O conflito – Estudo adicional

Lições da Bíblia

Assista em vídeo a discussão do tema da semana.

Estudo adicional

“Leia, de Ellen G. White, ‘Judeus e Gentios’, p. 188-192, 194-197; ‘Apostasia na Galácia’, p. 383-388, em Atos dos Apóstolos; ‘Israel Recebe a Lei’, p. 310-312; ‘A Lei e as Alianças’, p. 370-373, em Patriarcas e Profetas; ‘O Povo Escolhido’, p. 27-30, em O Desejado de Todas as Nações.”1

“Sem dúvida, nossa igreja tem enfrentado momentos de conflito e dissensão. Mas isso não é novidade. Satanás sempre esteve em guerra contra a igreja. Mesmo no início do cristianismo, surgiram dissensões e conflitos nas fileiras dos cristãos. E havia um conflito que, se não fosse resolvido, poderia ter destruído a igreja logo em seu surgimento.”1

“‘Por meio da influência de falsos ensinadores que tinham se levantado entre os crentes em Jerusalém, a divisão, a heresia e o sensualismo estavam rapidamente ganhando terreno entre os crentes na Galácia. Esses falsos ensinadores estavam misturando tradições judaicas com as verdades do evangelho. Desconsiderando a decisão do concílio geral em Jerusalém, impuseram aos crentes gentios a observância da lei cerimonial’ (Ellen G. White, Atos dos Apóstolos, p. 383).”

Perguntas para discussão

“1. Sua igreja está colocando sobre os outros fardos desnecessários? Ou estamos em perigo de ir para o outro extremo? Isto é, como reconhecer se nos tornamos muito frouxos em nosso estilo de vida e padrões a ponto de não refletirmos nosso alto chamado em Cristo?”1

“2. Quais são alguns argumentos que as pessoas usam para afirmar que os Dez Mandamentos não são mais obrigatórios para os cristãos? Como respondemos a essas alegações? Por que, na verdade, esses argumentos são tão equivocados?”1

“3. Leia Gálatas 1:1-12. Note como Paulo foi intransigente, dogmático e fervoroso em relação à sua compreensão do evangelho. O que isso revela sobre a necessidade de permanecer absolutamente inabalável em certas crenças, especialmente em uma era pluralista e relativista? Quais ensinamentos precisam ser mantidos?”1

“4. Quais questões provocaram a Reforma Protestante? Quais diferenças básicas não foram resolvidas?”1

Sexta-feira, 13 de outubro de 2017. Saiba mais, ouça o Comentário em áudio  da Lição da Escola Sabatina (LES) ou se preferir faça um Curso Bíblico.
_______________
1 LIÇÃO da escola sabatina. Salvação somente pela fé: o livro de Romanos. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 490, Out. Nov. Dez. 2017. Adulto, Professor.

 

Paulo e os gálatas

Lições da Bíblia

“Por mais claro que o concílio tivesse sido, havia aqueles que procuravam seguir seu próprio caminho e que continuavam a defender que os gentios mantivessem as tradições e leis judaicas. Para Paulo, isso se tornou um assunto muito sério. Os falsos ensinos de alguns judeus não eram simplesmente um desprezo de questões sutis da fé, mas tinham se tornado uma negação do próprio evangelho de Cristo.”1

“8. Leia Gálatas 1:1-12. Paulo via com seriedade a questão que estava enfrentando na Galácia? O que isso revela sobre a importância dessa controvérsia?”1

Gálatas (1:1-12 ARA)2: “1 Paulo, apóstolo, não da parte de homens, nem por intermédio de homem algum, mas por Jesus Cristo e por Deus Pai, que o ressuscitou dentre os mortos, 2 e todos os irmãos meus companheiros, às igrejas da Galácia, 3 graça a vós outros e paz, da parte de Deus, nosso Pai, e do [nosso] Senhor Jesus Cristo, 4 o qual se entregou a si mesmo pelos nossos pecados, para nos desarraigar deste mundo perverso, segundo a vontade de nosso Deus e Pai, 5 a quem seja a glória pelos séculos dos séculos. Amém! 6 Admira-me que estejais passando tão depressa daquele que vos chamou na graça de Cristo para outro evangelho, 7 o qual não é outro, senão que há alguns que vos perturbam e querem perverter o evangelho de Cristo. 8 Mas, ainda que nós ou mesmo um anjo vindo do céu vos pregue evangelho que vá além do que vos temos pregado, seja anátema. 9 Assim, como já dissemos, e agora repito, se alguém vos prega evangelho que vá além daquele que recebestes, seja anátema. 10 Porventura, procuro eu, agora, o favor dos homens ou o de Deus? Ou procuro agradar a homens? Se agradasse ainda a homens, não seria servo de Cristo. 11 Faço-vos, porém, saber, irmãos, que o evangelho por mim anunciado não é segundo o homem, 12 porque eu não o recebi, nem o aprendi de homem algum, mas mediante revelação de Jesus Cristo.

“Como foi dito antes, a situação na Galácia, em grande medida, motivou o conteúdo da carta à igreja de Roma. Na Epístola aos Romanos, Paulo desenvolveu ainda mais o tema da Epístola aos Gálatas. Alguns cristãos judeus estavam afirmando que a lei que Deus lhes havia transmitido por intermédio de Moisés era importante e deveria ser observada pelos gentios convertidos. Paulo estava tentando mostrar o verdadeiro lugar e a verdadeira função da lei. Ele não queria que essas pessoas ganhassem apoio em Roma como tinham feito na Galácia.”1

“É uma simplicidade exagerada perguntar se Paulo estava se referindo às leis cerimoniais ou morais em Gálatas e Romanos. Historicamente, a discussão era se os gentios convertidos deveriam ou não ser obrigados a ser circuncidados e guardar a lei de Moisés. O concílio de Jerusalém já havia decidido essa questão, mas alguns se recusaram a seguir sua decisão.”1

“Alguns ‘descobrem’, nas cartas de Paulo aos Gálatas e aos Romanos, evidências de que a lei moral, os Dez Mandamentos (ou, na verdade, apenas o quarto mandamento), não é mais obrigatória aos cristãos. No entanto, eles não compreendem o sentido das cartas, nem o contexto histórico e os assuntos que Paulo estava abordando. Paulo, como veremos, enfatizou que a salvação era somente pela fé e não pela guarda da lei, nem mesmo da lei moral. No entanto, isso não é o mesmo que dizer que a lei moral não deve ser obedecida. A obediência aos Dez Mandamentos nunca entrou em discussão; aqueles que a tornam um problema estão interpretando nos textos um problema contemporâneo, com o qual Paulo não estava lidando.”

“Qual é sua resposta aos que afirmam que o sábado já não é obrigatório para os cristãos? Como você pode apresentar a verdade do sábado de uma forma que não comprometa a integridade do evangelho?”1

Quinta-feira, 12 de outubro de 2017. Saiba mais, ouça o Comentário em áudio  da Lição da Escola Sabatina (LES) ou se preferir faça um Curso Bíblico.
_______________
1 LIÇÃO da escola sabatina. Salvação somente pela fé: o livro de Romanos. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 490, Out. Nov. Dez. 2017. Adulto, Professor.
2 BIBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

Da própria mão de Paulo

Lições da Bíblia

“1. Compare as palavras finais de Paulo em Gálatas 6:11-18 com as considerações finais que ele fez em suas outras cartas. De que forma o encerramento de Gálatas é semelhante e em que aspecto é diferente das demais? Veja as considerações finais em Romanos, 1 e 2 Coríntios, Efésios, Filipenses, Colossenses, e 1 e 2 Tessalonicenses”1

Gálatas (6:11-18 ARA)2: “11 Vede com que letras grandes vos escrevi de meu próprio punho. 12 Todos os que querem ostentar-se na carne, esses vos constrangem a vos circuncidardes, somente para não serem perseguidos por causa da cruz de Cristo. 13 Pois nem mesmo aqueles que se deixam circuncidar guardam a lei; antes, querem que vos circuncideis, para se gloriarem na vossa carne. 14 Mas longe esteja de mim gloriar-me, senão na cruz de nosso Senhor Jesus Cristo, pela qual o mundo está crucificado para mim, e eu, para o mundo. 15 Pois nem a circuncisão é coisa alguma, nem a incircuncisão, mas o ser nova criatura. 16 E, a todos quantos andarem de conformidade com esta regra, paz e misericórdia sejam sobre eles e sobre o Israel de Deus. 17 Quanto ao mais, ninguém me moleste; porque eu trago no corpo as marcas de Jesus. 18 A graça de nosso Senhor Jesus Cristo seja, irmãos, com o vosso espírito. Amém!”.

“As observações finais de Paulo nem sempre são iguais, mas uma série de elementos comuns aparece nelas: (1) saudações a indivíduos específicos, (2) uma exortação final (3), uma assinatura pessoal, e (4) uma benção final. Quando essas características típicas são comparadas às palavras finais de Paulo em Gálatas, duas diferenças significativas aparecem.”1

“Em primeiro lugar, ao contrário de muitas cartas de Paulo, Gálatas não contém nenhuma saudação pessoal. Por quê? Assim como ocorreu com a ausência da tradicional ação de graças no início da carta, esse é provavelmente mais um indício da relação tensa entre Paulo e os gálatas. Paulo foi educado, mas formal.”1

“Em segundo lugar, devemos lembrar que era costume de Paulo ditar suas cartas a um escriba (Rm 16:22). Então, depois de terminar, Paulo muitas vezes tomava a pena e acrescentava algumas breves palavras do próprio punho para concluir a carta (1Co 16:21).”1

Em Gálatas, no entanto, Paulo não seguiu esse seu costume. Quando pegou a pena do escriba, Paulo ainda estava tão preocupado com a situação na Galácia que acabou escrevendo mais do que era comum. Ele simplesmente não pôde soltar a pena antes de apelar aos gálatas mais uma vez para que abandonassem seus caminhos insensatos.”1

“Em Gálatas 6:11, Paulo enfatizou que escreveu a carta com letras grandes. Realmente não sabemos por quê. Alguns têm especulado que Paulo não estava se referindo ao tamanho das letras, mas ao seu formato malfeito. Eles sugerem que, talvez, as mãos de Paulo estivessem tão debilitadas em consequência da perseguição, ou deformadas por causa do trabalho de fazer tendas, que ele não podia traçar as letras com precisão. Outros acreditam que seus comentários fossem mais uma evidência de sua deficiência visual. Embora ambas as versões sejam possíveis, parece muito menos especulativo concluir simplesmente que Paulo estivesse escrevendo intencionalmente com letras grandes a fim de destacar e enfatizar novamente sua mensagem, semelhante à nossa maneira de enfatizar uma palavra ou conceito importantes sublinhando, colocando em itálico ou escrevendo em letras maiúsculas.”1

“Seja qual for a razão, Paulo certamente queria que os leitores prestassem atenção às suas advertências e admoestações.”1

Participe do projeto “Reavivados por Sua Palavra”: acesse o site http://reavivadosporsuapalavra.org/

Domingo, 24 de setembro de 2017. Saiba mais, ouça o Comentário em áudio  da Lição da Escola Sabatina (LES) ou se preferir faça um Curso Bíblico.
_______________
1 COSAERT, Carl. O evangelho em Gálatas. Lições da escola sabatina. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 489, Jul. Ago. Set. 2017. Adulto, Professor.
2 BÍBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

Levando as cargas uns dos outros (Gl 6:2-5)

Lições da Bíblia

“3. Além de restaurar os caídos, quais outras práticas os Gálatas deviam seguir? Gl 6:2-5; Rm 15:1; Mt 7:12”1

Gálatas (6:2-5 ARA)2: “2 Levai as cargas uns dos outros e, assim, cumprireis a lei de Cristo. 3 Porque, se alguém julga ser alguma coisa, não sendo nada, a si mesmo se engana. 4 Mas prove cada um o seu labor e, então, terá motivo de gloriar-se unicamente em si e não em outro. 5 Porque cada um levará o seu próprio fardo.” Romanos (15:1 ARA)2: “Ora, nós que somos fortes devemos suportar as debilidades dos fracos e não agradar-nos a nós mesmos.”. Mateus (7:12 ARA)2: “Tudo quanto, pois, quereis que os homens vos façam, assim fazei-o vós também a eles; porque esta é a Lei e os Profetas.”.

“A palavra grega traduzida como ‘carga’ em Gálatas 6:5 é baros. Ela se referia literalmente a um grande peso ou carga que alguém tinha que carregar por uma longa distância. Com o passar do tempo, no entanto, ela se tornou uma metáfora para qualquer tipo de problema ou dificuldade, como o fardo de uma longa jornada de trabalho em um dia quente (Mt 20:12). Embora o contexto imediato da ordem de Paulo de ‘[levar] as cargas uns dos outros’ certamente incluísse as falhas morais dos irmãos mencionadas no verso anterior, o conceito de carregar os fardos, que ele tinha em mente, era muito mais amplo. A orientação de Paulo revela várias noções espirituais sobre a vida cristã que não devem ser negligenciadas.”1

Primeiramente, como observou Timothy George, ‘todos os cristãos têm fardos. Nossos fardos podem ser diferentes em tamanho e forma e podem ser de natureza variada, dependendo da ordem providencial de nossa vida. Para alguns, é o fardo da tentação e as consequências de uma falha moral, como está em Gálatas 6:1. Para outros, pode ser doença física, distúrbio mental, crise familiar, falta de emprego, opressão demoníaca ou uma série de outras coisas; mas nenhum cristão está isento de fardos’ (Galatians [Gálatas], p. 413).”1

“Em segundo lugar, Deus não pretende que carreguemos sozinhos todos os nossos fardos. Infelizmente, muitas vezes estamos muito mais dispostos a ajudar os outros a levar seus fardos do que a permitir que os outros nos ajudem a carregar os nossos. Paulo condenou essa atitude de autossuficiência (Gl 6:3) como orgulho humano, quando nos recusamos a admitir que também temos necessidades e fraquezas. Esse orgulho não apenas nos priva do conforto dos outros, mas também impede os outros de cumprir o ministério que Deus os chamou a realizar.”1

Finalmente, é por meio de nossas ações que o conforto de Deus se manifesta. Esse conceito está fundamentado no fato de que a Igreja é o corpo de Cristo. Um exemplo disso está nas palavras de Paulo: ‘Porém Deus, que conforta os abatidos, nos consolou com a chegada de Tito’ (2Co 7:6). Observe que ‘o consolo divino não foi dado a Paulo na sua oração pessoal e espera pelo Senhor, mas por meio da companhia de um amigo e pelas boas notícias que ele trouxe’.”1

“‘A amizade humana, na qual levamos as cargas uns dos outros, faz parte do propósito de Deus para Seu povo’ (John R. W. Stott, The Message of Galatians [Mensagem aos Gálatas], p. 158).”1

“O que impede você de procurar ajuda? Seria orgulho, vergonha, ou senso de autossuficiência? Por que não procurar alguém de confiança para compartilhar seus fardos?”1

Terça-feira, 19 de setembro de 2017. Saiba mais, ouça o Comentário em áudio  da Lição da Escola Sabatina (LES) ou se preferir faça um Curso Bíblico.
_______________
1 COSAERT, Carl. O evangelho em Gálatas. Lições da escola sabatina. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 489, Jul. Ago. Set. 2017. Adulto, Professor.
2 BÍBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

As perigosas consequências do legalismo (Gl 5:2-12)

Lições da Bíblia

“A maneira pela qual Paulo introduziu Gálatas 5:2-12 indica a importância do que ele estava prestes a dizer. ‘Prestem atenção!’ (NTLH), ‘Ouçam bem’ (NVI), ‘Eis que eu, Paulo, vos digo’ (ARC). Paulo não estava brincando. Por sua vigorosa utilização da expressão ‘Prestem atenção’, ele não somente pediu toda a atenção de seus leitores, mas ainda evocou sua autoridade apostólica. Ele queria que eles entendessem que, se os gentios se submetessem à circuncisão para ser salvos, os gálatas precisavam entender as consequências perigosas envolvidas em sua decisão.”1

“3. Leia Gálatas 5:2-12. Qual foi a advertência de Paulo sobre a questão da circuncisão?”1

Gálatas (5:2-12 ARA)2: 2 Eis que eu, Paulo, vos digo que, se vos deixardes circuncidar, Cristo de nada vos aproveitará. E, de novo, protesto a todo homem que se deixa circuncidar que está obrigado a guardar toda a lei.Separados estais de Cristo, vós os que vos justificais pela lei; da graça tendes caído.Porque nós, pelo espírito da fé, aguardamos a esperança da justiça. 6 Porque, em Jesus Cristo, nem a circuncisão nem a incircuncisão têm virtude alguma, mas, sim, a fé que opera por amor.Corríeis bem; quem vos impediu, para que não obedeçais à verdade?Esta persuasão não vem daquele que vos chamou. 9 Um pouco de fermento leveda toda a massa. 10 Confio de vós, no Senhor, que nenhuma outra coisa sentireis; mas aquele que vos inquieta, seja ele quem for, sofrerá a condenação. 11 Eu, porém, irmãos, se prego ainda a circuncisão, por que sou, pois, perseguido? Logo, o escândalo da cruz está aniquilado. 12 Eu quereria que fossem cortados aqueles que vos andam inquietando.

“As primeiras consequências de tentar ganhar o favor de Deus submetendo-se à circuncisão era que isso obrigava a pessoa a guardar toda a lei. A linguagem de Paulo nos versos 2 e 3 inclui um interessante jogo de palavras. Cristo, disse ele, não lhes traria proveito (ophelesei); ao contrário, eles seriam obrigados (opheiletes) a cumprir a lei. Se uma pessoa quisesse viver de acordo com a lei, não poderia simplesmente escolher cuidadosamente os preceitos que desejava seguir. Era tudo ou nada.”1

“Em segundo lugar, eles seriam ‘separados’ de Cristo. A decisão de ser justificado pelas obras envolvia ao mesmo tempo uma rejeição da maneira divina de justificação em Cristo. ‘Você não pode obtê-la pelos dois caminhos. É impossível receber Cristo, reconhecendo assim que você não pode salvar a si mesmo, e depois receber a circuncisão, dizendo assim que você pode’ (John R. W. Stott, The Message of Galatians [A Mensagem de Gálatas], Leicester, Inglaterra: InterVarsity Press, 1968, p. 133).”1

“A terceira objeção de Paulo à circuncisão era que ela prejudicava o crescimento espiritual. Ele fez uma analogia de um corredor cujo progresso em direção à linha de chegada havia sido deliberadamente sabotado. Na verdade, a palavra traduzida como ‘impediu’ (v. 7) era usada nos círculos militares para se referir à ação de ‘quebrar uma estrada, destruir uma ponte ou colocar obstáculos no caminho de um inimigo para deter seu avanço’ (Comentário Bíblico Adventista do Sétimo Dia, v. 6, p. 1083).”1

“Finalmente, a circuncisão removia o escândalo da cruz. Como? A mensagem da circuncisão significava que a pessoa podia salvar a si mesma; ela era agradável ao orgulho humano. A mensagem da cruz, no entanto, era ofensiva e vergonhosa, porque o ser humano tinha que reconhecer sua total dependência de Cristo.”1

“Paulo ficou tão indignado com essas pessoas por sua insistência em relação à circuncisão que disse que desejava que eles se castrassem com uma faca! Foram palavras fortes, mas o tom de Paulo simplesmente refletia a seriedade com que ele encarava essa questão.”1

Participe do projeto “Reavivados por Sua Palavra”: acesse o site http://reavivadosporsuapalavra.org/

Terça-feira, 05 de setembro de 2017. Saiba mais, ouça o Comentário em áudio  da Lição da Escola Sabatina (LES) ou se preferir faça um Curso Bíblico.
_______________
1 COSAERT, Carl. O evangelho em Gálatas. Lições da escola sabatina. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 489, Jul. Ago. Set. 2017. Adulto, Professor.
2 BÍBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

Os insensatos gálatas 

Lições da Bíblia

1. Leia Gálatas 3:1-5. Resuma abaixo o que Paulo disse a eles. Em que sentido podemos estar em perigo de cair na mesma armadilha espiritual, de começar bem e depois cair no legalismo?1

“1 Ó gálatas insensatos! Quem vos fascinou a vós outros, ante cujos olhos foi Jesus Cristo exposto como crucificado? Quero apenas saber isto de vós: recebestes o Espírito pelas obras da lei ou pela pregação da fé? 3 Sois assim insensatos que, tendo começado no Espírito, estejais, agora, vos aperfeiçoando na carne? 4 Terá sido em vão que tantas coisas sofrestes? Se, na verdade, foram em vão. Aquele, pois, que vos concede o Espírito e que opera milagres entre vós, porventura, o faz pelas obras da lei ou pela pregação da fé?” (Gálatas 3:1-5 ARA)2.

“Diversas traduções modernas têm tentado captar o sentido das palavras de Paulo no verso 1, sobre os gálatas ‘insensatos’. A palavra que Paulo usou, em grego, é ainda mais forte do que essa. Ela é anoetoi, que vem da palavra para designar ‘mente’ (nous). Literalmente, significa ‘estúpido’. Os gálatas não estavam pensando. Paulo não parou por aí. Ele disse que, visto que eles estavam agindo de maneira tão insensata, ele queria saber se algum mágico havia lançado um feitiço sobre eles. ‘Quem os enfeitiçou?’ Sua escolha de palavras aqui pode até sugerir que a principal fonte por trás da condição deles fosse o diabo (2Co 4:4).”1

“O que deixou Paulo tão perplexo no tocante à apostasia dos gálatas em relação ao evangelho foi que eles sabiam que a salvação estava fundamentada na cruz de Cristo. Eles não poderiam ter dúvidas sobre isso. A palavra traduzida como ‘representado’ (ARC) ou ‘exposto’ (ARA), em Gálatas 3:1, significa literalmente ‘anunciado em cartaz’, ou ‘retratado’. Era usada para descrever todas as proclamações públicas. Paulo estava dizendo que a cruz era tão importante em sua pregação que os gálatas tinham, com efeito, visto o Cristo crucificado com os olhos da mente (1Co 1:23; 2:2). Em certo sentido, ele estava dizendo que, por suas ações, eles estavam se afastando da cruz.”1

“Em seguida, Paulo comparou a experiência dos gálatas com a maneira pela qual eles, no começo, haviam experimentado a fé em Cristo. Para isso, ele fez algumas perguntas retóricas. Como eles haviam recebido o Espírito, ou seja, como eles haviam se tornado cristãos, no começo? E de uma perspectiva um pouco diferente, por que Deus havia concedido o Espírito? Foi porque eles haviam feito algo para merecê-Lo? Certamente, não! Em vez disso, foi porque eles haviam acreditado nas boas-novas do que Cristo já havia feito por eles. Tendo começado tão bem, o que faria com que eles pensassem que tinham que passar a confiar em seu próprio comportamento?”1

Domingo, 23 de julho de 2017. Saiba mais, ouça o Comentário em áudio  da Lição da Escola
Sabatina (LES) ou se preferir faça um Curso Bíblico.
_______________
1 COSAERT, Carl. O evangelho em Gálatas. Lições da escola sabatina. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 489, Jul. Ago. Set. 2017. Adulto, Professor.
2 BÍBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

A autoridade de Paulo e o evangelho – Estudo adicional

Lições da Bíblia

Assista em vídeo a discussão do tema da semana.

Estudo adicional

“Em quase todas as igrejas havia alguns membros judeus de nascimento. A esses conversos os mestres judeus tinham fácil acesso e, por meio deles, ganhavam um ponto de apoio nas igrejas. Com argumentos bíblicos, era impossível derrubar as doutrinas ensinadas por Paulo. Por isso, eles recorriam às medidas mais inescrupulosas para neutralizar sua influência e enfraquecer sua autoridade. Declaravam que ele não havia sido discípulo de Jesus e não tinha recebido nenhum chamado da parte dEle, mas ousava ensinar doutrinas diretamente opostas aos ensinos defendidos por Pedro, Tiago e outros apóstolos […].”1

“‘O coração de Paulo ficou agitado quando viu os males que ameaçavam destruir rapidamente essas igrejas. Imediatamente ele escreveu aos gálatas, expondo suas teorias falsas e, com grande severidade, repreendeu os que tinham abandonado a fé’ (Ellen G. White, Sketches From the Life of Paul [Esboços da Vida de Paulo], p. 188, 189).1

Perguntas para reflexão


“Qual é o significado do evangelho para você?”1

“Na saudação de Paulo aos gálatas, ele declarou que a morte de Jesus ocorreu por uma razão específica. Qual foi essa razão, e qual o significado disso hoje?”1

“Em Gálatas 1:14, Paulo disse que ele era extremamente zeloso das tradições de seus pais. Por ‘tradições’ ele provavelmente se referia tanto às tradições orais dos fariseus como ao próprio Antigo Testamento. Existe espaço para as tradições em nossa fé? Que advertência a experiência de Paulo nos apresenta hoje em relação à questão da tradição?”1 

Por que Paulo era ‘intolerante’ com os que tinham crenças diferentes das dele? Como seria vista em nossa igreja hoje uma pessoa com uma postura tão firme e intransigente?

“Resumo: Os falsos mestres da Galácia estavam tentando enfraquecer o ministério de Paulo, afirmando que seu apostolado e mensagem do evangelho não lhe tinham sido dados por Deus. Paulo enfrentou essas duas acusações nos primeiros versos de sua carta aos Gálatas. Corajosamente, ele declarou que só há um meio de salvação e descreveu como os eventos que envolveram sua conversão demonstravam que sua vocação e evangelho só podiam provir de Deus.”1

Sexta-feira, 07 de julho de 2017. Saiba mais, ouça o Comentário em áudio  da Lição da Escola Sabatina (LES) ou se preferir faça um Curso Bíblico.
_______________
COSAERT, Carl. O evangelho em Gálatas. Lições da escola sabatina. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 489, Jul. Ago. Set. 2017. Adulto, Professor.