O tempo de espera

Lições da Bíblia

“6. Leia Daniel 12:5-13. Como o livro foi concluído?”

Daniel 12:5-13 (ARA): “5 Então, eu, Daniel, olhei, e eis que estavam em pé outros dois, um, de um lado do rio, o outro, do outro lado. 6 Um deles disse ao homem vestido de linho, que estava sobre as águas do rio: Quando se cumprirão estas maravilhas? 7 Ouvi o homem vestido de linho, que estava sobre as águas do rio, quando levantou a mão direita e a esquerda ao céu e jurou, por aquele que vive eternamente, que isso seria depois de um tempo, dois tempos e metade de um tempo. E, quando se acabar a destruição do poder do povo santo, estas coisas todas se cumprirão. 8 Eu ouvi, porém não entendi; então, eu disse: meu senhor, qual será o fim destas coisas? 9 Ele respondeu: Vai, Daniel, porque estas palavras estão encerradas e seladas até ao tempo do fim. 10 Muitos serão purificados, embranquecidos e provados; mas os perversos procederão perversamente, e nenhum deles entenderá, mas os sábios entenderão. 11 Depois do tempo em que o sacrifício diário for tirado, e posta a abominação desoladora, haverá ainda mil duzentos e noventa dias. 12 Bem-aventurado o que espera e chega até mil trezentos e trinta e cinco dias. 13 Tu, porém, segue o teu caminho até ao fim; pois descansarás e, ao fim dos dias, te levantarás para receber a tua herança.

“Curiosamente, a cena final ocorre no rio Tigre, o lugar da última importante visão de Daniel (Dn 10:4). No entanto, a palavra usada aqui não é a palavra hebraica comum para rio, mas o termo ye’or, que geralmente designa o rio Nilo. Isso nos lembra do Êxodo e mostra que, assim como o Senhor libertou Israel do Egito, Ele libertará o Seu povo no tempo do fim.”

“Três cronogramas proféticos foram apresentados. O primeiro deles (‘um tempo, dois tempos e metade de um tempo’) responde à pergunta: ‘Quando se cumprirão estas maravilhas?’ (Dn 12:6). As ‘maravilhas’ se referem às coisas descritas na visão de Daniel 11, que são uma elaboração de Daniel 7 e 8. Mais especificamente, esse período de tempo foi mencionado em Daniel 7:25 e depois em Apocalipse 11:3; Ap 12:6, Ap 14 e Ap 13:5. Ele também corresponde aos 1.260 anos de supremacia papal, que se estenderam de 538 d.C. a 1798 d.C. E Daniel 11:32-35 se refere à mesma perseguição sem mencionar sua duração.”

Os outros dois períodos de tempo, 1.290 e 1.335 dias, respondem a uma pergunta feita pelo próprio Daniel ao homem vestido de linho: ‘Qual será o fim destas coisas?’ (Dn 12:8). E ambos começam com a remoção do ‘sacrifício diário’ e o estabelecimento da ‘abominação desoladora’. Na lição sobre Daniel 8, descobrimos que o sacrifício ‘diário’ se refere à intercessão contínua de Cristo, que foi substituída por um sistema falsificado de adoração. Portanto, esse período profético deve começar em 508 d.C., quando Clovis, rei dos francos, converteu-se à fé católica. Esse importante evento preparou o caminho para a união entre Igreja e Estado, que prevaleceu ao longo da Idade Média. Assim, os 1.290 dias terminaram em 1798, quando o papa foi preso sob a autoridade do imperador francês Napoleão. E os 1.335 dias, o último período profético mencionado em Daniel, terminaram em 1843. Essa foi a época do movimento Milerita e do estudo renovado das profecias bíblicas. Foi um tempo de espera e esperança no retorno iminente de Jesus.

Ao longo de todo o livro de Daniel, vemos duas coisas: o povo de Deus sendo perseguido e, por fim, sendo justificado e salvo. Como essa realidade pode nos ajudar a permanecer fiéis, independentemente de nossas provações imediatas?

Existe algo que está distraindo você, desviando-o do caminho do Céu? Prazeres, faltas dos outros, riquezas, etc.?

Quinta-feira, 26 de março de 2020. Saiba mais, faça um Curso Bíblico

_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. Daniel. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 499, jan. fev. mar. 2020. Adulto, Professor. 
2 BÍBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

Vivendo a esperança do advento – Estudo adicional

Lições da Bíblia

Textos de Ellen G. White: Atos dos Apóstolos, p. 309-322 (“Chamado a Mais Elevada Norma”); O Grande Conflito, p. 653-661 (“Será Desolada a Terra”).

“Quando a voz de Deus põe fim ao cativeiro de Seu povo, há um terrível despertar daqueles que tudo perderam no grande conflito da vida. Enquanto perdurou o tempo da graça, estiveram cegos pelos enganos de Satanás e desculpavam sua conduta de pecado. Os ricos se orgulhavam de sua superioridade sobre aqueles que eram menos favorecidos; mas obtiveram suas riquezas transgredindo a lei de Deus. Negligenciaram alimentar o faminto, vestir o nu, tratar com justiça e amar a misericórdia. […] Venderam-se em troca das riquezas e gozos terrestres e não procuraram enriquecer para com Deus. O resultado é que sua vida foi um fracasso; seus prazeres se transformaram em amargura, seus tesouros em corrupção” (Ellen G. White, O Grande Conflito, p. 654).1

“O grande conflito terminou. Pecado e pecadores não mais existem. O Universo inteiro está purificado. Uma única palpitação de harmonioso júbilo vibra por toda a vasta criação. Daquele que tudo criou emanam vida, luz e alegria por todos os domínios do espaço infinito. Desde o minúsculo átomo até ao maior dos mundos, todas as coisas, animadas e inanimadas, em sua serena beleza e perfeito gozo, declaram que Deus é amor” (O Grande Conflito, p. 678).1

Perguntas para discussão

“1. Precisamos nos preocupar com esta vida e com este mundo se tudo vai ser destruído e reconstruído por Deus? Como evitar o uso da promessa da nova vida para negligenciar os necessitados ou para explorar outras pessoas?”1

“2. Como adventistas, compreendemos que o mal, as dificuldades e o sofrimento aumentarão à medida que nos aproximarmos do retorno de Jesus. Quando essas coisas ocorrem, muitas vezes nos referimos a Mateus 24. Como devemos ver essas tragédias à luz de Mateus 25?”1

Resumo:

“Deus não permitirá que o mal perdure para sempre. A grande esperança bíblica é a vinda de Jesus, para acabar com o mal, curar a injustiça e criar um novo mundo (como ele foi planejado para ser). Com base na ressurreição de Jesus, essa esperança transforma o presente e encoraja nosso serviço a Deus e aos outros, enquanto aguardamos Sua vinda.”1

Sexta-feira, 13 de setembro de 2019. Saiba mais, faça um Curso Bíblico

_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. “Meus pequeninos irmãos”: servindo aos necessitados. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 496, jul. ago. set. 2019.

A esperança do juízo

Lições da Bíblia

“4. Leia Eclesiastes 8:14. Qual é a dura e poderosa realidade descrita nesse verso? Assinale ‘V’ para verdadeiro ou ‘F’ para falso:”

Eclesiastes (8:14 ARA)2: “Ainda há outra vaidade sobre a terra: justos a quem sucede segundo as obras dos perversos, e perversos a quem sucede segundo as obras dos justos. Digo que também isto é vaidade.”

A. (   ) Todos somos pecadores.
B. (   ) Às vezes, os ímpios recebem o que os justos merecem, e os justos recebem o que os ímpios merecem.

Resposta sugestiva: F; V.

“Embora o sofrimento, a opressão e a tragédia sejam suficientemente difíceis de suportar, a injúria ou insulto são ainda mais difíceis se parecem sem sentido ou se passam despercebidos. A possível falta de significado da aflição é mais pesada que seu fardo inicial. Um mundo sem um livro de registro nem justiça final é um absurdo cruel em nível máximo. Não é de admirar que os escritores ateus do século 20 lamentassem o que acreditavam ser o ‘absurdo’ da condição humana. Sem esperança de justiça, de juízo, de que as coisas fossem corrigidas, nosso mundo seria de fato absurdo.”1

“Mas o clamor de Eclesiastes 8:14 não é o fim da História. No fim de seus protestos, Salomão fez uma reviravolta repentina. Em meio aos seus lamentos sobre falta de sentido, ele disse, essencialmente: Espere um minuto, Deus julgará a fim de que todas as coisas não sejam sem sentido; na verdade, tudo e todos têm significado.”1

“5. Leia Eclesiastes 12:13, 14. Por que tudo que fazemos na Terra é muito importante?”1

Eclesiastes (12:13, 14 ARA)2: “13 De tudo o que se tem ouvido, a suma é: Teme a Deus e guarda os seus mandamentos; porque isto é o dever de todo homem. 14 Porque Deus há de trazer a juízo todas as obras, até as que estão escondidas, quer sejam boas, quer sejam más.”

“A esperança do juízo resume-se à nossa crença sobre a essência da natureza de Deus, da vida e do mundo em que vivemos. Como vimos, a Bíblia insiste em declarar que vivemos em um mundo criado e amado por Deus, mas que foi arruinado pelo pecado, um mundo em que Deus está executando Seu plano de recriação mediante a vida e a morte de Jesus. O juízo divino é uma parte fundamental de Sua correção do nosso planeta. Para os que são alvos de muitas injustiças na Terra, os que são marginalizados, tratados brutalmente, oprimidos e explorados, a promessa do juízo é certamente uma boa notícia.”1

“O que significa para você o fato de saber que, um dia, e de maneiras inimagináveis, a justiça que tanto desejamos hoje finalmente será feita? Como essa promessa pode nos dar esperança?”1

Quarta-feira, 11 de setembro de 2019. Saiba mais, faça um Curso Bíblico

_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. “Meus pequeninos irmãos”: servindo aos necessitados. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 496, jul. ago. set. 2019. Adulto, Professor. 
2 BÍBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

Certo tipo de esperança

Lições da Bíblia

“A religião tem sido muitas vezes criticada por uma tendência de tirar o foco dos cristãos da vida presente e atraí-los a uma vida melhor no além. A crítica é que a ênfase em outro domínio se torna uma forma de escapismo santificado e torna o cristão menos benéfico para o mundo e para a sociedade. Por vezes, os cristãos têm se tornado vulneráveis a essas críticas, às vezes até cultivando, pregando e praticando essas atitudes.”1

“Também temos exemplos terríveis de pessoas poderosas dizendo aos pobres e oprimidos que simplesmente aceitem sua triste sorte aqui, pois, quando Jesus voltar, tudo será corrigido.”1

“Evidentemente, nosso mundo é caído, arruinado e trágico, e não há nada de errado nem inapropriado em almejar o dia em que Deus colocará o mundo em ordem, em que Ele acabará com a injustiça, a dor e a tristeza e substituirá a desordem atual por Seu reino glorioso e justo. Afinal, sem essa esperança e essa promessa, realmente não teríamos nenhuma perspectiva.”1

“Em Seu sermão sobre o fim do mundo (veja Mt 24 e 25), Jesus passou a primeira metade de Seu discurso detalhando a necessidade de fugir, chegando ao ponto de dizer que, se ‘aqueles dias’ ‘não tivessem’ ‘sido abreviados, ninguém seria salvo’ (Mt 24:22). Contudo, essa é mais uma introdução à Sua explicação sobre o significado das promessas de Deus. No contexto da esperança cristã para o futuro, concentrar-se unicamente no aspecto da ‘fuga’ é não entender algumas das questões mais profundas que Jesus estava apresentando.”1

“2. Leia Mateus 24 e 25. Quais são os pontos mais importantes da sua leitura desse sermão de Jesus? Como você resumiria as instruções de Cristo sobre como devemos viver enquanto esperamos Seu retorno?”1

Mateus (24 ARA)2: […] 12 E, por se multiplicar a iniquidade, o amor se esfriará de quase todos. 13 Aquele, porém, que perseverar até o fim, esse será salvo. 14 E será pregado este evangelho do reino por todo o mundo, para testemunho a todas as nações. Então, virá o fim. […] 21 porque nesse tempo haverá grande tribulação, como desde o princípio do mundo até agora não tem havido e nem haverá jamais. 22 Não tivessem aqueles dias sido abreviados, ninguém seria salvo; mas, por causa dos escolhidos, tais dias serão abreviados. […] 37 Pois assim como foi nos dias de Noé, também será a vinda do Filho do Homem. 38 Porquanto, assim como nos dias anteriores ao dilúvio comiam e bebiam, casavam e davam-se em casamento, até ao dia em que Noé entrou na arca, 39 e não o perceberam, senão quando veio o dilúvio e os levou a todos, assim será também a vinda do Filho do Homem. […] 44 Por isso, ficai também vós apercebidos; porque, à hora em que não cuidais, o Filho do Homem virá. […] 46 Bem-aventurado aquele servo a quem seu senhor, quando vier, achar fazendo assim. […]”

Mateus (25 ARA)2: “[…] 31 Quando vier o Filho do Homem na sua majestade e todos os anjos com ele, então, se assentará no trono da sua glória; 32 e todas as nações serão reunidas em sua presença, e ele separará uns dos outros, como o pastor separa dos cabritos as ovelhas; 33 e porá as ovelhas à sua direita, mas os cabritos, à esquerda; 34 então, dirá o Rei aos que estiverem à sua direita: Vinde, benditos de meu Pai! Entrai na posse do reino que vos está preparado desde a fundação do mundo. 35 Porque tive fome, e me destes de comer; tive sede, e me destes de beber; era forasteiro, e me hospedastes; 36 estava nu, e me vestistes; enfermo, e me visitastes; preso, e fostes ver-me. 37 […] 44 E eles lhe perguntarão: Senhor, quando foi que te vimos com fome, com sede, forasteiro, nu, enfermo ou preso e não te assistimos? 45 Então, lhes responderá: Em verdade vos digo que, sempre que o deixastes de fazer a um destes mais pequeninos, a mim o deixastes de fazer. 46 E irão estes para o castigo eterno, porém os justos, para a vida eterna.

“Nossas crenças acerca do futuro têm implicações importantes sobre nossa maneira de viver hoje. Uma confiança saudável nas promessas de Deus para o futuro do nosso mundo deve ser o catalisador do envolvimento ativo, a faísca de uma vida rica e profunda e que faz a diferença para os outros.”1

“Como a esperança e a promessa do retorno de Jesus devem influenciar nossa maneira de viver hoje, especialmente no contexto de ajudar os necessitados?”1

Segunda-feira, 09 de setembro de 2019. Saiba mais, faça um Curso Bíblico

_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. “Meus pequeninos irmãos”: servindo aos necessitados. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 496, jul. ago. set. 2019. Adulto, Professor. 
2 BÍBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

Vivendo a esperança do advento


Lições da Bíblia

“Meus amados irmãos, sede firmes, inabaláveis e sempre abundantes na obra do Senhor, sabendo que, no Senhor, o vosso trabalho não é vão” (1Co 15:58).1

“Jesus anunciou o reino de Deus como uma realidade presente da qual podemos fazer parte hoje. Ele enviou Seus discípulos para fazer o mesmo anúncio e estabelecer Seu reino mediante a pregação do evangelho e serviço aos outros; isto é, dando gratuitamente como haviam recebido

(veja Mt 10:5-8 [‘5 A estes doze enviou Jesus, dando-lhes as seguintes instruções: Não tomeis rumo aos gentios, nem entreis em cidade de samaritanos; 6 mas, de preferência, procurai as ovelhas perdidas da casa de Israel; 7 e, à medida que seguirdes, pregai que está próximo o reino dos céus. 8 Curai enfermos, ressuscitai mortos, purificai leprosos, expeli demônios; de graça recebestes, de graça dai.’]).”1

“Mas Jesus também foi claro em dizer que Seu reino é diferente, ao dizer que ele ‘não é deste mundo’ (Jo 18:36), e que ainda viria em plenitude. Por Sua encarnação, ministério, morte e ressurreição, o reino de Deus foi inaugurado; no entanto, Jesus também aguardava com ansiedade o tempo em que Seu reino substituiria totalmente os reinos deste mundo, e o reino de Deus seria pleno.”1

“Por definição, os adventistas, que aguardam essa vinda e esse reino, são pessoas esperançosas. Mas essa esperança não trata apenas de um novo mundo futuro. Enquanto a esperança contempla o futuro, ela também transforma o presente. Com essa esperança, vivemos no presente de acordo com o que esperamos viver no futuro, e trabalhamos para fazer a diferença hoje de uma forma que se harmonize com aquilo que esperamos que o mundo seja um dia.”1

Sábado, 07 de setembro de 2019. Saiba mais, faça um Curso Bíblico

_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. “Meus pequeninos irmãos”: servindo aos necessitados. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 496, jul. ago. set. 2019. Adulto, Professor. 

O Espírito Santo e a esperança

Lições da Bíblia

“8. Leia Romanos 5:4, 515:13 1 Coríntios 13:13. Qual é a relação entre o amor e a esperança? Como o Espírito Santo atua para nos dar amor e esperança?”1

“ 3 E não somente isto, mas também nos gloriamos nas próprias tribulações, sabendo que a tribulação produz perseverança; 4 e a perseverança, experiência; e a experiência, esperança. 5 Ora, a esperança não confunde, porque o amor de Deus é derramado em nosso coração pelo Espírito Santo, que nos foi outorgado.” (Romanos 5:4, 5 ARA)2. “13 E o Deus da esperança vos encha de todo o gozo e paz no vosso crer, para que sejais ricos de esperança no poder do Espírito Santo.” (Romanos 15:13 ARA)2. “Agora, pois, permanecem a fé, a esperança e o amor, estes três; porém o maior destes é o amor.” (1 Coríntios 13:13 ARA)2.

“O Espírito Santo é Aquele que derrama o amor de Deus em nosso coração. Ele nos liga a Deus e faz com que o amor do Pai habite em nós. O amor imutável de Deus é a razão e o fundamento da nossa esperança. Sem amor, não haveria esperança. Só o amor gera esperança. Visto que o amor de Deus está associado à Sua fidelidade, temos a maravilhosa esperança de que Ele virá novamente e nos levará ao lar, onde Ele está.”1

“9. Leia o Salmo 31:24. Que efeitos a esperança tem sobre nós? Complete as lacunas:”1

Sede fortes, e revigore-se o vosso coração, vós todos que esperais no SENHOR.” (Salmo 31:24 ARA)2.

“Ela nos dá forçacoragem.”1

“A esperança inspira. Ela renova nossas forças; faz-nos cantar e ser alegres. Ela é essencial para a vida. Se não temos esperança, qual é o propósito da nossa vida?”1

“Ter esperança, no entanto, é diferente de ser otimista. O otimista pensa que tudo vai melhorar: o tempo, a economia, as notas escolares, as finanças, etc. A esperança não é otimismo cego. Ao contrário está fundamentada na fidelidade a Deus e nas promessas que Ele fez no passado. A esperança nos faz acreditar que Deus vai cumprir o que disse, pois Ele é fiel e verdadeiro. O Senhor provou que é digno de confiança. Nosso Rei não Se abala. Sua imutabilidade e verdade são o fundamento da nossa esperança.”1

“É também evidente que o fundamento da nossa esperança está em Jesus na cruz. Quando olhamos para a cruz, podemos ver, da maneira mais poderosa possível, a realidade do amor de Deus por nós. A morte de Jesus na cruz, pelos nossos pecados, revela de maneira incomparável, a nós e ao universo, o verdadeiro caráter do nosso Deus. Portanto, como seres caídos e temporais num vasto e grande cosmos, podemos encontrar esperança, não em nós mesmos, nem em ‘grandes’ coisas que realizamos, mas em nosso Deus, que Se revelou a nós na cruz.”1

“A esperança do advento está fundamentada nas fiéis promessas de Deus. Como essa esperança influencia nossa vida? Como podemos desenvolver um estilo de vida que reflita esperança em vez de desespero?”1

Quinta-feira, 23 de março de 2017. Saiba mais, ouça o Comentário em áudio  da Lição da Escola Sabatina (LES) ou se preferir faça um Curso Bíblico.
_______________
1HASEL, Frank. O Espírito Santo e a espiritualiadade. Lições da escola sabatina. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 487, Jan. Fev. Mar. 2017. Adulto, Professor.
2 BIBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

Declarações de esperança – Estudo adicional

Lições da Bíblia

Assista em vídeo a discussão do tema da semana.

Estudo adicional

“Do início ao fim, a Bíblia está repleta de maravilhosas palavras de esperança. ‘Estas coisas vos tenho dito para que tenhais paz em Mim. No mundo, passais por aflições; mas tende bom ânimo; Eu venci o mundo’ (Jo 16:33). ‘E eis que estou convosco todos os dias até à consumação do século’ (Mt 28:20). ‘Cristo nos resgatou da maldição da lei, fazendo-se Ele próprio maldição em nosso lugar’ (Gl 3:13). ‘Quanto dista o Oriente do Ocidente, assim [Ele] afasta de nós as nossas transgressões’ (Sl 103:12). ‘Porque eu estou bem certo de que nem a morte, nem a vida, nem os anjos, nem os principados, nem as coisas do presente, nem do porvir, nem os poderes, nem a altura, nem a profundidade, nem qualquer outra criatura poderá separar-nos do amor de Deus, que está em Cristo Jesus, nosso Senhor’ (Rm 8:38, 39). ‘Toda vez que o arco-íris estiver nas nuvens, olharei para ele e Me lembrarei da aliança eterna entre Deus e todos os seres vivos de todas as espécies que vivem na Terra’ (Gn 9:16, NVI). ‘Vede que grande amor nos tem concedido o Pai, a ponto de sermos chamados filhos de Deus; e, de fato, somos filhos de Deus. Por essa razão, o mundo não nos conhece, porquanto não o conheceu a Ele mesmo’ (1Jo 3:1). ‘Sabei que o Senhor é Deus; foi Ele quem nos fez, e dEle somos; somos o Seu povo e rebanho do Seu pastoreio’ (Sl 100:3).”1

“Que esperança teríamos se não fosse a partir do que nos é revelado na Bíblia?”1

Perguntas para reflexão

“1. Que outros textos bíblicos nos falam de esperança? Quais passagens são especialmente importantes para você? Por quê?”1

“2. Quais doutrinas da Igreja Adventista do Sétimo Dia lhe trazem mais esperança?”1

“3. Em meio às aflições, tragédias e dificuldades, como podemos nos alegrar na esperança bíblica? Por que é fácil ficar desanimados por causa de acontecimentos, mesmo com tanta esperança apresentada a nós? Na prática, o que fazer para manter essa esperança sempre diante de nós e nos alegrarmos nela?”1

“4. ‘Fale de esperança, fé e ações de graças a Deus. Seja animada, esperançosa em Cristo. Eduque-se para louvá-Lo. Esse é um grande remédio para as doenças da mente e do corpo’ (Mente, Caráter e Personalidade, v. 2, p. 492). Por que o louvor é tão importante para nos ajudar a permanecer esperançosos no Senhor?”1

Sexta-feira, 25 de novembro de 2016. Saiba mais, ouça o Comentário em áudio  da Lição da Escola Sabatina (LES) ou se preferir faça um Curso Bíblico.
__________________
1 LIÇÕES da escola sabatina. O livro de Jó. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 486, Out. Nov. Dez. 2016. Adulto, Professor.