Uma lição de aceitação

Lições da Bíblia

“Ao exemplificar para os discípulos o que significava enxergar cada indivíduo de uma nova perspectiva, Jesus ensinou-lhes como ver as pessoas pelos olhos do Céu. Sua visão delas era radical. Ele não via o que elas eram, mas o que poderiam se tornar. Em todas as Suas interações com as pessoas, Cristo as tratou com dignidade e respeito. Muitas vezes, Ele surpreendeu os discípulos pela maneira como tratava os seres humanos. Isso foi verdade especialmente em Sua interação com a mulher samaritana.”1

“A obra The Archaeological Study Bible [Bíblia de Estudo Arqueológica] faz esta observação interessante acerca da relação entre judeus e samaritanos: “O rompimento entre samaritanos e judeus data de um período antigo. De acordo com 2 Reis 17, os samaritanos eram descendentes dos povos da Mesopotâmia que foram estabelecidos à força nas terras do norte de Israel pelo rei da Assíria, como consequência do exílio de 722 a.C. Eles reuniam a adoração a Yahweh com práticas idólatras” (Zondervan Publishing, 2005, p. 1.727). Além dessas práticas idólatras, os samaritanos estabeleceram um sacerdócio e um templo concorrentes no Monte Gerizim. Considerando essas diferenças teológicas com os samaritanos, os discípulos devem ter ficado perplexos quando Jesus escolheu a rota samaritana para a Galileia. Eles ficaram surpresos de que Cristo não Se deixou levar por um debate religioso. Ele apelou diretamente ao desejo da mulher samaritana por aceitação, amor e perdão.”1

“2. Leia João 4:3-34. Como Jesus Se aproximou da mulher samaritana? Qual foi a reação da mulher à conversa de Cristo com ela? Qual foi a reação dos discípulos a essa experiência e como Jesus ampliou a visão deles?”1

João 4:3-34 (ARA)2: “3 deixou a Judeia, retirando-se outra vez para a Galileia. 4 E era-lhe necessário atravessar a província de Samaria. 5 Chegou, pois, a uma cidade samaritana, chamada Sicar, perto das terras que Jacó dera a seu filho José. 6 Estava ali a fonte de Jacó. Cansado da viagem, assentara-se Jesus junto à fonte, por volta da hora sexta.Nisto, veio uma mulher samaritana tirar água. Disse-lhe Jesus: Dá-me de beber. 8 Pois seus discípulos tinham ido à cidade para comprar alimentos. 9 Então, lhe disse a mulher samaritana: Como, sendo tu judeu, pedes de beber a mim, que sou mulher samaritana (porque os judeus não se dão com os samaritanos)? 10 Replicou-lhe Jesus: Se conheceras o dom de Deus e quem é o que te pede: dá-me de beber, tu lhe pedirias, e ele te daria água viva. 11 Respondeu-lhe ela: Senhor, tu não tens com que a tirar, e o poço é fundo; onde, pois, tens a água viva? 12 És tu, porventura, maior do que Jacó, o nosso pai, que nos deu o poço, do qual ele mesmo bebeu, e, bem assim, seus filhos, e seu gado? 13 Afirmou-lhe Jesus: Quem beber desta água tornará a ter sede; 14 aquele, porém, que beber da água que eu lhe der nunca mais terá sede; pelo contrário, a água que eu lhe der será nele uma fonte a jorrar para a vida eterna. 15 Disse-lhe a mulher: Senhor, dá-me dessa água para que eu não mais tenha sede, nem precise vir aqui buscá-la. 16 Disse-lhe Jesus: Vai, chama teu marido e vem cá; 17 ao que lhe respondeu a mulher: Não tenho marido. Replicou-lhe Jesus: Bem disseste, não tenho marido; 18 porque cinco maridos já tiveste, e esse que agora tens não é teu marido; isto disseste com verdade. 19 Senhor, disse-lhe a mulher, vejo que tu és profeta. 20 Nossos pais adoravam neste monte; vós, entretanto, dizeis que em Jerusalém é o lugar onde se deve adorar. 21 Disse-lhe Jesus: Mulher, podes crer-me que a hora vem, quando nem neste monte, nem em Jerusalém adorareis o Pai. 22 Vós adorais o que não conheceis; nós adoramos o que conhecemos, porque a salvação vem dos judeus. 23 Mas vem a hora e já chegou, em que os verdadeiros adoradores adorarão o Pai em espírito e em verdade; porque são estes que o Pai procura para seus adoradores. 24 Deus é espírito; e importa que os seus adoradores o adorem em espírito e em verdade. 25 Eu sei, respondeu a mulher, que há de vir o Messias, chamado Cristo; quando ele vier, nos anunciará todas as coisas. 26 Disse-lhe Jesus: Eu o sou, eu que falo contigo. 27 Neste ponto, chegaram os seus discípulos e se admiraram de que estivesse falando com uma mulher; todavia, nenhum lhe disse: Que perguntas? Ou: Por que falas com ela? 28 Quanto à mulher, deixou o seu cântaro, foi à cidade e disse àqueles homens: 29 Vinde comigo e vede um homem que me disse tudo quanto tenho feito. Será este, porventura, o Cristo?! 30 Saíram, pois, da cidade e vieram ter com ele. 31 Nesse ínterim, os discípulos lhe rogavam, dizendo: Mestre, come! 32 Mas ele lhes disse: Uma comida tenho para comer, que vós não conheceis. 33 Diziam, então, os discípulos uns aos outros: Ter-lhe-ia, porventura, alguém trazido o que comer? 34 Disse-lhes Jesus: A minha comida consiste em fazer a vontade daquele que me enviou e realizar a sua obra.”

“A eterna lição que Jesus desejava ensinar aos Seus discípulos e a cada um de nós é simplesmente esta: ‘Aqueles que têm o Espírito de Cristo verão todos os homens pelos olhos da compaixão divina’ (Ellen G. White, The Signs of the Times, 20 de junho de 1892).”1

“Devido à influência da cultura e da sociedade, você olha com desdém ou desrespeito para algumas pessoas? Você deve mudar suas atitudes para com elas? Como essa mudança pode acontecer?”1

Segunda-feira, 13 de julho de 2020. Saiba mais, faça um Curso Bíblico

_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. Fazendo amigos para Deus: A alegria de participar de Sua missão. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 501, jul. ago. set. 2020. Adulto, Professor. 
2 BÍBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

O segundo toque

Lições da Bíblia

“Há apenas um milagre em toda a Bíblia que Jesus operou em duas etapas. É a cura do cego em Betsaida. Essa história apresenta lições eternas para a igreja de Cristo. Ela ilustra o plano de Deus de usar os cristãos para trazer outras pessoas a Jesus. As Escrituras declaram: ‘Então, chegaram a Betsaida; e lhe trouxeram um cego, rogando-Lhe que o tocasse’ (Mc 8:22). As duas palavras-chaves aqui são ‘trazer’ e ‘rogar’. O cego não foi por conta própria. Seus amigos viram a necessidade dele e o levaram. O cego podia não ter muita fé, mas seus amigos tiveram, pois criam que Jesus curaria a cegueira daquele homem.”1

“Existem aproximadamente 25 distintos milagres de cura realizados por Jesus no Novo Testamento. Em mais da metade deles, um parente ou amigo levou alguém ao Senhor para ser curado. Isso mostra que muitas pessoas nunca irão a Jesus, a menos que alguém que tenha fé as leve. Nossa função é nos tornarmos instrumentos para levar pessoas a Cristo.”1

“A segunda palavra que merece nossa consideração em Marcos 8:22 é ‘rogar’. Ela pode significar ‘suplicar, implorar ou exortar’ e sugere um apelo mais brando, suave e gentil do que uma exigência impetuosa e tumultuada. Os amigos daquele homem apelaram humildemente a Jesus, acreditando que Ele tinha tanto o desejo quanto o poder para ajudá-lo. Pode ser que o homem não acreditasse que Jesus poderia curá-lo, mas seus amigos criam no poder do Senhor. Por vezes, devemos levar outros a Jesus nas asas da nossa fé.”1

“1. Leia Marcos 8:22-26. Em sua opinião, por que Cristo curou o cego em duas etapas? Sendo testemunhas de Jesus, quais lições essa história nos ensina?”1

Marcos 8:22-26 (ARA)2: “22 Então, chegaram a Betsaida; e lhe trouxeram um cego, rogando-lhe que o tocasse. 23 Jesus, tomando o cego pela mão, levou-o para fora da aldeia e, aplicando-lhe saliva aos olhos e impondo-lhe as mãos, perguntou-lhe: Vês alguma coisa? 24 Este, recobrando a vista, respondeu: Vejo os homens, porque como árvores os vejo, andando. 25 Então, novamente lhe pôs as mãos nos olhos, e ele, passando a ver claramente, ficou restabelecido; e tudo distinguia de modo perfeito. 26 E mandou-o Jesus embora para casa, recomendando-lhe: Não entres na aldeia.”

“É possível que também não observemos as pessoas claramente. Será que às vezes as vemos mais como ‘árvores andando’, em formas vagas e indistintas, do que como candidatas ao reino de Deus? Em sua opinião, o que pode nos levar a não ver as pessoas nitidamente?”1

“Além da lição de que Deus nos usa para alcançar as pessoas, o que mais podemos aprender com essa história? Como, por exemplo, as áreas médica e espiritual podem desempenhar uma parte na cura e no ministério aos perdidos?”1

Domingo, 12 de julho de 2020. Saiba mais, faça um Curso Bíblico

_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. Fazendo amigos para Deus: A alegria de participar de Sua missão. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 501, jul. ago. set. 2020. Adulto, Professor. 
2 BÍBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

Olhando as pessoas pelos olhos de Jesus

Lições da Bíblia

“E disse-lhes: Vinde após Mim, e Eu vos farei pescadores de homens” (Mt 4:19).

“Jesus é o ganhador de almas por excelência. Ao observarmos Sua maneira de trabalhar com elas, aprendemos como levar outros a conhecer a salvação por meio de Cristo. Ao viajarmos com Ele pelas ruas movimentadas de Jerusalém, pelas estradas poeirentas da Judeia e pelas encostas cobertas de relva da Galiléia, descobrimos como Ele revelou os princípios do reino a pessoas que estavam em busca de salvação.”1

“Jesus via todos os homens e mulheres como pessoas que podiam ser conquistadas para Seu reino. Ele enxergava cada um pelos olhos da compaixão divina. Ele via Pedro não como um pescador rude e grosseiro, mas como um poderoso pregador do evangelho. Ele via Tiago e João não como radicais impetuosos e facilmente irritáveis, mas como entusiásticos proclamadores de Sua graça. Ele via o profundo anseio por amor e aceitação genuínos no coração de Maria Madalena, da mulher samaritana e da mulher com o fluxo de sangue. Ele via Tomé não como um cético cínico, mas como alguém com perguntas sinceras. Fossem eles judeus ou gentios, homens ou mulheres, um ladrão na cruz, um centurião ou um louco possuído por demônios, Jesus via o potencial dado por Deus a essas pessoas e as enxergava pelos olhos da salvação.”1

Sábado, 11 de julho de 2020. Saiba mais, faça um Curso Bíblico

_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. Fazendo amigos para Deus: A alegria de participar de Sua missão. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 501, jul. ago. set. 2020. Adulto, Professor. 

Testemunhas cativantes: o poder do testemunho pessoal – Estudo adicional

Lições da Bíblia

Texto de Ellen G. White: Atos dos Apóstolos, p. 433-438 (“Quase Persuadido”).1

“A essência da vida cristã é um relacionamento tão pleno com Jesus a ponto de desejarmos compartilhá-lo. Por mais importante que seja a doutrina correta, ela não substitui uma vida transformada pela graça. Ellen G. White afirmou: ‘O Salvador sabia que nenhum argumento, embora lógico, abrandaria corações endurecidos nem atravessaria a crosta da mundanidade e do egoísmo. Sabia que os discípulos precisavam receber o dom celestial; que o evangelho só seria eficaz se fosse proclamado por corações entusiasmados e lábios eloquentes, capacitados pelo vivo conhecimento Daquele que é o caminho, a verdade e a vida’ (Atos dos Apóstolos, p. 31). No livro O Desejado de Todas as Nações, ela acrescentou este pensamento poderoso: ‘O maravilhoso amor de Cristo abrandará e subjugará os corações, quando a simples repetição de doutrinas nada conseguiria’ (p. 826).”1

“Há quem pense que dar seu testemunho seja tentar convencer os outros das verdades que descobriram na Palavra de Deus. Embora seja importante, no momento oportuno, compartilhar as verdades bíblicas, nosso testemunho pessoal tem muito mais a ver com a libertação da culpa, a paz, a misericórdia, o perdão, a força, a esperança e a alegria que encontramos no dom da vida eterna que Jesus oferece gratuitamente.”1

Perguntas para consideração

“1. Por que nosso testemunho é tão poderoso para influenciar os outros? Como o testemunho de outras pessoas impactou sua experiência?”1

“2. Por que uma experiência diária com o Senhor é tão importante, não apenas para nosso testemunho, mas também para nossa fé pessoal?”1

“3. Um testemunho poderoso pode ser uma testemunha eficaz. Ao mesmo tempo, por que uma vida piedosa é tão importante no testemunho?”1

“4. Compartilhe seu testemunho pessoal com a classe. Lembre-se de compartilhar o que Cristo fez em sua vida e o que Ele significa para você. Que diferença Jesus fez?”1

Sexta-feira, 10 de julho de 2020. Saiba mais, faça um Curso Bíblico

_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. Fazendo amigos para Deus: A alegria de participar de Sua missão. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 501, jul. ago. set. 2020. Adulto, Professor. 

O poder de um testemunho pessoal

Lições da Bíblia

“Examinemos novamente Paulo perante Agripa. O apóstolo estava diante do último descendente da linhagem dos reis judeus, dos Macabeus e da casa de Herodes. Agripa professava ser judeu, mas no fundo era romano (leia o Comentário Bíblico Adventista do Sétimo Dia, v. 6, p. 470). O idoso apóstolo, fatigado das viagens missionárias e marcado pelo conflito entre o bem e o mal, estava ali, com o coração repleto do amor de Deus e o rosto radiante com a bondade do Senhor. Não importava o que tinha acontecido em sua vida e as perseguições e dificuldades que havia experimentado, ele declarou que Deus é bom.”1

“Agripa era cínico, cético, endurecido e realmente indiferente a qualquer sistema genuíno de valores. Ao contrário dele, Paulo estava cheio de fé, comprometido com a verdade e firme na defesa da justiça. O contraste entre os dois homens não poderia ser mais evidente. Em seu julgamento, Paulo pediu para falar e recebeu a permissão de Agripa.”1

“5. Leia Atos 26:1-32. Como Paulo testemunhou a Agripa? O que podemos aprender com as palavras dele? Assinale a alternativa correta:”1

Atos 26:1-32 “1 A seguir, Agripa, dirigindo-se a Paulo, disse: É permitido que uses da palavra em tua defesa. Então, Paulo, estendendo a mão, passou a defender-se nestes termos: Tenho-me por feliz, ó rei Agripa, pelo privilégio de, hoje, na tua presença, poder produzir a minha defesa de todas as acusações feitas contra mim pelos judeus;mormente porque és versado em todos os costumes e questões que há entre os judeus; por isso, eu te peço que me ouças com paciência. Quanto à minha vida, desde a mocidade, como decorreu desde o princípio entre o meu povo e em Jerusalém, todos os judeus a conhecem; pois, na verdade, eu era conhecido deles desde o princípio, se assim o quiserem testemunhar, porque vivi fariseu conforme a seita mais severa da nossa religião.E, agora, estou sendo julgado por causa da esperança da promessa que por Deus foi feita a nossos pais,a qual as nossas doze tribos, servindo a Deus fervorosamente de noite e de dia, almejam alcançar; é no tocante a esta esperança, ó rei, que eu sou acusado pelos judeus.Por que se julga incrível entre vós que Deus ressuscite os mortos?Na verdade, a mim me parecia que muitas coisas devia eu praticar contra o nome de Jesus, o Nazareno; 10 e assim procedi em Jerusalém. Havendo eu recebido autorização dos principais sacerdotes, encerrei muitos dos santos nas prisões; e contra estes dava o meu voto, quando os matavam. 11 Muitas vezes, os castiguei por todas as sinagogas, obrigando-os até a blasfemar. E, demasiadamente enfurecido contra eles, mesmo por cidades estranhas os perseguia. 12 Com estes intuitos, parti para Damasco, levando autorização dos principais sacerdotes e por eles comissionado. 13 Ao meio-dia, ó rei, indo eu caminho fora, vi uma luz no céu, mais resplandecente que o sol, que brilhou ao redor de mim e dos que iam comigo. 14 E, caindo todos nós por terra, ouvi uma voz que me falava em língua hebraica: Saulo, Saulo, por que me persegues? Dura coisa é recalcitrares contra os aguilhões. 15 Então, eu perguntei: Quem és tu, Senhor? Ao que o Senhor respondeu: Eu sou Jesus, a quem tu persegues. 16 Mas levanta-te e firma-te sobre teus pés, porque por isto te apareci, para te constituir ministro e testemunha, tanto das coisas em que me viste como daquelas pelas quais te aparecerei ainda, 17 livrando-te do povo e dos gentios, para os quais eu te envio, 18 para lhes abrires os olhos e os converteres das trevas para a luz e da potestade de Satanás para Deus, a fim de que recebam eles remissão de pecados e herança entre os que são santificados pela fé em mim. 19 Pelo que, ó rei Agripa, não fui desobediente à visão celestial, 20 mas anunciei primeiramente aos de Damasco e em Jerusalém, por toda a região da Judeia, e aos gentios, que se arrependessem e se convertessem a Deus, praticando obras dignas de arrependimento. 21 Por causa disto, alguns judeus me prenderam, estando eu no templo, e tentaram matar-me. 22 Mas, alcançando socorro de Deus, permaneço até ao dia de hoje, dando testemunho, tanto a pequenos como a grandes, nada dizendo, senão o que os profetas e Moisés disseram haver de acontecer, 23 isto é, que o Cristo devia padecer e, sendo o primeiro da ressurreição dos mortos, anunciaria a luz ao povo e aos gentios. 24 Dizendo ele estas coisas em sua defesa, Festo o interrompeu em alta voz: Estás louco, Paulo! As muitas letras te fazem delirar! 25 Paulo, porém, respondeu: Não estou louco, ó excelentíssimo Festo! Pelo contrário, digo palavras de verdade e de bom senso. 26 Porque tudo isto é do conhecimento do rei, a quem me dirijo com franqueza, pois estou persuadido de que nenhuma destas coisas lhe é oculta; porquanto nada se passou em algum lugar escondido. 27 Acreditas, ó rei Agripa, nos profetas? Bem sei que acreditas. 28 Então, Agripa se dirigiu a Paulo e disse: Por pouco me persuades a me fazer cristão. 29 Paulo respondeu: Assim Deus permitisse que, por pouco ou por muito, não apenas tu, ó rei, porém todos os que hoje me ouvem se tornassem tais qual eu sou, exceto estas cadeias. 30 A essa altura, levantou-se o rei, e também o governador, e Berenice, bem como os que estavam assentados com eles; 31 e, havendo-se retirado, falavam uns com os outros, dizendo: Este homem nada tem feito passível de morte ou de prisão. 32 Então, Agripa se dirigiu a Festo e disse: Este homem bem podia ser solto, se não tivesse apelado para César.

A. ( ) Com generosidade para com Agripa, eloquência e intrepidez.
B. ( ) Com ira em suas palavras, por ter sido preso injustamente.

Resposta sugestiva: Alternativa A.

“A bondade enternece o coração, mas a aspereza o endurece. Paulo foi incrivelmente bondoso com Agripa nesse texto. Ele o chamou de ‘versado em todos os costumes e questões que há entre os judeus’ (At 26:3). Em seguida, iniciou um discurso sobre sua conversão.”1

“6. Leia a história de conversão de Paulo em Atos 26:12-18 e observe cuidadosamente seu efeito sobre Agripa em Atos 26:26-28. Por que Agripa reagiu daquela maneira? O que o impressionou no testemunho de Paulo?”1

Atos 26:12-18 (ARA)2: “12 Com estes intuitos, parti para Damasco, levando autorização dos principais sacerdotes e por eles comissionado. 13 Ao meio-dia, ó rei, indo eu caminho fora, vi uma luz no céu, mais resplandecente que o sol, que brilhou ao redor de mim e dos que iam comigo. 14 E, caindo todos nós por terra, ouvi uma voz que me falava em língua hebraica: Saulo, Saulo, por que me persegues? Dura coisa é recalcitrares contra os aguilhões. 15 Então, eu perguntei: Quem és tu, Senhor? Ao que o Senhor respondeu: Eu sou Jesus, a quem tu persegues. 16 Mas levanta-te e firma-te sobre teus pés, porque por isto te apareci, para te constituir ministro e testemunha, tanto das coisas em que me viste como daquelas pelas quais te aparecerei ainda, 17 livrando-te do povo e dos gentios, para os quais eu te envio, 18 para lhes abrires os olhos e os converteres das trevas para a luz e da potestade de Satanás para Deus, a fim de que recebam eles remissão de pecados e herança entre os que são santificados pela fé em mim.”

Atos 26:26-28 (ARA)2: “26 Porque tudo isto é do conhecimento do rei, a quem me dirijo com franqueza, pois estou persuadido de que nenhuma destas coisas lhe é oculta; porquanto nada se passou em algum lugar escondido. 27 Acreditas, ó rei Agripa, nos profetas? Bem sei que acreditas. 28 Então, Agripa se dirigiu a Paulo e disse: Por pouco me persuades a me fazer cristão.

“O testemunho de Paulo de como Jesus tinha transformado sua vida teve um impacto poderoso em um rei ímpio. Não há testemunho tão eficaz quanto uma vida transformada. O testemunho de uma vida verdadeiramente convertida tem uma influência maravilhosa sobre os outros. Até reis ímpios são movidos por vidas mudadas pela graça. Mesmo que não tenhamos uma história tão dramática quanto a de Paulo, devemos contar aos outros o que significa conhecer Jesus e ser redimido por Seu sangue.”1

Quinta-feira, 09 de julho de 2020. Saiba mais, faça um Curso Bíblico

_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. Fazendo amigos para Deus: A alegria de participar de Sua missão. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 501, jul. ago. set. 2020. Adulto, Professor. 
2 BÍBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

Compartilhando nossa experiência

Lições da Bíblia

“Em Atos 26, encontramos o apóstolo Paulo como prisioneiro diante do rei Agripa. Nesse texto, dirigindo-se ao rei, Paulo deu seu testemunho pessoal, falando sobre sua vida não apenas como perseguidor dos seguidores de Jesus, mas sobre sua vida como testemunha de Jesus, após sua conversão, e a respeito da promessa da ressurreição dos mortos (At 26:8).”1

“Quando Paulo se converteu na estrada de Damasco, nosso Senhor falou com Ele dizendo: ‘Por isto te apareci, para te constituir ministro e testemunha, tanto das coisas em que Me viste como daquelas pelas quais te aparecerei ainda’ (At 26:16). Compartilhar nossa fé é sempre uma experiência dinâmica. É contar a história do que Cristo fez por nós no passado, o que Ele está fazendo em nossa vida hoje e o que Ele realizará por nós no futuro.”1

“Testemunhar nunca se trata de nós. Sempre se trata Dele. Ele é o Deus que perdoa nossas iniquidades, cura nossas enfermidades, coroa-nos de graça e misericórdia e nos farta de bens (Sl 103:3-5). Testemunhar é simplesmente compartilhar a história de Sua maravilhosa graça em nós. É um testemunho de nosso encontro pessoal com o Deus de graça maravilhosa.”1

“4. Leia 1 João 1:1-3 e compare com Gálatas 2:20. Quais semelhanças existem? Como a experiência de João é semelhante à de Paulo?”1

1 João 1:1-3 (ARA)2: “1 O que era desde o princípio, o que temos ouvido, o que temos visto com os nossos próprios olhos, o que contemplamos, e as nossas mãos apalparam, com respeito ao Verbo da vida(e a vida se manifestou, e nós a temos visto, e dela damos testemunho, e vo-la anunciamos, a vida eterna, a qual estava com o Pai e nos foi manifestada),o que temos visto e ouvido anunciamos também a vós outros, para que vós, igualmente, mantenhais comunhão conosco. Ora, a nossa comunhão é com o Pai e com seu Filho, Jesus Cristo.”

Gálatas 2:20 (ARA)2: “logo, já não sou eu quem vive, mas Cristo vive em mim; e esse viver que, agora, tenho na carne, vivo pela fé no Filho de Deus, que me amou e a si mesmo se entregou por mim.”

“Embora João e Paulo tivessem diferentes experiências de vida, ambos se encontraram com Jesus. A experiência deles com Cristo não tinha acabado depois de ocorrer em um ponto específico do passado. Foi uma experiência diária e contínua de alegrar-se em Seu amor e andar à luz de Sua verdade.”1

“A conversão é algo apenas do passado? Observe a declaração de Ellen White sobre os que pensavam que sua experiência de conversão passada fosse tudo o que importava: ‘Como se eles, uma vez que descobriram algo sobre religião, não precisassem ser convertidos diariamente; mas devemos todos os dias, cada um de nós, ser convertidos’ (Manuscript Releases, v. 4, p. 46).”1

“Independentemente de nossas experiências passadas, mesmo que tenham sido poderosas e dramáticas, por que é importante ter um relacionamento com o Senhor dia após dia, para perceber Sua realidade, bondade e poder? Comente com a classe.”1

Quarta-feira, 08 de julho de 2020. Saiba mais, faça um Curso Bíblico

_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. Fazendo amigos para Deus: A alegria de participar de Sua missão. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 501, jul. ago. set. 2020. Adulto, Professor. 
2 BÍBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

Vidas transformadas fazem a diferença

Lições da Bíblia

“Ao verem a intrepidez de Pedro e João, sabendo que eram homens iletrados e incultos, admiraram-se; e reconheceram que haviam eles estado com Jesus” (At 4:13).1

“A igreja do Novo Testamento teve um crescimento explosivo. Três mil pessoas foram batizadas no dia de Pentecostes (At 2:41). Mais outros milhares de pessoas foram acrescentados à igreja algumas semanas depois (At 4:4). Logo as autoridades reconheceram o que estava acontecendo. Os cristãos do Novo Testamento haviam estado com Cristo. Tiveram a vida transformada por Sua graça e por isso não podiam ficar calados.”1

“3. O que é relatado em Atos 4:1-20? O que aconteceu quando as autoridades tentaram silenciar Pedro e João? Qual foi a resposta deles?”1

Atos 4:1-20 (ARA)2: “1 Falavam eles ainda ao povo quando sobrevieram os sacerdotes, o capitão do templo e os saduceus, 2 ressentidos por ensinarem eles o povo e anunciarem, em Jesus, a ressurreição dentre os mortos; 3 e os prenderam, recolhendo-os ao cárcere até ao dia seguinte, pois já era tarde. 4 Muitos, porém, dos que ouviram a palavra a aceitaram, subindo o número de homens a quase cinco mil. 5 No dia seguinte, reuniram-se em Jerusalém as autoridades, os anciãos e os escribas 6 com o sumo sacerdote Anás, Caifás, João, Alexandre e todos os que eram da linhagem do sumo sacerdote; 7 e, pondo-os perante eles, os arguiram: Com que poder ou em nome de quem fizestes isto? 8 Então, Pedro, cheio do Espírito Santo, lhes disse: Autoridades do povo e anciãos, 9 visto que hoje somos interrogados a propósito do benefício feito a um homem enfermo e do modo por que foi curado, 10 tomai conhecimento, vós todos e todo o povo de Israel, de que, em nome de Jesus Cristo, o Nazareno, a quem vós crucificastes, e a quem Deus ressuscitou dentre os mortos, sim, em seu nome é que este está curado perante vós. 11 Este Jesus é pedra rejeitada por vós, os construtores, a qual se tornou a pedra angular. 12 E não há salvação em nenhum outro; porque abaixo do céu não existe nenhum outro nome, dado entre os homens, pelo qual importa que sejamos salvos. 13 Ao verem a intrepidez de Pedro e João, sabendo que eram homens iletrados e incultos, admiraram-se; e reconheceram que haviam eles estado com Jesus. 14 Vendo com eles o homem que fora curado, nada tinham que dizer em contrário. 15 E, mandando-os sair do Sinédrio, consultavam entre si, 16 dizendo: Que faremos com estes homens? Pois, na verdade, é manifesto a todos os habitantes de Jerusalém que um sinal notório foi feito por eles, e não o podemos negar; 17 mas, para que não haja maior divulgação entre o povo, ameacemo-los para não mais falarem neste nome a quem quer que seja. 18 Chamando-os, ordenaram-lhes que absolutamente não falassem, nem ensinassem em o nome de Jesus. 19 Mas Pedro e João lhes responderam: Julgai se é justo diante de Deus ouvir-vos antes a vós outros do que a Deus; 20 pois nós não podemos deixar de falar das coisas que vimos e ouvimos.

“Aqueles cristãos eram recém-convertidos e foram impelidos a contar sua história. Pedro, um rude pescador, foi transformado pela graça de Deus. Tiago e João, filhos do trovão, que tinham dificuldade de controlar seu temperamento, foram transformados pelo amor divino. Tomé, o cético, foi transformado pela misericórdia do Senhor. Cada um dos discípulos e membros da igreja primitiva tinha a própria história para contar, e não pôde ficar calado. Observe esta poderosa declaração de Ellen G. White no livro Caminho a Cristo: ‘No momento em que uma pessoa aceita a Cristo, em seu coração nasce um desejo de apresentar aos outros o precioso Amigo que encontrou em Jesus Cristo; a verdade salvadora e santificadora não pode ficar escondida em seu coração’ (p. 78).”1

“Observe também o que os líderes religiosos disseram no verso 16. Eles reconheceram abertamente a realidade do milagre que havia sido realizado – o homem curado estava ali diante deles. Mesmo com tudo isso, eles se recusaram a mudar de atitude. Apesar dessa aberta oposição, Pedro e João não recuaram de seu testemunho.”1

“Qual é a relação entre conhecer e compartilhar Cristo? Por que conhecer Jesus pessoalmente é tão essencial para podermos testemunhar Dele?”1

Segunda-feira, 06 de julho de 2020. Saiba mais, faça um Curso Bíblico

_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. Fazendo amigos para Deus: A alegria de participar de Sua missão. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 501, jul. ago. set. 2020. Adulto, Professor. 
2 BÍBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

Proclamando o Cristo ressurreto

Lições da Bíblia

“Era domingo de manhã bem cedo, e as duas Marias foram às pressas ao túmulo de Cristo. Elas não Lhe pediriam nada. O que um Homem morto poderia lhes dar? Na última vez que O tinham visto, Seu corpo estava ensanguentado, machucado e enfraquecido. As cenas da cruz estavam profundamente gravadas na mente daquelas mulheres. Agora elas estavam simplesmente cumprindo seu dever. Com tristeza, foram ao túmulo para embalsamar o corpo de Jesus. As deprimentes sombras do desânimo engoliam sua vida na escuridão do desespero. O futuro era incerto e oferecia pouca esperança.”1

“Quando chegaram ao túmulo, ficaram surpresas ao encontrá-lo vazio. Mateus registrou os eventos daquela manhã da ressurreição com estas palavras: ‘O anjo, dirigindo-se às mulheres, disse: Não temais; porque sei que buscais Jesus, que foi crucificado. Ele não está aqui; ressuscitou, como tinha dito’ (Mt 28:5, 6).”1

“As mulheres agora estavam transbordando de alegria. As nuvens escuras de tristeza desapareceram na luz do Sol da manhã da ressurreição. A triste noite daquelas mulheres havia terminado. A alegria agraciava seu semblante, e suas lágrimas de lamento davam lugar a canções de regozijo.”1

“2. Leia Marcos 16:1-11. Qual foi a reação de Maria quando descobriu que Cristo havia ressuscitado dos mortos? Assinale a alternativa correta:”1

Marcos 16:1-11 (ARA)2: “1 Passado o sábado, Maria Madalena, Maria, mãe de Tiago, e Salomé, compraram aromas para irem embalsamá-lo. 2 E, muito cedo, no primeiro dia da semana, ao despontar do sol, foram ao túmulo. 3 Diziam umas às outras: Quem nos removerá a pedra da entrada do túmulo? 4 E, olhando, viram que a pedra já estava removida; pois era muito grande. 5 Entrando no túmulo, viram um jovem assentado ao lado direito, vestido de branco, e ficaram surpreendidas e atemorizadas. 6 Ele, porém, lhes disse: Não vos atemorizeis; buscais a Jesus, o Nazareno, que foi crucificado; ele ressuscitou, não está mais aqui; vede o lugar onde o tinham posto. 7 Mas ide, dizei a seus discípulos e a Pedro que ele vai adiante de vós para a Galileia; lá o vereis, como ele vos disse. 8 E, saindo elas, fugiram do sepulcro, porque estavam possuídas de temor e de assombro; e, de medo, nada disseram a ninguém.Havendo ele ressuscitado de manhã cedo no primeiro dia da semana, apareceu primeiro a Maria Madalena, da qual expelira sete demônios. 10 E, partindo ela, foi anunciá-lo àqueles que, tendo sido companheiros de Jesus, se achavam tristes e choravam. 11 Estes, ouvindo que ele vivia e que fora visto por ela, não acreditaram.

A. ( ) Duvidou.
B. ( ) Saiu e anunciou a notícia aos companheiros de Jesus.

Resposta sugestiva: Alternativa B.

“Depois que Maria encontrou o Cristo ressurreto, ela correu para contar a história. Boas notícias devem ser compartilhadas, e ela não podia ficar calada. Cristo estava vivo! Seu túmulo estava vazio, e o mundo devia saber disso! Depois de encontrarmos o Cristo ressurreto ao longo da estrada da vida, também precisamos correr para contar a história!”1

“É igualmente impressionante que, apesar de todas as vezes em que Jesus lhes havia dito o que aconteceria (de que Ele morreria e ressuscitaria), os discípulos, os que Jesus escolheu especificamente, tenham se recusado a acreditar no testemunho de Maria. ‘Estes, ouvindo que Ele vivia e que fora visto por ela, não acreditaram’ (Mc 16:11). Portanto, se os próprios discípulos de Jesus não acreditaram imediatamente, não devemos ficar surpresos se outros não aceitarem de imediato nossas palavras.”1

“Alguém já rejeitou seu testemunho? Como você reagiu e o que aprendeu com essa experiência?”1

Segunda-feira, 06 de julho de 2020. Saiba mais, faça um Curso Bíblico

_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. Fazendo amigos para Deus: A alegria de participar de Sua missão. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 501, jul. ago. set. 2020. Adulto, Professor. 
2 BÍBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.