A restauração do relacionamento com Deus

Lições da Bíblia.

“’Antes que o pecado entrasse no mundo, Adão vivia em plena comunhão com seu Criador’ (Ellen G. White, O Grande Conflito, p. 7). No entanto, depois da queda esse relacionamento íntimo foi radicalmente alterado, em muitos aspectos.”

“9. Leia Gênesis 3:24, Êxodo 33:20 e Deuteronômio 5:24-26. Qual foi o efeito do pecado sobre o relacionamento estreito que havia entre a humanidade e Deus?” E, expulso o homem, colocou querubins ao oriente do jardim do Éden e o refulgir de uma espada que se revolvia, para guardar o caminho da árvore da vida.” (Gênesis 3:24 RA); “E acrescentou: Não me poderás ver a face, porquanto homem nenhum verá a minha face e viverá.” (Êxodo 33:20 RA) “e dissestes: Eis aqui o SENHOR, nosso Deus, nos fez ver a sua glória e a sua grandeza, e ouvimos a sua voz do meio do fogo; hoje, vimos que Deus fala com o homem, e este permanece vivo. Agora, pois, por que morreríamos? Pois este grande fogo nos consumiria; se ainda mais ouvíssemos a voz do SENHOR, nosso Deus, morreríamos. Porque quem há, de toda carne, que tenha ouvido a voz do Deus vivo falar do meio do fogo, como nós ouvimos, e permanecido vivo?” (Deuteronômio 5:24-26 RA). “O homem foi expulso do Jardim do Éden e perdeu a comunicação face a face com Deus. O ser humano ficou com medo da presença gloriosa de Deus.”

O pecado havia rompido o relacionamento entre Deus e a humanidade. O Senhor afastou o casal de Sua presença para sua própria proteção. Os seres humanos não mais podiam ver a face de Deus e viver.

“O Senhor, porém, por Sua iniciativa, apresentou o plano da salvação, por meio do qual o relacionamento quebrado poderia ser restaurado, mesmo a um custo terrível para Si mesmo.”

“10. Leia João 14:1-3 e Apocalipse 22:3-5. Que promessa Jesus estendeu a Seus discípulos antes de ser crucificado e qual será o resultado?” “Não se turbe o vosso coração; credes em Deus, crede também em mim. Na casa de meu Pai há muitas moradas. Se assim não fora, eu vo-lo teria dito. Pois vou preparar-vos lugar. E, quando eu for e vos preparar lugar, voltarei e vos receberei para mim mesmo, para que, onde eu estou, estejais vós também.” (João 14:1-3 RA); Nunca mais haverá qualquer maldição. Nela, estará o trono de Deus e do Cordeiro. Os seus servos o servirão, contemplarão a sua face, e na sua fronte está o nome dele. Então, já não haverá noite, nem precisam eles de luz de candeia, nem da luz do sol, porque o Senhor Deus brilhará sobre eles, e reinarão pelos séculos dos séculos.” (Apocalipse 22:3-5 RA). “Jesus foi preparar um lugar e voltará para nos levar para a casa de Seu Pai a fim de que estejamos para sempre com Ele. Nesse lugar não mais haverá maldição. Ali veremos o Senhor face a face e reinaremos com Ele.”

“Deus e a humanidade precisam ser reconciliados e estar mais uma vez face a face. A Terra ficará sem maldição nenhuma e tudo o que foi perdido será restaurado. Os remidos receberão um novo ambiente, nova vida, novo domínio, nova paz com o restante da criação e novo relacionamento com Deus. O propósito original por trás da criação da humanidade será então cumprido. Deus, a humanidade e a criação estarão em harmonia. Essa harmonia durará para sempre.”

“Mesmo agora, antes da recriação do céu e da Terra, como podemos aprender a desfrutar comunhão íntima com Deus? Quais escolhas que fazemos afetam nosso relacionamento com Deus, seja de maneira positiva ou negativa?”

Saiba mais, estude a Lição da Escola Sabatina (LES) – quinta-feira 28 de março de 2013. Escolha o formato para o estudo: Texto, Comentário em áudio ou se preferir faça um Curso Bíblico. Este conteúdo é uma adaptação da LES e é publicado simultaneamente em: Blogspot, WordPress. Para impressão acesse arquivo em PDF

Mais restauração

Lições da Bíblia.

“No mundo que conhecemos, a predação (matar outra espécie para se alimentar dela) é uma forma de vida comum entre os animais. A expressão ‘cadeia alimentar’ é um lembrete familiar sobre a importância da predação em nossa ecologia e temos dificuldade de imaginar um mundo sem ela. Mas, no princípio, todas as criaturas terrestres comiam ervas verdes (‘E a todos os animais da terra, e a todas as aves dos céus, e a todos os répteis da terra, em que há fôlego de vida, toda erva verde lhes será para mantimento. E assim se fez.’ Gênesis 1:30 RA). Nenhum animal se alimentava de outros animais. Gênesis 1:30 não menciona o alimento das criaturas do mar, mas os mesmos princípios provavelmente possam ser aplicados a eles, de modo que Deus pudesse avaliar toda a criação e declará-la ‘muito [boa]’.”

“7. Leia Gênesis 6:11-13 e 9:2-4. No tempo do Dilúvio, que mudanças haviam ocorrido na natureza? Após o Dilúvio, que outra deterioração aconteceu no relacionamento entre homens e animais?” A terra estava corrompida à vista de Deus e cheia de violência. Viu Deus a terra, e eis que estava corrompida; porque todo ser vivente havia corrompido o seu caminho na terra. Então, disse Deus a Noé: Resolvi dar cabo de toda carne, porque a terra está cheia da violência dos homens; eis que os farei perecer juntamente com a terra.” (Gênesis 6:11-13 RA); Pavor e medo de vós virão sobre todos os animais da terra e sobre todas as aves dos céus; tudo o que se move sobre a terra e todos os peixes do mar nas vossas mãos serão entregues. Tudo o que se move e vive ser-vos-á para alimento; como vos dei a erva verde, tudo vos dou agora. Carne, porém, com sua vida, isto é, com seu sangue, não comereis.” (Gênesis 9:2-4 RA). “A Terra estava corrompida e cheia de violência. Os seres viventes se haviam corrompido. Depois do Dilúvio, os animais ficaram com medo do ser humano, os homens passaram a se alimentar dos animais.”

“O que havia começado como um reino de paz se tornou cheio de corrupção, violência e perversidade. Esses são os resultados do pecado. O mundo que antes era ‘muito bom’ se tornou tão ruim que sua própria destruição foi necessária.”

“Depois do Dilúvio, os animais ficaram com medo dos seres humanos. Isso incluiu as criaturas da terra, do ar e do mar. Isso está, obviamente, em contraste com a situação anterior. Parece que, nesse tempo, o domínio dos seres humanos sobre os animais foi reduzido.”

“8. Leia Isaías 65:25 e 11:6-9. Qual é a diferença entre os relacionamentos das criaturas no nosso mundo atual e os relacionamentos prometidos por Deus para o futuro?” O lobo e o cordeiro pastarão juntos, e o leão comerá palha como o boi; pó será a comida da serpente. Não se fará mal nem dano algum em todo o meu santo monte, diz o SENHOR.” (Isaías 65:25 RA); O lobo habitará com o cordeiro, e o leopardo se deitará junto ao cabrito; o bezerro, o leão novo e o animal cevado andarão juntos, e um pequenino os guiará. A vaca e a ursa pastarão juntas, e as suas crias juntas se deitarão; o leão comerá palha como o boi. A criança de peito brincará sobre a toca da áspide, e o já desmamado meterá a mão na cova do basilisco. Não se fará mal nem dano algum em todo o meu santo monte, porque a terra se encherá do conhecimento do SENHOR, como as águas cobrem o mar.” (Isaías 11:6-9 RA). “O lobo e o cordeiro pastarão juntos, o leão comerá palha como o boi, não haverá o mal, as crianças guiarão esses animais, os quais serão inofensivos, ao contrário da realidade deste mundo violento.”

“Por meio da beleza dessa linguagem poética, Isaías mostra que não haverá violência no novo mundo. Corrupção e violência, as características do mundo antediluviano que exigiram sua destruição, não existirão na Nova Terra. Será um mundo de harmonia e cooperação, um reino de paz. Estamos tão acostumados com violência, predação e morte que é difícil imaginar algo diferente.”

“Como podemos ver, o evangelho está muito relacionado com restauração. Embora só Deus possa realizar a restauração final, que escolhas podemos fazer que podem ajudar a promover uma restauração necessária agora?”

Saiba mais, estude a Lição da Escola Sabatina (LES) – quarta-feira 27 de março de 2013. Escolha o formato para o estudo: Texto, Comentário em áudio ou se preferir faça um Curso Bíblico. Este conteúdo é uma adaptação da LES e é publicado simultaneamente em: Blogspot, WordPress. Para impressão acesse arquivo em PDF

Um novo começo

Lições da Bíblia.

“Uma coisa que a ciência e a Bíblia têm em comum é a crença de que a Terra, como a conhecemos agora, não durará para sempre. Para a ciência (pelo menos algumas versões dela), as forças frias e sem sentido do acaso, que trouxeram à existência a Terra e a vida que nela existe, são as mesmas forças que irão, finalmente, destruí-la. A Bíblia também ensina que a Terra não durará para sempre, mas, de fato, será destruída. No entanto, no cenário oferecido pela ciência, essa destruição será o fim de tudo ‘para sempre’. Em contraste com isso, no cenário bíblico, será o início de algo novo e maravilhoso, e que durará ‘para sempre’.”

“1. Leia Apocalipse 21:1-5. Que quadro do futuro é apresentado aqui? Que promessas maravilhosas nos esperam? Por que isso é algo que só Deus pode fazer por nós?” “Vi novo céu e nova terra, pois o primeiro céu e a primeira terra passaram, e o mar já não existe. Vi também a cidade santa, a nova Jerusalém, que descia do céu, da parte de Deus, ataviada como noiva adornada para o seu esposo. Então, ouvi grande voz vinda do trono, dizendo: Eis o tabernáculo de Deus com os homens. Deus habitará com eles. Eles serão povos de Deus, e Deus mesmo estará com eles. E lhes enxugará dos olhos toda lágrima, e a morte já não existirá, já não haverá luto, nem pranto, nem dor, porque as primeiras coisas passaram. E aquele que está assentado no trono disse: Eis que faço novas todas as coisas. E acrescentou: Escreve, porque estas palavras são fiéis e verdadeiras.” (Apocalipse 21:1-5 RA). “Um novo céu e uma nova Terra; o mar já não existe. A santa cidade preparada como noiva adornada para seu esposo. Deus habitará com Seu povo. Ele enxugará dos olhos toda lágrima, e a morte já não existirá, já não haverá luto, nem pranto, nem dor. Só Deus poderá realizar esses milagres.”

“Sem dúvida, uma das melhores promessas da nossa nova existência é que a morte e o sofrimento desaparecerão para sempre. É claro que Deus não considera positivas essas experiências. Elas não estavam na criação que Deus declarou ‘muito [boa]’ (Gn 1:31). Elas são intrusas; nunca foram planejadas como parte da criação original, e tampouco farão parte da nova criação. Jesus veio para destruir essas coisas, e não teremos que experimentá-las novamente.”

“A nova criação traz um novo começo. A experiência miserável com o pecado terá fim. Os resultados do pecado existem e são claros: morte e sofrimento. A lei de Deus é a lei da vida.”

“Como Deus criou os céus e a Terra no princípio, Ele criará um novo céu e uma nova Terra, e com eles um novo começo nos será concedido. Somente Deus, o Criador, pode fazer isso por nós. E tudo isso ocorrerá por meio da obra de Jesus em nosso favor. Sem o plano da salvação, não teríamos nenhuma esperança de algo além do que esta vida oferece agora, um pensamento bastante desanimador.”

“Por que essas promessas de uma nova existência são tão importantes para nós? Sem elas, o que seria da nossa fé?”

Saiba mais, estude a Lição da Escola Sabatina (LES) – domingo 24 de março de 2013. Escolha o formato para o estudo: Texto, Comentário em áudio ou se preferir faça um Curso Bíblico. Este conteúdo é uma adaptação da LES e é publicado simultaneamente em: Blogspot, WordPress. Para impressão acesse arquivo em PDF

Recriação

Lições da Bíblia.

“Nós, porém, segundo a Sua promessa, esperamos novos céus e nova Terra, nos quais habita justiça” (2Pe 3:13).

“O novo céu e nova Terra culminam um grande processo de redenção iniciado no Éden.”

“Virá, entretanto, como ladrão, o Dia do Senhor, no qual os céus passarão com estrepitoso estrondo, e os elementos se desfarão abrasados; também a terra e as obras que nela existem serão atingidas. Visto que todas essas coisas hão de ser assim desfeitas, deveis ser tais como os que vivem em santo procedimento e piedade, esperando e apressando a vinda do Dia de Deus, por causa do qual os céus, incendiados, serão desfeitos, e os elementos abrasados se derreterão. Nós, porém, segundo a sua promessa, esperamos novos céus e nova terra, nos quais habita justiça.” (2 Pedro 3:10-13 RA).

“Em 2 Pedro 3:10-13, o apóstolo descreve o destino do céu e da Terra. Ambos, com tudo o que contêm, serão destruídos. Mas isso não será o fim da história, de maneira nenhuma, porque um novo céu e uma nova Terra serão criados em seu lugar. Considere o contraste entre as duas existências. O pecado tem o domínio na antiga existência. Na nova, habita a justiça. A morte reina na antiga, e a vida, na nova. O contraste não poderia ser mais marcante nem mais absoluto.”

“Como podemos ver nessas promessas, também, a função de Deus como Criador não terminou com a primeira criação da Terra. Ela tampouco termina com a obra que Ele faz em nós, para nos tornar novas criaturas em Cristo. Não, ela continua. O mesmo Senhor que pelo poder sobrenatural da Sua Palavra criou o mundo uma vez, vai criá-lo novamente e, de igual maneira, com Seu poder sobrenatural.”

“De fato, sem esse último ato de criação, todos os anteriores seriam inúteis. Os novos céus e a nova Terra são o ponto mais elevado das promessas de Deus para nós.”

Saiba mais, estude a Lição da Escola Sabatina (LES) – sábado 23 de março de 2013. Escolha o formato para o estudo: Texto, Comentário em áudio ou se preferir faça um Curso Bíblico. Este conteúdo é uma adaptação da LES e é publicado simultaneamente em: Blogspot, WordPress. Para impressão acesse arquivo em PDF

Quando tudo se fizer novo – Vídeo

Lições da Bíblia.

Assista em vídeo a discussão do tema da semana.

“No culto típico, o sumo sacerdote, havendo feito expiação por Israel, saía e abençoava a congregação. Assim Cristo, no fim de Sua obra de mediador, aparecerá, ‘sem pecado, … para a salvação’ (Hb 9:28), a fim de abençoar com a vida eterna Seu povo que O espera. Como o sacerdote, ao remover do santuário os pecados, confessava-os sobre a cabeça do bode emissário, semelhantemente Cristo porá todos esses pecados sobre Satanás, o originador e instigador do pecado.”

“O bode emissário, levando os pecados de Israel, era enviado ‘à terra solitária’ (Lv 16:22, RC); de igual modo Satanás, levando a culpa de todos os pecados que induziu o povo de Deus a cometer, estará durante mil anos circunscrito à Terra, que então se achará desolada, sem moradores, e ele sofrerá finalmente a pena completa do pecado, nos fogos que destruirão todos os ímpios’ (O Grande Conflito, p. 485, 486).”

Perguntas para reflexão

“1. Há três posições básicas (com algumas variações) a respeito do milênio dentro da igreja cristã: (1) A ideia de que ele representa a era entre o primeiro e o segundo advento de Cristo; (2) Ele é um longo período de paz e justiça na Terra antes do aparecimento de Cristo, provocado em parte por causa da pregação do evangelho e de reformas sociais; (3) O milênio, um período de mil anos, ocorrerá após a volta de Cristo e acontecerá no Céu. Os Adventistas do Sétimo Dia aceitam a terceira posição, com o milênio se desdobrando no Céu, não na Terra (como alguns erroneamente acreditam). Que problemas as outras opções apresentam?”

2. Leia Apocalipse 21:27 [‘Nela, nunca jamais penetrará coisa alguma contaminada, nem o que pratica abominação e mentira, mas somente os inscritos no Livro da Vida do Cordeiro.’]. O que você entende sobre essa exclusão da Nova Jerusalém? Que outras coisas serão excluídas dali, e por quê?

Saiba mais, estude a Lição da Escola Sabatina (LES) – sexta-feira 28 de dezembro de 2012. Escolha o formato para o estudo: Texto, Comentário em áudio ou se preferir faça um Curso Bíblico. Este conteúdo é uma adaptação da LES e é publicado simultaneamente em: Blogspot, WordPress. Para impressão acesse arquivo em PDF

A Nova Terra

Lições da Bíblia.

“8. De que forma a incrível presença de Deus modificará a experiência dos habitantes da Nova Terra?” “Então, ouvi grande voz vinda do trono, dizendo: Eis o tabernáculo de Deus com os homens. Deus habitará com eles. Eles serão povos de Deus, e Deus mesmo estará com eles. (Apoc. 21:3). “Seres finitos habitarão com o Ser infinito; teremos tudo, porque o Criador estará conosco; sempre teremos vida, amor, luz e alegria. A vida será melhor do que tudo que já experimentamos no pecado.”

“Talvez não haja, em toda a Bíblia, uma visão tão inspiradora quanto essa, apresentada por João, o revelador. A Nova Terra será não apenas o lar das criaturas humanas, mas também de Deus. O Criador do Universo, santo e transcendente, agraciará com Sua presença a comunidade dos redimidos. Deus sempre permanecerá distinto de Suas criaturas, mas na Nova Terra, a separação entre Deus e a humanidade, provocada pelo pecado, será removida.”

“Além disso, a verdadeira comunhão será restaurada, não apenas entre Deus e os seres humanos, mas entre os humanos e a natureza, e dentro da própria natureza. João diz que ali não mais haverá maldição (Ap 22:3), e a expectativa profética da cessação da hostilidade no mundo animal também será cumprida (Is 65:25).”

“Além da restauração da comunhão completa, a eliminação do ‘gemido da criação’ significa que todas as coisas prejudiciais (decadência, doença, morte e sofrimento) serão coisas do passado (‘na esperança de que a própria criação será redimida do cativeiro da corrupção, para a liberdade da glória dos filhos de Deus.’ Rom. 8:21; ‘E lhes enxugará dos olhos toda lágrima, e a morte já não existirá, já não haverá luto, nem pranto, nem dor, porque as primeiras coisas passaram.’ Apoc. 21:4).”

“9. Leia o Salmo 8. Qual é a mensagem para nós nesse texto, especialmente à luz do que estudamos neste trimestre?” Ó SENHOR, Senhor nosso, quão magnífico em toda a terra é o teu nome! Pois expuseste nos céus a tua majestade. Da boca de pequeninos e crianças de peito suscitaste força, por causa dos teus adversários, para fazeres emudecer o inimigo e o vingador. Quando contemplo os teus céus, obra dos teus dedos, e a lua e as estrelas que estabeleceste, que é o homem, que dele te lembres E o filho do homem, que o visites? Fizeste-o, no entanto, por um pouco, menor do que Deus e de glória e de honra o coroaste. Deste-lhe domínio sobre as obras da tua mão e sob seus pés tudo lhe puseste: ovelhas e bois, todos, e também os animais do campo; as aves do céu, e os peixes do mar, e tudo o que percorre as sendas dos mares. Ó SENHOR, Senhor nosso, quão magnífico em toda a terra é o teu nome!” (Sal. 8) “Em meio ao pecado e ao conflito entre Deus e Seus inimigos, podemos perceber a glória de Deus na natureza, na Bíblia e na história; Ele Se preocupa com os pecadores e tem um plano para cada pessoa.”

“Muitas são as implicações da presença de Deus para a vida na Nova Terra, especialmente porque a ciência tem revelado, como nunca antes, o tamanho e a extensão da criação de Deus. O tamanho estimado do Universo ‘visível’ é de muitos bilhões de anos-luz. No entanto, os cientistas agora especulam que esse Universo imenso e vasto representa apenas cerca de sete por cento do que realmente existe!”

“Reflita: O Criador não apenas morreu por nós, mas habitará conosco pela eternidade! Em algum ponto, por causa dos limites de nossa mente caída, temos que parar de tentar pensar sobre isso de forma racional e, em lugar disso, devemos nos ajoelhar, adorar e louvar Aquele que não somente nos criou, mas nos redimiu, e promete viver conosco eternamente.”

Saiba mais, estude a Lição da Escola Sabatina (LES) – quinta-feira 27 de dezembro de 2012. Escolha o formato para o estudo: Texto, Comentário em áudio ou se preferir faça um Curso Bíblico. Este conteúdo é uma adaptação da LES e é publicado simultaneamente em: Blogspot, WordPress. Para impressão acesse arquivo em PDF

A Nova Terra

Lições da Bíblia.

“Apocalipse 20 termina com a eliminação de Satanás e suas hostes. Apocalipse 21 começa com a visão de um novo céu e uma nova Terra.”

“6. Apocalipse 21:1-5 traz a promessa de que Deus fará novas todas as coisas. De que forma isso reflete o relato da criação? (Gênesis 1; 2). Quais são as diferenças? Vi novo céu e nova terra, pois o primeiro céu e a primeira terra passaram, e o mar já não existe. Vi também a cidade santa, a nova Jerusalém, que descia do céu, da parte de Deus, ataviada como noiva adornada para o seu esposo. Então, ouvi grande voz vinda do trono, dizendo: Eis o tabernáculo de Deus com os homens. Deus habitará com eles. Eles serão povos de Deus, e Deus mesmo estará com eles. E lhes enxugará dos olhos toda lágrima, e a morte já não existirá, já não haverá luto, nem pranto, nem dor, porque as primeiras coisas passaram. E aquele que está assentado no trono disse: Eis que faço novas todas as coisas. E acrescentou: Escreve, porque estas palavras são fiéis e verdadeiras.” (Apoc. 21:1-5). “Na primeira criação, a Terra era totalmente nova; a redenção será o processo de renovar e recriar a Terra destruída pelo pecado; o lar da humanidade era o jardim do Éden; na Nova Terra será a Jerusalém celestial; na criação, Deus apenas visitava a Terra; na recriação, Seu trono será na Terra; a Nova Terra não conhecerá o pecado, que trouxe sofrimento à primeira Terra. Espiritualmente, a Nova Terra será semelhante à antiga Terra antes do pecado. Só Deus pode renovar Sua criação.”

“A palavra traduzida como ‘novo’ em Apocalipse 21:1 enfatiza algo novo na forma ou na qualidade, em vez de novo, como em um ‘novo’ evento no tempo. O propósito de Deus na criação de Gênesis não será realizado até que a promessa de fazer novas todas as coisas seja cumprida na Nova Terra. Por isso, toda a criação geme e anseia por libertação (‘Pois a criação está sujeita à vaidade, não voluntariamente, mas por causa daquele que a sujeitou, na esperança de que a própria criação será redimida do cativeiro da corrupção, para a liberdade da glória dos filhos de Deus. Porque sabemos que toda a criação, a um só tempo, geme e suporta angústias até agora.’ Rom. 8:20-22). A nova criação de Deus consistirá em libertar o Universo e a Terra de seu atual estado de imperfeição, e colocá-los em conformidade com Seu desígnio. Consequentemente, enquanto a nova criação será diferente da antiga, haverá alguma continuidade entre as duas. Como a antiga, a nova Terra será um lugar real, tangível, habitado por seres reais, físicos. A Nova Terra será o nosso planeta renovado, purificado, por assim dizer, pelo fogo (‘Virá, entretanto, como ladrão, o Dia do Senhor, no qual os céus passarão com estrepitoso estrondo, e os elementos se desfarão abrasados; também a terra e as obras que nela existem serão atingidas. Visto que todas essas coisas hão de ser assim desfeitas, deveis ser tais como os que vivem em santo procedimento e piedade, esperando e apressando a vinda do Dia de Deus, por causa do qual os céus, incendiados, serão desfeitos, e os elementos abrasados se derreterão. Nós, porém, segundo a sua promessa, esperamos novos céus e nova terra, nos quais habita justiça.’ 2 Ped. 3:10-13).”

“7. De que forma João retrata os aspectos físicos da Nova Jerusalém, a capital da Nova Terra?” “a qual tem a glória de Deus. O seu fulgor era semelhante a uma pedra preciosíssima, como pedra de jaspe cristalina. Tinha grande e alta muralha, doze portas, e, junto às portas, doze anjos, e, sobre elas, nomes inscritos, que são os nomes das doze tribos dos filhos de Israel. Três portas se achavam a leste, três, ao norte, três, ao sul, e três, a oeste. A muralha da cidade tinha doze fundamentos, e estavam sobre estes os doze nomes dos doze apóstolos do Cordeiro. Aquele que falava comigo tinha por medida uma vara de ouro para medir a cidade, as suas portas e a sua muralha. A cidade é quadrangular, de comprimento e largura iguais. E mediu a cidade com a vara até doze mil estádios. O seu comprimento, largura e altura são iguais. Mediu também a sua muralha, cento e quarenta e quatro côvados, medida de homem, isto é, de anjo. A estrutura da muralha é de jaspe; também a cidade é de ouro puro, semelhante a vidro límpido. Os fundamentos da muralha da cidade estão adornados de toda espécie de pedras preciosas. O primeiro fundamento é de jaspe; o segundo, de safira; o terceiro, de calcedônia; o quarto, de esmeralda; o quinto, de sardônio; o sexto, de sárdio; o sétimo, de crisólito; o oitavo, de berilo; o nono, de topázio; o décimo, de crisópraso; o undécimo, de jacinto; e o duodécimo, de ametista. As doze portas são doze pérolas, e cada uma dessas portas, de uma só pérola. A praça da cidade é de ouro puro, como vidro transparente. Nela, não vi santuário, porque o seu santuário é o Senhor, o Deus Todo-Poderoso, e o Cordeiro. A cidade não precisa nem do sol, nem da lua, para lhe darem claridade, pois a glória de Deus a iluminou, e o Cordeiro é a sua lâmpada. As nações andarão mediante a sua luz, e os reis da terra lhe trazem a sua glória. As suas portas nunca jamais se fecharão de dia, porque, nela, não haverá noite. E lhe trarão a glória e a honra das nações. Nela, nunca jamais penetrará coisa alguma contaminada, nem o que pratica abominação e mentira, mas somente os inscritos no Livro da Vida do Cordeiro. Então, me mostrou o rio da água da vida, brilhante como cristal, que sai do trono de Deus e do Cordeiro. No meio da sua praça, de uma e outra margem do rio, está a árvore da vida, que produz doze frutos, dando o seu fruto de mês em mês, e as folhas da árvore são para a cura dos povos. Nunca mais haverá qualquer maldição. Nela, estará o trono de Deus e do Cordeiro. Os seus servos o servirão, contemplarão a sua face, e na sua fronte está o nome dele. Então, já não haverá noite, nem precisam eles de luz de candeia, nem da luz do sol, porque o Senhor Deus brilhará sobre eles, e reinarão pelos séculos dos séculos.” (Apoc. 21:11-22:5). “Comparou a glória da cidade a uma pedra preciosa e ao cristal; a cidade tem uma alta muralha; tem doze portas, que são doze pérolas; sobre elas está escrito o nome dos filhos de Jacó; a muralha tem doze fundamentos, sobre os quais estão os nomes dos apóstolos do Cordeiro; a cidade é quadrangular; o muro é de jaspe; a cidade é de ouro puro; os doze fundamentos da cidade são adornados com pedras preciosas; o rio da água da vida sai do trono de Deus; no meio da praça está a árvore da vida; ali estão os servos de Deus; a cidade é iluminada pela glória do Senhor.”

“Uma coisa é clara: estamos falando de um lugar literal e físico. A heresia pagã de que a matéria é má e o espírito é bom, mais uma vez é desmascarada pelas Escrituras. Embora as palavras sejam limitadas no que podem transmitir, mesmo as palavras inspiradas, elas podem nos levar a entender que uma herança real nos espera. É importante lembrar que este mundo, com todas as suas imperfeições, não mais está como foi planejado. É uma aberração, que Cristo veio para corrigir. Em contraste com isso, a descrição do Apocalipse, não importando quanto seja difícil entender (conhecendo apenas um mundo caído), é a realidade eterna que nos espera. Que esperança temos, especialmente em comparação com os que acreditam que a morte é o fim de tudo!”

Saiba mais, estude a Lição da Escola Sabatina (LES) – quarta-feira 26 de dezembro de 2012. Escolha o formato para o estudo: Texto, Comentário em áudio ou se preferir faça um Curso Bíblico. Este conteúdo é uma adaptação da LES e é publicado simultaneamente em: Blogspot, WordPress. Para impressão acesse arquivo em PDF