Uma nova criatura

Lições da Bíblia

“Tendo enfatizado a centralidade da cruz de Cristo para a vida cristã, Paulo destacou o segundo princípio fundamental da sua mensagem do evangelho: a justificação pela fé.”1

“Como vimos durante o trimestre, Paulo tinha basicamente colocado a circuncisão em oposição ao evangelho. No entanto, ele não era contra essa prática em si. Paulo havia feito várias declarações fortes contra a circuncisão (Gl 5:2-4), mas ele não queria que os gálatas concluíssem que ser incircunciso seria mais agradável a Deus do que ser circuncidado. Esse não era o seu argumento, porque as pessoas podem ser igualmente legalistas acerca do que fazem quanto acerca do que não fazem. Espiritualmente falando, a questão da circuncisão por si mesma é irrelevante. A verdadeira religião não está baseada no comportamento exterior, mas na condição do coração humano. Como o próprio Jesus disse, uma pessoa pode parecer maravilhosa por fora, mas estar espiritualmente podre por dentro! (Mt 23:27).”1

“4. De acordo com Gálatas 6:15 e 2 Coríntios 5:17, o que significa ser uma nova criatura?”1

Gálatas (6:15 ARA)2: “Pois nem a circuncisão é coisa alguma, nem a incircuncisão, mas o ser nova criatura.”. 2 Coríntios (5:17 ARA)2: “E, assim, se alguém está em Cristo, é nova criatura; as coisas antigas já passaram; eis que se fizeram novas.”.

“Ktisis é a palavra grega traduzida por ‘criatura’. Ela tanto podia se referir a uma ‘criatura’ individual (Hb 4:13) como a toda a ordem ‘criada’ (Rm 8:22). Em ambos os casos, a palavra implicava a ação de um Criador. Esse era o ponto que Paulo queria apresentar. Tornar-se uma ‘nova criatura’ não era algo que podia ser realizado por algum esforço humano – quer fosse a circuncisão, quer fosse qualquer outra coisa. Jesus Se referiu a esse processo como o ‘novo nascimento’ (Jo 3:5-8). É o ato divino em que Deus toma uma pessoa espiritualmente morta e sopra nela a vida espiritual. Essa é também mais uma metáfora para descrever o ato de salvação que Paulo geralmente definia como justificação pela fé.”1

“Paulo se referiu a essa experiência da nova criação em 2 Coríntios 5:17. Ele explicou que tornar-se uma nova criatura significa muito mais do que uma mudança em nosso status nos livros do Céu. Essa experiência produz uma transformação em nossa vida. Como observa Timothy George, ela ‘envolve todo o processo de conversão: a obra regeneradora do Espírito Santo que leva ao arrependimento e fé, o processo diário de mortificação e vivificação, e o crescimento na santidade, que por fim leva à semelhança com Cristo’ (Galatians [Gálatas], p. 438).”1

“Tornar-se uma nova criatura, no entanto, não é o que nos justifica. Em vez disso, essa mudança radical é a manifestação inequívoca da verdadeira experiência da justificação.”1

“Você percebeu em sua vida as mudanças que devem ocorrer quando nos tornamos ‘novas criaturas’? O que você pode fazer para facilitar a obra do Espírito Santo?”1

Quarta-feira, 27 de setembro de 2017. Saiba mais, ouça o Comentário em áudio  da Lição da Escola Sabatina (LES) ou se preferir faça um Curso Bíblico.
_______________
1 COSAERT, Carl. O evangelho em Gálatas. Lições da escola sabatina. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 489, Jul. Ago. Set. 2017. Adulto, Professor.
2 BÍBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

Renascido

Lições da Bíblia

“Em Cristo, temos nova vida, novo começo. Nascemos de novo. Para aqueles que aceitaram a Cristo na fase adulta, isso significa que eles viverão de maneira diferente a partir do encontro com Cristo. Quem já não ouviu histórias extraordinárias de pessoas que, depois de trilharem os caminhos do mundo, experimentaram uma transformação radical por causa de Jesus e de Sua graça salvadora?”1

“Depois de falar da morte para o eu e da nova vida que temos em Jesus, tendo sido batizados em Sua morte e ressurreição, Pedro falou sobre as mudanças que vivenciamos.”1

“3. Leia 1 Pedro 4:3-6. Que mudanças acontecem na vida de alguém que se entrega a Cristo? Como as outras pessoas reagem a essas mudanças? Assinale ‘V’ para verdadeiro ou ‘F’ para falso:”1

“3 Porque basta o tempo decorrido para terdes executado a vontade dos gentios, tendo andado em dissoluções, concupiscências, borracheiras, orgias, bebedices e em detestáveis idolatrias. 4 Por isso, difamando-vos, estranham que não concorrais com eles ao mesmo excesso de devassidão, 5 os quais hão de prestar contas àquele que é competente para julgar vivos e mortos; 6 pois, para este fim, foi o evangelho pregado também a mortos, para que, mesmo julgados na carne segundo os homens, vivam no espírito segundo Deus.” (1 Pedro 4:3-6 ARA).

A. ( ) Ele abandona a libertinagem, a sensualidade e as orgias. Os pagãos estranham o fato de não mais participarmos dessas coisas.
B. ( ) Ele abandona a bebedeira, a farra e a idolatria e acaba sendo insultado pelos que praticam tais coisas.

Resposta sugestiva: V; V.

“Os três termos que Pedro utilizou para se referir ao abuso do álcool são ‘borracheiras, orgias, bebedices’ (ou ‘bebedeiras, orgias e farras’, NVI; a ARC usa o termo ‘glutonarias’). Utilizando uma linguagem moderna, os dias de farra acabaram! Na verdade, de acordo com Pedro, a mudança que o cristão experimenta é tão grande que aqueles que o conheciam antes ‘acham estranho’ que ele não mais participe dessa mesma devassidão (1Pe 4:4). Assim, temos a oportunidade de testemunhar aos incrédulos sem ter que pregar. O testemunho de um cristão piedoso vale mais do que todos os sermões do mundo.”1

“4. O que Pedro disse nesses textos sobre o juízo? Complete as lacunas:”1

Contudo, eles terão que prestar contas Àquele que está pronto para julgar os vivos e os mortos. Por isso mesmo o foi pregado também a mortos, para que eles, mesmo julgados no segundo os homens, vivam pelo Espírito segundo Deus” (1Pe 4:5, 6, NVI).1

“Pedro deixou claro que um dia haverá um julgamento para as obras feitas ‘na carne’ (1Pe 4:2; compare com Jo 5:29; 2Co 5:10; Hb 9:27). Ao falar sobre a pregação do evangelho ‘também a mortos’ (1Pe 4:6), ele quis dizer que, mesmo no passado, as pessoas que agora estão mortas tiveram, quando estavam vivas, oportunidade de conhecer a graça de Deus. Portanto, o Senhor também pode julgá-las com justiça.”1

“Sua vida é diferente do que era antes de você ser cristão? Que diferença Jesus fez em sua vida?”1

Terça-feira, 25 de abril de 2017. Saiba mais, ouça o Comentário em áudio  da Lição da Escola Sabatina (LES) ou se preferir faça um Curso Bíblico.
_______________
1MCLVER, Robert K. Apascenta as Minhas ovelhas: 1 e 2 Pedro. Lições da escola sabatina. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 488, Abr. Mai. Jun. 2017. Adulto, Professor.
2 BIBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

Ser um praticante

Lições da Bíblia

“3. Leia Tiago 1:22. O grego apresenta a expressão ‘ser’ praticantes da Palavra. A mensagem teria sido diferente se Tiago tivesse dito simplesmente: ‘Pratique a Palavra’?”1 Tornai-vos, pois, praticantes da palavra e não somente ouvintes, enganando-vos a vós mesmos.” (Tiago 1:22 RA)2. “Muitos tentam fazer coisas e cumprir regras para ser salvos, mas Deus espera que sejamos salvos, para que sejamos praticantes da Palavra.”1

“Tiago combina ser e fazer. Ele não os separa, nem torna um mais importante do que o outro. Eles são como dois lados da mesma moeda, inseparáveis. Devemos ser praticantes. Além disso, o tempo verbal da palavra grega para ser, nesse caso, se refere a um contínuo estilo de vida de obediência, que se espera de nós agora, e não em algum tempo indefinido no futuro.”1

“O ponto é que devemos nos tornar novas pessoas no Senhor, e como resultado do que nos tornamos, fazemos as coisas que Deus nos manda fazer. Isso é algo muito diferente de apenas seguir regras (o que parece ter sido o problema com o jovem rico, como vimos na lição de ontem).”1

“4. Leia Lucas 6:27-38. Quais são algumas das ações que devemos praticar?”1 27 Digo-vos, porém, a vós outros que me ouvis: amai os vossos inimigos, fazei o bem aos que vos odeiam; 28 bendizei aos que vos maldizem, orai pelos que vos caluniam. 29 Ao que te bate numa face, oferece-lhe também a outra; e, ao que tirar a tua capa, deixa-o levar também a túnica; 30 dá a todo o que te pede; e, se alguém levar o que é teu, não entres em demanda. 31 Como quereis que os homens vos façam, assim fazei-o vós também a eles. 32 Se amais os que vos amam, qual é a vossa recompensa? Porque até os pecadores amam aos que os amam. 33 Se fizerdes o bem aos que vos fazem o bem, qual é a vossa recompensa? Até os pecadores fazem isso. 34 E, se emprestais àqueles de quem esperais receber, qual é a vossa recompensa? Também os pecadores emprestam aos pecadores, para receberem outro tanto. 35 Amai, porém, os vossos inimigos, fazei o bem e emprestai, sem esperar nenhuma paga; será grande o vosso galardão, e sereis filhos do Altíssimo. Pois ele é benigno até para com os ingratos e maus. 36 Sede misericordiosos, como também é misericordioso vosso Pai. 37 Não julgueis e não sereis julgados; não condeneis e não sereis condenados; perdoai e sereis perdoados; 38 dai, e dar-se-vos-á; boa medida, recalcada, sacudida, transbordante, generosamente vos darão; porque com a medida com que tiverdes medido vos medirão também.” (Lucas 6:27-38 RA)2. Amar o próximo sem restrições, fazendo o bem sem esperar nada em troca.

“‘Amai os vossos inimigos.’ ‘Dá a todo o que te pede.’ ‘Sede misericordiosos, como também é misericordioso vosso Pai’ (Lc 6:27, 30, 36). Parece impossível, não é mesmo? E é, se depender de nós. Amor como esse não vem naturalmente aos seres humanos pecadores. Por isso, Jesus continua falando acerca de dois diferentes tipos de árvores e o fruto que cada uma delas produz (Lc 6:43-45).”1

“Da mesma forma, em Gálatas 5, Paulo contrasta as obras da carne (Gl 5:19-21) com o fruto do Espírito (Gl 5:22, 23). É quase como se, quanto mais nos concentrarmos no fazer, piores nos tornamos, enquanto que, quando somos ‘guiados pelo Espírito’, produzimos um resultado totalmente diferente, o fruto do amor e obediência.”1

“Pense em um momento em que você fez algo simplesmente porque era exigido de você ou porque era uma regra que tinha que ser obedecida. Contraste isso com uma ocasião em que fez algo semelhante porque queria fazer, que fluía naturalmente por causa da presença de Cristo em seu coração. Como esse contraste nos ajuda a entender o assunto da lição de hoje?”1

Segunda-feira, 20 de outubro de 2014. Saiba mais, ouça o Comentário em áudio da Lição da Escola Sabatina (LES) ou se preferir faça um Curso Bíblico.

__________________

1 LIÇÕES da escola sabatina. Ensino de Jesus. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 478, Out. Nov. Dez. 2014. Adulto, Professor.

2 BIBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

Morrer para si mesmo todos os dias

Lições da Bíblia

“De maneira paradoxal, somente morrendo podemos verdadeiramente viver. Quando somos batizados, em princípio, morremos para nossa velha natureza e ressuscitamos para uma nova vida. Seria maravilhoso se o velho homem do pecado morresse de forma permanente quando somos sepultados sob as águas batismais. No entanto, mais cedo ou mais tarde, todos nós descobrimos que nossos hábitos e tendências do passado ainda estão vivos e lutam para recuperar o controle de nossa vida. Após o batismo, nossa velha natureza tem que ser morta constantemente. Por isso, Jesus associou a vida cristã à cruz.”1

“5. Qual é o significado de Lucas 9:23, 24?”1 “23 Dizia a todos: Se alguém quer vir após mim, a si mesmo se negue, dia a dia tome a sua cruz e siga-me. 24 Pois quem quiser salvar a sua vida perdê-la-á; quem perder a vida por minha causa, esse a salvará.” (Lucas 9:23-24)2. Quem segue a Jesus necessita negar a si mesmo fazendo a vontade dEle. O velho homem deve morrer para que o novo homem possa nascer. Embora que tenhamos que conviver com as duas naturezas até que sejamos restaurados plenamente por ocasião do segundo advento de Jesus.

“Muitos pensam que a cruz que precisam levar seja uma grave doença, circunstâncias desfavoráveis na vida, ou uma deficiência permanente. Ainda que todas essas coisas sejam difíceis, o significado das palavras de Jesus vai mais longe. Tomar nossa cruz significa negar a nós mesmos diariamente. Não apenas de vez em quando, mas todos os dias, não apenas uma parte de nós, mas todo o nosso ser.”1

“A vida cristã tem a forma de cruz. ‘Estou crucificado com Cristo; logo, já não sou eu quem vive, mas Cristo vive em mim’ (Gl 2:19, 20). No mundo antigo, as vítimas da crucificação não morriam imediatamente. Normalmente, elas agonizavam por muitas horas, às vezes vários dias, enquanto estavam penduradas no madeiro. Nossa velha natureza, embora crucificada, luta para sobreviver e descer da cruz.”1

“Não é fácil negar a nós mesmos. Nossa velha natureza persiste, nosso velho homem não quer morrer. Além disso, não podemos pregar-nos à cruz. ‘Ninguém pode esvaziar-se de si mesmo. Somente podemos consentir que Cristo execute a obra. Então, a linguagem da alma será: Senhor, toma meu coração; pois não o posso dar. É Tua propriedade. Conserva-o puro; pois não posso conservá-lo para Ti. Salva-me a despeito de mim mesmo, fraco e dessemelhante de Cristo. Molda-me, forma-me e eleva-me a uma atmosfera pura e santa, onde a rica corrente de Teu amor possa fluir por minha alma.”1

“‘Não é só no princípio da vida cristã que essa entrega do próprio eu deve ser feita. Deve ser renovada a cada passo dado em direção do Céu. […] Só podemos caminhar com segurança por uma constante negação de nós mesmos e confiança em Cristo’ (Ellen G. White, Parábolas de Jesus, p. 159, 160). Deve haver uma entrega diária ao Senhor.”1

“Quando foi a última vez em que você morreu para si mesmo? O que sua resposta lhe diz, especialmente à luz dos textos de hoje?”1

Quinta-feira, 07 de agosto de 2014. Saiba mais, ouça o Comentário em áudioda Lição da Escola Sabatina (LES) ou se preferir faça um Curso Bíblico.

__________________

1 LIÇÕES da escola sabatina. Ensino de Jesus. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 477, Jul. Ago. Set. 2014. Adulto, Professor.

2 BIBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

Nova vida em Cristo

Lições da Bíblia

“Só é possível nascer de novo por intermédio da obra do Espírito Santo. Jesus usou o fato de que a palavra grega pneuma significa tanto ‘espírito’ quanto ‘vento’, a fim de ilustrar o processo de conversão (Jo 3:8). O vento sopra. Nenhum de nós pode iniciá-lo, dirigi-lo nem impedi-lo. Seu grande poder está além do controle humano. Podemos apenas reagir a ele, aproveitando seu potencial para nosso benefício ou resistindo-o.”1

“Da mesma forma, o Espírito Santo está constantemente trabalhando no coração de cada ser humano, atraindo-o a Cristo. Ninguém tem controle sobre Seu grande poder para salvar e transformar. Podemos resistir a esse poder ou nos entregar a ele. Quando nos rendemos à Sua influência convincente, o Espírito Santo produz nova vida em nós.”1

“Existe uma forma de saber se experimentamos o novo nascimento? Sim. O Espírito atua de modo invisível, mas os resultados de Sua atividade são visíveis. As pessoas ao nosso redor saberão que Jesus criou um novo coração em nós. O Espírito sempre produz uma demonstração exterior da transformação interior que Ele realiza. Como Jesus disse: ‘Pelos seus frutos os conhecereis’ (Mt 7:20).”1

“’A nova vida em Cristo não é remendada com algumas reformas externas. Não é um melhoramento ou modificação da antiga vida, mas uma transformação completa’ (Ellen G. White, O Desejado de Todas as Nações, p. 172).”1

“2. O que os textos a seguir nos dizem sobre o que o novo nascimento realiza em nós?” “5 não por obras de justiça praticadas por nós, mas segundo sua misericórdia, ele nos salvou mediante o lavar regenerador e renovador do Espírito Santo, 6 que ele derramou sobre nós ricamente, por meio de Jesus Cristo, nosso Salvador, 7 a fim de que, justificados por graça, nos tornemos seus herdeiros, segundo a esperança da vida eterna.” (Tito 3:5-7 RA); “E, assim, se alguém está em Cristo, é nova criatura; as coisas antigas já passaram; eis que se fizeram novas.” (2 Coríntios 5:17 RA); “Pois nem a circuncisão é coisa alguma, nem a incircuncisão, mas o ser nova criatura.” (Gálatas 6:15 RA). O novo nascimento faz parte da obra redentora que Deus realiza em nós. É uma regeneração, mediante a justiça e graça de nosso Senhor Jesus Cristo, que torna pecadores em novas criaturas segundo o propósito de Deus.

“Mediante o Espírito Santo, Cristo nos concede novos pensamentos, sentimentos e motivos. Desperta nossa consciência, muda nossa mente, subjuga todo desejo impuro e nos enche com a doce paz do Céu. Embora a mudança não aconteça de imediato, com o tempo, nos tornamos novas criaturas em Jesus. Precisamos nascer de novo, porque viemos ao mundo na condição de injustos diante de Deus.”1

“Medite nas suas últimas 24 horas. Até que ponto as pessoas perceberam Cristo em suas palavras, atitudes e ações? Ore sobre traços de caráter que ainda precisam ser modelados pelo Espírito Santo.”1

Segunda-feira, 04 de agosto de 2014. Saiba mais, ouça o Comentário em áudioda Lição da Escola Sabatina (LES) ou se preferir faça um Curso Bíblico.

__________________

1 LIÇÕES da escola sabatina. Ensino de Jesus. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 477, Jul. Ago. Set. 2014. Adulto, Professor.

2 BIBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

Nascer de novo

Lições da Bíblia

“Um cristão zeloso confrontou uma senhora participante da política e perguntou a ela: ‘Você já nasceu de novo?’ Irritada com o que considerava uma questão pessoal, ela respondeu: “Deu certo na primeira vez, muito obrigado.”1

“Embora pensemos dessa forma, considerando nossa natureza decaída, nosso primeiro nascimento não é suficiente, pelo menos no que se refere à vida eterna. Para isso, precisamos ‘nascer de novo’.”1

“1. Leia o diálogo de Jesus com Nicodemos em João 3:1-15. Como Jesus explicou o que significava nascer de novo?”1 “1 Havia, entre os fariseus, um homem chamado Nicodemos, um dos principais dos judeus. 2 Este, de noite, foi ter com Jesus e lhe disse: Rabi, sabemos que és Mestre vindo da parte de Deus; porque ninguém pode fazer estes sinais que tu fazes, se Deus não estiver com ele. 3 A isto, respondeu Jesus: Em verdade, em verdade te digo que, se alguém não nascer de novo, não pode ver o reino de Deus. 4 Perguntou-lhe Nicodemos: Como pode um homem nascer, sendo velho? Pode, porventura, voltar ao ventre materno e nascer segunda vez? 5 Respondeu Jesus: Em verdade, em verdade te digo: quem não nascer da água e do Espírito não pode entrar no reino de Deus. 6 O que é nascido da carne é carne; e o que é nascido do Espírito é espírito. 7 Não te admires de eu te dizer: importa-vos nascer de novo. 8 O vento sopra onde quer, ouves a sua voz, mas não sabes donde vem, nem para onde vai; assim é todo o que é nascido do Espírito. 9 Então, lhe perguntou Nicodemos: Como pode suceder isto? Acudiu Jesus: 10 Tu és mestre em Israel e não compreendes estas coisas? 11 Em verdade, em verdade te digo que nós dizemos o que sabemos e testificamos o que temos visto; contudo, não aceitais o nosso testemunho. 12 Se, tratando de coisas terrenas, não me credes, como crereis, se vos falar das celestiais? 13 Ora, ninguém subiu ao céu, senão aquele que de lá desceu, a saber, o Filho do Homem [que está no céu]. 14 E do modo por que Moisés levantou a serpente no deserto, assim importa que o Filho do Homem seja levantado, 15 para que todo o que nele crê tenha a vida eterna.” (João 3:1-15 RA)2. Jesus em Sua resposta a Nicodemos destaca que o novo nascimento deve ocorrer de forma dupla, da água e do Espírito. A obra do Espírito Santo é semelhante ao vento, é sentida no entanto não sabemos como de fato ocorre. Essa obra pode levar pouco ou muito tempo, no entanto quando permitimos que o Espírito Santo trabalhe em nosso coração somos transformados e nascemos de novo.

“Sem dúvida, Nicodemos, um mestre em Israel, conhecia as Escrituras do Antigo Testamento, que falam sobre a necessidade de um “novo coração” e a disposição de Deus para criá-lo em nós (Sl 51:10; Ez 36:26). Jesus explicou a Nicodemos essa verdade e como isso pode acontecer.”1

“O diálogo registrado por João termina com as palavras de Jesus. Não há resposta de Nicodemos. Ele provavelmente tivesse ido para casa imerso em profundas reflexões. Silenciosamente, o Espírito Santo atuou em seu coração e, três anos mais tarde, ele estava pronto para se tornar publicamente discípulo de Cristo.”1

“O fato de que é necessário nascer de novo mostra, sem dúvida, que nosso nascimento anterior é insuficiente do ponto de vista espiritual. O novo nascimento deve ser duplo: da água e do Espírito. À luz do ministério de João Batista, Nicodemos facilmente entendeu que nascer da água se referia ao batismo com água.”1

“O que ele também precisava saber era que, nascer do Espírito é a renovação do coração pelo Espírito Santo.”1

“Existem semelhanças entre o nascimento físico e o espiritual. Ambos marcam o início de uma vida nova. Além disso, não produzimos nem um dos dois nascimentos por nós mesmos. Existe também uma diferença importante entre eles: não tivemos oportunidade de decidir se nasceríamos fisicamente, mas podemos aceitar nascer espiritualmente. Só os que decidem livremente permitir que o Espírito Santo gere uma nova vida espiritual dentro deles nascem de novo. Deus respeita nossa liberdade e, ainda que esteja ansioso para nos transformar, Ele não muda o nosso coração à força.”1

“Pense na sua conversão. Não importa se foi por meio de circunstâncias dramáticas ou por um processo longo e imperceptível de transformação. Como você experimentou o novo nascimento?”1

“Participe do projeto ‘Reavivados por Sua Palavra’: acesse o site http://reavivadosporsuapalavra.org/”1

Domingo, 03 de agosto de 2014. Saiba mais, ouça o Comentário em áudioda Lição da Escola Sabatina (LES) ou se preferir faça um Curso Bíblico.

__________________

1 LIÇÕES da escola sabatina. Ensino de Jesus. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 477, Jul. Ago. Set. 2014. Adulto, Professor.

2 BIBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

Encontro noturno – […] se alguém não nascer de novo, não pode ver o reino de Deus.” (João 3:3).

Lições da Bíblia.

“Pessoas ricas, famosas e bem situadas na vida não intimidavam Jesus. Cristo não Se ressentia nem Se curvava perante a elite social. O Salvador reconhecia que a prosperidade financeira não podia proporcionar paz, contentamento, relacionamentos significativos nem propósitos profundos. O mais rico magnata podia facilmente estar mais solitário, vazio e irritado do que o mais simples, pobre e humilde cristão.”1

“2. Qual foi a mensagem central de Cristo a Nicodemos? (Jo 3:1-15). Que eventos despertaram o interesse de Nicodemos em Cristo? (Sugestão: leia o capítulo 2:13-25). O que foi representado pelas trevas da noite?”1 “Havia, entre os fariseus, um homem chamado Nicodemos, um dos principais dos judeus. Este, de noite, foi ter com Jesus e lhe disse: Rabi, sabemos que és Mestre vindo da parte de Deus; porque ninguém pode fazer estes sinais que tu fazes, se Deus não estiver com ele. A isto, respondeu Jesus: Em verdade, em verdade te digo que, se alguém não nascer de novo, não pode ver o reino de Deus. Perguntou-lhe Nicodemos: Como pode um homem nascer, sendo velho? Pode, porventura, voltar ao ventre materno e nascer segunda vez? Respondeu Jesus: Em verdade, em verdade te digo: quem não nascer da água e do Espírito não pode entrar no reino de Deus. O que é nascido da carne é carne; e o que é nascido do Espírito é espírito. Não te admires de eu te dizer: importa-vos nascer de novo. O vento sopra onde quer, ouves a sua voz, mas não sabes donde vem, nem para onde vai; assim é todo o que é nascido do Espírito. Então, lhe perguntou Nicodemos: Como pode suceder isto? Acudiu Jesus: Tu és mestre em Israel e não compreendes estas coisas? Em verdade, em verdade te digo que nós dizemos o que sabemos e testificamos o que temos visto; contudo, não aceitais o nosso testemunho. Se, tratando de coisas terrenas, não me credes, como crereis, se vos falar das celestiais? Ora, ninguém subiu ao céu, senão aquele que de lá desceu, a saber, o Filho do Homem [que está no céu]. E do modo por que Moisés levantou a serpente no deserto, assim importa que o Filho do Homem seja levantado, para que todo o que nele crê tenha a vida eterna.” (João 3:1-15 RA)2; “Estando próxima a Páscoa dos judeus, subiu Jesus para Jerusalém. E encontrou no templo os que vendiam bois, ovelhas e pombas e também os cambistas assentados; tendo feito um azorrague de cordas, expulsou todos do templo, bem como as ovelhas e os bois, derramou pelo chão o dinheiro dos cambistas, virou as mesas e disse aos que vendiam as pombas: Tirai daqui estas coisas; não façais da casa de meu Pai casa de negócio. Lembraram-se os seus discípulos de que está escrito: O zelo da tua casa me consumirá. Perguntaram-lhe, pois, os judeus: Que sinal nos mostras, para fazeres estas coisas? Jesus lhes respondeu: Destruí este santuário, e em três dias o reconstruirei. Replicaram os judeus: Em quarenta e seis anos foi edificado este santuário, e tu, em três dias, o levantarás? Ele, porém, se referia ao santuário do seu corpo. Quando, pois, Jesus ressuscitou dentre os mortos, lembraram-se os seus discípulos de que ele dissera isto; e creram na Escritura e na palavra de Jesus. Estando ele em Jerusalém, durante a Festa da Páscoa, muitos, vendo os sinais que ele fazia, creram no seu nome; mas o próprio Jesus não se confiava a eles, porque os conhecia a todos. E não precisava de que alguém lhe desse testemunho a respeito do homem, porque ele mesmo sabia o que era a natureza humana.” (João 2:13-25 RA)2. A principal mensagem de Cristo a Nicodemos foi a necessidade de um novo nascimento, ele necessitava ser uma nova criatura como o resultado da obra o Espírito Santo em seu coração. Nicodemos ficou impressionado com a ação de Jesus quando expulsou cambista e comerciantes do templo. E estava atento aos milagres que Jesus fazia, ele mesmo disse ao próprio Cisto: “[…] porque ninguém pode fazer estes sinais que tu fazes, se Deus não estiver com ele.” (Jo 3:2 RA)2. Mesmo convencido da origem divina dos milagres de Jesus, Nicodemos o procurou a noite demostra sua pobreza espiritual.

“Nicodemos havia testemunhado o poder e a autoridade de Deus revelados no ministério de Jesus, e procurou se encontrar secretamente com Ele. Jesus poderia ter recusado essa proposta, mas, não querendo que ninguém perecesse, prontamente aceitou a oportunidade de fazer com que Nicodemos desse mais um passo rumo ao reino. A pobreza de Nicodemos era espiritual, não material. Embora rico dos bens deste mundo e de elevada posição social, ele estava faminto espiritualmente. Instintivamente, Nicodemos se revoltou contra qualquer sugestão de que israelitas instruídos como ele necessitassem de conversão. Porém, Jesus insistiu apresentando a ele a escolha eterna entre o juízo e a salvação. Temendo a denúncia e o ridículo, Nicodemos se recusou a aceitar o convite de Cristo. A entrevista aparentemente havia fracassado. Entretanto, aquela semente espiritual ficou plantada, germinando lentamente sob o solo de seu coração.”1

"Depois da ascensão do Senhor, quando os discípulos foram dispersos pela perseguição, Nicodemos tomou ousadamente a dianteira. Empregou sua fortuna na manutenção da igreja em seu início, que os judeus haviam esperado fosse extirpada com a morte de Cristo. No tempo de perigo aquele que haviam sido tão cauteloso e duvidoso, mostrou-se firme como a rocha, animando a fé dos discípulos, e fornecendo meios para levar avante a obra do evangelho. Foi desdenhado e perseguido pelos que lhe haviam tributado reverência em outros tempos. Tornou-se pobre em bens deste mundo; todavia, não vacilou na fé que tivera seu início naquela conferência noturna com Jesus"3

“Os ricos convertidos desempenharam importante papel no sustento do movimento cristão primitivo, mas a maior parte das dádivas foram feitas com sacrifício pessoal. Você acredita que Deus o chamou para dedicar seus recursos à Sua obra?”1

Vamos orar hoje pela unidade cristã. É algo bíblico e real!

Segunda-feira, 17 de fevereiro de 2014. Saiba mais, ouça o Comentário em áudio da Lição da Escola Sabatina (LES) ou se preferir faça um Curso Bíblico.

__________________

1 LIÇÕES da escola sabatina. Discipulado. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 475, Jan. Fev. Mar. 2013. Adulto, Professor, p. 96

2 BÍBLIA. Português. Bíblia Sagrada. Nova versão internacional. São Paulo: Sociedade Bíblica Internacional, 2003.

3 WHITE, Ellen Gould. O desejado de todas as nações. Tradução de Isolina A Waldvogel. 22. ed. São Paulo: Casa Publicadora Brasileira, 2004. p. 177