Reavivamento e reforma enquanto esperamos

Lições da Bíblia

“2. Leia 2 Pedro 3. Resuma os ensinos desse capítulo a respeito do reavivamento e reforma. Como esses versos se encaixam no assunto que estudamos neste trimestre?”1

“1 Amados, esta é, agora, a segunda epístola que vos escrevo; em ambas, procuro despertar com lembranças a vossa mente esclarecida, 2 para que vos recordeis das palavras que, anteriormente, foram ditas pelos santos profetas, bem como do mandamento do Senhor e Salvador, ensinado pelos vossos apóstolos, 3 tendo em conta, antes de tudo, que, nos últimos dias, virão escarnecedores com os seus escárnios, andando segundo as próprias paixões 4 e dizendo: Onde está a promessa da sua vinda? Porque, desde que os pais dormiram, todas as coisas permanecem como desde o princípio da criação. 5 Porque, deliberadamente, esquecem que, de longo tempo, houve céus bem como terra, a qual surgiu da água e através da água pela palavra de Deus, 6 pela qual veio a perecer o mundo daquele tempo, afogado em água. 7 Ora, os céus que agora existem e a terra, pela mesma palavra, têm sido entesourados para fogo, estando reservados para o Dia do Juízo e destruição dos homens ímpios. 8 Há, todavia, uma coisa, amados, que não deveis esquecer: que, para o Senhor, um dia é como mil anos, e mil anos, como um dia. 9 Não retarda o Senhor a sua promessa, como alguns a julgam demorada; pelo contrário, ele é longânimo para convosco, não querendo que nenhum pereça, senão que todos cheguem ao arrependimento. 10 Virá, entretanto, como ladrão, o Dia do Senhor, no qual os céus passarão com estrepitoso estrondo, e os elementos se desfarão abrasados; também a terra e as obras que nela existem serão atingidas. 11 Visto que todas essas coisas hão de ser assim desfeitas, deveis ser tais como os que vivem em santo procedimento e piedade, 12 esperando e apressando a vinda do Dia de Deus, por causa do qual os céus, incendiados, serão desfeitos, e os elementos abrasados se derreterão. 13 Nós, porém, segundo a sua promessa, esperamos novos céus e nova terra, nos quais habita justiça. 14 Por essa razão, pois, amados, esperando estas coisas, empenhai-vos por serdes achados por ele em paz, sem mácula e irrepreensíveis, 15 e tende por salvação a longanimidade de nosso Senhor, como igualmente o nosso amado irmão Paulo vos escreveu, segundo a sabedoria que lhe foi dada, 16 ao falar acerca destes assuntos, como, de fato, costuma fazer em todas as suas epístolas, nas quais há certas coisas difíceis de entender, que os ignorantes e instáveis deturpam, como também deturpam as demais Escrituras, para a própria destruição deles. 17 Vós, pois, amados, prevenidos como estais de antemão, acautelai-vos; não suceda que, arrastados pelo erro desses insubordinados, descaiais da vossa própria firmeza; 18 antes, crescei na graça e no conhecimento de nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo. A ele seja a glória, tanto agora como no dia eterno.” (2 Pedro 3 ARA)2.

Em um tempo de zombaria e incredulidade, o estudo da Bíblia relembra e reafirma os ensinos dos profetas e mandamentos do Senhor; as manifestações de juízo do passado sugerem que ocorrerão novas ações divinas. A aparente demora é uma oportunidade para o arrependimento e reforma. Esse é o desejo de Deus para nós, porque Ele quer que todos sejam salvos e deseja nos usar para alcançar outras pessoas. Nossos deveres: ser santos e piedosos, esperando e apressando a vinda de Cristo; estar empenhados para ser achados em paz, sem mácula e irrepreensíveis; ter cuidado com os enganos dos últimos dias; crescer na graça e no conhecimento de Jesus.”1

“Odesejo de Deus é que ‘todos cheguem ao arrependimento’ (2 Pe 3:9). Embora não possamos fazer a obra do Espírito Santo em conduzir as pessoas ao arrependimento, somos chamados a levar-lhes a mensagem de salvação que, se aceitarem, as levará ao arrependimento.”1

“Nós também, como membros da igreja, precisamos ter uma atitude de arrependimento, que é parte do processo de reavivamento e reforma. Reavivamento significa voltar à vida, ser renovado, restaurado. Reforma significa ser remodelado, formado novamente, para ser uma nova criação (2 Co 5:17, NVI). ‘Um reavivamento da verdadeira piedade entre nós, eis a maior e a mais urgente de todas as nossas necessidades. Buscá-lo, deve ser nossa primeira ocupação’ (Ellen G. White,Mensagens Escolhidas, v. 1, p. 121).”1

“As passagens a respeito de como devemos esperar, mencionadas ontem, ilustram as condições e os resultados do reavivamento e da reforma. Por exemplo, as dez virgens precisavam ser reavivadas, despertadas do sono (Mt 25:1-13). As virgens insensatas precisavam aumentar sua capacidade de receber o Espírito Santo na vida. Quando nos humilhamos, morremos para o eu, oramos com altruísmo, estudamos a Palavra de Deus e a comunicamos aos outros por meio de palavras e atos de amor, aumentamos nossa capacidade para receber a plenitude do Espírito Santo no poder da chuva serôdia. Contudo, é possível estudar a Bíblia por horas e, mesmo assim, continuar sendo uma pessoa egoísta. Poderíamos orar pelo reavivamento e pela chuva serôdia, mas, de modo egoísta, desejá-los apenas para nós. O reavivamento sempre leva a uma preocupação altruísta pelos outros. Quando recebermos a plenitude do Espírito Santo seremos reformados e transformados em discípulos fervorosos, concentrados na missão e no serviço.”1

“Precisamos de reavivamento e de reforma em nossas orações, no estudo da Bíblia e na ênfase em pedir o Espírito Santo na abundância da chuva serôdia. Mas, como igreja, precisamos também de reavivamento e reforma em nossas atitudes e métodos. Precisamos de espiritualidade e de mudança em nossa atitude e em nossos atos para com os ‘pequeninos’. Tudo isso é enfatizado na lição deste trimestre.”1

“Como podemos evitar a indiferença em relação à segunda vinda de Jesus? Isto é, à medida que os anos passam, como podemos manter sempre diante de nós a realidade e a urgência da volta do Senhor?”1

Segunda-feira, 19 de setembro de 2016. Saiba mais, ouça o Comentário em áudio  da Lição da Escola Sabatina (LES) ou se preferir faça um Curso Bíblico.
__________________
1 LIÇÕES da escola sabatina. O papel da igreja na comunidade. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 485, Jul. Ago. Set. 2016. Adulto, Professor.

2 BIBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

Reavivamento prometido: missão cumprida – Vídeo

Lições da Bíblia.

Assista em vídeo a discussão do tema da semana.

“A mensagem há de ser levada não tanto por argumentos como pela convicção profunda do Espírito de Deus. Os argumentos foram apresentados. A semente foi semeada e agora brotará e frutificará. As publicações distribuídas pelos missionários têm exercido sua influência. Entretanto, muitos que ficaram impressionados foram impedidos de compreender completamente a verdade, ou de lhe prestar obediência. Agora, os raios de luz penetram por toda parte, a verdade é vista em sua clareza e os leais filhos de Deus cortam os liames que os têm retido. Laços de família, relações na igreja são impotentes para os deter. A verdade é mais preciosa do que tudo mais. Apesar das forças arregimentadas contra a verdade, grande número se coloca ao lado do Senhor” (Ellen G. White, O Grande Conflito, p. 612).

Perguntas para reflexão

“1. ‘A mensagem há de ser levada não tanto por argumentos como pela convicção profunda do Espírito de Deus.’ O que significam essas palavras? O que elas não significam? Afinal, nossa mensagem é muito lógica, razoável e vem com alguns argumentos muito fortes em seu favor. Como devemos entender, então, a declaração de Ellen G. White?”

“2. Como podemos aplicar à Igreja, hoje, as promessas de Deus ao Seu povo do Antigo Testamento?” “E há de ser que, se diligentemente obedeceres a meus mandamentos que eu hoje te ordeno, de amar ao Senhor teu Deus, e de o servir de todo o teu coração e de toda a tua alma, darei a chuva da tua terra a seu tempo, a temporã e a serôdia, para que recolhas o teu grão, o teu mosto e o teu azeite; e darei erva no teu campo para o teu gado, e comerás e fartar-te-ás. Guardai-vos para que o vosso coração não se engane, e vos desvieis, e sirvais a outros deuses, e os adoreis; e a ira do Senhor se acenda contra vós, e feche ele o céu, e não caia chuva, e a terra não dê o seu fruto, e cedo pereçais da boa terra que o Senhor vos dá. Ponde, pois, estas minhas palavras no vosso coração e na vossa alma; atá-las-eis por sinal na vossa mão, e elas vos serão por frontais entre os vossos olhos;” (Deuteronômio 11:13-18); “Vinde, e tornemos para o Senhor, porque ele despedaçou e nos sarará; fez a ferida, e no-la atará. Depois de dois dias nos ressuscitará: ao terceiro dia nos levantará, e viveremos diante dele. Conheçamos, e prossigamos em conhecer ao Senhor; a sua saída, como a alva, é certa; e ele a nós virá como a chuva, como a chuva serôdia que rega a terra.” (Oséias 6:1-3).

“3. Stephen Hawking, um dos maiores cientistas do mundo, chamou o conceito de vida após a morte um ‘conto de fadas para pessoas com medo do escuro’. Por que uma declaração como essa mostra quanto é importante e esperançosa nossa mensagem para um mundo que não conhece Deus nem Seu amor?”

“4. Embora não saibamos quando Jesus voltará, queremos que Ele volte e que este mundo enfermo pelo pecado dê lugar ao novo mundo. Por isso, acreditamos que reavivamento e reforma são cruciais para nós. Essa é a razão do chamado feito pelos nossos líderes nessa direção. Porém, isso não ocorrerá, senão pela obra do Espírito Santo em nosso coração, e isso não acontecerá até que escolhamos nos entregar de todo o coração e mente ao Senhor. Sem julgar os outros e sem nos compararmos a eles, como podemos fazer nossa parte para nos encorajarmos mutuamente ao nos prepararmos para a obra do Espírito Santo em nossa vida?”

Sexta-feira, 27 de setembro de 2013. Saiba mais, ouça o Comentário em áudio da Lição da Escola Sabatina (LES) ou se preferir faça um Curso Bíblico. Este conteúdo é uma adaptação da LES publicado simultaneamente no Blogspot e WordPress. Para impressão acesse arquivo em PDF

O grande conflito terminou

Lições da Bíblia.

“O livro do Apocalipse pode ser resumido em poucas palavras: Jesus vence, Satanás perde.”

“6. Leia Apocalipse 12:17; 17:13, 14; 19:11-16. Qual é a mensagem central dessas passagens?” Irou-se o dragão contra a mulher e foi pelejar com os restantes da sua descendência, os que guardam os mandamentos de Deus e têm o testemunho de Jesus; e se pôs em pé sobre a areia do mar.” (Apocalipse 12:17 RA); “Têm estes um só pensamento e oferecem à besta o poder e a autoridade que possuem. Pelejarão eles contra o Cordeiro, e o Cordeiro os vencerá, pois é o Senhor dos senhores e o Rei dos reis; vencerão também os chamados, eleitos e fiéis que se acham com ele.” (Apocalipse 17:13-14 RA); “E vi o céu aberto, e eis um cavalo branco; e o que estava montado nele chama-se Fiel e Verdadeiro; e julga a peleja com justiça. Os seus olhos eram como chama de fogo; sobre a sua cabeça havia muitos diademas; e tinha um nome escrito, que ninguém sabia senão ele mesmo. Estava vestido de um manto salpicado de sangue; e o nome pelo qual se chama é o Verbo de Deus. Seguiam-no os exércitos que estão no céu, em cavalos brancos, e vestidos de linho fino, branco e puro. Da sua boca saía uma espada afiada, para ferir com ela as nações; ele as regerá com vara de ferro; e ele mesmo é o que pisa o lagar do vinho do furor da ira do Deus Todo-Poderoso. No manto, sobre a sua coxa tem escrito o nome: Rei dos reis e Senhor dos senhores.” (Apocalipse 19:11-16 RA). “O inimigo batalha contra Cristo e Sua igreja. Cristo vencerá a batalha e reinará para sempre com Seu povo.”

“Aqui está uma boa notícia: o mesmo Jesus que derrotou Satanás na cruz virá outra vez, triunfará sobre os poderes do inferno e destruirá completamente o mal (Ap 19:19-21; Ez 28:18, 19). O mal não terá a última palavra. A pobreza e a peste não terão a última palavra. A dor e o sofrimento não terão a última palavra. O caos e o crime não terão a última palavra. A doença e a morte não terão a última palavra.”

“Em vez disso, Deus terá a última palavra. Até então, o Pai, o Filho e o Espírito Santo estão fazendo todo o possível para alcançar cada pessoa. O coração de Deus sofre por este mundo perdido. Em breve, Seu povo revelará ao mundo, no testemunho de suas palavras e obras, a maravilhosa graça e verdade de Jesus.”

“Satanás fará tudo ao seu alcance para se opor a esse testemunho. A crise final irromperá sobre este mundo. Jesus derramará Seu Espírito no poder da chuva serôdia, e a obra de Deus na Terra será concluída.”

“Servos de Deus, com o rosto iluminado e a resplandecer de santa consagração, se apressarão de um lugar para outro para proclamar a mensagem do Céu. Por milhares de vozes em toda a extensão da Terra, será dada a advertência. Serão operados prodígios, os doentes serão curados, e sinais e maravilhas seguirão aos cristãos” (Ellen G. White, O Grande Conflito, p. 612).

“A obra de Deus na Terra será concluída. Jesus virá. Todo o Céu e a Terra se alegrarão. Não há prioridade mais importante em nossa vida do que experimentar um reavivamento da graça de Deus em nosso coração, diariamente, e convidar Seu Espírito Santo para nos moldar à Sua imagem (1Jo 3:1-3).”

“Nosso mundo está caindo aos pedaços. Quem não vê isso? Existe algo mais importante do que abrir nosso coração a Jesus e suplicar o reavivamento e a reforma de que tanto necessitamos? O que aconteceria se nosso coração fosse totalmente entregue a Ele e fôssemos completamente dedicados a proclamar essa mensagem ao mundo?”

Quinta-feira, 26 de setembro de 2013. Saiba mais, ouça o Comentário em áudio da Lição da Escola Sabatina (LES) ou se preferir faça um Curso Bíblico. Este conteúdo é uma adaptação da LES publicado simultaneamente no Blogspot e WordPress. Para impressão acesse arquivo em PDF

O batismo de fogo

Lições da Bíblia.

“O Antigo e o Novo Testamentos usam uma variedade de símbolos como água, vento e óleo para descrever a obra do Espírito Santo. João Batista relacionou outra imagem, o fogo, com a obra do Espírito Santo (‘Eu, na verdade, vos batizo em água, na base do arrependimento; mas aquele que vem após mim é mais poderoso do que eu, que nem sou digno de levar-lhe as alparcas; ele vos batizará no Espírito Santo, e em fogo.’ Mateus 3:11; ‘respondeu João a todos, dizendo: Eu, na verdade, vos batizo em água, mas vem aquele que é mais poderoso do que eu, de quem não sou digno de desatar a correia das alparcas; ele vos batizará no Espírito Santo e em fogo.’ Lucas 3:16).”

“Muitos não entenderam a declaração de João. A passagem não diz: ‘Ele vos batizará com o Espírito Santo ou com fogo.’ Ela diz: ‘Ele vos batizará com o Espírito Santo e com fogo.’ A segunda expressão, ‘e com fogo’, explica a primeira expressão, o batismo ‘do Espírito Santo.’ O batismo do Espírito Santo é o batismo de fogo. A palavra batismo no Novo Testamento é usada 80 vezes e se refere à imersão total.”

“5. O que o simbolismo do fogo representa na Bíblia?” Apareceu-lhe o Anjo do SENHOR numa chama de fogo, no meio de uma sarça; Moisés olhou, e eis que a sarça ardia no fogo e a sarça não se consumia. Então, disse consigo mesmo: Irei para lá e verei essa grande maravilha; por que a sarça não se queima? Vendo o SENHOR que ele se voltava para ver, Deus, do meio da sarça, o chamou e disse: Moisés! Moisés! Ele respondeu: Eis-me aqui!” (Êxodo 3:2-4 RA); O aspecto da glória do SENHOR era como um fogo consumidor no cimo do monte, aos olhos dos filhos de Israel.” (Êxodo 24:17 RA); “Então, invocai o nome de vosso deus, e eu invocarei o nome do SENHOR; e há de ser que o deus que responder por fogo esse é que é Deus. E todo o povo respondeu e disse: É boa esta palavra.” (1 Reis 18:24 RA); “Mas quem poderá suportar o dia da sua vinda? E quem poderá subsistir quando ele aparecer? Porque ele é como o fogo do ourives e como a potassa dos lavandeiros. Assentar-se-á como derretedor e purificador de prata; purificará os filhos de Levi e os refinará como ouro e como prata; eles trarão ao SENHOR justas ofertas.” (Malaquias 3:2-3 RA); “Ao cumprir-se o dia de Pentecostes, estavam todos reunidos no mesmo lugar; de repente, veio do céu um som, como de um vento impetuoso, e encheu toda a casa onde estavam assentados. E apareceram, distribuídas entre eles, línguas, como de fogo, e pousou uma sobre cada um deles. Todos ficaram cheios do Espírito Santo e passaram a falar em outras línguas, segundo o Espírito lhes concedia que falassem.” (Atos 2:1-4 RA); porque o nosso Deus é fogo consumidor.” (Hebreus 12:29 RA). “A glória da presença de Deus; resposta de Deus à súplica de seus servos; poder para purificar os pecadores e destruir o pecado; manifestação do Espírito Santo no Pentecostes.”

“O fogo é um símbolo da glória, presença e poder de Deus manifestos no ministério do Espírito Santo. Ser batizado com fogo é ser imerso na glória da presença de Deus pelo Espírito Santo, para testemunhar em Seu poder. Moisés se encontrou com Deus na sarça ardente e depois deixou a glória da Sua presença a fim de testemunhar a Faraó. Elias testemunhou a Israel na glória do fogo da presença de Deus no Monte Carmelo. Quando línguas de fogo caíram no Pentecostes, os discípulos testemunharam em idiomas que eles nunca haviam conhecido antes. O batismo do Espírito Santo é a imersão no poder de Deus para que testemunhemos com eficácia a respeito de Sua glória. Mais uma vez, nos últimos dias da história da Terra, o povo de Deus será imerso em Sua presença, cheio de Seu poder e enviado para testemunhar de Sua glória ao mundo.”

“A Terra se encherá da glória de Deus. ‘A Terra se encherá do conhecimento da glória do Senhor, como as águas cobrem o mar’ (Hc 2:14). Em visão profética, João viu um anjo mensageiro descer do Céu ‘e a Terra se iluminou com a sua glória’ (Ap 18:1).”

“A glória de Deus, Seu caráter amoroso, será revelada através do poder do Espírito Santo a um mundo que espera e ao Universo expectante. Cada pessoa no planeta Terra terá a oportunidade de ouvir e compreender a mensagem de Deus para os últimos dias.”

“A glória de Deus, Seu caráter amoroso, será revelada ao mundo. Como você pode, agora mesmo, em sua esfera de atuação, revelar essa glória? O que será necessário para isso?”

Quarta-feira, 25 de setembro de 2013. Saiba mais, ouça o Comentário em áudio da Lição da Escola Sabatina (LES) ou se preferir faça um Curso Bíblico. Este conteúdo é uma adaptação da LES publicado simultaneamente no Blogspot e WordPress. Para impressão acesse arquivo em PDF

Pré-requisitos para a chuva serôdia

Lições da Bíblia.

“3. O que os seguintes textos dizem sobre a preparação necessária para receber o poder do Espírito Santo em sua plenitude?” “Todos estes perseveravam unânimes em oração, com as mulheres, com Maria, mãe de Jesus, e com os irmãos dele.” (Atos 1:14 RA); Pedi ao SENHOR chuva no tempo das chuvas serôdias, ao SENHOR, que faz as nuvens de chuva, dá aos homens aguaceiro e a cada um, erva no campo.” (Zacarias 10:1 RA); “mas Deus, assim, cumpriu o que dantes anunciara por boca de todos os profetas: que o seu Cristo havia de padecer. Arrependei-vos, pois, e convertei-vos para serem cancelados os vossos pecados, a fim de que, da presença do Senhor, venham tempos de refrigério, e que envie ele o Cristo, que já vos foi designado, Jesus,” (Atos 3:18-20 RA); Tendo eles orado, tremeu o lugar onde estavam reunidos; todos ficaram cheios do Espírito Santo e, com intrepidez, anunciavam a palavra de Deus.” (Atos 4:31 RA); “A minha alma está apegada ao pó; vivifica-me segundo a tua palavra.” (Salmos 119:25 RA); O espírito é o que vivifica; a carne para nada aproveita; as palavras que eu vos tenho dito são espírito e são vida.” (João 6:63 RA). ”Precisamos continuar unidos em oração, suplicando a chuva serôdia. Devemos experimentar arrependimento, conversão e perdão. Devemos ser reavivados de acordo com a Palavra de Deus.”

“As Escrituras nos convidam a pedir a Deus o Espírito Santo (Lc 11:13). Os discípulos acreditaram na promessa de Cristo, esperaram em unidade e oraram para que Ele fosse derramado (At 1:8, 14). A razão pela qual Deus nos pede que oremos pelo Espírito Santo não é que Ele não esteja disposto a nos dar o Espírito, mas porque não estamos preparados para recebê-Lo. Enquanto oramos pelo derramamento do Espírito Santo, Deus atua em nosso coração para nos conduzir a um arrependimento mais profundo. Orar em pequenos grupos com outros membros da igreja nos atrai para um mais íntimo vínculo de unidade e comunhão. A oração e o estudo da Bíblia preparam nossa mente para ser sensível ao ministério do Espírito Santo em nossa vida.”

“4. Qual é o resultado natural do reavivamento espiritual em nossa vida? Aonde todo reavivamento e reforma espirituais nos levam?” “Cria em mim, ó Deus, um coração puro e renova dentro de mim um espírito inabalável. Não me repulses da tua presença, nem me retires o teu Santo Espírito. Restitui-me a alegria da tua salvação e sustenta-me com um espírito voluntário. Então, ensinarei aos transgressores os teus caminhos, e os pecadores se converterão a ti.” (Salmos 51:10-13 RA); “Ao verem a intrepidez de Pedro e João, sabendo que eram homens iletrados e incultos, admiraram-se; e reconheceram que haviam eles estado com Jesus.” (Atos 4:13 RA); “pois nós não podemos deixar de falar das coisas que vimos e ouvimos.” (Atos 4:20 RA); “Eles, porém, ouvindo, se enfureceram e queriam matá-los.” (Atos 5:33 RA); “Entrementes, os que foram dispersos iam por toda parte pregando a palavra.” (Atos 8:4 RA). “Nosso coração é purificado e firmado; reencontramos a alegria da salvação e do testemunho; somos habilitados e encorajados a pregar o evangelho, mesmo em meio às perseguições.”

“Todo reavivamento espiritual e verdadeira reforma levam a um intenso desejo de testemunhar. Quando nosso coração está cheio de profunda gratidão por tudo o que Jesus fez por nós, então, como Pedro e João ‘não podemos deixar de falar das coisas que vimos e ouvimos’ (At 4:20). O derramamento do Espírito Santo na chuva temporã no dia de Pentecostes capacitou os discípulos para testemunhar com eficácia. O testemunho deles foi tão poderoso que uma turba rebelde em Tessalônica teve medo e clamou: ‘Estes que têm transtornado o mundo chegaram também aqui’ (At 17:6).”

“Assim como o derramamento do Espírito Santo no dia de Pentecostes habilitou os discípulos para ser grandes testemunhas para sua geração, o derramamento do Espírito Santo no poder da chuva serôdia capacitará a igreja de Deus para alcançar o mundo na geração final. Será necessário nada menos do que o poder da chuva serôdia para completar a missão divina na Terra, e Deus não oferece nada menos que isso. O dom mais precioso do Céu é oferecido em provisão infinita, a fim de realizar a tarefa mais urgente e importante confiada à Sua Igreja.”

“Os primeiros discípulos ‘viraram o mundo de cabeça para baixo’ com sua pregação e testemunho. Por que isso não é dito de nós?”

Terça-feira, 24 de setembro de 2013. Saiba mais, ouça o Comentário em áudio da Lição da Escola Sabatina (LES) ou se preferir faça um Curso Bíblico. Este conteúdo é uma adaptação da LES publicado simultaneamente no Blogspot e WordPress. Para impressão acesse arquivo em PDF

Chuva temporã e chuva serôdia

Lições da Bíblia.

“Tanto o Antigo quanto o Novo Testamento usam o simbolismo da água para representar o Espírito Santo. O profeta Isaías citou as palavras de nosso Senhor: ‘Derramarei água sobre o sedento […] derramarei o Meu Espírito sobre a tua posteridade’ (Is 44:3). Isaías usou um recurso literário hebraico chamado paralelismo. A segunda expressão da passagem explica a primeira. O profeta Joel também apresenta o simbolismo da água. Deus prometeu regar os campos de Israel. Então, declarou: ‘Acontecerá, depois, que derramarei o Meu Espírito sobre toda a carne’ (Jl 2:28). Jesus usou o simbolismo da água para representar o Espírito Santo.” ”Ora, no seu último dia, o grande dia da festa, Jesus pôs-se em pé e clamou, dizendo: Se alguém tem sede, venha a mim e beba. Quem crê em mim, como diz a Escritura, do seu interior correrão rios de água viva. Ora, isto ele disse a respeito do Espírito que haviam de receber os que nele cressem; pois o Espírito ainda não fora dado, porque Jesus ainda não tinha sido glorificado.” (João 7:37-39)

“2. Quais são os dois símbolos que os seguintes textos usam para representar derramamento do Espírito Santo? Como podemos entender o que eles significam?” “Não temas, ó terra, regozija-te e alegra-te, porque o SENHOR faz grandes coisas. Não temais, animais do campo, porque os pastos do deserto reverdecerão, porque o arvoredo dará o seu fruto, a figueira e a vide produzirão com vigor. Alegrai-vos, pois, filhos de Sião, regozijai-vos no SENHOR, vosso Deus, porque ele vos dará em justa medida a chuva; fará descer, como outrora, a chuva temporã e a serôdia. As eiras se encherão de trigo, e os lagares transbordarão de vinho e de óleo.” (Joel 2:21-24 RA); “E acontecerá, depois, que derramarei o meu Espírito sobre toda a carne; vossos filhos e vossas filhas profetizarão, vossos velhos sonharão, e vossos jovens terão visões; até sobre os servos e sobre as servas derramarei o meu Espírito naqueles dias. Mostrarei prodígios no céu e na terra: sangue, fogo e colunas de fumaça. O sol se converterá em trevas, e a lua, em sangue, antes que venha o grande e terrível Dia do SENHOR. E acontecerá que todo aquele que invocar o nome do SENHOR será salvo; porque, no monte Sião e em Jerusalém, estarão os que forem salvos, como o SENHOR prometeu; e, entre os sobreviventes, aqueles que o SENHOR chamar.” (Joel 2:28-32 RA); “Sede, pois, irmãos, pacientes, até à vinda do Senhor. Eis que o lavrador aguarda com paciência o precioso fruto da terra, até receber as primeiras e as últimas chuvas. Sede vós também pacientes e fortalecei o vosso coração, pois a vinda do Senhor está próxima.” (Tiago 5:7-8 RA). “Chuva temporã e chuva serôdia, que representam o poder do Espírito para começar e terminar a obra de Deus.”

“Nos tempos bíblicos, o trabalho de semear e arar ocorria a partir de meados de outubro, logo após a queda das primeiras chuvas, que faziam germinar a semente e alimentavam seu crescimento inicial. A última chuva caía no fim da primavera para amadurecer o fruto para a colheita. A colheita de cevada e outros cereais era um evento da primavera, seguida pela colheita das frutas, no verão e outono.”

“Deus usa o simbolismo das chuvas temporã e serôdia de duas maneiras. A primeira chuva do Espírito (temporã) caiu sobre os discípulos no Pentecostes, a fim de lançar a missão cristã. A chuva serôdia será derramada sobre a Igreja de Deus no fim dos tempos, para completar Sua missão na Terra. A expressão ‘chuva temporã’ também se refere à obra diária do Espírito de Deus, ao convencer, instruir, orientar e capacitar cada cristão. ‘Chuva serôdia’ é uma expressão usada para descrever uma dotação especial do Espírito Santo sobre a Igreja de Cristo antes da vinda de Jesus.”

“Sob a figura das chuvas temporã e serôdia, que caem nas terras orientais ao tempo da semeadura e da colheita, os profetas hebreus predisseram a dotação de graça espiritual em medida extraordinária à igreja de Deus. O derramamento do Espírito Santo nos dias dos apóstolos foi o começo da primeira chuva, ou temporã, e glorioso foi o resultado. […] Ao aproximar-se o fim da ceifa da Terra, uma concessão especial de graça espiritual é prometida a fim de preparar a igreja para a vinda do Filho do homem. Esse derramamento do Espírito Santo é comparado à queda da chuva serôdia. E é por esse poder adicional que os cristãos devem fazer suas petições ao Senhor da seara ‘no tempo da chuva serôdia’” (Zc 10:1; Ellen G. White, Atos dos Apóstolos, p. 54, 55).

Segunda-feira, 23 de setembro de 2013. Saiba mais, ouça o Comentário em áudio da Lição da Escola Sabatina (LES) ou se preferir faça um Curso Bíblico. Este conteúdo é uma adaptação da LES publicado simultaneamente no Blogspot e WordPress. Para impressão acesse arquivo em PDF

Do atrito ao perdão

Lições da Bíblia.

“O que é o perdão? O perdão justifica o comportamento de alguém que nos ofendeu terrivelmente? O perdão depende do arrependimento do ofensor? E se a pessoa com quem eu estou aborrecido não merece o perdão?”

“4. Como as seguintes passagens nos ajudam a compreender a natureza do perdão?” Mas Deus prova o seu próprio amor para conosco pelo fato de ter Cristo morrido por nós, sendo nós ainda pecadores. Logo, muito mais agora, sendo justificados pelo seu sangue, seremos por ele salvos da ira. Porque, se nós, quando inimigos, fomos reconciliados com Deus mediante a morte do seu Filho, muito mais, estando já reconciliados, seremos salvos pela sua vida; e não apenas isto, mas também nos gloriamos em Deus por nosso Senhor Jesus Cristo, por intermédio de quem recebemos, agora, a reconciliação.” (Romanos 5:8-11 RA); “Porque, se em lenho verde fazem isto, que será no lenho seco? E também eram levados outros dois, que eram malfeitores, para serem executados com ele. Quando chegaram ao lugar chamado Calvário, ali o crucificaram, bem como aos malfeitores, um à direita, outro à esquerda. Contudo, Jesus dizia: Pai, perdoa-lhes, porque não sabem o que fazem. Então, repartindo as vestes dele, lançaram sortes.” (Lucas 23:31-34 RA); “De sorte que somos embaixadores em nome de Cristo, como se Deus exortasse por nosso intermédio. Em nome de Cristo, pois, rogamos que vos reconcilieis com Deus. Aquele que não conheceu pecado, ele o fez pecado por nós; para que, nele, fôssemos feitos justiça de Deus. (2 Coríntios 5:20-21 RA); Irai-vos e não pequeis; não se ponha o sol sobre a vossa ira, nem deis lugar ao diabo. Aquele que furtava não furte mais; antes, trabalhe, fazendo com as próprias mãos o que é bom, para que tenha com que acudir ao necessitado. Não saia da vossa boca nenhuma palavra torpe, e sim unicamente a que for boa para edificação, conforme a necessidade, e, assim, transmita graça aos que ouvem. E não entristeçais o Espírito de Deus, no qual fostes selados para o dia da redenção.” (Efésios 4:26-30 RA). “Jesus nos perdoou e salvou mesmo sem merecermos. Assim precisamos perdoar os semelhantes, praticando a verdade, o perdão, a honestidade e a pureza.”

“Cristo tomou a iniciativa de nos reconciliar com Ele. É ‘a bondade de Deus [… que te] conduz ao arrependimento’ (Rm 2:4). Em Cristo, fomos reconciliados com Deus, sendo nós ainda pecadores. A reconciliação não foi produzida pelo nosso arrependimento e nossa confissão, mas pela morte de Cristo na cruz. Nossa parte é aceitar o que foi feito por nós.”

“É verdade que não podemos receber as bênçãos do perdão até confessarmos os pecados. Isso não significa que a confissão gera o perdão no coração de Deus. O perdão sempre esteve em Seu coração. Em vez disso, a confissão nos permite receber o perdão (1Jo 1:9). Ela é de vital importância, não porque mude a atitude de Deus para conosco, mas porque muda nossa atitude em relação a Ele. Quando nos submetemos ao poder de convencimento do Espírito Santo, nos arrependemos e confessamos os pecados, somos transformados.”

“O perdão também é muito importante para o bem-estar espiritual. A incapacidade de perdoar alguém que nos ofendeu, mesmo que a pessoa não mereça, pode prejudicar-nos mais do que a ela. Se alguém nos prejudicou e a dor nos consome por dentro porque não conseguimos perdoar, estamos permitindo que ela nos machuque ainda mais.”

“Perdão é libertar o outro da nossa condenação porque Cristo nos libertou da Sua condenação. Isso não justifica o comportamento da outra pessoa para conosco. Podemos ser reconciliados com alguém que nos ofendeu porque Cristo nos reconciliou consigo quando O ofendemos. Podemos perdoar porque somos perdoados. Podemos amar, porque somos amados. O perdão é uma escolha. Podemos escolher perdoar, apesar das ações e atitudes da outra pessoa. Esse é o verdadeiro espírito de Jesus.”

“Focalizar o perdão que recebemos em Cristo nos ajuda a perdoar os outros?”

Quarta-feira, 18 de setembro de 2013. Saiba mais, ouça o Comentário em áudio da Lição da Escola Sabatina (LES) ou se preferir faça um Curso Bíblico. Este conteúdo é uma adaptação da LES publicado simultaneamente no Blogspot e WordPress. Para impressão acesse arquivo em PDF