Sofrimento, Jesus e salvação

Lições da Bíblia

“1. Leia as seguintes passagens e escreva o que cada uma revela sobre a salvação:”1

1Pe 1:2 – “eleitos, segundo a presciência de Deus Pai, em santificação do Espírito, para a obediência e a aspersão do sangue de Jesus Cristo, graça e paz vos sejam multiplicadas.2

1Pe 1:8, 9 – “8 a quem, não havendo visto, amais; no qual, não vendo agora, mas crendo, exultais com alegria indizível e cheia de glória, 9 obtendo o fim da vossa fé: a salvação da vossa alma.2

1Pe 1:18, 19 –  “18 sabendo que não foi mediante coisas corruptíveis, como prata ou ouro, que fostes resgatados do vosso fútil procedimento que vossos pais vos legaram,  19 mas pelo precioso sangue, como de cordeiro sem defeito e sem mácula, o sangue de Cristo,2

1Pe 2:22-25 –  “22 o qual não cometeu pecado, nem dolo algum se achou em sua boca;  23 pois ele, quando ultrajado, não revidava com ultraje; quando maltratado, não fazia ameaças, mas entregava-se àquele que julga retamente,  24 carregando ele mesmo em seu corpo, sobre o madeiro, os nossos pecados, para que nós, mortos para os pecados, vivamos para a justiça; por suas chagas, fostes sarados.  25 Porque estáveis desgarrados como ovelhas; agora, porém, vos convertestes ao Pastor e Bispo da vossa alma.2

1Pe 3:18 – “Pois também Cristo morreu, uma única vez, pelos pecados, o justo pelos injustos, para conduzir-vos a Deus; morto, sim, na carne, mas vivificado no espírito,2

“Quando Pedro mencionava a salvação, geralmente apresentava esse tema no contexto do sofrimento de Cristo como Substituto dos pecadores. Por exemplo, em 1 Pedro 2:22-24, ao escrever sobre o sofrimento de Jesus, ele utilizou uma linguagem que refletia Isaías 53:5, 6, 9. ‘Carregando Ele mesmo em Seu corpo, sobre o madeiro, os nossos pecados […] por Suas chagas, fostes sarados’ (1Pe 2:24). Essa passagem revela os conceitos de substituição e sacrifício.”1

“Em muitos dos sacrifícios descritos no Antigo Testamento, os pecadores traziam suas ofertas ao templo e impunham as mãos sobre elas. Esse ato transferia simbolicamente o pecado do pecador para o animal, que então morria em seu lugar (Lv 4:29, 30, 33, 34; 14:10-13). A impureza do pecado acumulada sobre o altar era purificada e removida no Dia da Expiação (Lv 16:16-19).”1

“O sangue do sacrifício desempenhava função muito importante na expiação do pecado. Os cristãos foram remidos pelo precioso sangue de Jesus (1Pe 1:18, 19). Paulo também expressou a mesma ideia de substituição ao dizer que Cristo, que não conheceu o pecado, tornou-Se pecado por nós (2Co 5:21). De acordo com 1 Pedro 3:18, Jesus sofreu pelos pecados, o Justo pelos injustos.”1

“Assim como Paulo (Rm 3:21, 22), Pedro enfatizou a necessidade de fé. Ele declarou: ‘Ao qual, não O havendo visto, amais […] alcançando o fim da vossa fé, a salvação da alma’ (1Pe 1:8, 9, ARC). A salvação não é obtida mediante o comportamento piedoso, mas concedida quando cremos no que Jesus fez por nós e O aceitamos como Salvador pessoal. Nossa garantia se encontra nEle, não em nós mesmos.”1

“Por que Jesus, como nosso Substituto, é nossa grande esperança de salvação? Como essa maravilhosa verdade nos conforta?”1

Domingo, 18 de junho de 2017. Saiba mais, ouça o Comentário em áudio  da Lição da Escola Sabatina (LES) ou se preferir faça um Curso Bíblico.
_______________
1 MCLVER, Robert K. Apascenta as Minhas ovelhas: 1 e 2 Pedro. Lições da escola sabatina. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 488, Abr. Mai. Jun. 2017. Adulto, Professor.
2 BIBLÍA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

Sofrendo por Cristo – Estudo adicional

Lições da Bíblia
Estudo adicional
“O estudo de domingo abordou a perseguição enfrentada pelos cristãos. Eis aqui um trecho mais completo da carta escrita ao imperador Trajano sobre o sofrimento dos cristãos nos primeiros séculos: […] O método que tenho adotado em relação àqueles que foram denunciados a mim como cristãos é este: Eu os interrogo e pergunto se eles são, de fato, cristãos. Se confessam, repito a pergunta mais duas vezes, acrescentando a ameaça da pena capital. Se eles ainda assim perseveram, ordeno que sejam executados. Seja qual for a natureza de seu credo, ao menos posso ter a certeza de que a rebelião e a inflexível obstinação merecem castigo.”1

“‘Os que negam ser ou que afirmam nunca ter sido cristãos; que repetem comigo uma invocação aos deuses; que oferecem adoração às tuas imagens com o vinho e o incenso encomendados para esse propósito, e que finalmente amaldiçoam a Cristo (diz-se que nenhum dos verdadeiros cristãos podem ser forçados a realizar esses atos) – esses, julgo adequado libertar. Outros que foram delatados por aquele informante, primeiramente confessaram-se cristãos, mas depois negaram. Realmente, eles foram daquela fé, porém a abandonaram há cerca de três anos, outros há muitos anos e alguns até havia vinte e cinco anos. Todos eles adoraram a tua estátua e as imagens dos deuses, e amaldiçoaram a Cristo’ (William Heinemann – Plínio Letters [As cartas de Plínio], Londres: 1915; v. 2, p. 401-403).”1

Perguntas para reflexão

  1. “Qual foi o principal problema enfrentado pelos cristãos, como revelado nessa carta impressionante? Que paralelos podemos traçar com o que acontecerá nos últimos dias, conforme revelado na terceira mensagem angélica de Apocalipse 14:9-12? Quais são algumas questões fundamentais no grande conflito?”1
  2. “‘Os que honram a lei de Deus têm sido acusados de acarretar juízos sobre o mundo, e serão considerados como a causa das terríveis convulsões da natureza, da contenda e carnificina entre os homens, coisas que estão enchendo a Terra de pavor. O poder que acompanha a última advertência enfureceu os ímpios; sua cólera acende-se contra todos os que receberam a mensagem, e Satanás incitará à maior intensidade ainda o espírito de ódio e perseguição’ (Ellen G. White, O Grande Conflito, p. 614, 615). Embora não saibamos quando tudo isso acontecerá, devemos estar sempre prontos para enfrentar oposição por causa de nossa fé, independentemente de como ela venha. Qual é o segredo para estarmos preparados?”1
Sexta-feira, 05 de maio de 2017. Saiba mais, ouça o Comentário em áudio  da Lição da Escola Sabatina (LES) ou se preferir faça um Curso Bíblico.
_______________
1MCLVER, Robert K. Apascenta as Minhas ovelhas: 1 e 2 Pedro. Lições da escola sabatina. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 488, Abr. Mai. Jun. 2017. Adulto, Professor.

O sofrimento e o exemplo de Cristo

Lições da Bíblia

“2. De acordo com 1 Pedro 3:13-22, qual deve ser a reação dos cristãos para com aqueles que os fazem sofrer por sua fé? Qual é a relação entre os sofrimentos de Jesus e as aflições enfrentadas pelos cristãos por causa de sua fé?”1

“13 Ora, quem é que vos há de maltratar, se fordes zelosos do que é bom? 14 Mas, ainda que venhais a sofrer por causa da justiça, bem-aventurados sois. Não vos amedronteis, portanto, com as suas ameaças, nem fiqueis alarmados; 15 antes, santificai a Cristo, como Senhor, em vosso coração, estando sempre preparados para responder a todo aquele que vos pedir razão da esperança que há em vós, 16 fazendo-o, todavia, com mansidão e temor, com boa consciência, de modo que, naquilo em que falam contra vós outros, fiquem envergonhados os que difamam o vosso bom procedimento em Cristo, 17 porque, se for da vontade de Deus, é melhor que sofrais por praticardes o que é bom do que praticando o mal. 18 Pois também Cristo morreu, uma única vez, pelos pecados, o justo pelos injustos, para conduzir-vos a Deus; morto, sim, na carne, mas vivificado no espírito, 19 no qual também foi e pregou aos espíritos em prisão, 20 os quais, noutro tempo, foram desobedientes quando a longanimidade de Deus aguardava nos dias de Noé, enquanto se preparava a arca, na qual poucos, a saber, oito pessoas, foram salvos, através da água, 21 a qual, figurando o batismo, agora também vos salva, não sendo a remoção da imundícia da carne, mas a indagação de uma boa consciência para com Deus, por meio da ressurreição de Jesus Cristo; 22 o qual, depois de ir para o céu, está à destra de Deus, ficando-lhe subordinados anjos, e potestades, e poderes.” (1 Pedro 3:13-22 ARA)2.

“Ao dizer: ‘Ainda que venhais a sofrer por causa da justiça, bem-aventurados sois’ (1Pe 3:14), Pedro estava apenas ecoando as palavras de Jesus: ‘Bem-aventurados os perseguidos por causa da justiça’ (Mt 5:10). Em seguida, o apóstolo declarou que os cristãos não deveriam temer aqueles que os atacavam, mas santificar (reverenciar) a Cristo como Senhor em seu coração (1Pe 3:15). Reafirmar Jesus em seu coração os ajudaria a acabar com o medo que tinham de seus opositores.”1

“Em seguida, Pedro recomendou aos cristãos que estivessem sempre aptos a explicar, de maneira atrativa, com mansidão e temor, a esperança que possuíam (‘temor’ às vezes é traduzido como ‘reverência’; veja 1Pe 3:15, 16).”1

“Pedro insistiu que os cristãos não dessem às pessoas motivo para acusá-los. Eles deveriam manter a consciência limpa (1Pe 3:16). Assim, seus acusadores seriam envergonhados por sua vida irrepreensível.”1

“Não há mérito em sofrer por ser malfeitor (1Pe 3:17). O sofrimento por causa do bem, por fazer o que é certo, faz a diferença crucial. ‘Se for da vontade de Deus, é melhor que sofrais por praticardes o que é bom do que praticando o mal’ (1Pe 3:17).”1

“Por fim, Pedro usou o exemplo de Jesus. O próprio Cristo sofreu por Sua justiça. A santidade e pureza de Seu caráter eram uma reprovação constante àqueles que O odiavam. Se houve alguém que sofreu por fazer o bem e não o mal, esse foi Jesus.”1

“Porém, Seu sofrimento também proveu o único meio de salvação. Ele morreu no lugar dos pecadores (‘o Justo pelos injustos’ [1Pe 3:18]), para que aqueles que nEle creem tenham a promessa da vida eterna.”1

“Você já sofreu por fazer o que é certo? Qual foi a experiência? O que aprendeu sobre o significado de ser cristão e refletir o caráter de Cristo?”1

Fortaleça sua experiência com Deus. Acesse o site reavivados.org/

Segunda-feira, 01 de maio de 2017. Saiba mais, ouça o Comentário em áudio  da Lição da Escola Sabatina (LES) ou se preferir faça um Curso Bíblico.

_______________

1MCLVER, Robert K. Apascenta as Minhas ovelhas: 1 e 2 Pedro. Lições da escola sabatina. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 488, Abr. Mai. Jun. 2017. Adulto, Professor.

2 BIBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

Sofrendo por Cristo

Lições da Bíblia

Introdução ao tema da Lição desta semana e comentários do autor.

Para isto mesmo fostes chamados, pois que também Cristo sofreu em vosso lugar, deixando-vos exemplo para seguirdes os Seus passos” (1Pe 2:21).1

“Ébem conhecida a história da perseguição nos primeiros séculos do cristianismo. A própria Bíblia, especialmente o livro de Atos, dá vislumbres do que aguardava a igreja. A perseguição e o sofrimento eram uma nítida realidade na vida dos cristãos a quem Pedro escreveu.”1

“No primeiro capítulo, Pedro declarou: ‘Nisso vocês exultam, ainda que agora, por um pouco de tempo, devam ser entristecidos por todo tipo de provação. Assim acontece para que fique comprovado que a fé que vocês têm, muito mais valiosa do que o ouro que perece, mesmo que refinado pelo fogo, é genuína e resultará em louvor, glória e honra, quando Jesus Cristo for revelado’ (1Pe 1:6, 7, NVI). Perto do fim de sua carta, Pedro tratou dessa mesma ideia: ‘Ora, o Deus de toda a graça, que em Cristo vos chamou à Sua eterna glória, depois de terdes sofrido por um pouco, Ele mesmo vos há de aperfeiçoar, firmar, fortificar e fundamentar’ (1Pe 5:10).”1

“Nessa breve epístola de Pedro, há pelo menos três extensas passagens bíblicas que tratam do sofrimento de seus leitores por causa de Cristo (1Pe 2:18-25; 3:13-21; 4:12-19). Por isso, seja como for, o sofrimento causado pela perseguição é um assunto importante em 1 Pedro. Esse será o tema do nosso estudo desta semana.”1

Promova em sua igreja a leitura do livro missionário Em busca de esperança. Planeje reuniões para a leitura do livro até o dia 27 de maio, quando realizaremos o Impacto Esperança.

Sábado, 29 de abril de 2017. Saiba mais, ouça o Comentário em áudio  da Lição da Escola Sabatina (LES) ou se preferir faça um Curso Bíblico.
_______________
1MCLVER, Robert K. Apascenta as Minhas ovelhas: 1 e 2 Pedro. Lições da escola sabatina. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 488, Abr. Mai. Jun. 2017. Adulto, Professor.

Mais do que espinhos e cardos

Lições da Bíblia

“Como todos sabemos, e alguns sabem muito bem, a vida é dura. No Éden, logo após a queda, quando o Senhor mostrou aos nossos primeiros pais alguns resultados da transgressão, foram dados alguns indícios de como a vida seria difícil (veja Gn 3:16-24 [‘16 E à mulher disse: Multiplicarei sobremodo os sofrimentos da tua gravidez; em meio de dores darás à luz filhos; o teu desejo será para o teu marido, e ele te governará. 17 E a Adão disse: Visto que atendeste a voz de tua mulher e comeste da árvore que eu te ordenara não comesses, maldita é a terra por tua causa; em fadigas obterás dela o sustento durante os dias de tua vida. 18 Ela produzirá também cardos e abrolhos, e tu comerás a erva do campo. 19 No suor do rosto comerás o teu pão, até que tornes à terra, pois dela foste formado; porque tu és pó e ao pó tornarás. 20 E deu o homem o nome de Eva a sua mulher, por ser a mãe de todos os seres humanos. 21 Fez o SENHOR Deus vestimenta de peles para Adão e sua mulher e os vestiu. 22 Então, disse o SENHOR Deus: Eis que o homem se tornou como um de nós, conhecedor do bem e do mal; assim, que não estenda a mão, e tome também da árvore da vida, e coma, e viva eternamente. 23 O SENHOR Deus, por isso, o lançou fora do jardim do Éden, a fim de lavrar a terra de que fora tomado. 24 E, expulso o homem, colocou querubins ao oriente do jardim do Éden e o refulgir de uma espada que se revolvia, para guardar o caminho da árvore da vida.’]). No entanto, foram apenas sinais. Afinal de contas, se os únicos desafios que enfrentássemos na vida fossem os espinhos e cardos, a vida seria radicalmente diferente de como é hoje.”1

“Olhamos ao redor, e o que vemos senão sofrimento, doença, pobreza, guerra, crime, depressão, poluição e injustiça? Heródoto, historiador da antiguidade, escreveu sobre uma cultura em que as pessoas lamentavam – sim, queixavam-se quando um bebê nascia, porque conheciam a dor e o sofrimento inevitável que a criança teria que enfrentar se ela atingisse a idade adulta. Parece doentio, mas quem pode refutar tal lógica?”1

“No livro de Jó, porém, há uma mensagem sobre a condição humana. Como vimos, o patriarca poderia ser considerado um símbolo de toda a humanidade, no sentido de que todos nós sofremos, muitas vezes de maneiras que simplesmente não parecem justas nem adequadas em relação aos pecados que tenhamos cometido. Não foi justo para Jó e não é justo para nós.”1

“Contudo, em meio a tudo isso, o livro de Jó nos ensina que Deus está conosco. Ele sabe. Ele afirma que tudo isso não precisa ser em vão.”1

“Escritores seculares e ateus têm dificuldade para aceitar a insignificância de uma vida que sempre termina em morte. Eles lutam e se esforçam para obter respostas, porém, não chegam a lugar algum, pois esta vida não oferece nada. Há uma filosofia ateísta chamada niilismo, que vem de uma palavra latina, nihil, cujo significado é ‘nada’. O niilismo ensina que nosso mundo e nossa vida não significam nada.”1

“O livro de Jó, no entanto, mostra uma realidade transcendente, além do nihil com o qual nossa vida mortal nos intimida. O livro nos mostra Deus e uma esfera de existência da qual podemos obter esperança. Ele nos diz que tudo o que acontece conosco não acontece no ‘vácuo’, mas existe um Deus que sabe tudo o que ocorre e que promete consertar as coisas no final. Sejam quais forem as grandes perguntas que o livro de Jó deixa sem resposta, ele não nos deixa apenas com as cinzas de nossa vida (veja Gn 3:19 [‘No suor do rosto comerás o teu pão, até que tornes à terra, pois dela foste formado; porque tu és pó e ao pó tornarás.’]; Jó 2:8 [‘Jó, sentado em cinza, tomou um caco para com ele raspar-se.’] ). Em vez disso, ele nos dá a grande esperança de algo além do que é apresentado aos nossos sentidos.”1

“Quais textos bíblicos afirmam explicitamente que temos uma grande esperança que transcende tudo o que este mundo oferece? (Veja, por exemplo, Hb 11:10 [‘porque aguardava a cidade que tem fundamentos, da qual Deus é o arquiteto e edificador.’]; Ap 21:2 [‘Vi também a cidade santa, a nova Jerusalém, que descia do céu, da parte de Deus, ataviada como noiva adornada para o seu esposo.’]).”1

Quarta-feira, 28 de dezembro de 2016. Saiba mais, ouça o Comentário em áudio  da Lição da Escola Sabatina (LES) ou se preferir faça um Curso Bíblico.
__________________
1 LIÇÕES da escola sabatina. O livro de Jó. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 486, Out. Nov. Dez. 2016. Adulto, Professor.

2 BIBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

Os sofrimentos do Filho do Homem

Lições da Bíblia

“7. Leia Isaías 53:1-6. O que esse texto nos diz sobre os sofrimentos do Senhor na cruz?”1

“1 Quem creu em nossa pregação? E a quem foi revelado o braço do SENHOR? 2 Porque foi subindo como renovo perante ele e como raiz de uma terra seca; não tinha aparência nem formosura; olhamo-lo, mas nenhuma beleza havia que nos agradasse. 3 Era desprezado e o mais rejeitado entre os homens; homem de dores e que sabe o que é padecer; e, como um de quem os homens escondem o rosto, era desprezado, e dele não fizemos caso. 4 Certamente, ele tomou sobre si as nossas enfermidades e as nossas dores levou sobre si; e nós o reputávamos por aflito, ferido de Deus e oprimido. 5 Mas ele foi traspassado pelas nossas transgressões e moído pelas nossas iniqüidades; o castigo que nos traz a paz estava sobre ele, e pelas suas pisaduras fomos sarados. 6 Todos nós andávamos desgarrados como ovelhas; cada um se desviava pelo caminho, mas o SENHOR fez cair sobre ele a iniqüidade de nós todos.” (Isaías 23:1-6 ARA)2.

“Isaías 53:4 diz que Jesus levou as nossas enfermidades e as nossas dores. Isso também inclui as enfermidade e as dores de Jó; e não apenas as de Jó, mas de todo o mundo. Foi pelo pecado de todos os seres humanos que já viveram que Jesus morreu na cruz.”1

“Portanto, é somente na cruz que o livro de Jó pode ser colocado na perspectiva correta. Na cruz, vemos o mesmo Deus que havia Se revelado a Jó. Ali, o Deus que ensina a águia a voar e liga os quarks aos prótons e nêutrons sofreu mais do que qualquer ser humano já sofreu ou pode sofrer, até mesmo Jó. As enfermidades e dores que individualmente experimentamos, Ele assumiu de maneira coletiva. Ninguém, então, pode Lhe dar lições sobre sofrimento, pois Ele, em Sua humanidade, tomou sobre Si o peso de todo o sofrimento que o pecado espalhou ao redor do globo. Conhecemos apenas nossas próprias enfermidades e dores; na cruz, Jesus experimentou todas elas.”1

“O Deus que perguntou a Jó: ‘Sabes tu as ordenanças dos céus, podes estabelecer a sua influência sobre a Terra?’ (Jó 38:33) tornou-Se ainda mais incrível quando nos damos conta de que, embora Ele tenha criado ‘as ordenanças dos céus’, Ele também tomou sobre Si a natureza humana e nela morreu para que ‘destruísse aquele que tem o poder da morte, a saber, o diabo’ (Hb 2:14).”1

“O livro de Jó faz mais sentido se for contemplado através da cruz do que sem ela, pois a cruz responde muitas questões que o livro deixa sem resposta. E eis a maior questão de todas: Teria sido justo Deus estar no Céu, enquanto Jó, na Terra, era forçado a sofrer a fim de refutar as acusações de Satanás? A cruz nos mostra que, não importando quanto Jó ou qualquer outro ser humano tenha sofrido neste mundo, nosso Senhor voluntariamente sofreu muito mais do que qualquer um de nós poderia sofrer. Tudo isso foi feito para que tivéssemos a esperança e a promessa da salvação.”

“Jó considerava Deus como Criador. Depois da cruz, nós O vemos como Criador e Redentor, ou precisamente, o Criador que se tornou nosso Redentor (Fp 2:6-8). Para que isso fosse possível, Ele teve que sofrer pelo pecado de um modo que nenhum outro ser humano, inclusive Jó, sofreria ou seria capaz de sofrer. Portanto, como Jó, o que podemos fazer diante de tal cena, senão exclamar: ‘Por isso, me abomino e me arrependo no pó e na cinza’? (Jó 42:6).”1

Quarta-feira, 14 de dezembro de 2016. Saiba mais, ouça o Comentário em áudio  da Lição da Escola Sabatina (LES) ou se preferir faça um Curso Bíblico.
__________________
1 LIÇÕES da escola sabatina. O livro de Jó. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 486, Out. Nov. Dez. 2016. Adulto, Professor.

2 BIBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

Destinos injustos

Lições da Bíblia

“3. Leia Jó 15:14-16. Que verdade Elifaz apresentou a Jó? Assinale a alternativa correta:”1

“14 Que é o homem, para que seja puro? E o que nasce de mulher, para ser justo? 15 Eis que Deus não confia nem nos seus santos; nem os céus são puros aos seus olhos, 16 quanto menos o homem, que é abominável e corrupto, que bebe a iniqüidade como a água!” (Jó 15:14-16 ARA)2.

A. (   ) Todo sofrimento é fruto dos nossos pecados.

B. (   ) Não podemos esperar nada de Deus, pois Ele é justo, e nós, pecadores.

C. (   ) Todos os homens nascidos de mulher são pecadores, injustos e corruptos.

D. (   ) Deus perdoaria os pecados de Jó, se ele somente os confessasse.

Resposta: Alternativa C

“Novamente Elifaz falou a verdade, assim como os outros amigos haviam falado, dessa vez, porém, a respeito da pecaminosidade de todo ser humano. O pecado é uma realidade universal da vida na Terra, assim como o sofrimento. E, como também sabemos, no fim das contas todo sofrimento é resultado do pecado. Além disso, não há dúvidas de que Deus pode usar o sofrimento para nos ensinar lições importantes. ‘Deus sempre tem provado Seu povo na fornalha da aflição. É no calor da fornalha que a escória se separa do verdadeiro ouro do caráter cristão’ (Patriarcas e Profetas, p. 129).”1

“Há, porém, um problema mais profundo com relação ao sofrimento. O que dizer das vezes em que não vemos benefício algum como resultado do sofrimento? E quanto ao sofrimento dos que não tiveram, em seu caráter, a escória separada do ouro, pois foram mortos instantaneamente? O que dizer dos que sofrem sem conhecer o Deus verdadeiro ou qualquer coisa a Seu respeito? E as pessoas cujos sofrimentos apenas as tornaram amargas, furiosas e revoltadas com Deus? Não podemos ignorar esses exemplos nem tentar colocá-los numa fórmula simples. Fazer isso talvez nos tornasse culpados dos mesmos erros cometidos pelos acusadores de Jó.”1

“Independentemente das lições que Jó e seus acusadores pudessem aprender, e da derrota que Satanás enfrentaria mediante a fidelidade de Jó, o destino dessas outras pessoas certamente não parece justo. O fato é que essas coisas não são justas, nem razoáveis ou corretas.”1

“Enfrentamos desafios semelhantes hoje. Uma criança de seis anos morre de câncer. Isso é justo? Uma universitária de vinte anos é tirada à força de seu carro e abusada sexualmente. Isso é justo? Uma mulher de trinta e cinco anos, mãe de três filhos, morre em um acidente automobilístico. Isso é justo? O que dizer dos 19 mil japoneses mortos no terremoto de 2011? Todos eles eram culpados de alguma coisa, para que aquele terremoto fosse considerado uma punição justa? Se não, essas mortes também não foram justas.”1

“Essas são questões difíceis.”1

Terça-feira, 15 de novembro de 2016. Saiba mais, ouça o Comentário em áudio  da Lição da Escola Sabatina (LES) ou se preferir faça um Curso Bíblico.
__________________
1 LIÇÕES da escola sabatina. O livro de Jó. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 486, Out. Nov. Dez. 2016. Adulto, Professor.

2 BIBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.