Considerado justo 

Lições da Bíblia

4. Por que Paulo apelou primeiramente a Abraão ao examinar as Escrituras em busca de confirmação para sua mensagem evangélica? Gl 3:61

É o caso de Abraão, que creu em Deus, e isso lhe foi imputado para justiça. (Gálatas 3:6 ARA)2.

“Abraão é uma figura central no judaísmo. Não somente foi o pai do povo judeu, mas os judeus na época de Paulo também o consideravam o modelo de como deveria ser um verdadeiro judeu. Muitos não só acreditavam que sua característica essencial fosse a obediência, mas que Deus teria declarado que Abraão era justo por causa dessa obediência. Afinal, Abraão deixou sua terra natal e sua família, aceitou a circuncisão e estava disposto até a sacrificar seu filho, conforme a ordem de Deus. Isso é obediência! Insistindo na questão da circuncisão, os oponentes de Paulo certamente utilizaram esses mesmos argumentos.”1

“Paulo, entretanto, respondeu com o mesmo argumento, apelando para Abraão nove vezes em Gálatas, mostrando que o patriarca havia sido um exemplo de fé, e não da observância da lei apenas.”1

5. O que significa ter a fé creditada [imputada] como justiça? Gn 15:6; Rm 4:3-6, 8-11, 22-241

Ele creu no SENHOR, e isso lhe foi imputado para justiça.” (Gêneses 15:6 ARA)2. “3 Pois que diz a Escritura? Abraão creu em Deus, e isso lhe foi imputado para justiçaOra, ao que trabalha, o salário não é considerado como favor, e sim como dívida. Mas, ao que não trabalha, porém crê naquele que justifica o ímpio, a sua fé lhe é atribuída como justiça. E é assim também que Davi declara ser bem-aventurado o homem a quem Deus atribui justiça, independentemente de obras: […] 8 bem-aventurado o homem a quem o Senhor jamais imputará pecado. Vem, pois, esta bem-aventurança exclusivamente sobre os circuncisos ou também sobre os incircuncisos? Visto que dizemos: a fé foi imputada a Abraão para justiça10 Como, pois, lhe foi atribuída? Estando ele já circuncidado ou ainda incircunciso? Não no regime da circuncisão, e sim quando incircunciso. 11 E recebeu o sinal da circuncisão como selo da justiça da fé que teve quando ainda incircunciso; para vir a ser o pai de todos os que crêem, embora não circuncidados, a fim de que lhes fosse imputada a justiça, […]  22 Pelo que isso lhe foi também imputado para justiça. 23 E não somente por causa dele está escrito que lhe foi levado em conta, 24 mas também por nossa causa, posto que a nós igualmente nos será imputado, a saber, a nós que cremos naquele que ressuscitou dentre os mortos a Jesus, nosso Senhor,” (Romanos 4:3-6, 8-11, 22-24 ARA)2.

“Ao passo que justificação é uma metáfora tirada do mundo jurídico, a palavra contada e considerada é uma metáfora tirada do mundo dos negócios. Pode significar ‘creditar’ ou ‘colocar algo na conta de alguém’. Não é utilizada em referência a Abraão apenas em Gálatas 3:6, mas ocorre outras onze vezes em conexão com o patriarca. Algumas versões da Bíblia a traduzem como contado, considerado ou imputado.”1

“De acordo com a metáfora de Paulo, a justiça é colocada em nossa conta. Contudo, a questão é: Em qual base Deus nos considera justos? Certamente, não pode ser na base da obediência, apesar do que os adversários de Paulo alegavam. Não importa o que eles disseram sobre a obediência de Abraão, as Escrituras afirmam que Deus o justificou por causa de sua fé.”1

“A Bíblia é clara: a obediência de Abraão não foi o fundamento de sua justificação; ela foi, em vez disso, o resultado. Ele não fez as coisas que fez a fim de ser justificado; fez porque já havia sido justificado. Justificação conduz à obediência, e não o contrário.”1

Terça-feira, 25 de julho de 2017. Saiba mais, ouça o Comentário em áudio  da Lição da Escola
Sabatina (LES) ou se preferir faça um Curso Bíblico.
_______________
1 COSAERT, Carl. O evangelho em Gálatas. Lições da escola sabatina. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 489, Jul. Ago. Set. 2017. Adulto, Professor.
2 BÍBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

Pés lavados em leite

Lições da Bíblia

“Enquanto Jó lutava para aceitar a calamidade que lhe sobreviera, pensava em seu passado, em como sua vida tinha sido boa e na maneira pela qual tinha vivido. Ao falar sobre seu passado, Jó afirmou que naquela época ele havia lavado ‘os pés em leite’ (Jó 29:6).”1

“Por exemplo, em Jó 29:2, o patriarca falou sobre o tempo ‘em que Deus [o] guardava’. A palavra hebraica para ‘guardar’ vem de um termo comum usado em todo o Antigo Testamento para se referir ao vigilante cuidado de Deus para com Seu povo (veja Sl 91:11; Nm 6:24). Sem dúvida, Jó tinha uma vida boa. É importante notar que ele reconhecia isso.”1

“2. Leia Jó 29:8-17. Como as outras pessoas viam Jó e como ele tratava os que tinham dificuldades? Analise as afirmações e assinale a única alternativa correta:”1

8 os moços me viam e se retiravam; os idosos se levantavam e se punham em pé; 9 os príncipes reprimiam as suas palavras e punham a mão sobre a boca; 10 a voz dos nobres emudecia, e a sua língua se apegava ao paladar. 11 Ouvindo-me algum ouvido, esse me chamava feliz; vendo-me algum olho, dava testemunho de mim; 12 porque eu livrava os pobres que clamavam e também o órfão que não tinha quem o socorresse. 13 A bênção do que estava a perecer vinha sobre mim, e eu fazia rejubilar-se o coração da viúva. 14 Eu me cobria de justiça, e esta me servia de veste; como manto e turbante era a minha eqüidade. 15 Eu me fazia de olhos para o cego e de pés para o coxo. 16 Dos necessitados era pai e até as causas dos desconhecidos eu examinava. 17 Eu quebrava os queixos do iníquo e dos seus dentes lhe fazia eu cair a vítima.” (Jó 29:8-17 ARA)2.

A. (   ) As pessoas viam Jó com muito respeito e o julgavam feliz, pois ele socorria os pobres e os órfãos.

B. (   ) As pessoas viam Jó com muita inveja, pois ele tinha tudo o que elas queriam ter.

C. (   ) As pessoas viam Jó com muito temor, pois ele fazia justiça com as próprias mãos.

Resposta: Alternativa A.1

“Podemos ver nesse trecho quanto Jó era respeitado. A frase ‘na praça me era dado sentar-me’ (Jó 29:7) transmite a ideia de uma espécie de governo local, do qual Jó, obviamente, fazia parte. Tais ‘assentos’ normalmente eram dados aos membros mais velhos e respeitados da sociedade, e entre esses membros Jó era muito estimado.”1

“Porém, podemos ver que até as pessoas mais humildes da sociedade o amavam e o respeitavam. Os pobres, os que pereciam, os cegos, as viúvas, os órfãos e os coxos – aqueles que não tinham sido abençoados como Jó eram exatamente aqueles a quem Jó ajudava e confortava.”1

“‘Deus dá em Sua Palavra a descrição de um homem próspero, cuja vida foi, na mais exata acepção da palavra, um êxito, um homem que tanto o Céu como a Terra se deleitavam em honrar’ (Ellen G. White, Educação, p. 142).”1

“Passagens como essas e outras que veremos a seguir nos mostram porque Jó tinha sido uma pessoa muito bem-sucedida em todos os aspectos, tanto aos olhos dos homens como aos olhos de Deus.”1

“É fácil ser gentil e respeitoso com os ricos, poderosos e famosos. Como, porém, você trata aqueles que nada têm a lhe oferecer?”1

Segunda-feira, 19 de dezembro de 2016. Saiba mais, ouça o Comentário em áudio  da Lição da Escola Sabatina (LES) ou se preferir faça um Curso Bíblico.
__________________
1 LIÇÕES da escola sabatina. O livro de Jó. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 486, Out. Nov. Dez. 2016. Adulto, Professor.

2 BIBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

Seja justo!

Lições da Bíblia

“O verdadeiro amor não é cego. O fato de ‘encobrirmos’ o erro de alguém por meio do amor não significa que não vejamos o pecado e que não o reconheçamos como tal. O amor e a justiça andam juntos. A palavra hebraica para ‘justiça’, tsedeq, também significa ‘amor’, ‘caridade’. Não podemos ter verdadeira compaixão se não somos justos, e não podemos ser justos se não tivermos compaixão e amor. Os dois conceitos precisam estar juntos.”1

“Por exemplo, o exercício da caridade para com os pobres não deve ocorrer às custas da justiça; daí a recomendação de que não se deve favorecer o pobre no tribunal (Êx 23:3). Se, por um lado, o amor nos obriga a ajudar os pobres, por outro lado seria injusto favorecê-los quando estão errados, só pelo fato de serem pobres. Portanto, a justiça e a verdade devem cooperar com o amor e a compaixão. Esse sábio equilíbrio, que caracteriza a Torah, a lei de Deus, é ensinado e promovido no livro de Provérbios.”1

“3. Leia Provérbios 17:10; 19:25. O que essas passagens dizem sobre a necessidade de repreensão e confrontação?”1 Mais fundo entra a repreensão no prudente do que cem açoites no insensato.” (Provérbios 17:10 ARA)2; “Quando ferires ao escarnecedor, o simples aprenderá a prudência; repreende ao sábio, e crescerá em conhecimento.” (Provérbios 19:25 ARA)2. “Essas passagens dizem que devemos repreender a pessoa e, se ela for sábia, irá crescer com isso.”

“Não é por acaso que Provérbios 17:10 vem logo depois da ordem para encobrir o erro por meio do amor (Pv 17:9). A menção da ‘repreensão’ em conexão com o ‘amor’ coloca o amor na perspectiva correta. O texto subentende uma forte censura.”1 “4. Leia João 8:1-11. Como Jesus lidou com o pecado aberto?”1 “1 Jesus, entretanto, foi para o monte das Oliveiras. 2 De madrugada, voltou novamente para o templo, e todo o povo ia ter com ele; e, assentado, os ensinava. 3 Os escribas e fariseus trouxeram à sua presença uma mulher surpreendida em adultério e, fazendo-a ficar de pé no meio de todos, 4 disseram a Jesus: Mestre, esta mulher foi apanhada em flagrante adultério. 5 E na lei nos mandou Moisés que tais mulheres sejam apedrejadas; tu, pois, que dizes? 6 Isto diziam eles tentando-o, para terem de que o acusar. Mas Jesus, inclinando-se, escrevia na terra com o dedo. 7 Como insistissem na pergunta, Jesus se levantou e lhes disse: Aquele que dentre vós estiver sem pecado seja o primeiro que lhe atire pedra. 8 E, tornando a inclinar-se, continuou a escrever no chão. 9 Mas, ouvindo eles esta resposta e acusados pela própria consciência, foram-se retirando um por um, a começar pelos mais velhos até aos últimos, ficando só Jesus e a mulher no meio onde estava. 10 Erguendo-se Jesus e não vendo a ninguém mais além da mulher, perguntou-lhe: Mulher, onde estão aqueles teus acusadores? Ninguém te condenou? 11 Respondeu ela: Ninguém, Senhor! Então, lhe disse Jesus: Nem eu tampouco te condeno; vai e não peques mais.]” (João 8:1-11 ARA)2. “Jesus não condenou a mulher pecadora, mas a perdoou e recomendou-lhe que abandonasse o pecado.1

“‘Em Seu ato de perdoar essa mulher e animá-la a viver vida melhor, resplandece na beleza da perfeita justiça o caráter de Jesus. Conquanto não tivesse usado de paliativos com o pecado, nem diminuído o sentimento da culpa, procurou não condenar, mas salvar. O mundo não tinha senão desprezo e zombaria para essa transviada mulher; mas Jesus proferiu palavras de conforto e esperança. O Inocente Se compadeceu da fraqueza da pecadora, e estendeu-lhe a mão pronta a ajudar. Enquanto os fariseus hipócritas denunciaram, Jesus lhe recomendou: ‘Vai-te, e não peques mais’ (Jo 8:11, ARC; Ellen G. White, O Desejado de Todas as Nações, p. 462).”1

Segunda-feira, 09 de fevereiro de 2015 . Saiba mais, ouça o Comentário em áudio  da Lição da Escola Sabatina (LES) ou se preferir faça um Curso Bíblico.

__________________

1 LIÇÕES da escola sabatina. Provérbios. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 479, Jan. Fev. Mar. 2015. Adulto, Professor.

2 BIBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

As bênçãos dos justos

Lições da Bíblia

Assista em vídeo a discussão do tema da semana.

 

Estudo adicional

“‘Não é bastante fazer profissão de fé em Cristo, e ter nosso nome registrado no rol da igreja. […] Qualquer que seja nossa profissão, de nada valerá se Cristo não for revelado em obras de justiça’ (Parábolas de Jesus, p. 312, 313).”1

“O maior dos enganos do espírito humano, nos dias de Cristo, era que uma simples aceitação da verdade constituísse justiça. Em toda experiência humana, o conhecimento teórico da verdade se tem demonstrado insuficiente para a salvação de alguém. […] Os mais tristes capítulos da História se acham repletos do registro de crimes cometidos por fanáticos adeptos de religiões. […] O mesmo perigo existe ainda. Muitos se têm na conta de cristãos, simplesmente porque concordam com certos dogmas teológicos. Não introduziram, porém, a verdade na vida prática. […] Os homens podem professar fé na verdade; mas, se ela não os torna sinceros, bondosos, pacientes, dominados, tomando prazer nas coisas de cima, é uma maldição a seu possuidor e, por meio de sua influência, uma maldição ao mundo.”1

“‘A justiça ensinada por Cristo é conformidade de coração e de vida com a revelada vontade de Deus’ (O Desejado de Todas as Nações, p. 309, 310).”1

Perguntas para reflexão

“1. De que forma nossas decisões afetam os outros para o bem ou para o mal? Essa verdade foi revelada na história da queda, com a escolha de Adão e Eva, cujos efeitos são sentidos até hoje. Pode ser tentador procurar medir a quantidade de bem ou de mal que nossas decisões podem trazer, mas isso é arriscado, porque não conhecemos o impacto de nossas escolhas. Por que devemos escolher fazer o que é certo, sem medo das consequências?”1

“2. O livro de Provérbios faz distinção entre o justo e o insensato, o que é certo e o que é errado. Por que precisamos ter cuidado ao determinarmos quem são os insensatos? Quantas vezes já fomos enganados por aqueles que julgávamos ser justos?”1

Sexta-feira,  30 de janeiro de 2015 . Saiba mais, ouça o Comentário em áudio  da Lição da Escola Sabatina (LES) ou se preferir faça um Curso Bíblico.

__________________

1 LIÇÕES da escola sabatina. Provébios. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 479, Jan. Fev. Mar. 2015. Adulto, Professor.

A recompensa dos justos

Lições da Bíblia

Como vimos, grande parte da instrução e do ensino ministrado em Provérbios foi apresentada por meio do contraste entre dois tipos de pessoas: ‘O sábio faz isso, o tolo faz aquilo’; ‘o homem piedoso faz isso, o perverso faz aquilo outro’.”1

“Na verdade, muitas vezes há um pouco de sabedoria e de loucura em todos nós. Com exceção de Jesus, todos nós somos pecadores, todos nós carecemos ‘da glória de Deus’ (Rm 3:23). Felizmente, temos a maravilhosa promessa que vem no verso seguinte: embora sejamos pecadores, pela fé podemos ser ‘justificados gratuitamente, por sua graça, mediante a redenção que há em Cristo Jesus’ (Rm 3:24).”1

“No fim, todos os seres humanos estarão em um dos dois lados: o dos salvos ou o dos perdidos.”1

“6. Leia João 3:16. Quais são as duas opções apresentadas a todos os seres humanos?”1Porque Deus amou ao mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo o que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna.” (João 3:16 ARA)2. “A morte eterna ou a vida eterna mediante a fé em Jesus.1

“7. Leia Provérbios 13. Como esse capítulo contrasta a experiência e o destino dos justos com os dos perversos?”1. “1 O filho sábio ouve a instrução do pai, mas o escarnecedor não atende à repreensão. 2 Do fruto da boca o homem comerá o bem, mas o desejo dos pérfidos é a violência. 3 O que guarda a boca conserva a sua alma, mas o que muito abre os lábios a si mesmo se arruína. 4 O preguiçoso deseja e nada tem, mas a alma dos diligentes se farta. 5 O justo aborrece a palavra de mentira, mas o perverso faz vergonha e se desonra. 6 A justiça guarda ao que anda em integridade, mas a malícia subverte ao pecador. 7 Uns se dizem ricos sem terem nada; outros se dizem pobres, sendo mui ricos. 8 Com as suas riquezas se resgata o homem, mas ao pobre não ocorre ameaça. 9 A luz dos justos brilha intensamente, mas a lâmpada dos perversos se apagará. 10 Da soberba só resulta a contenda, mas com os que se aconselham se acha a sabedoria. 11 Os bens que facilmente se ganham, esses diminuem, mas o que ajunta à força do trabalho terá aumento. 12 A esperança que se adia faz adoecer o coração, mas o desejo cumprido é árvore de vida. 13 O que despreza a palavra a ela se apenhora, mas o que teme o mandamento será galardoado. 14 O ensino do sábio é fonte de vida, para que se evitem os laços da morte. 15 A boa inteligência consegue favor, mas o caminho dos pérfidos é intransitável. 16 Todo prudente procede com conhecimento, mas o insensato espraia a sua loucura. 17 O mau mensageiro se precipita no mal, mas o embaixador fiel é medicina. 18 Pobreza e afronta sobrevêm ao que rejeita a instrução, mas o que guarda a repreensão será honrado. 19 O desejo que se cumpre agrada a alma, mas apartar-se do mal é abominável para os insensatos. 20 Quem anda com os sábios será sábio, mas o companheiro dos insensatos se tornará mau. 21 A desventura persegue os pecadores, mas os justos serão galardoados com o bem. 22 O homem de bem deixa herança aos filhos de seus filhos, mas a riqueza do pecador é depositada para o justo. 23 A terra virgem dos pobres dá mantimento em abundância, mas a falta de justiça o dissipa. 24 O que retém a vara aborrece a seu filho, mas o que o ama, cedo, o disciplina. 25 O justo tem o bastante para satisfazer o seu apetite, mas o estômago dos perversos passa fome.” (Provérbios 13 ARA)2. “A luz dos justos continuará brilhando, enquanto a dos perversos se apagará. Os pecadores encontrarão a desventura, enquanto os justos serão recompensados com o bem. Além disso, o homem de bem deixa herança para seus descendentes, mas a riqueza do pecador acaba passando para as mãos do justo.1

“Os justos são comparados a uma lâmpada que continua brilhando, enquanto os perversos são comparados a uma lâmpada que se apagará (Pv 13:9). O sábio comerá o bom fruto de seu trabalho, enquanto o pecador colherá o mal (v. 2, 25). Através de seus filhos (Pv 13:22), o sábio tem um futuro que vai além dele mesmo; o perverso, ao contrário, deixará sua riqueza para outro, isto é, para o justo (Pv 13:22).”1

“A ideia principal é de que uma vida de fé e obediência ao Senhor é melhor que uma vida de desobediência e loucura.”1

“À parte da promessa de vida eterna, quais são algumas das vantagens que você tem experimentado no dia a dia ao viver uma vida de fé em Cristo?”1

Quinta-feira, 29 de janeiro de 2015 . Saiba mais, ouça o Comentário em áudio  da Lição da Escola Sabatina (LES) ou se preferir faça um Curso Bíblico.

__________________

1 LIÇÕES da escola sabatina. Provérbios. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 479, Jan. Fev. Mar. 2015. Adulto, Professor.

2 BIBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

A verdade dos justos

Lições da Bíblia

“5. Leia Provérbios 12 e se concentre no tema das palavras, especialmente no contexto de falar a verdade ou falar a mentira. Que mensagem encontramos ali sobre honestidade e mentira?”1 “1 Quem ama a disciplina ama o conhecimento, mas o que aborrece a repreensão é estúpido. 2 O homem de bem alcança o favor do SENHOR, mas ao homem de perversos desígnios, ele o condena. 3 O homem não se estabelece pela perversidade, mas a raiz dos justos não será removida. 4 A mulher virtuosa é a coroa do seu marido, mas a que procede vergonhosamente é como podridão nos seus ossos. 5 Os pensamentos do justo são retos, mas os conselhos do perverso, engano. 6 As palavras dos perversos são emboscadas para derramar sangue, mas a boca dos retos livra homens. 7 Os perversos serão derribados e já não são, mas a casa dos justos permanecerá. 8 Segundo o seu entendimento, será louvado o homem, mas o perverso de coração será desprezado. 9 Melhor é o que se estima em pouco e faz o seu trabalho do que o vanglorioso que tem falta de pão. 10 O justo atenta para a vida dos seus animais, mas o coração dos perversos é cruel. 11 O que lavra a sua terra será farto de pão, mas o que corre atrás de coisas vãs é falto de senso. 12 O perverso quer viver do que caçam os maus, mas a raiz dos justos produz o seu fruto. 13 Pela transgressão dos lábios o mau se enlaça, mas o justo sairá da angústia. 14 Cada um se farta de bem pelo fruto da sua boca, e o que as mãos do homem fizerem ser-lhe-á retribuído. 15 O caminho do insensato aos seus próprios olhos parece reto, mas o sábio dá ouvidos aos conselhos. 16 A ira do insensato num instante se conhece, mas o prudente oculta a afronta. 17 O que diz a verdade manifesta a justiça, mas a testemunha falsa, a fraude. 18 Alguém há cuja tagarelice é como pontas de espada, mas a língua dos sábios é medicina. 19 O lábio veraz permanece para sempre, mas a língua mentirosa, apenas um momento. 20 Há fraude no coração dos que maquinam mal, mas alegria têm os que aconselham a paz. 21 Nenhum agravo sobrevirá ao justo, mas os perversos, o mal os apanhará em cheio. 22 Os lábios mentirosos são abomináveis ao SENHOR, mas os que agem fielmente são o seu prazer. 23 O homem prudente oculta o conhecimento, mas o coração dos insensatos proclama a estultícia. 24 A mão diligente dominará, mas a remissa será sujeita a trabalhos forçados. 25 A ansiedade no coração do homem o abate, mas a boa palavra o alegra. 26 O justo serve de guia para o seu companheiro, mas o caminho dos perversos os faz errar. 27 O preguiçoso não assará a sua caça, mas o bem precioso do homem é ser ele diligente. 28 Na vereda da justiça, está a vida, e no caminho da sua carreira não há morte.” (Provérbios 12 ARA)2. “O Senhor odeia a mentira, mas tem prazer nos que são fiéis à verdade. Aquele que é mau se enreda no pecado do falar, mas o justo não cai nessas dificuldades. Cada um recebe segundo o fruto da sua boca: o lábio veraz permanece para sempre, mas a língua mentirosa, apenas um momento.1

“A filósofa Sissela Bok demonstrou, de maneira convincente, como o ato de mentir pode ser prejudicial à sociedade. Ela escreve: ‘Portanto, a sociedade cujos membros fossem incapazes de distinguir as mensagens verdadeiras das mensagens enganosas, desmoronaria’ (Lying: Moral Choice in Public and Private Life [Mentira: Escolha Moral na Vida Pública e Particular]. Nova York: Pantheon Books, 1978, p. 19). Semelhantemente, Agostinho, que é citado na introdução do livro da Sra. Bok, declarou: ‘depois que a consideração pela verdade foi destruída, ou mesmo ligeiramente enfraquecida, tudo ficará duvidoso’ (p. xv).”1

“Ellen G. White escreveu: ‘Lábios mentirosos são-Lhe uma abominação. Ele declara que na cidade santa ‘não entrará […] coisa alguma que contamine, e cometa abominação e mentira’ (Ap 21:27). Seja a verdade dita sem disfarces nem frouxidão. Torne-se ela uma parte da vida. Considerar levianamente a verdade, e dissimular para servir a planos egoístas, significa o naufrágio da fé. […] Quem profere mentiras, vende sua alma por baixo preço. Suas falsidades podem parecer servir em emergências; pode parecer, assim, que faz negócios vantajosos que não poderia conseguir pelo reto proceder. Mas finalmente chega ao ponto em que não pode confiar em ninguém. Sendo ele mesmo falsificador, não tem confiança na palavra de outros’ (Minha Consagração Hoje, p. 331).”1

“Quando pensamos em quão poderosas são as palavras, precisamos pensar também sobre a mentira, porque a maioria das mentiras é expressa com palavras. Quem já não sentiu dor, traição e sentimento de desrespeito ao ser vítima de uma mentira? Não é difícil imaginar o caos total em que mergulha uma sociedade quando a mentira é a norma e não uma aberração.”1

“Há outro aspecto, também: o efeito da mentira sobre aquele que mente. Algumas pessoas se acostumam tanto com essa prática que ela não as incomoda; muitas pessoas, porém, têm um senso de culpa e de vergonha quando mentem. Isso é bom para elas, porque significa que ainda há alguma receptividade ao Espírito Santo.”1

“Porém, imagine o perigo para aquele que mente sem pensar duas vezes! Qual foi a última vez que você mentiu? Como se sentiu quando fez isso?”1

Quarta-feira, 28 de janeiro de 2015 . Saiba mais, ouça o Comentário em áudio  da Lição da Escola Sabatina (LES) ou se preferir faça um Curso Bíblico.

__________________

1 LIÇÕES da escola sabatina. Provérbios. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 479, Jan. Fev. Mar. 2015. Adulto, Professor.

2 BIBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

A esperança dos justos

Lições da Bíblia

“3. ‘A integridade dos retos os guia; mas, aos pérfidos, a sua mesma falsidade os destrói’ (Pv 11:3). Que evidências temos da veracidade desse verso?”1 A evidência que temos da veracidade desse verso é a história das incontáveis vidas arruinadas pelo pecado, para esta vida e para a vida por vir. Em contraste, os justos que seguem uma vida de integridade têm recompensas aqui e aguardam a vida eterna. Às vezes, neste mundo, o justo sofre e o perverso se dá bem, mas isso é apenas temporário.1

“Que exemplos você já viu ou dos quais já ouviu falar em que essa verdade espiritual foi revelada? Em contraste, que situações você já enfrentou até agora, diante das quais teve que aceitar esse texto pela fé?”1

“4. Leia Provérbios 11. Embora o capítulo toque em muitos assuntos, quais são algumas das grandes bênçãos que advêm aos fiéis, em contraste com o que acontece aos perversos?”1 1 Balança enganosa é abominação para o SENHOR, mas o peso justo é o seu prazer. 2 Em vindo a soberba, sobrevém a desonra, mas com os humildes está a sabedoria. 3 A integridade dos retos os guia; mas, aos pérfidos, a sua mesma falsidade os destrói. 4 As riquezas de nada aproveitam no dia da ira, mas a justiça livra da morte. 5 A justiça do íntegro endireita o seu caminho, mas pela sua impiedade cai o perverso. 6 A justiça dos retos os livrará, mas na sua maldade os pérfidos serão apanhados. 7 Morrendo o homem perverso, morre a sua esperança, e a expectação da iniqüidade se desvanece. 8 O justo é libertado da angústia, e o perverso a recebe em seu lugar. 9 O ímpio, com a boca, destrói o próximo, mas os justos são libertados pelo conhecimento. 10 No bem-estar dos justos exulta a cidade, e, perecendo os perversos, há júbilo. 11 Pela bênção que os retos suscitam, a cidade se exalta, mas pela boca dos perversos é derribada. 12 O que despreza o próximo é falto de senso, mas o homem prudente, este se cala. 13 O mexeriqueiro descobre o segredo, mas o fiel de espírito o encobre. 14 Não havendo sábia direção, cai o povo, mas na multidão de conselheiros há segurança. 15 Quem fica por fiador de outrem sofrerá males, mas o que foge de o ser estará seguro. 16 A mulher graciosa alcança honra, como os poderosos adquirem riqueza. 17 O homem bondoso faz bem a si mesmo, mas o cruel a si mesmo se fere. 18 O perverso recebe um salário ilusório, mas o que semeia justiça terá recompensa verdadeira. 19 Tão certo como a justiça conduz para a vida, assim o que segue o mal, para a sua morte o faz. 20 Abomináveis para o SENHOR são os perversos de coração, mas os que andam em integridade são o seu prazer. 21 O mau, é evidente, não ficará sem castigo, mas a geração dos justos é livre. 22 Como jóia de ouro em focinho de porco, assim é a mulher formosa que não tem discrição. 23 O desejo dos justos tende somente para o bem, mas a expectação dos perversos redunda em ira. 24 A quem dá liberalmente, ainda se lhe acrescenta mais e mais; ao que retém mais do que é justo, ser-lhe-á em pura perda. 25 A alma generosa prosperará, e quem dá a beber será dessedentado. 26 Ao que retém o trigo, o povo o amaldiçoa, mas bênção haverá sobre a cabeça do seu vendedor. 27 Quem procura o bem alcança favor, mas ao que corre atrás do mal, este lhe sobrevirá. 28 Quem confia nas suas riquezas cairá, mas os justos reverdecerão como a folhagem. 29 O que perturba a sua casa herda o vento, e o insensato é servo do sábio de coração. 30 O fruto do justo é árvore de vida, e o que ganha almas é sábio. 31 Se o justo é punido na terra, quanto mais o perverso e o pecador!” (Provérbios 11 ARA)2. “O justo é guiado pela integridade; passa pela angústia, mas é libertado dela; sua bondade lhe traz o bem como retribuição e ele aguarda a vida eterna. Em contraste, o perverso cai pela sua impiedade; recebe a angústia; é punido na Terra; fere a si mesmo; e por fim receberá a morte eterna.

“O senso de uma vida futura e do valor do que ainda não foi visto (ver 2Co 4:18) ajuda a motivar o justo a viver de maneira reta. Por causa de sua esperança no futuro, o justo se comporta com humildade, honestidade e compaixão.”1

“Por outro lado, as pessoas perversas vivem apenas no presente; preocupam-se apenas com o que veem e com a recompensa imediata. Pensam primeiramente em si mesmas e recorrem ao engano e ao abuso. Por exemplo os vendedores que enganam seus fregueses talvez obtenham uma recompensa imediata proveniente dos preços mais altos que cobram, mas no fim podem acabar perdendo clientes e seu comércio ir à falência (Pv 11:3, 18).”1

“Pense nas decisões que você tem que tomar. Como você lida com isso? Suas escolhas são influenciadas pelo planejamento a longo prazo, levando em conta a eternidade?”1

Terça-feira, 27 de janeiro de 2015 . Saiba mais, ouça o Comentário em áudio  da Lição da Escola Sabatina (LES) ou se preferir faça um Curso Bíblico.

__________________

1 LIÇÕES da escola sabatina. Provérbios. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 479, Jan. Fev. Mar. 2015. Adulto, Professor.

2 BIBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.