Descanso sabático para a terra

Lições da Bíblia

“Como vimos, o sábado era uma parte enraizada no ciclo da vida da nação israelita. Mas o princípio do sábado não se referia apenas a um dia a cada semana. Ele também incluía um descanso especial em todo sétimo ano, culminando no ano do jubileu após sete séries de sete anos, ou seja, a cada 50 anos.”1

“5. Leia Levítico 25:1-7. O que é marcante nessa instrução? De que maneiras você pode incorporar esse princípio em sua vida e trabalho?”1

Levítico (25:1-7 ARA)2: “1 Disse o SENHOR a Moisés, no monte Sinai: 2 Fala aos filhos de Israel e dize-lhes: Quando entrardes na terra, que vos dou, então, a terra guardará um sábado ao SENHOR.Seis anos semearás o teu campo, e seis anos podarás a tua vinha, e colherás os seus frutos.Porém, no sétimo ano, haverá sábado de descanso solene para a terra, um sábado ao SENHOR; não semearás o teu campo, nem podarás a tua vinha. 5 O que nascer de si mesmo na tua seara não segarás e as uvas da tua vinha não podada não colherás; ano de descanso solene será para a terra. 6 Mas os frutos da terra em descanso vos serão por alimento, a ti, e ao teu servo, e à tua serva, e ao teu jornaleiro, e ao estrangeiro que peregrina contigo;e ao teu gado, e aos animais que estão na tua terra, todo o seu produto será por mantimento.”

“O ano sabático permitia que a terra agrícola permanecesse em repouso durante o ano. É um extraordinário ato de administração do solo, e a sabedoria dessa prática agrícola tem sido amplamente reconhecida.”1

“O sétimo ano também era importante para os escravos (veja Êx 21:1-11).

Êxodo (21:1-11 ARA): “1 São estes os estatutos que lhes proporás: 2 Se comprares um escravo hebreu, seis anos servirá; mas, ao sétimo, sairá forro, de graça. 3 Se entrou solteiro, sozinho sairá; se era homem casado, com ele sairá sua mulher. 4 Se o seu senhor lhe der mulher, e ela der à luz filhos e filhas, a mulher e seus filhos serão do seu senhor, e ele sairá sozinho. 5 Porém, se o escravo expressamente disser: Eu amo meu senhor, minha mulher e meus filhos, não quero sair forro. 6 Então, o seu senhor o levará aos juízes, e o fará chegar à porta ou à ombreira, e o seu senhor lhe furará a orelha com uma sovela; e ele o servirá para sempre. 7 Se um homem vender sua filha para ser escrava, esta não lhe sairá como saem os escravos. 8 Se ela não agradar ao seu senhor, que se comprometeu a desposá-la, ele terá de permitir-lhe o resgate; não poderá vendê-la a um povo estranho, pois será isso deslealdade para com ela. 9 Mas, se a casar com seu filho, tratá-la-á como se tratam as filhas. 10 Se ele der ao filho outra mulher, não diminuirá o mantimento da primeira, nem os seus vestidos, nem os seus direitos conjugais. 11 Se não lhe fizer estas três coisas, ela sairá sem retribuição, nem pagamento em dinheiro.”

“No caso de um israelita ficar tão endividado a ponto de se vender como escravo, ele seria libertado no sétimo ano. Da mesma forma, as dívidas pendentes deveriam ser canceladas no final do sétimo ano (veja Dt 15:1-11).”1

Deuteronômio (15:1-11 ARA): “Como ocorria no tempo do maná concedido por Deus aos israelitas no deserto, o fato de não plantar durante um período era um ato de confiança de que Deus proveria o suficiente no ano anterior e a partir daquilo que a terra produzisse por si mesma no ano sabático. Semelhantemente, libertar escravos e cancelar dívidas era um ato de misericórdia, mas também um ato de confiança no poder de Deus para suprir as necessidades deles. De certa maneira, as pessoas necessitavam descobrir que não precisavam oprimir os outros para se sustentarem.”1

“Os princípios e o modelo do sábado deveriam estar intimamente ligados à estrutura da sociedade israelita como um todo. Semelhantemente, a guarda do sábado contemporânea deve ser uma disciplina espiritual que transforme todos os nossos outros dias. Em sentido prático, o sábado é uma forma de viver as instruções de Jesus de buscar primeiramente ‘o Seu reino e a Sua justiça’. Ele disse: ‘Vosso Pai celeste sabe que necessitais de todas” essas coisas, e elas “vos serão acrescentadas’ (Mt 6:32, 33).”1

“Que diferença a guarda do sábado deve fazer para os outros seis dias da semana? Afinal, se alguém é ganancioso, egoísta e insensível de domingo a sexta-feira, é possível ser diferente no sábado? O que precisamos mudar para que a nossa semana seja mais parecida com o espírito do sábado?”1

Quinta-feira, 18 de julho de 2019. Saiba mais, faça um Curso Bíblico

_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. “Mesus pequeninos irmãos”: servindo aos necessitados. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 496, jul. ago. set. 2019. Adulto, Professor. 
2 BÍBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

Um dia de cura

Lições da Bíblia

“Embora a visão original do sábado e de sua observância seja ampla e inclusiva, o sábado se tornou algo bem diferente para muitos líderes religiosos na época em que Jesus veio à Terra. Em vez de um dia de liberdade e igualdade, o sábado se tornou um dia de restrições e regras humanas e tradicionais. Em Seus dias, Jesus Se opôs a essas atitudes, especialmente quando elas eram impostas aos outros.”1

“É interessante que Ele tenha feito isso de maneira mais significativa ao realizar diversas curas no sábado. Parece que Jesus realizou milagres intencionalmente nesse dia, e não em qualquer outro, para demonstrar algo importante sobre o que o sábado deveria ser. Muitas vezes Jesus comentou que a cura nesse dia era apropriada, e os fariseus usavam Suas declarações como desculpa para promover conspirações para matá-Lo.”1

“4. Leia as histórias sobre as curas de Jesus no sábado. Quais são as coisas mais significativas nesses relatos? Mt 12:9-13; Mc 1:21-26; 3:1-6; Jo 9:1-16”1

Mateus (12:9-13 ARA)2: 9 E, partindo dali, chegou à sinagoga deles. 10 E estava ali um homem que tinha uma das mãos mirrada; e eles, para acusarem Jesus, o interrogaram, dizendo: É lícito curar nos sábados? 11 E ele lhes disse: Qual dentre vós será o homem que, tendo uma ovelha, se num sábado ela cair numa cova, não lançará mão dela e a levantará? 12 Pois quanto mais vale um homem do que uma ovelha? É, por consequência, lícito fazer bem nos sábados. 13 Então disse àquele homem: Estende a mão. E ele a estendeu, e ficou sã como a outra.

Marcos (1:21-26 ARA)2: 21 Entraram em Cafarnaum, e, logo no sábado, indo ele à sinagoga, ali ensinava. 22 E maravilharam-se da sua doutrina, porque os ensinava como tendo autoridade e não como os escribas. 23 E estava na sinagoga deles um homem com um espírito imundo, o qual exclamou, dizendo: 24 Ah! Que temos contigo, Jesus Nazareno? Vieste destruir-nos? Bem sei quem és: o Santo de Deus. 25 E repreendeu-o Jesus, dizendo: Cala-te e sai dele. 26 Então, o espírito imundo, agitando-o e clamando com grande voz, saiu dele.

Marcos (3:1-6 ARA)2: 1 E outra vez entrou na sinagoga, e estava ali um homem que tinha uma das mãos mirrada. 2 E estavam observando-o se curaria no sábado, para o acusarem. 3 E disse ao homem que tinha a mão mirrada: Levanta-te e vem para o meio. 4 E perguntou-lhes: É lícito no sábado fazer bem ou fazer mal? Salvar a vida ou matar? E eles calaram-se. 5 E, olhando para eles em redor com indignação, condoendo-se da dureza do seu coração, disse ao homem: Estende a mão. E ele a estendeu, e foi-lhe restituída a mão, sã como a outra. 6 E, tendo saído os fariseus, tomaram logo conselho com os herodianos contra ele, procurando ver como o matariam.”

João (9:1-16 ARA)2: 1 E, passando Jesus, viu um homem cego de nascença. 2 E os seus discípulos lhe perguntaram, dizendo: Rabi, quem pecou, este ou seus pais, para que nascesse cego? 3 Jesus respondeu: Nem ele pecou, nem seus pais; mas foi assim para que se manifestem nele as obras de Deus. 4 Convém que eu faça as obras daquele que me enviou, enquanto é dia; a noite vem, quando ninguém pode trabalhar. 5 Enquanto estou no mundo, sou a luz do mundo. 6 Tendo dito isso, cuspiu na terra, e, com a saliva, fez lodo, e untou com o lodo os olhos do cego. 7 E disse-lhe: Vai, lava-te no tanque de Siloé (que significa o Enviado). Foi, pois, e lavou-se, e voltou vendo. 8 Então, os vizinhos e aqueles que dantes tinham visto que era cego diziam: Não é este aquele que estava assentado e mendigava? 9 Uns diziam: É este. E outros: Parece-se com ele. Ele dizia: Sou eu. 10 Diziam-lhe, pois: Como se te abriram os olhos? 11 Ele respondeu e disse-lhes: O homem chamado Jesus fez lodo, e untou-me os olhos, e disse-me: Vai ao tanque de Siloé e lava-te. Então, fui, e lavei-me, e vi. 12 Disseram-lhe, pois: Onde está ele? Respondeu: Não sei. 13 Levaram, pois, aos fariseus o que dantes era cego. 14 E era sábado quando Jesus fez o lodo e lhe abriu os olhos. 15 Tornaram, pois, também os fariseus a perguntar-lhe como vira, e ele lhes disse: Pôs-me lodo sobre os olhos, lavei-me e vejo. 16 Então, alguns dos fariseus diziam: Este homem não é de Deus, pois não guarda o sábado. Diziam outros: Como pode um homem pecador fazer tais sinais? E havia dissensão entre eles.”

“Jesus confirmou que o sábado é importante. Precisamos mantê-lo especial e permitir que esse tempo semanal seja uma oportunidade para crescermos em nosso relacionamento com Deus, com nossa família, igreja e comunidade. Mas a guarda do sábado não deve estar relacionada apenas com nossos interesses egoístas. Como Jesus disse: ‘É lícito, nos sábados, fazer o bem’ (Mt 12:12).”1

“Muitos membros da igreja fazem um bom trabalho em cuidar das outras pessoas. Mas também sentimos que devemos fazer mais para ajudar. Sabemos que Deus Se importa com os sofredores, oprimidos e abandonados e que devemos nos importar também. Visto que somos ordenados a não exercer nosso trabalho regular e ficamos livres das pressões da semana, no sábado temos tempo para nos concentrar nas outras pessoas como uma das formas de guardar esse dia de modo verdadeiro e ativo: ‘De acordo com o quarto mandamento, o sábado foi dedicado ao repouso e ao culto religioso. Toda atividade secular devia ser suspensa, mas as obras de misericórdia e beneficência estavam em harmonia com o propósito do Senhor. […] Aliviar os aflitos e confortar os tristes é um trabalho de amor que presta honra ao dia de Deus’ (Ellen G. White, Beneficência Social, p. 77).”1

“O que você faz para beneficiar os outros no sábado?”1

Quarta-feira, 17 de julho de 2019. Saiba mais, faça um Curso Bíblico

_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. “Mesus pequeninos irmãos”: servindo aos necessitados. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 496, jul. ago. set. 2019. Adulto, Professor. 
2 BÍBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

Um dia de igualdade

Lições da Bíblia

“Uma leitura rápida dos Dez Mandamentos em Êxodo 20 e Deuteronômio 5 torna evidente que o quarto mandamento é o mais detalhado. Enquanto alguns mandamentos são registrados em apenas duas palavras em algumas versões bíblicas, o quarto mandamento define o porquê, o como e quem está envolvido na lembrança do sábado.”

“3. Leia Êxodo 20:8-11. O que o texto diz sobre os servos, estrangeiros e animais? O que isso significa? Assinale a alternativa correta:”1

Êxodo (20:8-11 ARA)2: “8 Lembra-te do dia de sábado, para o santificar.9Seis dias trabalharás e farás toda a tua obra. 10 Mas o sétimo dia é o sábado do SENHOR, teu Deus; não farás nenhum trabalho, nem tu, nem o teu filho, nem a tua filha, nem o teu servo, nem a tua serva, nem o teu animal, nem o forasteiro das tuas portas para dentro; 11 porque, em seis dias, fez o SENHOR os céus e a terra, o mar e tudo o que neles há e, ao sétimo dia, descansou; por isso, o SENHOR abençoou o dia de sábado e o santificou.”

A (   ) Apenas nós devemos guardar o sábado.
B (   ) Devem descansar, pois todos somos iguais.

Resposta sugestiva: Alternativa B.

“Entre esses detalhes sobre o sábado, é notável o foco nas outras pessoas e criaturas. Sigve K. Tonstad argumentou que esse tipo de ordem é singular entre todas as culturas do mundo. O mandamento do sábado, explicou ele, ‘prioriza de baixo para cima e não de cima para baixo, considerando primeiramente os mais fracos e mais vulneráveis da sociedade. Os que mais necessitavam de descanso – o escravo, o estrangeiro e o animal de carga – foram mencionados de maneira especial. No descanso do sétimo dia, os desfavorecidos, e até os animais mudos, encontram um aliado’ (The Lost Meaning of the Seventh Day [Michigan: Andrews University Press, 2009, p. 126, 127).”

“O mandamento tem um foco especial na recomendação de que o sábado seja desfrutado por todos. À luz do sábado, somos iguais. Se você é um empregador, não tem autoridade para fazer seus empregados trabalharem nesse dia, pois Deus também deu a eles o descanso. Se você é empregado – ou mesmo escravo – o sábado será um lembrete de que foi igualmente criado e redimido por Deus e Ele o convida a celebrar esse fato de maneira diferente das suas obrigações habituais. Mesmo os estrangeiros que residem entre o povo guardador do sábado, ‘os estrangeiros que morarem em tuas cidades’ (Êx 20:10; NVI), devem se beneficiar do sábado.”1

“Essa ideia representa uma notável mudança de perspectiva para os israelitas, que haviam acabado de sair da escravidão e marginalização. Ao se estabelecerem na nova terra, Deus não desejava que eles adotassem os hábitos de seus antigos opressores. Além de lhes conceder leis detalhadas para sua sociedade, o Senhor concedeu a eles (e a nós), de uma forma poderosa, um lembrete semanal de que todos somos iguais diante de Deus.”1 “Como você pode compartilhar o sábado em sua comunidade de modo que os outros também se beneficiem desse dia?”1

Terça-feira, 16 de julho de 2019. Saiba mais, faça um Curso Bíblico

_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. “Mesus pequeninos irmãos”: servindo aos necessitados. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 496, jul. ago. set. 2019. Adulto, Professor. 
2 BÍBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

Duas razões para o sábado

Lições da Bíblia

“2. Leia Êxodo 20:8-11 e Deuteronômio 5:12-15. Como essas duas versões do quarto mandamento se complementam?”1

Êxodo (20:8-11 ARA)2: “8 Lembra-te do dia de sábado, para o santificar. 9 Seis dias trabalharás e farás toda a tua obra. 10 Mas o sétimo dia é o sábado do SENHOR, teu Deus; não farás nenhum trabalho, nem tu, nem o teu filho, nem a tua filha, nem o teu servo, nem a tua serva, nem o teu animal, nem o forasteiro das tuas portas para dentro; 11 porque, em seis dias, fez o SENHOR os céus e a terra, o mar e tudo o que neles há e, ao sétimo dia, descansou; por isso, o SENHOR abençoou o dia de sábado e o santificou.”

Deuteronômio (5:12-15 ARA)2: “12 Guarda o dia de sábado, para o santificar, como te ordenou o SENHOR, teu Deus. 13 Seis dias trabalharás e farás toda a tua obra. 14 Mas o sétimo dia é o sábado do SENHOR, teu Deus; não farás nenhum trabalho, nem tu, nem o teu filho, nem a tua filha, nem o teu servo, nem a tua serva, nem o teu boi, nem o teu jumento, nem animal algum teu, nem o estrangeiro das tuas portas para dentro, para que o teu servo e a tua serva descansem como tu; 15 porque te lembrarás que foste servo na terra do Egito e que o SENHOR, teu Deus, te tirou dali com mão poderosa e braço estendido; pelo que o SENHOR, teu Deus, te ordenou que guardasses o dia de sábado.”

“O ato de ‘lembrar’ é uma parte importante do relacionamento que Deus busca restabelecer com Seu povo – um relacionamento centrado no fato de que Ele é nosso Criador e Redentor. Ambas as funções aparecem nas duas versões bíblicas, o quarto mandamento define o porquê, o como e quem está envolvido na lembrança do sábado.”1

“Ao saírem de uma terra dominada por tantos deuses falsos, os israelitas precisavam ser lembrados da função do verdadeiro Deus como Criador. O sábado era uma forma crucial de fazer isso e se tornou ainda mais significativo no contexto do ciclo semanal de provisão extra de maná às sextas-feiras, um poderoso exemplo de Seu poder criativo. Deus, como Criador, é revelado mais claramente na versão do quarto mandamento apresentada em Êxodo 20.”1

“Em contrapartida, o resgate, a redenção e a salvação do povo são o foco do quarto mandamento em Deuteronômio 5. Os israelitas deviam recontar regularmente essa história de salvação; eles poderiam se reconectar com ela especialmente a cada sábado. Sua história tratava, em primeiro lugar, de um resgate real e físico da escravidão no Egito; contudo, à medida que sua compreensão de Deus e da salvação se desenvolvesse, o sábado também se tornaria um símbolo e celebração semanal de sua salvação espiritual.”1

“Ambas as motivações para a guarda do sábado tratavam da restauração do relacionamento entre Deus e Seu povo: ‘Também lhes dei os Meus sábados, para servirem de sinal entre Mim e eles, para que soubessem que Eu Sou o Senhor que os santifica’ (Ez 20:12). E, como vimos, a questão nunca foi somente a respeito desse grupo de pessoas. Fundamentados nesse relacionamento, os israelitas deveriam estabelecer uma nova sociedade que fosse bondosa com estrangeiros e uma bênção para o restante do mundo.”1

“‘O Senhor, teu Deus, te tirou dali com mão poderosa e braço estendido; pelo que o Senhor, teu Deus, te ordenou que guardasses o dia de sábado’ (Dt 5:15). Ao guardarmos o sábado como uma forma de lembrar e celebrar a nossa criação e redenção, podemos continuar crescendo em nosso relacionamento não apenas com o Senhor, mas com aqueles que nos rodeiam. Deus é bondoso conosco; portanto, devemos ser amáveis para com os outros.

“A guarda do sábado nos torna pessoas melhores, mais gentis, mais atenciosas e compassivas?”1

Segunda-feira, 15 de julho de 2019. Saiba mais, faça um Curso Bíblico

_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. “Mesus pequeninos irmãos”: servindo aos necessitados. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 496, jul. ago. set. 2019. Adulto, Professor. 
2 BÍBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

Maná suficiente

Lições da Bíblia

“Após gerações de escravidão e a degradação social que essa condição infligiu a Seu povo oprimido, Deus buscou elevar os recém-libertados israelitas, apontando-lhes um estilo de vida melhor e dando-lhes leis para a melhor organização de sua nova sociedade. Porém, uma das primeiras partes desse processo veio na forma de uma lição prática e instrutiva.”1

“Continuando durante todos os 40 anos de peregrinação do povo pelo deserto, esse ritmo de vida, evidência visível da provisão de Deus e do exercício de altruísmo, devia ter se tornado parte da cultura da sociedade israelita. Essa lição ocorreu na forma do maná, uma comida que aparecia no chão todas as manhãs ao redor do acampamento dos israelitas.”1

“1. Leia Êxodo 16:16-18. Em sua opinião, qual é a importância da medida específica para cada pessoa, enfatizada nesses versos?”1

Êxodo (16:16-18 ARA)2: “16 Eis o que o SENHOR vos ordenou: Colhei disso cada um segundo o que pode comer, um gômer por cabeça, segundo o número de vossas pessoas; cada um tomará para os que se acharem na sua tenda. 17 Assim o fizeram os filhos de Israel; e colheram, uns, mais, outros, menos. 18 Porém, medindo-o com o gômer, não sobejava ao que colhera muito, nem faltava ao que colhera pouco, pois colheram cada um quanto podia comer.”

“Em 2 Coríntios 8:10-15, Paulo fez referência a essa história como um exemplo de como os cristãos devem doar: ‘Neste tempo presente, a vossa abundância supra a falta dos outros, para que também a sua abundância supra a vossa falta, e haja igualdade’ (v. 14, ARC).”1

“A lição para os israelitas (e para nós) é esta: Deus concede o suficiente para Seu povo e para Suas criaturas. Se pegarmos apenas aquilo de que necessitamos e estivermos preparados para compartilhar o excedente com os outros, Deus cuidará de nós e nos proporcionará todas as coisas. Pegar apenas o maná suficiente para o dia exigia do povo a confiança de que haveria mais no dia seguinte. Pessoas oprimidas, como os escravos israelitas, tendem a se concentrar em sua sobrevivência; porém, Deus desejava mostrar a eles uma vida de confiança, generosidade e solidariedade.”1

“Mas havia outra dimensão notável nessa prática. Todas as sextas­feiras surgia no chão uma porção dupla de maná e, nesse dia – e somente nesse dia – as pessoas deviam recolher o maná extra, em preparação para o sábado. A provisão especial para o sábado se tornou um meio adicional para que o povo aprendesse a confiar no Senhor em todas as suas necessidades. Essa porção extra de maná, um ato de graça da parte de Deus, permitiu-lhes desfrutar ainda mais plenamente do descanso que Deus lhes prometeu no sábado.”1

“O que podemos fazer às sextas-feiras para aproveitar melhor o que Deus nos oferece no sábado?”1

Domingo, 14 de julho de 2019. Saiba mais, faça um Curso Bíblico

_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. “Mesus pequeninos irmãos”: servindo aos necessitados. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 496, jul. ago. set. 2019. Adulto, Professor. 
2 BÍBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

Sábado: um dia de liberdade

Lições da Bíblia

“O sábado foi estabelecido por causa do homem, e não o homem por causa do sábado” (Mc 2:27).

 “Deus criou o sábado como o ato final da semana de criação. Dizem que Ele não apenas descansou no sétimo dia, mas criou o descanso como parte integrante do mundo. O sábado foi uma demonstração de que fomos criados para interagir com Deus e uns com os outros.”1

“Portanto, não é surpresa constatar que o sábado, como um dos mandamentos no plano de Deus para Seu povo, aparece logo no início do estabelecimento da nova nação israelita. Ele devia ter uma função essencial na vida dos hebreus.”1

“Muitas vezes, quando falamos sobre o sábado, a conversa logo muda para a maneira pela qual devemos guardá-lo, quais coisas não devemos fazer e coisas similares. Por mais importantes que sejam essas questões, precisamos compreender a função integral que o sábado foi planejado para desempenhar no mundo e na vida do povo de Deus como um símbolo da graça e de Sua provisão.”1

“Como Jesus disse, o sábado foi criado para toda a humanidade. Quando realmente nos lembramos do sétimo dia, ele nos beneficia todos os dias da semana e, como Jesus demonstrou, ele também pode ser um meio para abençoar outras pessoas.”1

Sábado, 13 de julho de 2019. Saiba mais, faça um Curso Bíblico

_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. “Mesus pequeninos irmãos”: servindo aos necessitados. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 496, jul. ago. set. 2019. Adulto, Professor. 

Plano para um mundo melhor – Estudo adicional

Lições da Bíblia

Textos de Ellen G. White: Patriarcas e Profetas, p. 303-314 (“Israel Recebe a Lei”); p. 530-536 (“O Cuidado de Deus para com os Pobres”).

“Depois do reconhecimento dos direitos de Deus, nada há que mais caracterize as leis dadas por Moisés do que o espírito liberal, afetuoso e hospitaleiro ordenado para com os pobres. Embora Deus houvesse prometido abençoar grandemente Seu povo, não era Seu desígnio que a pobreza fosse inteiramente desconhecida entre eles. Ele declarou que os pobres nunca se acabariam na Terra. Sempre haveria entre Seu povo os que poriam em ação a compaixão, ternura e benevolência deles. Naquele tempo, como agora, as pessoas estavam sujeitas a contratempos, enfermidade e perda de propriedade. Entretanto, enquanto seguiram as instruções dadas por Deus, não houve mendigos entre eles, nem qualquer que sofresse fome” (Ellen G. White, Patriarcas e Profetas, p. 530, 531).1

“Aqueles estatutos destinavam-se a abençoar os ricos não menos que os pobres. Restringiriam a avareza e a disposição para a exaltação própria e cultivariam um espírito nobre e de beneficência; e, alimentando a boa vontade e a confiança entre todas as classes, promoveriam a ordem social e a estabilidade do governo. Nós nos achamos todos entretecidos na grande trama da humanidade, e o que quer que possamos fazer para beneficiar e elevar os outros refletirá em bênçãos a nós mesmos” (Patriarcas e Profetas, p. 534, 535).1

Perguntas para discussão

“1. Do plano de Deus para Israel, qual lei ou estatuto chama sua atenção?”1

“2. Nas leis de Deus para Seu povo, por que Ele Se concentra tanto nos mais vulneráveis?”1

“3. Como devemos entender essas leis hoje? Quais delas são relevantes para nós? O que aprendemos com essas instruções a respeito da maneira pela qual os israelitas deveriam ordenar sua sociedade e sua vida?”1

Resumo:

“Deus ouviu o clamor do povo de Israel no Egito e interveio para resgatá-lo. Ele desenvolveu uma aliança especial com eles e trabalhou com eles para estabelecer uma nova sociedade abençoada, mesmo para os esquecidos, marginalizados e vulneráveis.”1

Sexta-feira, 12 de julho de 2019. Saiba mais, faça um Curso Bíblico

_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. “Mesus pequeninos irmãos”: servindo aos necessitados. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 496, jul. ago. set. 2019. Adulto, Professor.