Recebendo um reino inabalável – Estudo adicional

Lições da Bíblia1

“Durante os mil anos entre a primeira e a segunda ressurreições ocorrerá o julgamento dos ímpios. O apóstolo Paulo falou desse juízo como um acontecimento que se seguirá ao segundo advento. […] (1Co 4:5). Daniel declarou que “veio o Ancião de Dias e fez justiça aos santos do Altíssimo” (Dn 7:22). Nessa oportunidade, os justos reinarão como reis e sacerdotes diante de Deus. […] (Ap 20:4, 6). É nesse tempo que, conforme foi predito por Paulo, “os santos hão de julgar o mundo” (1Co 6:2). Em união com Cristo, eles julgarão os ímpios, comparando seus atos com o código – as Escrituras Sagradas – e decidindo cada caso segundo as ações praticadas nesta vida. Então o destino que os ímpios devem sofrer, segundo suas obras, é determinado e registrado em frente ao seu nome, no livro da morte.

De idêntica maneira, Satanás e os anjos maus serão julgados por Cristo e Seu povo. […] (1Co 6:3). E Judas afirmou que os anjos “que não guardaram o seu estado original, mas abandonaram o seu próprio domicílio, [Deus] tem guardado sob trevas, em algemas eternas, para o juízo do grande dia” (Jd 6; Ellen G. White, O Grande Conflito, p. 660, 661).

Perguntas para consideração

1. Os santos participarão do juízo dos ímpios (1Co 6:3; Jd 6). O que isso diz sobre a transparência, bondade e justiça de Deus ao lidar com o pecado e o mal?

2. O que está registrado nos livros do Céu? (Êx 32:32; Sl 56:8; 69:28; 139:16; Is 4:3; Dn 12:1; Ml 3:16; Lc 10:20; Ap 13:8; 17:8). É importante que Deus registre as nossas lágrimas (Sl 56:8)? Se Deus sabe tudo, qual é o propósito dos livros?

3. É importante que Hebreus termine com as promessas de Daniel 7, no contexto do ministério de Jesus no Céu? O que Daniel 7 ensina sobre o fim do pecado?

Sexta-feira, 16 de março de 2022. Saiba mais, faça gratuitamente um Curso Bíblico

_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. Hebreus mensagem para os últimos dias. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 507, jan. fev. mar. 2022. Adulto, Professor. 

Chegando a Deus, o Juiz de todos

Lições da Bíblia1

Leia Hebreus 12:23. Se isso é uma celebração, por que Deus é descrito como Juiz? Como um juiz pode fazer parte de uma festa? Leia também Daniel 7:9, 10, 13-22.

Hebreus 12:23 (ARA)2: “e igreja dos primogênitos arrolados nos céus, e a Deus, o Juiz de todos, e aos espíritos dos justos aperfeiçoados,”

Daniel 7:9, 10, 13-22 (ARA)2: “9 Continuei olhando, até que foram postos uns tronos, e o Ancião de Dias se assentou; sua veste era branca como a neve, e os cabelos da cabeça, como a pura lã; o seu trono eram chamas de fogo, e suas rodas eram fogo ardente. 10 Um rio de fogo manava e saía de diante dele; milhares de milhares o serviam, e miríades de miríades estavam diante dele; assentou-se o tribunal, e se abriram os livros. […] 13 Eu estava olhando nas minhas visões da noite, e eis que vinha com as nuvens do céu um como o Filho do Homem, e dirigiu-se ao Ancião de Dias, e o fizeram chegar até ele. 14 Foi-lhe dado domínio, e glória, e o reino, para que os povos, nações e homens de todas as línguas o servissem; o seu domínio é domínio eterno, que não passará, e o seu reino jamais será destruído. 15 Quanto a mim, Daniel, o meu espírito foi alarmado dentro de mim, e as visões da minha cabeça me perturbaram. 16 Cheguei-me a um dos que estavam perto e lhe pedi a verdade acerca de tudo isto. Assim, ele me disse e me fez saber a interpretação das coisas: 17 Estes grandes animais, que são quatro, são quatro reis que se levantarão da terra. 18 Mas os santos do Altíssimo receberão o reino e o possuirão para todo o sempre, de eternidade em eternidade. 19 Então, tive desejo de conhecer a verdade a respeito do quarto animal, que era diferente de todos os outros, muito terrível, cujos dentes eram de ferro, cujas unhas eram de bronze, que devorava, fazia em pedaços e pisava aos pés o que sobejava; 20 e também a respeito dos dez chifres que tinha na cabeça e do outro que subiu, diante do qual caíram três, daquele chifre que tinha olhos e uma boca que falava com insolência e parecia mais robusto do que os seus companheiros. 21 Eu olhava e eis que este chifre fazia guerra contra os santos e prevalecia contra eles, 22 até que veio o Ancião de Dias e fez justiça aos santos do Altíssimo; e veio o tempo em que os santos possuíram o reino.

A celebração descrita em Hebreus 12:22-24 alude a um juízo futuro. Deus, o Juiz, preside, os livros são abertos, e o resultado é que o povo de Deus recebe o reino (Hb 12:28).

A cena evoca o grande juízo pré-advento descrito em Daniel 7, que retrata Deus, o “Ancião de Dias” (Dn 7:9), assentado em um trono de fogo, rodeado por “milhares de milhares” de anjos (Dn 7:10). Os livros foram abertos (Dn 7:10), e o juízo decidido em favor dos “santos do Altíssimo”, que “possuíram o reino” (Dn 7:22).

Hebreus 12:22-29 descreve uma cena de juízo no Monte Sião, a Jerusalém celestial, onde Deus, “o Juiz de todos” (v. 23), está rodeado por “milhares de milhares” de anjos (v. 22, NVI). Ali também há fogo (Hb 12:29) e há livros, porque os santos estão “arrolados” neles (Hb 12:23), o que sugere um juízo favorável aos santos.

Jesus está no centro da cena (Hb 12:24). Ele foi descrito como o Filho do Homem em Hebreus 2, “coroado de glória e de honra” depois de ter provado a “morte” em nosso favor (Hb 2:9). De acordo com Hebreus 2:10, o Filho do Homem (veja Hb 2:6) sofreu para que pudesse conduzir “muitos filhos à glória”; isto é, para que os crentes também pudessem ser “coroados de glória e de honra”. Por meio dos benefícios da nova aliança (Hb 12: 22-24), o “Filho” conduziu crentes a Sião, a Jerusalém celestial, onde receberão o reino (Hb 12:28).

Esse juízo é, portanto, uma boa notícia para os crentes, pois lhes é favorável e os vindica. É um julgamento que derrotará seu adversário, o dragão, que está por trás das terríveis feras que perseguiram os crentes no passado (Dn 7) e perseguirão no futuro (Ap 13).

Como este estudo nos ajuda a entender que o juízo de Deus nas três mensagens angélicas são boas-novas para este tempo (Ap 14:6, 7; compare com Dt 32:36; 1Cr 16:33-35)?

Segunda-feira, 14 de março de 2022. Saiba mais, faça gratuitamente um Curso Bíblico

_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. Hebreus mensagem para os últimos dias. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 507, jan. fev. mar. 2022. Adulto, Professor. 
2 BÍBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

Ordens para marchar

Lições da Bíblia1

O grande quadro profético da História não nos permite ficar sentados e não fazer nada enquanto os eventos se desenrolam, fatos que não controlamos. Nossa atitude pode ser: “Bem, os eventos finais acontecerão conforme o previsto, então o que podemos fazer a esse respeito, senão simplesmente aceitá-los e seguir com nossa vida? Afinal, o que posso fazer sozinho?” Mas não é assim que os cristãos devem se relacionar com o mundo e, especialmente, com os eventos finais. Apocalipse 14 revela que nosso propósito neste momento da história é falar aos outros sobre o juízo de Deus e ajudá-los a se prepararem para a volta de Jesus.

4. O que é ensinado em Apocalipse 14:6-12 e o que devemos proclamar ao mundo? Por que essa mensagem é tão urgente?

Apocalipse 14:6-12 (ARA): 6 Vi outro anjo voando pelo meio do céu, tendo um evangelho eterno para pregar aos que se assentam sobre a terra, e a cada nação, e tribo, e língua, e povo, 7 dizendo, em grande voz: Temei a Deus e dai-lhe glória, pois é chegada a hora do seu juízo; e adorai aquele que fez o céu, e a terra, e o mar, e as fontes das águas. 8 Seguiu-se outro anjo, o segundo, dizendo: Caiu, caiu a grande Babilônia que tem dado a beber a todas as nações do vinho da fúria da sua prostituição. 9 Seguiu-se a estes outro anjo, o terceiro, dizendo, em grande voz: Se alguém adora a besta e a sua imagem e recebe a sua marca na fronte ou sobre a mão, 10 também esse beberá do vinho da cólera de Deus, preparado, sem mistura, do cálice da sua ira, e será atormentado com fogo e enxofre, diante dos santos anjos e na presença do Cordeiro. 11 A fumaça do seu tormento sobe pelos séculos dos séculos, e não têm descanso algum, nem de dia nem de noite, os adoradores da besta e da sua imagem e quem quer que receba a marca do seu nome. 12 Aqui está a perseverança dos santos, os que guardam os mandamentos de Deus e a fé em Jesus.

A “verdade presente” (2Pe 1:12) encontra-se nesses versos (Ap 14:6-12), “as três mensagens angélicas”, onde encontramos a essência de nosso chamado neste tempo.

O texto começa com o “evangelho eterno”, a notícia da morte e ressurreição de Cristo, sobre a qual está a esperança de salvação. Há também a mensagem de que “é chegada a hora em que Ele vai julgar” (Ap 14:7), um marco que aponta para o fim dos tempos. Em seguida, há o chamado para adorar Aquele “que fez o céu, a Terra, o mar e as fontes das águas”, em contraste com a terrível advertência sobre os que, permanecendo em Babilônia, adoram “a besta e a sua imagem”. Finalmente, é descrito o povo de Deus do tempo do fim: “aqui está a perseverança dos santos, os que guardam os mandamentos de Deus e a fé em Jesus”.

5. O que aprendemos sobre a falta de descanso dos adoradores da besta? Ap 14:11

Ap 14:11 (ARA)2: “A fumaça do seu tormento sobe pelos séculos dos séculos, e não têm descanso algum, nem de dia nem de noite, os adoradores da besta e da sua imagem e quem quer que receba a marca do seu nome.

Não haverá descanso, nem de dia nem de noite, para os que adoram a besta e a sua imagem. Embora existam várias ideias sobre o que isso significa, todos concordam que essas pessoas não experimentarão o tipo de descanso oferecido por Deus aos fiéis.

Por que a primeira mensagem trata do “evangelho eterno”? É importante manter essa verdade diante de nós, ao pregarmos essas mensagens? Qual é a relação do evangelho com o descanso?

Terça-feira, 21 de setembro de 2021. Saiba mais, faça gratuitamente um Curso Bíblico

_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. Descanso em Cristo. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 505, jul. ago. set. 2021. Adulto, Professor. 
2 BÍBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

O tribunal se assentou

Lições da Bíblia

“Após a visão dos quatro animais e das atividades do chifre pequeno, o profeta viu uma cena de juízo no Céu (Dn 7:9,10,13,14). Enquanto o tribunal se reunia, foram postos uns tronos, e o Ancião de Dias Se assentou. Como mostra a cena celestial, milhares e milhares de seres celestiais ministravam diante do Ancião de Dias; o tribunal se assentou e os livros foram abertos.”1

“É importante observar que esse juízo ocorre após o período de 1.260 anos da atividade do chifre pequeno (531-1798 d.C.; veja a lição de sexta-feira), mas antes do estabelecimento do reino final de Deus. Na verdade, a seguinte sequência aparece três vezes na visão:”

O período do chifre pequeno (538-1798)

Juízo celestial

Reino eterno de Deus

“4. Leia Daniel 7:13,14,21,22,26,27. De que maneiras o juízo beneficia o povo de Deus?”1

Daniel 7:13, 14, 21, 22, 26, 27 (ARA)2: “13 Eu estava olhando nas minhas visões da noite, e eis que vinha com as nuvens do céu um como o Filho do Homem, e dirigiu-se ao Ancião de Dias, e o fizeram chegar até ele. 14 Foi-lhe dado domínio, e glória, e o reino, para que os povos, nações e homens de todas as línguas o servissem; o seu domínio é domínio eterno, que não passará, e o seu reino jamais será destruído. […] 21 Eu olhava e eis que este chifre fazia guerra contra os santos e prevalecia contra eles, 22 até que veio o Ancião de Dias e fez justiça aos santos do Altíssimo; e veio o tempo em que os santos possuíram o reino. […] 26 Mas, depois, se assentará o tribunal para lhe tirar o domínio, para o destruir e o consumir até ao fim. 27 O reino, e o domínio, e a majestade dos reinos debaixo de todo o céu serão dados ao povo dos santos do Altíssimo; o seu reino será reino eterno, e todos os domínios o servirão e lhe obedecerão.

“O Antigo Testamento descreve diversos atos de juízo no tabernáculo e no templo, mas o juízo mencionado nesse texto é diferente. Esse juízo cósmico afeta não apenas o chifre pequeno, mas também os santos do Altíssimo, que por fim receberão o reino.”1

“Daniel 7 não descreve o juízo nem apresenta detalhes sobre seu início e fim, mas sugere que ele seria realizado logo após o ataque do chifre pequeno contra Deus e Seu povo. A grande questão nesse texto, então, é enfatizar o início de um julgamento de proporções cósmicas. A partir de Daniel 8 e 9 (veja as lições das próximas semanas), estudaremos sobre o tempo do início do juízo e o fato de que ele está relacionado à purificação do santuário celestial no Dia da Expiação celestial. A lição aqui é que evidentemente teremos um juízo pré-advento no Céu em favor do povo de Deus (Dn 7:22).”1

“Por que uma compreensão do que Jesus realizou por nós na cruz é tão central à nossa segurança no dia do juízo? Que esperança teríamos sem a cruz? (Veja Rm 8:1 [‘Agora, pois, já nenhuma condenação há para os que estão em Cristo Jesus.’]).”1

Terça-feira, 18 de fevereiro de 2020. Saiba mais, faça um Curso Bíblico

_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. Daniel. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 499, jan. fev. mar. 2020. Adulto, Professor. 
2 BÍBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

Pesado e achado em falta

Lições da Bíblia

“4. Leia Daniel 5:13-28. Qual foi a razão apresentada por Daniel para o iminente fim daquele rei? Assinale ‘V’ para verdadeiro ou ‘F’ para falso:”1

Daniel 5:13-28 (ARA)2: “13 Então, Daniel foi introduzido à presença do rei. Falou o rei e disse a Daniel: És tu aquele Daniel, dos cativos de Judá, que o rei, meu pai, trouxe de Judá? 14 Tenho ouvido dizer a teu respeito que o espírito dos deuses está em ti, e que em ti se acham luz, inteligência e excelente sabedoria. 15 Acabam de ser introduzidos à minha presença os sábios e os encantadores, para lerem esta escritura e me fazerem saber a sua interpretação; mas não puderam dar a interpretação destas palavras. 16 Eu, porém, tenho ouvido dizer de ti que podes dar interpretações e solucionar casos difíceis; agora, se puderes ler esta escritura e fazer-me saber a sua interpretação, serás vestido de púrpura, terás cadeia de ouro ao pescoço e serás o terceiro no meu reino. 17 Então, respondeu Daniel e disse na presença do rei: Os teus presentes fiquem contigo, e dá os teus prêmios a outrem; todavia, lerei ao rei a escritura e lhe farei saber a interpretação. 18 Ó rei! Deus, o Altíssimo, deu a Nabucodonosor, teu pai, o reino e grandeza, glória e majestade. 19 Por causa da grandeza que lhe deu, povos, nações e homens de todas as línguas tremiam e temiam diante dele; matava a quem queria e a quem queria deixava com vida; a quem queria exaltava e a quem queria abatia. 20 Quando, porém, o seu coração se elevou, e o seu espírito se tornou soberbo e arrogante, foi derribado do seu trono real, e passou dele a sua glória. 21 Foi expulso dentre os filhos dos homens, o seu coração foi feito semelhante ao dos animais, e a sua morada foi com os jumentos monteses; deram-lhe a comer erva como aos bois, e do orvalho do céu foi molhado o seu corpo, até que conheceu que Deus, o Altíssimo, tem domínio sobre o reino dos homens e a quem quer constitui sobre ele. 22 Tu, Belsazar, que és seu filho, não humilhaste o teu coração, ainda que sabias tudo isto. 23 E te levantaste contra o Senhor do céu, pois foram trazidos os utensílios da casa dele perante ti, e tu, e os teus grandes, e as tuas mulheres, e as tuas concubinas bebestes vinho neles; além disso, deste louvores aos deuses de prata, de ouro, de bronze, de ferro, de madeira e de pedra, que não veem, não ouvem, nem sabem; mas a Deus, em cuja mão está a tua vida e todos os teus caminhos, a ele não glorificaste. 24 Então, da parte dele foi enviada aquela mão que traçou esta escritura. 25 Esta, pois, é a escritura que se traçou: Mene, Mene, Tequel e Parsim. 26 Esta é a interpretação daquilo: Mene: Contou Deus o teu reino e deu cabo dele. 27 Tequel: Pesado foste na balança e achado em falta. 28 Peres: Dividido foi o teu reino e dado aos medos e aos persas.

A. (   ) Ele havia se levantado contra o Senhor, trazendo os utensílios do templo para um banquete pagão, além de ter adorado deuses falsos.
B. (   ) Ele havia cobrado muitos impostos dos pobres.

Resposta sugestiva: Alternativa V; F.

“Forçado pelas circunstâncias, o rei recorreu à consultoria de Daniel; porém, parece tê-lo feito com relutância. Isso revela mais sobre a sua atitude em relação ao Deus de Daniel do que em relação ao próprio Daniel.”1

“Por sua vez, a resposta daquele idoso hebreu à oferta de recompensa do rei mostra suas prioridades e seu caráter. Também é provável que Daniel, conhecendo o significado das palavras misteriosas, percebesse a inutilidade da recompensa.”

“Daniel então fez três acusações ao rei.”1

“Primeiramente, Belsazar havia ignorado completamente a experiência de Nabucodonosor. Caso contrário, ele teria se arrependido e se humilhado como seu antecessor.”1

“Em segundo lugar, Belsazar havia utilizado os utensílios do templo para beber vinho e louvar seus ídolos. Nessa ocasião, Daniel mencionou, na mesma ordem apresentada anteriormente, os seis tipos de materiais usados para fazer ídolos.”1

“Em terceiro lugar, o rei havia negligenciado a glorificação a Deus, Aquele ‘em cuja mão’ estava a vida dele e todos os seus caminhos (Dn 5:23).”1

“Tendo indicado os erros do rei, Daniel apresentou a interpretação. Vemos então que o grafite divino consistia em três verbos aramaicos (sendo que o primeiro foi repetido). O rei e seus sábios deveriam ter conhecido seu significado básico: MENE: ‘contado’; TEKEL: ‘pesado’ e PERES [PARSIM]: ‘dividido’.”1

“Com o exército medo-persa às portas de Babilônia, o rei e os sábios devem ter suspeitado de algum significado sinistro naquele escrito, mas os sábios não ousaram dizer nada desagradável ao rei. Somente Daniel provou ser capaz de decodificar a verdadeira mensagem em uma declaração que tivesse sentido, a fim de transmitir seu significado completo a Belsazar: ‘MENE: Contou Deus o teu reino e deu cabo dele. TEQUEL: Pesado foste na balança e achado em falta. PERES: Dividido foi o teu reino e dado aos medos e aos persas’ (Dn 5:26-28). Essas não foram palavras de conforto e ânimo.”1

“O juízo chegou rapidamente ao rei. Como podemos confiar em Deus nos casos em que, para o presente, a justiça e o juízo ainda não chegaram?”1

(Veja Ec 3:17 [‘Então, disse comigo: Deus julgará o justo e o perverso; pois há tempo para todo propósito e para toda obra.’]2; Ec 8:11 [‘Visto como se não executa logo a sentença sobre a má obra, o coração dos filhos dos homens está inteiramente disposto a praticar o mal.’]2; Mt 12:36 [‘Digo-vos que de toda palavra frívola que proferirem os homens, dela darão conta no Dia do Juízo;’]2; Rm 14:12 [‘Assim, pois, cada um de nós dará contas de si mesmo a Deus.’]2).

Quarta-feira, 05 de fevereiro de 2020. Saiba mais, faça um Curso Bíblico

_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. Daniel. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 499, jan. fev. mar. 2020. Adulto, Professor. 
2 BÍBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

Um visitante indesejado

Lições da Bíblia

“2. Leia Daniel 5:5-8. O que aconteceu? Por que o rei reagiu de modo tão aflito? Qual é a semelhança entre esse relato e Daniel 2? Por que essa semelhança é importante? (Veja Sl 96:5; Cl 1:15-17)”1

Daniel 5:5-8 (ARA)2: “5 No mesmo instante, apareceram uns dedos de mão de homem e escreviam, defronte do candeeiro, na caiadura da parede do palácio real; e o rei via os dedos que estavam escrevendo.Então, se mudou o semblante do rei, e os seus pensamentos o turbaram; as juntas dos seus lombos se relaxaram, e os seus joelhos batiam um no outro. 7 O rei ordenou, em voz alta, que se introduzissem os encantadores, os caldeus e os feiticeiros; falou o rei e disse aos sábios da Babilônia: Qualquer que ler esta escritura e me declarar a sua interpretação será vestido de púrpura, trará uma cadeia de ouro ao pescoço e será o terceiro no meu reino. 8 Então, entraram todos os sábios do rei; mas não puderam ler a escritura, nem fazer saber ao rei a sua interpretação.”

Salmo 96:5 (ARA)2: “Porque todos os deuses dos povos não passam de ídolos; o Senhor, porém, fez os céus.”

Colossenses 1.14-17 (ARA)2: “14 no qual temos a redenção, a remissão dos pecados. 15 Este é a imagem do Deus invisível, o primogênito de toda a criação; 16 pois, nele, foram criadas todas as coisas, nos céus e sobre a terra, as visíveis e as invisíveis, sejam tronos, sejam soberanias, quer principados, quer potestades. Tudo foi criado por meio dele e para ele. 17 Ele é antes de todas as coisas. Nele, tudo subsiste.

“Como Nabucodonosor havia feito em crises anteriores (Dn 2:2; Dn 4:7), Belsazar chamou os astrólogos, os caldeus e os adivinhadores para esclarecer a misteriosa escritura na parede. E para ter a certeza de que eles dariam o melhor de si, o rei lhes prometeu honras extravagantes: (1) vestimenta de púrpura, uma cor usada pela realeza nos tempos antigos (Et 8:15); (2) uma corrente de ouro, que era um sinal de status social elevado (Gn 41:42); e (3) a posição de terceiro governante no reino. Essa última recompensa reflete com precisão as circunstâncias históricas de Babilônia naquela época. Visto que Belsazar era o segundo governante como co-regente junto ao seu pai, Nabonido, ele ofereceu a posição de terceiro governante. Mas, apesar das recompensas tentadoras, os sábios mais uma vez não apresentaram uma explicação.”1

“Além de todos os seus pecados, o rei então tentou encontrar sabedoria no lugar errado. Os especialistas babilônicos não puderam descobrir o significado da mensagem. Ela estava escrita em sua própria língua, o aramaico, como veremos amanhã, mas eles não conseguiram entender o significado das palavras. Isso nos lembra do que o Senhor falou por meio de Isaías: ‘A sabedoria dos seus sábios perecerá, e a prudência dos seus prudentes se esconderá’ (Is 29:14). Depois de citar esse verso, o apóstolo Paulo declarou: ‘Onde está o sábio? Onde, o escriba? Onde, o inquiridor deste século? Porventura, não tornou Deus louca a sabedoria do mundo? Visto como, na sabedoria de Deus, o mundo não O conheceu por sua própria sabedoria, aprouve a Deus salvar os que creem pela loucura da pregação’ (1Co 1:20,21).”1

“Algumas verdades são importantes demais para que os seres humanos tentem decifrá-las por si mesmos. Por essa razão, o Senhor é quem nos revela essas realidades.”1

“Em vista do que estava para ocorrer em Babilônia, qual seria a importância das recompensas prometidas a Daniel? O que isso revela sobre a transitoriedade das coisas do mundo? Por que precisamos sempre ter em mente a perspectiva da eternidade em tudo o que fazemos?”1

Segunda-feira, 03 de fevereiro de 2020. Saiba mais, faça um Curso Bíblico

_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. Daniel. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 499, jan. fev. mar. 2020. Adulto, Professor. 
2 BÍBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

A esperança do juízo

Lições da Bíblia

“4. Leia Eclesiastes 8:14. Qual é a dura e poderosa realidade descrita nesse verso? Assinale ‘V’ para verdadeiro ou ‘F’ para falso:”

Eclesiastes (8:14 ARA)2: “Ainda há outra vaidade sobre a terra: justos a quem sucede segundo as obras dos perversos, e perversos a quem sucede segundo as obras dos justos. Digo que também isto é vaidade.”

A. (   ) Todos somos pecadores.
B. (   ) Às vezes, os ímpios recebem o que os justos merecem, e os justos recebem o que os ímpios merecem.

Resposta sugestiva: F; V.

“Embora o sofrimento, a opressão e a tragédia sejam suficientemente difíceis de suportar, a injúria ou insulto são ainda mais difíceis se parecem sem sentido ou se passam despercebidos. A possível falta de significado da aflição é mais pesada que seu fardo inicial. Um mundo sem um livro de registro nem justiça final é um absurdo cruel em nível máximo. Não é de admirar que os escritores ateus do século 20 lamentassem o que acreditavam ser o ‘absurdo’ da condição humana. Sem esperança de justiça, de juízo, de que as coisas fossem corrigidas, nosso mundo seria de fato absurdo.”1

“Mas o clamor de Eclesiastes 8:14 não é o fim da História. No fim de seus protestos, Salomão fez uma reviravolta repentina. Em meio aos seus lamentos sobre falta de sentido, ele disse, essencialmente: Espere um minuto, Deus julgará a fim de que todas as coisas não sejam sem sentido; na verdade, tudo e todos têm significado.”1

“5. Leia Eclesiastes 12:13, 14. Por que tudo que fazemos na Terra é muito importante?”1

Eclesiastes (12:13, 14 ARA)2: “13 De tudo o que se tem ouvido, a suma é: Teme a Deus e guarda os seus mandamentos; porque isto é o dever de todo homem. 14 Porque Deus há de trazer a juízo todas as obras, até as que estão escondidas, quer sejam boas, quer sejam más.”

“A esperança do juízo resume-se à nossa crença sobre a essência da natureza de Deus, da vida e do mundo em que vivemos. Como vimos, a Bíblia insiste em declarar que vivemos em um mundo criado e amado por Deus, mas que foi arruinado pelo pecado, um mundo em que Deus está executando Seu plano de recriação mediante a vida e a morte de Jesus. O juízo divino é uma parte fundamental de Sua correção do nosso planeta. Para os que são alvos de muitas injustiças na Terra, os que são marginalizados, tratados brutalmente, oprimidos e explorados, a promessa do juízo é certamente uma boa notícia.”1

“O que significa para você o fato de saber que, um dia, e de maneiras inimagináveis, a justiça que tanto desejamos hoje finalmente será feita? Como essa promessa pode nos dar esperança?”1

Quarta-feira, 11 de setembro de 2019. Saiba mais, faça um Curso Bíblico

_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. “Meus pequeninos irmãos”: servindo aos necessitados. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 496, jul. ago. set. 2019. Adulto, Professor. 
2 BÍBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

Juízo sobre Babilônia

Lições da Bíblia

Ouvi outra voz do Céu, dizendo: Retirai-vos dela, povo Meu, para não serdes cúmplices em seus pecados e para não participardes dos seus flagelos; porque os seus pecados se acumularam até ao Céu, e Deus Se lembrou dos atos iníquos que ela praticou” (Ap 18:4, 5).1

“A sexta praga provocará o secamento simbólico do rio Eufrates, à medida que o mundo desiludido retirar seu apoio popular à Babilônia do tempo do fim. A destruição de seu poder será precedida por extensivas ações demoníacas que falsificarão a obra de Deus (Ap 16:13, 14). A atuação demoníaca será bem-sucedida em unir os ímpios na preparação para a batalha do Armagedom.”1

“No início da batalha final, ocorrerá um grande terremoto como parte da sétima praga. O terremoto destruirá a unidade de Babilônia e a dividirá em três partes (Ap 16:18, 19). A Babilônia do tempo do fim foi descrita como uma cidade, significando a breve união dos poderes políticos e religiosos do mundo em oposição ao povo de Deus. Essa unidade será destruída, causando a ruína da Babilônia do tempo do fim.”1

“Em Apocalipse 16:19, anuncia-se apenas o colapso político da Babilônia do tempo do fim. Os capítulos 17 e 18 revelam como essa queda ocorrerá. Antes de descrever a ruína da Babilônia do tempo do fim e os motivos de sua queda (Ap 17:12–18:24), em Apocalipse 17, descreve-se esse sistema religioso, dessa vez em termos de uma prostituta montada em uma besta escarlate. Em associação com suas filhas, a meretriz Babilônia seduz o mundo contra Deus (Ap 17:1-11).”1

Sábado, 16 de março de 2019. Saiba mais, ouça o Comentário em áudio da Lição da Escola Sabatina (LES) ou se preferir faça um Curso Bíblico.
_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. O livro do Apocalipse. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 495, jan. fev. mar. 2019. Adulto, Professor.