Jesus como Mestre dos mestres – Estudo adicional

Lições da Bíblia

Texto de Ellen G. White: Educação, p. 73-83 (“O Mestre enviado por Deus”).

“Todo verdadeiro trabalho educativo centraliza-se no Mestre enviado por Deus. De Sua obra hoje, exatamente como da que estabeleceu há mil e oitocentos anos*, o Salvador fala […]. ‘Eu Sou o Alfa e o Ômega, o Princípio e o Fim’ (Ap 1:17, 18; 21:6). Na presença de um Mestre assim, e de oportunidades como essas para educação divina, é mais que insensatez procurar educação fora Dele. É inútil procurar ser sábio distante da Sabedoria, querer ser verdadeiro ao mesmo tempo em que se rejeita a Verdade, procurar iluminação fora da Luz e existência sem a Vida; enfim, deixar o Manancial de água viva e cavar cisternas rachadas que não retêm água. […] ‘Se alguém tem sede, venha a Mim e beba. Quem crer em Mim, como diz a Escritura, do seu interior fluirão rios de água viva’. ‘A água que Eu lhe der será nele uma fonte a jorrar para a vida eterna’” (Jo 7:37, 38; 4:14; Ellen G. White, Educação, p. 83).1

“Caro professor, […]. Como o mais elevado preparo para o seu trabalho, indico-lhe as palavras, a vida e os métodos do Príncipe dos professores. Convido-o a considerá-Lo. Nele está seu verdadeiro ideal. Contemple-O e gaste tempo meditando nisso, até que o Espírito do Mestre divino tome posse de seu coração e de sua vida. ‘Refletindo, como um espelho, a glória do Senhor’, você será transformado ‘na Sua própria imagem’ (2Co 3:18).”1

“Esse é o segredo do poder sobre seus alunos. Reflita Jesus” (­Educação, p. 282).1

*Esta declaração foi publicada em 1903.

Perguntas para consideração

“1. Quais valores e ações são importantes para os professores e alunos que levam a sério a ideia de aprender com a encarnação do Mestre dos mestres?”1

“2. Pais e professores cristãos têm um alto padrão – refletir o caráter de Deus, revelado na encarnação de Jesus. O que devemos fazer quando não atingimos esse padrão?”1

“3. O que o nascimento, a vida e a morte de Jesus nos ensinam sobre o caráter de Deus? Por que isso é tão reconfortante para nós, especialmente em tempos de grandes provações?”1

Sexta-feira, 30 de outubro de 2020. Saiba mais, faça um Curso Bíblico

_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. Educação e redenção. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 502, out. nov. dez. 2020. Adulto, Professor. 

Os primeiros discípulos do Mestre dos mestres

Lições da Bíblia

“Em um momento, eles eram um grupo de pastores comuns que cuidavam de um rebanho mediano de ovelhas ao redor de uma cidade pequena. No momento seguinte, eles foram o alvo de uma incrível aparição de anjos com notícias surpreendentes, maravilhosas e que abalaram o mundo. Motivados por aquela cena, passaram a procurar o Bebê anunciado.”1

“8. Imagine-se com os pastores, contemplando a manjedoura. O que você vê? Lc 2:8-20”1

Lc 2:8-20 (ARA)2: “8 Havia, naquela mesma região, pastores que viviam nos campos e guardavam o seu rebanho durante as vigílias da noite. 9 E um anjo do Senhor desceu aonde eles estavam, e a glória do Senhor brilhou ao redor deles; e ficaram tomados de grande temor. 10 O anjo, porém, lhes disse: Não temais; eis aqui vos trago boa-nova de grande alegria, que o será para todo o povo: 11 é que hoje vos nasceu, na cidade de Davi, o Salvador, que é Cristo, o Senhor. 12 E isto vos servirá de sinal: encontrareis uma criança envolta em faixas e deitada em manjedoura. 13 E, subitamente, apareceu com o anjo uma multidão da milícia celestial, louvando a Deus e dizendo: 14 Glória a Deus nas maiores alturas, e paz na terra entre os homens, a quem ele quer bem. 15 E, ausentando-se deles os anjos para o céu, diziam os pastores uns aos outros: Vamos até Belém e vejamos os acontecimentos que o Senhor nos deu a conhecer. 16 Foram apressadamente e acharam Maria e José e a criança deitada na manjedoura. 17 E, vendo-o, divulgaram o que lhes tinha sido dito a respeito deste menino. 18 Todos os que ouviram se admiraram das coisas referidas pelos pastores. 19 Maria, porém, guardava todas estas palavras, meditando-as no coração. 20 Voltaram, então, os pastores glorificando e louvando a Deus por tudo o que tinham ouvido e visto, como lhes fora anunciado.

“Devemos admirar os primeiros discípulos do Mestre: José, Maria e os pastores. As condições humildes do nascimento de Jesus não davam nenhuma indicação do milagre da encarnação – de que, na Pessoa daquela Criança, Deus havia Se tornado Um com a humanidade. No entanto, com a ajuda de visões, sonhos e anjos, aqueles primeiros discípulos Dele foram capazes de olhar além da aparência exterior do nascimento de Jesus. Os pastores compartilharam com outras pessoas a identidade daquele Bebê, dizendo que Ele era ‘o Salvador, que é Cristo, o Senhor’ (Lc 2:11; compare com Lc 2:17).”1

“9. Como os magos do Oriente reagiram às notícias do nascimento de Jesus? Qual foi a reação de Herodes? (Mt 2:1-12). Assinale a alternativa correta:”1

Mt 2:1-12 (ARA)2: “1 Tendo Jesus nascido em Belém da Judeia, em dias do rei Herodes, eis que vieram uns magos do Oriente a Jerusalém.E perguntavam: Onde está o recém-nascido Rei dos judeus? Porque vimos a sua estrela no Oriente e viemos para adorá-lo. 3 Tendo ouvido isso, alarmou-se o rei Herodes, e, com ele, toda a Jerusalém; então, convocando todos os principais sacerdotes e escribas do povo, indagava deles onde o Cristo deveria nascer.Em Belém da Judeia, responderam eles, porque assim está escrito por intermédio do profeta: 6 E tu, Belém, terra de Judá, não és de modo algum a menor entre as principais de Judá; porque de ti sairá o Guia que há de apascentar a meu povo, Israel. 7 Com isto, Herodes, tendo chamado secretamente os magos, inquiriu deles com precisão quanto ao tempo em que a estrela aparecera.E, enviando-os a Belém, disse-lhes: Ide informar-vos cuidadosamente a respeito do menino; e, quando o tiverdes encontrado, avisai-me, para eu também ir adorá-lo.Depois de ouvirem o rei, partiram; e eis que a estrela que viram no Oriente os precedia, até que, chegando, parou sobre onde estava o menino. 10 E, vendo eles a estrela, alegraram-se com grande e intenso júbilo. 11 Entrando na casa, viram o menino com Maria, sua mãe. Prostrando-se, o adoraram; e, abrindo os seus tesouros, entregaram-lhe suas ofertas: ouro, incenso e mirra. 12 Sendo por divina advertência prevenidos em sonho para não voltarem à presença de Herodes, regressaram por outro caminho a sua terra.”

A.(  ) Herodes e os magos ficaram felizes com a notícia do nascimento de Jesus.
B.(  ) Herodes ficou alarmado; os magos, porém, buscavam adorá-Lo.

Resposta sugestiva: Alternativa B.

“Antes de contar Sua primeira parábola ou realizar Seu primeiro milagre, o Mestre já era digno de adoração por ser quem Ele é. A fim de compreender plenamente o posterior ministério de ensino de Jesus, precisamos nos unir a esses primeiros discípulos, os magos do Oriente, em sua adoração ao Senhor. Aquele cujos ensinamentos admiramos é mais do que um educador sábio. Ele é Deus, que veio habitar com os homens. A educação cristã está fundamentada na adoração a Cristo.”1

“Juntamente com os magos do Oriente, os pastores e anjos, somos chamados a adorar a Cristo, o Rei recém-nascido, e a ver Nele a realidade do próprio Deus.”1

“Jesus, o grandioso e incompreensível Criador, ‘humilhou-Se’, tornou-Se humano, viveu entre nós e morreu na cruz, suportando o castigo pelos nossos pecados. Por que essa notícia é tão boa?”1

Quinta-feira, 29 de outubro de 2020. Saiba mais, faça um Curso Bíblico

_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. Educação e redenção. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 502, out. nov. dez. 2020. Adulto, Professor. 
2 BÍBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

O Mestre dos mestres e a reconciliação

Lições da Bíblia

“Muitas vezes, os relacionamentos humanos desmoronam. Acabamos nos afastando uns dos outros. Passamos a desconfiar de amigos íntimos. No entanto, relacionamentos arruinados podem ser restaurados. Quando isso acontece, experimentamos o milagre da reconciliação. Poucas experiências humanas são tão agradáveis e doces quanto essa.”1

“7. Por que a reconciliação está no centro da encarnação de Cristo e de Sua função como Mestre? (2Co 5:16-21). Assinale a alternativa correta:”1

2Co 5:16-21 (ARA): “16 Assim que, nós, daqui por diante, a ninguém conhecemos segundo a carne; e, se antes conhecemos Cristo segundo a carne, já agora não o conhecemos deste modo. 17 E, assim, se alguém está em Cristo, é nova criatura; as coisas antigas já passaram; eis que se fizeram novas. 18 Ora, tudo provém de Deus, que nos reconciliou consigo mesmo por meio de Cristo e nos deu o ministério da reconciliação, 19 a saber, que Deus estava em Cristo reconciliando consigo o mundo, não imputando aos homens as suas transgressões, e nos confiou a palavra da reconciliação. 20 De sorte que somos embaixadores em nome de Cristo, como se Deus exortasse por nosso intermédio. Em nome de Cristo, pois, rogamos que vos reconcilieis com Deus. 21 Aquele que não conheceu pecado, ele o fez pecado por nós; para que, nele, fôssemos feitos justiça de Deus.”

A. ( ) Porque Cristo veio nos reconciliar com o Pai.
B. ( ) Porque Jesus Se tornou pecaminoso para nos reconciliar com Deus.

Resposta sugestiva: Alternativa A.

“Se nos sentimos abençoados quando um relacionamento com outro ser humano é restaurado, não devemos nos sentir maravilhados quando somos reconciliados com Deus? Em 2 Coríntios 5:16-21, Paulo esclareceu quem é o responsável pela reconciliação – Deus, o Pai, assumiu a liderança em restaurar nosso arruinado relacionamento com Ele. E o Senhor realizou essa obra de reconciliação ‘por meio de Cristo’ (2Co 5:18). ‘Deus estava em ­Cristo reconciliando Consigo o mundo’ (2Co 5:19).”1

“Contudo, não devemos simplesmente ser consumidores das alegrias da reconciliação, mas aprender com o Mestre dos mestres. Em Sua encarnação, Jesus participou da obra da reconciliação. E nós também somos convidados a participar dela. Deus nos reconciliou Consigo por meio de Cristo. E agora nós, juntamente com Paulo, recebemos ‘o ministério da reconciliação’ (2Co 5:18).”1

“Colossenses 1:15-20 é um texto maravilhoso acerca da encarnação. Considerado um hino, a primeira metade do trecho fala sobre a função de Cristo na criação (Cl 1:15-17), e a última metade focaliza Sua função na redenção (Cl 1:18-20). Mediante a função de Cristo como Criador-Redentor, Deus reconcilia Consigo todas as coisas. A obra de reconciliação que Ele realiza por meio de Cristo é de escala cósmica, impactando ‘todas as coisas, quer sobre a terra, quer nos céus’, ‘havendo feito a paz pelo sangue da Sua cruz’ (Cl 1:20).”1

“Embora nossa obra não se compare com a escala cósmica da obra do Mestre como reconciliador, somos convidados a participar do ‘ministério da reconciliação’ em nossa esfera (2Co 5:18). Era isso que estava na mente de Jesus quando Ele orou: ‘Assim como Tu Me enviaste ao mundo, também Eu os enviei ao mundo’ (Jo 17:18)?”1

“Como podemos refletir na prática a função de Deus como reconciliador? Você pode ajudar as pessoas a se reconciliarem?”1

Quarta-feira, 28 de outubro de 2020. Saiba mais, faça um Curso Bíblico

_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. Educação e redenção. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 502, out. nov. dez. 2020. Adulto, Professor. 
2 BÍBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

Lendo a mente do Mestre dos mestres

Lições da Bíblia

“5. Qual era a preocupação de Paulo em relação à comunidade cristã de Filipos? Fp 2:1-4; 4:2, 3. Assinale a alternativa correta:”

Fp 2:1-4 (ARA): “1 Se há, pois, alguma exortação em Cristo, alguma consolação de amor, alguma comunhão do Espírito, se há entranhados afetos e misericórdias, 2 completai a minha alegria, de modo que penseis a mesma coisa, tenhais o mesmo amor, sejais unidos de alma, tendo o mesmo sentimento. 3 Nada façais por partidarismo ou vanglória, mas por humildade, considerando cada um os outros superiores a si mesmo. 4 Não tenha cada um em vista o que é propriamente seu, senão também cada qual o que é dos outros.”

Fp 4:2, 3 (ARA): “2 Rogo a Evódia e rogo a Síntique pensem concordemente, no Senhor. 3 A ti, fiel companheiro de jugo, também peço que as auxilies, pois juntas se esforçaram comigo no evangelho, também com Clemente e com os demais cooperadores meus, cujos nomes se encontram no Livro da Vida.”

A.( ) A questão da saúde dos membros da igreja de Filipos.
B.( ) A preocupação de Paulo era a unidade dos membros.

Resposta sugestiva: Alternativa B.

“Filipenses 2:1-11 é uma das passagens mais profundas da Bíblia. Ela apresenta a preexistência de Cristo, Sua divindade, encarnação, humanidade e aceitação da morte na cruz. Esse texto descreve o longo, difícil e descendente caminho que Jesus trilhou do Céu ao Calvário (Fp 2:5-8). E descreve como o Pai exaltou Jesus a uma posição de adoração universal (Fp 2:9-11). Muitas verdades maravilhosas estão presentes nesses versos!”1

“6. Como Paulo introduziu Filipenses 2:5-11? Dos eventos da vida de Jesus celebrados por Paulo, quais, em sua opinião, ele esperava que os cristãos refletissem em sua vida? Fp 2:6-11”

Fp 2:6-11 (ARA)2: “5 Tende em vós o mesmo sentimento que houve também em Cristo Jesus,pois ele, subsistindo em forma de Deus, não julgou como usurpação o ser igual a Deus; antes, a si mesmo se esvaziou, assumindo a forma de servo, tornando-se em semelhança de homens; e, reconhecido em figura humana,a si mesmo se humilhou, tornando-se obediente até à morte e morte de cruz. 9 Pelo que também Deus o exaltou sobremaneira e lhe deu o nome que está acima de todo nome, 10 para que ao nome de Jesus se dobre todo joelho, nos céus, na terra e debaixo da terra, 11 e toda língua confesse que Jesus Cristo é Senhor, para glória de Deus Pai.”

“Paulo esperava que os cristãos de Filipos, que eram inclinados a discussões, aprendessem com Jesus e com Sua encarnação. Se Cristo adotou a forma humana, ‘assumindo a forma de servo, tornando-Se em semelhança de homens’ (Fp 2:7), e até Se submeteu à crucifixão, quanto mais eles deveriam se submeter uns aos outros por amor?”1

“Somos lembrados de que há muito a aprender com o Mestre dos mestres. Aprendemos com as mensagens que Jesus compartilhou durante Seu ministério terrestre, com os milagres que Ele realizou e com Sua maneira de agir com os outros. Podemos moldar nossos relacionamentos com os outros conforme o exemplo da Sua grande complacência e disposição de trocar as glórias do Céu pela manjedoura (Que lição essa reflexão traz para nós!).”1

“Por outro lado, o mundo muitas vezes nos convida a nos exaltar, a nos orgulhar de nossas realizações. Aprendemos uma lição diferente na manjedoura de Belém e com o Mestre – que a grande obra divina de educação e salvação é realizada, não quando nos exaltamos, mas quando nos humilhamos diante de Deus e servimos aos outros.”1

Terça-feira, 27 de outubro de 2020. Saiba mais, faça um Curso Bíblico

_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. Educação e redenção. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 502, out. nov. dez. 2020. Adulto, Professor. 
2 BÍBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

Revelando o Pai (parte 2)

Lições da Bíblia

“No comovente prólogo de seu evangelho (Jo 1:1-18), João falou sobre Jesus como o ‘Verbo’ eterno. As alegações de João a respeito de Jesus não são tímidas nem limitadas; elas são ousadas e de alcance universal. Jesus já existia antes de o mundo existir – ou seja, desde a eternidade. Na realidade, Jesus é o Agente da criação (Jo 1:2, 3). Ele é ‘a luz dos homens’ (Jo 1:4) e, como o Verbo que veio ao mundo, Ele ‘ilumina a todo homem’ (Jo 1:9).”1

“3. Segundo João, qual foi o resultado de Cristo ter se tornado um ser humano? Como Verbo, que luz Ele trouxe? Quais qualificações Ele possui para realizar tal feito? Jo 1:14, 18”1

Jo 1:14, 18 “14 E o Verbo se fez carne e habitou entre nós, cheio de graça e de verdade, e vimos a sua glória, glória como do unigênito do Pai. […] 18 Ninguém jamais viu a Deus; o Deus unigênito, que está no seio do Pai, é quem o revelou.”

“A luz apareceu quando as trevas do mundo eram mais intensas […]. Havia apenas uma esperança para a humanidade: a de que […] o conhecimento de Deus fosse restaurado no mundo. Cristo veio para restaurar esse conhecimento. Veio para remover o falso ensino pelo qual os que pretendiam conhecer a Deus O haviam representado de maneira errada. Veio para manifestar a natureza de Sua lei e revelar em Seu caráter a beleza da santidade” (Ellen G. White, Educação, p. 74-76).1

“Todas as ações de Jesus durante Sua vida na Terra tinham um único propósito: ‘a revelação de Deus para o reerguimento da humanidade’ (Educação, p. 82).”1

“4. O próprio Jesus disse: ‘Quem Me vê a Mim vê o Pai’ (Jo 14:9). Qual foi o contexto dessa declaração? Por que Ele disse isso? Jo 14:1-14”1

Jo 14:1-14 “1 Não se turbe o vosso coração; credes em Deus, crede também em mim. 2 Na casa de meu Pai há muitas moradas. Se assim não fora, eu vo-lo teria dito. Pois vou preparar-vos lugar. 3 E, quando eu for e vos preparar lugar, voltarei e vos receberei para mim mesmo, para que, onde eu estou, estejais vós também. 4 E vós sabeis o caminho para onde eu vou. 5 Disse-lhe Tomé: Senhor, não sabemos para onde vais; como saber o caminho? 6 Respondeu-lhe Jesus: Eu sou o caminho, e a verdade, e a vida; ninguém vem ao Pai senão por mim. 7 Se vós me tivésseis conhecido, conheceríeis também a meu Pai. Desde agora o conheceis e o tendes visto. 8 Replicou-lhe Filipe: Senhor, mostra-nos o Pai, e isso nos basta. 9 Disse-lhe Jesus: Filipe, há tanto tempo estou convosco, e não me tens conhecido? Quem me vê a mim vê o Pai; como dizes tu: Mostra-nos o Pai? 10 Não crês que eu estou no Pai e que o Pai está em mim? As palavras que eu vos digo não as digo por mim mesmo; mas o Pai, que permanece em mim, faz as suas obras. 11 Crede-me que estou no Pai, e o Pai, em mim; crede ao menos por causa das mesmas obras. 12 Em verdade, em verdade vos digo que aquele que crê em mim fará também as obras que eu faço e outras maiores fará, porque eu vou para junto do Pai. 13 E tudo quanto pedirdes em meu nome, isso farei, a fim de que o Pai seja glorificado no Filho. 14 Se me pedirdes alguma coisa em meu nome, eu o farei.”

“É tentador criticar a declaração precipitada de Filipe (Jo 14:8). Após anos de íntima comunhão com Jesus, ele ainda não havia entendido o ponto essencial da encarnação – de que Jesus tinha vindo para mostrar o caráter do Pai. Talvez os professores de hoje encontrem algum conforto no fato de que um dos discípulos do Mestre dos mestres tenha se saído tão mal! A declaração de Filipe provavelmente esteja registrada não para nos dar motivos para criticá-lo, mas para nos dar uma oportunidade de nos examinarmos. Há quanto tempo andamos com Jesus? Será que entendemos Jesus melhor do que Filipe? ‘Quem Me vê a Mim vê o Pai’.”1

Segunda-feira, 26 de outubro de 2020. Saiba mais, faça um Curso Bíblico

_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. Educação e redenção. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 502, out. nov. dez. 2020. Adulto, Professor. 
2 BÍBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

Revelando o Pai (parte 1)

Lições da Bíblia

“1. Quais são os argumentos mais importantes defendidos pelo apóstolo a respeito de Jesus no início da epístola aos Hebreus? Hb 1:1-4”1

Hb 1:1-4 “1 Havendo Deus, outrora, falado, muitas vezes e de muitas maneiras, aos pais, pelos profetas, 2 nestes últimos dias, nos falou pelo Filho, a quem constituiu herdeiro de todas as coisas, pelo qual também fez o universo.Ele, que é o resplendor da glória e a expressão exata do seu Ser, sustentando todas as coisas pela palavra do seu poder, depois de ter feito a purificação dos pecados, assentou-se à direita da Majestade, nas alturas,tendo-se tornado tão superior aos anjos quanto herdou mais excelente nome do que eles.

“Os autores do Novo Testamento salientaram repetidamente uma ideia importante: Jesus veio à Terra para mostrar ao ser humano quem é o Pai. No passado, a revelação de Deus tinha vindo de maneira fragmentada por meio dos profetas; em Jesus, no entanto, a revelação final e completa de Deus chegou até nós.”1

“Além disso, Jesus ‘é o resplendor da glória’ de Deus (Hb 1:3). Como seres humanos pecadores, não podíamos suportar o acesso total à glória do Senhor. Como Filho encarnado, Jesus refletiu essa glória. Ela foi abrandada na humanidade de Cristo, para que pudéssemos vê-la e entender claramente o caráter de Deus.”1

“Jesus também é ‘a expressão exata do Seu Ser’ (Hb 1:3). O termo usado aqui, a palavra grega charact?r, às vezes é usado para designar a impressão produzida por um selo na cera ou a representação estampada em uma moeda. Portanto, Jesus ‘é a perfeita semelhança do próprio Deus’ (Hb 1:3; NTLH).

“Se desejamos conhecer o Pai, devemos ouvir atentamente o que o ­Mestre dos mestres disse sobre Ele. Além disso, também devemos observar o Mestre dos mestres. O Pai é visto no Filho.”1

“2. Leia 2 Coríntios 4:1-6. Quem é Jesus e o que aprendemos com Ele? (Compare com Hebreus 1:1-4).”1

2 Coríntios 4:1-6 “1 Pelo que, tendo este ministério, segundo a misericórdia que nos foi feita, não desfalecemos; 2 pelo contrário, rejeitamos as coisas que, por vergonhosas, se ocultam, não andando com astúcia, nem adulterando a palavra de Deus; antes, nos recomendamos à consciência de todo homem, na presença de Deus, pela manifestação da verdade. 3 Mas, se o nosso evangelho ainda está encoberto, é para os que se perdem que está encoberto, 4 nos quais o deus deste século cegou o entendimento dos incrédulos, para que lhes não resplandeça a luz do evangelho da glória de Cristo, o qual é a imagem de Deus. 5 Porque não nos pregamos a nós mesmos, mas a Cristo Jesus como Senhor e a nós mesmos como vossos servos, por amor de Jesus. 6 Porque Deus, que disse: Das trevas resplandecerá a luz, ele mesmo resplandeceu em nosso coração, para iluminação do conhecimento da glória de Deus, na face de Cristo.

“Quando instruíam as pessoas sobre Deus, Paulo e seus companheiros buscavam refletir o próprio ministério de ensino de Jesus acerca do Pai. Sendo ‘a imagem de Deus’ (2Co 4:4), Jesus nos trouxe o conhecimento de Deus, o Pai. Semelhantemente, Paulo evitou enganos e distorções da Palavra de Deus, mas apresentou a verdade claramente (2Co 4:2).”1

“Assim como Deus, na criação, usou a luz para dissipar as trevas, Ele nos deu Seu Filho, Jesus, para dissipar falsas visões sobre Ele e para nos mostrar a verdade sobre Deus. ‘Na face de Cristo’ adquirimos o conhecimento mais claro do Pai (2Co 4:6).”1

Domingo, 25 de outubro de 2020. Saiba mais, faça um Curso Bíblico

_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. Educação e redenção. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 502, out. nov. dez. 2020. Adulto, Professor. 
2 BÍBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

Jesus como Mestre dos mestres

Lições da Bíblia

“Porque Deus, que disse: Das trevas resplandecerá a luz, Ele mesmo resplandeceu em nosso coração, para iluminação do conhecimento da glória de Deus, na face de Cristo” (2Co 4:6).1

“Certa vez, Billy Graham contou a história de quando foi visitar soldados em um hospital de campanha, sendo conduzido pelo general daqueles homens. Um jovem soldado ‘estava tão mutilado que permanecia deitado de bruços em uma engenhoca de lona e aço’. Um médico sussurrou para Graham: ‘Duvido que ele volte a andar’. O soldado fez um pedido ao general: ‘Senhor, […], eu lutei por você, mas nunca o vi. Posso ver seu rosto?’. Então, o general se abaixou, deslizou por baixo da engenhoca de lona e aço e conversou com o soldado. Enquanto Graham observava, uma lágrima caiu do soldado na face do general.”1

“À época do nascimento de Jesus, a humanidade estava mutilada e ensanguentada, necessitando de uma visão curativa de Deus. É como se a humanidade implorasse: ‘Ó, Deus, poderíamos ver o Teu rosto?’. Ao enviar Seu Filho a este planeta, o Pai enviou o Mestre dos mestres em uma missão: mostrar Seu rosto à humanidade. Desde então, temos o maravilhoso privilégio de contemplar ‘o conhecimento da glória de Deus, na face de Jesus Cristo’ (2Co 4:6).”1

“Ao observarmos o Mestre dos mestres vir à Terra, o que aprendemos com Ele?”1

Sábado, 24 de outubro de 2020. Saiba mais, faça um Curso Bíblico

_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. Educação e redenção. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 502, out. nov. dez. 2020. Adulto, Professor. 

Os olhos do Senhor: a cosmovisão bíblica – Estudo adicional

Lições da Bíblia

“‘O verdadeiro objetivo da educação é restaurar a imagem de Deus no indivíduo’ (Ellen G. White, Patriarcas e Profetas, p. 595). Com essa ideia em mente, podemos ver por que uma sólida cosmovisão cristã é essencial para a educação adventista. Afinal, como observamos anteriormente, a educação em si não é necessariamente boa. As pessoas podem ser educadas, e até altamente instruídas, em ideias e atitudes contraditórias aos princípios encontrados na Bíblia. Por essa razão, como adventistas do sétimo dia, nosso sistema educacional deve ser fundamentado na cosmovisão cristã. Isso significa, portanto, que todos os campos gerais da educação, ciência, história, moralidade, cultura e assim por diante serão ensinados a partir dessa perspectiva, em oposição a um campo que a contradiz ou simplesmente a ignora. Além disso, como dito anteriormente, mas que vale a pena repetir: não existe uma perspectiva neutra; toda a vida, toda a realidade, é vista através dos filtros da cosmovisão de alguém, seja ela considerada ou não de modo convincente e sistemático. Portanto, é essencial que a cosmovisão bíblica forme o fundamento de toda a educação adventista do sétimo dia.”1

Perguntas para consideração

“1. Existem exemplos na História em que sistemas inteiros de educação foram (ou são) muito destrutivos? Quais foram alguns desses exemplos? O que os alunos aprendiam nesses sistemas e que lições aprendemos com eles? Como proteger nosso sistema educacional dessas influências destrutivas?”1

“2. Analisamos alguns dos principais pontos da cosmovisão cristã: a existência de Deus, a criação, a Bíblia, o plano da redenção e a lei de Deus. Quais elementos importantes devem ser incluídos na formulação completa de uma cosmovisão cristã?”1

“3. Um pensador do século 18 escreveu: ‘Ó consciência! Consciência! Tu, instinto divino. Tu, certo guia de um ser ignorante e confinado, embora inteligente e livre – tu, juiz infalível do bem e do mal, que faz o homem assemelhar-se à Divindade’. O que está certo ou equivocado nessa colocação?”1

“4. Examine esta declaração de Ellen G. White novamente: ‘O verdadeiro objetivo da educação é restaurar a imagem de Deus no indivíduo’. O que isso significa? Por que a educação adventista deve ser tão diferente da visão de educação do mundo?”1

Sexta-feira, 23 de outubro de 2020. Saiba mais, faça um Curso Bíblico

_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. Educação e redenção. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 502, out. nov. dez. 2020. Adulto, Professor.