Vidas transformadas fazem a diferença

Lições da Bíblia

“Ao verem a intrepidez de Pedro e João, sabendo que eram homens iletrados e incultos, admiraram-se; e reconheceram que haviam eles estado com Jesus” (At 4:13).1

“A igreja do Novo Testamento teve um crescimento explosivo. Três mil pessoas foram batizadas no dia de Pentecostes (At 2:41). Mais outros milhares de pessoas foram acrescentados à igreja algumas semanas depois (At 4:4). Logo as autoridades reconheceram o que estava acontecendo. Os cristãos do Novo Testamento haviam estado com Cristo. Tiveram a vida transformada por Sua graça e por isso não podiam ficar calados.”1

“3. O que é relatado em Atos 4:1-20? O que aconteceu quando as autoridades tentaram silenciar Pedro e João? Qual foi a resposta deles?”1

Atos 4:1-20 (ARA)2: “1 Falavam eles ainda ao povo quando sobrevieram os sacerdotes, o capitão do templo e os saduceus, 2 ressentidos por ensinarem eles o povo e anunciarem, em Jesus, a ressurreição dentre os mortos; 3 e os prenderam, recolhendo-os ao cárcere até ao dia seguinte, pois já era tarde. 4 Muitos, porém, dos que ouviram a palavra a aceitaram, subindo o número de homens a quase cinco mil. 5 No dia seguinte, reuniram-se em Jerusalém as autoridades, os anciãos e os escribas 6 com o sumo sacerdote Anás, Caifás, João, Alexandre e todos os que eram da linhagem do sumo sacerdote; 7 e, pondo-os perante eles, os arguiram: Com que poder ou em nome de quem fizestes isto? 8 Então, Pedro, cheio do Espírito Santo, lhes disse: Autoridades do povo e anciãos, 9 visto que hoje somos interrogados a propósito do benefício feito a um homem enfermo e do modo por que foi curado, 10 tomai conhecimento, vós todos e todo o povo de Israel, de que, em nome de Jesus Cristo, o Nazareno, a quem vós crucificastes, e a quem Deus ressuscitou dentre os mortos, sim, em seu nome é que este está curado perante vós. 11 Este Jesus é pedra rejeitada por vós, os construtores, a qual se tornou a pedra angular. 12 E não há salvação em nenhum outro; porque abaixo do céu não existe nenhum outro nome, dado entre os homens, pelo qual importa que sejamos salvos. 13 Ao verem a intrepidez de Pedro e João, sabendo que eram homens iletrados e incultos, admiraram-se; e reconheceram que haviam eles estado com Jesus. 14 Vendo com eles o homem que fora curado, nada tinham que dizer em contrário. 15 E, mandando-os sair do Sinédrio, consultavam entre si, 16 dizendo: Que faremos com estes homens? Pois, na verdade, é manifesto a todos os habitantes de Jerusalém que um sinal notório foi feito por eles, e não o podemos negar; 17 mas, para que não haja maior divulgação entre o povo, ameacemo-los para não mais falarem neste nome a quem quer que seja. 18 Chamando-os, ordenaram-lhes que absolutamente não falassem, nem ensinassem em o nome de Jesus. 19 Mas Pedro e João lhes responderam: Julgai se é justo diante de Deus ouvir-vos antes a vós outros do que a Deus; 20 pois nós não podemos deixar de falar das coisas que vimos e ouvimos.

“Aqueles cristãos eram recém-convertidos e foram impelidos a contar sua história. Pedro, um rude pescador, foi transformado pela graça de Deus. Tiago e João, filhos do trovão, que tinham dificuldade de controlar seu temperamento, foram transformados pelo amor divino. Tomé, o cético, foi transformado pela misericórdia do Senhor. Cada um dos discípulos e membros da igreja primitiva tinha a própria história para contar, e não pôde ficar calado. Observe esta poderosa declaração de Ellen G. White no livro Caminho a Cristo: ‘No momento em que uma pessoa aceita a Cristo, em seu coração nasce um desejo de apresentar aos outros o precioso Amigo que encontrou em Jesus Cristo; a verdade salvadora e santificadora não pode ficar escondida em seu coração’ (p. 78).”1

“Observe também o que os líderes religiosos disseram no verso 16. Eles reconheceram abertamente a realidade do milagre que havia sido realizado – o homem curado estava ali diante deles. Mesmo com tudo isso, eles se recusaram a mudar de atitude. Apesar dessa aberta oposição, Pedro e João não recuaram de seu testemunho.”1

“Qual é a relação entre conhecer e compartilhar Cristo? Por que conhecer Jesus pessoalmente é tão essencial para podermos testemunhar Dele?”1

Segunda-feira, 06 de julho de 2020. Saiba mais, faça um Curso Bíblico

_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. Fazendo amigos para Deus: A alegria de participar de Sua missão. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 501, jul. ago. set. 2020. Adulto, Professor. 
2 BÍBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

Por que testemunhar? – Estudo adicional

Lições da Bíblia

Textos de Ellen G. White: Atos dos Apóstolos, p. 9-16 (“O propósito de Deus para Sua igreja”); O Desejado de Todas as Nações, p. 822-828 (“A grande comissão”).1

“A igreja do Novo Testamento enfrentou o perigo de não entender o propósito de sua existência. Ellen G. White descreveu essa situação: ‘A perseguição que sobreveio à igreja de Jerusalém resultou em grande impulso para a pregação do evangelho. O êxito havia acompanhado o ministério da Palavra nesse lugar, e havia o perigo de que os discípulos se demorassem ali por muito tempo, despreocupados com relação à tarefa que haviam recebido do Salvador: ir a todo o mundo. Esquecendo-se de que a melhor maneira de se obter força para resistir ao mal é o trabalho árduo, começaram a pensar que o mais importante seria proteger a igreja de Jerusalém dos ataques do inimigo. Em vez de instruir os novos conversos para levar o evangelho aos que ainda não o conheciam, corriam o risco de tomar um caminho que os levaria a se sentirem satisfeitos com o que já havia sido alcançado’ (Atos dos Apóstolos, p. 105).”1

Perguntas para consideração

“1. Observe atentamente a citação de Ellen G. White acima, especialmente a última frase. Por que essa atitude seria tão terrível e tragicamente equivocada?”1

“2. Por que todos os evangelhos terminam com uma ordem semelhante?

Mt 28:18-20 (ARA)2: “18 Jesus, aproximando-se, falou-lhes, dizendo: Toda a autoridade me foi dada no céu e na terra. 19 Ide, portanto, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo; 20 ensinando-os a guardar todas as coisas que vos tenho ordenado. E eis que estou convosco todos os dias até à consumação do século.”

Mc 16:15, 16 (ARA)2: “15 E disse-lhes: Ide por todo o mundo e pregai o evangelho a toda criatura. 16 Quem crer e for batizado será salvo; quem, porém, não crer será condenado.”

Lc 24:46-49 (ARA)2: “46 e lhes disse: Assim está escrito que o Cristo havia de padecer e ressuscitar dentre os mortos no terceiro dia 47 e que em seu nome se pregasse arrependimento para remissão de pecados a todas as nações, começando de Jerusalém. 48 Vós sois testemunhas destas coisas. 49 Eis que envio sobre vós a promessa de meu Pai; permanecei, pois, na cidade, até que do alto sejais revestidos de poder.”

Jo 20:21 (ARA)2: “Disse-lhes, pois, Jesus outra vez: Paz seja convosco! Assim como o Pai me enviou, eu também vos envio.”

O que isso significou para aqueles cristãos do primeiro século e o que deve significar para nós?”1

“3. O testemunho e o serviço podem se tornar um substituto da espiritualidade genuína? Como podemos tomar cuidado com essa armadilha?”1

“4. O testemunho e o serviço influenciam seu crescimento espiritual? Você pode ajudar os outros com suas experiências? Como poderia ajudá-los a evitar os erros que você cometeu?”1

“5. Deus ama cada um de nós. Você entende o que isso significa? Talvez essa seja a verdade mais importante do Universo. De que modo ela impacta sua maneira de viver?”1

Sexta-feira, 03 de julho de 2020. Saiba mais, faça um Curso Bíblico

_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. Fazendo amigos para Deus: A alegria de participar de Sua missão. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 501, jul. ago. set. 2020. Adulto, Professor. 
2 BÍBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

Por que testemunhar?

Lições da Bíblia

“Isto é bom e aceitável diante de Deus, nosso Salvador, o qual deseja que todos os homens sejam salvos e cheguem ao pleno conhecimento da verdade” (1Tm 2:3, 4).

“O grande desejo de Deus é que todas as pessoas em todos os lugares respondam ao Seu amor, aceitem Sua graça, sejam transformadas por Seu Espírito e salvas para Seu reino. Seu maior interesse é a nossa salvação. Seu amor é ilimitado. Sua misericórdia é incomensurável. Sua compaixão é infindável. Seu perdão é inesgotável. Seu poder é infinito. Diferentemente dos deuses pagãos, que exigiam sacrifícios, nosso Deus fez o sacrifício supremo. Não importa quanto desejemos ser salvos, o desejo de Deus por salvar-nos é maior. ‘Isto é bom e aceitável diante de Deus, nosso Salvador, o qual deseja que todos os homens sejam salvos e cheguem ao pleno conhecimento da verdade’ (1Tm 2:3, 4). O desejo do coração divino é a sua salvação e a minha.”1

“Testemunhar diz respeito a Jesus. Trata-se do que Ele fez para nos salvar, de como Ele mudou nossa vida e das maravilhosas verdades de Sua palavra, que nos revela quem Ele é e a beleza de Seu caráter. Por que testemunhar? Quando entendemos quem Ele é e experimentamos as maravilhas de Sua graça e o poder de Seu amor, não conseguimos ficar calados. Por que testemunhar? Ao compartilharmos da comunhão com Ele, participamos de Sua alegria ao ver pessoas redimidas por Sua graça e transformadas por Seu amor.”1

Sábado, 27 de junho de 2020. Saiba mais, faça um Curso Bíblico

_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. Fazendo amigos para Deus: A alegria de participar de Sua missão. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 501, jul. ago. set. 2020. Adulto, Professor. 

Vivendo o evangelho – Estudo adicional

Lições da Bíblia

Textos de Ellen G. White: O Desejado de Todas as Nações, p. 19-26 (“Deus Conosco”), e A Ciência do Bom Viver, p. 95-107 (“Salvo Para Servir”).

“Deus reclama toda a Terra como Sua vinha. Embora nas mãos do usurpador, ela pertence a Deus. É Sua não menos pela redenção que pela criação. […] Diariamente, todo o mundo recebe bênçãos de Deus. Cada gota de chuva, cada raio de luz que cai sobre esta geração ingrata, cada folha, e flor, e fruto testifica da longanimidade de Deus e de Seu grande amor” (Ellen G. White, Parábolas de Jesus, p. 301, 302).1

“Em Cristo não há nem judeu nem grego, servo nem livre. Todos são aproximados por Seu precioso sangue” (Gl 3:28; Ef 2:13).

“Há pessoas pobres e tentadas que necessitam de palavras de compaixão e atos de ajuda. Há viúvas que carecem de compaixão e assistência. Há órfãos, aos quais Cristo ordenou aos Seus seguidores que recebessem como um encargo divino. Muitas vezes são abandonados. Podem ser maltrapilhos, grosseiros e, segundo toda a aparência, nada atraentes; contudo são propriedade de Deus. Foram comprados por preço, e aos Seus olhos são tão preciosos quanto nós. São membros da grande família de Deus, e os cristãos, como mordomos Seus, são por eles responsáveis” (Ellen G. White, Parábolas de Jesus, p. 386, 387).1

Perguntas para discussão

“1. Ao realizar boas obras e ajudar os outros, como resistir à tentação de pensar que isso nos torna melhores e nos traz mérito perante Deus?”1

“2. Sua igreja faz ‘distinção’ entre pessoas ou todos são iguais em Cristo? Como ser mais inclusivo?”1

3. Como encontrar o equilíbrio entre fazer o bem aos necessitados e, ao mesmo tempo, alcançá-los com o evangelho? Como fazer as duas coisas?”1

Resumo:

“O amor de Deus, expresso no plano da salvação, oferece perdão, vida e esperança. Como recebedores dessa graça, buscamos compartilhar isso com os outros não para obter a salvação, mas porque fomos criados e recriados para fazê-lo. O evangelho transforma relacionamentos e nos motiva a servir, especialmente aos mais necessitados.”1

Sexta-feira, 06 de setembro de 2019. Saiba mais, faça um Curso Bíblico

_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. “Meus pequeninos irmãos”: servindo aos necessitados. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 496, jul. ago. set. 2019. Adulto, Professor. 

O ministério e testemunho de Dorcas

Lições da Bíblia

“Como Jesus havia predito, à medida que a igreja começou a se espalhar ‘tanto em Jerusalém como em toda a Judeia e Samaria e até aos confins da Terra’ (At 1:8), novos cristãos abraçaram a fé e o ministério de Jesus. Entre eles estava Dorcas, também conhecida como Tabita, na cidade de Jope. Evidentemente ela levou a sério o ensino especial de Jesus de que, quando vestia o nu, ela o estava fazendo ao próprio Jesus

(veja Mt 25:38, 40 [‘E quando te vimos forasteiro e te hospedamos? Ou nu e te vestimos? […] O Rei, respondendo, lhes dirá: Em verdade vos afirmo que, sempre que o fizestes a um destes meus pequeninos irmãos, a mim o fizestes.’]).”1

“2. Leia a descrição de Dorcas e de seu ministério em Atos 9:36. Sua vida e ministério poderiam ser descritos em um formato semelhante a esse verso? Como você gostaria que as pessoas o descrevessem?”1

Atos (9:36 ARA): “36 Havia em Jope uma discípula por nome Tabita, nome este que, traduzido, quer dizer Dorcas; era ela notável pelas boas obras e esmolas que fazia.”

“Parece que o ministério de Dorcas era tão notável que a descrição dela como ‘discípula’ (veja At 9:36), bem como sua fidelidade, energia e foco nos outros eram reconhecidos mesmo fora de sua cidade natal.”1

“Pedro estava visitando Lida, a cidade vizinha, e o povo de Jope lhe pediu que ele viesse em resposta à morte prematura de Dorcas

(veja At 9:37-41 [‘37 Ora, aconteceu, naqueles dias, que ela adoeceu e veio a morrer; e, depois de a lavarem, puseram-na no cenáculo. 38 Como Lida era perto de Jope, ouvindo os discípulos que Pedro estava ali, enviaram-lhe dois homens que lhe pedissem: Não demores em vir ter conosco. 39 Pedro atendeu e foi com eles. Tendo chegado, conduziram-no para o cenáculo; e todas as viúvas o cercaram, chorando e mostrando-lhe túnicas e vestidos que Dorcas fizera enquanto estava com elas. 40 Mas Pedro, tendo feito sair a todos, pondo-se de joelhos, orou; e, voltando-se para o corpo, disse: Tabita, levanta-te! Ela abriu os olhos e, vendo a Pedro, sentou-se. 41 Ele, dando-lhe a mão, levantou-a; e, chamando os santos, especialmente as viúvas, apresentou-a viva. 42 Isto se tornou conhecido por toda Jope, e muitos creram no Senhor. 43 Pedro ficou em Jope muitos dias, em casa de um curtidor chamado Simão.’]).

Em sua chegada a Jope, Pedro foi recebido por muitas pessoas que haviam sido auxiliadas por Dorcas mediante o trabalho dela para com os pobres. Elas lhe mostraram as roupas que Dorcas havia feito e, evidentemente, contaram-lhe histórias de como ela as havia ajudado e a muitas outras pessoas.”1

“O fato de que Pedro orou por Dorcas e Deus restaurou essa mulher à vida não garante que sempre dará tudo certo aos que dedicam sua vida ao serviço dos outros. Afinal, Dorcas já havia sofrido doença e morte, e Estêvão, um dos primeiros diáconos nomeados para ministrar às viúvas na igreja, também havia se tornado o primeiro mártir (veja At 7:54-60). Uma vida de serviço não é um caminho fácil, sem obstáculos; às vezes pode até ser a estrada mais difícil.”1

“No entanto, nessa história Deus usou o reconhecimento de Seu amor e poder tanto na vida quanto na morte de Dorcas para causar um forte impacto no povo de Jope: ‘Isto se tornou conhecido por toda Jope, e muitos creram no Senhor’ (At 9:42).”1

“Se você morresse, as pessoas sentiriam falta da sua contribuição assim como o ministério de Dorcas foi lembrado e lamentado? Como podemos deixar um melhor legado de serviço? Considerando a história dessa mulher que fazia roupas para os necessitados, quais são suas habilidades práticas para usar no serviço às pessoas?”1

Segunda-feira, 26 de agosto de 2019. Saiba mais, faça um Curso Bíblico

_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. “Meus pequeninos irmãos”: servindo aos necessitados. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 496, jul. ago. set. 2019. Adulto, Professor. 
2 BÍBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

“Meus pequeninos irmãos” – Estudo adicional

Lições da Bíblia

Textos de Ellen G. White: O Desejado de Todas as Nações, p. 497-505 (“O Bom Samaritano”) e p. 637-641 (“Um Destes Meus Pequeninos Irmãos”); Parábolas de Jesus, p. 260-271 (“Como se Decide o Nosso Destino”) e p. 376-389 (“A Verdadeira Riqueza”).1

“Cristo derriba a parede de separação, o amor-próprio, o separatista preconceito de nacionalidade e ensina amor a toda a família humana. Ergue os homens do estreito círculo que lhes prescreve o egoísmo; elimina todos os limites territoriais e as convencionais distinções da sociedade. Não faz diferença entre vizinhos e estrangeiros, amigos e inimigos. Ele nos ensina a considerar todo necessitado como nosso semelhante, e o mundo como o nosso campo” (Ellen G. White, O Maior Discurso de Cristo, p. 42).1

“A norma da regra áurea é o verdadeiro padrão do cristianismo; tudo que a deixa de cumprir é um engano. Uma religião que induz os homens a estimarem em pouco os seres humanos, avaliados por Cristo em tão alto valor que por eles Se doou; uma religião que nos leve a negligenciar as necessidades humanas e seus sofrimentos ou direitos é falsa religião. Menosprezando os direitos do pobre, do sofredor e do pecador, estamos nos demonstrando traidores de Cristo. É porque os homens usam o nome de Cristo ao passo que na vida Lhe negam o caráter, que o cristianismo tem no mundo tão pouco poder” (Ellen G. White, O Maior Discurso de Cristo, p. 136, 137).1

Perguntas para discussão

“1. Das passagens estudadas nesta semana, qual é a sua favorita? Por quê?”1

“2. Por que uma fé ‘que nos leve a negligenciar as necessidades humanas e seus sofrimentos ou direitos é falsa religião’?”1

“3. Como os versos do estudo de quinta mostram o que também implica ter a ‘verdade’?”1

Resumo:

“Os ensinos de Jesus estabelecem um modo de vida diferente para os cidadãos do Seu reino. Com base no Antigo Testamento, Ele ampliou a ênfase em cuidar dos pobres e oprimidos, destacando que Seus seguidores viverão de modo compassivo enquanto aguardam Seu retorno.”1

Sexta-feira, 23 de agosto de 2019. Saiba mais, faça um Curso Bíblico

_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. “Meus pequeninos irmãos”: servindo aos necessitados. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 496, jul. ago. set. 2019. Adulto, Professor. 

A vida familiar deve ser compartilhada

Lições da Bíblia

“7. Nos versos abaixo, investigue os usos da palavra ‘imitar’. O que eles revelam sobre o processo de se tornar cristão e crescer na fé? O que eles sugerem sobre a relação entre exemplo e testemunho? 1Co 4:16; Ef 5:1; 1Ts 1:6; Hb 6:12; 13:7; 3Jo 11”1

1 Coríntios (4:16 ARA)2: “Admoesto-vos, portanto, a que sejais meus imitadores.”

Efésios (5:1 ARA)2:Sede, pois, imitadores de Deus, como filhos amados;”

1 Tessalonicenses (1:6 ARA)2:Com efeito, vos tornastes imitadores nossos e do Senhor, tendo recebido a palavra, posto que em meio de muita tribulação, com alegria do Espírito Santo,”

Hebreus (6:12 ARA)2: “para que não vos torneis indolentes, mas imitadores daqueles que, pela fé e pela longanimidade, herdam as promessas.”

Hebreus (13:7 ARA)2: “Lembrai-vos dos vossos guias, os quais vos pregaram a palavra de Deus; e, considerando atentamente o fim da sua vida, imitai a fé que tiveram.”

3 João (11 ARA)2: “Amado, não imites o que é mau, senão o que é bom. Aquele que pratica o bem procede de Deus; aquele que pratica o mal jamais viu a Deus.”

“A ênfase do Novo Testamento na imitação reconhece a importância do exemplo no processo de aprendizagem. Temos a tendência de nos tornar semelhantes às pessoas ou às coisas que observamos. Esse princípio se aplica aos relacionamentos em geral, especialmente no lar, onde a imitação é comum. Os filhos imitam seus pais e irmãos; e os cônjuges imitam um ao outro. Esse conceito apresenta um indício importante de como casais e famílias podem testemunhar de Cristo a outras pessoas.”1

“O poder da influência social. Testemunhamos do nosso lar quando damos oportunidade para que outros compartilhem da nossa experiência doméstica. Muitos simplesmente não têm um bom exemplo de relacionamentos familiares. Em nosso lar, eles podem ver como o espírito de Jesus faz a diferença. Ellen White escreveu: ‘A influência social é uma força maravilhosa. Se quisermos, podemos valer-nos dela para auxiliar as pessoas que nos rodeiam’ (A Ciência do Bom Viver, p. 354).”1

“Quando os casados convidam outros casais para uma refeição, relacionamento social ou estudo bíblico, ou quando participam juntos de um programa de desenvolvimento conjugal, os visitantes veem um modelo. A demonstração de reciprocidade, afirmação, comunicação, resolução de conflitos e adaptação de diferenças testemunham da vida familiar em Cristo.”1

“8. No contexto dos modelos, com o que devemos sempre tomar cuidado? (Jr 17:9; Jo 2:25; Rm 3:23). Assinale a alternativa correta:”1

Jeremias (17:9 ARA)2: “Enganoso é o coração,mais do que todas as coisas, e desesperadamente corrupto; quem o conhecerá?”

João (2:25 ARA)2: “E não precisava de que alguém lhe desse testemunho a respeito do homem, porque ele mesmo sabia o que era a natureza humana.”

Romanos (3:23 ARA)2: “pois todos pecaram e carecem da glória de Deus,”

A (   ) Com expectativas exageradas em relação aos nossos modelos.
B (   ) Com os maus exemplos. O cristão não pode errar jamais.

Resposta sugestiva: Alternativa A.

“Siga cristãos que seguem a Cristo. Todo exemplo humano é falho; o testemunho do lar cristão não é uma demonstração de perfeição absoluta. A noção de imitação do Novo Testamento é um chamado para que os indivíduos sigam cristãos que seguem a Cristo. A ideia é que as pessoas compreendam a fé cristã conforme a veem demonstrada na vida de outras pessoas tão humanas e falíveis quanto elas.”1

“Como você pode tornar seu lar um melhor exemplo de testemunho cristão?”1

Quarta-feira 19 de junho de 2019. Saiba mais, faça um Curso Bíblico

_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. Estações da vida. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 496, abr. maio. jun. 2019. Adulto, Professor.
2 BÍBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

“Que viram em tua casa?”

Lições da Bíblia

“Vós, porém, sois raça eleita, sacerdócio real, nação santa, povo de propriedade exclusiva de Deus, a fim de proclamardes as virtudes Daquele que vos chamou das trevas para a Sua maravilhosa luz” (1Pe 2:9).1

“Talvez tenhamos chegado a um estágio em que, graças ao Senhor, nossa vida esteja indo bem: família, trabalho, saúde e finanças. Ou talvez não. Possivelmente, seu lar esteja em aflição ou em crise. Seja como for, quando alguém visita seu lar, como os emissários da Babilônia visitaram o rei Ezequias, qual resposta poderia ser dada à pergunta que o profeta Isaías posteriormente fez ao rei: ‘Que viram em tua casa? (Is 39:4).’”1

“O que as pessoas e os anjos celestiais veem em nossa casa? Qual influência permeia nosso lar? É possível ‘sentir’ o perfume da oração? Existe gentileza, generosidade, amor, ou tensão, ira, ressentimento, amargura e discórdia? Algum visitante vai embora com a sensação de que Jesus está ali?”1

“É importante que façamos essas perguntas a nós mesmos a respeito do tipo de lar que promovemos. Nesta semana, examinaremos algumas questões que contribuem para uma vida familiar maravilhosa, apesar das inevitáveis tensões e lutas que os lares enfrentam atualmente.”1

Sábado, 15 de junho de 2019. Saiba mais, faça um Curso Bíblico

_______________

1 LIÇÃO da Escola Sabatina. Estações da vida. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 496, abr. maio. jun. 2019. Adulto, Professor.