Os levitas nos campos

Lições da Bíblia

“2. De acordo com Neemias 13:10-14, o que o servo de Deus buscou remediar? Assinale a alternativa correta:”1

Neemias (13:10-14 ARA)2: “10 Também soube que os quinhões dos levitas não se lhes davam, de maneira que os levitas e os cantores, que faziam o serviço, tinham fugido cada um para o seu campo. 11 Então, contendi com os magistrados e disse: Por que se desamparou a Casa de Deus? Ajuntei os levitas e os cantores e os restituí a seus postos. 12 Então, todo o Judá trouxe os dízimos dos cereais, do vinho e do azeite aos depósitos. 13 Por tesoureiros dos depósitos pus Selemias, o sacerdote, Zadoque, o escrivão, e, dentre os levitas, Pedaías; como assistente deles, Hanã, filho de Zacur, filho de Matanias; porque foram achados fiéis, e se lhes encarregou que repartissem as porções para seus irmãos. 14 Por isto, Deus meu, lembra-te de mim e não apagues as beneficências que eu fiz à casa de meu Deus e para o seu serviço.”

A. (   ) A dor e a pobreza das viúvas e dos órfãos.
B. (   ) A escassez dos levitas, que fugiam para o campo porque não havia mais sustento para eles no templo.

Resposta sugestiva: Alternativa B.

“Cantores, porteiros e outros servos do templo tiveram que voltar a trabalhar nos campos para alimentar seus familiares, visto que a obra de Deus não estava sendo sustentada. Todo o sistema de dízimos e ofertas, que havia sido estabelecido de modo tão meticuloso, agora estava em ruínas. Neemias teve que começar de novo. O ato de atirar todos os móveis para fora do aposento revela desespero (Ne 13:8).”1

“Não somente o templo havia sido profanado, mas as ofertas tinham sido mal-empregadas. Isso estava desencorajando a liberalidade do povo. Haviam perdido seu zelo e fervor e relutavam em entregar o dízimo. A tesouraria da casa do Senhor estava pobremente suprida; muitos dos cantores e outros empregados nos serviços do templo, não recebendo sustento suficiente, haviam deixado a obra de Deus para trabalharem em outras partes” (Ellen G. White, Profetas e Reis, p. 670).1

“É impressionante ver que todo o povo de Judá se reuniu novamente e reconstruiu o que havia sido destruído. As pessoas estavam do lado de Neemias, opondo-se a Tobias e a Eliasibe, porque devem ter percebido que o servo de Deus fez tudo o que pôde para o benefício delas. Além disso, o governador confiou os cargos de superintendentes do templo a homens que ele considerava fiéis e confiáveis. Eles receberam a tarefa de coletar os dízimos e as ofertas, certificando-se de que as mercadorias fossem armazenadas adequadamente e distribuindo os recursos para os grupos apropriados. Em outras palavras, parece que o corrupto sistema de liderança foi extirpado de uma só vez.”1

“Embora Neemias tivesse nomeado homens fiéis para a organização do templo, o corrupto Eliasibe, sumo sacerdote, não perdeu sua posição, pois ela havia sido transmitida mediante a descendência de Arão. Sua obra no templo pode ter sido prejudicada porque outras pessoas foram nomeadas para administrar algumas responsabilidades do sumo sacerdote; no entanto, ele ainda mantinha essa função.”1

“Neemias havia orado: ‘Deus meu, lembra-Te de mim e não apagues as beneficências que eu fiz à casa de meu Deus e para o Seu serviço’ (Ne 13:14). O que havia de tão humano nessa oração?”1

Segunda-feira, 09 de dezembro de 2019. Saiba mais, faça um Curso Bíblico

_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. Esdras e Neemias. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 498, out. nov. dez. 2019. Adulto, Professor. 
2 BÍBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

Liderança do templo corrompida

Lições da Bíblia

“Neemias 13 começa com a preocupação acerca dos amonitas e moabitas, estrangeiros e idólatras, no meio de Israel (Ne 13:1-3). Esses versos não falam de afastar indivíduos simplesmente por serem de uma nação ou etnia diferente, mas referem-se à recomendação de mandar embora os que tinham uma fé diferente, pois não eram convertidos, adoravam idólos e não seguiam a Deus

(veja também Dt 23:3-6 [‘3 Nenhum amonita ou moabita entrará na assembleia do Senhor; nem ainda a sua décima geração entrará na assembleia do Senhor, eternamente. 4 Porquanto não foram ao vosso encontro com pão e água, no caminho, quando saíeis do Egito; e porque alugaram contra ti Balaão, filho de Beor, de Petor, da Mesopotâmia, para te amaldiçoar. 5 Porém o Senhor, teu Deus, não quis ouvir a Balaão; antes, trocou em bênção a maldição, porquanto o Senhor, teu Deus, te amava. 6 Não lhes procurarás nem paz nem bem em todos os teus dias, para sempre.’]).”1

“1. Leia Neemias 13:1-9. Quem eram Eliasibe e Tobias? Por que a postura deles era inaceitável? Ne 2:10, 19; Ne 3:1; Ne 12:10, 22; Ne 13:28”1

Neemias (13:1-9 ARA)2: 1 Naquele dia, se leu para o povo no Livro de Moisés; achou-se escrito que os amonitas e os moabitas não entrassem jamais na congregação de Deus,porquanto não tinham saído ao encontro dos filhos de Israel com pão e água; antes, assalariaram contra eles Balaão para os amaldiçoar; mas o nosso Deus converteu a maldição em bênção. Ouvindo eles, o povo, esta lei, apartaram de Israel todo elemento misto.Ora, antes disto, Eliasibe, sacerdote, encarregado da câmara da casa do nosso Deus, se tinha aparentado com Tobias; 5 e fizera para este uma câmara grande, onde dantes se depositavam as ofertas de manjares, o incenso, os utensílios e os dízimos dos cereais, do vinho e do azeite, que se ordenaram para os levitas, cantores e porteiros, como também contribuições para os sacerdotes. 6 Mas, quando isso aconteceu, não estive em Jerusalém, porque no trigésimo segundo ano de Artaxerxes, rei da Babilônia, eu fora ter com ele; mas ao cabo de certo tempo pedi licença ao rei e voltei para Jerusalém. 7 Então, soube do mal que Eliasibe fizera para beneficiar a Tobias, fazendo-lhe uma câmara nos pátios da Casa de Deus. 8 Isso muito me indignou a tal ponto, que atirei todos os móveis da casa de Tobias fora da câmara. 9 Então, ordenei que se purificassem as câmaras e tornei a trazer para ali os utensílios da Casa de Deus, com as ofertas de manjares e o incenso.”

Neemias (2:10, 19 ARA)2: “Disto ficaram sabendo Sambalate, o horonita, e Tobias, o servo amonita; e muito lhes desagradou que alguém viesse a procurar o bem dos filhos de Israel. […] 19 Porém Sambalate, o horonita, e Tobias, o servo amonita, e Gesém, o arábio, quando o souberam, zombaram de nós, e nos desprezaram, e disseram: Que é isso que fazeis? Quereis rebelar-vos contra o rei?”.

Neemias (3:1 ARA)2: “Então, se dispôs Eliasibe, o sumo sacerdote, com os sacerdotes, seus irmãos, e reedificaram a Porta das Ovelhas; consagraram-na, assentaram-lhe as portas e continuaram a reconstrução até à Torre dos Cem e à Torre de Hananel.”;

Neemias (12:10, 22 ARA)2: “10 Jesua gerou a Joiaquim, Joiaquim gerou a Eliasibe, Eliasibe gerou a Joiada, […] 22 Dos levitas, nos dias de Eliasibe, foram inscritos como cabeças de famílias Joiada, Joanã e Jadua, como também os sacerdotes, até ao reinado de Dario, o persa.”;

Neemias (13:28 ARA)2: “Um dos filhos de Joiada, filho do sumo sacerdote Eliasibe, era genro de Sambalate, o horonita, pelo que o afugentei de mim.”;

“Tobias e Eliasibe são figuras conhecidas no livro de Neemias. Eliasibe era o sumo sacerdote da nação e estava encarregado do templo. Tobias, amonita, foi mencionado como o inimigo que se opôs veementemente à obra que Neemias empreendeu em Jerusalém. A aliança entre Eliasibe e Tobias envolveu um relacionamento estabelecido por meio de casamento.”1

“Mesmo que os registros da ligação matrimonial não tenham sido preservados, sabe-se que Tobias tinha um nome judaico (que significava ‘o Senhor é bom’) e, portanto, provavelmente tinha origem judaica. Acredita-se que a família de sua esposa, os descendentes de Ará, embora não identificada, tivesse uma relação de parentesco com Eliasibe. Além disso, Sambalate, o horonita, outro adversário de Neemias, tinha uma filha que era casada com o neto de Eliasibe. Portanto, o círculo de intrigas em torno de Neemias deve ter sido intenso, uma vez que os oficiais da mais alta hierarquia da nação eram aparentados e estavam em uma aliança contra sua liderança.”1

“Durante a ausência do governador, o sumo sacerdote concedeu a Tobias um dos aposentos do templo, designado à guarda do dízimo, das dádivas e das ofertas. Tobias recebeu residência permanente no templo, o que foi uma maneira de estabelecê-lo como um dos líderes da nação. Os inimigos de Neemias finalmente haviam conseguido o que eles sempre desejaram: destituir o servo de Deus e assumir o controle. Felizmente, o homem de Deus reagiu a essa situação.”1

“Por que o povo de Deus, ao longo da história sagrada, sejam os judeus do antigo Israel, ou os cristãos que os seguiram durante e após os tempos do Novo Testamento, tão facilmente se permitem desviar da fidelidade? Como podemos evitar esses erros?”1

Domingo, 08 de dezembro de 2019. Saiba mais, faça um Curso Bíblico

_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. Esdras e Neemias. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 498, out. nov. dez. 2019. Adulto, Professor. 
2 BÍBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

Apostasia do povo

Lições da Bíblia

“Também mandei aos levitas que se purificassem e viessem guardar as portas, para santificar o dia de sábado. Também nisto, Deus meu, lembra-Te de mim; e perdoa-me segundo a abundância da Tua misericórdia” (Ne 13:22).1

“No intervalo entre os capítulos 12 e 13, Neemias voltou para a Babilônia. Embora não saibamos quanto tempo ele ficou lá, quando retornou a Jerusalém (por volta de 430-425 a.C.), os judeus haviam apostatado da fé. Eles tinham feito uma aliança com Deus quanto a diversos assuntos: primeiramente, não se casar com idólatras; em segundo lugar, observar cuidadosamente o sábado; e, por fim, cuidar do templo e de seus funcionários mediante os dízimos e ofertas (Ne 10). Apesar disso, eles haviam desonrado as três promessas.”1

“Neemias percebeu a negligência na devoção. As pessoas tinham deixado de devolver os dízimos e as ofertas, começaram a usar os aposentos do templo para outros propósitos, deixaram de guardar o sábado apropriadamente e estavam se casando com estrangeiros. E, ainda pior, os líderes escolhidos por Neemias contribuíram para o declínio do relacionamento dos israelitas com Deus! Não é de admirar que Neemias tenha ficado arrasado ao ver o quanto as coisas haviam mudado. No entanto, em vez de aceitar esse fato, mais uma vez, conforme seu caráter exigia, ele agiu em prol da glória de Deus.”1

Sábado, 07 de dezembro de 2019. Saiba mais, faça um Curso Bíblico

_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. Esdras e Neemias. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 498, out. nov. dez. 2019. Adulto, Professor. 

Adorando o Senhor – Estudo adicional

Lições da Bíblia

Texto de Ellen G. White: Caminho a Cristo, p. 67-75 (“O Crescimento Espiritual”).

“A cruz de Cristo será a ciência e o cântico dos remidos por toda a eternidade. No Cristo glorificado eles contemplarão o Cristo crucificado. Jamais se olvidará que Aquele cujo poder criou e manteve os inumeráveis mundos através dos vastos domínios do espaço, o Amado de Deus, a Majestade do Céu, Aquele a quem querubins e resplendentes serafins se deleitavam em adorar, humilhou-Se para levantar o homem decaído; que Ele suportou a culpa e a vergonha do pecado e a ocultação da face de Seu Pai, até que as misérias de um mundo perdido Lhe quebrantaram o coração e aniquilaram a vida na cruz do Calvário. O fato de o Criador de todos os mundos, o Árbitro de todos os destinos, deixar Sua glória e humilhar-Se por amor ao ser humano, despertará eternamente a admiração e a adoração do Universo. Ao olharem as nações dos salvos para o seu Redentor e contemplarem a glória eterna do Pai brilhando em Seu semblante; ao verem o Seu trono que é de eternidade em eternidade, e saberem que Seu reino não terá fim, irrompem num hino arrebatador: ‘Digno, digno é o Cordeiro que foi morto e nos remiu para Deus com Seu mui precioso sangue!’” (Ellen G. White, O Grande Conflito, p. 651, 652).1

Perguntas para discussão

“1. Como encontrar o equilíbrio entre a reverência e a alegria? A reverência e a alegria são mutuamente excludentes?”1

“2. Os israelitas colocaram o muro de Jerusalém sob proteção divina mediante a cerimônia de dedicação e assim reconheceram que um muro é inútil a menos que Deus o defenda. Salomão disse: ‘Se o Senhor não edificar a casa, em vão trabalham os que a edificam; se o Senhor não guardar a cidade, em vão vigia a sentinela’ (Sl 127:1). O que isso revela sobre nossos esforços pelo Senhor?”1

“3. Qual é a função da música na experiência de adoração da sua igreja?”1

“4. As Escrituras são claras: Jesus é nosso Sumo Sacerdote no santuário do Céu. O que exatamente Ele está fazendo por nós ali? O que o ministério dos sacerdotes no templo terrestre nos ensina sobre a obra de Jesus por nós no santuário celestial?”1

Sexta-feira, 06 de dezembro de 2019. Saiba mais, faça um Curso Bíblico

_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. Esdras e Neemias. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 498, out. nov. dez. 2019. Adulto, Professor. 

Sacerdotes e levitas como parte da adoração

Lições da Bíblia

“8. Leia Neemias 12:44-47. Por que Judá se regozijou ‘com os sacerdotes e os levitas que ministravam no templo’ (Ne 12:44, NVI)? Por que eles eram importantes?”1

Neemias (12:44-47 ARA): “44 Ainda no mesmo dia, se nomearam homens para as câmaras dos tesouros, das ofertas, das primícias e dos dízimos, para ajuntarem nelas, das cidades, as porções designadas pela Lei para os sacerdotes e para os levitas; pois Judá estava alegre, porque os sacerdotes e os levitas ministravam ali; 45 e executavam o serviço do seu Deus e o da purificação; como também os cantores e porteiros, segundo o mandado de Davi e de seu filho Salomão. 46 Pois já outrora, nos dias de Davi e de Asafe, havia chefes dos cantores, cânticos de louvor e ações de graças a Deus. 47 Todo o Israel, nos dias de Zorobabel e nos dias de Neemias, dava aos cantores e aos porteiros as porções de cada dia; e consagrava as coisas destinadas aos levitas, e os levitas, as destinadas aos filhos de Arão.”

“9. O que a obra dos sacerdotes (que eram levitas) simbolizava? Hb 9:1-11”1

Hebreus (9:1-11 ARA)2: “1 Ora, a primeira aliança também tinha preceitos de serviço sagrado e o seu santuário terrestre. 2 Com efeito, foi preparado o tabernáculo, cuja parte anterior, onde estavam o candeeiro, e a mesa, e a exposição dos pães, se chama o Santo Lugar; 3 por trás do segundo véu, se encontrava o tabernáculo que se chama o Santo dos Santos, 4 ao qual pertencia um altar de ouro para o incenso e a arca da aliança totalmente coberta de ouro, na qual estava uma urna de ouro contendo o maná, o bordão de Arão, que floresceu, e as tábuas da aliança; 5 e sobre ela, os querubins de glória, que, com a sua sombra, cobriam o propiciatório. Dessas coisas, todavia, não falaremos, agora, pormenorizadamente. 6 Ora, depois de tudo isto assim preparado, continuamente entram no primeiro tabernáculo os sacerdotes, para realizar os serviços sagrados;mas, no segundo, o sumo sacerdote, ele sozinho, uma vez por ano, não sem sangue, que oferece por si e pelos pecados de ignorância do povo, 8 querendo com isto dar a entender o Espírito Santo que ainda o caminho do Santo Lugar não se manifestou, enquanto o primeiro tabernáculo continua erguido. 9 É isto uma parábola para a época presente; e, segundo esta, se oferecem tanto dons como sacrifícios, embora estes, no tocante à consciência, sejam ineficazes para aperfeiçoar aquele que presta culto, 10 os quais não passam de ordenanças da carne, baseadas somente em comidas, e bebidas, e diversas abluções, impostas até ao tempo oportuno de reforma. 11 Quando, porém, veio Cristo como sumo sacerdote dos bens já realizados, mediante o maior e mais perfeito tabernáculo, não feito por mãos, quer dizer, não desta criação,

“‘A intercessão de Cristo no santuário celestial, em prol do homem, é tão essencial ao plano da redenção como Sua morte na cruz. Por Sua morte iniciou essa obra para cuja conclusão ascendeu ao Céu, após ressurgir. Pela fé devemos penetrar até o interior do véu, onde nosso Precursor entrou por nós’ (Hb 6:20; Ellen G. White, O Grande Conflito, p. 489).”

“Embora as pessoas naquela época certamente não tivessem a luz que temos atualmente, elas entendiam o suficiente para saber que a obra dos levitas, que eram os únicos que podiam ministrar no templo, era muito importante. Eles estavam animados com o fato de que a obra de Deus seria feita por meio deles.”1

“A nação tinha passado tempo com Deus, lendo Sua Palavra, orando, adorando e se reconsagrando a Ele. Em meio a tudo isso, o povo percebeu que os ministérios do templo haviam sido negligenciados e precisavam ser restaurados. Agora que eles tinham sido estabelecidos novamente, alegraram-se com a importante obra que os levitas fariam em seu favor. Deus impressionou os judeus com a ideia de que os ministérios do templo faziam parte de Seu plano para a adoração.”1

“Infelizmente, muitas vezes não damos o devido valor aos ministros, mestres da Palavra e músicos. Mesmo na época de Neemias, a assistência aos levitas às vezes era forte e às vezes fraca. Com frequência, os levitas precisavam desempenhar outras funções para sustentar sua família porque as pessoas paravam de entregar seus dízimos e ofertas.”1

“Sem dízimos e ofertas, não há igreja mundial organizada. Se quisermos que nossos ministérios continuem, devemos nos comprometer a auxiliar os ministros por meio de contribuições monetárias e pelo reconhecimento verbal. Embora a igreja não seja perfeita, isso não deve enfraquecer nossa doação a Deus a fim de que Sua obra possa continuar ao redor do mundo.”1

Quinta-feira, 05 de dezembro de 2019. Saiba mais, faça um Curso Bíblico

_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. Esdras e Neemias. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 498, out. nov. dez. 2019. Adulto, Professor. 
2 BÍBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

Sacrifícios como parte da adoração

Lições da Bíblia

“6. Leia Neemias 12:43. O que havia de especial em oferecer ‘grandes sacrifícios’ como parte da celebração da adoração? Assinale ‘V’ para ­verdadeiro ou ‘F’ para falso:”1

Neemias (12:43 ARA)2: “No mesmo dia, ofereceram grandes sacrifícios e se alegraram; pois Deus os alegrara com grande alegria; também as mulheres e os meninos se alegraram, de modo que o júbilo de Jerusalém se ouviu até de longe.”

A. (   ) Os sacrifícios apontavam para a morte do Cordeiro e demonstravam a alegria da comunhão.
B. (   ) Essas ofertas de animais representavam méritos do povo diante de Deus.

Resposta sugestiva: V; F.

“Os sacrifícios eram o principal aspecto da adoração na época do templo. Diferentes ofertas eram usadas tanto para mostrar fé na promessa de perdão quanto para expressar a alegria da comunhão e a gratidão a Deus. Os sacrifícios representavam o conteúdo da adoração, pois lembravam os adoradores da verdade a respeito de Deus e de quem Ele é. Além disso, apontavam para a Semente prometida, o Messias, que sacrificaria Sua vida pelos pecadores, porque é o Cordeiro de Deus.”1

“7. De acordo com João 1:29, 36, 1 Coríntios 5:7 e Apocalipse 5:6, 12, 13, para o que os sacrifícios apontavam em última análise? Se os israelitas se alegravam com um animal morto, uma morte que apenas revelava a verdade, temos muito mais razões para nos alegrar do que eles! Assinale a alternativa correta:”1

João (1:29, 36 ARA)2: “29 No dia seguinte, viu João a Jesus, que vinha para ele, e disse: Eis o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo! 36 e, vendo Jesus passar, disse: Eis o Cordeiro de Deus!”

1 Coríntios (5:7 ARA)2: “Lançai fora o velho fermento, para que sejais nova massa, como sois, de fato, sem fermento. Pois também Cristo, nosso Cordeiro pascal, foi imolado.”

Apocalipse (5:6, 12, 13 ARA)2: 6 Então, vi, no meio do trono e dos quatro seres viventes e entre os anciãos, de pé, um Cordeiro como tendo sido morto. Ele tinha sete chifres, bem como sete olhos, que são os sete Espíritos de Deus enviados por toda a terra. […] 12 proclamando em grande voz: Digno é o Cordeiro que foi morto de receber o poder, e riqueza, e sabedoria, e força, e honra, e glória, e louvor. 13 Então, ouvi que toda criatura que há no céu e sobre a terra, debaixo da terra e sobre o mar, e tudo o que neles há, estava dizendo: Àquele que está sentado no trono e ao Cordeiro, seja o louvor, e a honra, e a glória, e o domínio pelos séculos dos séculos.

A. (   ) A destruição eterna dos salvos.
B. (   ) A morte do Cordeiro de Deus, Jesus Cristo.

Resposta sugestiva: Alternativa B.

“Observe também quantas vezes a ideia de alegria e regozijo aparece em Neemias 12:43. Isto é, em meio à reverência, e talvez ao temor piedoso do povo em seu culto de adoração (afinal, a matança de um animal por seus pecados era uma coisa solene), também havia alegria e regozijo. Devemos nos aproximar de Deus com admiração e reverência, bem como com alegria. O Salmo 95 demonstra que o verdadeiro ato de adoração envolve uma convocação para cantar, exclamar com alegria e tocar músicas para celebrar a Deus (Sl 95:1), bem como curvar-se e ajoelhar-se diante do Senhor (Sl 95:6). O esforço para alcançar o equilíbrio entre alegria e reverência é crucial para adorar e louvar nosso Criador.”1

“Quando pensamos que o Criador de todas as coisas (Jo 1:1-3) ficou pendurado na cruz e morreu pelos pecados de Suas criaturas, qual é a nossa primeira emoção? Qual é a função da alegria em nossa experiência com a cruz?”1

Quarta-feira, 04 de dezembro de 2019. Saiba mais, faça um Curso Bíblico

_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. Esdras e Neemias. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 498, out. nov. dez. 2019. Adulto, Professor. 
2 BÍBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

Dois grandes coros de ações de graças

Lições da Bíblia

“4. De acordo com Neemias 12:31-42, por que a música foi uma parte tão importante da celebração? Assinale a alternativa correta:”1

Neemias (12:31-42 ARA)2: “31 Então, fiz subir os príncipes de Judá sobre o muro e formei dois grandes coros em procissão, sendo um à mão direita sobre a muralha para o lado da Porta do Monturo. 32 Após eles, ia Hosaías e a metade dos príncipes de Judá, 33 Azarias, Esdras, Mesulão, 34 Judá, Benjamim, Semaías e Jeremias; 35 e dos filhos dos sacerdotes, com trombetas: Zacarias, filho de Jônatas, filho de Semaías, filho de Matanias, filho de Micaías, filho de Zacur, filho de Asafe, 36 e seus irmãos, Semaías, Azarel, Milalai, Gilalai, Maai, Netanel, Judá e Hanani, com os instrumentos músicos de Davi, homem de Deus; Esdras, o escriba, ia adiante deles. 37 À entrada da Porta da Fonte, subiram diretamente as escadas da Cidade de Davi, onde se eleva o muro por sobre a casa de Davi, até à Porta das Águas, do lado oriental. 38 O segundo coro ia em frente, e eu, após ele; metade do povo ia por cima do muro, desde a Torre dos Fornos até ao Muro Largo; 39 e desde a Porta de Efraim, passaram por cima da Porta Velha e da Porta do Peixe, pela Torre de Hananel, pela Torre dos Cem, até à Porta do Gado; e pararam à Porta da Guarda. 40 Então, ambos os coros pararam na Casa de Deus, como também eu e a metade dos magistrados comigo. 41 Os sacerdotes Eliaquim, Maaseias, Miniamim, Micaías, Elioenai, Zacarias e Hananias iam com trombetas, 42 como também Maaseias, Semaías, Eleazar, Uzi, Joanã, Malquias, Elão e Ezer; e faziam-se ouvir os cantores sob a direção de Jezraías.”

A. (   ) Porque estava ligada aos momentos de adoração do povo.
B. (   ) Porque a nação gostava de se divertir ao som da música.

Resposta sugestiva: Alternativa A.

“Nos dias de Neemias, ele criou, como parte do culto de adoração, dois coros de ações de graças que caminhavam em redor de Jerusalém cantando, acompanhados de instrumentos. Eles começavam no mesmo lugar e depois se separavam, indo em direções diferentes em torno do muro da cidade. Um grupo era conduzido por Esdras, que estava à frente, e o outro tinha Neemias na parte de trás. Os dois coros se encontravam novamente na Porta do Vale e de lá seguiam para o templo. Sacerdotes que tocavam as trombetas complementavam cada procissão. Quando os coros entravam no templo, ficavam de frente um para o outro. A procissão e o culto de adoração foram organizados com excelência.”1

“A fim de responder por que a música era uma parte tão importante da celebração e do culto de adoração, precisamos examinar seu significado no contexto do templo. A música no templo não era um concerto que as pessoas vinham apreciar, como ouvir a quinta sinfonia de Beethoven sendo apresentada em uma sala de concertos. Em vez disso, enquanto os músicos cantavam e tocavam os instrumentos, o povo se curvava em oração. Era uma parte da adoração.”1

“Os atos centrais do templo e da adoração diziam respeito aos sacrifícios, o que, em si, eram ações bastante desagradáveis. Afinal, o que eles estavam fazendo senão cortar a garganta de animais inocentes? O ato de tocar uma música muito bonita elevava os pensamentos ao Céu e tornava a experiência de adoração mais agradável.”1

“5. Quais os exemplos bíblicos em que a música desempenhou um papel importante na adoração? Veja especialmente Êxodo 15:1; 2Crônicas 20:21, 22 e Apocalipse 15:2-4.”1

Êxodo (15:1 ARA)2: “Então, entoou Moisés e os filhos de Israel este cântico ao Senhor, e disseram: Cantarei ao Senhor, porque triunfou gloriosamente; lançou no mar o cavalo e o seu cavaleiro.

2Crônicas (20:21, 22 ARA)2: “21 Aconselhou-se com o povo e ordenou cantores para o Senhor, que, vestidos de ornamentos sagrados e marchando à frente do exército, louvassem a Deus, dizendo: Rendei graças ao Senhor, porque a sua misericórdia dura para sempre. 22 Tendo eles começado a cantar e a dar louvores, pôs o Senhor emboscadas contra os filhos de Amom e de Moabe e os do monte Seir que vieram contra Judá, e foram desbaratados.”

Apocalipse (15:2-4 ARA)2: “2 Vi como que um mar de vidro, mesclado de fogo, e os vencedores da besta, da sua imagem e do número do seu nome, que se achavam em pé no mar de vidro, tendo harpas de Deus;e entoavam o cântico de Moisés, servo de Deus, e o cântico do Cordeiro, dizendo: Grandes e admiráveis são as tuas obras, Senhor Deus, Todo-Poderoso! Justos e verdadeiros são os teus caminhos, ó Rei das nações! 4 Quem não temerá e não glorificará o teu nome, ó Senhor? Pois só tu és santo; por isso, todas as nações virão e adorarão diante de ti, porque os teus atos de justiça se fizeram manifestos.”

“Na Terra e no Céu a música faz parte da experiência de adoração. Observe que, nos versos acima, o ato de cantar diz respeito ao que o Senhor fez por Seu povo, inclusive lhes dando a vitória ‘sobre a besta’. É o louvor a Deus por Seus atos de salvação.”1

“Cite algumas coisas que Deus fez por você como boas razões para cantar louvores a Ele.”1

Terça-feira, 03 de dezembro de 2019. Saiba mais, faça um Curso Bíblico

_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. Esdras e Neemias. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 498, out. nov. dez. 2019. Adulto, Professor. 
2 BÍBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.