Amor em ação – Estudo adicional

Lições da Bíblia1

“Ninguém pode exercitar verdadeira beneficência sem abnegação. Unicamente por uma vida de simplicidade, de renúncia e estrita economia, nos é possível realizar a obra a nós designada como representantes de Cristo. O orgulho e a ambição mundanos precisam ser expulsos de nosso coração. Em toda a nossa obra, o princípio do altruísmo revelado na vida de Cristo tem que ser desenvolvido. Nas paredes de nossa casa, nos quadros, na mobília, devemos ler: Recolhe ‘em casa os pobres desabrigados’. Em nosso guarda-roupa, cumpre-nos ler: ‘Veste o nu’. Na sala de jantar, na mesa coberta de abundante alimento, devemos ver traçado: Reparte ‘o teu pão com o faminto’” (Is 58:7; Ellen G. White, A Ciência do Bom Viver, p. 206).

Perguntas para consideração

1. “Por que vocês gastam o dinheiro naquilo que não é pão, e o seu suor, naquilo que não satisfaz?” (Is 55:2). Estamos trabalhando por algo que não satisfaz? É fácil cair nessa armadilha?

2. Se a abnegação, a bondade e o sábado eram importantes no Dia da Expiação, serão importantes também no Dia da Expiação do fim dos tempos (Dn 8:14), quando a trombeta do Jubileu sinalizará a libertação na volta de Cristo (1Co 15:52; Lv 25:9, 10)?

3. O que Isaías quis dizer ao dizer que devemos deixar de fazer nossa vontade no sábado, mas, ao mesmo tempo, devemos chamar o sábado de “meu prazer” (Is 58:13)? Como fazer as duas coisas? Lembre-se do contexto de Isaías 58.

Sexta-feira, 12 de março de 2021. Saiba mais, faça um Curso Bíblico

_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. Isaías: Consolo para o povo de Deus. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 503, jan. fev. mar. 2021. Adulto, Professor. 

Amor em ação

Lições da Bíblia1

“Se abrirem o seu coração aos famintos e socorrerem os aflitos, então a luz de vocês nascerá nas trevas, e a escuridão em que vocês se encontram será como a luz do meio-dia” (Is 58:10).

Certa vez, um judeu dirigente de louvor em uma sinagoga e sua esposa, que moravam em Lincoln, Nebraska, receberam telefonemas ameaçadores e ofensivos. Eles descobriram que as ligações vinham de um líder de um grupo terrorista, a Ku Klux Klan. Ao identificarem o homem, eles poderiam tê-lo denunciado à polícia. Mas decidiram por uma abordagem mais radical. Quando souberam que ele era paralítico, apareceram em sua casa com uma deliciosa refeição para o jantar! O homem ficou perplexo. Seu ódio se desfez diante do amor. Eles continuaram visitando-o, e a amizade cresceu. O ex-líder da Ku Klux Klan até pensou em se tornar judeu!

“Não é este o jejum que escolhi: que vocês quebrem as correntes da injustiça, desfaçam as ataduras da servidão, deixem livres os oprimidos e acabem com todo tipo de servidão? Será que não é também que vocês repartam o seu pão com os famintos, recolham em casa os pobres desabrigados, vistam os que encontrarem nus e não voltem as costas ao seu semelhante?” (Is 58:6, 7). Ironicamente, o casal que morava em Lincoln obedeceu aos princípios desse jejum ao compartilhar seu banquete com um opressor, libertando-o de seu preconceito!

Nesta semana, estudaremos mais sobre esse importante princípio espiritual, conforme descrito pelo profeta Isaías.

Sábado, 06 de março de 2021. Saiba mais, faça um Curso Bíblico

_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. Isaías: Consolo para o povo de Deus. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 503, jan. fev. mar. 2021. Adulto, Professor. 
2 BÍBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

Tiago, “o Justo”

Lições da Bíblia

“A tradição cristã sugere que Tiago, o irmão ou meio-irmão de Jesus, tornou-se um líder da igreja primitiva em Jerusalém e atuou como presidente do Concílio de Jerusalém (veja At 15, assim como Gl 1 e 2). Se assim for, é provável que ele tenha sido o autor da carta preservada na Bíblia e que leva o nome dele.”1

“Tiago era um nome comum na época, mas se esses foram a mesma pessoa, ele também pode ter sido o líder da igreja conhecido como Tiago, ‘o Justo’, o que sugere que ele era um líder sábio, que priorizava adequadamente o modo de tratar os outros e cuidava daqueles que eram muitas vezes esquecidos ou oprimidos. O livro que leva seu nome tem sido descrito como ‘o livro de Provérbios do Novo Testamento’, centrado na piedade prática e no propósito de viver sabiamente como seguidor de Deus.”1

“O autor do livro de Tiago desejava lembrar seus leitores cristãos de que deviam se tornar ‘praticantes da Palavra e não somente ouvintes,’ enganando-se a si mesmos (Tg 1:22), e de que o foco da religião que importa, pura e duradoura aos olhos de Deus, está em cuidar dos necessitados e oprimidos e em resistir às influências corruptoras da sociedade ao redor

(veja Tg 1:27 [‘A religião pura e sem mácula, para com o nosso Deus e Pai, é esta: visitar os órfãos e as viúvas nas suas tribulações e a si mesmo guardar-se incontaminado do mundo.’]).”1

“5. Leia Tiago 2:1-9 e 5:1-5. A atitude de Tiago para com os ricos é diferente da atitude comumente empregada na maioria das sociedades? Qual é a instrução específica sobre como os ricos e os pobres devem ser tratados dentro da comunidade da igreja?”1

Tiago (2:1-9 ARA)2: “1 Meus irmãos, não tenhais a fé em nosso Senhor Jesus Cristo, Senhor da glória, em acepção de pessoas. 2 Se, portanto, entrar na vossa sinagoga algum homem com anéis de ouro nos dedos, em trajos de luxo, e entrar também algum pobre andrajoso,e tratardes com deferência o que tem os trajos de luxo e lhe disserdes: Tu, assenta-te aqui em lugar de honra; e disserdes ao pobre: Tu, fica ali em pé ou assenta-te aqui abaixo do estrado dos meus pés, 4 não fizestes distinção entre vós mesmos e não vos tornastes juízes tomados de perversos pensamentos? 5 Ouvi, meus amados irmãos. Não escolheu Deus os que para o mundo são pobres, para serem ricos em fé e herdeiros do reino que ele prometeu aos que o amam? 6 Entretanto, vós outros menosprezastes o pobre. Não são os ricos que vos oprimem e não são eles que vos arrastam para tribunais? 7 Não são eles os que blasfemam o bom nome que sobre vós foi invocado? 8 Se vós, contudo, observais a lei régia segundo a Escritura: Amarás o teu próximo como a ti mesmo, fazeis bem; 9 se, todavia, fazeis acepção de pessoas, cometeis pecado, sendo arguidos pela lei como transgressores.”

Tiago (5:1-5 ARA)2: “1 Atendei, agora, ricos, chorai lamentando, por causa das vossas desventuras, que vos sobrevirão.As vossas riquezas estão corruptas, e as vossas roupagens, comidas de traça;o vosso ouro e a vossa prata foram gastos de ferrugens, e a sua ferrugem há de ser por testemunho contra vós mesmos e há de devorar, como fogo, as vossas carnes. Tesouros acumulastes nos últimos dias.Eis que o salário dos trabalhadores que ceifaram os vossos campos e que por vós foi retido com fraude está clamando; e os clamores dos ceifeiros penetraram até aos ouvidos do Senhor dos Exércitos. Tendes vivido regaladamente sobre a terra; tendes vivido nos prazeres; tendes engordado o vosso coração, em dia de matança;tendes condenado e matado o justo, sem que ele vos faça resistência.

“Tiago defendeu que desejar o bem a alguém, até mesmo desejar-lhe a bênção de Deus, será de pouco conforto se a pessoa estiver sofrendo de frio e fome. Prover alimento e roupas será muito mais útil na expressão e demonstração do nosso interesse por essas pessoas do que todos os nobres sentimentos e bons desejos

(veja Tg 2:14-16 [‘14 Meus irmãos, qual é o proveito, se alguém disser que tem fé, mas não tiver obras? Pode, acaso, semelhante fé salvá-lo? 15 Se um irmão ou uma irmã estiverem carecidos de roupa e necessitados do alimento cotidiano, 16 e qualquer dentre vós lhes disser: Ide em paz, aquecei-vos e fartai-vos, sem, contudo, lhes dar o necessário para o corpo, qual é o proveito disso?’]).

Tiago usou isso como um exemplo da relação entre fé e obras no contexto do nosso relacionamento com Deus. Ele também repetiu (Tg 2:8) o que Jesus ensinou sobre amar o próximo como a si mesmo, mostrando como esse mandamento deve ser obedecido no dia a dia. O preceito é vivido no serviço a Deus e aos outros, não para ganhar a salvação, mas por ser a manifestação da verdadeira fé.”1

“Por que é tão fácil, mesmo de modo inconsciente, preferir os ricos aos pobres?”1

Quinta-feira, 29 de agosto de 2019. Saiba mais, faça um Curso Bíblico

_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. “Meus pequeninos irmãos”: servindo aos necessitados. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 496, jul. ago. set. 2019. Adulto, Professor. 
2 BÍBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

O guia de Paulo para viver e amar intensamente

Lições da Bíblia

“Acarta de Paulo aos Romanos é mais conhecida por suas explicações detalhadas da grande doutrina da salvação pela fé mediante a morte de Cristo. Porém, após 11 capítulos sobre essa doutrina, ele muda a ênfase e oferece um guia prático para viver e amar satisfatoriamente, com base na graça e amor de Deus revelados em Jesus e na história do evangelho: ‘Rogo-vos, pois, irmãos, pelas misericórdias de Deus, que apresenteis o vosso corpo por sacrifício vivo, santo e agradável a Deus, que é o vosso culto racional’ (Rm 12:1). Com efeito, O que Paulo afirma é que, por causa do que Deus fez por nós em Jesus, devemos viver dessa maneira.”1

“4. Leia e resuma Romanos 12, observando de maneira especial as instruções para amar e cuidar dos outros, principalmente dos necessitados.”1

Romanos (12 ARA)2: 1 Rogo-vos, pois, irmãos, pelas misericórdias de Deus, que apresenteis o vosso corpo por sacrifício vivo, santo e agradável a Deus, que é o vosso culto racional. 2 E não vos conformeis com este século, mas transformai-vos pela renovação da vossa mente, para que experimenteis qual seja a boa, agradável e perfeita vontade de Deus. 3 Porque, pela graça que me foi dada, digo a cada um dentre vós que não pense de si mesmo além do que convém; antes, pense com moderação, segundo a medida da fé que Deus repartiu a cada um.Porque assim como num só corpo temos muitos membros, mas nem todos os membros têm a mesma função,assim também nós, conquanto muitos, somos um só corpo em Cristo e membros uns dos outros, 6 tendo, porém, diferentes dons segundo a graça que nos foi dada: se profecia, seja segundo a proporção da fé; 7 se ministério, dediquemo-nos ao ministério; ou o que ensina esmere-se no fazê-lo; 8 ou o que exorta faça-o com dedicação; o que contribui, com liberalidade; o que preside, com diligência; quem exerce misericórdia, com alegria. 9 O amor seja sem hipocrisia. Detestai o mal, apegando-vos ao bem. 10 Amai-vos cordialmente uns aos outros com amor fraternal, preferindo-vos em honra uns aos outros. 11 No zelo, não sejais remissos; sede fervorosos de espírito, servindo ao Senhor; 12 regozijai-vos na esperança, sede pacientes na tribulação, na oração, perseverantes; 13 compartilhai as necessidades dos santos; praticai a hospitalidade; 14 abençoai os que vos perseguem, abençoai e não amaldiçoeis. 15 Alegrai-vos com os que se alegram e chorai com os que choram. 16 Tende o mesmo sentimento uns para com os outros; em lugar de serdes orgulhosos, condescendei com o que é humilde; não sejais sábios aos vossos próprios olhos. 17 Não torneis a ninguém mal por mal; esforçai-vos por fazer o bem perante todos os homens; 18 se possível, quanto depender de vós, tende paz com todos os homens; 19 não vos vingueis a vós mesmos, amados, mas dai lugar à ira; porque está escrito: A mim me pertence a vingança; eu é que retribuirei, diz o Senhor.  20 Pelo contrário, se o teu inimigo tiver fome, dá-lhe de comer; se tiver sede, dá-lhe de beber; porque, fazendo isto, amontoarás brasas vivas sobre a sua cabeça. 21 Não te deixes vencer do mal, mas vence o mal com o bem.

“Em certo sentido, Romanos 12 funciona como um resumo de muitos assuntos aos quais Paulo deu atenção mais detalhada em algumas de suas outras cartas. Ele falou sobre as diferentes funções e dons dentro do corpo da igreja, inclusive o dom de servir e de encorajar outros e o de doar generosamente (veja v. 3-8). Mas essas coisas devem ser feitas com entusiasmo e, acima de tudo, com amor (veja v. 9-11).”1

“Paulo descreveu em termos práticos o que é essa maneira de viver. Ele rogou aos cristãos que fossem pacientes nas dificuldades e perseguições, cuidassem dos necessitados, fossem pacificadores em qualquer lugar e sempre que possível, como vimos anteriormente, reagissem ao mal e à injustiça com bondade, vencendo o mal com a prática do bem (veja Rm 2:20, 21).”1

“Esse capítulo descreve o que significa viver como uma nova criatura, servindo a Deus individualmente e como parte de uma comunidade de fé. Paulo declarou a esses novos seguidores de Cristo que sua vida, prioridades e ações deveriam mudar por causa de sua resposta ao que Jesus havia feito por eles mediante Sua morte na cruz e devido à esperança de vida eterna que resultava de Seu sacrifício. Vivendo como eles estavam, em uma sociedade opressora e muitas vezes cruel no centro do Império Romano, Paulo os instruiu a viver de maneira diferente: ‘E não vos conformeis com este século, mas transformai-vos pela renovação da vossa mente’ (Rm 12:2).”1

“A quais atitudes e práticas você precisa resistir em sua comunidade para viver e amar de maneira ideal como um seguidor de Jesus?”1

Quarta-feira, 28 de agosto de 2019. Saiba mais, faça um Curso Bíblico

_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. “Meus pequeninos irmãos”: servindo aos necessitados. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 496, jul. ago. set. 2019. Adulto, Professor. 
2 BÍBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

O ministério e testemunho de Dorcas

Lições da Bíblia

“Como Jesus havia predito, à medida que a igreja começou a se espalhar ‘tanto em Jerusalém como em toda a Judeia e Samaria e até aos confins da Terra’ (At 1:8), novos cristãos abraçaram a fé e o ministério de Jesus. Entre eles estava Dorcas, também conhecida como Tabita, na cidade de Jope. Evidentemente ela levou a sério o ensino especial de Jesus de que, quando vestia o nu, ela o estava fazendo ao próprio Jesus

(veja Mt 25:38, 40 [‘E quando te vimos forasteiro e te hospedamos? Ou nu e te vestimos? […] O Rei, respondendo, lhes dirá: Em verdade vos afirmo que, sempre que o fizestes a um destes meus pequeninos irmãos, a mim o fizestes.’]).”1

“2. Leia a descrição de Dorcas e de seu ministério em Atos 9:36. Sua vida e ministério poderiam ser descritos em um formato semelhante a esse verso? Como você gostaria que as pessoas o descrevessem?”1

Atos (9:36 ARA): “36 Havia em Jope uma discípula por nome Tabita, nome este que, traduzido, quer dizer Dorcas; era ela notável pelas boas obras e esmolas que fazia.”

“Parece que o ministério de Dorcas era tão notável que a descrição dela como ‘discípula’ (veja At 9:36), bem como sua fidelidade, energia e foco nos outros eram reconhecidos mesmo fora de sua cidade natal.”1

“Pedro estava visitando Lida, a cidade vizinha, e o povo de Jope lhe pediu que ele viesse em resposta à morte prematura de Dorcas

(veja At 9:37-41 [‘37 Ora, aconteceu, naqueles dias, que ela adoeceu e veio a morrer; e, depois de a lavarem, puseram-na no cenáculo. 38 Como Lida era perto de Jope, ouvindo os discípulos que Pedro estava ali, enviaram-lhe dois homens que lhe pedissem: Não demores em vir ter conosco. 39 Pedro atendeu e foi com eles. Tendo chegado, conduziram-no para o cenáculo; e todas as viúvas o cercaram, chorando e mostrando-lhe túnicas e vestidos que Dorcas fizera enquanto estava com elas. 40 Mas Pedro, tendo feito sair a todos, pondo-se de joelhos, orou; e, voltando-se para o corpo, disse: Tabita, levanta-te! Ela abriu os olhos e, vendo a Pedro, sentou-se. 41 Ele, dando-lhe a mão, levantou-a; e, chamando os santos, especialmente as viúvas, apresentou-a viva. 42 Isto se tornou conhecido por toda Jope, e muitos creram no Senhor. 43 Pedro ficou em Jope muitos dias, em casa de um curtidor chamado Simão.’]).

Em sua chegada a Jope, Pedro foi recebido por muitas pessoas que haviam sido auxiliadas por Dorcas mediante o trabalho dela para com os pobres. Elas lhe mostraram as roupas que Dorcas havia feito e, evidentemente, contaram-lhe histórias de como ela as havia ajudado e a muitas outras pessoas.”1

“O fato de que Pedro orou por Dorcas e Deus restaurou essa mulher à vida não garante que sempre dará tudo certo aos que dedicam sua vida ao serviço dos outros. Afinal, Dorcas já havia sofrido doença e morte, e Estêvão, um dos primeiros diáconos nomeados para ministrar às viúvas na igreja, também havia se tornado o primeiro mártir (veja At 7:54-60). Uma vida de serviço não é um caminho fácil, sem obstáculos; às vezes pode até ser a estrada mais difícil.”1

“No entanto, nessa história Deus usou o reconhecimento de Seu amor e poder tanto na vida quanto na morte de Dorcas para causar um forte impacto no povo de Jope: ‘Isto se tornou conhecido por toda Jope, e muitos creram no Senhor’ (At 9:42).”1

“Se você morresse, as pessoas sentiriam falta da sua contribuição assim como o ministério de Dorcas foi lembrado e lamentado? Como podemos deixar um melhor legado de serviço? Considerando a história dessa mulher que fazia roupas para os necessitados, quais são suas habilidades práticas para usar no serviço às pessoas?”1

Segunda-feira, 26 de agosto de 2019. Saiba mais, faça um Curso Bíblico

_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. “Meus pequeninos irmãos”: servindo aos necessitados. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 496, jul. ago. set. 2019. Adulto, Professor. 
2 BÍBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

Amar uns aos outros

Lições da Bíblia

“4. Leia Romanos 13:8. Como devemos entender esse texto? Se amamos, somos dispensados da obediência à lei de Deus?”1

Romanos (13:8 ARA)2: “A ninguém fiqueis devendo coisa alguma, exceto o amor com que vos ameis uns aos outros; pois quem ama o próximo tem cumprido a lei.

“Assim como Jesus fez no Sermão do Monte, Paulo ampliou os preceitos da lei, mostrando que o amor deve ser a força motivadora por trás de tudo que fazemos. Visto que a lei é uma transcrição do caráter de Deus, e Deus é amor, amar, portanto, é cumprir a lei. Contudo, Paulo não estava substituindo os preceitos precisamente detalhados da lei por um padrão vago de amor, como afirmam alguns cristãos. A lei moral ainda é válida, pois é ela que revela o pecado – e quem vai negar a realidade do pecado? No entanto, a lei realmente só pode ser obedecida no contexto do amor. Lembre-se, alguns daqueles que crucificaram Cristo seguiram, então, para suas casas para guardar a lei!”1

“5. Leia Romanos 13:9, 10. Quais mandamentos Paulo citou para ilustrar o princípio do amor na observância da lei? Por que esses em particular? Assinale ‘V’ para verdadeiro ou ‘F’ para falso:”1

Romanos (13:9, 10 ARA)2: “9 Pois isto: Não adulterarás, não matarás, não furtarás, não cobiçarás, e, se há qualquer outro mandamento, tudo nesta palavra se resume: Amarás o teu próximo como a ti mesmo. 10 O amor não pratica o mal contra o próximo; de sorte que o cumprimento da lei é o amor.

A.( ) Não adulterarás, não matarás, não furtarás e não cobiçarás. Porque eles estão relacionados com o amor ao próximo e com os relacionamentos.
B.( ) Não terás outros deuses; não farás imagens de escultura; não tomarás o nome do Senhor em vão; lembra-te do dia de sábado.

Resposta sugestiva: V; F.

“Curiosamente, o amor não era um princípio recém-introduzido. Ao citar Levítico 19:18, ‘amarás o teu próximo como a ti mesmo’, Paulo mostrou que o princípio era parte integrante do sistema do Antigo Testamento. Novamente, Paulo recorreu ao Antigo Testamento para apoiar sua pregação do evangelho. A partir do que Paulo ensinou nesses versos, alguns argumentam que apenas os poucos mandamentos mencionados ali estão em vigor. Em caso afirmativo, isso significa que os cristãos podem desonrar seus pais, adorar ídolos e ter outros deuses diante do Senhor? Claro que não!”1

“Observe o contexto desses versos. Paulo estava tratando da maneira como nos relacionamos com os outros; por isso ele especificou os mandamentos centrados nesses relacionamentos. Seu argumento certamente não deve ser interpretado como se o restante da lei tivesse sido anulado (veja At 15:20[‘mas escrever-lhes que se abstenham das contaminações dos ídolos, bem como das relações sexuais ilícitas, da carne de animais sufocados e do sangue.’]; 1Ts 1:9 [‘pois eles mesmos, no tocante a nós, proclamam que repercussão teve o nosso ingresso no vosso meio, e como, deixando os ídolos, vos convertestes a Deus, para servirdes o Deus vivo e verdadeiro’]; 1Jo 5:21 [‘Filhinhos, guardai-vos dos ídolos.’]). Além do mais, como destacam os escritores do Novo Testamento, ao mostrar amor para com os outros, mostramos nosso amor para com Deus (Mt 25:40; 1Jo 4:20, 21).”1

“Seu relacionamento com Deus é refletido em seu relacionamento com os outros? O amor é importante nesse contexto? Como amar os outros como Deus o ama? O que o impede de amar?”1

Quarta-feira, 20 de dezembro de 2017. Saiba mais, ouça o Comentário em áudio  da Lição da Escola Sabatina (LES) ou se preferir faça um Curso Bíblico.
_______________
1 LIÇÃO da escola sabatina. Salvação somente pela fé: o livro de Romanos. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 490, Out. Nov. Dez. 2017. Adulto, Professor.
2 BIBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

Amor ao próximo

Lições da Bíblia

“4. Leia Tiago 2:8, 9, Levítico 19:17, 18, e Mateus 5:43-45. Que mensagem importante recebemos nessas passagens?”1 “8 Se vós, contudo, observais a lei régia segundo a Escritura: Amarás o teu próximo como a ti mesmo, fazeis bem; 9 se, todavia, fazeis acepção de pessoas, cometeis pecado, sendo arguidos pela lei como transgressores.” (Tiago 2:8-9 RA)2; “17 Não aborrecerás teu irmão no teu íntimo; mas repreenderás o teu próximo e, por causa dele, não levarás sobre ti pecado. 18 Não te vingarás, nem guardarás ira contra os filhos do teu povo; mas amarás o teu próximo como a ti mesmo. Eu sou o SENHOR.” (Levíticos 19:17-18 RA)2; “43 Ouvistes que foi dito: Amarás o teu próximo e odiarás o teu inimigo. 44 Eu, porém, vos digo: amai os vossos inimigos e orai pelos que vos perseguem; 45 para que vos torneis filhos do vosso Pai celeste, porque ele faz nascer o seu sol sobre maus e bons e vir chuvas sobre justos e injustos.” (Mateus 5:43-45 RA)2.” Pecamos quando fazemos acepção de pessoas, quando em nosso coração aborrecemos o nosso irmão. Não devemos ser vingativos, pelo contrário, devemos amar os nossos inimigos e orar por aqueles que nos perseguem.

“Tiago chama a lei de Deus de ‘a lei régia’ [lei real, NVI] (Tg 2:8), porque ela é a lei do ‘Rei dos reis’ (Ap 19:16). A lei de Seu reino é dada em detalhe no Sermão da Montanha (Mt 5–7), que inclui a primeira de nove referências no Novo Testamento sobre amar o nosso próximo.”1

“As palavras de Jesus em Mateus 5:43 sugerem o modo pelo qual Levítico 19:18 era entendido na época. Por exemplo, os mandamentos imediatamente anteriores em Levítico usam sinônimos aparentes para o próximo: eles proíbem odiar o ‘irmão’ (Lv 19:17) e guardar ira contra um companheiro israelita (Lv 19:18).”1

“Muito provavelmente alguns interpretavam que esses mandamentos significavam que seria bom odiar ou ficar irado contra pessoas que não eram israelitas, porque elas não são mencionadas especificamente nesses textos. Afinal, pessoas que não eram israelitas geralmente eram consideradas inimigas. Sabemos agora que tal atitude existia na comunidade de Qumran, um grupo de judeus devotos que se haviam separado do restante da nação. Eles foram ensinados a odiar ‘os filhos das trevas’ e ‘os homens da perdição’ (The Community Rule [A Regra da Comunidade] 1QS [Qumran Serekh] 1:10; 9:21, 22), rótulos que, aparentemente, incluíam não apenas os estrangeiros, mas até mesmo israelitas que haviam rejeitado os ensinamentos da comunidade.”1

“‘O pecado é o maior de todos os males, e cumpre-nos apiedar-nos do pecador e ajudá-lo. Muitos há que erram, e sentem sua vergonha e loucura. Estão sedentos de palavras de animação. Pensam em suas faltas e erros a ponto de ser quase arrastados ao desespero. Não devemos negligenciar essas pessoas. Se somos cristãos, não passaremos de largo, mantendo-nos o mais distante possível daqueles que mais necessidade têm de nosso auxílio. Ao vermos criaturas humanas em aflição, seja devido a infortúnio, seja por causa de pecado, não diremos nunca: Não tenho nada com isso’ (Ellen G. White, O Desejado de Todas as Nações, p. 504).”1

“A vida de Jesus é o maior exemplo de amor altruísta pelos que não merecem e pelos que não retribuem Seu amor. Como podemos aprender a expressar esse amor por aqueles a quem julgamos indignos ou que não retribuem nosso amor? Nesse processo, qual é a importância da entrega completa e da morte para o eu?”1

Terça-feira, 28 de outubro de 2014. Saiba mais, ouça o Comentário em áudio da Lição da Escola Sabatina (LES) ou se preferir faça um Curso Bíblico.

__________________

1 BIBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

2 LIÇÕES da escola sabatina. Carta de Tiago. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 478, Out. Nov. Dez. 2014. Adulto, Professor.

Ame seu próximo

Lições da Bíblia

“Viver como Jesus viveu significa mostrar o mesmo amor que Ele demonstrou, e que foi ilustrado na parábola do bom samaritano (Lc 10:30-37). Ele contou essa parábola em um diálogo com um doutor da lei, o qual havia resumido nosso dever para com Deus e para com o semelhante: ‘Amarás o Senhor, teu Deus, de todo o teu coração, de toda a tua alma, de todas as tuas forças e de todo o teu entendimento; e: Amarás o teu próximo como a ti mesmo’ (Lc 10:27). O doutor da lei conhecia bem a Bíblia (ele citou de cor Deuteronômio 6:5 e Levítico 19:18), mas deve ter se sentido culpado por não demonstrar amor ao próximo. Na tentativa de se justificar, perguntou a Jesus: ‘Quem é o meu próximo?’ (Lc 10:29).”

3. Como Jesus explicou quem é o nosso próximo? Que implicações a parábola do bom samaritano tem para nós? Qual é a relação entre o mandamento de amar o próximo como a nós mesmos e a regra áurea de Mateus 7:12? “30 Jesus prosseguiu, dizendo: Certo homem descia de Jerusalém para Jericó e veio a cair em mãos de salteadores, os quais, depois de tudo lhe roubarem e lhe causarem muitos ferimentos, retiraram-se, deixando-o semimorto. 31 Casualmente, descia um sacerdote por aquele mesmo caminho e, vendo-o, passou de largo. 32 Semelhantemente, um levita descia por aquele lugar e, vendo-o, também passou de largo. 33 Certo samaritano, que seguia o seu caminho, passou-lhe perto e, vendo-o, compadeceu-se dele. 34 E, chegando-se, pensou-lhe os ferimentos, aplicando-lhes óleo e vinho; e, colocando-o sobre o seu próprio animal, levou-o para uma hospedaria e tratou dele. 35 No dia seguinte, tirou dois denários e os entregou ao hospedeiro, dizendo: Cuida deste homem, e, se alguma coisa gastares a mais, eu to indenizarei quando voltar. 36 Qual destes três te parece ter sido o próximo do homem que caiu nas mãos dos salteadores? 37 Respondeu-lhe o intérprete da Lei: O que usou de misericórdia para com ele. Então, lhe disse: Vai e procede tu de igual modo.” (Lucas 10:30-37 RA)2; “Tudo quanto, pois, quereis que os homens vos façam, assim fazei-o vós também a eles; porque esta é a Lei e os Profetas.” (Mateus 7:12 RA)2. Jesus explicou quem é o nosso próximo através de uma parábola onde ficou evidente que o nosso próximo é todo aquele que necessita de nós e nós o ajudamos com um ato de amor. O princípio áureo é agir com os outros do mesmo modo como queremos que os outros nos trate.

“Jesus respondeu à pergunta: ‘Quem é o meu próximo?’, dizendo que nosso próximo é toda pessoa que precisa da nossa ajuda. Assim, em vez de perguntar: ‘O que meu próximo pode fazer por mim’, devemos perguntar: ‘O que posso fazer pelo meu próximo?’”1

“A regra áurea era interpretada de forma negativa: “Não faça aos outros aquilo que você detesta.” Jesus foi muito além dessa interpretação. Ao apresentá-la de forma positiva, Ele falou não apenas do que devemos evitar, mas, especialmente, do que devemos fazer. Precisamos nos lembrar especialmente de que esse princípio não nos diz para tratar os outros como eles nos tratam. Afinal de contas, é fácil ser gentil com os que são gentis para conosco ou hostil para com os que são agressivos. A maioria das pessoas faz isso. Em vez disso, devemos amar o próximo independentemente da maneira pela qual ele nos trata.”1

“Qual foi sua reação diante de alguém que o ofendeu? Com base no exemplo de Cristo e em Sua maneira de tratar os que O maltrataram, como você pode se relacionar melhor com os que não o trataram de modo gentil?”1

Segunda-feira, 11 de agosto de 2014. Saiba mais, ouça o Comentário em áudioda Lição da Escola Sabatina (LES) ou se preferir faça um Curso Bíblico.

__________________

1 LIÇÕES da escola sabatina. Ensino de Jesus. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 477, Jul. Ago. Set. 2014. Adulto, Professor.

2 BIBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.