O Dia do Senhor

Lições da Bíblia

Visto que todas essas coisas hão de ser assim desfeitas, deveis ser tais como os que vivem em santo procedimento e piedade” (2Pe 3:11).

“Nos séculos passados as pessoas que não acreditavam em Deus eram vistas como indignas de confiança e até potencialmente perigosas. Por quê? A ideia era simples: se elas não tinham fé em Deus, então não criam em um juízo futuro no qual teriam que responder diante dEle por seus atos. Sem essa motivação, as pessoas tinham uma tendência maior a cometer erros.”1

“Embora tal pensamento seja hoje bastante antiquado e ‘politicamente incorreto’, não se pode negar a lógica e a razão que há por trás dele. É evidente que muitas pessoas não precisam temer um juízo futuro a fim de fazer o que é certo. Mas, ao mesmo tempo, a perspectiva de ter que responder ao Senhor pode motivar o comportamento correto.”1

“Como vimos, Pedro não tinha medo de alertar sobre o juízo que os malfeitores enfrentariam diante de Deus, pois a Bíblia afirma claramente que tal juízo virá. Nesse contexto, o apóstolo falou explicitamente sobre o fim dos tempos, o juízo, a segunda vinda de Jesus e o tempo em que os ‘elementos se desfarão abrasados’ (2Pe 3:10). Pedro sabia que todos somos pecadores e, portanto, com tais perspectivas diante de nós, ele declarou que devemos ‘ser tais como os que vivem em santo procedimento e piedade’ (2Pe 3:11).”1

Sábado, 10 de junho de 2017. Saiba mais, ouça o Comentário em áudio  da Lição da Escola Sabatina (LES) ou se preferir faça um Curso Bíblico.
_______________
MCLVER, Robert K. Apascenta as Minhas ovelhas: 1 e 2 Pedro. Lições da escola sabatina. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 488, Abr. Mai. Jun. 2017. Adulto, Professor.

O juízo e o povo de Deus

Lições da Bíblia

“5. Compare 1 Pedro 4:17-19 com Isaías 10:11, 12 Malaquias 3:1-6. O que essas passagens têm em comum? Assinale a alternativa correta:”

“17 Porque a ocasião de começar o juízo pela casa de Deus é chegada; ora, se primeiro vem por nós, qual será o fim daqueles que não obedecem ao evangelho de Deus? 18 E, se é com dificuldade que o justo é salvo, onde vai comparecer o ímpio, sim, o pecador? 19 Por isso, também os que sofrem segundo a vontade de Deus encomendem a sua alma ao fiel Criador, na prática do bem.” (1 Pedro 4:17-19 ARA)2. “11 Porventura, como fiz a Samaria e aos seus ídolos, não o faria igualmente a Jerusalém e aos seus ídolos? 12 Por isso, acontecerá que, havendo o Senhor acabado toda a sua obra no monte Sião e em Jerusalém, então, castigará a arrogância do coração do rei da Assíria e a desmedida altivez dos seus olhos;” (Isaías 10:11-12 ARA)2. “1 Disse eu: Ouvi, agora, vós, cabeças de Jacó, e vós, chefes da casa de Israel: Não é a vós outros que pertence saber o juízo? 2 Os que aborreceis o bem e amais o mal; e deles arrancais a pele e a carne de cima dos seus ossos; 3 que comeis a carne do meu povo, e lhes arrancais a pele, e lhes esmiuçais os ossos, e os repartis como para a panela e como carne no meio do caldeirão? 4 Então, chamarão ao SENHOR, mas não os ouvirá; antes, esconderá deles a sua face, naquele tempo, visto que eles fizeram mal nas suas obras. 5 Assim diz o SENHOR acerca dos profetas que fazem errar o meu povo e que clamam: Paz, quando têm o que mastigar, mas apregoam guerra santa contra aqueles que nada lhes metem na boca. 6 Portanto, se vos fará noite sem visão, e tereis treva sem adivinhação; pôr-se-á o sol sobre os profetas, e sobre eles se enegrecerá o dia.” (Malaquias 3:1-6 ARA)2.

A. ( ) Mencionam as joias de ouro e prata do povo de Israel.
B. ( ) Falam dos deveres dos levitas.
C. ( ) O fato de que o juízo começará pela casa de Israel.

Resposta sugestiva: Alternativa C.

“Todas essas passagens descrevem que o processo do juízo começaria pelo povo do Senhor. Pedro relacionou até mesmo os sofrimentos de seus leitores ao juízo de Deus. Para ele, os sofrimentos que os cristãos estavam enfrentando poderiam ser pura e simplesmente o juízo do Senhor, que se iniciaria pela casa de Deus. ‘Por isso, também os que sofrem segundo a vontade de Deus encomendem a sua alma ao fiel Criador, na prática do bem’ (1Pe 4:19).”

“6 Como Lucas 18:1-8 auxilia na compreensão do juízo de Deus?”1

“1 Disse-lhes Jesus uma parábola sobre o dever de orar sempre e nunca esmorecer: 2 Havia em certa cidade um juiz que não temia a Deus, nem respeitava homem algum. 3 Havia também, naquela mesma cidade, uma viúva que vinha ter com ele, dizendo: Julga a minha causa contra o meu adversário. 4 Ele, por algum tempo, não a quis atender; mas, depois, disse consigo: Bem que eu não temo a Deus, nem respeito a homem algum; 5 todavia, como esta viúva me importuna, julgarei a sua causa, para não suceder que, por fim, venha a molestar-me. 6 Então, disse o Senhor: Considerai no que diz este juiz iníquo. 7 Não fará Deus justiça aos seus escolhidos, que a ele clamam dia e noite, embora pareça demorado em defendê-los? 8 Digo-vos que, depressa, lhes fará justiça. Contudo, quando vier o Filho do Homem, achará, porventura, fé na terra?” (Lucas 18:1-8 ARA)2.

“Nos tempos bíblicos, o juízo geralmente era algo muito desejado. A imagem da viúva pobre, em Lucas 18:1-8, expressa a mais ampla atitude em relação ao juízo. Aquela mulher sabia que seria vitoriosa somente se encontrasse um juiz que aceitasse seu caso. Ela não tinha dinheiro nem status suficiente para levar seu caso adiante, mas finalmente convenceu o juiz a ouvi-la e a dar-lhe o que merecia. Como disse Jesus em Lucas 18:7: ‘Não fará Deus justiça aos Seus escolhidos, que a Ele clamam dia e noite, embora pareça demorado em defendê-los?‘ O pecado trouxe o mal ao mundo. O povo de Deus tem esperado ao longo dos séculos que Ele conserte as coisas.”1

Quem não temerá e não glorificará o Teu nome, ó Senhor? Pois só Tu és santo; por isso, todas as nações virão e adorarão diante de Ti, porque os Teus atos de justiça se fizeram manifestos” (Ap 15:4).1

“Pense em todo o mal que não recebeu sua punição. Por que os conceitos de justiça e do justo juízo de Deus são tão essenciais para os cristãos? Que esperança temos de que a justiça será feita?

Quarta-feira, 03 de maio de 2017. Saiba mais, ouça o Comentário em áudio  da Lição da Escola Sabatina (LES) ou se preferir faça um Curso Bíblico.

_______________

1MCLVER, Robert K. Apascenta as Minhas ovelhas: 1 e 2 Pedro. Lições da escola sabatina. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 488, Abr. Mai. Jun. 2017. Adulto, Professor.

2 BIBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

Convencer do juízo

Lições da Bíblia

4. Leia João 16:8, 11. A que juízo Jesus estava Se referindo? Por que esse juízo é uma boa notícia? Assinale a alternativa correta:

“8 Quando ele vier, convencerá o mundo do pecado, da justiça e do juízo: […] 11 do juízo, porque o príncipe deste mundo já está julgado.” (João 16:8, 11 ARA)2.

A. ( ) Ao juízo executivo, no qual Jesus executará a sentença sobre os perdidos.
B. ( ) Ao fato de que Satanás seria julgado e condenado na cruz. Portanto, devemos nos alegrar.

Resposta: Alternativa B

“Há um último papel importante que faz parte da obra do Espírito Santo: convencer-nos do juízo. Grande parte da nossa pregação sobre esse assunto parece ir em uma direção errada e perniciosa. Muitas vezes, uma discussão sobre pecado e justiça parece levar muitos professos cristãos a advertir sobre o juízo aqueles que rejeitam a Cristo. Ao fazer isso, eles querem admoestar os pecadores, muitas vezes num tom assustador, sobre o juízo futuro que os aguarda.”1

“Embora esse juízo seja uma realidade, não foi sobre isso que Jesus falou em João 16:11. A linguagem indica que o Senhor não estava falando do juízo futuro, como fez em João 12:48. Em vez disso, o aspecto do juízo ao qual Cristo Se referiu é a boa-nova de que Satanás já foi julgado no Calvário. O diabo, o grande inimigo da verdade, está com os dias contados. O juízo virá, porém, o foco desse verso está na consciência de que o príncipe deste mundo já está condenado (Jo 12:31).”1

“5. Leia 1 Pedro 5:8, 9. Como Pedro descreveu Satanás? Como podemos resistir a ele? Complete as lacunas:”1

“8 Sede sóbrios e vigilantes. O diabo, vosso adversário, anda em derredor, como leão que ruge procurando alguém para devorar; 9 resisti-lhe firmes na fé, certos de que sofrimentos iguais aos vossos estão-se cumprindo na vossa irmandade espalhada pelo mundo.” (1 Pedro 5:8, 9 ARA)2.

“Pedro o descreve como um leão que ruge, procurando alguém para devorar. Só podemos resistir se permanecermos firmes na .”1

“O inimigo, mesmo sabendo que seu tempo é curto e que foi inevitávelmente derrotado no Calvário, ainda está vivo. Ele está furioso, tentando devorar tantos quantos puder. Porém, ele é um inimigo vencido. Jesus obteve a vitória. O sangue de Cristo nos libertou!”1

“Durante a Segunda Guerra Mundial, quando as tropas nazistas receberam o golpe decisivo na bem-sucedida invasão dos Aliados à França, em 6 de junho de 1944, ficou claro que Hitler estava derrotado. No entanto, os onze meses entre o Dia D (quando o ataque começou) e o Dia da Vitória na Europa (8 de maio de 1945, quando a guerra terminou na Europa) foram os mais sangrentos de todos. Semelhantemente, Satanás sabe que foi definitivamente derrotado na cruz. No entanto, de maneira obstinada, ele luta e tenta devorar tantos quantos puder. Nestes tempos difíceis, somos chamados a ser sóbrios e vigilantes e a lançar toda a nossa ansiedade sobre Jesus, porque Ele cuida de nós (1Pe 5:7, 8).”1

Terça-feira, 21 de março de 2017. Saiba mais, ouça o Comentário em áudio  da Lição da Escola Sabatina (LES) ou se preferir faça um Curso Bíblico.
_______________
1HASEL, Frank. O Espírito Santo e a espiritualiadade. Lições da escola sabatina. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 487, Jan. Fev. Mar. 2017. Adulto, Professor.
2 BIBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

Quando a riqueza se torna inútil

Lições da Bíblia

“2. Leia Tiago 5:2, 3. Qual é a advertência de Tiago? Embora suas palavras sejam muito fortes, sobre que tipo de riqueza ele estava falando? Qual é sua mensagem básica?”1 “2 As vossas riquezas estão corruptas, e as vossas roupagens, comidas de traça; 3 o vosso ouro e a vossa prata foram gastos de ferrugens, e a sua ferrugem há de ser por testemunho contra vós mesmos e há de devorar, como fogo, as vossas carnes. Tesouros acumulastes nos últimos dias. (Tiago 5:2-3 RA)2. “Riquezas apodrecidas, roupas corroídas de traças, ouro e prata enferrujados serão testemunhas contra os ricos. Eles serão destruídos porque acumularam bens de maneira injusta nos últimos dias, quando deveriam estar se preparando para o acerto de contas com o tribunal de Deus.1

“Riquezas apodrecidas [ou corruptas], roupas comidas de traça, e até mesmo prata e ouro enferrujados: essas são imagens para considerarmos seriamente enquanto nosso planeta corre cada vez mais rápido em direção ao seu fim.”1

“A situação econômica do mundo parece estar sempre indo de uma crise para outra. Mesmo os ‘bons’ tempos, quando chegam, raramente perduram e são sempre seguidos por uma recessão. Qualquer aparência de estabilidade econômica e tranquilidade que o mercado global ofereça é passageira e em grande parte imaginária. Descontentamento e instabilidade crescem à medida que a disparidade entre ricos e pobres se alarga. Tal era a situação quando Tiago escreveu que os pobres estavam ficando cada vez mais desesperados e os ricos cada vez mais intolerantes com a situação dos pobres.”1

3. Considere as seguintes pessoas e descreva o efeito que a riqueza (ou a falta dela) teve sobre elas:

1. Nabal (1Sm 25:2-11 RA)2 “2 Havia um homem, em Maom, que tinha as suas possessões no Carmelo; homem abastado, tinha três mil ovelhas e mil cabras e estava tosquiando as suas ovelhas no Carmelo. 3 Nabal era o nome deste homem, e Abigail, o de sua mulher; esta era sensata e formosa, porém o homem era duro e maligno em todo o seu trato. Era ele da casa de Calebe. 4 Ouvindo Davi, no deserto, que Nabal tosquiava as suas ovelhas, 5 enviou dez moços e lhes disse: Subi ao Carmelo, ide a Nabal, perguntai-lhe, em meu nome, como está. 6 Direis àquele próspero: Paz seja contigo, e tenha paz a tua casa, e tudo o que possuis tenha paz! 7 Tenho ouvido que tens tosquiadores. Os teus pastores estiveram conosco; nenhum agravo lhes fizemos, e de nenhuma coisa sentiram falta todos os dias que estiveram no Carmelo. 8 Pergunta aos teus moços, e eles to dirão; achem mercê, pois, os meus moços na tua presença, porque viemos em boa hora; dá, pois, a teus servos e a Davi, teu filho, qualquer coisa que tiveres à mão. 9 Chegando, pois, os moços de Davi e tendo falado a Nabal todas essas palavras em nome de Davi, aguardaram. 10 Respondeu Nabal aos moços de Davi e disse: Quem é Davi, e quem é o filho de Jessé? Muitos são, hoje em dia, os servos que fogem ao seu senhor. 11 Tomaria eu, pois, o meu pão, e a minha água, e a carne das minhas reses que degolei para os meus tosquiadores e o daria a homens que eu não sei donde vêm?Insensatez e arrogância.

2. Ezequias (2Rs 20:12-19 RA)2. “12 Nesse tempo, Merodaque-Baladã, filho de Baladã, rei da Babilônia, enviou cartas e um presente a Ezequias, porque soube que estivera doente. 13 Ezequias se agradou dos mensageiros e lhes mostrou toda a casa do seu tesouro, a prata, o ouro, as especiarias, os óleos finos, o seu arsenal e tudo quanto se achava nos seus tesouros; nenhuma coisa houve, nem em sua casa, nem em todo o seu domínio que Ezequias não lhes mostrasse. 14 Então, Isaías, o profeta, veio ao rei Ezequias e lhe disse: Que foi que aqueles homens disseram e donde vieram a ti? Respondeu Ezequias: De uma terra longínqua vieram, da Babilônia. 15 Perguntou ele: Que viram em tua casa? Respondeu Ezequias: Viram tudo quanto há em minha casa; coisa nenhuma há nos meus tesouros que eu não lhes mostrasse. 16 Então, disse Isaías a Ezequias: Ouve a palavra do SENHOR: 17 Eis que virão dias em que tudo quanto houver em tua casa, com o que entesouraram teus pais até ao dia de hoje, será levado para a Babilônia; não ficará coisa alguma, disse o SENHOR. 18 Dos teus próprios filhos, que tu gerares, tomarão, para que sejam eunucos no palácio do rei da Babilônia. 19 Então, disse Ezequias a Isaías: Boa é a palavra do SENHOR que disseste. Pois pensava: Haverá paz e segurança em meus dias.Orgulho e destruição.

3. Pedro (At 3:1-10 RA)2. “1 Pedro e João subiam ao templo para a oração da hora nona. 2 Era levado um homem, coxo de nascença, o qual punham diariamente à porta do templo chamada Formosa, para pedir esmola aos que entravam. 3 Vendo ele a Pedro e João, que iam entrar no templo, implorava que lhe dessem uma esmola. 4 Pedro, fitando-o, juntamente com João, disse: Olha para nós. 5 Ele os olhava atentamente, esperando receber alguma coisa. 6 Pedro, porém, lhe disse: Não possuo nem prata nem ouro, mas o que tenho, isso te dou: em nome de Jesus Cristo, o Nazareno, anda! 7 E, tomando-o pela mão direita, o levantou; imediatamente, os seus pés e tornozelos se firmaram; 8 de um salto se pôs em pé, passou a andar e entrou com eles no templo, saltando e louvando a Deus. 9 Viu-o todo o povo a andar e a louvar a Deus, 10 e reconheceram ser ele o mesmo que esmolava, assentado à Porta Formosa do templo; e se encheram de admiração e assombro por isso que lhe acontecera.Pedro não possuía nem ouro nem prata no entanto era um instrumento de Deus para a salvação de homens e mulheres em nome de Jesus Cristo.

“Cedo ou tarde, as riquezas do mundo perdem seu brilho para todos nós. Conhecemos suas limitações e talvez até mesmo seu lado cruel. O dinheiro tem seu lugar; o problema é quando as pessoas o colocam no lugar errado.”1

“Tiago diz que o dinheiro ‘será testemunha contra’ aqueles que fazem mau uso dele (Tg 5:3, NTLH). Embora ele tenha dado essa advertência no contexto do fim dos tempos, um ponto deve ficar claro: nossa maneira de usar o dinheiro é um assunto importante. A imagem do fogo que devora a carne tem a intenção de nos despertar para a seriedade das escolhas que estamos fazendo com nosso dinheiro. Será que estamos acumulando tesouro que acabará sendo queimado, ou estamos juntando para a eternidade? (ver Lc 12:33, 34).”1

“Pense cuidadosamente sobre sua atitude em relação ao dinheiro e como isso afeta seus relacionamentos. O que isso lhe diz sobre sua maneira de usar o dinheiro?”1

Segunda-feira, 01 de dezembro de 2014. Saiba mais, ouça o Comentário em áudio  da Lição da Escola Sabatina (LES) ou se preferir faça um Curso Bíblico.

__________________

1 LIÇÕES da escola sabatina. Carta de Tiago. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 478, Out. Nov. Dez. 2014. Adulto, Professor.

2 BIBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

Julgado pela lei

Lições da Bíblia

6. Leia Tiago 2:12, 13 (leia também Jo 12:48; Rm 2:12, 13; 2Co 5:10; Ap 20:12, 13). O que esses versos ensinam sobre o julgamento? “12 Falai de tal maneira e de tal maneira procedei como aqueles que hão de ser julgados pela lei da liberdade. 13 Porque o juízo é sem misericórdia para com aquele que não usou de misericórdia. A misericórdia triunfa sobre o juízo.” (Tiago 2:12-13 RA)2. “Quem me rejeita e não recebe as minhas palavras tem quem o julgue; a própria palavra que tenho proferido, essa o julgará no último dia.” (João 12:48 RA)2; “12 Assim, pois, todos os que pecaram sem lei também sem lei perecerão; e todos os que com lei pecaram mediante lei serão julgados. 13 Porque os simples ouvidores da lei não são justos diante de Deus, mas os que praticam a lei hão de ser justificados.” (Romanos 2:12-13 RA)2; “Porque importa que todos nós compareçamos perante o tribunal de Cristo, para que cada um receba segundo o bem ou o mal que tiver feito por meio do corpo.” (2 Coríntios 5:10 RA)2; “12 Vi também os mortos, os grandes e os pequenos, postos em pé diante do trono. Então, se abriram livros. Ainda outro livro, o Livro da Vida, foi aberto. E os mortos foram julgados, segundo as suas obras, conforme o que se achava escrito nos livros. 13 Deu o mar os mortos que nele estavam. A morte e o além entregaram os mortos que neles havia. E foram julgados, um por um, segundo as suas obras.” (Apocalipse 20:12-13 RA)2. “Seremos julgados com base na lei da liberdade e na Palavra de Deus. Alguns serão julgados com base na lei escrita na consciência. A graça nos liberta do pecado e nos deixa livres para amar e para demonstrar misericórdia e tratar a todos de igual maneira. O juízo determinará se praticamos a lei do amor.”1

“Nada é mais claro do que o ensinamento de que seremos julgados pela lei com base no que temos feito, seja para o bem ou para o mal. Ao mesmo tempo, a Bíblia é clara em dizer também que, mediante a fé em Jesus, somos cobertos por Sua justiça.”1

“Essa cobertura envolve dois aspectos: perdão (justificação) e obediência (santificação). ‘Como recebestes Cristo Jesus, o Senhor, assim andai nEle’ (Cl 2:6); e ‘todos quantos fostes batizados em Cristo de Cristo vos revestistes’ (Gl 3:27).”1

“Costuma-se dizer que seremos julgados com base não apenas no que fizemos, mas também no que não fizemos. Embora isso seja verdade, muitos têm uma ideia errada do que isso significa. Não se trata de fazer mais coisas. Essa é uma receita para o desânimo e o fracasso. Observe como Tiago descreve isso na primeira parte do verso 13: ‘O juízo é sem misericórdia para com aquele que não usou de misericórdia.’ Novamente, essa é uma definição relacional do ‘fazer’.”1

“Se pensássemos sobre isso por muito tempo, poderíamos nos tornar tão paranoicos sobre o juízo que nos entregaríamos ao desespero. Mas isso não é o que significa temer ‘a Deus […] pois é chegada a hora do Seu juízo’ (Ap 14:7)! Em vez disso, devemos sempre confiar na justiça de Jesus, cujos méritos são a nossa única esperança no juízo. É o nosso amor a Deus, que nos salvou por Sua justiça, que deve nos estimular a fazer todas as coisas que Ele nos chamou a fazer.”1

“Ao mesmo tempo, as advertências bíblicas sobre o juízo estão ali para nosso bem, para que não nos embalemos em um falso senso de segurança. Tiago disse: ‘A misericórdia triunfa sobre o juízo’ (Tg 2:13). Devemos nos lembrar de suas palavras, especialmente quando lidamos com aqueles que caíram nos piores pecados.”1

“Você já cometeu um grande erro e, quando esperava apenas condenação e julgamento, recebeu misericórdia, graça e perdão? Como se sentiu? Como você pode ter certeza de que não se esquecerá disso na próxima vez em que alguém errar?”1Quinta-feira, 30 de outubro de 2014. Saiba mais, ouça o Comentário em áudio da Lição da Escola Sabatina (LES) ou se preferir faça um Curso Bíblico.

__________________

1 BIBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

2 LIÇÕES da escola sabatina. Carta de Tiago. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 478, Out. Nov. Dez. 2014. Adulto, Professor.

A ressurreição e o Juízo

Lições da Bíblia

“O que temos estudado até agora poderia nos levar a pensar que a ressurreição seja apenas para poucos. Mas Jesus afirmou que virá um tempo ‘em que todos os que se acham nos túmulos ouvirão a Sua voz e sairão’ (Jo 5:28, 29, ênfase acrescentada). Crentes e descrentes, justos e pecadores, salvos e perdidos, todos serão ressuscitados. Como Paulo declarou: ‘Há de haver ressurreição de mortos, tanto dos justos como dos injustos’ (At 24:15, ARC).”1

“4. Apesar de que todos serão, finalmente, ressuscitados, para cada um haverá apenas um entre dois destinos eternos. Quais são eles?” “28 Não vos maravilheis disto, porque vem a hora em que todos os que se acham nos túmulos ouvirão a sua voz e sairão: 29 os que tiverem feito o bem, para a ressurreição da vida; e os que tiverem praticado o mal, para a ressurreição do juízo.” (João 5:28-29 RA). Os mortos ressuscitarão para a vida eterna ou para a morte eterna.

“A universalidade da ressurreição não significa que, no último dia, todos serão levados a uma bem-aventurada vida eterna. ‘Muitos dos que dormem no pó da Terra ressuscitarão, uns para a vida eterna, e outros para vergonha e horror eterno’ (Dn 12:2).”1

“A Bíblia ensina que Deus julgará a vida de cada ser humano, determinando o destino eterno de cada pessoa que já viveu (Ec 12:14; Rm 2:1-11). A execução da sentença divina, no entanto, não ocorre imediatamente após a morte de cada indivíduo, mas só depois de sua ressurreição. Até então, os salvos e os perdidos dormem inconscientemente no pó. A ressurreição, por si só, não é recompensa nem punição. É a condição prévia para receber a vida eterna ou a condenação.”1

“Falando das duas ressurreições, Jesus indicou que nosso destino será decidido com base na qualidade moral de nossas ações (boas ou ruins). Esse fato, porém, não significa que as obras nos salvam. Ao contrário, Jesus ensinou que a salvação depende exclusivamente de nossa fé nEle como nosso Salvador (Jo 3:16). Por que, então, as obras são levadas em consideração? Porque elas mostram se nossa fé em Cristo e nossa entrega a Ele são verdadeiras ou não (Tg 2:18). Nossas obras demonstram se ainda estamos ‘mortos nos [nossos] delitos e pecados’ (Ef 2:1) ou ‘mortos para o pecado, mas vivos para Deus, em Cristo Jesus, nosso Senhor’ (Rm 6:11, ARC).”1

“Medite sobre o destino final de cada um de nós. Existe algo entre você e a vida eterna? Por que não se livrar disso? Existiria alguma coisa pela qual valeria a pena perder a eternidade?”1

Terça-feira, 15 de setembro de 2014. Saiba mais, ouça o Comentário em áudio da Lição da Escola Sabatina (LES) ou se preferir faça um Curso Bíblico.

__________________

1 LIÇÕES da escola sabatina. Ensino de Jesus. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 477, Jul. Ago. Set. 2014. Adulto, Professor.

2 BIBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

Lei e julgamento (Jo 5:30)

Lições da Bíblia.

“Embora a lei de Deus seja uma lei de misericórdia, Deus finalmente a usará como padrão de julgamento. Deus continuamente oferece oportunidades para que os pecadores se arrependam e decidam ser fiéis a Ele, mas chegará a hora em que o clamor será ouvido: ‘Continue o injusto fazendo injustiça, continue o imundo ainda sendo imundo; o justo continue na prática da justiça, e o santo continue a santificar-se’ (Ap 22:11). Esse anúncio serve como prelúdio para o juízo final.”1

“5. Em Apocalipse 14:7, o primeiro anjo proclama o juízo de Deus, ainda que outros textos falem do julgamento de Cristo (At 17:31; 2Tm 4:1; 2Co 5:10). Como João 5:30 nos ajuda a compreender o papel de Jesus no julgamento?” “dizendo, em grande voz: Temei a Deus e dai-lhe glória, pois é chegada a hora do seu juízo; e adorai aquele que fez o céu, e a terra, e o mar, e as fontes das águas.” (Apocalipse 14:7 RA)2; porquanto estabeleceu um dia em que há de julgar o mundo com justiça, por meio de um varão que destinou e acreditou diante de todos, ressuscitando-o dentre os mortos.” (Atos 17:31 RA)2; Conjuro-te, perante Deus e Cristo Jesus, que há de julgar vivos e mortos, pela sua manifestação e pelo seu reino:” (2 Timóteo 4:1 RA)2; Porque importa que todos nós compareçamos perante o tribunal de Cristo, para que cada um receba segundo o bem ou o mal que tiver feito por meio do corpo.” (2 Coríntios 5:10 RA)2. Jesus será o juiz dos seres humanos dos quais tornou-se semelhante, embora sem pecado. Essa proximidade da humanidade permitirá a Cristo ser justo em cada julgamento, por experiência Ele conhece o valor de cada alma pelas quais morreu.

“Embora Cristo tenha deixado de lado Sua natureza divina quando Se tornou humano (Fp 2:5-11), Ele ainda tinha um relacionamento especial com o Pai. Quando os líderes religiosos O acusaram de blasfêmia, Ele informou Seus acusadores de que Deus Lhe tinha dado autoridade para cumprir tarefas divinas específicas (Jo 5:19-30), uma das quais era o julgamento. O fato de ter Cristo recebido a responsabilidade do julgamento demonstra a misericórdia de Deus. Visto que Cristo Se uniu à humanidade, está em posição de julgar com imparcialidade. Por causa da Sua familiaridade com a experiência humana, Ele não condenaria uma pessoa injustamente. Na verdade, Cristo sugere que a condenação não provém dEle, mas o pecador impenitente condena a si mesmo quando se recusa a atender à ordem de Deus (Jo 12:48).”1

“Muitos estão familiarizados com o conteúdo da lei de Deus, mas não sabem como guardá-la. A lei não é uma lista de verificação que usamos para ver se estamos perto do reino. Em vez disso, é um instrumento que expressa vários princípios do amor. Cumprir a lei não se limita a obedecer à lei a fim de obter o favor de Deus, mas chama o cristão a compartilhar o amor de Deus com aqueles que dele necessitam. Como padrão de julgamento, a lei serve para medir o nível de amor que o indivíduo tem para com Deus e com a humanidade. Quando Cristo presidir o julgamento final, usará a imutável lei do amor como padrão para julgar (Tg 2:12).”1

Quinta-feira, 22 de maio de 2014. Saiba mais, ouça o Comentário em áudio da Lição da Escola Sabatina (LES) ou se preferir faça um Curso Bíblico.

__________________

1 LIÇÕES da escola sabatina. Cristo e sua lei. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 476, Abr. Maio Jun. 2013. Adulto, Professor.

2 BIBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.