Jesus cura

Lições da Bíblia

“Os evangelhos estão repletos de histórias dos milagres de Jesus, especialmente os relatos de cura. Como Isaías havia profetizado, Ele curava os cegos e libertava os que haviam sido mantidos cativos pela doença, e às vezes após muitos anos de sofrimento

(veja, por exemplo, Mc 5:24-34 [24 Jesus foi com ele. 25 Aconteceu que certa mulher, que, havia doze anos, vinha sofrendo de uma hemorragia 26 e muito padecera à mão de vários médicos, tendo despendido tudo quanto possuía, sem, contudo, nada aproveitar, antes, pelo contrário, indo a pior, 27 tendo ouvido a fama de Jesus, vindo por trás dele, por entre a multidão, tocou-lhe a veste. 28 Porque, dizia: Se eu apenas lhe tocar as vestes, ficarei curada. 29 E logo se lhe estancou a hemorragia, e sentiu no corpo estar curada do seu flagelo. 30 Jesus, reconhecendo imediatamente que dele saíra poder, virando-se no meio da multidão, perguntou: Quem me tocou nas vestes? 31 Responderam-lhe seus discípulos: Vês que a multidão te aperta e dizes: Quem me tocou? 32 Ele, porém, olhava ao redor para ver quem fizera isto. 33 Então, a mulher, atemorizada e tremendo, cônscia do que nela se operara, veio, prostrou-se diante dele e declarou-lhe toda a verdade. 34 E ele lhe disse: Filha, a tua fé te salvou; vai-te em paz e fica livre do teu mal.’]; Jo 5:1-15 [‘1 Passadas estas coisas, havia uma festa dos judeus, e Jesus subiu para Jerusalém. 2 Ora, existe ali, junto à Porta das Ovelhas, um tanque, chamado em hebraico Betesda, o qual tem cinco pavilhões. 3 Nestes, jazia uma multidão de enfermos, cegos, coxos, paralíticos 4 [esperando que se movesse a água. Porquanto um anjo descia em certo tempo, agitando-a; e o primeiro que entrava no tanque, uma vez agitada a água, sarava de qualquer doença que tivesse]. 5 Estava ali um homem enfermo havia trinta e oito anos. 6 Jesus, vendo-o deitado e sabendo que estava assim há muito tempo, perguntou-lhe: Queres ser curado? 7 Respondeu-lhe o enfermo: Senhor, não tenho ninguém que me ponha no tanque, quando a água é agitada; pois, enquanto eu vou, desce outro antes de mim. 8 Então, lhe disse Jesus: Levanta-te, toma o teu leito e anda. 9 Imediatamente, o homem se viu curado e, tomando o leito, pôs-se a andar. E aquele dia era sábado. 10 Por isso, disseram os judeus ao que fora curado: Hoje é sábado, e não te é lícito carregar o leito. 11 Ao que ele lhes respondeu: O mesmo que me curou me disse: Toma o teu leito e anda. 12 Perguntaram-lhe eles: Quem é o homem que te disse: Toma o teu leito e anda? 13 Mas o que fora curado não sabia quem era; porque Jesus se havia retirado, por haver muita gente naquele lugar. 14 Mais tarde, Jesus o encontrou no templo e lhe disse: Olha que já estás curado; não peques mais, para que não te suceda coisa pior. 15 O homem retirou-se e disse aos judeus que fora Jesus quem o havia curado.’]).

Mas Ele fez mais do que isso: Cristo fez o aleijado andar novamente; curou os leprosos – não apenas por Sua palavra, mas por Seu toque, embora fossem “impuros”. Confrontou demônios que possuíam a mente e o corpo das pessoas; e até ressuscitou os mortos.”1

“Podemos supor que esses milagres tenham ocorrido para atrair multidões e provar Seu poder aos céticos e críticos. Mas esse nem sempre foi o caso. Em vez disso, Jesus muitas vezes ordenou à pessoa curada que não contasse a ninguém o milagre. Embora pareça improvável que os recém-curados seguissem essa ordem e guardassem a maravilhosa notícia para si, Jesus estava tentando mostrar que Seus milagres eram algo mais importante do que um espetáculo. Evidentemente, o objetivo final era que as pessoas recebessem a salvação Nele.”1

“No entanto, os milagres de cura de Jesus foram uma expressão de Sua compaixão. Por exemplo, nos momentos que antecederam à alimentação dos cinco mil, Mateus narrou: ‘Desembarcando, viu Jesus uma grande multidão, compadeceu-Se dela e curou os seus enfermos’ (Mt 14:14). Jesus sentiu a dor dos sofredores e fez o que pôde às pessoas com as quais entrou em contato a fim de ajudá-las e levantá-las.”1

“3. Leia a profecia de Isaías em Mateus 12:15-21. De que maneira Isaías e Mateus identificaram o que Jesus estava fazendo como algo maior do que apenas curar alguns doentes, ou algumas centenas de enfermos?”1

Mateus (12:15-21 ARA)2: “15 Mas Jesus, sabendo disto, afastou-se dali. Muitos o seguiram, e a todos ele curou, 16 advertindo-lhes, porém, que o não expusessem à publicidade, 17 para se cumprir o que foi dito por intermédio do profeta Isaías: 18 Eis aqui o meu servo, que escolhi, o meu amado, em quem a minha alma se compraz. Farei repousar sobre ele o meu Espírito, e ele anunciará juízo aos gentios. 19 Não contenderá, nem gritará, nem alguém ouvirá nas praças a sua voz. 20 Não esmagará a cana quebrada, nem apagará a torcida que fumega, até que faça vencedor o juízo. 21 E, no seu nome, esperarão os gentios.

“Cada milagre realizado por Cristo foi um sinal de Sua divindade. Estava fazendo a própria obra predita acerca do Messias, mas para os fariseus essas obras de misericórdia eram um claro escândalo. Os guias judaicos olhavam com cruel indiferença aos sofrimentos humanos. Em muitos casos, seu egoísmo e opressão haviam causado a dor que Jesus aliviava. Assim, Seus milagres eram uma vergonha para eles” (Ellen G. White, O Desejado de Todas as Nações, p. 406).1

“Os milagres de cura de Jesus foram atos de compaixão e justiça. Mas em todos os casos, eles não eram um fim em si mesmos. Em última análise, todas as obras de Cristo foram realizadas com o propósito de levar as pessoas à vida eterna

(veja Jo 17:3 [‘Dá-me, pois, um penhor; sê o meu fiador para contigo mesmo; quem mais haverá que se possa comprometer comigo?’])”1

Terça-feira, 13 de agosto de 2019. Saiba mais, faça um Curso Bíblico

_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. “Meus pequeninos irmãos”: servindo aos necessitados. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 496, jul. ago. set. 2019. Adulto, Professor. 
2 BÍBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

Um dia de cura

Lições da Bíblia

“Embora a visão original do sábado e de sua observância seja ampla e inclusiva, o sábado se tornou algo bem diferente para muitos líderes religiosos na época em que Jesus veio à Terra. Em vez de um dia de liberdade e igualdade, o sábado se tornou um dia de restrições e regras humanas e tradicionais. Em Seus dias, Jesus Se opôs a essas atitudes, especialmente quando elas eram impostas aos outros.”1

“É interessante que Ele tenha feito isso de maneira mais significativa ao realizar diversas curas no sábado. Parece que Jesus realizou milagres intencionalmente nesse dia, e não em qualquer outro, para demonstrar algo importante sobre o que o sábado deveria ser. Muitas vezes Jesus comentou que a cura nesse dia era apropriada, e os fariseus usavam Suas declarações como desculpa para promover conspirações para matá-Lo.”1

“4. Leia as histórias sobre as curas de Jesus no sábado. Quais são as coisas mais significativas nesses relatos? Mt 12:9-13; Mc 1:21-26; 3:1-6; Jo 9:1-16”1

Mateus (12:9-13 ARA)2: 9 E, partindo dali, chegou à sinagoga deles. 10 E estava ali um homem que tinha uma das mãos mirrada; e eles, para acusarem Jesus, o interrogaram, dizendo: É lícito curar nos sábados? 11 E ele lhes disse: Qual dentre vós será o homem que, tendo uma ovelha, se num sábado ela cair numa cova, não lançará mão dela e a levantará? 12 Pois quanto mais vale um homem do que uma ovelha? É, por consequência, lícito fazer bem nos sábados. 13 Então disse àquele homem: Estende a mão. E ele a estendeu, e ficou sã como a outra.

Marcos (1:21-26 ARA)2: 21 Entraram em Cafarnaum, e, logo no sábado, indo ele à sinagoga, ali ensinava. 22 E maravilharam-se da sua doutrina, porque os ensinava como tendo autoridade e não como os escribas. 23 E estava na sinagoga deles um homem com um espírito imundo, o qual exclamou, dizendo: 24 Ah! Que temos contigo, Jesus Nazareno? Vieste destruir-nos? Bem sei quem és: o Santo de Deus. 25 E repreendeu-o Jesus, dizendo: Cala-te e sai dele. 26 Então, o espírito imundo, agitando-o e clamando com grande voz, saiu dele.

Marcos (3:1-6 ARA)2: 1 E outra vez entrou na sinagoga, e estava ali um homem que tinha uma das mãos mirrada. 2 E estavam observando-o se curaria no sábado, para o acusarem. 3 E disse ao homem que tinha a mão mirrada: Levanta-te e vem para o meio. 4 E perguntou-lhes: É lícito no sábado fazer bem ou fazer mal? Salvar a vida ou matar? E eles calaram-se. 5 E, olhando para eles em redor com indignação, condoendo-se da dureza do seu coração, disse ao homem: Estende a mão. E ele a estendeu, e foi-lhe restituída a mão, sã como a outra. 6 E, tendo saído os fariseus, tomaram logo conselho com os herodianos contra ele, procurando ver como o matariam.”

João (9:1-16 ARA)2: 1 E, passando Jesus, viu um homem cego de nascença. 2 E os seus discípulos lhe perguntaram, dizendo: Rabi, quem pecou, este ou seus pais, para que nascesse cego? 3 Jesus respondeu: Nem ele pecou, nem seus pais; mas foi assim para que se manifestem nele as obras de Deus. 4 Convém que eu faça as obras daquele que me enviou, enquanto é dia; a noite vem, quando ninguém pode trabalhar. 5 Enquanto estou no mundo, sou a luz do mundo. 6 Tendo dito isso, cuspiu na terra, e, com a saliva, fez lodo, e untou com o lodo os olhos do cego. 7 E disse-lhe: Vai, lava-te no tanque de Siloé (que significa o Enviado). Foi, pois, e lavou-se, e voltou vendo. 8 Então, os vizinhos e aqueles que dantes tinham visto que era cego diziam: Não é este aquele que estava assentado e mendigava? 9 Uns diziam: É este. E outros: Parece-se com ele. Ele dizia: Sou eu. 10 Diziam-lhe, pois: Como se te abriram os olhos? 11 Ele respondeu e disse-lhes: O homem chamado Jesus fez lodo, e untou-me os olhos, e disse-me: Vai ao tanque de Siloé e lava-te. Então, fui, e lavei-me, e vi. 12 Disseram-lhe, pois: Onde está ele? Respondeu: Não sei. 13 Levaram, pois, aos fariseus o que dantes era cego. 14 E era sábado quando Jesus fez o lodo e lhe abriu os olhos. 15 Tornaram, pois, também os fariseus a perguntar-lhe como vira, e ele lhes disse: Pôs-me lodo sobre os olhos, lavei-me e vejo. 16 Então, alguns dos fariseus diziam: Este homem não é de Deus, pois não guarda o sábado. Diziam outros: Como pode um homem pecador fazer tais sinais? E havia dissensão entre eles.”

“Jesus confirmou que o sábado é importante. Precisamos mantê-lo especial e permitir que esse tempo semanal seja uma oportunidade para crescermos em nosso relacionamento com Deus, com nossa família, igreja e comunidade. Mas a guarda do sábado não deve estar relacionada apenas com nossos interesses egoístas. Como Jesus disse: ‘É lícito, nos sábados, fazer o bem’ (Mt 12:12).”1

“Muitos membros da igreja fazem um bom trabalho em cuidar das outras pessoas. Mas também sentimos que devemos fazer mais para ajudar. Sabemos que Deus Se importa com os sofredores, oprimidos e abandonados e que devemos nos importar também. Visto que somos ordenados a não exercer nosso trabalho regular e ficamos livres das pressões da semana, no sábado temos tempo para nos concentrar nas outras pessoas como uma das formas de guardar esse dia de modo verdadeiro e ativo: ‘De acordo com o quarto mandamento, o sábado foi dedicado ao repouso e ao culto religioso. Toda atividade secular devia ser suspensa, mas as obras de misericórdia e beneficência estavam em harmonia com o propósito do Senhor. […] Aliviar os aflitos e confortar os tristes é um trabalho de amor que presta honra ao dia de Deus’ (Ellen G. White, Beneficência Social, p. 77).”1

“O que você faz para beneficiar os outros no sábado?”1

Quarta-feira, 17 de julho de 2019. Saiba mais, faça um Curso Bíblico

_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. “Mesus pequeninos irmãos”: servindo aos necessitados. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 496, jul. ago. set. 2019. Adulto, Professor. 
2 BÍBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

A cura de um coxo

Lições da Bíblia

“Em Atos 3:1, Pedro e João foram ao templo para a reunião de oração das 3 horas da tarde. Isso indica o caráter essencialmente judaico da fé da igreja nesse período inicial. Ou seja, os apóstolos não iam ao templo apenas para instruir ou fazer novos conversos, mas porque ainda eram judeus e, como tais, ainda estavam comprometidos com as tradições religiosas judaicas (At 20:16; 21:17-26), pelo menos até aquele momento. Ali eles realizaram um milagre impressionante (At 3:1-10), que deu a Pedro a oportunidade de pregar outro sermão.”1

“2. Leia Atos 3:12-26. Quais são as principais ênfases do sermão de Pedro?”1

Atos (3:12-26 ARA)2: “12 À vista disto, Pedro se dirigiu ao povo, dizendo: Israelitas, por que vos maravilhais disto ou por que fitais os olhos em nós como se pelo nosso próprio poder ou piedade o tivéssemos feito andar? 13 O Deus de Abraão, de Isaque e de Jacó, o Deus de nossos pais, glorificou a seu Servo Jesus, a quem vós traístes e negastes perante Pilatos, quando este havia decidido soltá-lo. 14 Vós, porém, negastes o Santo e o Justo e pedistes que vos concedessem um homicida. 15 Dessarte, matastes o Autor da vida, a quem Deus ressuscitou dentre os mortos, do que nós somos testemunhas. 16 Pela fé em o nome de Jesus, é que esse mesmo nome fortaleceu a este homem que agora vedes e reconheceis; sim, a fé que vem por meio de Jesus deu a este saúde perfeita na presença de todos vós. 17 E agora, irmãos, eu sei que o fizestes por ignorância, como também as vossas autoridades; 18 mas Deus, assim, cumpriu o que dantes anunciara por boca de todos os profetas: que o seu Cristo havia de padecer. 19 Arrependei-vos, pois, e convertei-vos para serem cancelados os vossos pecados, 20 a fim de que, da presença do Senhor, venham tempos de refrigério, e que envie ele o Cristo, que já vos foi designado, Jesus, 21 ao qual é necessário que o céu receba até aos tempos da restauração de todas as coisas, de que Deus falou por boca dos seus santos profetas desde a antiguidade. 22 Disse, na verdade, Moisés: O Senhor Deus vos suscitará dentre vossos irmãos um profeta semelhante a mim; a ele ouvireis em tudo quanto vos disser. 23 Acontecerá que toda alma que não ouvir a esse profeta será exterminada do meio do povo. 24 E todos os profetas, a começar com Samuel, assim como todos quantos depois falaram, também anunciaram estes dias. 25 Vós sois os filhos dos profetas e da aliança que Deus estabeleceu com vossos pais, dizendo a Abraão: Na tua descendência, serão abençoadas todas as nações da terra. 26 Tendo Deus ressuscitado o seu Servo, enviou-o primeiramente a vós outros para vos abençoar, no sentido de que cada um se aparte das suas perversidades.

“Cinco pontos principais caracterizaram a pregação da igreja primitiva: Jesus era o Messias sofredor (At 3:18); Deus O havia ressuscitado (At 3:15); Jesus havia sido exaltado no Céu (At 3:13); Ele voltaria (At 3:20); e o arrependimento era necessário para o perdão dos pecados (At 3:19).”1

“Em muitos aspectos, estamos levando ao mundo essa mesma mensagem, mesmo que o contexto tenha mudado. Os apóstolos ainda estavam em um contexto judaico no qual, em vez de mudarem de religião, as pessoas simplesmente tinham que ‘migrar’ da antiga aliança para a nova. Como parte do povo de Deus, eles tinham que aceitar o Messias e experimentar o novo nascimento, que resulta de uma verdadeira aceitação de Jesus.”1

“Hoje, embora a situação seja diferente, a mensagem ainda é essencialmente a mesma: Cristo morreu pelos nossos pecados, ressuscitou e virá outra vez. Isso significa, portanto, que podemos encontrar a salvação Nele. Mesmo no contexto das três mensagens angélicas de Apocalipse 14, a cruz, a ressurreição e o retorno de Cristo devem ser a ênfase central dessa mensagem que proclamamos.”1

“‘De todos os professos cristãos, os adventistas do sétimo dia devem ser os primeiros a exaltar a Cristo perante o mundo. A proclamação da terceira mensagem angélica pede a apresentação da verdade do sábado. Essa verdade, juntamente com outras incluídas na mensagem, tem que ser proclamada; mas o grande centro de atração, Cristo Jesus, não deve ser deixado à parte. É na cruz de Cristo que a misericórdia e a verdade se encontram, e a justiça e a paz se beijam. O pecador deve ser levado a olhar ao Calvário; com a fé singela de uma criancinha, deve confiar nos méritos do Salvador, aceitando Sua justiça, confiando em Sua misericórdia’ (Ellen G. White, Obreiros Evangélicos, p. 156, 157).”1

Segunda-feira, 16 de julho de 2018. Saiba mais, ouça o Comentário em áudio da Lição da Escola Sabatina (LES) ou se preferir faça um Curso Bíblico.
_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. O livro de Atos dos Apóstolos. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 493, jul. ago. set. 2018. Adulto, Professor.
2 BIBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

A cura de um coxo

Lições da Bíblia

“Em Atos 3:1, Pedro e João foram ao templo para a reunião de oração das 3 horas da tarde. Isso indica o caráter essencialmente judaico da fé da igreja nesse período inicial. Ou seja, os apóstolos não iam ao templo apenas para instruir ou fazer novos conversos, mas porque ainda eram judeus e, como tais, ainda estavam comprometidos com as tradições religiosas judaicas (At 20:16; 21:17-26), pelo menos até aquele momento. Ali eles realizaram um milagre impressionante (At 3:1-10), que deu a Pedro a oportunidade de pregar outro sermão.”1

“2. Leia Atos 3:12-26. Quais são as principais ênfases do sermão de Pedro?”1

Atos (3:12-26 ARA): “12 À vista disto, Pedro se dirigiu ao povo, dizendo: Israelitas, por que vos maravilhais disto ou por que fitais os olhos em nós como se pelo nosso próprio poder ou piedade o tivéssemos feito andar? 13 O Deus de Abraão, de Isaque e de Jacó, o Deus de nossos pais, glorificou a seu Servo Jesus, a quem vós traístes e negastes perante Pilatos, quando este havia decidido soltá-lo. 14 Vós, porém, negastes o Santo e o Justo e pedistes que vos concedessem um homicida. 15 Dessarte, matastes o Autor da vida, a quem Deus ressuscitou dentre os mortos, do que nós somos testemunhas. 16 Pela fé em o nome de Jesus, é que esse mesmo nome fortaleceu a este homem que agora vedes e reconheceis; sim, a fé que vem por meio de Jesus deu a este saúde perfeita na presença de todos vós. 17 E agora, irmãos, eu sei que o fizestes por ignorância, como também as vossas autoridades; 18 mas Deus, assim, cumpriu o que dantes anunciara por boca de todos os profetas: que o seu Cristo havia de padecer. 19 Arrependei-vos, pois, e convertei-vos para serem cancelados os vossos pecados, 20 a fim de que, da presença do Senhor, venham tempos de refrigério, e que envie ele o Cristo, que já vos foi designado, Jesus, 21 ao qual é necessário que o céu receba até aos tempos da restauração de todas as coisas, de que Deus falou por boca dos seus santos profetas desde a antiguidade. 22 Disse, na verdade, Moisés: O Senhor Deus vos suscitará dentre vossos irmãos um profeta semelhante a mim; a ele ouvireis em tudo quanto vos disser. 23 Acontecerá que toda alma que não ouvir a esse profeta será exterminada do meio do povo. 24 E todos os profetas, a começar com Samuel, assim como todos quantos depois falaram, também anunciaram estes dias. 25 Vós sois os filhos dos profetas e da aliança que Deus estabeleceu com vossos pais, dizendo a Abraão: Na tua descendência, serão abençoadas todas as nações da terra. 26 Tendo Deus ressuscitado o seu Servo, enviou-o primeiramente a vós outros para vos abençoar, no sentido de que cada um se aparte das suas perversidades.”.

“Cinco pontos principais caracterizaram a pregação da igreja primitiva: Jesus era o Messias sofredor (At 3:18); Deus O havia ressuscitado (At 3:15); Jesus havia sido exaltado no Céu (At 3:13); Ele voltaria (At 3:20); e o arrependimento era necessário para o perdão dos pecados (At 3:19).”1

“Em muitos aspectos, estamos levando ao mundo essa mesma mensagem, mesmo que o contexto tenha mudado. Os apóstolos ainda estavam em um contexto judaico no qual, em vez de mudarem de religião, as pessoas simplesmente tinham que ‘migrar’ da antiga aliança para a nova. Como parte do povo de Deus, eles tinham que aceitar o Messias e experimentar o novo nascimento, que resulta de uma verdadeira aceitação de Jesus.”1

“Hoje, embora a situação seja diferente, a mensagem ainda é essencialmente a mesma: Cristo morreu pelos nossos pecados, ressuscitou e virá outra vez. Isso significa, portanto, que podemos encontrar a salvação Nele. Mesmo no contexto das três mensagens angélicas de Apocalipse 14, a cruz, a ressurreição e o retorno de Cristo devem ser a ênfase central dessa mensagem que proclamamos.”1

“‘De todos os professos cristãos, os adventistas do sétimo dia devem ser os primeiros a exaltar a Cristo perante o mundo. A proclamação da terceira mensagem angélica pede a apresentação da verdade do sábado. Essa verdade, juntamente com outras incluídas na mensagem, tem que ser proclamada; mas o grande centro de atração, Cristo Jesus, não deve ser deixado à parte. É na cruz de Cristo que a misericórdia e a verdade se encontram, e a justiça e a paz se beijam. O pecador deve ser levado a olhar ao Calvário; com a fé singela de uma criancinha, deve confiar nos méritos do Salvador, aceitando Sua justiça, confiando em Sua misericórdia’ (Ellen G. White, Obreiros Evangélicos, p. 156, 157).”1

Segunda-feira, 25 de junho de 2018. Saiba mais, ouça o Comentário em áudio da Lição da Escola Sabatina (LES) ou se preferir faça um Curso Bíblico.
_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. Preparação para o tempo do fim. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 492, abr. maio jun. 2018. Adulto, Professor.
2 BIBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

Cura no sábado

Lições da Bíblia

“É muito interessante fazer uma leitura completa dos evangelhos para ver todas as vezes em que os escritores registraram incidentes ocorridos no sábado entre Jesus e os líderes religiosos. Se o sábado estava prestes a ser abolido, por qual motivo os escritores dos quatro evangelhos incluíram relatos, numerosos em alguns casos, da luta que Jesus travou com os líderes a respeito da guarda desse dia? Essa ideia se torna ainda mais evidente quando nos lembramos de que os evangelhos foram escritos muitos anos após o ministério de Jesus. Embora os estudiosos estejam divididos quanto às datas exatas, a maioria deles os coloca pelo menos 20 a 30 anos após a morte de Jesus. Assim, naquela altura, se o sábado já havia sido substituído pelo domingo, certamente não há qualquer alusão a essa mudança em nenhum dos relatos inspirados sobre a vida de Jesus. Portanto, temos fortes evidências de que o sábado não foi abolido, mudado nem substituído, por meio de qualquer exemplo ou ordem de Jesus registrada nos quatro evangelhos. Ao contrário, se olharmos para as ordens e o exemplo de Jesus, os evangelhos nos mostram que o sábado continua sendo válido.”1

“4. Leia Mateus 12:9-14. Qual é a questão envolvida nesse texto, e por que esse seria outro motivo para divergência?”1

“9 Tendo Jesus partido dali, entrou na sinagoga deles. 10 Achava-se ali um homem que tinha uma das mãos ressequida; e eles, então, com o intuito de acusá-lo, perguntaram a Jesus: É lícito curar no sábado? 11 Ao que lhes respondeu: Qual dentre vós será o homem que, tendo uma ovelha, e, num sábado, esta cair numa cova, não fará todo o esforço, tirando-a dali? 12 Ora, quanto mais vale um homem que uma ovelha? Logo, é lícito, nos sábados, fazer o bem. 13 Então, disse ao homem: Estende a mão. Estendeu-a, e ela ficou sã como a outra. 14 Retirando-se, porém, os fariseus, conspiravam contra ele, sobre como lhe tirariam a vida.” (Mateus 12:9-14 ARA)2.

Os fariseus não aceitavam que um ser humano fosse curado no sábado. Jesus curou o homem para mostrar que o propósito do sábado é aliviar o sofrimento humano.1

“‘Em outro sábado, ao entrar Jesus na sinagoga, viu ali um homem cuja mão era mirrada. Os fariseus O observavam, ansiosos para ver o que Ele faria. Bem sabia o Salvador que, curando no sábado, seria considerado transgressor, mas não hesitou em derrubar o muro das exigências tradicionais que obstruíam o sábado. […] Era uma máxima entre os judeus que deixar de fazer o bem, havendo oportunidade para isso, era fazer o mal; negligenciar salvar a vida, era matar. Assim, Jesus os atacou com suas próprias armas’ (Ellen G. White, O Desejado de Todas as Nações, p. 286).”1

“Novamente, como no incidente anterior, Jesus procurou indicar o propósito mais elevado da lei e da vida de fé. Essas pessoas prefeririam deixar aquele homem em sua dor e sofrimento, a transgredir suas próprias regras de origem humana a respeito do sábado, o qual havia sido tão pervertido que, embora eles tirassem um boi de uma cova nesse dia, se recusavam a aliviar o sofrimento de um ser humano.”1

“Precisamos ter muito cuidado para garantir que nossa maneira de praticar a fé não esteja atrapalhando o modo pelo qual Deus nos chamou a viver essa fé!”1

Quarta-feira, 04 de maio de 2016. Saiba mais, ouça o Comentário em áudio  da Lição da Escola Sabatina (LES) ou se preferir faça um Curso Bíblico.

__________________

1 LIÇÕES da escola sabatina. O Evangelho de Mateus. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 485, Abr. Mai. Jun. 2016. Adulto, Professor.

2 BIBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

Fé e cura – Estudo adicional

Lições da Bíblia

Assista em vídeo a discussão do tema da semana.

 

 

Estudo adicional

“Leia, de Ellen G. White, ‘Podes Tornar-me Limpo’, em O Desejado de Todas as Nações, p. 262-271.”1

“Os alemães têm um ditado: ‘Einmal ist keinmal’, que quer dizer, literalmente, ‘uma vez significa nenhuma vez’. É uma expressão idiomática cujo significado é: se algo acontece apenas uma vez, não conta, não importa. Se acontece apenas uma vez, poderia também nunca ter acontecido. Quer você concorde ou não, pense sobre essa ideia no contexto do estudo de quinta-feira, quando Jesus disse ao homem que desejava primeiro sepultar seu pai para depois ser discípulo: ‘Segue-Me, e deixa aos mortos o sepultar os seus próprios mortos’ (Mt 8:22). O que Jesus quis dizer ao deixar implícito que o homem vivo, na realidade, estava morto? Bem, se ‘einmal ist keinmal’, se ‘uma vez significa nenhuma vez’, então viver neste mundo apenas uma vez, sem a eternidade, seria como se uma pessoa nunca tivesse nascido. Seria a mesma coisa que estar morta (ver Jo 3:18). Os pensadores seculares, que não creem numa vida futura, têm se queixado da falta de sentido de uma vida que existe aqui apenas uma vez, e que, além disso, dura bem pouco antes de se dissipar por toda a eternidade. Que sentido há, perguntam eles, se após esse curto espaço de tempo deixamos de existir e somos esquecidos para sempre? Não é de admirar, portanto, a forte declaração de Jesus. Ele estava procurando indicar para o homem uma realidade mais ampla do que aquela que este mundo oferece.”1

Perguntas para reflexão

“1. Com base nas palavras de Jesus sobre deixar que os mortos sepultem os mortos, qual é a importância de conservar em mente o quadro mais amplo em tudo o que fazemos? Como nossa teologia nos ajuda a entender a amplitude desse quadro?”1

“2. Nem sempre conhecemos a vontade de Deus a respeito da cura física, mas sempre sabemos qual é Sua vontade a respeito da cura espiritual. De que forma isso deve afetar nossa vida de oração?”1

“3. Quais são as coisas mais importantes para você? Faça uma lista e leve para a classe. O que vocês podem aprender com as prioridades uns dos outros? O que nossas prioridades nos ensinam sobre nós mesmos e sobre nosso conceito de mundo, de Deus e uns dos outros? Qual seria a diferença entre a nossa lista e a de um grupo de ateus?”1

Sexta-feira, 22 de abril de 2016. Saiba mais, ouça o Comentário em áudio  da Lição da Escola Sabatina (LES) ou se preferir faça um Curso Bíblico.

__________________

1 LIÇÕES da escola sabatina. O Evangelho de Mateus. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 485, Abr. Mai. Jun. 2016. Adulto, Professor.

“Levanta-te e anda”

Lições da Bíblia

“Na lição de segunda, notamos que Jesus disse ao centurião que nem mesmo em Israel havia encontrado uma fé tão grande. Mas, naquele exato momento em Israel, um homem havia chegado a um ponto em que seu desejo de cura para o coração era muito maior do que o anseio de cura para o corpo.”1

“4. Leia Mateus 9:1-8. Que grande esperança encontramos nesse relato a respeito da promessa de perdão para nossos pecados, não importando quais tenham sido nem o dano que tenham causado? Ver também Rm 4:7; 1Jo 1:9; 1Jo 2:121

“1 Entrando Jesus num barco, passou para o outro lado e foi para a sua própria cidade. 2 E eis que lhe trouxeram um paralítico deitado num leito. Vendo-lhes a fé, Jesus disse ao paralítico: Tem bom ânimo, filho; estão perdoados os teus pecados. 3 Mas alguns escribas diziam consigo: Este blasfema. 4 Jesus, porém, conhecendo-lhes os pensamentos, disse: Por que cogitais o mal no vosso coração? 5 Pois qual é mais fácil? Dizer: Estão perdoados os teus pecados, ou dizer: Levanta-te e anda? 6 Ora, para que saibais que o Filho do Homem tem sobre a terra autoridade para perdoar pecados – disse, então, ao paralítico: Levanta-te, toma o teu leito e vai para tua casa. 7 E, levantando-se, partiu para sua casa. 8 Vendo isto, as multidões, possuídas de temor, glorificaram a Deus, que dera tal autoridade aos homens.” (Mateus 9:1-8 ARA). “Bem-aventurados aqueles cujas iniqüidades são perdoadas, e cujos pecados são cobertos;” (Romanos 4:7 ARA)2. “Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados e nos purificar de toda injustiça.” (1 João 1:9 ARA)2. “Filhinhos, eu vos escrevo, porque os vossos pecados são perdoados, por causa do seu nome.” (1 João 2:12 ARA)2.

Apesar dos nossos erros e suas consequências, Cristo nos perdoa, aceita e transforma. O Cristo que morreu para nos perdoar também tem autoridade para nos curar.1 

“É interessante o fato de que a primeira coisa da qual Jesus tratou quando o paralítico foi levado à Sua presença foi a condição espiritual do homem. Jesus, é claro, sabia exatamente qual era o verdadeiro problema. Apesar do estado físico miserável daquele homem, Cristo sabia que seu mais profundo problema era a culpa relacionada a uma vida cheia de pecado. Portanto, sabendo que o homem desejava o perdão, Jesus proferiu as palavras mais confortadoras para alguém que entende a realidade e o preço do pecado: ‘Estão perdoados os teus pecados.’ Ellen G. White declarou: ‘Não era, entretanto, o restabelecimento físico que ele desejava tanto, mas o alívio do fardo de pecado. Se pudesse ver Jesus, e receber a certeza do perdão e a paz com o Céu, estaria contente em viver ou morrer, segundo a vontade de Deus’ (O Desejado de Todas as Nações, p. 267).”

“Um pastor adventista pregava, muitas vezes, sobre a fé suficiente para não ser curado. Essa é a maior fé entre todas: quando olhamos para além de nossas circunstâncias físicas e nos concentramos na vida eterna. Frequentemente, nossos pedidos de oração estão relacionados às nossas necessidades físicas. Embora Deus Se importe com essas necessidades, em Seu Sermão do Monte, Jesus disse que devemos buscar ‘em primeiro lugar o Reino de Deus e a Sua justiça’ (Mt 6:33, NVI). No fim das contas, apesar de nossas necessidades físicas imediatas, neste mundo de tantas coisas temporais e fugazes, é fundamental conservar sempre diante de nós as coisas eternas.”1

“Sejam quais forem nossas lutas físicas, mesmo no pior cenário elas serão sempre e apenas temporais. Por que é fundamental nunca se esquecer dessa verdade?”1

Quarta-feira, 20 de abril de 2016. Saiba mais, ouça o Comentário em áudio  da Lição da Escola Sabatina (LES) ou se preferir faça um Curso Bíblico.

__________________

1 LIÇÕES da escola sabatina. O Evangelho de Mateus. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 485, Abr. Mai. Jun. 2016. Adulto, Professor.

2 BIBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.