Alianças na história

Lições da Bíblia

“Após o Dilúvio, Deus recomeçou a história com Seu povo, por meio de Noé e das pessoas que vieram depois dele. O Senhor também buscou um relacionamento com elas, e a ideia da aliança era central para isso. A Bíblia identifica as sete principais alianças que Deus fez com o povo:”1

1ª Aliança – com Adão (Gn 1, Gn 2, Gn 3)

2ª Aliança – com Noé (Gn 6, Gn 7, Gn 8, Gn 9)

3ª Aliança – com Abraão (Gn 12:1-3)

4ª Aliança – com Moisés e a nação israelita (conhecida como Aliança Sinaítica ou Mosaica – Êx 19, Êx 20, Êx 21, Êx 22, Êx 23, Êx 24)

5ª Aliança – com Fineias (Nm 25:10-13)

6ª Aliança – com Davi (2Sm 7:5-16)

7ª Aliança – Nova Aliança (Jr 31:31-34)

“2. Leia os textos a seguir. O que significa a ‘aliança eterna’? (Gn 9:16; Gn 17:7; Is 55:3; Hb 13:20). Assinale a alternativa correta:”1

Gêneses (9:16 ARA)2: “O arco estará nas nuvens; vê-lo-ei e me lembrarei da aliança eterna entre Deus e todos os seres viventes de toda carne que há sobre a terra.”

Gêneses (17:7 ARA)2: “Estabelecerei a minha aliança entre mim e ti e a tua descendência no decurso das suas gerações, aliança perpétua, para ser o teu Deus e da tua descendência.”

Isaías (55:3 ARA)2: “Inclinai os ouvidos e vinde a mim; ouvi, e a vossa alma viverá; porque convosco farei uma aliança perpétua, que consiste nas fiéis misericórdias prometidas a Davi.”

Hebreus (13:20 ARA)2: “Ora, o Deus da paz, que tornou a trazer dentre os mortos a Jesus, nosso Senhor, o grande Pastor das ovelhas, pelo sangue da eterna aliança,”

A. (   ) Uma aliança que duraria para sempre.
B. (   ) Uma aliança condicional à fidelidade do povo.

Resposta sugestiva: Alternativa A.

“A Bíblia apresenta o termo ‘aliança eterna’ dezesseis vezes. Dessas, treze são especificamente aplicadas à aliança com Abraão; com Israel, no Sinai; e com Davi. Cada uma delas, embora singular, levava a marca da ‘aliança eterna’. Assim como o evangelho eterno foi anunciado primeiramente em Gênesis 3:15 e depois progressivamente revelado em toda a Bíblia, a mesma lógica se aplica à aliança eterna. Cada sucessiva aliança serve para esclarecer e aprofundar nossa compreensão da aliança eterna de amor, revelada mais plenamente no plano da salvação. A Nova Aliança e a Antiga Aliança, conforme são muitas vezes distinguidas, contêm os mesmos elementos.”1

1. Santificação: ‘Na mente, lhes imprimirei as Minhas leis, também no coração lhas inscreverei’ (Jr 31:33; compare com Hb 8:10).

2. Reconciliação: ‘Eu serei o seu Deus, e eles serão o Meu povo’ (Jr 31:33; Hb 8:10).

3. Missão: ‘Não ensinará jamais cada um ao seu próximo, nem cada um ao seu irmão, dizendo: Conhece ao Senhor, porque todos Me conhecerão, desde o menor até ao maior deles’ (Jr 31:34; Hb 8:11).

4. Justificação: ‘Pois perdoarei as suas iniquidades e dos seus pecados jamais Me lembrarei’ (Jr 31:34; Hb 8:12).

Segunda-feira, 18 de novembro de 2019. Saiba mais, faça um Curso Bíblico

_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. Esdras e Neemias. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 498, out. nov. dez. 2019. Adulto, Professor. 
2 BÍBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

Deus e a aliança

Lições da Bíblia

“Por causa de tudo isso, estabelecemos aliança fiel e o escrevemos; e selaram-na os nossos príncipes, os nossos levitas e os nossos sacerdotes. […] não desampararíamos a casa do nosso Deus” (Ne 9:38; 10:39).1

“Oque significa aliança na Bíblia? A explicação mais fácil para uma aliança bíblica é que ela é o estabelecimento legal de um relacionamento entre Deus e Seu povo. É Deus dizendo: ‘Você é Meu povo, e Eu Sou o seu Deus’. Além disso, encontramos a utilização de alianças escritas entre outros povos no mundo antigo, muitas vezes entre os líderes e seus súditos.”1

“Essas alianças foram estabelecidas porque beneficiavam ambas as partes. O líder cuidava do povo, e o povo pagava impostos. Mas com Deus a aliança era diferente. Deus não recebia nada, e ainda prometia ser fiel à aliança até mesmo quando o povo não o fosse. Quando as coisas ruins começavam a acontecer, o conhecimento das bênçãos e maldições ­vinculadas à aliança permitiam que os israelitas percebessem que estavam quebrando a aliança.”1

“Nesta semana, estudaremos em Neemias 10 a aliança que os israelitas renovaram com Deus e examinaremos algumas informações gerais, na Bíblia, sobre a história e a importância de se fazer uma aliança.”1

Sábado, 16 de novembro de 2019. Saiba mais, faça um Curso Bíblico

_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. Esdras e Neemias. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 498, out. nov. dez. 2019. Adulto, Professor. 

Nosso Deus perdoador

Lições da Bíblia

“O que encobre as suas transgressões jamais prosperará; mas o que as confessa e deixa alcançará misericórdia” (Pv 28:13).1

“Após o fim da Festa dos Tabernáculos (Sukkot), os líderes reuniram o povo novamente. Eles tinham acabado de celebrar; agora era hora de voltar à obra inacabada de arrependimento e confissão de seus pecados diante de Deus.”1

“Anteriormente, os líderes haviam mandado que o povo parasse de se lamentar e de ficar triste por causa de seus erros, mas isso não significava que a lamentação e a confissão não fossem importantes. Agora que haviam celebrado as festas era hora de passar a uma apropriada confissão.”1

“A ordem dos eventos aqui apresentados não significa necessariamente que a alegria e a confissão tenham sempre essa sequência; nem significa que apenas a ordem inversa deva ser seguida. Embora a confissão possa vir primeiro, seguida pela celebração, esta talvez deva vir em primeiro lugar em nossa vida. Afinal, Romanos 2:4 declara que é a bondade de Deus que nos leva ao arrependimento. Sua bondade, então, deve suscitar louvor e celebração, enquanto também nos lembra de que precisamos que Deus nos perdoe, purifique e recrie.”1

Sábado, 09 de novembro de 2019. Saiba mais, faça um Curso Bíblico

_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. Esdras e Neemias. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 498, out. nov. dez. 2019. Adulto, Professor. 

Um juramento

Lições da Bíblia

“4. Leia Neemias 5:12, 13. Por que Neemias pronunciou uma maldição contra os que não cumprissem sua parte no acordo? Assinale ‘V’ para verdadeiro ou ‘F’ para falso:”1

Neemias (5:12, 13 ARA): “12 Então, responderam: Restituir-lhes-emos e nada lhes pediremos; faremos assim como dizes. Então, chamei os sacerdotes e os fiz jurar que fariam segundo prometeram. 13 Também sacudi o meu regaço e disse: Assim o faça Deus, sacuda de sua casa e de seu trabalho a todo homem que não cumprir esta promessa; seja sacudido e despojado. E toda a congregação respondeu: Amém! E louvaram o Senhor; e o povo fez segundo a sua promessa.”

A. (   ) Para impressionar o povo quanto à seriedade do acordo.
B. (   ) Para que o povo não adorasse outros deuses.

Resposta sugestiva: V; F.

“Mesmo que os líderes concordassem em restituir e devolver o que eles tinham confiscado, Neemias não ficou satisfeito com meras palavras. Ele precisava de provas sólidas; portanto, ele os fez jurar diante dos sacerdotes. Essa ação também deu validade legal ao processo, caso ele tivesse que fazer referência ao acordo posteriormente.”1

“Mas por que ele pronunciou uma maldição? Neemias realizou o ato simbólico de levantar suas vestes como se tivesse que reter nelas alguma coisa para depois sacudi-las como sinal de perda. Assim, aqueles que fossem contra esse juramento perderiam tudo. Era costume proferir maldições para impressionar os outros quanto à importância de determinada lei ou regulamento. As pessoas também eram menos propensas a contrariar a Lei quando uma maldição estava associada à quebra dela. Parece que Neemias considerou essa questão tão importante que ele precisava fazer algo drástico para aumentar a probabilidade de seu sucesso.”

“5. O que os seguintes textos do Antigo Testamento ensinam sobre a santidade dos juramentos? Nm 30:2; Dt 23:21-23; Ec 5:4, 5; Lv 19:12; Gn 26:31”

Números (30:2 ARA)2: “Quando um homem fizer voto ao Senhor ou juramento para obrigar-se a alguma abstinência, não violará a sua palavra; segundo tudo o que prometeu, fará.

Deuteronômio (23:21-23 ARA)2: “21 Quando fizeres algum voto ao Senhor, teu Deus, não tardarás em cumpri-lo; porque o Senhor, teu Deus, certamente, o requererá de ti, e em ti haverá pecado. 22 Porém, abstendo-te de fazer o voto, não haverá pecado em ti. 23 O que proferiram os teus lábios, isso guardarás e o farás, porque votaste livremente ao Senhor, teu Deus, o que falaste com a tua boca.”

Eclesiastes (5:4, 5 ARA)2: “4 Quando a Deus fizeres algum voto, não tardes em cumpri-lo; porque não se agrada de tolos. Cumpre o voto que fazes. 5 Melhor é que não votes do que votes e não cumpras.

Levítico (19:12 ARA)2: “nem jurareis falso pelo meu nome, pois profanaríeis o nome do vosso Deus. Eu sou o Senhor.”

Gênesis (26:31 ARA)2: “Levantando-se de madrugada, juraram de parte a parte; Isaque os despediu, e eles se foram em paz.”

“A fala é um dom poderoso que Deus deu ao ser humano; radicalmente diferente do que ocorre com os animais. Há poder em nossas palavras, o poder da vida e da morte. Por isso, precisamos ser muito cautelosos com o que dizemos, com o que prometemos fazer e com os compromissos verbais que assumimos. Também é importante que nossas ações correspondam às nossas palavras. Muitas pessoas se afastam do cristianismo por causa daqueles cujas palavras soam cristãs, mas suas ações não provam isso.”1

“Pense no impacto que as palavras têm sobre os outros. Como podemos ser cautelosos com o que dizemos, quando dizemos e como dizemos?”1

Quarta-feira, 30 de outubro de 2019. Saiba mais, faça um Curso Bíblico

_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. Esdras e Neemias. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 498, out. nov. dez. 2019. Adulto, Professor. 
2 BÍBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

Inicia-se a oposição

Lições da Bíblia

“1. Leia Esdras 4:1-5. Em sua opinião, por que o remanescente israelita ­recusou a ajuda de outros povos na construção do templo?”1

Esdras (4:1-5 ARA)2: “1 Ouvindo os adversários de Judá e Benjamim que os que voltaram do cativeiro edificavam o templo ao Senhor, Deus de Israel,chegaram-se a Zorobabel e aos cabeças de famílias e lhes disseram: Deixai-nos edificar convosco, porque, como vós, buscaremos a vosso Deus; como também já lhe sacrificamos desde os dias de Esar-Hadom, rei da Assíria, que nos fez subir para aqui. 3 Porém Zorobabel, Jesua e os outros cabeças de famílias lhes responderam: Nada tendes conosco na edificação da casa a nosso Deus; nós mesmos, sozinhos, a edificaremos ao Senhor, Deus de Israel, como nos ordenou Ciro, rei da Pérsia. 4 Então, as gentes da terra desanimaram o povo de Judá, inquietando-o no edificar; 5 alugaram contra eles conselheiros para frustrarem o seu plano, todos os dias de Ciro, rei da Pérsia, até ao reinado de Dario, rei da Pérsia.”

“Superficialmente, o pedido parecia bondoso e amistoso, então por que recusar ajuda? Em certo sentido, a resposta se encontra no próprio texto. Os ‘adversários’ foram oferecer-lhes ajuda. Adversários? Essa palavra por si só apresenta um forte indício da razão pela qual os israelitas reagiram dessa maneira.”1

“Por que essas pessoas foram chamadas de adversárias? 2Reis 17:24-41 explica que elas foram trazidas de outras nações para Samaria e para a região circunvizinha após a deportação dos israelitas do Reino do Norte. O rei da Assíria lhes enviou um sacerdote, que deveria ensiná-las a adorar o Deus da terra, isto é, o Deus de Israel. Contudo, a religião resultante incorporou também os deuses cananeus. Portanto, o remanescente israelita temia que essa religião fosse trazida para a adoração no templo. Sendo assim, o melhor e mais inteligente a fazer foi exatamente o que eles fizeram: dizer ‘não, obrigado’.”1

“Precisamos lembrar por que tudo isso estava acontecendo. A transigência constante dos antepassados de Israel para com as religiões pagãs ao seu redor levou à destruição do templo, bem como ao exílio. Presumivelmente, durante o processo de reconstrução do templo, a última coisa que os israelitas queriam fazer era se associar aos povos vizinhos.”1

“2. Quais outras informações do texto mostram que essa recusa foi o certo a fazer? (Veja Ed 4:4, 5). Assinale a alternativa correta:”1

Esdras (4:4-5 ARA)2: “4 Então, as gentes da terra desanimaram o povo de Judá, inquietando-o no edificar; 5 alugaram contra eles conselheiros para frustrarem o seu plano, todos os dias de Ciro, rei da Pérsia, até ao reinado de Dario, rei da Pérsia.”.

A. (   ) Os povos vizinhos começaram a desanimá-los na construção do templo e a colocar conselheiros para frustrarem o plano deles.
B. (   ) O povo ao redor subornou os israelitas em troca de auxílio.

Resposta sugestiva: Alternativa A.

“Pense na facilidade com que os judeus poderiam ter defendido a aceitação da ajuda dos povos vizinhos na reconstrução do templo. O que 2Coríntios 6:14 [‘Não vos ponhais em jugo desigual com os incrédulos; porquanto que sociedade pode haver entre a justiça e a iniquidade? Ou que comunhão, da luz com as trevas?’] tem a dizer nesse contexto?”1

Movimento de oração e resgate: Você sabia que os Dez Dias de Oração de 2020 terão uma forte ênfase na busca por pessoas afastadas dos caminhos de Cristo? A preparação já começa neste trimestre, por meio de intensa oração!

Domingo, 20 de outubro de 2019. Saiba mais, faça um Curso Bíblico

_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. Esdras e Neemias. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 498, out. nov. dez. 2019. Adulto, Professor. 
2 BÍBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

Enfrentando oposição

Lições da Bíblia

“Porém os olhos de Deus estavam sobre os anciãos dos judeus, de maneira que não foram obrigados a parar, até que o assunto chegasse a Dario, e viesse resposta por carta sobre isso” (Ed 5:5).

Os capítulos 3 a 6 de Esdras são estruturados tematicamente, abrangendo diferentes períodos históricos de oposição à reconstrução do templo. Reconhecer essa abordagem temática ajudará a esclarecer a mensagem geral.

O nome de Esdras é mencionado pela primeira vez em Esdras 7:1. Com sua chegada, em 457 a.C., as coisas mudaram, e a cidade de Jerusalém, juntamente com o muro, começou a ser reconstruída de maneira intermitente. Treze anos depois, Neemias chegou (ele foi enviado por Artaxerxes em 444 a.C.), e a construção do muro foi finalmente retomada. Embora a oposição fosse intensa, a obra foi concluída em 52 dias (Ne 6:15).

A resistência à obra de Deus é um tema predominante nos livros de Esdras e Neemias; portanto, não é surpreendente que a reconstrução do templo e da cidade de Jerusalém tenha incitado oposição e perseguição. Para onde quer que nos voltemos no mundo de hoje, há resistência à obra do Senhor. Satanás tenta assegurar que o evangelho não se espalhe rapidamente, pois é uma ameaça ao seu domínio. Em Esdras e Neemias, como os judeus lidaram com a oposição?

Sábado, 19 de outubro de 2019. Saiba mais, faça um Curso Bíblico

_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. Esdras e Neemias. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 498, out. nov. dez. 2019. Adulto, Professor. 

O decreto de Artaxerxes

Lições da Bíblia

“4. Leia Esdras 7:11-28. Quais foram os componentes do decreto do rei? Por que essas instruções foram importantes para o povo de Israel?”1

Esdras (7:11-28 ARA)2: 11 Esta é, pois, a cópia da carta que o rei Artaxerxes deu ao sacerdote Esdras, o escriba das palavras, dos mandamentos do Senhor e dos seus estatutos sobre Israel: 12 Artaxerxes, rei dos reis, ao sacerdote Esdras, escriba da Lei do Deus do céu, paz perfeita! 13 Por mim se decreta que, no meu reino, todo aquele do povo de Israel e dos seus sacerdotes e levitas que quiser ir contigo a Jerusalém, vá. 14 Porquanto da parte do rei e dos seus sete conselheiros és mandado, para fazeres inquirição em Judá e em Jerusalém, conforme a Lei do teu Deus, que está na tua mão; 15 e para levares a prata e o ouro que o rei e os seus conselheiros voluntariamente deram ao Deus de Israel, cuja habitação está em Jerusalém; 16 e toda a prata e o ouro que achares em toda a província de Babilônia, com as ofertas voluntárias do povo e dos sacerdotes, que voluntariamente oferecerem, para a Casa de seu Deus, que está em Jerusalém. 17 Portanto, comprarás com este dinheiro novilhos, carneiros, cordeiros, com as suas ofertas de manjares e as suas libações e oferece-as sobre o altar da Casa do vosso Deus, que está em Jerusalém. 18 Também o que a ti e a teus irmãos bem parecer fazerdes do resto da prata e do ouro, o fareis conforme a vontade do vosso Deus. 19 E os utensílios que te foram dados para o serviço da Casa de teu Deus, restitui-os perante o Deus de Jerusalém. 20 E o resto do que for necessário para a Casa de teu Deus, que te convenha dar, o darás da casa dos tesouros do rei. 21 E por mim mesmo, o rei Artaxerxes, se decreta a todos os tesoureiros que estão dalém do rio que tudo quanto vos pedir o sacerdote Esdras, escriba da Lei do Deus dos céus, apressuradamente se faça. 22 Até cem talentos de prata, e até cem coros de trigo, e até cem batos de vinho, e até cem batos de azeite, e sal sem conta. 23 Tudo quanto se ordenar, segundo o mandado do Deus do céu, prontamente se faça para a Casa do Deus dos céus, porque para que haveria grande ira sobre o reino do rei e de seus filhos? 24 Também vos fazemos saber acerca de todos os sacerdotes, levitas, cantores, porteiros, netineus e ministros desta Casa de Deus que se lhes não possa impor nem direito, nem antigo tributo, nem renda. 25 E tu, Esdras, conforme a sabedoria do teu Deus, que está na tua mão, põe regedores e juízes que julguem a todo o povo que está dalém do rio, a todos os que sabem as leis de teu Deus, e ao que as não sabe as fareis saber. 26 E todo aquele que não observar a lei do teu Deus e a lei do rei, logo se faça justiça dele, quer seja morte, quer degredo, quer multa sobre os seus bens, quer prisão. 27 Bendito seja o Senhor, Deus de nossos pais, que tal inspirou ao coração do rei, para ornarmos a Casa do Senhor, que está em Jerusalém; 28 e que estendeu para mim a sua beneficência perante o rei, e os seus conselheiros, e todos os príncipes poderosos do rei. Assim, me esforcei, segundo a mão do Senhor sobre mim, e ajuntei dentre Israel alguns chefes para subirem comigo.”

“O decreto de Artaxerxes se assemelha ao primeiro decreto de Ciro. O rei aconselhou todos os que estavam dispostos, especialmente os da linhagem sacerdotal, a fazer a viagem a Jerusalém. Embora, de acordo com os documentos históricos de Murashu, a maioria dos judeus tivesse permanecido na Pérsia (como demonstrado na história de Ester), havia aqueles que esperavam a oportunidade de começar uma nova vida na terra natal de seus ancestrais. O rei dirigiu a maior parte de seus comentários aos tesoureiros do território Trans-Eufrates. Os tesoureiros deviam conceder a Esdras tudo que fosse preciso para restaurar a cidade e ‘para ornar a Casa do Senhor’ (Ed 7:27). Por fim, o rei comissionou Esdras a assegurar a observância apropriada da Lei de Deus e da lei da terra mediante a criação do sistema judicial. A ordem e a organização resultantes dessa ordenança são aspectos importantes em toda sociedade. Além disso, o rei ofereceu condições para que Esdras e os israelitas restaurassem sua terra natal.”1

“O interesse do rei pela reconstrução da cidade e do templo indica que ele passou a crer no Deus de Esdras? Artaxerxes chamou o Senhor de o ‘Deus de Israel, cuja habitação está em Jerusalém’ (Ed 7:15). A terminologia que o rei usou para designar o Deus de Israel indica que ele via o Senhor apenas como outra divindade local que precisava ser apaziguada por meio de donativos. Ele não queria que esse deus local se zangasse com ele e seus filhos (Ed 7:23). Além do mais, devemos observar que 457 a.C. é também o ano de uma revolta egípcia contra o governo persa; portanto, é provável que as ações favoráveis do rei tenham sido planejadas para obter a lealdade da província de Judá.”1

“Infelizmente, apesar do envolvimento que o rei tinha com Esdras e Neemias, isso não fez dele um crente em Deus. Não há nada nos textos que indique sua conversão, o que significa que o Senhor pode usar até mesmo pessoas descrentes para cumprir Seus propósitos na Terra.”1

“Mesmo em meio a tanta dor e sofrimento, como podemos confiar na soberania de Deus sobre o mundo?”1

Quarta-feira, 02 de setembro de 2019. Saiba mais, faça um Curso Bíblico

_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. Esdras e Neemias. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 498, out. nov. dez. 2019. Adulto, Professor. 
2 BÍBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.