Vivendo o evangelho – Estudo adicional

Lições da Bíblia

Textos de Ellen G. White: O Desejado de Todas as Nações, p. 19-26 (“Deus Conosco”), e A Ciência do Bom Viver, p. 95-107 (“Salvo Para Servir”).

“Deus reclama toda a Terra como Sua vinha. Embora nas mãos do usurpador, ela pertence a Deus. É Sua não menos pela redenção que pela criação. […] Diariamente, todo o mundo recebe bênçãos de Deus. Cada gota de chuva, cada raio de luz que cai sobre esta geração ingrata, cada folha, e flor, e fruto testifica da longanimidade de Deus e de Seu grande amor” (Ellen G. White, Parábolas de Jesus, p. 301, 302).1

“Em Cristo não há nem judeu nem grego, servo nem livre. Todos são aproximados por Seu precioso sangue” (Gl 3:28; Ef 2:13).

“Há pessoas pobres e tentadas que necessitam de palavras de compaixão e atos de ajuda. Há viúvas que carecem de compaixão e assistência. Há órfãos, aos quais Cristo ordenou aos Seus seguidores que recebessem como um encargo divino. Muitas vezes são abandonados. Podem ser maltrapilhos, grosseiros e, segundo toda a aparência, nada atraentes; contudo são propriedade de Deus. Foram comprados por preço, e aos Seus olhos são tão preciosos quanto nós. São membros da grande família de Deus, e os cristãos, como mordomos Seus, são por eles responsáveis” (Ellen G. White, Parábolas de Jesus, p. 386, 387).1

Perguntas para discussão

“1. Ao realizar boas obras e ajudar os outros, como resistir à tentação de pensar que isso nos torna melhores e nos traz mérito perante Deus?”1

“2. Sua igreja faz ‘distinção’ entre pessoas ou todos são iguais em Cristo? Como ser mais inclusivo?”1

3. Como encontrar o equilíbrio entre fazer o bem aos necessitados e, ao mesmo tempo, alcançá-los com o evangelho? Como fazer as duas coisas?”1

Resumo:

“O amor de Deus, expresso no plano da salvação, oferece perdão, vida e esperança. Como recebedores dessa graça, buscamos compartilhar isso com os outros não para obter a salvação, mas porque fomos criados e recriados para fazê-lo. O evangelho transforma relacionamentos e nos motiva a servir, especialmente aos mais necessitados.”1

Sexta-feira, 06 de setembro de 2019. Saiba mais, faça um Curso Bíblico

_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. “Meus pequeninos irmãos”: servindo aos necessitados. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 496, jul. ago. set. 2019. Adulto, Professor. 

O ministério e testemunho de Dorcas

Lições da Bíblia

“Como Jesus havia predito, à medida que a igreja começou a se espalhar ‘tanto em Jerusalém como em toda a Judeia e Samaria e até aos confins da Terra’ (At 1:8), novos cristãos abraçaram a fé e o ministério de Jesus. Entre eles estava Dorcas, também conhecida como Tabita, na cidade de Jope. Evidentemente ela levou a sério o ensino especial de Jesus de que, quando vestia o nu, ela o estava fazendo ao próprio Jesus

(veja Mt 25:38, 40 [‘E quando te vimos forasteiro e te hospedamos? Ou nu e te vestimos? […] O Rei, respondendo, lhes dirá: Em verdade vos afirmo que, sempre que o fizestes a um destes meus pequeninos irmãos, a mim o fizestes.’]).”1

“2. Leia a descrição de Dorcas e de seu ministério em Atos 9:36. Sua vida e ministério poderiam ser descritos em um formato semelhante a esse verso? Como você gostaria que as pessoas o descrevessem?”1

Atos (9:36 ARA): “36 Havia em Jope uma discípula por nome Tabita, nome este que, traduzido, quer dizer Dorcas; era ela notável pelas boas obras e esmolas que fazia.”

“Parece que o ministério de Dorcas era tão notável que a descrição dela como ‘discípula’ (veja At 9:36), bem como sua fidelidade, energia e foco nos outros eram reconhecidos mesmo fora de sua cidade natal.”1

“Pedro estava visitando Lida, a cidade vizinha, e o povo de Jope lhe pediu que ele viesse em resposta à morte prematura de Dorcas

(veja At 9:37-41 [‘37 Ora, aconteceu, naqueles dias, que ela adoeceu e veio a morrer; e, depois de a lavarem, puseram-na no cenáculo. 38 Como Lida era perto de Jope, ouvindo os discípulos que Pedro estava ali, enviaram-lhe dois homens que lhe pedissem: Não demores em vir ter conosco. 39 Pedro atendeu e foi com eles. Tendo chegado, conduziram-no para o cenáculo; e todas as viúvas o cercaram, chorando e mostrando-lhe túnicas e vestidos que Dorcas fizera enquanto estava com elas. 40 Mas Pedro, tendo feito sair a todos, pondo-se de joelhos, orou; e, voltando-se para o corpo, disse: Tabita, levanta-te! Ela abriu os olhos e, vendo a Pedro, sentou-se. 41 Ele, dando-lhe a mão, levantou-a; e, chamando os santos, especialmente as viúvas, apresentou-a viva. 42 Isto se tornou conhecido por toda Jope, e muitos creram no Senhor. 43 Pedro ficou em Jope muitos dias, em casa de um curtidor chamado Simão.’]).

Em sua chegada a Jope, Pedro foi recebido por muitas pessoas que haviam sido auxiliadas por Dorcas mediante o trabalho dela para com os pobres. Elas lhe mostraram as roupas que Dorcas havia feito e, evidentemente, contaram-lhe histórias de como ela as havia ajudado e a muitas outras pessoas.”1

“O fato de que Pedro orou por Dorcas e Deus restaurou essa mulher à vida não garante que sempre dará tudo certo aos que dedicam sua vida ao serviço dos outros. Afinal, Dorcas já havia sofrido doença e morte, e Estêvão, um dos primeiros diáconos nomeados para ministrar às viúvas na igreja, também havia se tornado o primeiro mártir (veja At 7:54-60). Uma vida de serviço não é um caminho fácil, sem obstáculos; às vezes pode até ser a estrada mais difícil.”1

“No entanto, nessa história Deus usou o reconhecimento de Seu amor e poder tanto na vida quanto na morte de Dorcas para causar um forte impacto no povo de Jope: ‘Isto se tornou conhecido por toda Jope, e muitos creram no Senhor’ (At 9:42).”1

“Se você morresse, as pessoas sentiriam falta da sua contribuição assim como o ministério de Dorcas foi lembrado e lamentado? Como podemos deixar um melhor legado de serviço? Considerando a história dessa mulher que fazia roupas para os necessitados, quais são suas habilidades práticas para usar no serviço às pessoas?”1

Segunda-feira, 26 de agosto de 2019. Saiba mais, faça um Curso Bíblico

_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. “Meus pequeninos irmãos”: servindo aos necessitados. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 496, jul. ago. set. 2019. Adulto, Professor. 
2 BÍBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

“Meus pequeninos irmãos” – Estudo adicional

Lições da Bíblia

Textos de Ellen G. White: O Desejado de Todas as Nações, p. 497-505 (“O Bom Samaritano”) e p. 637-641 (“Um Destes Meus Pequeninos Irmãos”); Parábolas de Jesus, p. 260-271 (“Como se Decide o Nosso Destino”) e p. 376-389 (“A Verdadeira Riqueza”).1

“Cristo derriba a parede de separação, o amor-próprio, o separatista preconceito de nacionalidade e ensina amor a toda a família humana. Ergue os homens do estreito círculo que lhes prescreve o egoísmo; elimina todos os limites territoriais e as convencionais distinções da sociedade. Não faz diferença entre vizinhos e estrangeiros, amigos e inimigos. Ele nos ensina a considerar todo necessitado como nosso semelhante, e o mundo como o nosso campo” (Ellen G. White, O Maior Discurso de Cristo, p. 42).1

“A norma da regra áurea é o verdadeiro padrão do cristianismo; tudo que a deixa de cumprir é um engano. Uma religião que induz os homens a estimarem em pouco os seres humanos, avaliados por Cristo em tão alto valor que por eles Se doou; uma religião que nos leve a negligenciar as necessidades humanas e seus sofrimentos ou direitos é falsa religião. Menosprezando os direitos do pobre, do sofredor e do pecador, estamos nos demonstrando traidores de Cristo. É porque os homens usam o nome de Cristo ao passo que na vida Lhe negam o caráter, que o cristianismo tem no mundo tão pouco poder” (Ellen G. White, O Maior Discurso de Cristo, p. 136, 137).1

Perguntas para discussão

“1. Das passagens estudadas nesta semana, qual é a sua favorita? Por quê?”1

“2. Por que uma fé ‘que nos leve a negligenciar as necessidades humanas e seus sofrimentos ou direitos é falsa religião’?”1

“3. Como os versos do estudo de quinta mostram o que também implica ter a ‘verdade’?”1

Resumo:

“Os ensinos de Jesus estabelecem um modo de vida diferente para os cidadãos do Seu reino. Com base no Antigo Testamento, Ele ampliou a ênfase em cuidar dos pobres e oprimidos, destacando que Seus seguidores viverão de modo compassivo enquanto aguardam Seu retorno.”1

Sexta-feira, 23 de agosto de 2019. Saiba mais, faça um Curso Bíblico

_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. “Meus pequeninos irmãos”: servindo aos necessitados. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 496, jul. ago. set. 2019. Adulto, Professor. 

A vida familiar deve ser compartilhada

Lições da Bíblia

“7. Nos versos abaixo, investigue os usos da palavra ‘imitar’. O que eles revelam sobre o processo de se tornar cristão e crescer na fé? O que eles sugerem sobre a relação entre exemplo e testemunho? 1Co 4:16; Ef 5:1; 1Ts 1:6; Hb 6:12; 13:7; 3Jo 11”1

1 Coríntios (4:16 ARA)2: “Admoesto-vos, portanto, a que sejais meus imitadores.”

Efésios (5:1 ARA)2:Sede, pois, imitadores de Deus, como filhos amados;”

1 Tessalonicenses (1:6 ARA)2:Com efeito, vos tornastes imitadores nossos e do Senhor, tendo recebido a palavra, posto que em meio de muita tribulação, com alegria do Espírito Santo,”

Hebreus (6:12 ARA)2: “para que não vos torneis indolentes, mas imitadores daqueles que, pela fé e pela longanimidade, herdam as promessas.”

Hebreus (13:7 ARA)2: “Lembrai-vos dos vossos guias, os quais vos pregaram a palavra de Deus; e, considerando atentamente o fim da sua vida, imitai a fé que tiveram.”

3 João (11 ARA)2: “Amado, não imites o que é mau, senão o que é bom. Aquele que pratica o bem procede de Deus; aquele que pratica o mal jamais viu a Deus.”

“A ênfase do Novo Testamento na imitação reconhece a importância do exemplo no processo de aprendizagem. Temos a tendência de nos tornar semelhantes às pessoas ou às coisas que observamos. Esse princípio se aplica aos relacionamentos em geral, especialmente no lar, onde a imitação é comum. Os filhos imitam seus pais e irmãos; e os cônjuges imitam um ao outro. Esse conceito apresenta um indício importante de como casais e famílias podem testemunhar de Cristo a outras pessoas.”1

“O poder da influência social. Testemunhamos do nosso lar quando damos oportunidade para que outros compartilhem da nossa experiência doméstica. Muitos simplesmente não têm um bom exemplo de relacionamentos familiares. Em nosso lar, eles podem ver como o espírito de Jesus faz a diferença. Ellen White escreveu: ‘A influência social é uma força maravilhosa. Se quisermos, podemos valer-nos dela para auxiliar as pessoas que nos rodeiam’ (A Ciência do Bom Viver, p. 354).”1

“Quando os casados convidam outros casais para uma refeição, relacionamento social ou estudo bíblico, ou quando participam juntos de um programa de desenvolvimento conjugal, os visitantes veem um modelo. A demonstração de reciprocidade, afirmação, comunicação, resolução de conflitos e adaptação de diferenças testemunham da vida familiar em Cristo.”1

“8. No contexto dos modelos, com o que devemos sempre tomar cuidado? (Jr 17:9; Jo 2:25; Rm 3:23). Assinale a alternativa correta:”1

Jeremias (17:9 ARA)2: “Enganoso é o coração,mais do que todas as coisas, e desesperadamente corrupto; quem o conhecerá?”

João (2:25 ARA)2: “E não precisava de que alguém lhe desse testemunho a respeito do homem, porque ele mesmo sabia o que era a natureza humana.”

Romanos (3:23 ARA)2: “pois todos pecaram e carecem da glória de Deus,”

A (   ) Com expectativas exageradas em relação aos nossos modelos.
B (   ) Com os maus exemplos. O cristão não pode errar jamais.

Resposta sugestiva: Alternativa A.

“Siga cristãos que seguem a Cristo. Todo exemplo humano é falho; o testemunho do lar cristão não é uma demonstração de perfeição absoluta. A noção de imitação do Novo Testamento é um chamado para que os indivíduos sigam cristãos que seguem a Cristo. A ideia é que as pessoas compreendam a fé cristã conforme a veem demonstrada na vida de outras pessoas tão humanas e falíveis quanto elas.”1

“Como você pode tornar seu lar um melhor exemplo de testemunho cristão?”1

Quarta-feira 19 de junho de 2019. Saiba mais, faça um Curso Bíblico

_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. Estações da vida. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 496, abr. maio. jun. 2019. Adulto, Professor.
2 BÍBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

“Que viram em tua casa?”

Lições da Bíblia

“Vós, porém, sois raça eleita, sacerdócio real, nação santa, povo de propriedade exclusiva de Deus, a fim de proclamardes as virtudes Daquele que vos chamou das trevas para a Sua maravilhosa luz” (1Pe 2:9).1

“Talvez tenhamos chegado a um estágio em que, graças ao Senhor, nossa vida esteja indo bem: família, trabalho, saúde e finanças. Ou talvez não. Possivelmente, seu lar esteja em aflição ou em crise. Seja como for, quando alguém visita seu lar, como os emissários da Babilônia visitaram o rei Ezequias, qual resposta poderia ser dada à pergunta que o profeta Isaías posteriormente fez ao rei: ‘Que viram em tua casa? (Is 39:4).’”1

“O que as pessoas e os anjos celestiais veem em nossa casa? Qual influência permeia nosso lar? É possível ‘sentir’ o perfume da oração? Existe gentileza, generosidade, amor, ou tensão, ira, ressentimento, amargura e discórdia? Algum visitante vai embora com a sensação de que Jesus está ali?”1

“É importante que façamos essas perguntas a nós mesmos a respeito do tipo de lar que promovemos. Nesta semana, examinaremos algumas questões que contribuem para uma vida familiar maravilhosa, apesar das inevitáveis tensões e lutas que os lares enfrentam atualmente.”1

Sábado, 15 de junho de 2019. Saiba mais, faça um Curso Bíblico

_______________

1 LIÇÃO da Escola Sabatina. Estações da vida. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 496, abr. maio. jun. 2019. Adulto, Professor.

Palavras finais

Lições da Bíblia

“9. Leia Romanos 15:1-3. Qual importante verdade encontramos nessa passagem? Assinale ‘V’ para verdadeiro ou ‘F’ para falso:”1

“1 Ora, nós que somos fortes devemos suportar as debilidades dos fracos e não agradar-nos a nós mesmos. 2 Portanto, cada um de nós agrade ao próximo no que é bom para edificação. 3 Porque também Cristo não se agradou a si mesmo; antes, como está escrito: As injúrias dos que te ultrajavam caíram sobre mim.

A.( ) Não devemos agradar a nós mesmos, e sim aos outros.
B.( ) Não devemos agradar aos outros, e sim a nós mesmos.

Resposta sugestiva: F; V.

“10. Essa passagem capta o que significa ser seguidor de Jesus?”1

Sim, “[…] Cristo não se agradou a si mesmo […]”

“11. Quais outros versos ensinam a mesma ideia? Como você pode viver esse princípio?”1

“[…] cada um de nós agrade ao próximo no que é bom para edificação.

“12. Leia Romanos 15:5, 6, 13, 33. Quando Paulo terminou sua carta, ele pronunciou bênçãos diferentes. Quais foram elas?”1

Romanos (15:5, 6, 13, 33 ARA)2: “5 Ora, o Deus da paciência e da consolação vos conceda o mesmo sentir de uns para com os outros, segundo Cristo Jesus, 6 para que concordemente e a uma voz glorifiqueis ao Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo. […] 13 E o Deus da esperança vos encha de todo o gozo e paz no vosso crer, para que sejais ricos de esperança no poder do Espírito Santo. […] 33 E o Deus da paz seja com todos vós. Amém!

“O Deus da paciência é Aquele que ajuda Seus filhos a perseverar firmemente. A palavra grega para ‘paciência’, hupomone, significa ‘fortaleza’, ‘resistência firme’. A palavra para ‘consolação’ pode ser traduzida como ‘encorajamento’. O Deus do encorajamento nos encoraja. O Deus da esperança é Aquele que deu esperança à humanidade. Da mesma forma, o Deus da paz é a Pessoa que dá a paz e em quem se pode ter paz.”1

“13. Leia Romanos 16:25-27. Depois de inúmeras saudações pessoais, como Paulo concluiu sua carta?”1

“25 Ora, àquele que é poderoso para vos confirmar segundo o meu evangelho e a pregação de Jesus Cristo, conforme a revelação do mistério guardado em silêncio nos tempos eternos, 26 e que, agora, se tornou manifesto e foi dado a conhecer por meio das Escrituras proféticas, segundo o mandamento do Deus eterno, para a obediência por fé, entre todas as nações, 27 ao Deus único e sábio seja dada glória, por meio de Jesus Cristo, pelos séculos dos séculos. Amém!

“Paulo concluiu sua carta com uma gloriosa declaração de louvor a Deus. O Senhor é Aquele em quem os cristãos podem confiar seguramente a fim de confirmar sua posição como filhos redimidos de Deus, justificados pela fé e guiados por Seu Espírito.”1

“Paulo foi inspirado pelo Senhor a escrever essa carta em resposta a uma situa­ção específica, em um momento específico. O que não sabemos são os detalhes sobre o que o Senhor tinha revelado a Paulo a respeito do futuro.”1

“Paulo sabia sobre a ‘apostasia’ (2Ts 2:3), embora o texto não revele quanto ele sabia. Em suma, não sabemos se Paulo tinha alguma noção do papel que ele e seus escritos teriam nos eventos finais. Em certo sentido, isso não importa. O que importa é que desses textos nasceu o Protestantismo, e neles os que buscam permanecer fiéis a Jesus tiveram e terão o fundamento escriturístico sobre o qual fundamentar sua fé e seu compromisso, mesmo quando o mundo se maravilhar, ‘seguindo a besta’ (Ap 13:3).”1

Quinta-feira, 28 de dezembro de 2017. Saiba mais, ouça o Comentário em áudio  da Lição da Escola Sabatina (LES) ou se preferir faça um Curso Bíblico.
_______________
1 LIÇÃO da escola sabatina. Salvação somente pela fé: o livro de Romanos. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 490, Out. Nov. Dez. 2017. Adulto, Professor.
2 BIBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

Vivendo para Deus – Estudo adicional

Lições da Bíblia

Assista em vídeo a discussão do tema da semana.

Estudo adicional

“‘O amor longânime e benigno não transformará uma indiscrição em ofensa imperdoável, nem exaltará as faltas de outros. As Escrituras ensinam claramente que os errantes devem ser tratados com tolerância e consideração. Seguindo-se a devida maneira de proceder, talvez o coração aparentemente endurecido seja ganho para Cristo. O amor de Jesus cobre uma multidão de pecados. Sua graça nunca leva à exposição dos erros dos outros, a menos que seja uma necessidade positiva’ (Ellen G. White, Conselhos aos Pais, Professores e Estudantes, p. 267).”1

“Considere, por exemplo, Jesus e a mulher apanhada em adultério (Jo 8:1-11). Geralmente entendemos esse relato como uma história da graça de Cristo a uma mulher pecadora. Essa é uma possibilidade. No entanto, há também um elemento mais profundo. Ao confrontar os líderes religiosos que haviam conduzido a mulher, por que Jesus escreveu os ‘criminosos segredos da própria vida deles’ (Ellen G. White, O Desejado de Todas as Nações, p. 461) na areia, onde as palavras poderiam ser imediatamente apagadas? Por que Ele não os acusou abertamente, declarando diante de todos ali os pecados deles, que deveriam ser tão ruins quanto os da mulher ou até piores? Em vez disso, Cristo mostrou-lhes que conhecia seu mal e sua hipocrisia; porém, não os exporia aos outros. Talvez essa tenha sido a maneira que o Mestre encontrou de alcançar aqueles homens, mostrando-lhes que Ele conhecia seus propósitos e dando-lhes uma oportunidade de salvação. Que grande lição para nós, quando precisamos confrontar aqueles que pecaram!”1

Perguntas para reflexão

  1. “Reflita sobre unidade e uniformidade. Em quais áreas a igreja precisa estar em completa unidade de pensamento a fim de funcionar adequadamente? Como podemos encontrar essa uniformidade? Em contrapartida, em quais áreas a diversidade de opiniões poderia ser útil?”1
  2. “O que significa ‘sofrer na carne’? O poder de Deus para transformar nossa vida anula automaticamente a necessidade de ‘sofrermos na carne’ a fim de que sejamos vitoriosos?”1
  3. “Observe a devastação que o álcool tem produzido em tantas pessoas. Como podemos ajudar outros a enxergar o perigo dessa droga? Como podemos conscientizar nossos jovens quanto ao erro até mesmo de experimentar uma substância capaz de lhes fazer um terrível mal?”1
Sexta-feira, 28 de abril de 2017. Saiba mais, ouça o Comentário em áudio  da Lição da Escola Sabatina (LES) ou se preferir faça um Curso Bíblico.
_______________
1MCLVER, Robert K. Apascenta as Minhas ovelhas: 1 e 2 Pedro. Lições da escola sabatina. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 488, Abr. Mai. Jun. 2017. Adulto, Professor.