Diante da multidão

Lições da Bíblia

“Atos 21:37-40 conta o que aconteceu em seguida. Enquanto Paulo era levado à fortaleza romana para ser interrogado, ele pediu permissão ao comandante para se dirigir ao povo, que ainda estava clamando freneticamente por sua morte.”1

“Ao se dirigir ao comandante na língua grega, este pensou que Paulo poderia ser um certo judeu do Egito que, cerca de três anos antes, havia iniciado uma revolta em Jerusalém contra a ocupação romana. A revolta, porém, foi suprimida pelas forças romanas; muitos de seus seguidores foram mortos ou presos, enquanto o egípcio mesmo conseguiu escapar.”1

“Depois de afirmar que era de Tarso, não do Egito, Paulo recebeu permissão para falar. Em seu discurso, ele não ofereceu uma resposta detalhada às acusações levantadas contra ele (At 21:28), mas contou-lhes a história de sua conversão, destacando sua devoção ao judaísmo, a ponto de perseguir os que acreditavam em Jesus. Quando confrontado com uma série de revelações da parte do Senhor, ele não teve escolha senão obedecê-las. Isso explicava a total reviravolta em sua vida e seu chamado para pregar aos gentios. Em vez de entrar em uma discussão teológica, Paulo lhes contou sua experiência e por que ele estava fazendo o que fazia.”1

“3. Leia Atos 22:22-29. Como a multidão reagiu à afirmação de Paulo de que ele era um apóstolo dos gentios? Assinale a alternativa correta:”1

Atos (22:22-29 ARA): “22 Ouviram-no até essa palavra e, então, gritaram, dizendo: Tira tal homem da terra, porque não convém que ele viva! 23 Ora, estando eles gritando, arrojando de si as suas capas, atirando poeira para os ares, 24 ordenou o comandante que Paulo fosse recolhido à fortaleza e que, sob açoite, fosse interrogado para saber por que motivo assim clamavam contra ele. 25 Quando o estavam amarrando com correias, disse Paulo ao centurião presente: Ser-vos-á, porventura, lícito açoitar um cidadão romano, sem estar condenado? 26 Ouvindo isto, o centurião procurou o comandante e lhe disse: Que estás para fazer? Porque este homem é cidadão romano. 27 Vindo o comandante, perguntou a Paulo: Dize-me: és tu romano? Ele disse: Sou. 28 Respondeu-lhe o comandante: A mim me custou grande soma de dinheiro este título de cidadão. Disse Paulo: Pois eu o tenho por direito de nascimento. 29 Imediatamente, se afastaram os que estavam para o inquirir com açoites. O próprio comandante sentiu-se receoso quando soube que Paulo era romano, porque o mandara amarrar.

A (  ) Pediu a sua morte.
B (  ) Convenceu-se de que a missão de Paulo havia sido dada por Deus.

Resposta sugestiva: Alternativa A.

“A decisão de deixar Paulo falar não deu muito certo. Ao se referir ao seu compromisso com os gentios, Paulo parecia estar confirmando a veracidade das acusações contra ele (At 21:28), e a multidão ficou ainda mais irritada.”1

“O comandante romano pode não ter entendido tudo o que Paulo disse; por isso, ele decidiu interrogá-lo por meio de açoites. Contudo, além de ser judeu de puro sangue (Fp 3:5), Paulo também tinha cidadania romana, e quando mencionou isso, o comandante teve que recuar. Como cidadão romano, Paulo não podia ser submetido a esse tipo de tortura.”1

“4. Leia o discurso de Paulo (At 22:1-21). Quais são as evidências de que, além de se defender, ele também estava pregando para seus irmãos judeus? Por que ele contou sua história de conversão? Por que histórias de conversão podem ser tão poderosas?”1

Atos (22:1-21 ARA)2: “1 Irmãos e pais, ouvi, agora, a minha defesa perante vós. 2 Quando ouviram que lhes falava em língua hebraica, guardaram ainda maior silêncio. E continuou: 3 Eu sou judeu, nasci em Tarso da Cilícia, mas criei-me nesta cidade e aqui fui instruído aos pés de Gamaliel, segundo a exatidão da lei de nossos antepassados, sendo zeloso para com Deus, assim como todos vós o sois no dia de hoje. 4 Persegui este Caminho até à morte, prendendo e metendo em cárceres homens e mulheres, 5 de que são testemunhas o sumo sacerdote e todos os anciãos. Destes, recebi cartas para os irmãos; e ia para Damasco, no propósito de trazer manietados para Jerusalém os que também lá estivessem, para serem punidos. 6 Ora, aconteceu que, indo de caminho e já perto de Damasco, quase ao meio-dia, repentinamente, grande luz do céu brilhou ao redor de mim. 7 Então, caí por terra, ouvindo uma voz que me dizia: Saulo, Saulo, por que me persegues? 8 Perguntei: quem és tu, Senhor? Ao que me respondeu: Eu sou Jesus, o Nazareno, a quem tu persegues. 9 Os que estavam comigo viram a luz, sem, contudo, perceberem o sentido da voz de quem falava comigo. 10 Então, perguntei: que farei, Senhor? E o Senhor me disse: Levanta-te, entra em Damasco, pois ali te dirão acerca de tudo o que te é ordenado fazer. 11 Tendo ficado cego por causa do fulgor daquela luz, guiado pela mão dos que estavam comigo, cheguei a Damasco. 12 Um homem, chamado Ananias, piedoso conforme a lei, tendo bom testemunho de todos os judeus que ali moravam, 13 veio procurar-me e, pondo-se junto a mim, disse: Saulo, irmão, recebe novamente a vista. Nessa mesma hora, recobrei a vista e olhei para ele. 14 Então, ele disse: O Deus de nossos pais, de antemão, te escolheu para conheceres a sua vontade, veres o Justo e ouvires uma voz da sua própria boca, 15 porque terás de ser sua testemunha diante de todos os homens, das coisas que tens visto e ouvido. 16 E agora, por que te demoras? Levanta-te, recebe o batismo e lava os teus pecados, invocando o nome dele. 17 Tendo eu voltado para Jerusalém, enquanto orava no templo, sobreveio-me um êxtase, 18 e vi aquele que falava comigo: Apressa-te e sai logo de Jerusalém, porque não receberão o teu testemunho a meu respeito. 19 Eu disse: Senhor, eles bem sabem que eu encerrava em prisão e, nas sinagogas, açoitava os que criam em ti. 20 Quando se derramava o sangue de Estêvão, tua testemunha, eu também estava presente, consentia nisso e até guardei as vestes dos que o matavam. 21 Mas ele me disse: Vai, porque eu te enviarei para longe, aos gentios.

“Paulo mostrou respeito pelo judaísmo e contou sua experiência de conversão.”1

Terça-feira, 11 de setembro de 2018. Saiba mais, ouça o Comentário em áudio da Lição da Escola Sabatina (LES) ou se preferir faça um Curso Bíblico.
_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. O livro de Atos dos Apóstolos. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 493, jul. ago. set. 2018. Adulto, Professor.
2 BIBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

Tumulto no templo

Lições da Bíblia

“Tendo aceitado a sugestão dos líderes da igreja, Paulo precisou se submeter a um ritual de purificação de sete dias para participar da conclusão do voto daqueles homens (Nm 19:11-13). Ao mesmo tempo, a tradição judaica determinava que qualquer pessoa proveniente de terras gentílicas estava impura e não podia entrar no templo. Por essa razão, Paulo teve que se purificar antes de ir até os sacerdotes para avisá-los de seu processo de purificação relacionado aos nazireus (At 21:26).”1

“2. Leia Atos 21:27-36. O que aconteceu com Paulo no final de seu período de sete dias de purificação? Assinale a alternativa correta:”1

27 Quando já estavam por findar os sete dias, os judeus vindos da Ásia, tendo visto Paulo no templo, alvoroçaram todo o povo e o agarraram, 28 gritando: Israelitas, socorro! Este é o homem que por toda parte ensina todos a serem contra o povo, contra a lei e contra este lugar; ainda mais, introduziu até gregos no templo e profanou este recinto sagrado. 29 Pois, antes, tinham visto Trófimo, o efésio, em sua companhia na cidade e julgavam que Paulo o introduzira no templo. 30 Agitou-se toda a cidade, havendo concorrência do povo; e, agarrando a Paulo, arrastaram-no para fora do templo, e imediatamente foram fechadas as portas. 31 Procurando eles matá-lo, chegou ao conhecimento do comandante da força que toda a Jerusalém estava amotinada. 32 Então, este, levando logo soldados e centuriões, correu para o meio do povo. Ao verem chegar o comandante e os soldados, cessaram de espancar Paulo. 33 Aproximando-se o comandante, apoderou-se de Paulo e ordenou que fosse acorrentado com duas cadeias, perguntando quem era e o que havia feito. 34 Na multidão, uns gritavam de um modo; outros, de outro; não podendo ele, porém, saber a verdade por causa do tumulto, ordenou que Paulo fosse recolhido à fortaleza. 35 Ao chegar às escadas, foi preciso que os soldados o carregassem, por causa da violência da multidão, 36 pois a massa de povo o seguia gritando: Mata-o!

A (  ) Ele foi promovido a sacerdote.
B (  ) Ele foi preso.

Resposta sugestiva: Alternativa B.

“Seguiu-se um tumulto, causado por aqueles que incitaram a multidão contra Paulo, acusando-o de atacar os símbolos mais sagrados da religião judaica, e especialmente de ter profanado o templo. Visto que um dos companheiros de viagem de Paulo era um cristão gentio de Éfeso, chamado Trófimo (At 21:29), eles acharam que o apóstolo o havia introduzido no pátio interno do templo, onde só judeus podiam entrar. Se a acusação fosse legítima, Paulo seria culpado de um crime muito grave. Ao longo do muro que separava o pátio externo do interno, havia placas em grego e em latim advertindo os visitantes gentios a não avançarem, senão eles seriam pessoalmente responsáveis por sua própria morte.”1

“‘Pela lei judaica era crime punível com a morte uma pessoa incircuncisa entrar nos pátios internos do edifício sagrado. Paulo tinha sido visto na cidade em companhia de Trófimo, um efésio, e acharam que o tivesse trazido ao templo. Ele não havia feito isso; e, sendo ele mesmo judeu, seu ato de entrar no templo não era violação da lei. Mas, embora a acusação fosse completamente falsa, serviu para despertar o preconceito popular. E, à medida que o clamor aumentava e chegava aos pátios do templo, as multidões ali reunidas ficavam enfurecidas’ (Ellen G. White, Atos dos Apóstolos, p. 407).”1

“Quando a notícia do tumulto chegou à fortaleza romana que ficava junto ao templo, o comandante romano, Cláudio Lísias (At 21:31, 32; 23:26), veio com suas tropas e resgatou Paulo antes que a multidão o matasse.”1

“Sendo alvo dos ataques, Paulo foi preso e atado com correntes enquanto o comandante tentava averiguar o que estava acontecendo. Diante dos gritos histéricos da multidão, ele ordenou que o apóstolo fosse recolhido à fortaleza.”1

“Rumores falsos deram início a esse tumulto. Por que devemos ter muito cuidado com os rumores que ouvimos ou, pior ainda, espalhamos?”1

Segunda-feira, 10 de setembro de 2018. Saiba mais, ouça o Comentário em áudio da Lição da Escola Sabatina (LES) ou se preferir faça um Curso Bíblico.
_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. O livro de Atos dos Apóstolos. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 493, jul. ago. set. 2018. Adulto, Professor.
2 BIBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

Encontrando os líderes de Jerusalém

Lições da Bíblia

“Ao chegar a Jerusalém, Paulo foi calorosamente recebido por cristãos ligados a Mnasom, com quem devia se hospedar (At 21:16, 17).”1

“Em Atos 21:18-22, Tiago e os anciãos de Jerusalém expressaram sua preocupação com a reputação de Paulo entre os cristãos judeus locais, todos zelosos guardadores da lei mosaica. Eles haviam sido informados de que Paulo estava ensinando os judeus conversos que viviam no exterior a abandonar Moisés, dizendo-lhes que não deviam ‘circuncidar os filhos, nem andar segundo os costumes da lei’ (At 21:21).”1

“É claro que isso não era verdade. O que Paulo ensinava era que, em termos de salvação, nem a circuncisão nem a incircuncisão significava coisa alguma, pois tanto os judeus quanto os gentios eram igualmente salvos pela fé em Jesus (Rm 2:28, 29; Gl 5:6; Cl 3:11). Isso é bem diferente de incentivar explicitamente os judeus a desconsiderar a lei e seus requisitos. Obediência não é, em si mesma, sinônimo de legalismo, embora possa ser deliberadamente distorcida, vindo a significar exatamente isso.”1

“1. Leia Atos 21:23-26. Como Paulo demonstrou que ainda era um judeu fiel?”1

Atos (21:23-26 ARA)2: “23 Faze, portanto, o que te vamos dizer: estão entre nós quatro homens que, voluntariamente, aceitaram voto; 24 toma-os, purifica-te com eles e faze a despesa necessária para que raspem a cabeça; e saberão todos que não é verdade o que se diz a teu respeito; e que, pelo contrário, andas também, tu mesmo, guardando a lei. 25 Quanto aos gentios que creram, já lhes transmitimos decisões para que se abstenham das coisas sacrificadas a ídolos, do sangue, da carne de animais sufocados e das relações sexuais ilícitas. 26 Então, Paulo, tomando aqueles homens, no dia seguinte, tendo-se purificado com eles, entrou no templo, acertando o cumprimento dos dias da purificação, até que se fizesse a oferta em favor de cada um deles.

“Paulo foi aconselhado a ser politicamente correto. Ele devia mostrar a falsidade dos rumores a seu respeito fazendo algo bem ‘judeu’: financiar o voto de nazireado de alguns cristãos judeus. Esse voto era um ato especial de piedade por meio do qual um judeu se reconsagrava a Deus.”1

“‘Infelizmente, Paulo cedeu. Os heróis, inclusive os bíblicos, têm suas falhas, como podemos ver na vida de Abraão, Moisés, Pedro e vários outros. É possível argumentar que Paulo estava apenas seguindo seu princípio de proceder como judeu ao lidar com judeus (1Co 9:19-23), ou que ele mesmo teria feito um voto pouco antes (At 18:18), embora a natureza exata desse voto não seja clara. Dessa vez, no entanto, Paulo foi transigente. Sua ação endossou as motivações legalistas por trás da recomendação que lhe fora feita. A implicação de sua atitude era exatamente aquela que ele tentava vigorosamente combater: a ideia de que havia dois evangelhos, um para gentios, de salvação pela fé, e outro para judeus, de salvação pelas obras. Paulo, porém, ‘não estava autorizado por Deus para ceder tanto quanto pediam’ (Ellen G. White, Atos dos Apóstolos, p. 405).”1

Domingo, 09 de setembro de 2018. Saiba mais, ouça o Comentário em áudio da Lição da Escola Sabatina (LES) ou se preferir faça um Curso Bíblico.
_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. O livro de Atos dos Apóstolos. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 493, jul. ago. set. 2018. Adulto, Professor.
2 BIBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

Prisão de Paulo em Jerusalém

Lições da Bíblia

Na noite seguinte, o Senhor, pondo-Se ao lado dele, disse: Coragem! Pois do modo por que deste testemunho a Meu respeito em Jerusalém, assim importa que também o faças em Roma” (At 23:11).1

“Depois da primeira viagem missionária de Paulo, ficou claro que havia uma discordância fundamental na igreja a respeito da maneira pela qual os gentios deveriam ser admitidos à fé (At 15:1-5). Talvez percebendo um conflito crescente, Paulo pensou em um plano para promover a unidade na igreja. Visto que no concílio lhe pediram que se lembrasse dos pobres (Gl 2:10), ele decidiu solicitar às igrejas gentílicas que prestassem ajuda financeira aos irmãos na Judeia, a ‘coleta para os santos’ (1Co 16:1), esperando que isso ajudasse a construir pontes entre os dois grupos.”1

“Isso explica sua determinação de ir a Jerusalém no fim de sua terceira viagem, apesar dos riscos. Por um lado, ele tinha amor genuíno por seus irmãos judeus (Rm 9:1-5); por outro, desejava uma igreja unida (Gl 3:28; 5:6). Visto que judeus e gentios eram igualmente salvos pela fé, e não pelas obras da lei (Rm 3:28-30), qualquer alienação social entre eles, baseada nos requisitos cerimoniais da lei, era contrária à natureza inclusiva do evangelho (Ef 2:11-22).”1

“Sigamos Paulo nessa nova fase de sua vida e missão.”1

Está chegando o dia do batismo da primavera. Será no dia 22 de setembro. Prepare uma cerimônia inesquecível para receber as pessoas que estão entregando a vida a Cristo.

Sábado, 08 de setembro de 2018. Saiba mais, ouça o Comentário em áudio da Lição da Escola Sabatina (LES) ou se preferir faça um Curso Bíblico.
_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. O livro de Atos dos Apóstolos. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 493, jul. ago. set. 2018. Adulto, Professor.

A terceira viagem missionária – Estudo adicional

Lições da Bíblia

Assista em vídeo a discussão do tema da semana.

Estudo adicional

“‘O êxito que a pregação do evangelho alcançou havia despertado novamente a ira dos judeus. De todos os lados, chegavam informações sobre a disseminação da nova doutrina, segundo a qual os judeus eram libertos da observância dos ritos da lei cerimonial e os gentios eram admitidos a privilégios iguais aos dos judeus, como filhos de Abraão. Em sua pregação em Corinto, Paulo apresentou os mesmos argumentos que expunha com tanta veemência em suas cartas. Sua categórica afirmação, de que ‘não pode haver grego nem judeu, circuncisão nem incircuncisão’ (Cl 3:11), foi considerada pelos inimigos como ousada blasfêmia; por isso, decidiram que sua voz devia ser silenciada’ (Ellen G. White, Atos dos Apóstolos, p. 390).”1

“‘Além disso, Paulo não poderia contar com a solidariedade e o auxílio de seus próprios irmãos na fé. Os judeus não convertidos, que haviam seguido seus passos de perto, não haviam demorado em fazer circular em Jerusalém os boatos mais desfavoráveis sobre ele e sua obra, tanto por carta quanto pessoalmente; e alguns, mesmo dentre os apóstolos e anciãos, tinham aceitado esses relatos como verdadeiros, não fazendo nada para contestá-­los nem manifestando desejo de entrar em acordo com Paulo’ (Ibid., p. 398).”1

Perguntas para discussão

“1. Os 12 discípulos que Paulo conheceu em Éfeso eram ex-seguidores de João Batista que haviam se tornado discípulos de Jesus (At 19:1-7). É correto usar essa passagem para exigir o rebatismo de cristãos de outras denominações que já haviam sido batizados por imersão? Qual é o significado do fato de que Apolo não foi rebatizado?”1

“2. Paulo foi rejeitado por seus compatriotas que não acreditavam em Jesus. Mesmo entre os judeus cristãos, muitos o viam com suspeita e desconfiança, porque achavam que ele estava pervertendo os “marcos”. Muitos pagãos odiavam o evangelho que ele proclamava. No entanto, por que Paulo prosseguiu, apesar da oposição? O que podemos aprender com a história do apóstolo?”1

“3. Muitos dizem que o sábado foi alterado para o domingo ou que ele não é mais válido. Assim como a obediência aos outros nove mandamentos não é legalismo, a obediência ao sábado não o é, desde que obedeçamos pela fé, compreendendo onde está nossa salvação. Como você abordaria alguém que defende a guarda do domingo?”1

Sexta-feira, 07 de setembro de 2018. Saiba mais, ouça o Comentário em áudio da Lição da Escola Sabatina (LES) ou se preferir faça um Curso Bíblico.
_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. O livro de Atos dos Apóstolos. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 493, jul. ago. set. 2018. Adulto, Professor.

Tiro e Cesareia

Lições da Bíblia

“Depois de Mileto, Lucas relata a viagem de Paulo de forma bem detalhada. Ainda a caminho de Jerusalém, o apóstolo passou uma semana em Tiro, na costa fenícia, onde o navio devia ser descarregado (At 21:1-6). No entanto, enquanto estava ali, os fiéis insistiram para que ele não fosse a Jerusalém. O fato de haverem sido guiados pelo Espírito para advertir Paulo a não ir para Jerusalém não está necessariamente em contradição com a orientação anteriormente dada ao apóstolo. A expressão grega etheto en tō pneumati, em Atos 19:21, talvez deva ser traduzida como resolvido/decidido/proposto no Espírito”, em vez de ser interpretada como se Paulo tivesse chegado a essa decisão sozinho. A questão é que o Espírito pode ter mostrado aos crentes de Tiro os perigos que estavam diante de Paulo e, num ato de profunda solidariedade, recomendaram que ele não prosseguisse com sua intenção. O próprio Paulo não tinha certeza do que lhe aconteceria em Jerusalém (At 20:22, 23). A orientação divina nem sempre torna tudo claro, mesmo para alguém como Paulo.”

“5. Leia Atos 21:10-14. Qual incidente especial ocorreu em Cesareia a respeito da viagem de Paulo a Jerusalém?”1

Atos (21:10-14 ARA): “10 Demorando-nos ali alguns dias, desceu da Judéia um profeta chamado Ágabo; 11 e, vindo ter conosco, tomando o cinto de Paulo, ligando com ele os próprios pés e mãos, declarou: Isto diz o Espírito Santo: Assim os judeus, em Jerusalém, farão ao dono deste cinto e o entregarão nas mãos dos gentios. 12 Quando ouvimos estas palavras, tanto nós como os daquele lugar, rogamos a Paulo que não subisse a Jerusalém. 13 Então, ele respondeu: Que fazeis chorando e quebrantando-me o coração? Pois estou pronto não só para ser preso, mas até para morrer em Jerusalém pelo nome do Senhor Jesus. 14 Como, porém, não o persuadimos, conformados, dissemos: Faça-se a vontade do Senhor!

“Ágabo era um profeta de Jerusalém que já havia sido apresentado no episódio da fome, em Atos 11:27-30. De maneira semelhante a algumas profecias do Antigo Testamento (por exemplo, Is 20:1-6; Jr 13:1-10), sua mensagem foi dramatizada. Ela serviu como uma ilustração vívida do que aconteceria com Paulo quando ele chegasse a Jerusalém e como seus inimigos o entregariam aos gentios (os romanos).”1

“Os que estavam com Paulo aparentemente entenderam a mensagem de Ágabo como uma advertência, não como uma profecia e, portanto, tentaram por todos os meios convencer o apóstolo a que não fosse a Jerusalém. Embora profundamente tocado pela reação deles, Paulo estava determinado a cumprir sua missão, mesmo que isso lhe custasse a vida. Para ele, a integridade do evangelho e a unidade da igreja eram mais importantes do que a própria segurança ou interesses pessoais.”1

“‘Nunca antes o apóstolo havia se aproximado de Jerusalém com o coração tão triste. Sabia que encontraria poucos amigos e muitos inimigos. Estava chegando à cidade que tinha rejeitado e matado o Filho de Deus e sobre a qual agora pairavam as ameaças da ira divina’ (Ellen G. White, Atos dos Apóstolos, p. 397, 398).”

“Incompreendido, caluniado, maltratado e muitas vezes insultado, Paulo seguiu com fé. Como podemos fazer o mesmo em circunstâncias desencorajadoras?”1

Quinta-feira, 06 de setembro de 2018. Saiba mais, ouça o Comentário em áudio da Lição da Escola Sabatina (LES) ou se preferir faça um Curso Bíblico.
_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. O livro de Atos dos Apóstolos. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 493, jul. ago. set. 2018. Adulto, Professor.
2 BIBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

Mileto

Lições da Bíblia

“A caminho de Jerusalém, Paulo fez outra parada, desta vez em Mileto, onde teve a oportunidade de fazer um discurso de despedida aos líderes da igreja de Éfeso.”1

“4. Leia Atos 20:15-27. Qual foi a ênfase de Paulo na parte introdutória de seu discurso? Assinale ‘V’ para verdadeiro ou ‘F’ para falso:”1

Atos (20:15-27 ARA)2: “15 dali, navegando, no dia seguinte, passamos defronte de Quios, no dia imediato, tocamos em Samos e, um dia depois, chegamos a Mileto. 16 Porque Paulo já havia determinado não aportar em Éfeso, não querendo demorar-se na Ásia, porquanto se apressava com o intuito de passar o dia de Pentecostes em Jerusalém, caso lhe fosse possível. 17 De Mileto, mandou a Éfeso chamar os presbíteros da igreja. 18 E, quando se encontraram com ele, disse-lhes: Vós bem sabeis como foi que me conduzi entre vós em todo o tempo, desde o primeiro dia em que entrei na Ásia, 19 servindo ao Senhor com toda a humildade, lágrimas e provações que, pelas ciladas dos judeus, me sobrevieram, 20 jamais deixando de vos anunciar coisa alguma proveitosa e de vo-la ensinar publicamente e também de casa em casa, 21 testificando tanto a judeus como a gregos o arrependimento para com Deus e a fé em nosso Senhor Jesus [Cristo]. 22 E, agora, constrangido em meu espírito, vou para Jerusalém, não sabendo o que ali me acontecerá, 23 senão que o Espírito Santo, de cidade em cidade, me assegura que me esperam cadeias e tribulações. 24 Porém em nada considero a vida preciosa para mim mesmo, contanto que complete a minha carreira e o ministério que recebi do Senhor Jesus para testemunhar o evangelho da graça de Deus. 25 Agora, eu sei que todos vós, em cujo meio passei pregando o reino, não vereis mais o meu rosto. 26 Portanto, eu vos protesto, no dia de hoje, que estou limpo do sangue de todos; 27 porque jamais deixei de vos anunciar todo o desígnio de Deus.

  1. ( ) A rejeição de sua mensagem pelos presbíteros.
  2. ( ) Ele recapitulou seu ministério na cidade de Éfeso.

Resposta sugestiva: Alternativa B.

“Como já havia planejado uma nova viagem que incluía Roma e Espanha (Rm 15:22-29), Paulo acreditava que nunca mais retornaria à Ásia. Então ele começou seu discurso com uma espécie de prestação de contas dos anos passados em Éfeso. Esse relatório, no entanto, apontava não apenas para o passado, ou seja, para a maneira pela qual ele havia vivido entre os efésios, mas também para o futuro, pois ele temia o que poderia lhe acontecer em Jerusalém.”

“O medo de Paulo não era infundado. A igreja de Jerusalém o via com certo ceticismo, se não hostilidade, por causa do seu passado como perseguidor e por sua pregação de um evangelho isento da circuncisão (At 21:20-26). Para as autoridades judaicas, ele não passava de um traidor e apóstata de suas tradições religiosas (At 23:1, 2). Em meados do primeiro século, especialmente por conta do mal governo romano, a Judeia também estava dominada por ideais revolucionários e nacionalistas. Essa atmosfera influenciava todos os segmentos da sociedade judaica, possivelmente até mesmo a igreja. Nesse contexto, as ações daquele ex-fariseu entre os gentios devem tê-lo tornado uma persona non grata [pessoa não bem-vinda] na Judeia (At 21:27-36).”1

“Paulo também tinha outras preocupações. Em Atos 20:28-31, ele focalizou a maneira pela qual os líderes da igreja em Éfeso deveriam lidar com os falsos mestres, a quem comparou a lobos vorazes que tentariam desviar e perverter o rebanho. Portanto, mesmo na própria igreja, e mesmo nos seus primórdios, o perigo dos falsos mestres era real. Como disse Salomão em outro momento e em outro contexto: ‘não há nada novo debaixo do sol’ (Ec 1:9, NVI). A história da igreja cristã revela os imensos danos que os falsos mestres podem causar. Esse problema vai existir até o fim (2Tm 4:3).”1

“É claro que Paulo tinha muitas coisas em sua mente, muitas preocupações; porém, sua fidelidade e diligência nunca vacilaram.”1

“Leia 2 Coríntios 4:8-14 [‘8 Em tudo somos atribulados, porém não angustiados; perplexos, porém não desanimados; 9 perseguidos, porém não desamparados; abatidos, porém não destruídos; 10 levando sempre no corpo o morrer de Jesus, para que também a sua vida se manifeste em nosso corpo. 11 Porque nós, que vivemos, somos sempre entregues à morte por causa de Jesus, para que também a vida de Jesus se manifeste em nossa carne mortal. 12 De modo que, em nós, opera a morte, mas, em vós, a vida. 13 Tendo, porém, o mesmo espírito da fé, como está escrito: Eu cri; por isso, é que falei. Também nós cremos; por isso, também falamos, 14 sabendo que aquele que ressuscitou o Senhor Jesus também nos ressuscitará com Jesus e nos apresentará convosco.]2. Como devemos reagir quando as provações chegam? Em quem Paulo colocou sua esperança suprema?”1

Quarta-feira, 05 de setembro de 2018. Saiba mais, ouça o Comentário em áudio da Lição da Escola Sabatina (LES) ou se preferir faça um Curso Bíblico.
_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. O livro de Atos dos Apóstolos. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 493, jul. ago. set. 2018. Adulto, Professor.
2 BIBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.