”

2 Tessalonicenses 3:6 (ARA)2: “Mandamo-vos, porém, irmãos, em nome de nosso Senhor Jesus Cristo, que vos aparteis de todo irmão que andar desordenadamente e não segundo a tradição que de nós recebeu.”

“A Palavra viva de Deus faz surgir em nós uma atitude reverente e fiel para com ela. Essa fidelidade gera certa tradição. Contudo, nossa fidelidade precisa sempre ser dedicada ao Deus vivo, que revelou Sua vontade na Palavra escrita. Portanto, a Bíblia possui uma função singular que suplanta todas as tradições humanas. Ela está acima de todas as tradições, mesmo das boas. Tradições que se desenvolvem a partir de nossa experiência com Deus e Sua Palavra constantemente precisam ser testadas pela medida das Sagradas Escrituras.”

O que fazemos como igreja que pode ser rotulado como “tradição”? Por que é importante distinguir tradição de ensinamento bíblico? Comente com a classe.

Não apenas leia a Bíblia, estude-a!

Domingo, 19 de abril de 2020. Saiba mais, faça um Curso Bíblico

_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. Com interpretar as Escrituras Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 500, abr. mai. jun. 2020. Adulto, Professor. 
2 BÍBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.