A Lei e os profetas

Lições da Bíblia

“4. Leia Neemias 9:23-31. Como os israelitas foram descritos em comparação com a grande bondade de Deus (Ne 9:25)? Assinale ‘V’ para verdadeiro ou ‘F’ para falso:”1

Neemias (9:23-31 ARA)2: “23 Multiplicaste os seus filhos como as estrelas do céu e trouxeste-os à terra de que tinhas dito a seus pais que nela entrariam para a possuírem. 24 Entraram os filhos e tomaram posse da terra; abateste perante eles os moradores da terra, os cananeus, e lhos entregaste nas mãos, como também os reis e os povos da terra, para fazerem deles segundo a sua vontade. 25 Tomaram cidades fortificadas e terra fértil e possuíram casas cheias de toda sorte de coisas boas, cisternas cavadas, vinhas e olivais e árvores frutíferas em abundância; comeram, e se fartaram, e engordaram, e viveram em delícias, pela tua grande bondade. 26 Ainda assim foram desobedientes e se revoltaram contra ti; viraram as costas à tua lei e mataram os teus profetas, que protestavam contra eles, para os fazerem voltar a ti; e cometeram grandes blasfêmias. 27 Pelo que os entregaste nas mãos dos seus opressores, que os angustiaram; mas no tempo de sua angústia, clamando eles a ti, dos céus tu os ouviste; e, segundo a tua grande misericórdia, lhes deste libertadores que os salvaram das mãos dos que os oprimiam. 28 Porém, quando se viam em descanso, tornavam a fazer o mal diante de ti; e tu os desamparavas nas mãos dos seus inimigos, para que dominassem sobre eles; mas, convertendo-se eles e clamando a ti, tu os ouviste dos céus e, segundo a tua misericórdia, os livraste muitas vezes. 29 Testemunhaste contra eles, para que voltassem à tua lei; porém eles se houveram soberbamente e não deram ouvidos aos teus mandamentos, mas pecaram contra os teus juízos, pelo cumprimento dos quais o homem viverá; obstinadamente deram de ombros, endureceram a cerviz e não quiseram ouvir. 30 No entanto, os aturaste por muitos anos e testemunhaste contra eles pelo teu Espírito, por intermédio dos teus profetas; porém eles não deram ouvidos; pelo que os entregaste nas mãos dos povos de outras terras. 31 Mas, pela tua grande misericórdia, não acabaste com eles nem os desamparaste; porque tu és Deus clemente e misericordioso.”

A. (   ) Como rebeldes, desobedientes e assassinos de profetas.
B. (   ) Como bondosos e misericordiosos.

Resposta sugestiva: V; F.

“A próxima parte da oração/sermão se concentra na vida em Canaã, quando os israelitas possuíram a terra que Deus havia lhes dado. Eles tinham recebido terras, cidades, vinhas e campos prontos para serem usados, mas não haviam dado o devido valor, tomando essas coisas como garantidas. No fim do verso 25 somos informados de que eles ‘comeram, e se fartaram, e engordaram’. Engordar é uma expressão encontrada apenas algumas vezes na Bíblia (Dt 32:15; Jr 5:28) e em todas essas ocasiões tem uma conotação negativa.”1

“O povo pode ter vivido ‘em delícias, pela [Sua] grande bondade’, mas não se deleitou em Deus; seu deleite estava nas coisas que tinha. Parece que possuir as coisas não produz uma caminhada íntima com Deus. Às vezes pensamos: ‘Se eu tivesse isso ou aquilo, seria feliz’. No entanto, os israelitas tinham tudo da parte de Deus, e, ainda assim, sua ‘felicidade’ naquelas coisas apenas os tornou menos devotos a Ele. É muito fácil nos concentrarmos nas dádivas e nos esquecermos do Doador. Esse é um engano fatal.”1

“Isso não significa que não podemos ficar felizes pelas coisas que Deus nos concede. Ele deseja que nos alegremos em Suas dádivas, mas essa alegria não garante um relacionamento com Ele. Se não formos cuidadosos, essas coisas podem se tornar uma pedra de tropeço.”1

“Nesse momento, os líderes confessaram que haviam sido infiéis a Deus. Ao examinarem sua história, eles mencionaram especificamente as transgressões que haviam cometido como nação. Alguns aspectos são especialmente importantes, pois são repetidos: (1) Israel rejeitou a Lei de Deus e (2) perseguiu os profetas.”1

“Em outras palavras, os israelitas perceberam que a Lei de Deus e Seus profetas eram essenciais para o desenvolvimento deles como nação piedosa e como indivíduos. A oração enfatiza essa conclusão, afirmando que, se um homem cumprisse os mandamentos de Deus, por eles viveria (Ne 9:29; veja Lv 18:5 [‘Portanto, os meus estatutos e os meus juízos guardareis; cumprindo-os, o homem viverá por eles. Eu sou o Senhor.’]). A prece destaca que foi o Espírito que falou por intermédio dos profetas. Deus nos deu Seus mandamentos para que tenhamos vida em abundância e enviou Seus profetas para nos guiar em nossa compreensão da verdade. O que fazemos com essas dádivas é uma questão essencial para nós.”1

Quarta-feira, 13 de novembro de 2019. Saiba mais, faça um Curso Bíblico

_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. Esdras e Neemias. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 498, out. nov. dez. 2019. Adulto, Professor. 
2 BÍBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

Transgredindo o espírito da Lei

Lições da Bíblia

“Restituí-lhes hoje, vos peço, as suas terras, as suas vinhas, os seus olivais e as suas casas, como também o centésimo do dinheiro, do trigo, do vinho e do azeite, que exigistes deles” (Ne 5:11).1

“Até hoje lutamos com a questão da riqueza, da pobreza e da desigualdade entre ricos e pobres e o que pode ser feito a respeito disso. Jesus disse que sempre teríamos os pobres conosco (Mt 26:11), mas isso não é uma desculpa para não fazermos nada para ajudá-los. Pelo contrário, as Escrituras nos advertem a fazer nossa parte no auxílio aos necessitados de acordo com nossas possibilidades. Caso contrário, não podemos ser chamados de cristãos.”

“É impressionante o aparecimento desse tema, em meio às provações e tribulações dos exilados que retornaram para reconstruir Jerusalém. E não apenas o assunto da pobreza e dos pobres, mas a questão ainda mais problemática dos ricos que os oprimiam. Esse já era um problema anterior ao exílio, e então, com o retorno à terra, ele reapareceu.”1

“Nesta semana observaremos outra manifestação desse antigo tema e como Neemias reagiu. Como veremos, o que tornava essa opressão ainda pior era o fato de estar sendo feita dentro da ‘letra da lei’, por assim dizer, um poderoso exemplo de como precisamos ter cuidado para não deixar que regras e regulamentos se tornem um fim em si mesmos, mas um meio para um fim, que é refletir o caráter de Jesus.”1

Sexta-feira, 26 de outubro de 2019. Saiba mais, faça um Curso Bíblico

_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. Esdras e Neemias. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 498, out. nov. dez. 2019. Adulto, Professor. 

A “mudança” da lei – Estudo adicional

Lições da Bíblia
 .
Assista em vídeo a discussão do tema da semana.

Estudo adicional

“O mesmo dragão, Satanás, que guerreou contra Deus no Céu (Ap 12:7) guerreia contra o povo de Deus na Terra, os que ‘guardam os mandamentos de Deus’ (Ap 12:17; 13:2, 4). Na verdade, o próprio Satanás também se torna objeto de adoração (Ap 13:4). Portanto, a guerra que o inimigo iniciou no Céu contra Deus, ele busca continuar na Terra. E o seu ataque à lei divina é fundamental à sua investida contra o Altíssimo.”1

“‘No quarto mandamento, Deus é revelado como Criador do Céu e da Terra, e por isso Se distingue de todos os falsos deuses. Foi para memória da obra da criação que o sétimo dia foi santificado como dia de repouso para o ser humano. Destinava-se a conservar o Deus vivo sempre diante da mente humana como a fonte de todo ser e objeto de reverência e culto. Satanás se esforça por desviar os homens de sua aliança com Deus e de prestarem obediência à Sua lei; dirige Seus esforços, portanto, especialmente contra o mandamento que aponta a Deus como o Criador’ (Ellen G. White, O Grande Conflito, p. 53, 54).”1

“Adoramos o Senhor porque Ele é o Criador dos ‘céus e da Terra’, e o sábado é o sinal fundamental de Sua criação, que remonta à própria semana da criação (veja Gn 2:1- 3). Não é de admirar que, em seu ataque à autoridade de Deus, Satanás ataque o sinal principal e fundamental dessa autoridade: o sábado.”1

“Nos últimos dias, o povo de Deus permanecerá firme e fiel em sua lealdade a Ele, uma lealdade manifestada na obediência aos Seus mandamentos – todos eles, incluindo aquele que especificamente revela o Senhor como Criador, o Único digno da nossa adoração.”1

Perguntas para discussão

“1. Qual é o problema dos que falam sobre a realidade do pecado e, no entanto, argumentam que a lei de Deus foi abolida? Qual é a grande incoerência desse raciocínio?”1

“2. Quais têm sido suas experiências com os que defendem o domingo em vez do sábado? Quais argumentos você usa? Eles são eficazes? Como pode refutar o argumento comum de que a guarda do sábado é uma tentativa de obter salvação pelas obras?”1

“3. Ao conversarmos com outras pessoas sobre o sábado e nos prepararmos para os eventos finais, por que é importante deixar claro que as provações em relação à ‘marca da besta’ ainda não aconteceram?”1

Sexta-feira, 11 de maio de 2018. Saiba mais, ouça o Comentário em áudio  da Lição da Escola Sabatina (LES) ou se preferir faça um Curso Bíblico.
_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. Preparação para o tempo do fim. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 492, abr. maio jun. 2018. Adulto, Professor.

 

A lei e o pecado

Lições da Bíblia

“No estudo de ontem, examinamos a passagem que fala sobre a realidade universal do pecado (Rm 7:15-25). Contudo, nos versos anteriores, Paulo destacou a lei, que mostra como o pecado é predominante e mortal.”1

“2. De acordo com Romanos 7:1 a 14, qual é a relação entre a lei e o pecado? O que esses versos também declaram sobre a impossibilidade de salvação pela lei?”1

Romanos (7:1-14 ARA)2: “1 Porventura, ignorais, irmãos (pois falo aos que conhecem a lei), que a lei tem domínio sobre o homem toda a sua vida? 2 Ora, a mulher casada está ligada pela lei ao marido, enquanto ele vive; mas, se o mesmo morrer, desobrigada ficará da lei conjugal. 3 De sorte que será considerada adúltera se, vivendo ainda o marido, unir-se com outro homem; porém, se morrer o marido, estará livre da lei e não será adúltera se contrair novas núpcias. 4 Assim, meus irmãos, também vós morrestes relativamente à lei, por meio do corpo de Cristo, para pertencerdes a outro, a saber, aquele que ressuscitou dentre os mortos, a fim de que frutifiquemos para Deus. 5 Porque, quando vivíamos segundo a carne, as paixões pecaminosas postas em realce pela lei operavam em nossos membros, a fim de frutificarem para a morte. 6 Agora, porém, libertados da lei, estamos mortos para aquilo a que estávamos sujeitos, de modo que servimos em novidade de espírito e não na caducidade da letra. 7 Que diremos, pois? É a lei pecado? De modo nenhum! Mas eu não teria conhecido o pecado, senão por intermédio da lei; pois não teria eu conhecido a cobiça, se a lei não dissera: Não cobiçarás. 8 Mas o pecado, tomando ocasião pelo mandamento, despertou em mim toda sorte de concupiscência; porque, sem lei, está morto o pecado. 9 Outrora, sem a lei, eu vivia; mas, sobrevindo o preceito, reviveu o pecado, e eu morri. 10 E o mandamento que me fora para vida, verifiquei que este mesmo se me tornou para morte. 11 Porque o pecado, prevalecendo-se do mandamento, pelo mesmo mandamento, me enganou e me matou. 12 Por conseguinte, a lei é santa; e o mandamento, santo, e justo, e bom. 13 Acaso o bom se me tornou em morte? De modo nenhum! Pelo contrário, o pecado, para revelar-se como pecado, por meio de uma coisa boa, causou-me a morte, a fim de que, pelo mandamento, se mostrasse sobremaneira maligno. 14 Porque bem sabemos que a lei é espiritual; eu, todavia, sou carnal, vendido à escravidão do pecado.”.

“Dois pontos cruciais surgem nesse ensinamento de Paulo. Em primeiro lugar, a lei não é o problema. Ela é santa, justa e boa (Rm 7:12). O problema é o pecado, que leva à morte. Outro ponto é que a lei não tem poder para nos salvar do pecado nem da morte. A lei aponta esse problema. No máximo, ela o torna ainda mais aparente, mas nada oferece para resolvê-lo.”1

“Somente um leitor superficial poderia usar esses versos para argumentar que a lei, os Dez Mandamentos, foi anulada, ignorando tantos outros textos que mostram que a lei ainda é válida hoje. Esse é o oposto do argumento de Paulo. Nada do que o apóstolo escreveu nessa passagem faria sentido se a lei fosse anulada. Seu argumento funciona sob o pressuposto de que a lei ainda é válida, pois ela aponta a realidade do pecado e a resultante necessidade do evangelho. ‘Que diremos, pois? É a lei pecado? De modo nenhum! Mas eu não teria conhecido o pecado, senão por intermédio da lei; pois não teria eu conhecido a cobiça, se a lei não dissera: Não cobiçarás’ (Rm 7:7).”1

“3. Leia com atenção Romanos 7:13. O que Paulo disse não apenas sobre a lei? Por que ela ainda é necessária? Assinale a alternativa correta:”1

Romanos (7:13 ARA)2: “Acaso o bom se me tornou em morte? De modo nenhum! Pelo contrário, o pecado, para revelar-se como pecado, por meio de uma coisa boa, causou-me a morte, a fim de que, pelo mandamento, se mostrasse sobremaneira maligno.

A.(  ) A lei é boa. Sem ela não saberíamos o que é o pecado.
B.(  ) A lei é má, pois revela o pecado, que é mau.

Resposta sugestiva: Alternativa A.

“A lei não produz morte, mas o pecado gera a morte. A lei mostra quanto o pecado é mortal. A lei é boa, na medida em que aponta o pecado. Porém, ela simplesmente não tem resposta para ele. Somente o evangelho tem. O argumento de Paulo é que, como cristãos salvos em Cristo, precisamos servir em ‘novidade de espírito’ (Rm 7:6); isto é, em um relacionamento de fé com Jesus, confiando em Seus méritos e em Sua justiça para a salvação.”1

“Sua experiência com a obediência à lei revela sua necessidade da graça de Deus?”1

Segunda-feira, 07 de maio de 2018. Saiba mais, ouça o Comentário em áudio  da Lição da Escola Sabatina (LES) ou se preferir faça um Curso Bíblico.
_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. Preparação para o tempo do fim. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 492, abr. maio jun. 2018. Adulto, Professor.
2 BIBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

A “mudança” da lei

Lições da Bíblia

Proferirá palavras contra o Altíssimo, magoará os santos do Altíssimo e cuidará em mudar os tempos e a lei; e os santos lhe serão entregues nas mãos, por um tempo, dois tempos e metade de um tempo” (Dn 7:25).1

“A lei de Deus é essencial à nossa compreensão dos eventos finais; mais especificamente, o quarto mandamento, que fala da guarda do sétimo dia, o sábado. Embora saibamos que a salvação ocorre unicamente pela fé e que a obediência à lei, inclusive ao mandamento do sábado, jamais pode trazer salvação, também entendemos que, nos últimos dias, a obediência à lei de Deus, inclusive o sábado, será um sinal exterior, uma marca de onde se encontra nossa verdadeira lealdade.”1

“Essa distinção se tornará especialmente óbvia em meio aos eventos culminantes do tempo do fim, retratados em Apocalipse 13 e 14, quando um conglomerado poderoso de forças religiosas e políticas se unirá para impor uma falsa forma de adoração aos habitantes do mundo. Tudo isso contrasta com Apocalipse 14:7, em que o povo de Deus é chamado a adorar ‘Aquele que fez o Céu, e a Terra, e o mar, e as fontes das águas’; isto é, adorar unicamente o Criador.1

“Nesta semana, examinaremos a lei de Deus, especialmente o mandamento do sábado. Abordaremos questões que envolvem a tentativa de mudança dessa lei e o que isso significa para nós, a quem o fim em breve virá.”1

Sábado, 05 de maio de 2018. Saiba mais, ouça o Comentário em áudio  da Lição da Escola Sabatina (LES) ou se preferir faça um Curso Bíblico.
_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. Preparação para o tempo do fim. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 492, abr. maio jun. 2018. Adulto, Professor.

A lei e o evangelho

Lições da Bíblia

“Como adventistas do sétimo dia, carregamos em nosso nome muito do que defendemos. A expressão ‘sétimo dia’ representa o sábado (o sétimo dia da semana), o que indica nossa crença não apenas nesse único mandamento, mas, por implicação, em todos os Dez Mandamentos. A palavra ‘adventista’ indica a nossa crença no segundo advento de Jesus, uma verdade que só pode existir por causa de Sua morte expiatória em Seu primeiro advento. Portanto, nosso nome, ‘adventistas do sétimo dia’, mostra dois elementos cruciais e inseparáveis da verdade presente: a lei e o evangelho.”

“5. Como estes textos indicam a estreita ligação entre a lei e o evangelho?”

Jr 44:23 “Pois queimastes incenso e pecastes contra o SENHOR, não obedecestes à voz do SENHOR e na sua lei e nos seus testemunhos não andastes; por isso, vos sobreveio este mal, como hoje se vê.2

Rm 3:20-26 “20 visto que ninguém será justificado diante dele por obras da lei, em razão de que pela lei vem o pleno conhecimento do pecado. 21 Mas agora, sem lei, se manifestou a justiça de Deus testemunhada pela lei e pelos profetas; 22 justiça de Deus mediante a fé em Jesus Cristo, para todos [e sobre todos] os que creem; porque não há distinção, 23 pois todos pecaram e carecem da glória de Deus, 24 sendo justificados gratuitamente, por sua graça, mediante a redenção que há em Cristo Jesus, 25 a quem Deus propôs, no seu sangue, como propiciação, mediante a fé, para manifestar a sua justiça, por ter Deus, na sua tolerância, deixado impunes os pecados anteriormente cometidos; 26 tendo em vista a manifestação da sua justiça no tempo presente, para ele mesmo ser justo e o justificador daquele que tem fé em Jesus.2

Rm 7:7 “Que diremos, pois? É a lei pecado? De modo nenhum! Mas eu não teria conhecido o pecado, senão por intermédio da lei; pois não teria eu conhecido a cobiça, se a lei não dissera: Não cobiçarás.2

“O evangelho são as boas-novas de que, apesar de termos pecado no sentido de que quebramos a lei de Deus, mediante a fé no que Cristo fez por nós na cruz, podemos ser perdoados dos nossos pecados, da transgressão de Sua lei. Além disso, recebemos o poder de obedecer a essa lei de maneira plena e completa.”1

“Não é de admirar que, no contexto dos últimos dias, à medida que o grande conflito devasta o mundo com especial violência, o povo de Deus seja retratado de maneira muito específica.”1

“6. Leia Apocalipse 14:12. Qual é a ligação entre a lei e o evangelho? Complete as lacunas:”1

 “Aqui está a ___________________ dos santos, os que guardam os ______________________ de Deus e a fé em ________________________”.

Apocalipse (14:12 ARA)2: “Aqui está a perseverança dos santos, os que guardam os mandamentos de Deus e a fé em Jesus.

“Como podemos mostrar aos outros que a obediência à lei não é legalismo, mas o resultado natural da salvação que recebemos e que nos leva a amar o Senhor? Deuteronômio 11:1 [‘Amarás, pois, o SENHOR, teu Deus, e todos os dias guardarás os seus preceitos, os seus estatutos, os seus juízos e os seus mandamentos.’]2 e 1 João 5:3 [‘Porque este é o amor de Deus: que guardemos os seus mandamentos; ora, os seus mandamentos não são penosos,’]2 reforçam esse argumento?1

Quinta-feira, 05 de abril de 2018. Saiba mais, ouça o Comentário em áudio  da Lição da Escola Sabatina (LES) ou se preferir faça um Curso Bíblico.
_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. Preparação para o tempo do fim. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 492, abr. maio jun. 2018. Adulto, Professor.
2 BIBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

Cristo e a lei

Lições da Bíblia

“1. Leia Romanos 10:1-4. Qual é a mensagem desses versos? Assinale a alternativa correta e reflita sobre como poderíamos, hoje, correr o risco de procurar estabelecer nossa ‘própria justiça’.”

Romanos (10:1-4 ARA)2: “1 Irmãos, a boa vontade do meu coração e a minha súplica a Deus a favor deles são para que sejam salvos. 2 Porque lhes dou testemunho de que eles têm zelo por Deus, porém não com entendimento. 3 Porquanto, desconhecendo a justiça de Deus e procurando estabelecer a sua própria, não se sujeitaram à que vem de Deus. 4 Porque o fim da lei é Cristo, para justiça de todo aquele que crê.

A.( ) A justiça de Cristo não é suficiente para nos cobrir, portanto precisamos da nossa própria justiça.
B.( ) Devemos nos sujeitar à justiça de Deus, pois não temos justiça em nós mesmos.

Resposta sugestiva: Alternativa B.

“O legalismo pode vir de muitas formas, algumas mais sutis do que outras. Aqueles que olham, mesmo com as melhores intenções, para si mesmos, para suas boas ações, dieta, estrita observância do sábado, todas as coisas ruins que não fazem, ou as coisas boas que já alcançaram, estão caindo na armadilha do legalismo. Em cada momento da nossa vida, devemos manter diante de nós a santidade de Deus em contraste com nossa pecaminosidade; esse é o meio mais seguro de nos proteger do tipo de pensamento que leva as pessoas a buscar sua ‘própria justiça’, contrária à justiça de Cristo.”

“Romanos 10:4 é um texto importante que capta a essência de toda a mensagem de Paulo aos romanos. Primeiramente, precisamos conhecer o contexto. Muitos judeus estavam ‘procurando estabelecer a sua própria [justiça]’ (Rm 10:3) e buscando ‘a justiça decorrente da lei’ (Rm 10:5). Porém, com a vinda do Messias, o verdadeiro caminho da justiça foi apresentado. A justiça foi oferecida a todos que fixassem sua fé em Cristo. Jesus era Aquele para quem o antigo sistema cerimonial apontava.”1

“Mesmo que alguém inclua, nesses versos, os Dez Mandamentos na definição de lei, isso não significa que eles foram eliminados. A lei moral mostra nossos pecados, falhas, fraquezas e, assim, leva-nos à nossa necessidade de um Salvador, de perdão, de justiça (sendo todas essas coisas encontradas somente em Jesus). Nesse sentido, Cristo é o ‘fim’ da lei, no sentido de que ela nos leva a Ele e à Sua justiça. A palavra grega para ‘fim’ aqui é telos, que também pode ser traduzida como ‘meta’ ou ‘propósito’. Cristo é o propósito final da lei, no sentido de que ela deve nos levar a Jesus.”1

“Entender que esse texto ensina que os Dez Mandamentos, ou especificamente o quarto mandamento, tornaram-se inválidos, é tirar uma conclusão contrária a grande parte daquilo que Paulo e o Novo Testamento ensinam.”1

“Você já se sentiu orgulhoso por ser bom, especialmente em comparação com os outros? Talvez você seja ‘melhor’, mas e daí? Compare-se com Cristo e pense em quanto você realmente é ‘bom’.”1

Domingo, 10 de dezembro de 2017. Saiba mais, ouça o Comentário em áudio  da Lição da Escola Sabatina (LES) ou se preferir faça um Curso Bíblico.
_______________
1 LIÇÃO da escola sabatina. Salvação somente pela fé: o livro de Romanos. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 490, Out. Nov. Dez. 2017. Adulto, Professor.
2 BIBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.