A primazia das Escrituras

Lições da Bíblia

“5. De acordo com os seguintes textos, qual deve ser o papel da Bíblia em nossa vida e fé? 1Pe 1:10-122Pe 1:16-202Pe 3:2, 16. Assinale ‘V’ para verdadeiro ou ‘F’ para falso:”1

10 Foi a respeito desta salvação que os profetas indagaram e inquiriram, os quais profetizaram acerca da graça a vós outros destinada, 11 investigando, atentamente, qual a ocasião ou quais as circunstâncias oportunas, indicadas pelo Espírito de Cristo, que neles estava, ao dar de antemão testemunho sobre os sofrimentos referentes a Cristo e sobre as glórias que os seguiriam. 12 A eles foi revelado que, não para si mesmos, mas para vós outros, ministravam as coisas que, agora, vos foram anunciadas por aqueles que, pelo Espírito Santo enviado do céu, vos pregaram o evangelho, coisas essas que anjos anelam perscrutar.” (1 Pedro 1:10-12 ARA)2. “16 Porque não vos demos a conhecer o poder e a vinda de nosso Senhor Jesus Cristo seguindo fábulas engenhosamente inventadas, mas nós mesmos fomos testemunhas oculares da sua majestade, 17 pois ele recebeu, da parte de Deus Pai, honra e glória, quando pela Glória Excelsa lhe foi enviada a seguinte voz: Este é o meu Filho amado, em quem me comprazo. 18 Ora, esta voz, vinda do céu, nós a ouvimos quando estávamos com ele no monte santo. 19 Temos, assim, tanto mais confirmada a palavra profética, e fazeis bem em atendê-la, como a uma candeia que brilha em lugar tenebroso, até que o dia clareie e a estrela da alva nasça em vosso coração, 20 sabendo, primeiramente, isto: que nenhuma profecia da Escritura provém de particular elucidação;” (2 Pedro 1:16-20 ARA)2. “2 para que vos recordeis das palavras que, anteriormente, foram ditas pelos santos profetas, bem como do mandamento do Senhor e Salvador, ensinado pelos vossos apóstolos, […] 16 ao falar acerca destes assuntos, como, de fato, costuma fazer em todas as suas epístolas, nas quais há certas coisas difíceis de entender, que os ignorantes e instáveis deturpam, como também deturpam as demais Escrituras, para a própria destruição deles.” (2 Pedro 3:2, 16 ARA)2.

A. (  ) Exortar-nos e firmar nossa fé.
B. (  ) Dar testemunho de Jesus Cristo e da salvação, e nos livrar dos enganos, por meio das profecias e do seu cumprimento na História.
C. (  ) Lembrar-nos das palavras dos santos profetas e dos mandamentos do Senhor.

Resposta sugestiva: V; V; V.

“Em sua segunda carta, Pedro confrontou os falsos mestres. Ele guiou seus leitores a duas fontes de autoridade, dizendo que devemos nos recordar ‘das palavras que, anteriormente, foram ditas pelos santos profetas, bem como do mandamento do SENHOR e Salvador, ensinado pelos vossos apóstolos’ (2Pe 3:2). Hoje podemos recorrer às mesmas fontes de autoridade. Em primeiro lugar, temos as palavras dos ‘santos profetas’, isto é, o Antigo Testamento. Em segundo lugar, embora não tenhamos mais os apóstolos em vida, em certo sentido temos algo melhor: seu testemunho inspirado, revelado no Novo Testamento.”1

“Mateus, Marcos, Lucas e João nos legaram a história completa da vida, morte e ressurreição de Jesus. No livro de Atos, Lucas nos deixou os registros das atividades dos apóstolos. Podemos ler as palavras inspiradas dos próprios discípulos. Paulo escreveu veementemente sobre a autoridade da Palavra de Deus (2Tm 3:16). Pedro também guiou seus leitores às Escrituras como fonte de autoridade moral e doutrinal.”1

“Em 2 Pedro 3:16, ele advertiu seus leitores e ouvintes de que, embora a Bíblia seja a fonte da verdade, se não prestarmos cuidadosa atenção à mensagem que o Espírito Santo deseja nos comunicar, a própria fonte da verdade pode ser mal interpretada, e isso pode trazer consequências terríveis.”1

“As palavras de Pedro devem nos lembrar dos princípios básicos de estudo da Palavra de Deus. Precisamos ler o texto bíblico em espírito de oração, considerando o contexto do capítulo, do livro e de toda a Bíblia. O que o autor abordava especificamente quando escreveu o texto? Devemos lê-lo à luz das circunstâncias históricas em que foi escrito. (No caso de 1 e 2 Pedro, o Império Romano do primeiro século). Devemos ler a passagem bíblica buscando discernimento espiritual, sabendo que a salvação mediante o sacrifício de Cristo é a mensagem central da Bíblia (1Pe 1:10-12). Finalmente, devemos tentar aplicar a mensagem à nossa vida. Qual verdade Deus deseja nos comunicar? Como podemos aplicar a Bíblia à nossa experiência de maneira que ela contribua positivamente para o reino de Deus?”1

Quinta-feira, 22 de junho de 2017. Saiba mais, ouça o Comentário em áudio  da Lição da Escola Sabatina (LES) ou se preferir faça um Curso Bíblico.
_______________
1 MCLVER, Robert K. Apascenta as Minhas ovelhas: 1 e 2 Pedro. Lições da escola sabatina. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 488, Abr. Mai. Jun. 2017. Adulto, Professor.
2 BIBLÍA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

O Espírito e a Palavra – Estudo adicional

Lições da Bíblia

Assista em vídeo a discussão do tema da semana.

Estudo adicional

“Leia, de Ellen G. White, O Grande Conflito, ‘Nossa Única Salvaguarda’, p. 593-602. Leia também O Desejado de Todas as Nações, ‘Não se Turbe o Vosso Coração’, p. 662-680.”1

“Pense em toda a verdade que conhecemos somente porque nos foi revelada na Bíblia. Pense, por exemplo, na criação. Que contraste entre o que a Palavra de Deus ensina sobre o modo pelo qual fomos criados e o que a humanidade ensina sobre nossa origem! – Isto é, através do processo hoje chamado de ‘síntese neodarwiniana’. Veja quanto a compreensão dos seres humanos está equivocada! Pense, também, na segunda vinda de Jesus e na ressurreição dos mortos no fim dos séculos. Essas são verdades que nunca poderíamos descobrir por conta própria. Elas têm que ser reveladas a nós e estão na Palavra de Deus, que foi inspirada pelo Espírito Santo. Na realidade, a verdade mais importante de todas, a de que Jesus Cristo morreu pelos nossos pecados e que somos salvos mediante a fé nEle e em Sua obra em nosso favor, é algo que nunca poderíamos ter descoberto por nós mesmos. Nós a conhecemos porque ela nos foi revelada. Pense em outras verdades que conhecemos somente porque nos foram reveladas pela Palavra de Deus. Tais verdades cruciais são encontradas apenas na Bíblia. O que esse fato nos revela sobre quanto a Palavra de Deus precisa fazer parte da nossa vida?”1

Perguntas para reflexão

“1. Por que a Bíblia é um guia mais seguro em questões espirituais do que as impressões subjetivas? Quais são as consequências de não aceitarmos a Bíblia como o padrão pelo qual provamos todos os ensinamentos e até mesmo as nossas experiências espirituais?”1

“2. Muitas vezes, a palavra ‘verdade’ é utilizada em variados contextos. Na classe, fale sobre o conceito de ‘verdade’, o que é ou não verdade. Além disso, pergunte: O que significa dizer que algo é ‘verdadeiro’?”1

“3. Como sua igreja deve agir se alguém afirmar que tem ‘nova luz’?”1

“4. Qual é a diferença radical entre a compreensão mais recente da teoria da evolução e a mensagem da Bíblia? Por que devemos confiar na Bíblia acima de tudo?”1

Sexta-feira, 06 de janeiro de 2017. Saiba mais, ouça o Comentário em áudio  da Lição da Escola Sabatina (LES) ou se preferir faça um Curso Bíblico.

_______________
1HASEL, Frank. O Espírito Santo e a espiritualiadade. Lições da escola sabatina. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 487, Jan. Fev. Mar. 2017. Adulto, Professor.

O Espírito Santo como professor

Lições da Bíblia

“Assim como o Espírito Santo foi essencial na comunicação da Palavra de Deus escrita, Ele também é fundamental em nos ajudar a compreendê-la corretamente. Os seres humanos são obscurecidos em sua compreensão da verdade; eles são, por natureza, alienados de Deus (Ef 4:18). Por isso, o mesmo Espírito que revelou e inspirou a Palavra de Deus é o único que nos habilita a compreendê-la. O problema não é que a Bíblia seja um livro obscuro. O problema é a nossa postura, maculada pelo pecado, para com o Deus que Se revela na Bíblia.”1

“O Espírito Santo é um instrutor que deseja nos levar a uma compreensão mais profunda das Escrituras e a uma alegre apreciação da Palavra de Deus. Ele chama nossa atenção para as verdades bíblicas e nos dá novas percepções sobre essas verdades, para que a nossa vida seja caracterizada pela fidelidade e por uma amorosa obediência à vontade de Deus. No entanto, isso só pode acontecer se nos achegarmos à Bíblia com um coração humilde e disposto a aprender.”1

“5. Leia 1 Coríntios 2:13, 14. O que Paulo escreveu sobre a nossa necessidade de interpretar as coisas espirituais espiritualmente? Assinale a alternativa correta:”1

“13 Disto também falamos, não em palavras ensinadas pela sabedoria humana, mas ensinadas pelo Espírito, conferindo coisas espirituais com espirituais. 14 Ora, o homem natural não aceita as coisas do Espírito de Deus, porque lhe são loucura; e não pode entendê-las, porque elas se discernem espiritualmente.” (1 Coríntios 3:13, 14 ARA).

A. (   ) O homem pode compreender as coisas espirituais, pois elas lhes são reveladas através do eu interior, da natureza e da consciência.

B. (   ) O homem não pode compreender as coisas espirituais, pois elas se discernem espiritualmente. Somente o Espírito pode nos ajudar a compreendê-las.

C. (   ) O homem não pode compreender as coisas espirituais e jamais poderá. Está fadado a uma leitura humana das coisas.

Resposta: Alternativa B.

“Dependemos do Espírito Santo para compreender a Bíblia. Sem o Ele, o significado espiritual das palavras bíblicas não é discernido, mas apenas o seu significado linguístico. Além disso, como seres humanos pecadores, muitas vezes nos opomos à verdade divina, não porque não a compreendamos, mas porque preferimos não segui-la. Sem o Espírito Santo não há nenhuma simpatia pela mensagem de Deus. Consequentemente, não há nenhuma esperança, confiança ou amor da nossa parte. Aquilo que o Espírito vivifica está em harmonia com a verdade já proclamada na Bíblia.”1

“‘As muitas opiniões contraditórias que surgem com referência ao que a Bíblia ensina não têm sua origem em alguma obscuridade do livro em si mesmo, mas na cegueira e preconceito da parte dos intérpretes. Os homens deixam de lado as claras afirmações da Bíblia para seguirem seu próprio juízo pervertido’ (Ellen G. White, Review and Herald, 27 de janeiro de 1885; Conselhos Sobre a Escola Sabatina, p. 23, 24).”1

Quarta-feira, 04 de janeiro de 2017. Saiba mais, ouça o Comentário em áudio  da Lição da Escola Sabatina (LES) ou se preferir faça um Curso Bíblico.

_______________
1HASEL, Frank. O Espírito Santo e a espiritualiadade. Lições da escola sabatina. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 487, Jan. Fev. Mar. 2017. Adulto, Professor.

2 BIBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

O Espírito e a Palavra

Lições da Bíblia

Toda a Escritura é inspirada por Deus e útil para o ensino, para a repreensão, para a correção, para a educação na justiça, a fim de que o homem de Deus seja perfeito e perfeitamente habilitado para toda boa obra (2Tm 3:16, 17).1

“Conforme o texto de 2 Timóteo 3:16, 17, a Bíblia descreve a si mesma como ‘inspirada por Deus e útil para o ensino, para a repreensão, para a correção, para a educação na justiça, a fim de que o homem de Deus seja perfeito e perfeitamente habilitado para toda boa obra’. A Bíblia cumpre esse papel porque é a Palavra de Deus revelada à humanidade por meio da obra do Espírito Santo. Nela, o Espírito nos revela a vontade de Deus, mostrando-nos como ter uma vida agradável a Ele.”1

“No entanto, a atuação do Santo Espírito não se manifestou somente no passado distante, no surgimento da Bíblia. Seu envolvimento com a Palavra ocorre até hoje, de muitas outras maneiras. Talvez a mais importante delas aconteça quando a lemos desejando compreendê-la corretamente. É então que precisamos do Espírito Santo. Esse mesmo Espírito divino desperta em nós o desejo de aceitar a Palavra de Deus e aplicar seus ensinos à nossa vida. Portanto, o Espírito atua com a Palavra escrita e por meio dela, a fim de nos transformar em novas criaturas em Cristo.”1

“Nesta semana, traçaremos a obra do Espírito Santo em sua relação com as Escrituras.”1

Fortaleça sua experiência com Deus. Acesse o site reavivados.org/

Sábado, 31 de dezembro de 2016. Saiba mais, ouça o Comentário em áudio  da Lição da Escola Sabatina (LES) ou se preferir faça um Curso Bíblico.
__________________
1HASEL, Frank. O Espírito Santo e a espiritualiadade. Lições da escola sabatina. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 487, Jan. Fev. Mar. 2017. Adulto, Professor.

A próxima geração

Lições da Bíblia.

“5. Leia Mateus 12:15-21; Marcos 1:1-3; Atos 1:16-20; 3:22-24; Romanos 10:10. De que maneira os cristãos primitivos viam as Escrituras? Como esses textos nos ajudam em nosso relacionamento com a Bíblia?”1 “Mas Jesus, sabendo disto, afastou-se dali. Muitos o seguiram, e a todos ele curou, advertindo-lhes, porém, que o não expusessem à publicidade, para se cumprir o que foi dito por intermédio do profeta Isaías: Eis aqui o meu servo, que escolhi, o meu amado, em quem a minha alma se compraz. Farei repousar sobre ele o meu Espírito, e ele anunciará juízo aos gentios. Não contenderá, nem gritará, nem alguém ouvirá nas praças a sua voz. Não esmagará a cana quebrada, nem apagará a torcida que fumega, até que faça vencedor o juízo. E, no seu nome, esperarão os gentios.” (Mateus 12:15-21 RA); “Princípio do evangelho de Jesus Cristo, Filho de Deus. Conforme está escrito na profecia de Isaías: Eis aí envio diante da tua face o meu mensageiro, o qual preparará o teu caminho; voz do que clama no deserto: Preparai o caminho do Senhor, endireitai as suas veredas;” (Marcos 1:1-3 RA); Irmãos, convinha que se cumprisse a Escritura que o Espírito Santo proferiu anteriormente por boca de Davi, acerca de Judas, que foi o guia daqueles que prenderam Jesus, porque ele era contado entre nós e teve parte neste ministério. (Ora, este homem adquiriu um campo com o preço da iniquidade; e, precipitando-se, rompeu-se pelo meio, e todas as suas entranhas se derramaram; e isto chegou ao conhecimento de todos os habitantes de Jerusalém, de maneira que em sua própria língua esse campo era chamado Aceldama, isto é, Campo de Sangue.) Porque está escrito no Livro dos Salmos: Fique deserta a sua morada; e não haja quem nela habite; e: Tome outro o seu encargo.” (Atos 1:16-20 RA); Disse, na verdade, Moisés: O Senhor Deus vos suscitará dentre vossos irmãos um profeta semelhante a mim; a ele ouvireis em tudo quanto vos disser. Acontecerá que toda alma que não ouvir a esse profeta será exterminada do meio do povo. E todos os profetas, a começar com Samuel, assim como todos quantos depois falaram, também anunciaram estes dias.” (Atos 3:22-24 RA). Porque com o coração se crê para justiça e com a boca se confessa a respeito da salvação.” (Romanos 10:10 RA).2 Os cristãos primitivos viram nas Sagradas Escrituras a Palavra de Deus e creram em seu cumprimento na pessoa de Jesus. Creram nas promessas para alcançar a justiça e a confessaram para demostrar a sua salvação.

“Os primeiros seguidores de Cristo procuraram a orientação das Escrituras a respeito da missão da Igreja, de suas práticas cotidianas e de sua disciplina espiritual. A especulação e conjecturas humanas foram minimizadas; as Escrituras se tornaram preeminentes. A consideração para com a revelação de Deus era evidente nos concílios da Igreja (At 15). As Escrituras tocavam todos os aspectos da vida da igreja primitiva. Não seria muita tolice, especialmente no tempo do fim, ter uma atitude diferente para com a Bíblia?”1

“A Palavra de Deus abrange as Escrituras, tanto do Antigo como do Novo Testamentos. Um não está completo sem o outro. Cristo declarou que as verdades do Antigo Testamento são tão preciosas quanto as do Novo. Cristo tanto foi o Redentor do homem no princípio do mundo quanto o é hoje. Antes que viesse à nossa Terra com Sua divindade revestida da humanidade, foi dada a mensagem do evangelho a Adão, Sete, Enoque, Matusalém e Noé. Abraão em Canaã e Ló em Sodoma anunciaram a mensagem, e de geração a geração mensageiros fiéis prenunciaram Aquele que havia de vir. […] Cristo, manifesto aos patriarcas, simbolizado no serviço sacrifical, retratado na lei, e revelado pelos profetas, é o tesouro do Antigo Testamento. Cristo em Sua vida, morte e ressurreição; Cristo como é manifesto pelo Espírito Santo, é o tesouro do Novo. Nosso Salvador, o resplendor da glória do Pai, tanto é o Antigo como o Novo.”3

Quinta-feira, 02 de dezembro de 2013. Saiba mais, ouça o Comentário em áudio da Lição da Escola Sabatina (LES) ou se preferir faça um Curso Bíblico.

__________________

1 LIÇÕES da escola sabatina. Discipulado. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 475, Jan. Fev. Mar. 2013. Adulto, Professor, p. 8

2 BIBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

3 WHITE, Ellen Gould. Parábolas de Jesus. Tradução de S. Julio Schwantes. 15.ed. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, 2004. p. 126

Ministério pessoal

Lições da Bíblia.

“4. Leia João 13:18-20; Lucas 10:25-28; 24:13-32. Qual foi o papel das Escrituras segundo essas passagens? Que propósito Jesus tinha para citar esses versos? Qual foi o resultado desses encontros de pequenos grupos com as Escrituras?”1 “Não falo a respeito de todos vós, pois eu conheço aqueles que escolhi; é, antes, para que se cumpra a Escritura: Aquele que come do meu pão levantou contra mim seu calcanhar. Desde já vos digo, antes que aconteça, para que, quando acontecer, creiais que EU SOU. Em verdade, em verdade vos digo: quem recebe aquele que eu enviar, a mim me recebe; e quem me recebe recebe aquele que me enviou.” (João 13:18-20 RA); “E eis que certo homem, intérprete da Lei, se levantou com o intuito de pôr Jesus à prova e disse-lhe: Mestre, que farei para herdar a vida eterna? Então, Jesus lhe perguntou: Que está escrito na Lei? Como interpretas? A isto ele respondeu: Amarás o Senhor, teu Deus, de todo o teu coração, de toda a tua alma, de todas as tuas forças e de todo o teu entendimento; e: Amarás o teu próximo como a ti mesmo. Então, Jesus lhe disse: Respondeste corretamente; faze isto e viverás.” (Lucas 10:25-28 RA); “Naquele mesmo dia, dois deles estavam de caminho para uma aldeia chamada Emaús, distante de Jerusalém sessenta estádios. E iam conversando a respeito de todas as coisas sucedidas. Aconteceu que, enquanto conversavam e discutiam, o próprio Jesus se aproximou e ia com eles. Os seus olhos, porém, estavam como que impedidos de o reconhecer. Então, lhes perguntou Jesus: Que é isso que vos preocupa e de que ides tratando à medida que caminhais? E eles pararam entristecidos. Um, porém, chamado Cleopas, respondeu, dizendo: És o único, porventura, que, tendo estado em Jerusalém, ignoras as ocorrências destes últimos dias? Ele lhes perguntou: Quais? E explicaram: O que aconteceu a Jesus, o Nazareno, que era varão profeta, poderoso em obras e palavras, diante de Deus e de todo o povo, e como os principais sacerdotes e as nossas autoridades o entregaram para ser condenado à morte e o crucificaram. Ora, nós esperávamos que fosse ele quem havia de redimir a Israel; mas, depois de tudo isto, é já este o terceiro dia desde que tais coisas sucederam. É verdade também que algumas mulheres, das que conosco estavam, nos surpreenderam, tendo ido de madrugada ao túmulo; e, não achando o corpo de Jesus, voltaram dizendo terem tido uma visão de anjos, os quais afirmam que ele vive. De fato, alguns dos nossos foram ao sepulcro e verificaram a exatidão do que disseram as mulheres; mas não o viram. Então, lhes disse Jesus: Ó néscios e tardos de coração para crer tudo o que os profetas disseram! Porventura, não convinha que o Cristo padecesse e entrasse na sua glória? E, começando por Moisés, discorrendo por todos os Profetas, expunha-lhes o que a seu respeito constava em todas as Escrituras. Quando se aproximavam da aldeia para onde iam, fez ele menção de passar adiante. Mas eles o constrangeram, dizendo: Fica conosco, porque é tarde, e o dia já declina. E entrou para ficar com eles. E aconteceu que, quando estavam à mesa, tomando ele o pão, abençoou-o e, tendo-o partido, lhes deu; então, se lhes abriram os olhos, e o reconheceram; mas ele desapareceu da presença deles. E disseram um ao outro: Porventura, não nos ardia o coração, quando ele, pelo caminho, nos falava, quando nos expunha as Escrituras? (Lucas 24:13-32 RA).1 O papel das Escrituras é demostrar a missão de Jesus, revelando seu amor e graça. Ao citar esses versos, Jesus apresentou evidências de claras do cumprimento dessa missão. Quando demostrou essas evidências Jesus reavivou a esperança e a fé de seus discípulos.

“Começando com Moisés, o próprio Alfa da história bíblica, Cristo expôs em todas as Escrituras as coisas que Lhe diziam respeito. Houvesse primeiro Se manifestado a eles, seu coração teria ficado satisfeito. Na plenitude de sua alegria, não teriam desejado nada mais. Mas era necessário que compreendessem os testemunhos dados a respeito dEle pelos símbolos e profecias do Antigo Testamento. Sua fé devia ser estabelecida sobre essas verdades. Cristo não operou nenhum milagre para os convencer, mas Seu primeiro trabalho foi explicar-lhes as Escrituras. Haviam considerado Sua morte a destruição de todas as suas esperanças. Então, Ele lhes mostrou pelos profetas que essa era a mais vigorosa prova de sua fé. Ensinando esses discípulos, Jesus mostrou a importância do Antigo Testamento como testemunha de Sua missão”.3

“Observe Lucas 24:32, [‘E disseram um ao outro: Porventura, não nos ardia o coração, quando ele, pelo caminho, nos falava, quando nos expunha as Escrituras?’] especialmente a expressão de que o coração dos discípulos ardia. O que isso significa? Qual foi a última vez que seu coração ardeu por causa das verdades que recebemos? Se isso não acontece há muito tempo, será que seu coração se esfriou? Como você pode mudar?”1

Quarta-feira, 01 de dezembro de 2013. Saiba mais, ouça o Comentário em áudio da Lição da Escola Sabatina (LES) ou se preferir faça um Curso Bíblico.

__________________

1 LIÇÕES da escola sabatina. Discipulado. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 475, Jan. Fev. Mar. 2013. Adulto, Professor, p. 7

2 BIBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

3 WHITE, Ellen Gould. O desejado de todas as nações. Tradução de Isolina A Waldvogel. 22. ed. São Paulo: Casa Publicadora Brasileira, 2004. p. 796-799

Proclamação pública

Lições da Bíblia.

3. Leia Mateus 5:17-39. De que forma Cristo utilizava as Escrituras para o ministério público? Não penseis que vim revogar a Lei ou os Profetas; não vim para revogar, vim para cumprir. Porque em verdade vos digo: até que o céu e a terra passem, nem um i ou um til jamais passará da Lei, até que tudo se cumpra. Aquele, pois, que violar um destes mandamentos, posto que dos menores, e assim ensinar aos homens, será considerado mínimo no reino dos céus; aquele, porém, que os observar e ensinar, esse será considerado grande no reino dos céus. Porque vos digo que, se a vossa justiça não exceder em muito a dos escribas e fariseus, jamais entrareis no reino dos céus. Ouvistes que foi dito aos antigos: Não matarás; e: Quem matar estará sujeito a julgamento. Eu, porém, vos digo que todo aquele que [sem motivo] se irar contra seu irmão estará sujeito a julgamento; e quem proferir um insulto a seu irmão estará sujeito a julgamento do tribunal; e quem lhe chamar: Tolo, estará sujeito ao inferno de fogo. Se, pois, ao trazeres ao altar a tua oferta, ali te lembrares de que teu irmão tem alguma coisa contra ti, deixa perante o altar a tua oferta, vai primeiro reconciliar-te com teu irmão; e, então, voltando, faze a tua oferta. Entra em acordo sem demora com o teu adversário, enquanto estás com ele a caminho, para que o adversário não te entregue ao juiz, o juiz, ao oficial de justiça, e sejas recolhido à prisão. Em verdade te digo que não sairás dali, enquanto não pagares o último centavo. Ouvistes que foi dito: Não adulterarás. Eu, porém, vos digo: qualquer que olhar para uma mulher com intenção impura, no coração, já adulterou com ela. Se o teu olho direito te faz tropeçar, arranca-o e lança-o de ti; pois te convém que se perca um dos teus membros, e não seja todo o teu corpo lançado no inferno. E, se a tua mão direita te faz tropeçar, corta-a e lança-a de ti; pois te convém que se perca um dos teus membros, e não vá todo o teu corpo para o inferno. Também foi dito: Aquele que repudiar sua mulher, dê-lhe carta de divórcio. Eu, porém, vos digo: qualquer que repudiar sua mulher, exceto em caso de relações sexuais ilícitas, a expõe a tornar-se adúltera; e aquele que casar com a repudiada comete adultério. Também ouvistes que foi dito aos antigos: Não jurarás falso, mas cumprirás rigorosamente para com o Senhor os teus juramentos. Eu, porém, vos digo: de modo algum jureis; nem pelo céu, por ser o trono de Deus; nem pela terra, por ser estrado de seus pés; nem por Jerusalém, por ser cidade do grande Rei; nem jures pela tua cabeça, porque não podes tornar um cabelo branco ou preto. Seja, porém, a tua palavra: Sim, sim; não, não. O que disto passar vem do maligno. Ouvistes que foi dito: Olho por olho, dente por dente. Eu, porém, vos digo: não resistais ao perverso; mas, a qualquer que te ferir na face direita, volta-lhe também a outra;” (Mateus 5:17-39 RA)1. Jesus utilizou a Bíblia repetida e sistematicamente. Em sua fala, a diferentes públicos, sempre demostrava o verdadeiro sentido das Escrituras, ampliando a percepção da verdade revelada. Convidava as pessoas a aceita-lo com aquele que pode mudar o coração e proporcionar uma vida em harmonia com a verde bíblica.

“Durante a jornada terrena de Cristo, o relacionamento habitual dos israelitas com as Escrituras era aparentemente muito legalista. Eles as examinavam em busca de regulamentos e orientação ética. A bem-aventurança eterna era considerada o pagamento pelo comportamento justo. No entanto, Jesus derrubou suas noções legalistas e substituiu o sistema de controles externos por uma religião fundamentada no coração.”2

"Como algo estranho e novo, essas palavras caíram nos ouvidos da multidão admirada. Semelhante doutrina era contrária a tudo que tinham ouvido dos sacerdotes e rabinos. Nela não viram coisa alguma que lisonjeasse seu orgulho ou lhes alimentasse as ambiciosas esperanças. Porém, esse novo Mestre tinha um poder que os mantinha encantados. A doçura do amor divino fluía de Sua presença como a fragrância de uma flor. […] Todos sentiam instintivamente que ali estava Aquele que lia os segredos do coração, e não obstante, deles Se aproximava com terna compaixão"3

Terça-feira, 31 de dezembro de 2013. Saiba mais, ouça o Comentário em áudio da Lição da Escola Sabatina (LES) ou se preferir faça um Curso Bíblico.

__________________

1 BIBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

2 LIÇÕES da escola sabatina. Discipulado. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 475, Jan. Fev. Mar. 2013. Adulto, Professor, p. 6

3 WHITE, Ellen Gould. O maior discurso de Cristo: reflexões sobre o sermão da maontanha. Tradução de Isolina A. Waldvogel. São Paulo: Musicasa, 2010. p. 6