A verdade dos justos

Lições da Bíblia

“5. Leia Provérbios 12 e se concentre no tema das palavras, especialmente no contexto de falar a verdade ou falar a mentira. Que mensagem encontramos ali sobre honestidade e mentira?”1 “1 Quem ama a disciplina ama o conhecimento, mas o que aborrece a repreensão é estúpido. 2 O homem de bem alcança o favor do SENHOR, mas ao homem de perversos desígnios, ele o condena. 3 O homem não se estabelece pela perversidade, mas a raiz dos justos não será removida. 4 A mulher virtuosa é a coroa do seu marido, mas a que procede vergonhosamente é como podridão nos seus ossos. 5 Os pensamentos do justo são retos, mas os conselhos do perverso, engano. 6 As palavras dos perversos são emboscadas para derramar sangue, mas a boca dos retos livra homens. 7 Os perversos serão derribados e já não são, mas a casa dos justos permanecerá. 8 Segundo o seu entendimento, será louvado o homem, mas o perverso de coração será desprezado. 9 Melhor é o que se estima em pouco e faz o seu trabalho do que o vanglorioso que tem falta de pão. 10 O justo atenta para a vida dos seus animais, mas o coração dos perversos é cruel. 11 O que lavra a sua terra será farto de pão, mas o que corre atrás de coisas vãs é falto de senso. 12 O perverso quer viver do que caçam os maus, mas a raiz dos justos produz o seu fruto. 13 Pela transgressão dos lábios o mau se enlaça, mas o justo sairá da angústia. 14 Cada um se farta de bem pelo fruto da sua boca, e o que as mãos do homem fizerem ser-lhe-á retribuído. 15 O caminho do insensato aos seus próprios olhos parece reto, mas o sábio dá ouvidos aos conselhos. 16 A ira do insensato num instante se conhece, mas o prudente oculta a afronta. 17 O que diz a verdade manifesta a justiça, mas a testemunha falsa, a fraude. 18 Alguém há cuja tagarelice é como pontas de espada, mas a língua dos sábios é medicina. 19 O lábio veraz permanece para sempre, mas a língua mentirosa, apenas um momento. 20 Há fraude no coração dos que maquinam mal, mas alegria têm os que aconselham a paz. 21 Nenhum agravo sobrevirá ao justo, mas os perversos, o mal os apanhará em cheio. 22 Os lábios mentirosos são abomináveis ao SENHOR, mas os que agem fielmente são o seu prazer. 23 O homem prudente oculta o conhecimento, mas o coração dos insensatos proclama a estultícia. 24 A mão diligente dominará, mas a remissa será sujeita a trabalhos forçados. 25 A ansiedade no coração do homem o abate, mas a boa palavra o alegra. 26 O justo serve de guia para o seu companheiro, mas o caminho dos perversos os faz errar. 27 O preguiçoso não assará a sua caça, mas o bem precioso do homem é ser ele diligente. 28 Na vereda da justiça, está a vida, e no caminho da sua carreira não há morte.” (Provérbios 12 ARA)2. “O Senhor odeia a mentira, mas tem prazer nos que são fiéis à verdade. Aquele que é mau se enreda no pecado do falar, mas o justo não cai nessas dificuldades. Cada um recebe segundo o fruto da sua boca: o lábio veraz permanece para sempre, mas a língua mentirosa, apenas um momento.1

“A filósofa Sissela Bok demonstrou, de maneira convincente, como o ato de mentir pode ser prejudicial à sociedade. Ela escreve: ‘Portanto, a sociedade cujos membros fossem incapazes de distinguir as mensagens verdadeiras das mensagens enganosas, desmoronaria’ (Lying: Moral Choice in Public and Private Life [Mentira: Escolha Moral na Vida Pública e Particular]. Nova York: Pantheon Books, 1978, p. 19). Semelhantemente, Agostinho, que é citado na introdução do livro da Sra. Bok, declarou: ‘depois que a consideração pela verdade foi destruída, ou mesmo ligeiramente enfraquecida, tudo ficará duvidoso’ (p. xv).”1

“Ellen G. White escreveu: ‘Lábios mentirosos são-Lhe uma abominação. Ele declara que na cidade santa ‘não entrará […] coisa alguma que contamine, e cometa abominação e mentira’ (Ap 21:27). Seja a verdade dita sem disfarces nem frouxidão. Torne-se ela uma parte da vida. Considerar levianamente a verdade, e dissimular para servir a planos egoístas, significa o naufrágio da fé. […] Quem profere mentiras, vende sua alma por baixo preço. Suas falsidades podem parecer servir em emergências; pode parecer, assim, que faz negócios vantajosos que não poderia conseguir pelo reto proceder. Mas finalmente chega ao ponto em que não pode confiar em ninguém. Sendo ele mesmo falsificador, não tem confiança na palavra de outros’ (Minha Consagração Hoje, p. 331).”1

“Quando pensamos em quão poderosas são as palavras, precisamos pensar também sobre a mentira, porque a maioria das mentiras é expressa com palavras. Quem já não sentiu dor, traição e sentimento de desrespeito ao ser vítima de uma mentira? Não é difícil imaginar o caos total em que mergulha uma sociedade quando a mentira é a norma e não uma aberração.”1

“Há outro aspecto, também: o efeito da mentira sobre aquele que mente. Algumas pessoas se acostumam tanto com essa prática que ela não as incomoda; muitas pessoas, porém, têm um senso de culpa e de vergonha quando mentem. Isso é bom para elas, porque significa que ainda há alguma receptividade ao Espírito Santo.”1

“Porém, imagine o perigo para aquele que mente sem pensar duas vezes! Qual foi a última vez que você mentiu? Como se sentiu quando fez isso?”1

Quarta-feira, 28 de janeiro de 2015 . Saiba mais, ouça o Comentário em áudio  da Lição da Escola Sabatina (LES) ou se preferir faça um Curso Bíblico.

__________________

1 LIÇÕES da escola sabatina. Provérbios. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 479, Jan. Fev. Mar. 2015. Adulto, Professor.

2 BIBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s