O cão voltou ao seu próprio vômito

Lições da Bíblia

“4. De acordo com 2 Pedro 2:17-22 e Mateus 12:43-45, quais são os perigos de um cristão convertido retornar ao seu antigo estilo de vida? Assinale ‘V’ para verdadeiro ou ‘F’ para falso:”1

“17 Esses tais são como fonte sem água, como névoas impelidas por temporal. Para eles está reservada a negridão das trevas; 18 porquanto, proferindo palavras jactanciosas de vaidade, engodam com paixões carnais, por suas libertinagens, aqueles que estavam prestes a fugir dos que andam no erro, 19 prometendo-lhes liberdade, quando eles mesmos são escravos da corrupção, pois aquele que é vencido fica escravo do vencedor. 20 Portanto, se, depois de terem escapado das contaminações do mundo mediante o conhecimento do Senhor e Salvador Jesus Cristo, se deixam enredar de novo e são vencidos, tornou-se o seu último estado pior que o primeiro. 21 Pois melhor lhes fora nunca tivessem conhecido o caminho da justiça do que, após conhecê-lo, volverem para trás, apartando-se do santo mandamento que lhes fora dado. 22 Com eles aconteceu o que diz certo adágio verdadeiro: O cão voltou ao seu próprio vômito; e: A porca lavada voltou a revolver-se no lamaçal.” (2 Pedro 2:17-22 ARA)2. “42 A rainha do Sul se levantará, no Juízo, com esta geração e a condenará; porque veio dos confins da terra para ouvir a sabedoria de Salomão. E eis aqui está quem é maior do que Salomão. 43 Quando o espírito imundo sai do homem, anda por lugares áridos procurando repouso, porém não encontra. 44 Por isso, diz: Voltarei para minha casa donde saí. E, tendo voltado, a encontra vazia, varrida e ornamentada. 45 Então, vai e leva consigo outros sete espíritos, piores do que ele, e, entrando, habitam ali; e o último estado daquele homem torna-se pior do que o primeiro. Assim também acontecerá a esta geração perversa.” (Mateus 12:42-45 ARA)2.

A. ( ) Ele jamais terá outra chance de voltar para Jesus.
B. ( ) Sua vida pode se tornar pior do que era antes da conversão.
C. ( ) Ele poderá perder a força de vontade para fazer o que é certo.

Resposta sugestiva: F; V; F.

“Pedro estava preocupado principalmente com o destino daqueles que eram atraídos de volta aos seus antigos pecados (2Pe 2:18). Os falsos mestres prometiam liberdade; no entanto, essa liberdade era radicalmente diferente daquela que Jesus havia prometido aos Seus seguidores.”1

“Considere a poderosa advertência de Pedro. Teria sido melhor que aqueles conversos nunca tivessem ‘conhecido o caminho da justiça’ (2Pe 2:21) do que, tendo-o conhecido, voltassem aos seus hábitos anteriores.”1

“Isso não significa que não mais houvesse esperança para eles. Todos conhecemos histórias de pessoas que se afastaram do Senhor e depois retornaram. Sabemos que Deus fica muito feliz quando isso acontece. Ele Se alegra em recebê-las de volta (veja Lc 15:11-32). Essa advertência significa apenas que o afastamento é um caminho muito perigoso e desagradável. A figura de um cão que retorna ao seu próprio vômito é uma expressão muito dura e grosseira para descrever essa situação. No entanto, essa imagem foi o que Pedro apresentou como argumento.”1

“Talvez ele, em 2 Pedro 2:20, tenha ecoado intencionalmente as palavras de Jesus em Mateus 12:45 e Lucas 11:26. Certa vez, Cristo contou uma parábola de um homem que havia sido liberto de um espírito imundo. O espírito, vagueando sem encontrar um lugar próprio para repousar, retornou à sua ‘casa, de onde’ tinha saído (Mt 12:44). Ele a encontrou vazia e em ordem. Então, voltou e trouxe consigo muitos outros espíritos piores do que ele. Como disse Jesus: ‘O último estado daquele homem torna-se pior do que o primeiro’ (Mt 12:45).1

“É real o perigo ilustrado por Cristo e descrito por Pedro. O cristão recém-convertido deve se certificar de que as coisas do Espírito substituam aquelas que costumavam dominar sua vida. Se o envolvimento com as coisas da igreja e o testemunho de sua nova fé não substituírem as atividades seculares anteriores, será muito fácil voltar aos hábitos anteriores.”1

“Como podemos alimentar e discipular de modo mais eficaz os membros da igreja, especialmente os recém-convertidos?”1

Fortaleça sua experiência com Deus. Acesse o site reavivados.org/

Terça-feira, 06 de junho de 2017. Saiba mais, ouça o Comentário em áudio  da Lição da Escola Sabatina (LES) ou se preferir faça um Curso Bíblico.
_______________
MCLVER, Robert K. Apascenta as Minhas ovelhas: 1 e 2 Pedro. Lições da escola sabatina. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 488, Abr. Mai. Jun. 2017. Adulto, Professor.
BIBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

Samuel

Lições da Bíblia

“O que o início do livro de Samuel tem a ver com o grande conflito? Não há uma ameaça óbvia à ordem criada, e não há grandes exércitos na fronteira. O ataque do mal é mais sutil, mas não menos real.”1

“6. Leia 1 Samuel 2:12-25. Como vemos a lamentável realidade da luta do bem contra o mal nessa passagem?”1 “12 Eram, porém, os filhos de Eli filhos de Belial e não se importavam com o SENHOR; 13 pois o costume daqueles sacerdotes com o povo era que, oferecendo alguém sacrifício, vinha o moço do sacerdote, estando-se cozendo a carne, com um garfo de três dentes na mão; 14 e metia-o na caldeira, ou na panela, ou no tacho, ou na marmita, e tudo quanto o garfo tirava o sacerdote tomava para si; assim se fazia a todo o Israel que ia ali, a Siló. 15 Também, antes de se queimar a gordura, vinha o moço do sacerdote e dizia ao homem que sacrificava: Dá essa carne para assar ao sacerdote; porque não aceitará de ti carne cozida, senão crua. 16 Se o ofertante lhe respondia: Queime-se primeiro a gordura, e, depois, tomarás quanto quiseres, então, ele lhe dizia: Não, porém hás de ma dar agora; se não, tomá-la-ei à força. 17 Era, pois, mui grande o pecado destes moços perante o SENHOR, porquanto eles desprezavam a oferta do SENHOR. 18 Samuel ministrava perante o SENHOR, sendo ainda menino, vestido de uma estola sacerdotal de linho. 19 Sua mãe lhe fazia uma túnica pequena e, de ano em ano, lha trazia quando, com seu marido, subia a oferecer o sacrifício anual. 20 Eli abençoava a Elcana e a sua mulher e dizia: O SENHOR te dê filhos desta mulher, em lugar do filho que devolveu ao SENHOR. E voltavam para a sua casa. 21 Abençoou, pois, o SENHOR a Ana, e ela concebeu e teve três filhos e duas filhas; e o jovem Samuel crescia diante do SENHOR. 22 Era, porém, Eli já muito velho e ouvia tudo quanto seus filhos faziam a todo o Israel e de como se deitavam com as mulheres que serviam à porta da tenda da congregação. 23 E disse-lhes: Por que fazeis tais coisas? Pois de todo este povo ouço constantemente falar do vosso mau procedimento. 24 Não, filhos meus, porque não é boa fama esta que ouço; estais fazendo transgredir o povo do SENHOR. 25 Pecando o homem contra o próximo, Deus lhe será o árbitro; pecando, porém, contra o SENHOR, quem intercederá por ele? Entretanto, não ouviram a voz de seu pai, porque o SENHOR os queria matar.” (1 Samuel 2:12-25 ARA)2. “Por um lado, o mal atuou por meio dos filhos de Eli, que profanavam o santuário e os sacrifícios, desprezavam o Senhor, praticavam o adultério e desonravam o pai. Por outro lado, o bem atuava por meio de Samuel, que foi consagrado ao Senhor e ministrava em Sua presença.1

“‘Embora [Eli] tivesse sido designado para governar o povo, não governava a própria casa. Eli era um pai indulgente. Amando a paz e a comodidade, não exercia sua autoridade para corrigir os maus hábitos e paixões de seus filhos. Em vez de discutir com eles ou castigá-los, submetia-se à sua vontade e os deixava seguir seu próprio caminho’ (Ellen G. White, Patriarcas e Profetas, p. 575).”1

“Em contraste com eles, vemos um menino vestido como sacerdote (1Sm 2:18, 19) que, como Jesus, ‘crescia em estatura e no favor do Senhor e dos homens’ (1Sm 2:26; Lc 2:52). Samuel prosseguiu até tornar-se um poderoso e fiel líder em Israel. ‘Todo o Israel, desde Dã até Berseba, conheceu que Samuel estava confirmado como profeta do Senhor’ (1Sm 3:20).”1

“Isso não significa, entretanto, que tudo correu bem. A nação enfrentou uma invasão filisteia e os dois filhos de Eli foram mortos; os filisteus capturaram a arca de Deus, e Eli, que estava com 98 anos, morreu quando ouviu a notícia (1Sm 4:14-18).”1

“Infelizmente, Samuel enfrentaria o mesmo problema de Eli: filhos que não seguiram suas pegadas de lealdade e fidelidade (1Sm 8:1-7).”1

“Samuel marcou um ponto de transição na história do povo de Deus. Ele foi o último dos juízes e uma figura importante no desenrolar do grande conflito. Sua influência estável guiou o povo num momento crítico. É lamentável que seus filhos não tenham seguido seus passos, mas Deus não depende de dinastias humanas. Como resultado da apostasia deles, os anciãos exigiram um rei, o que não foi a melhor decisão, como os futuros séculos da História revelariam.”1

“Não importa se nossa vida no lar foi boa ou ruim, devemos escolher a quem serviremos no grande conflito. Podemos acertar nossa situação com o Senhor, apesar dos nossos muitos erros? Embora tenhamos tempo para nos arrependermos e entregar a vida ao Senhor, qual o perigo de adiar essa decisão?”1

Quinta-feira, 21 e janeiro de 2016. Saiba mais, ouça o Comentário em áudio  da Lição da Escola Sabatina (LES) ou se pref//8ça um Curso Bíblico.

__________________

1 LIÇÕES da escola sabatina. Rebelião e redenção. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 484, Jan. Fev. Mar. 2016. Adulto, Professor.

2 BIBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

Desafio aberto

Lições da Bíblia

“7. Leia Jeremias 44:1-10. O que os cativos estavam fazendo no Egito?” 1 Palavra que veio a Jeremias, acerca de todos os judeus moradores da terra do Egito, em Migdol, em Tafnes, em Mênfis e na terra de Patros, dizendo: 2 Assim diz o SENHOR dos Exércitos, Deus de Israel: Vistes todo o mal que fiz cair sobre Jerusalém e sobre todas as cidades de Judá; e eis que hoje são elas uma desolação, e ninguém habita nelas, 3 por causa da maldade que fizeram, para me irarem, indo queimar incenso e servir a outros deuses que eles nunca conheceram, eles, vós e vossos pais. 4 Todavia, começando eu de madrugada, lhes enviei os meus servos, os profetas, para lhes dizer: Não façais esta coisa abominável que aborreço. 5 Mas eles não obedeceram, nem inclinaram os ouvidos para se converterem da sua maldade, para não queimarem incenso a outros deuses. 6 Derramou-se, pois, a minha indignação e a minha ira, acenderam-se nas cidades de Judá e nas ruas de Jerusalém, que se tornaram em deserto e em assolação, como hoje se vê. 7 Agora, pois, assim diz o SENHOR, Deus dos Exércitos, o Deus de Israel: Por que fazeis vós tão grande mal contra vós mesmos, eliminando homens e mulheres, crianças e aqueles que mamam do meio de Judá, a fim de que não vos fique resto algum? 8 Por que me irritais com as obras de vossas mãos, queimando incenso a outros deuses na terra do Egito, aonde viestes para morar, para que a vós mesmos vos elimineis e para que vos torneis objeto de desprezo e de opróbrio entre todas as nações da terra? 9 Esquecestes já as maldades de vossos pais, as maldades dos reis de Judá, as maldades das suas mulheres, as vossas maldades e as maldades das vossas mulheres, maldades cometidas na terra de Judá e nas ruas de Jerusalém? 10 Não se humilharam até ao dia de hoje, não temeram, não andaram na minha lei nem nos meus estatutos, que pus diante de vós e diante de vossos pais.” (Jeremias 44:1-10 ARA)2. “Estavam queimando incenso a outros deuses.1

“Durante o cativeiro egípcio, Jeremias precisou enfrentar o mesmo problema que teve enquanto ele e seu povo viviam em Judá. Naquele tempo, ele teve que falar com os líderes; agora tinha que falar com as pessoas comuns, que, no cativeiro, estavam cometendo alguns dos mesmos pecados que, inicialmente, haviam trazido sobre eles aquela devastação.”1

“8. Que surpreendente resposta as pessoas deram a Jeremias quando ele as confrontou? Jr 44:15-19115 Então, responderam a Jeremias todos os homens que sabiam que suas mulheres queimavam incenso a outros deuses e todas as mulheres que se achavam ali em pé, grande multidão, como também todo o povo que habitava na terra do Egito, em Patros, dizendo: 16 Quanto à palavra que nos anunciaste em nome do SENHOR, não te obedeceremos a ti; 17 antes, certamente, toda a palavra que saiu da nossa boca, isto é, queimaremos incenso à Rainha dos Céus e lhe ofereceremos libações, como nós, nossos pais, nossos reis e nossos príncipes temos feito, nas cidades de Judá e nas ruas de Jerusalém; tínhamos fartura de pão, prosperávamos e não víamos mal algum. 18 Mas, desde que cessamos de queimar incenso à Rainha dos Céus e de lhe oferecer libações, tivemos falta de tudo e fomos consumidos pela espada e pela fome. 19 Quando queimávamos incenso à Rainha dos Céus e lhe oferecíamos libações, acaso, lhe fizemos bolos que a retratavam e lhe oferecemos libações, sem nossos maridos?” (Jeremias 44:15-19 ARA)2. “Disseram que, na época em que eles adoravam os deuses pagãos, tinham fartura de comida, eram prósperos e não sofriam, mas desde que tinham parado de fazer isso, estavam morrendo pela espada e pela fome.1

“A dureza do coração deles e o engano que os havia dominado é impressionante. Basicamente, olharam para Jeremias de frente e o desafiaram, confrontando também o que ele lhes havia dito ‘em nome do Senhor’.”

“A lógica era simples: no passado, antes das reformas de Josias, quando eles estavam profundamente mergulhados na adoração de deuses pagãos, queimando incenso à ‘Rainha dos Céus’ e lhe oferecendo libações, as coisas estavam indo bem para eles. Eram materialmente prósperos e habitavam em segurança. Contudo, foi só depois das reformas de Josias (que, de toda maneira, ocorreram demasiadamente tarde e despertaram pouco interesse) que vieram as calamidades. Portanto, que razão tinham eles para dar ouvidos a Jeremias e a todas as suas advertências?”1

“A resposta de Jeremias (Jr 44:20-30) foi: Não, vocês não entendem. Foi precisamente porque vocês fizeram todas essas coisas que essas calamidades lhes sobrevieram. Pior ainda: a obstinada recusa de vocês em mudar significa que sobrevirão ainda mais calamidades, e a segurança que vocês pensavam que encontrariam no Egito é um engano e uma mentira, assim como os deuses pagãos que vocês adoram. No fim, vocês conhecerão a verdade, mas será tarde demais.”1

“Os que estão mergulhados no pecado e na incredulidade parecem estar indo muito bem, enquanto, às vezes, os cristãos fiéis passam por terríveis provações. Como podemos entender essa questão e lidar com ela?”1

Quinta-feira, 17 dezembro de 2015. Saiba mais, ouça o Comentário em áudio  da Lição da Escola Sabatina (LES) ou se preferir faça um Curso Bíblico.

__________________

1 LIÇÕES da escola sabatina. Jeremias. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 482, Out. Nov. Dez. 2015. Adulto, Professor.

2 BIBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

Manassés e Amom

Lições da Bíblia

“Por mais que gostemos de falar sobre objetividade, sobre ver as coisas como realmente são, somos irremediavelmente subjetivos. Vemos o mundo não tanto como ele realmente é, mas como nós realmente somos. Sendo seres caídos e corrompidos, devemos lembrar que essa corrupção vai impactar nossa percepção e interpretação do mundo que nos cerca. De que outra forma, por exemplo, podemos explicar os atos de alguém como Manassés, rei de Judá (cerca de 683-643 a.C.), especialmente naqueles primeiros anos de sua terrível apostasia? Dificilmente podemos imaginar como ele justificaria, em sua mente, as horríveis abominações que permitia florescerem em Judá.”1

“1. Leia 2 Crônicas 33. Quais fatos mostram a grande corrupção do rei Manassés? Até que ponto Deus Se dispôs a perdoar?”1 “1 Tinha Manassés doze anos de idade quando começou a reinar e cinqüenta e cinco anos reinou em Jerusalém. 2 Fez o que era mau perante o SENHOR, segundo as abominações dos gentios que o SENHOR expulsara de suas possessões, de diante dos filhos de Israel. 3 Pois tornou a edificar os altos que Ezequias, seu pai, havia derribado, levantou altares aos baalins, e fez postes-ídolos, e se prostrou diante de todo o exército dos céus, e o serviu. 4 Edificou altares na Casa do SENHOR, da qual o SENHOR tinha dito: Em Jerusalém, porei o meu nome para sempre. 5 Também edificou altares a todo o exército dos céus nos dois átrios da Casa do SENHOR, 6 queimou seus filhos como oferta no vale do filho de Hinom, adivinhava pelas nuvens, era agoureiro, praticava feitiçarias, tratava com necromantes e feiticeiros e prosseguiu em fazer o que era mau perante o SENHOR, para o provocar à ira. 7 Também pôs a imagem de escultura do ídolo que tinha feito na Casa de Deus, de que Deus dissera a Davi e a Salomão, seu filho: Nesta casa e em Jerusalém, que escolhi de todas as tribos de Israel, porei o meu nome para sempre 8 e não removerei mais o pé de Israel da terra que destinei a seus pais, contanto que tenham cuidado de fazer tudo o que lhes tenho mandado, toda a lei, os estatutos e os juízos dados por intermédio de Moisés. 9 Manassés fez errar a Judá e os moradores de Jerusalém, de maneira que fizeram pior do que as nações que o SENHOR tinha destruído de diante dos filhos de Israel. 10 Falou o SENHOR a Manassés e ao seu povo, porém não lhe deram ouvidos. 11 Pelo que o SENHOR trouxe sobre eles os príncipes do exército do rei da Assíria, os quais prenderam Manassés com ganchos, amarraram-no com cadeias e o levaram à Babilônia. 12 Ele, angustiado, suplicou deveras ao SENHOR, seu Deus, e muito se humilhou perante o Deus de seus pais; 13 fez-lhe oração, e Deus se tornou favorável para com ele, atendeu-lhe a súplica e o fez voltar para Jerusalém, ao seu reino; então, reconheceu Manassés que o SENHOR era Deus. 14 Depois disto, edificou o muro de fora da Cidade de Davi, ao ocidente de Giom, no vale, e à entrada da Porta do Peixe, abrangendo Ofel, e o levantou mui alto; também pôs chefes militares em todas as cidades fortificadas de Judá. 15 Tirou da Casa do SENHOR os deuses estranhos e o ídolo, como também todos os altares que edificara no monte da Casa do SENHOR e em Jerusalém, e os lançou fora da cidade. 16 Restaurou o altar do SENHOR, sacrificou sobre ele ofertas pacíficas e de ações de graças e ordenou a Judá que servisse ao SENHOR, Deus de Israel. 17 Contudo, o povo ainda sacrificava nos altos, mas somente ao SENHOR, seu Deus. 18 Quanto aos mais atos de Manassés, e à sua oração ao seu Deus, e às palavras dos videntes que lhe falaram no nome do SENHOR, Deus de Israel, eis que estão escritos na História dos Reis de Israel. 19 A sua oração e como Deus se tornou favorável para com ele, todo o seu pecado, a sua transgressão e os lugares onde edificou altos e colocou postes-ídolos e imagens de escultura, antes que se humilhasse, eis que tudo está na História dos Videntes. 20 Assim, Manassés descansou com seus pais e foi sepultado na sua própria casa; e Amom, seu filho, reinou em seu lugar. 21 Tinha Amom vinte e dois anos de idade quando começou a reinar e reinou dois anos em Jerusalém. 22 Fez o que era mau perante o SENHOR, como fizera Manassés, seu pai; porque Amom fez sacrifício a todas as imagens de escultura que Manassés, seu pai, tinha feito e as serviu. 23 Mas não se humilhou perante o SENHOR, como Manassés, seu pai, se humilhara; antes, Amom se tornou mais e mais culpável. 24 Conspiraram contra ele os seus servos e o mataram em sua casa. 25 Porém o povo da terra feriu todos os que conspiraram contra o rei Amom e constituiu a Josias, seu filho, rei em seu lugar.” (2 Crônicas 33 ARA)2. “Manassés serviu e adorou deuses pagãos e edificou altares a eles até mesmo na Casa do Senhor, onde também colocou um ídolo; queimou seus filhos como oferta; praticou a feitiçaria; fez errar Judá e os moradores de Jerusalém. Mas, no exílio, se arrependeu, Deus o perdoou e o restabeleceu ao trono.”1

“O fato de ser levado para Babilônia com ganchos e cadeias de bronze certamente deve ter feito com que ele reconsiderasse a vida. Contudo, o texto mostra que ocorreu algo mais profundo: Manassés se arrependeu verdadeiramente de seus caminhos e, quando foi restaurado ao trono, procurou reparar o estrago que havia feito. Infelizmente, o estrago era maior do que ele imaginava.”1

“‘Embora notável, esse arrependimento veio tarde demais para salvar o reino da influência corruptora de anos de prática idolátrica. Muitos haviam tropeçado e caído, não se levantando mais’ (Ellen G. White,Profetas e Reis, p. 383). O mais lamentável é que, entre os que haviam sido terrivelmente impactados pela apostasia de Manassés, estava seu filho, Amom, que subiu ao trono após a morte do pai e ‘fez o que era mau perante o Senhor, como fizera Manassés, seu pai; porque Amom fez sacrifício a todas as imagens de escultura que Manassés, seu pai, tinha feito e as serviu’ (2Cr 33:22). E o pior: diferentemente de seu pai, Amom nunca se arrependeu de seus caminhos.”1

“Quem não conhece as terríveis consequências do pecado, mesmo que tenha sido perdoado? Que promessas de vitória sobre o pecado você pode reivindicar? Deseja reivindicá-las agora, antes que o pecado traga suas tristes consequências?”1

Sua igreja está preparada para convidar e receber nossos amigos? Planeje um jejum especial pelo grande evangelismo e pelas pessoas que estão tomando a decisão pelo batismo.

Domingo, 15 nobembro de 2015 . Saiba mais, ouça o Comentário em áudio  da Lição da Escola Sabatina (LES) ou se preferir faça um Curso Bíblico.

__________________

1 LIÇÕES da escola sabatina. Jeremias. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 482, Out. Nov. Dez. 2015. Adulto, Professor.

2 BIBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

A degeneração de uma nação

Lições da Bíblia

Porquanto Me deixaram e profanaram este lugar, queimando nele incenso a outros deuses, que nunca conheceram, nem eles, nem seus pais, nem os reis de Judá; e encheram este lugar de sangue de inocentes” (Jr 19:4).1

“Nessa passagem são apresentados alguns exemplos dos males que haviam sobrevindo a Judá. Além de deixar o Senhor, oferecer incenso a ‘utros deuses’ e derramar sangue inocente, também ‘profanaram’ aquele lugar. O verbo hebraico ali significa ‘tornar estrangeiro’, ‘tornar estranho’ ou ‘profanar’. O texto não diz se esse ‘lugar’ se refere ao templo ou a Jerusalém. O ponto importante, porém, é que a nação devia ser santa, especial ao Senhor (Êx 19:5, 6), diferente e distinta das nações ao seu redor; mas não foi isso que aconteceu. Eles perderam seu caráter singular; perderam a distinção que os teria tornado um testemunho para o mundo. Tornaram-se iguais aos outros povos.”1

“4. Quais práticas de outras nações foram seguidas pelo povo de Deus? Que advertência isso traz para nós? Jr 19:4, 51 “4 Porquanto me deixaram e profanaram este lugar, queimando nele incenso a outros deuses, que nunca conheceram, nem eles, nem seus pais, nem os reis de Judá; e encheram este lugar de sangue de inocentes; 5 e edificaram os altos de Baal, para queimarem os seus filhos no fogo em holocaustos a Baal, o que nunca lhes ordenei, nem falei, nem me passou pela mente.” (Jermias 19:4-5 ARA)2. “Queimaram incenso a falsos deuses; derramaram sangue inocente; edificaram os altos de Baal, para neles queimarem seus filhos. Quando deixamos o Senhor, passamos a ser totalmente influenciados pela sociedade e nos tornamos capazes de fazer as coisas mais degradantes e absurdas.1

E edificaram os altos de Baal, para queimarem os seus filhos no fogo em holocaustos a Baal, o que nunca lhes ordenei, nem falei, nem Me passou pela mente” (Jr 19:5).1

“Embora o conceito de sacrifícios humanos fosse conhecido no mundo antigo, era amaldiçoado pelo Senhor, que proibiu essa prática para os israelitas (Dt 18:10). A frase traduzida acima como ‘nem Me passou pela mente’, no hebraico significa o seguinte: ‘nem Me subiu ao coração’. Essa era uma expressão idiomática que mostrava o quanto essa prática era alheia e contrária à vontade de Deus. Se nós, seres caídos, endurecidos pelo pecado, achamos essa prática repulsiva, imagine como o santo Deus a devia considerar!”1

“Contudo, com o passar do tempo, o poder da corrupção e da cultura havia dominado de tal forma o povo de Deus que eles adotaram esse horrível ritual. Que lição aprendemos com isso quanto à facilidade com que podemos ser cegados pela cultura dominante! Chegamos a concordar ou participar de certas práticas que, se estivéssemos ligados ao Senhor e em sintonia com Sua Palavra como deveríamos estar, nunca as aprovaríamos, mas ficaríamos horrorizados com elas (ver Hb 5:14 [“Mas o alimento sólido é para os adultos, para aqueles que, pela prática, têm as suas faculdades exercitadas para discernir não somente o bem, mas também o mal.’’]2)!”1

Terça-feira, 03 nobembro de 2015 . Saiba mais, ouça o Comentário em áudio  da Lição da Escola Sabatina (LES) ou se preferir faça um Curso Bíblico.

__________________

1 LIÇÕES da escola sabatina. Jeremias. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 482, Out. Nov. Dez. 2015. Adulto, Professor.

2 BIBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

No fim do beco sem saída

Lições da Bíblia

4. Leia 2 Crônicas 36:11-14. O que esses versos dizem sobre o último rei de Judá antes da destruição final da nação? Que princípios de apostasia são revelados nesse texto?1 “11 Tinha Zedequias a idade de vinte e um anos quando começou a reinar e reinou onze anos em Jerusalém. 12 Fez o que era mau perante o SENHOR, seu Deus, e não se humilhou perante o profeta Jeremias, que falava da parte do SENHOR. 13 Rebelou-se também contra o rei Nabucodonosor, que o tinha ajuramentado por Deus; mas endureceu a sua cerviz e tanto se obstinou no seu coração, que não voltou ao SENHOR, Deus de Israel. 14 Também todos os chefes dos sacerdotes e o povo aumentavam mais e mais as transgressões, segundo todas as abominações dos gentios; e contaminaram a casa que o SENHOR tinha santificado em Jerusalém.” (2 Cônicas 36:11-14 ARA). “Zedequias não se humilhou diante do profeta Jeremias, o qual lhe falava da parte do Senhor; tornou-se muito obstinado e não quis voltar para o Senhor. Princípios da apostasia: O povo agia segundo todas as abominações dos gentios; estavam imitando o mundo em vez de ser um exemplo às nações.1

“Zedequias (também conhecido como Matanias) assumiu o trono com a idade de 21 anos, tendo sido colocado ali por Nabucodonosor como rei-fantoche. Infelizmente, como os versos dizem, ele não havia aprendido muitas lições do que acontecera com os reis anteriores e, consequentemente, trouxe ruína ainda maior à nação.”

“A passagem de 2 Crônicas 36:14 declara algo muito profundo, um ponto que, em muitos aspectos, estava no âmago da apostasia deles. Em meio à lista de todo o mal praticado sob o reinado de Zedequias, é dito que Judá estava seguindo ‘todas as abominações dos gentios’.”

“Ali estavam eles, séculos após o Êxodo, séculos como o povo da aliança que devia ser luz e farol para as nações (Dt 4:5-8), mas ainda tão envolvidos com a cultura dominante, tão envolvidos com o contexto cultural e religioso de seus vizinhos, que cometiam ‘todas as abominações’ dos pagãos.”

“Qual é a mensagem aqui para nós?”1

5. Leia Jeremias 38:14-18. O que o rei perguntou ao profeta, e por quê?1 “14 Então, o rei Zedequias mandou trazer o profeta Jeremias à sua presença, à terceira entrada na Casa do SENHOR, e lhe disse: Quero perguntar-te uma coisa, nada me encubras. 15 Disse Jeremias a Zedequias: Se eu ta disser, porventura, não me matarás? Se eu te aconselhar, não me atenderás. 16 Então, Zedequias jurou secretamente a Jeremias, dizendo: Tão certo como vive o SENHOR, que nos deu a vida, não te matarei, nem te entregarei nas mãos desses homens que procuram tirar-te a vida. 17 Então, Jeremias disse a Zedequias: Assim diz o SENHOR, o Deus dos Exércitos, Deus de Israel: Se te renderes voluntariamente aos príncipes do rei da Babilônia, então, viverá tua alma, e esta cidade não se queimará, e viverás tu e a tua casa. 18 Mas, se não te renderes aos príncipes do rei da Babilônia, então, será entregue esta cidade nas mãos dos caldeus, e eles a queimarão, e tu não escaparás das suas mãos.” (Jeremias 38:14-18 ARA)2. “A pergunta não é explícita, mas, em vista da situação, o rei queria saber se devia se submeter a Babilônia ou lutar contra ela. Ele queria que Jeremias dissesse o que ele queria ouvir e, como não foi isso que ocorreu, ele não atendeu ao que o profeta disse, como o próprio Jeremias havia predito que ocorreria.1

“Em numerosas ocasiões, o Senhor tinha deixado claro que a nação devia se submeter ao governo de Babilônia e que aquela conquista era uma punição pela iniquidade deles. Zedequias, contudo, se recusou a ouvir, e formou uma aliança contra Nabucodonosor. Israel confiou muito na esperança de uma vitória egípcia, mas Nabucodonosor foi vitorioso sobre o exército do Faraó em 597 a.C. Essa derrota selou permanentemente o destino de Jerusalém e da nação. Apesar de tantas oportunidades para se arrepender, fazer uma reforma e experimentar um reavivamento, Judá se recusou a mudar.”1

“A igreja foi suscitada para proclamar ao mundo uma mensagem que ninguém está proclamando. Isso é muito semelhante ao que Judá devia fazer. Que lições podemos e devemos aprender com os erros deles?”1

Quarta-feira, 14 outubro de 2015 . Saiba mais, ouça o Comentário em áudio  da Lição da Escola Sabatina (LES) ou se preferir faça um Curso Bíblico.

__________________

1 LIÇÕES da escola sabatina. Jeremias. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 482, Out. Nov. Dez. 2015. Adulto, Professor.

2 BIBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

Jeoacaz e Jeoaquim: outro declínio

Lições da Bíblia

“Jeoacaz (também conhecido como Salum) tinha 23 anos de idade quando sucedeu seu pai no trono. Seu reino durou apenas três meses. Faraó o substituiu por seu irmão (Eliaquim, a quem deu o nome de Joaquim) porque Jeoacaz não era favorável à política egípcia. Jeoacaz foi levado para o Egito, e ali morreu (ver 2Cr 36:4; 2Rs 23:31-34).”1

“O rei que veio após Jeoacaz foi Jeoaquim, que reinou de 609 a 598 a.C. Era filho de Josias. Quando Nabucodonosor tomou Jerusalém, Jeoaquim foi levado para Babilônia junto com os vasos do templo. Novamente, Jeremias advertiu o povo de que seu novo rei estava guiando a nação por um caminho errado.”1

“2. Leia Jeremias 22:1-19. Quais questões relacionadas com Jeoaquim motivaram uma repreensão severa do Senhor?”1 “1 Assim diz o SENHOR: Desce à casa do rei de Judá, e anuncia ali esta palavra, 2 e dize: Ouve a palavra do SENHOR, ó rei de Judá, que te assentas no trono de Davi, tu, os teus servos e o teu povo, que entrais por estas portas. 3 Assim diz o SENHOR: Executai o direito e a justiça e livrai o oprimido das mãos do opressor; não oprimais ao estrangeiro, nem ao órfão, nem à viúva; não façais violência, nem derrameis sangue inocente neste lugar. 4 Porque, se, deveras, cumprirdes esta palavra, entrarão pelas portas desta casa os reis que se assentarão no trono de Davi, em carros e montados em cavalos, eles, os seus servos e o seu povo. 5 Mas, se não derdes ouvidos a estas palavras, juro por mim mesmo, diz o SENHOR, que esta casa se tornará em desolação. 6 Porque assim diz o SENHOR acerca da casa do rei de Judá: Tu és para mim Gileade e a cabeça do Líbano; mas certamente farei de ti um deserto e cidades desabitadas. 7 Designarei contra ti destruidores, cada um com as suas armas; cortarão os teus cedros escolhidos e lançá-los-ão no fogo. 8 Muitas nações passarão por esta cidade, e dirá cada um ao seu companheiro: Por que procedeu o SENHOR assim com esta grande cidade? 9 Então, se lhes responderá: Porque deixaram a aliança do SENHOR, seu Deus, e adoraram a outros deuses, e os serviram. 10 Não choreis o morto, nem o lastimeis; chorai amargamente aquele que sai; porque nunca mais tornará, nem verá a terra onde nasceu. 11 Porque assim diz o SENHOR acerca de Salum, filho de Josias, rei de Judá, que reinou em lugar de Josias, seu pai, e que saiu deste lugar: Jamais tornará para ali. 12 Mas no lugar para onde o levaram cativo morrerá e nunca mais verá esta terra. 13 Ai daquele que edifica a sua casa com injustiça e os seus aposentos, sem direito! Que se vale do serviço do seu próximo, sem paga, e não lhe dá o salário; 14 que diz: Edificarei para mim casa espaçosa e largos aposentos, e lhe abre janelas, e forra-a de cedros, e a pinta de vermelhão. 15 Reinarás tu, só porque rivalizas com outro em cedro? Acaso, teu pai não comeu, e bebeu, e não exercitou o juízo e a justiça? Por isso, tudo lhe sucedeu bem. 16 Julgou a causa do aflito e do necessitado; por isso, tudo lhe ia bem. Porventura, não é isso conhecer-me? – diz o SENHOR. 17 Mas os teus olhos e o teu coração não atentam senão para a tua ganância, e para derramar o sangue inocente, e para levar a efeito a violência e a extorsão. 18 Portanto, assim diz o SENHOR acerca de Jeoaquim, filho de Josias, rei de Judá: Não o lamentarão, dizendo: Ai, meu irmão! Ou: Ai, minha irmã! Nem o lamentarão, dizendo: Ai, senhor! Ou: Ai, sua glória! 19 Como se sepulta um jumento, assim o sepultarão; arrastá-lo-ão e o lançarão para bem longe, para fora das portas de Jerusalém.” (Jeremias 22:1-19 ARA)2. “O rei promovia a adoração de outros deuses, não pagava o salário dos trabalhadores e só pensava na sua ganância, em derramar sangue inocente, em violência e extorsão.1

“Falando por meio de Jeremias, o Senhor dirigiu palavras incisivas a esse rei corrupto e ambicioso. Jeoaquim foi um rei opressor e ganancioso que aplicou pesados impostos a Judá (2Rs 23:35) a fim de pagar aos egípcios. Pior ainda, usando trabalhos forçados, fez construções sofisticadas em seu próprio palácio, em desafio à Torah, que tinha instruções claras quanto ao pagamento das pessoas por seu trabalho: ‘Não oprimirás o teu próximo, nem o roubarás; a paga do jornaleiro não ficará contigo até pela manhã’ (Lv 19:13). Além disso, diferentemente de Josias, seu pai, Jeoaquim permitiu que ritos pagãos florescessem novamente em Judá.”1

“Jeremias 22:16 é uma passagem forte. No contexto da comparação entre o corrupto Jeoaquim e seu pai, Josias, o Senhor lhe disse: ‘Ele defendeu a causa do pobre e do necessitado, e, assim, tudo corria bem. Não é isso que significa conhecer-Me?’ (NVI). Em outras palavras, o verdadeiro conhecimento de Deus vem da nossa maneira de tratar os necessitados; vem quando saímos de nós mesmos para beneficiar aqueles que, na verdade, não podem fazer nada por nós em retribuição. Vemos aqui, novamente, como ao longo de toda a Bíblia, a preocupação do Senhor com os pobres e os indefesos, bem como a obrigação que temos de ajudar os que não podem ajudar a si mesmos.”1

“Pense na ideia de que ajudar o ‘pobre’ e o ‘necessitado’ é a maneira de conhecer o Senhor. O que isso significa?”1

Segunda-feira, 12 outubro de 2015 . Saiba mais, ouça o Comentário em áudio  da Lição da Escola Sabatina (LES) ou se preferir faça um Curso Bíblico.

__________________

1 LIÇÕES da escola sabatina. Jeremias. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 482, Out. Nov. Dez. 2015. Adulto, Professor.

2 BIBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.