Um mundo pleno

Lições da Bíblia

“É fácil sentir saudades do Éden. Nas breves descrições do jardim que Deus criou como lar para Adão e Eva, há algo que desperta saudade e desejo em nosso coração. Podemos não entender como esse mundo funcionava, mas sentimos que gostaríamos de experimentá-lo.”1

“Parece que Deus também teve o sentimento de satisfação e plenitude: ‘Viu Deus tudo quanto tinha feito, e eis que era muito bom’ (Gn 1:31). Deus fez algo ao mesmo tempo belo e funcional. O projeto era extraordinário, tanto na forma quanto na praticidade. Era cheio de vida e cor, mas também repleto de tudo que era necessário para que a vida florescesse. Não é de admirar que Deus continuasse parando para refletir e expressar que o mundo que Ele estava criando era bom.”1

“2. Leia Gênesis 1. O que significa a repetida declaração de que ‘Deus viu que era bom’? Veja Gn 1:4, 10, 12, 18, 25, 31”1

Gênesis (1:4, 10, 12, 18, 25, 31 ARA)2:

4 E viu Deus que a luz era boa; e fez separação entre a luz e as trevas. […] 10 À porção seca chamou Deus Terra e ao ajuntamento das águas, Mares. E viu Deus que isso era bom. […] 12 A terra, pois, produziu relva, ervas que davam semente segundo a sua espécie e árvores que davam fruto, cuja semente estava nele, conforme a sua espécie. E viu Deus que isso era bom. […] 18 para governarem o dia e a noite e fazerem separação entre a luz e as trevas. E viu Deus que isso era bom. […] 25 E fez Deus os animais selváticos, segundo a sua espécie, e os animais domésticos, conforme a sua espécie, e todos os répteis da terra, conforme a sua espécie. E viu Deus que isso era bom. […] 31 Viu Deus tudo quanto fizera, e eis que era muito bom. Houve tarde e manhã, o sexto dia.”

“Embora escrita inteiramente após a queda, a Bíblia está repleta de celebrações do mundo natural, como em Jó 38 a 41 e Salmo 148. Devemos lembrar que essas celebrações não foram escritas como um vislumbre do mundo em sua forma original antes do pecado; elas foram escritas no tempo verbal presente, celebrando a bondade que ainda é evidente em nosso mundo.”1

“Jesus também extraiu do mundo natural exemplos da bondade e do cuidado de Deus (veja, por exemplo, Mt 6:26, 28-30 [‘26 Observai as aves do céu: não semeiam, não colhem, nem ajuntam em celeiros; contudo, vosso Pai celeste as sustenta. Porventura, não valeis vós muito mais do que as aves? […] 28 E por que andais ansiosos quanto ao vestuário? Considerai como crescem os lírios do campo: eles não trabalham, nem fiam. 29 Eu, contudo, vos afirmo que nem Salomão, em toda a sua glória, se vestiu como qualquer deles. 30 Ora, se Deus veste assim a erva do campo, que hoje existe e amanhã é lançada no forno, quanto mais a vós outros, homens de pequena fé?]2), recomendando nossa confiança Nele e a apreciação das simples dádivas que nos deixam admirados. Se abrirmos nossos olhos e observarmos as grandezas da criação, poderemos ver que somos verdadeiramente os recebedores dos maravilhosos presentes do Criador. Nossa resposta, mesmo em meio às provações, deve ser de gratidão e humilde entrega.”1

“Como adventistas do sétimo dia – que celebram a criação e esperam o futuro reino de Deus – devemos perceber que as belezas, alegrias e bondade que vemos e experimentamos no mundo são vislumbres do que nosso mundo já foi e do que ele será novamente.”1

“Em sua experiência com o mundo natural, o que você mais aprecia quanto às maravilhas da criação? Como você pode conhecer melhor o Senhor por meio dessas obras divinas?”1

Segunda-feira, 01 de julho de 2019. Saiba mais, faça um Curso Bíblico

_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. “Mesus pequeninos irmãos”: servindo aos necessitados. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 496, jul. ago. set. 2019. Adulto, Professor. 
2 BÍBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

Deus: um vislumbre da criação

Lições da Bíblia

“Este mundo e a vida que há nele; a vida das pessoas ao redor e o modo como interagimos com elas; nossa própria vida e a melhor maneira de vivê-la – tudo começa com Deus, porque ‘Nele vivemos, e nos movemos, e existimos’ (At 17:28).”1

“Eis o início da história bíblica: ‘No princípio criou Deus os céus e a Terra’ (Gn 1:1). O fato de que Ele chamou a Terra à existência por Sua palavra mostra um poder e um processo que nem podemos começar a imaginar.”1

“No entanto, Deus não criou à distância; Ele estava intimamente envolvido especialmente no que diz respeito à criação do primeiro ser humano (veja Gn 2:7).”1

“1. Leia a história da criação dos primeiros seres humanos em Gênesis 1:26–31. Quais coisas importantes esse relato revela sobre Deus? E sobre as pessoas?”1

Gênesis (1:26–31 ARA):

“26 Também disse Deus: Façamos o homem à nossa imagem, conforme a nossa semelhança; tenha ele domínio sobre os peixes do mar, sobre as aves dos céus, sobre os animais domésticos, sobre toda a terra e sobre todos os répteis que rastejam pela terra. 27 Criou Deus, pois, o homem à sua imagem, à imagem de Deus o criou; homem e mulher os criou. 28 E Deus os abençoou e lhes disse: Sede fecundos, multiplicai-vos, enchei a terra e sujeitai-a; dominai sobre os peixes do mar, sobre as aves dos céus e sobre todo animal que rasteja pela terra. 29 E disse Deus ainda: Eis que vos tenho dado todas as ervas que dão semente e se acham na superfície de toda a terra e todas as árvores em que há fruto que dê semente; isso vos será para mantimento. 30 E a todos os animais da terra, e a todas as aves dos céus, e a todos os répteis da terra, em que há fôlego de vida, toda erva verde lhes será para mantimento. E assim se fez. 31 Viu Deus tudo quanto fizera, e eis que era muito bom. Houve tarde e manhã, o sexto dia.”

A. (   ) Deus criou a Terra de maneira ordenada e designou o homem, feito à Sua semelhança, para cuidar de todas as outras criaturas e viver em harmonia com elas.
B. (   ) Deus criou por meio da evolução, visto que não há ordem em Sua criação.

Resposta sugestiva: Alternativa A.

“Dizem que aprendemos muito sobre Deus quando passamos tempo na natureza, observando Sua criação e vendo nela aspectos do caráter do Criador. Mas também podemos ter vislumbres de como Ele criou o mundo quando examinamos nossa compreensão do próprio Deus. Por exemplo, se o Senhor é um Deus de ordem, devemos encontrar ordem em Sua criação. Ou se cremos que o Senhor é criativo, não devemos nos surpreender ao encontrar exemplos incríveis de criatividade no mundo que Ele criou.”1

“De maneira semelhante, cremos que o Senhor é um Ser social e, portanto, consideramos os relacionamentos um elemento central na maneira pela qual Deus criou o mundo. Cada elemento do mundo foi criado em conexão com o restante da criação. Ele criou animais em harmonia relacional. Ele criou os seres humanos em um relacionamento com Ele mesmo, com os outros e com o restante da criação.”1

“Embora nossa compreensão de Deus seja limitada em muitos aspectos, o que podemos aprender de Seu caráter deve nos levar a reconsiderar como o mundo deveria ser.”1

“É útil ver o mundo como um reflexo do caráter de Deus, mesmo com a evidente devastação causada pelo pecado?”1

Domingo, 30 de junho de 2019. Saiba mais, faça um Curso Bíblico

_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. “Mesus pequeninos irmãos”: servindo aos necessitados. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 496, jul. ago. set. 2019. Adulto, Professor.
2 BÍBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

Criação e queda – Estudo adicional

Lições da Bíblia

Assista em vídeo a discussão do tema da semana.

Estudo adicional

Leia, de Ellen G. White, “A Criação”, p. 44-51, e “A Vocação de Abraão”, p. 125-131, em Patriarcas e Profetas.

“O propósito original de Deus na criação da humanidade também é refletido nas instituições da família (Gn 2:21-24) e do sábado. O sábado foi planejado para todo ser humano, como Jesus indicou em Marcos 2:27, 28. Sua natureza universal é vista no próprio relato de Gênesis, quando Deus separou o sétimo dia, não apenas antes do chamado de Israel como povo da aliança, mas antes da introdução do pecado. Que poderosa força unificadora o sábado poderia ter sido se todas as pessoas o tivessem guardado! Deus pretendia que o dia de descanso lembrasse os descendentes de Adão e Eva de seu elo comum com Ele e uns com os outros. ‘O sábado e a família foram, semelhantemente, instituídos no Éden, e no propósito de Deus se acham indissoluvelmente ligados um ao outro. Nesse dia, mais do que em qualquer outro, podemos viver a vida do Éden. Era o plano de Deus que os membros da família se associassem no trabalho e estudo, no culto e recreação, sendo o pai o sacerdote da casa, e pai e mãe os professores e companheiros dos filhos’ (Ellen G. White, Orientação da Criança, p. 535).”1

Perguntas para discussão

“1. Como o relato de Gênesis sobre a criação da mulher a partir da costela de Adão revela o íntimo elo que deve existir entre marido e mulher? Por que a Bíblia usa a imagem de um marido e uma esposa como exemplo da proximidade que Deus busca com Seu povo?”1

“2. Embora a história da Torre de Babel revele que a diversidade étnica e linguística não fazia parte do plano original de Deus para a humanidade, como podemos transcender essas divisões naturais hoje? Como a igreja ainda pode experimentar unidade e harmonia, mesmo que seja composta por pessoas de muitas nações e idiomas?”1

“Resumo: O plano de Deus na criação era que a humanidade vivesse harmoniosamente e em unidade. A desobediência causou uma interrupção no plano divino. No entanto, o Senhor chamou Abraão para estabelecer um povo por meio do qual Ele pudesse manter viva a promessa de restauração encontrada apenas em Cristo.”1

Sexta-feira, 05 de outubro de 2018. Saiba mais, ouça o Comentário em áudio da Lição da Escola Sabatina (LES) ou se preferir faça um Curso Bíblico.
_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. Unidade em Cristo. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 494, out. nov. dez. 2018. Adulto, Professor.

Criação e queda

Lições da Bíblia

Então, [Deus] conduziu [Abraão] até fora e disse: Olha para os céus e conta as estrelas, se é que o podes. E lhe disse: Será assim a tua posteridade. Ele creu no Senhor, e isso lhe foi imputado para justiça” (Gn 15:5, 6).1

“A história do povo de Deus começa com a criação do homem e sua queda trágica no pecado. Toda tentativa de compreender a natureza da unidade na igreja deve começar com o plano original de Deus na criação e, em seguida, com a necessidade de restauração após a queda.”1

“Os primeiros capítulos da Bíblia revelam que o plano de Deus era que a humanidade continuasse a ser uma família. Infelizmente, essa unidade foi rompida após a tragédia do pecado. Com o pecado surgiram as raízes da desunião e da divisão e, em grande medida, as consequências terríveis da desobediência. Temos um indício dessa divisão na interação imediata entre Adão e Eva, quando Deus Se aproximou deles pela primeira vez depois de terem comido do fruto da árvore proibida (veja Gn 3:11). Portanto, dentre todas as outras coisas a serem cumpridas pelo plano da salvação, a restauração dessa unidade original também é um objetivo fundamental.”1

“Abraão, o pai do povo de Deus, tornou-se uma peça-chave no divino plano da salvação. Ele é descrito nas Escrituras como o grande exemplo de ‘justificação pela fé’ (veja Rm 4:1-5), o tipo de fé que une o povo de Deus uns com os outros e com o próprio Senhor. Deus trabalha por meio de pessoas para restaurar a unidade e fazer com que Sua vontade seja conhecida pela humanidade perdida.”1

Sábado, 29 de setembro de 2018. Saiba mais, ouça o Comentário em áudio da Lição da Escola Sabatina (LES) ou se preferir faça um Curso Bíblico.
_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. Unidade em Cristo. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 494, out. nov. dez. 2018. Adulto, Professor.

O Espírito Santo na criação

Lições da Bíblia

“A primeira grande obra de Deus neste planeta foi sua criação. A Bíblia menciona claramente Deus (Gn 1:1) como Autor da criação. Jesus Cristo também é mencionado como Criador (Cl 1:16, 17) do céu, da Terra e de tudo o que, de fato, foi feito (Jo 1:1-3). No entanto, a Bíblia também menciona a presença do Espírito Santo na obra da criação.”1

“2. Leia Gênesis 1:2; Jó 26:13; 33:4; Salmo 33:6; 104:29, 30. Qual foi a função do Espírito Santo na criação? Qual é a relação entre o Espírito de Deus e a criação da vida? Complete as lacunas:”1

A terra, porém, estava sem forma e vazia; havia trevas sobre a face do abismo, e o Espírito de Deus pairava por sobre as águas.” (Gênesis 1:2 ARA)2. “Pelo seu sopro aclara os céus, a sua mão fere o dragão veloz.” (Jó 26:13 ARA)2. “O Espírito de Deus me fez, e o sopro do Todo-Poderoso me dá vida.” (Jó 33:4 ARA)2. “Os céus por sua palavra se fizeram, e, pelo sopro de sua boca, o exército deles.” (Salmo 33:6 ARA)2. “29 Se ocultas o rosto, eles se perturbam; se lhes cortas a respiração, morrem e voltam ao seu pó. 30 Envias o teu Espírito, eles são criados, e, assim, renovas a face da terra.” (Salmo 104:29, 30 ARA)2.

“O Espírito Santo pairava sobre a face das águas na criação. É Ele quem dá o fôlego de vida à matéria inanimada. Ele vivifica o nosso corpo.”1

“A história da criação, em Gênesis 1:2, menciona a presença do Espírito de Deus. Jó 26:13 e 33:4; Salmo 33:6e 104:29, 30 endossam o papel ativo do Espírito Santo na criação sobrenatural da Terra. Embora a Bíblia se refira claramente a Deus Pai e Seu Filho, Jesus Cristo, como Aqueles que atuaram na criação do mundo (veja Is 64:8; [‘Mas agora, ó SENHOR, tu és nosso Pai, nós somos o barro, e tu, o nosso oleiro; e todos nós, obra das tuas mãos.’]2 Cl 1:16, 17 [‘16 pois, nele, foram criadas todas as coisas, nos céus e sobre a terra, as visíveis e as invisíveis, sejam tronos, sejam soberanias, quer principados, quer potestades. Tudo foi criado por meio dele e para ele. 17 Ele é antes de todas as coisas. Nele, tudo subsiste.’]2), o Espírito Santo também esteve presente, embora de maneira mais sutil.”1

“Ele não aparece como protagonista na história da Criação. Em vez disso, Ele ‘pairava’ sobre o vazio e, por meio de Seu movimento, esteve presente na origem da vida na Terra. A palavra hebraica (merahepeth) empregada em Gênesis 1:2 para ‘mover-se sobre’ ou ‘pairar’ sobre a superfície da Terra é a mesma utilizada em Deuteronômio 32:11, onde Deus é comparado a uma águia que paira sobre sua ninhada. O Espírito Santo estava intimamente envolvido na criação da vida na Terra; Ele cuidou dos seres vivos recém-criados como uma águia cuida de seus filhotes. O Salmo 104:30 sugere que o ato da criação só foi possível pela atuação do Espírito Santo e que Ele desempenhou um papel ativo durante esse processo.”1

“O Espírito Santo não esteve presente apenas na criação deste mundo. Ele também tem participação ativa no processo da nossa recriação, na qual Ele nos dá um novo coração e um novo espírito. Como essas duas coisas estão relacionadas? O que o sábado nos revela sobre essa obra de criação e recriação?”1

Segunda-feira, 09 de janeiro de 2017. Saiba mais, ouça o Comentário em áudio  da Lição da Escola Sabatina (LES) ou se preferir faça um Curso Bíblico.

_______________
1HASEL, Frank. O Espírito Santo e a espiritualiadade. Lições da escola sabatina. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 487, Jan. Fev. Mar. 2017. Adulto, Professor.

2 BIBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

Nada surgiu de si mesmo

Lições da Bíblia

“Há muitos argumentos bons e poderosos em favor da existência de Deus. Além do testemunho da criação, existe igualmente o que chamamos de argumento ‘cosmológico’. Basicamente, ele descreve a seguinte ideia: nada surgiu de si mesmo e nada se criou. Em vez disso, o que foi criado, foi feito por alguma coisa que já existia antes, e o que já existia antes teve que ser criado por algo que o antecedeu; e assim por diante, até que nos deparamos com alguém não criado, alguém que sempre existiu, isto é, alguém que nunca foi inexistente. E quem seria esse alguém senão o Deus descrito nas Escrituras?”

3. O que os seguintes textos ensinam sobre a origem de todas as coisas?

Ap 4:11 “Tu és digno, Senhor e Deus nosso, de receber a glória, a honra e o poder, porque todas as coisas tu criaste, sim, por causa da tua vontade vieram a existir e foram criadas.” (Apocalipse 4:11 ARA)2.

Cl 1:16, 17 “16 pois, nele, foram criadas todas as coisas, nos céus e sobre a terra, as visíveis e as invisíveis, sejam tronos, sejam soberanias, quer principados, quer potestades. Tudo foi criado por meio dele e para ele. 17 Ele é antes de todas as coisas. Nele, tudo subsiste.” (Colossense 1:16, 17 ARA)2.

Jo 1:1-3 “1 No princípio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus. 2 Ele estava no princípio com Deus. 3 Todas as coisas foram feitas por intermédio dele, e, sem ele, nada do que foi feito se fez.” (João 1:1-3 ARA)2.

Por meio de Jesus Cristo, Deus criou todas as coisas e todos os seres vivos, por Sua vontade e poder. Por isso, Ele merece toda honra e glória.1

“Esses textos mostram a explicação mais lógica para a Criação: um Deus que sempre existiu. Alguns pensadores, completamente hostis à ideia de Deus, apresentam uma sugestão alternativa. Em lugar de um Deus onipotente e eterno como Criador do Universo, eles dizem que tudo foi criado pelo ‘nada’. Até mesmo um cientista famoso como Stephen Hawking, que atualmente ocupa a posição que um dia pertenceu a Isaac Newton, defende que o ‘nada’ criou o Universo.”

“‘Visto que existe uma lei como a da gravidade, o Universo pode e vai se criar do nada’ – Stephen Hawking e Leonard Mlodinow, The Grand Design (Nova York: Random House, 2010), p. 180.”1

“Embora Hawking certamente tenha muitos cálculos matemáticos complicados e profundos para descrever sua ideia, fica a pergunta: aqui estamos nós, a uns 400 anos desde o início da revolução científica, e um dos melhores cientistas do mundo argumenta que o Universo e tudo o que nele há vieram ‘do nada’? Erro é erro, mesmo quando proferido por um grande cientista.”1

“Nesse contexto, leia 1 Coríntios 3:19 [‘Porque a sabedoria deste mundo é loucura diante de Deus; porquanto está escrito: Ele apanha os sábios na própria astúcia deles.’]2. Por que é importante que os cristãos mantenham sempre diante de si essa relevante verdade?”1

Segunda-feira, 17 de outubro de 2016. Saiba mais, ouça o Comentário em áudio  da Lição da Escola Sabatina (LES) ou se preferir faça um Curso Bíblico.
__________________
1 LIÇÕES da escola sabatina. O livro de Jó. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 486, Out. Nov. Dez. 2016. Adulto, Professor.

2 BIBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

Nota: As ofertas apresentadas em forma de anúncios junto de nossas publicações são de responsabilidade da plataforma de hospedagem deste blog. Isso ocorre por termos optado pela modalidade de hospedagem gratuita.

O privilégio do domínio

Lições da Bíblia

“2. Qual é o ‘domínio’ que os seres humanos deviam ter sobre a Terra? Gn 1:26-28”1

“26 Também disse Deus: Façamos o homem à nossa imagem, conforme a nossa semelhança; tenha ele domínio sobre os peixes do mar, sobre as aves dos céus, sobre os animais domésticos, sobre toda a terra e sobre todos os répteis que rastejam pela terra. 27 Criou Deus, pois, o homem à sua imagem, à imagem de Deus o criou; homem e mulher os criou. 28 E Deus os abençoou e lhes disse: Sede fecundos, multiplicai-vos, enchei a terra e sujeitai-a; dominai sobre os peixes do mar, sobre as aves dos céus e sobre todo animal que rasteja pela terra.” (Gênesis 1:26-28 ARA)2.

Governar a Terra e suas criaturas; administrar a natureza, proteger o meio ambiente e, ao lado dos seres criados, adorar o Criador.”1

“Apalavra bíblica ‘domínio’ vem do verbo hebraico radah. Essa palavra indica direito e responsabilidade de governar. Implica, nesse contexto, uma hierarquia de poder e autoridade, na qual a humanidade está posicionada acima do restante do mundo natural. Embora o verbo radah, de acordo com seu uso no Antigo Testamento, não defina como esse domínio devia ser exercido, o contexto de uma criação inocente e perfeita mostra que a intenção deve ter sido um domínio de natureza benevolente.”1

“Conclusões semelhantes podem ser extraídas a respeito da ordem de sujeitar a Terra em Gênesis 1:28. O verbo sujeitar, do hebraico kavash, também retrata um relacionamento hierárquico no qual os seres humanos estão colocados acima da Terra e recebem poder para controlá-la. Em outras partes do Antigo Testamento o verbo kavash é ainda mais enfático do que radah, e descreve o ato literal de subjugar, de forçar outra pessoa a ocupar uma posição subordinada (Nm 32:22, 29 [‘22 e a terra estiver subjugada perante o SENHOR, então, voltareis e sereis desobrigados perante o SENHOR e perante Israel; e a terra vos será por possessão perante o SENHOR. […] 29 e disse-lhes: Se os filhos de Gade e os filhos de Rúben passarem convosco o Jordão, armado cada um para a guerra, perante o SENHOR, e a terra estiver subjugada diante de vós, então, lhes dareis em possessão a terra de Gileade;’]2; Jr 34:11, 16 [‘11 Mas depois se arrependeram, e fizeram voltar os servos e as servas que haviam despedido forros, e os sujeitaram por servos e por servas. […] 16 mudastes, porém, e profanastes o meu nome, fazendo voltar cada um o seu servo e cada um, a sua serva, os quais, deixados à vontade, já tínheis despedido forros, e os sujeitastes, para que fossem vossos servos e servas.’]2; Et 7:8 [‘Tornando o rei do jardim do palácio à casa do banquete do vinho, Hamã tinha caído sobre o divã em que se achava Ester. Então, disse o rei: Acaso, teria ele querido forçar a rainha perante mim, na minha casa? Tendo o rei dito estas palavras, cobriram o rosto de Hamã.’]2; Ne 5:5 [‘No entanto, nós somos da mesma carne como eles, e nossos filhos são tão bons como os deles; e eis que sujeitamos nossos filhos e nossas filhas para serem escravos, algumas de nossas filhas já estão reduzidas à escravidão. Não está em nosso poder evitá-lo; pois os nossos campos e as nossas vinhas já são de outros.’]2). Em muitos desses casos, fica evidente o abuso de poder e Deus expressa Seu desagrado com isso. Mas, novamente, tendo em vista o contexto da história da Criação, de um casal sem pecado criado à imagem de Deus para governar a Terra, essa sujeição poderia ser caracterizada somente como um serviço benevolente que os seres humanos prestariam à criação, como representantes do Criador. Certamente, isso não consistiria numa exploração.”1

“Encontramos uma dimensão adicional desse conceito de domínio em Gênesis 2:15, quando Deus colocou Adão no jardim para cultivá-lo (abad – trabalhar, servir, lavrar) e guardá-lo (shamar – cercar, guardar, proteger, cuidar, olhar atentamente, vigiar, preservar, considerar, reservar).”1

“Tendo isso em mente, descobrimos que domínio é administração ou governo cuidadoso e amoroso. Em seu relacionamento com Deus, nossos primeiros pais tinham todos os recursos e a autoridade de que precisavam para exercer seu domínio, que deveria refletir o amor de Deus por Sua criação.”1

“Embora a palavra ‘domínio’ tenha conotações negativas, não era esse o caso quando ela foi usada pela primeira vez na Bíblia. Quais princípios aprendemos com o uso desse termo antes do pecado? Como podemos aplicá-los aos nossos relacionamentos com coisas ou pessoas sobre as quais temos ‘domínio’?”1

Segunda-feira, 04 de julho de 2016. Saiba mais, ouça o Comentário em áudio  da Lição da Escola Sabatina (LES) ou se preferir faça um Curso Bíblico.
__________________
1 LIÇÕES da escola sabatina. O papel da igreja na comunidade. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 485, Jul. Ago. Set. 2016. Adulto, Professor.

2 BIBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.