Unidade na adoração – Estudo adicional

Lições da Bíblia

Assista em vídeo a discussão do tema da semana.

Estudo adicional

Leia os artigos “Prayer” [Oração], p. 1044-1046 e “Worship” [Adoração], p. 1290, 1291, em Ellen G. White Encyclopedia.

“‘A importância do sábado como memória da criação consiste em conservar sempre presente o verdadeiro motivo de se render culto a Deus’ – porque Ele é o Criador, e nós as Suas criaturas. ‘O sábado […] ensina esta grande verdade da maneira mais impressionante, e nenhuma outra instituição faz isso. O verdadeiro fundamento para o culto divino, não meramente o daquele que se realiza no sétimo dia, mas de todo o culto, encontra-se na distinção entre o Criador e Suas criaturas. Esse fato capital jamais poderá se tornar obsoleto e jamais deverá ser esquecido’ (J. N. Andrews, História do Sábado, capítulo 27). Foi para conservar essa verdade sempre na mente dos homens que Deus instituiu o sábado no Éden; e, enquanto o fato de que Ele é o nosso Criador continuar a ser razão pela qual devemos adorá-Lo, permanecerá o sábado como sinal e memória disso. Tivesse sido o sábado universalmente guardado, os pensamentos e afeições dos seres humanos teriam sido dirigidos ao Criador como objeto de reverência e culto, jamais tendo havido idólatra, ateu ou incrédulo. A guarda do sábado é um sinal de lealdade para com o verdadeiro Deus […]. Segue-se que a mensagem que ordena aos homens adorar a Deus e guardar Seus mandamentos apelará especialmente para que observemos o quarto mandamento’ (Ellen G. White, O Grande Conflito, p. 437, 438).”1

Perguntas para discussão

“1. Os conceitos de adoração, criação e salvação estão intimamente ligados. A celebração do sábado poderia ser o antídoto para a adoração falsa? Que função o sábado desempenha na profecia de Apocalipse 14:6, 7? Como e por que esse texto se refere ao sábado?”1

“2. Alguns estão abandonando o culto da comunidade. O que sua igreja pode fazer para neutralizar essa tendência?”1

“Resumo: A adoração é a resposta ao dom da salvação. É também um elemento essencial da experiência de unidade e comunhão. Sem a oração e o estudo da Bíblia, com o desejo de conhecer a verdade, nossa comunidade não experimentará a unidade em Cristo.”1

Sexta-feira, 14 de dezembro de 2018. Saiba mais, ouça o Comentário em áudio da Lição da Escola Sabatina (LES) ou se preferir faça um Curso Bíblico.
_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. Unidade em Cristo. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 494, out. nov. dez. 2018. Adulto, Professor.

O partir do pão e as orações

Lições da Bíblia

“Apesar dos desafios enfrentados pela igreja primitiva, os cristãos estavam unidos em sua fé em Jesus e na verdade que Ele os havia incumbido de propagar ao mundo. Pedro a chamou de ‘verdade presente’ (2Pe 1:12). Portanto, unidos na verdade, eles expressaram sua unidade de várias maneiras.”1

“‘E perseveravam […] no partir do pão e nas orações’ (At 2:42). Essa referência ao partir do pão provavelmente esteja relacionada a uma refeição comunitária ou às refeições regulares compartilhadas entre os cristãos. Em algum momento durante a refeição comunitária, era oferecida uma bênção especial sobre o pão e a bebida em memória da morte e ressurreição de Jesus, na expectativa de Seu breve retorno. Portanto, os primeiros cristãos dedicavam seu tempo a relembrar o significado da vida e ministério de Jesus e amavam falar sobre isso nas refeições de comunhão. As refeições que eles compartilhavam tornaram-se momentos de adoração. ‘Diariamente perseveravam unânimes no templo, partiam pão de casa em casa e tomavam as suas refeições com alegria e singeleza de coração, louvando a Deus e contando com a simpatia de todo o povo. Enquanto isso, acrescentava-lhes o Senhor, dia a dia, os que iam sendo salvos’ (At 2:46, 47). Evidentemente, esses momentos de comunhão ajudaram a fortalecer o senso de unidade que eles tinham em Jesus.”1

“7. Quais exemplos existem no livro de Atos de que os primeiros cristãos oravam juntos? Pelo que eles oravam?”1

At 1:14 “Todos estes perseveravam unânimes em oração, com as mulheres, com Maria, mãe de Jesus, e com os irmãos dele.

At 4:23-31 “23 Uma vez soltos, procuraram os irmãos e lhes contaram quantas coisas lhes haviam dito os principais sacerdotes e os anciãos. 24 Ouvindo isto, unânimes, levantaram a voz a Deus e disseram: Tu, Soberano Senhor, que fizeste o céu, a terra, o mar e tudo o que neles há; 25 que disseste por intermédio do Espírito Santo, por boca de Davi, nosso pai, teu servo: Por que se enfureceram os gentios, e os povos imaginaram coisas vãs? 26 Levantaram-se os reis da terra, e as autoridades ajuntaram-se à uma contra o Senhor e contra o seu Ungido; 27 porque verdadeiramente se ajuntaram nesta cidade contra o teu santo Servo Jesus, ao qual ungiste, Herodes e Pôncio Pilatos, com gentios e gente de Israel, 28 para fazerem tudo o que a tua mão e o teu propósito predeterminaram; 29 agora, Senhor, olha para as suas ameaças e concede aos teus servos que anunciem com toda a intrepidez a tua palavra, 30 enquanto estendes a mão para fazer curas, sinais e prodígios por intermédio do nome do teu santo Servo Jesus. 31 Tendo eles orado, tremeu o lugar onde estavam reunidos; todos ficaram cheios do Espírito Santo e, com intrepidez, anunciavam a palavra de Deus.

At 12:12 “Considerando ele a sua situação, resolveu ir à casa de Maria, mãe de João, cognominado Marcos, onde muitas pessoas estavam congregadas e oravam.

“Os cristãos primitivos apreciavam a oportunidade de se comunicarem diretamente com Deus e nunca deixavam de oferecer petições a Ele quando se reuniam em adoração. Em sua primeira epístola a Timóteo, Paulo mencionou a importância da oração quando os cristãos estão reunidos (1Tm 2:1). Para os efésios, ele também enfatizou a necessidade de oração: ‘Com toda oração e súplica, orando em todo tempo no Espírito e para isto vigiando com toda perseverança e súplica por todos os santos e também por mim’ (Ef 6:18, 19).”1

“Como podemos experimentar uma unidade mais profunda mediante o poder da oração intercessora? Essa oração ajuda a nos unir como igreja?”1

Quinta-feira, 13 de dezembro de 2018. Saiba mais, ouça o Comentário em áudio da Lição da Escola Sabatina (LES) ou se preferir faça um Curso Bíblico.
_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. Unidade em Cristo. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 494, out. nov. dez. 2018. Adulto, Professor.
2 BIBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

Estudo da Bíblia e comunhão

Lições da Bíblia

“5.Leia Atos 2:42. Quais eram alguns elementos da adoração cristã primitiva? Complete as lacunas:”1

E perseveravam na doutrina dos apóstolos e na comunhão, no partir do pão e nas orações” (At 2:42).

“‘E perseveravam na doutrina dos apóstolos e na comunhão’ (At 2:42). Desde os primórdios da igreja, a adoração tem sido caracterizada pela centralidade do estudo da Palavra de Deus, que nos foi dada pelos apóstolos e profetas. Os primeiros cristãos foram fiéis ao que as Escrituras revelam sobre Jesus, o Messias. Eles estavam em constante comunhão a fim de compartilhar entre si as bênçãos que Deus lhes tinha dado e se encorajarem mutuamente em sua caminhada espiritual. Na Palavra de Deus, eles extraíram as verdades sagradas que se tornaram o fundamento de sua mensagem ao mundo.”1

“6. O que as seguintes passagens declaram sobre a importância de estudar a Palavra de Deus em comunhão com outros cristãos?”1

2Rs 22:8-13 “8 Então, disse o sumo sacerdote Hilquias ao escrivão Safã: Achei o Livro da Lei na Casa do SENHOR. Hilquias entregou o livro a Safã, e este o leu. 9 Então, o escrivão Safã veio ter com o rei e lhe deu relatório, dizendo: Teus servos contaram o dinheiro que se achou na casa e o entregaram nas mãos dos que dirigem a obra e têm a seu cargo a Casa do SENHOR. 10 Relatou mais o escrivão Safã ao rei, dizendo: O sacerdote Hilquias me entregou um livro. E Safã o leu diante do rei. 11 Tendo o rei ouvido as palavras do Livro da Lei, rasgou as suas vestes. 12 Ordenou o rei a Hilquias, o sacerdote, a Aicão, filho de Safã, a Acbor, filho de Micaías, a Safã, o escrivão, e a Asaías, servo do rei, dizendo: 13 Ide e consultai o SENHOR por mim, pelo povo e por todo o Judá, acerca das palavras deste livro que se achou; porque grande é o furor do SENHOR que se acendeu contra nós, porquanto nossos pais não deram ouvidos às palavras deste livro, para fazerem segundo tudo quanto de nós está escrito.

At 17:10, 11 “10 E logo, durante a noite, os irmãos enviaram Paulo e Silas para Beréia; ali chegados, dirigiram-se à sinagoga dos judeus. 11 Ora, estes de Beréia eram mais nobres que os de Tessalônica; pois receberam a palavra com toda a avidez, examinando as Escrituras todos os dias para ver se as coisas eram, de fato, assim.

2Tm 3:14-17 “14 Tu, porém, permanece naquilo que aprendeste e de que foste inteirado, sabendo de quem o aprendeste 15 e que, desde a infância, sabes as sagradas letras, que podem tornar-te sábio para a salvação pela fé em Cristo Jesus. 16 Toda a Escritura é inspirada por Deus e útil para o ensino, para a repreensão, para a correção, para a educação na justiça, 17 a fim de que o homem de Deus seja perfeito e perfeitamente habilitado para toda boa obra.

“‘Onde quer que as verdades do evangelho sejam proclamadas, os que honestamente desejam proceder com retidão serão levados a exame diligente das Escrituras. Se, nas cenas finais da história da Terra, aqueles a quem são proclamadas verdades decisivas seguissem o exemplo dos bereanos, examinando diariamente as Escrituras, e comparando com a Palavra de Deus as mensagens a eles levadas, haveria hoje grande número de pessoas leais aos preceitos da lei de Deus, onde agora existem relativamente poucos’ (Ellen G. White, Atos dos Apóstolos, p. 232).”1

“Somos um povo unido em virtude das verdades que proclamamos, encontradas na Palavra de Deus. Foi assim com a igreja de Deus nos tempos primitivos, e assim é com a igreja hoje. O estudo da Bíblia constitui o centro da nossa adoração ao Senhor e da nossa unidade como povo chamado a proclamar as três mensagens angélicas ao mundo. Quando nos reunimos como uma família para comunhão e adoração, as Escrituras nos falam as palavras de Deus para guiar nossa vida na preparação para a missão e para a segunda vinda de Jesus.”1

“Suas crenças estão firmemente fundamentadas na Bíblia? Assim como os três jovens hebreus, você está firme o suficiente para permanecer fiel diante da morte?”1

Quarta-feira, 12 de dezembro de 2018. Saiba mais, ouça o Comentário em áudio da Lição da Escola Sabatina (LES) ou se preferir faça um Curso Bíblico.
_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. Unidade em Cristo. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 494, out. nov. dez. 2018. Adulto, Professor.
2 BIBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

A primeira mensagem angélica

Lições da Bíblia

“Os adventistas do sétimo dia entendem que as três mensagens angélicas de Apocalipse 14:6-12 representam sua missão e o centro de sua mensagem antes da segunda vinda de Jesus (Ap 14:14-20). Essas são as importantes mensagens a ser pregadas ‘em grande voz’ a todos os habitantes da Terra.”1

“4. Leia Apocalipse 14:6, 7. Qual é a mensagem do primeiro anjo e o que ela revela sobre Deus? Por que há uma referência à adoração nessa mensagem?”1

Apocalipse (14:6, 7 ARA)2: “6 Vi outro anjo voando pelo meio do céu, tendo um evangelho eterno para pregar aos que se assentam sobre a terra, e a cada nação, e tribo, e língua, e povo, 7 dizendo, em grande voz: Temei a Deus e dai-lhe glória, pois é chegada a hora do seu juízo; e adorai aquele que fez o céu, e a terra, e o mar, e as fontes das águas.

“A primeira das três mensagens angélicas é uma proclamação a todo o mundo. É o cumprimento da predição feita por Jesus em Mateus 24:14. Há um senso de urgência e pressa na descrição desses três anjos e de sua missão. A primeira mensagem exorta o povo a se concentrar em Deus, ‘pois é chegada a hora do Seu juízo’ (Ap 14:7). A segunda vinda de Cristo é o elemento catalisador do juízo.”1

“‘Temei a Deus’, disse o anjo (Ap 14:7). Essa mensagem e chamado à ação, de fato, produzirão medo na mente dos que não levam Deus a sério. Mas para os seguidores de Jesus, esse chamado é um convite à admiração e respeito. Eles admiram o Senhor e veem o cumprimento de Suas promessas. Um sentimento de reverência e gratidão a Deus tomará conta deles.”1

“‘E adorai Aquele que fez o céu, e a terra, e o mar, e as fontes das águas’ (Ap 14:7). Essa linguagem faz uma alusão inconfundível ao mandamento do sábado, com sua referência à criação (veja Êx 20:8-11). O Deus da criação, que instituiu o sábado como memorial de Seu poder criador, deve ser adorado e reverenciado.”1

“É interessante notar que, no tempo do fim, a adoração é identificada como uma questão fundamental no grande conflito pela fidelidade de cada ser humano. Essa proclamação mundial é um chamado para adorar o Criador.”1

“A adoração será o principal ponto de debate na crise final. O Apocalipse deixa claro que a prova não será a negação da adoração, mas quem será adorado. No tempo do fim, somente dois grupos de pessoas estarão no mundo: aquelas que temem e adoram o Deus verdadeiro (Ap 11:1, 18; 14:7) e as que odeiam a verdade e adoram o dragão e a besta (Ap 13:4-8; 14:9-11) […].”1

“‘Se a adoração é o principal ponto de debate no conflito final, não é de admirar que Deus envie Seu evangelho do tempo do fim, exortando os habitantes da Terra a levá-Lo a sério e adorá-Lo como Criador, o único digno de adoração’ (Ranko Stefanovic, Revelation of Jesus Christ: Commentary on the Book of Revelation. Berrien Springs, Mich.: Andrews University Press, 2002, p. 444, 445).”1

Terça-feira, 11 de dezembro de 2018. Saiba mais, ouça o Comentário em áudio da Lição da Escola Sabatina (LES) ou se preferir faça um Curso Bíblico.
_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. Unidade em Cristo. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 494, out. nov. dez. 2018. Adulto, Professor.
2 BIBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

Falsa adoração

Lições da Bíblia

“2. De acordo com Mateus 4:8, 9, qual foi a terceira tentação de Jesus no deserto? Assinale “V” para verdadeiro ou “F” para falso:”1

Mateus (4:8, 9 ARA)2: “8 Levou-o ainda o diabo a um monte muito alto, mostrou-lhe todos os reinos do mundo e a glória deles 9 e lhe disse: Tudo isto te darei se, prostrado, me adorares.

A (  ) Jesus foi tentado a transformar pedras em pães.
B (  ) Ele foi tentado a se prostrar e adorar Satanás.

Resposta sugestiva: Alternativa B.

“Com orgulho e arrogância, Satanás se declarou o legítimo governante do mundo, o dono de suas riquezas e glórias, reivindicando a honra e o respeito de todos os que nele vivem, como se ele o tivesse criado. Que insulto a Deus, o Criador e Pai de Jesus! Satanás demonstrou saber exatamente o que é adoração: honrar e respeitar o legítimo dono do Universo.”1

“3. Compare a experiência dos três hebreus, em Daniel 3, com a situação dos cristãos no fim dos tempos, descrita em Apocalipse 13:4 e 14:9-11. O que estará em jogo nesse tempo? Qual é a questão central em ambos os relatos?”1

Apocalipse (13:4 ARA)2: “e adoraram o dragão porque deu a sua autoridade à besta; também adoraram a besta, dizendo: Quem é semelhante à besta? Quem pode pelejar contra ela?

Apocalipse (14:9-11 ARA)2: “9 Seguiu-se a estes outro anjo, o terceiro, dizendo, em grande voz: Se alguém adora a besta e a sua imagem e recebe a sua marca na fronte ou sobre a mão, 10 também esse beberá do vinho da cólera de Deus, preparado, sem mistura, do cálice da sua ira, e será atormentado com fogo e enxofre, diante dos santos anjos e na presença do Cordeiro. 11 A fumaça do seu tormento sobe pelos séculos dos séculos, e não têm descanso algum, nem de dia nem de noite, os adoradores da besta e da sua imagem e quem quer que receba a marca do seu nome.

“Desde Caim e Abel até o tempo dos três hebreus em Babilônia e até os eventos finais em relação à ‘marca da besta’ (Ap 16:2), Satanás tem buscado estabelecer um falso sistema de adoração que leve as pessoas para longe do Deus verdadeiro e, mesmo que sutilmente, dirija a adoração para si mesmo. Afinal de contas, mesmo antes da queda, ele desejava ser como Deus (Is 14:14). Não é coincidência o fato de que, assim como os três jovens enfrentaram a ameaça de morte, a menos que adorassem uma ‘imagem’, nos últimos dias o povo fiel de Deus enfrentará a ameaça de morte, a menos que também adore uma ‘imagem’. Por que adorar uma ‘imagem’ quando somos chamados a adorar o verdadeiro Deus?”1

“‘Importantes são as lições a ser aprendidas da experiência dos jovens hebreus na planície de Dura […]. Os tempos de provação que estão diante do povo de Deus reclamam uma fé que não vacile. Seus filhos devem tornar manifesto que Ele é o único objeto do seu culto, e que nenhuma consideração, nem mesmo o risco da própria vida, pode induzi-los a fazer a mínima concessão a um culto falso. Para o coração leal, as leis de homens pecaminosos e finitos se tornam insignificantes ao lado da Palavra do eterno Deus. A verdade será obedecida, embora o resultado seja prisão, exílio ou morte’ (Ellen G. White, Profetas e Reis, p. 512, 513).”1

“De que maneira podemos ser tentados a adorar outro poder em lugar do único Ser digno da nossa adoração? Como a falsa adoração pode ser uma ameaça mais sutil do que percebemos? O que podemos ser tentados a adorar?”1

Segunda-feira, 10 de dezembro de 2018. Saiba mais, ouça o Comentário em áudio da Lição da Escola Sabatina (LES) ou se preferir faça um Curso Bíblico.
_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. Unidade em Cristo. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 494, out. nov. dez. 2018. Adulto, Professor.
2 BIBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

Adorando nosso Criador e Redentor

Lições da Bíblia

“Nas discussões sobre adoração, muitas vezes destacamos os elementos da adoração, o que ela inclui e como é realizada. Mas qual é o significado profundo da adoração? O que significa adorar a Deus? E por que o fazemos? No Salmo 29:2, Davi declarou: ‘Tributai ao Senhor a glória devida ao Seu nome, adorai o Senhor na beleza da santidade’ (Sl 29:2). Esse salmo nos indica o significado da adoração. Adorar o Senhor é dar-Lhe a glória e a honra que Ele merece.”1

“1. Apocalipse 4 e 5 descrevem a entronização de Jesus no Céu em Sua ascensão. De acordo com os habitantes do Céu, quais são as razões para adorarmos a Deus e a Jesus, o Cordeiro? Veja Apocalipse 4:8, 11; 5:9, 10, 12, 13.”1

Apocalipse (4:8, 11 ARA)2: “8 E os quatro seres viventes, tendo cada um deles, respectivamente, seis asas, estão cheios de olhos, ao redor e por dentro; não têm descanso, nem de dia nem de noite, proclamando: Santo, Santo, Santo é o Senhor Deus, o Todo-Poderoso, aquele que era, que é e que há de vir. […] 11 Tu és digno, Senhor e Deus nosso, de receber a glória, a honra e o poder, porque todas as coisas tu criaste, sim, por causa da tua vontade vieram a existir e foram criadas.

Apocalipse (5:9, 10, 12, 13 ARA)2: “9 e entoavam novo cântico, dizendo: Digno és de tomar o livro e de abrir-lhe os selos, porque foste morto e com o teu sangue compraste para Deus os que procedem de toda tribo, língua, povo e nação 10 e para o nosso Deus os constituíste reino e sacerdotes; e reinarão sobre a terra. […] 12 proclamando em grande voz: Digno é o Cordeiro que foi morto de receber o poder, e riqueza, e sabedoria, e força, e honra, e glória, e louvor. 13 Então, ouvi que toda criatura que há no céu e sobre a terra, debaixo da terra e sobre o mar, e tudo o que neles há, estava dizendo: Àquele que está sentado no trono e ao Cordeiro, seja o louvor, e a honra, e a glória, e o domínio pelos séculos dos séculos.

“É impressionante essa descrição da adoração na sala do trono do Céu, quando Jesus é apresentado como o Cordeiro de Deus e Salvador do mundo. A adoração ocorre quando as criaturas de Deus Lhe respondem com palavras de reverência e gratidão pelo que Ele tem feito. Adoração é a resposta de uma pessoa grata ao Senhor pela criação e salvação. No fim dos tempos, os remidos também se unirão em adoração e responderão à salvação divina de maneira semelhante. ‘Grandes e admiráveis são as Tuas obras, Senhor Deus, Todo-Poderoso! Justos e verdadeiros são os Teus caminhos, ó Rei das nações! Quem não temerá e não glorificará o Teu nome, ó Senhor? Pois só Tu és santo; por isso, todas as nações virão e adorarão diante de Ti, porque os Teus atos de justiça se fizeram manifestos’ (Ap 15:3, 4).”1

“Portanto, a adoração é uma resposta da nossa fé em Deus por Suas obras poderosas: primeiramente, por nos criar e, em segundo lugar, por nos redimir. Ao adorarmos, damos a Deus o louvor, a reverência, o amor e a obediência que Ele merece receber. Nosso conhecimento sobre Deus como Criador e Salvador é o resultado do que Ele nos revelou nas Escrituras. Além disso, o que conhecemos sobre Ele nos foi revelado mais plenamente na pessoa e no ministério de Jesus (Jo 14:8-14). Por essa razão, adoramos Jesus como nosso Salvador e Redentor, pois Sua morte sacrifical e ressurreição estão no centro da adoração.”1

“Ao nos reunirmos para adorar, nossa adoração deve se originar desse sentimento de admiração e gratidão.”1

“Pense no que recebemos em Cristo como Criador e Salvador, naquilo de que Ele nos poupou e no que Ele nos oferece por Sua morte voluntária em nosso lugar. Por que essas verdades devem ser o fundamento da nossa adoração?”1

Domingo, 09 de dezembro de 2018. Saiba mais, ouça o Comentário em áudio da Lição da Escola Sabatina (LES) ou se preferir faça um Curso Bíblico.
_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. Unidade em Cristo. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 494, out. nov. dez. 2018. Adulto, Professor.
2 BIBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

Unidade na adoração

Lições da Bíblia

Vi outro anjo voando pelo meio do céu, tendo um evangelho eterno para pregar aos que se assentam sobre a Terra, e a cada nação, e tribo, e língua, e povo, dizendo, em grande voz: Temei a Deus e dai-Lhe glória, pois é chegada a hora do Seu juízo; e adorai Aquele que fez o céu, e a terra, e o mar, e as fontes das águas” (Ap 14:6, 7).1

“Logo após o Pentecostes, os primeiros cristãos passaram a maior parte do tempo em adoração. ‘E perseveravam na doutrina dos apóstolos e na comunhão, no partir do pão e nas orações’ (At 2:42). A alegria resultante do conhecimento de Jesus como o Messias (o cumprimento das profecias do Antigo Testamento) encheu o coração deles de ações de graças e gratidão a Deus. Que privilégio conhecer essa verdade maravilhosa! Esses primeiros cristãos sentiram a necessidade de passar tempo juntos em comunhão, estudo e oração, a fim de mostrar gratidão a Deus por Sua revelação na vida, morte e ressurreição de Jesus e pelo que Ele havia feito na vida deles.”1

“Por definição, a igreja de Jesus Cristo é uma comunidade de adoração, criada por Deus para ser ‘casa espiritual’, a fim de que sejamos ‘sacerdócio santo, oferecendo sacrifícios espirituais aceitáveis a Deus, por meio de Jesus Cristo’ (1Pe 2:5, NVI). A gratidão a Deus, expressa na adoração em comunidade, transforma o coração e a mente das pessoas à semelhança do caráter divino e as prepara para o serviço.”1

“A lição desta semana focaliza o significado da adoração e como ela preserva a unidade entre os cristãos.”1

Sábado, 08 de dezembro de 2018. Saiba mais, ouça o Comentário em áudio da Lição da Escola Sabatina (LES) ou se preferir faça um Curso Bíblico.
_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. Unidade em Cristo. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 494, out. nov. dez. 2018. Adulto, Professor.