Confiança

Lições da Bíblia

“5. Leia Provérbios 3:5. Qual é a mensagem fundamental para nós nesse texto? (Veja também Is 55:9; 1Co 4:5; 13:12).”1

Provérbios (3:5 ARA)2: “Confia no SENHOR de todo o teu coração e não te estribes no teu próprio entendimento.

Isaías (55:9 ARA)2: “porque, assim como os céus são mais altos do que a terra, assim são os meus caminhos mais altos do que os vossos caminhos, e os meus pensamentos, mais altos do que os vossos pensamentos.”.

1 Coríntios (4:5 ARA)2: “Portanto, nada julgueis antes do tempo, até que venha o Senhor, o qual não somente trará à plena luz as coisas ocultas das trevas, mas também manifestará os desígnios dos corações; e, então, cada um receberá o seu louvor da parte de Deus.”.

1 Coríntios (13:12 ARA)2: “Porque, agora, vemos como em espelho, obscuramente; então, veremos face a face. Agora, conheço em parte; então, conhecerei como também sou conhecido.

“O lema e objetivo do mordomo de Deus é confiar no Senhor de todo o coração e não se apoiar no próprio entendimento (Pv 3:5).”1

“Muitas vezes, isso é mais fácil de falar do que de fazer. Quantas vezes podemos acreditar intelectualmente em Deus, em Seu amor e cuidado por nós, e ainda assim ficarmos extremamente preocupados com o que estamos enfrentando? Às vezes, o futuro pode parecer muito assustador, pelo menos em nossa imaginação.”1

“Como, então, aprender a confiar em Deus? Avançando em fé e obedecendo ao Senhor em tudo o que fizermos. A confiança é uma ação mental que não se esgota pelo uso. Ao contrário, quanto mais confiamos no Senhor, mais nossa confiança aumenta. Viver como mordomos fiéis é uma forma de expressar nossa confiança em Deus. Essa confiança é o fundamento e a força motivadora do mordomo, e ela se torna visível pelo que fazemos.”1

“‘Confia no Senhor de todo o teu coração.’ A expressão ‘teu coração’ é sempre usada simbolicamente nas Escrituras. Ela significa que nossas decisões procedem de um ‘eu’ moral interior que forma quem somos (Mt 22:37). Isso inclui nosso caráter, motivações e intenções: a essência do nosso ser.”1

“É mais fácil confiar em Deus nas questões que não podemos controlar. Nesse sentido, não temos escolha senão confiar Nele. Em vez disso, a verdadeira confiança “do coração” surge quando temos que fazer uma escolha sobre algo que podemos controlar; quando nossa confiança em Deus nos faz escolher de uma ou de outra maneira.”1

“Os apóstolos exemplificaram o que significava para eles confiar em Deus de todo o coração: Eles ‘eram por natureza tão fracos e impotentes como qualquer dos que se acham agora empenhados na obra, mas punham no Senhor toda a sua confiança. Eram ricos, mas sua riqueza consistia na cultura da mente e do ser, e todo aquele que colocar Deus como primeiro, e último, e melhor em tudo, pode ter isso’ (Ellen G. White, Obreiros Evangélicos, p. 25).”1

É mais fácil confiar em Deus em relação às coisas que não podemos controlar. Mas, e quanto às coisas que estão sob nosso controle? Que escolhas você precisa fazer com base na confiança em Deus?

Hoje é o quarto dia da Semana Santa. Ore e convide seus amigos. Eles entenderão como encontrar libertação da incredulidade.

Terça-feira, 27 de março de 2018. Saiba mais, ouça o Comentário em áudio  da Lição da Escola Sabatina (LES) ou se preferir faça um Curso Bíblico.
_______________
1 LIÇÃO da escola sabatina. Mordomia cristã: motivos do coração. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 491, Jan. Fev. Mar. 2018. Adulto, Professor.
2 BIBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

Digno de confiança

Lições da Bíblia

“7. Leia Lucas 16:10-12. O que significa ser digno de confiança? Por que essa característica é tão importante para um mordomo fiel? Assinale a alternativa correta:”1

Lucas (16:10-12 ARA)2: “10 Quem é fiel no pouco também é fiel no muito; e quem é injusto no pouco também é injusto no muito. 11 Se, pois, não vos tornastes fiéis na aplicação das riquezas de origem injusta, quem vos confiará a verdadeira riqueza? 12 Se não vos tornastes fiéis na aplicação do alheio, quem vos dará o que é vosso?

A.(   ) Ser confiável em todas as coisas, começando pelas coisas pequenas. Assim, Deus nos confiará as coisas mais importantes.
B.(   ) Ser honesto apenas para com as pessoas da minha igreja.

Resposta sugestiva: Alternativa A.

“O princípio da confiabilidade é visto na Bíblia. Quatro guardas levitas eram encarregados de proteger o santuário do Antigo Testamento à noite. Eles deviam guardar os aposentos repletos de tesouros, bem como as chaves para abrir as portas todas as manhãs (1Cr 9:26, 27). Eles recebiam essa tarefa porque eram considerados dignos de confiança.”1

“Ser digno de confiança é uma marca de um bom mordomo. Os mordomos fiéis compreendem o significado de sua função; eles entendem que Deus é digno de confiança e buscam imitá-Lo (Dt 32:4; 1Rs 8:56).”1

“A confiabilidade implica uma série de traços de caráter que demonstram maturidade. Ela é o mais alto nível de caráter e competência que uma pessoa pode alcançar aos olhos dos observadores. Refletir o caráter de Deus significa fazer o que afirmamos que faremos, independentemente das circunstâncias ou de pressões contrárias (2Rs 12:15).”1

“Daniel foi considerado digno de confiança por monarcas de dois reinos mundiais. Sua reputação como conselheiro que destemidamente transmitia sabedoria e verdade aos reis opunha-se diretamente àquela dos adivinhos e dos mágicos da corte. A confiabilidade é a joia da coroa da ética; ela exibe seus princípios morais da maneira mais pura. Essa qualidade em um mordomo não aparece ‘do dia para a noite’, mas surge ao longo do tempo, à medida que somos fiéis mesmo nas pequenas coisas.”1

“As pessoas percebem se somos, ou não, dignos de confiança. Elas confiarão em nós se perceberem que não somos influenciados por opiniões, modismos nem lisonjas. Ser digno de confiança é uma demonstração do desempenho do nosso caráter em todas as nossas responsabilidades; um teste para o Céu. ‘Devemos ser súditos fiéis do reino de Cristo, dignos de confiança, para que os que são mundanos possam ter uma imagem fiel das riquezas, bondade, misericórdia, compaixão e cortesia dos cidadãos do reino de Deus’ (Ellen G. White, Testemunhos Para a Igreja, v. 6, p. 190).”1

“Pense em alguém confiável. Essa pessoa pode ajudar você a ser mais confiável?”1

Quinta-feira, 08 de fevereiro de 2018. Saiba mais, ouça o Comentário em áudio  da Lição da Escola Sabatina (LES) ou se preferir faça um Curso Bíblico.
_______________
1 LIÇÃO da escola sabatina. Mordomia cristã: motivos do coração. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 491, Jan. Fev. Mar. 2018. Adulto, Professor.
2 BIBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

Jesus conquistava a confiança das pessoas – Estudo adicional

Lições da Bíblia

Assista em vídeo a discussão do tema da semana.

 

Estudo adicional

“Leia Marcos 5:18-20; Lucas 8:38, 39; Atos 5:12-16. Leia, de Ellen G. White, ‘Nosso Exemplo’, em A Ciência do Bom Viver, p. 17-28; ‘A Virtude da Cortesia’, em Mensagens Escolhidas, v. 3, p. 237-240 (especialmente a p. 238, 239); ‘Deixai Vir a Mim os Meninos’, em O Desejado de Todas as Nações, p. 511-517; Minha Consagração Hoje [MM 1989], p. 242.”1

“Há muitas maneiras de cooperar com outras igrejas e organizações para o bem da comunidade. É importante que sua igreja saiba do que a comunidade precisa e trabalhe em harmonia com outros para atender a essas necessidades. Existe melhor maneira de desenvolver confiança em meio à comunidade e mesmo junto a outras igrejas? Assim, lançamos a base para que as pessoas conheçam a Jesus, pois ‘esta obra jamais ficará sem frutos’ (Ellen G. White, A Ciência do Bom Viver, p. 144). Só Deus sabe quantas pessoas foram ou serão ganhas através do simples ato de entrar em contato com aqueles que têm alguma necessidade e procurar fazer o bem a eles.”1

Perguntas para reflexão

“1. Como conciliar essa ideia de construir bons laços e conseguir um bom conceito na comunidade com a advertência de Jesus em Mateus 10:22? Como resolver essa aparente contradição?”1

“2. Se tivermos verdadeiramente uma fé salvadora em Jesus, o que será diferente em nós, em comparação com aqueles que não possuem essa fé?”1

“3. Como vimos no estudo de quarta-feira, Ellen G. White falou favoravelmente sobre o recebimento de doações dos que não têm fé em Jesus. No livro A Ciência do Bom Viver (p. 340), contudo, ela falou de maneira severa sobre igrejas que recebiam dinheiro dos que estavam empenhados no negócio de bebidas alcoólicas (mesmo de membros da igreja ‘de boa reputação’). O dinheiro dessas pessoas ‘é manchado de sangue. Está sobre ele uma maldição.’ Como saber o que é certo e o que é errado a respeito das pessoas de quem recebemos contribuições ou com quem cooperamos, mesmo que seja para uma boa causa?”1

Sexta-feira, 02 de setembro de 2016. Saiba mais, ouça o Comentário em áudio  da Lição da Escola Sabatina (LES) ou se preferir faça um Curso Bíblico.
__________________
1 LIÇÕES da escola sabatina. O papel da igreja na comunidade. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 485, Jul. Ago. Set. 2016. Adulto, Professor.

Conquistando a confiança

Lições da Bíblia

“Depois de desejar o bem das pessoas, manifestar compaixão por elas e ministrar-lhes às necessidades, Jesus ‘conquistava a sua confiança’. Essa palavra, em latim, é composta das palavras con, que significa ‘com’, e fides, que significa ‘fé’. Em toda a Bíblia, várias palavras são empregadas para transmitir o significado de ‘fé’. No hebraico, a principal raiz da palavra ‘fé’ é amn, da qual obtemos a palavra ‘amém’. A ideia básica é a de constância, continuidade e confiabilidade. Ela dá a ideia de algo sólido, firme, em que se pode confiar e acreditar. É muitas vezes traduzida como ‘crer’ no contexto de uma fé salvadora em Deus e, numa outra forma, significa ‘verdade’. No contexto do exemplo de Cristo sobre formas de conquistar a confiança das pessoas, a implicação é que Ele despertava o tipo de confiança que advém da percepção do comprometimento sólido e firme que, no caso de Jesus, vinha através de Sua atitude de Se misturar com as pessoas, compadecer-Se delas e servi-las.”

“1. As seguintes passagens contêm uma palavra com base na raiz amn: Gênesis 15:6; Números 14:11; Isaías 7:9 e Habacuque 2:4. Como a palavra é usada em cada passagem, e como transmite a ideia de confiança?”1

Ele creu no SENHOR, e isso lhe foi imputado para justiça.” (Gênesis 15:6 ARA). “Disse o SENHOR a Moisés: Até quando me provocará este povo e até quando não crerá em mim, a despeito de todos os sinais que fiz no meio dele?” (Número 14:11 ARA)2. “Entretanto, a capital de Efraim será Samaria, e o cabeça de Samaria, o filho de Remalias; se o não crerdes, certamente, não permanecereis.” (Isaías 7:9 ARA)2. “Eis o soberbo! Sua alma não é reta nele; mas o justo viverá pela sua fé.” (Habacuque 2:4 ARA)2.

Crença: Abraão creu em Deus e foi considerado justo; no deserto, o povo de Israel não teve fé e deixou de alcançar a promessa; em Isaías 7, aparece o verbo ‘crer’; em Habacuque 2:4, a palavra é fé: o justo viverá pela fé.

“No grego do Novo Testamento, a raiz usada para transmitir a ideia do termo hebraico amn (fé, crença) é pistis. Essa palavra grega para fé implica crença, confiança, certeza absoluta, confiabilidade e convicção. No contexto do exemplo de Cristo a respeito de conquistar a confiança das pessoas, a implicação é que Ele despertava absoluta certeza, convicção, confiança e crença em resposta ao Seu abnegado comprometimento ao Se misturar com as pessoas, compadecer-Se delas e servi-las.”1

“É importante notar que, na Bíblia, toda vez que esse conceito de confiança é atribuído a seres humanos – como no caso de autoconfiança ou confiança em alguém – ele pode ter uma conotação negativa (ver Mq 7:5 eSl 118:9). Mas o sentido é positivo quando essa confiança é atribuída a Deus. Cabe aqui uma palavra de cautela. Como seguidores de Jesus, somos chamados a viver Seu modelo de Se misturar, compadecer-Se das pessoas e ministrar às necessidades delas. Contudo, quando aqueles a quem servimos mostram confiança em nós, precisamos conduzi-los a Jesus e mostrar o que o Salvador fez por eles.”1

“Se alguém lhe perguntasse: ‘Como é a verdadeira fé em Deus?’, o que você responderia, e por quê? Comente sua resposta na classe.”1

Domingo, 28 de agosto de 2016. Saiba mais, ouça o Comentário em áudio  da Lição da Escola Sabatina (LES) ou se preferir faça um Curso Bíblico.
__________________
1 LIÇÕES da escola sabatina. O papel da igreja na comunidade. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 485, Jul. Ago. Set. 2016. Adulto, Professor.

2 BIBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

Jesus conquistava a confiança das pessoas

Lições da Bíblia

Porém o que se dizia a Seu respeito cada vez mais se divulgava, e grandes multidões afluíam para O ouvirem e serem curadas de suas enfermidades(Lc 5:15).1

“Há vários anos a igreja adventista de certa localidade vinha oferecendo desjejum cinco dias por semana numa escola pública de Ensino Fundamental. Embora o país fosse muito secularizado, havia acabado de aprovar uma lei que previa dinheiro suficiente para que cada escola fundamental tivesse um capelão, e a escola e a comunidade desejavam que a igreja adventista o providenciasse (mesmo sendo raro pedir isso a apenas uma igreja). O papel do capelão é ajudar a cuidar das necessidades físicas, emocionais e espirituais dos alunos, e até da comunidade escolar mais ampla. As oportunidades são incríveis.”1

“‘Aprecio o relacionamento singular e especial que temos com sua igreja’, disse o diretor da escola ao pastor da igreja que visitou a instituição, ‘e desejaria que as outras igrejas se envolvessem tanto quanto vocês.’ Quando o pastor estava saindo do prédio, a representante da comunidade que trabalhava na escola agradeceu a ele pelo que a igreja estava fazendo e perguntou se podia ir à igreja num sábado.”1

“Nesta semana examinaremos como conquistar a confiança das pessoas a quem almejamos servir e ganhar para Cristo.”1

Introdução ao tema da Lição desta semana, comentários do autor.

O batismo da primavera será realizado a partir do dia 17 de setembro. Ore e prepare o coração dos jovens em sua igreja. Ajude alguém e experimente os milagres de Deus em sua vida.

Sábado, 27 de agosto de 2016. Saiba mais, ouça o Comentário em áudio  da Lição da Escola Sabatina (LES) ou se preferir faça um Curso Bíblico.
__________________
1 LIÇÕES da escola sabatina. O papel da igreja na comunidade. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 485, Jul. Ago. Set. 2016. Adulto, Professor.

Esperança: ser firme e inabalável

Lições da Bíblia.

“4. Leia os textos abaixo. O que há em comum entre eles? A que os cristãos devem se apegar?” “Cristo, porém, como Filho, em sua casa; a qual casa somos nós, se guardarmos firme, até ao fim, a ousadia e a exultação da esperança. (Hebreus 3:6 RA); “Porque nos temos tornado participantes de Cristo, se, de fato, guardarmos firme, até ao fim, a confiança que, desde o princípio, tivemos.” (Hebreus 3:14 RA); “Tendo, pois, a Jesus, o Filho de Deus, como grande sumo sacerdote que penetrou os céus, conservemos firmes a nossa confissão.” (Hebreus 4:14 RA); “para que, mediante duas coisas imutáveis, nas quais é impossível que Deus minta, forte alento tenhamos nós que já corremos para o refúgio, a fim de lançar mão da esperança proposta;” (Hebreus 6:18 RA); Guardemos firme a confissão da esperança, sem vacilar, pois quem fez a promessa é fiel.” (Hebreus 10:23 RA). “Todos esses textos falam sobre nossa necessidade de estar firmes e nos apegarmos à esperança oferecida por Cristo. É necessário perseverar na fé, na confiança e manter nossa crença.”

“Além de ter certeza da salvação, é importante perseverar e manter a esperança que nos é oferecida. Em Hebreus, apegar-se (‘guardar firme’) é um apelo solene. Tem-se a impressão de que alguns cristãos estavam se afastando da fé e da esperança cristã. O apóstolo precisou encorajá-los a não desistir. O texto expressa de modo muito semelhante as coisas que valem a pena ser mantidas: esperança, confiança, certeza e confissão. Em um sentido objetivo, todos esses termos se referem à crença cristã. Podemos fazer essas coisas porque nossa esperança não está em nós mesmos, mas em Jesus e no que Ele fez por nós. No momento em que nos esquecermos dessa verdade fundamental, certamente perderemos a confiança.”

“Estes textos nos desafiam a ser firmes desde o ‘princípio’ (Hb 3:14) ‘até ao fim’ (Hb 3:6, 14; 6:11). Fazer isso ‘sem vacilar’ (Hb 10:23) é uma indicação de fé imutável e inabalável. Sejam quais forem as circunstâncias, nossa esperança permanece a mesma, nosso compromisso com Deus não muda, porque podemos crer que Ele é fiel e fará o que prometeu.”

“Não há dúvida de que Deus é fiel à Sua Palavra. Ele cumpriu a promessa que tinha feito a Abraão e Sara (Rm 4:19-21); cumpriu a promessa da primeira vinda de Cristo (Gl 3:19) e cumprirá a promessa de Sua segunda vinda (Hb 12:26). No entanto, a última promessa de Deus é a vida eterna, a qual Ele prometeu mesmo antes do princípio do tempo (Tt 1:2; 1Jo 2:25).”

“A fidelidade de Deus é imutável. Mesmo que sejamos ‘infiéis, Ele permanece fiel, pois de maneira nenhuma pode negar-Se a Si mesmo’ (2Tm 2:13). Nossa infidelidade ou descrença não mudará a intenção divina para conosco. Suas promessas não são abaladas pelas nossas falhas morais. As promessas ainda estarão disponíveis para nós, porque fidelidade é parte da natureza divina.”

“É muito fácil ficar desanimado por causa dos nossos pecados. Como podemos vencer esses pecados e, ao mesmo tempo, não desistir da fé quando erramos? Por que devemos nos apegar a essas promessas, especialmente quando falhamos?”

Quarta-feira, 25 de dezembro de 2013. Saiba mais, ouça o Comentário em áudio da Lição da Escola Sabatina (LES) ou se preferir faça um Curso Bíblico. Este conteúdo é uma adaptação da LES, veja sua versão original no site da Casa Publicadora Brasileira (CPB).

Confiança diante do mal (2Ts 3:1-5)

Lições da Bíblia.

“No mundo de hoje, muitas pessoas riem da ideia de um Satanás literal. Na mente delas, ele é um mito, um resquício de uma era supersticiosa e pré-científica. Elas acham que o bem e o mal são simplesmente consequências aleatórias de causa e efeito. Na mente de algumas pessoas, o bem e o mal são apenas conceitos construídos culturalmente em relação a tempos e lugares específicos, nada mais.”

“Mas a Bíblia afirma claramente que Satanás é real. E, muitas vezes, em algumas partes do mundo, para ele é vantajoso se esconder ou até mesmo permitir que as pessoas zombem dele e o representem na forma de um diabo vermelho com chifres. Essa caricatura alcança muito sucesso em fazer com que as pessoas pensem que ele não é real, o que é exatamente o desejo dele.”

“2. Leia 2 Tessalonicenses 3:1-5. [‘Finalmente, irmãos, orai por nós, para que a palavra do Senhor se propague e seja glorificada, como também está acontecendo entre vós; e para que sejamos livres dos homens perversos e maus; porque a fé não é de todos. Todavia, o Senhor é fiel; ele vos confirmará e guardará do Maligno. Nós também temos confiança em vós no Senhor, de que não só estais praticando as coisas que vos ordenamos, como também continuareis a fazê-las. Ora, o Senhor conduza o vosso coração ao amor de Deus e à constância de Cristo.’] Embora os desafios à nossa fé estejam por aí, Paulo expressa esperança. Qual é a base dessa esperança, e qual é a condição em que podemos ter segurança para reivindicá-la?” “E eis que certo homem, intérprete da Lei, se levantou com o intuito de pôr Jesus à prova e disse-lhe: Mestre, que farei para herdar a vida eterna? Então, Jesus lhe perguntou: Que está escrito na Lei? Como interpretas? A isto ele respondeu: Amarás o Senhor, teu Deus, de todo o teu coração, de toda a tua alma, de todas as tuas forças e de todo o teu entendimento; e: Amarás o teu próximo como a ti mesmo. Então, Jesus lhe disse: Respondeste corretamente; faze isto e viverás.” (Luc. 10:25-28). Cuidareis de cumprir todos os mandamentos que hoje vos ordeno, para que vivais, e vos multipliqueis, e entreis, e possuais a terra que o SENHOR prometeu sob juramento a vossos pais.” (Deut. 8:1). “O Senhor é fiel; Ele nos confirmará e guardará do maligno; os cristãos deviam continuar praticando as coisas ordenadas pelos apóstolos, permitindo que o Senhor conduzisse seu coração ao amor divino.”

“Paulo começa esse texto com um pedido de oração (como em 1Ts 5:25) para que o evangelho se espalhe rapidamente e seja honrado por meio de seu trabalho. Paulo também quer que eles orem para que ele seja liberto dos homens maus (2Ts 3:2). A expressão aqui implica que ele tinha em mente indivíduos específicos que os destinatários da carta podiam até não conhecer.”

“Em seguida, Paulo usa um jogo de palavras (2Ts 3:2, 3). Nem todos os homens têm ‘fé’ (confiança em, ou compromisso com Deus), mas o Senhor é ‘fiel’ (confiável, alguém que inspira fé e comprometimento). Esse Senhor fiel e confiável os protegerá contra o maligno, ou Satanás. A boa notícia é que, embora Satanás seja mais poderoso do que nós, o Senhor é mais poderoso do que Satanás, e nEle podemos encontrar segurança e força.”

“Paulo termina esse texto (2Ts 3:4, 5) elogiando mais uma vez os tessalonicenses e oferecendo uma oração em seu favor. Ele estava seguro de que eles estavam fazendo o que ele havia pedido e de que continuariam a proceder assim, apesar da oposição de Satanás e das pessoas que ele inspirava. Ele expressa o desejo de que o Senhor dirija a atenção deles ao ‘amor de Deus’ e à ‘constância de Cristo’.”

“Como podemos aprender a ter fé, esperança e certeza, independentemente das circunstâncias difíceis?”

Saiba mais, estude a Lição da Escola Sabatina (LES) – segunda-feira 24 de setembro de 2012. Escolha o formato para o estudo: Texto, Comentário em áudio ou se preferir faça um Curso Bíblico. Este conteúdo é uma adaptação da LES e é publicado simultaneamente em: Blogspot, WordPress. Para impressão acesse arquivo em PDF