As obras da lei

Lições da Bíblia

“1. Leia Romanos 3:19, 20. O que Paulo disse sobre a lei? O que a lei faz e o que ela não faz ou não pode fazer? Por que é muito importante que todos compreendam esse assunto?”1

Romanos (3:19, 20 ARA)2: “19 Ora, sabemos que tudo o que a lei diz, aos que vivem na lei o diz para que se cale toda boca, e todo o mundo seja culpável perante Deus, 20 visto que ninguém será justificado diante dele por obras da lei, em razão de que pela lei vem o pleno conhecimento do pecado.

“Paulo estava usando o termo ‘lei’ em seu sentido amplo, conforme os judeus de seu tempo o compreendiam. Pelo termo ‘Torá’ (a palavra hebraica para ‘lei’), um judeu ainda hoje pensa especialmente na instrução de Deus descrita nos primeiros cinco livros de Moisés, mas também, no sentido mais geral, em todo o Antigo Testamento. A lei moral (mais a ampliação dela nos estatutos e juízos, assim como nos preceitos cerimoniais) fazia parte dessa instrução. Por isso, nesses versos de Paulo, podemos pensar na lei como o sistema do judaísmo.”1

“Estar debaixo da lei significa estar sob sua jurisdição. A lei, entretanto, revela diante de Deus as falhas e a culpa de uma pessoa. A lei não pode remover essa culpa; o que ela pode fazer é levar o pecador a buscar um remédio para esse problema.”1

“Quando aplicamos o livro de Romanos aos nossos dias, em que a lei judaica não é mais obrigatória, pensamos na lei especialmente em termos de lei moral. Assim como o sistema do judaísmo não pôde salvar os judeus, essa lei também não pode nos salvar. Salvar um pecador não é função da lei moral. Sua função é revelar o caráter de Deus e mostrar às pessoas em quais áreas elas não conseguem refletir esse caráter.”1

“Seja qual for a lei (moral, cerimonial, civil ou uma combinação de todas elas), a obediência a qualquer uma ou a todas elas não tornará ninguém justo aos olhos de Deus. Na verdade, a lei nunca teve a intenção de cumprir esse objetivo. Ao contrário, ela deve mostrar nossas falhas e nos levar a Cristo.”1

“Assim como os sintomas de uma doença não podem curá-la, a lei também não pode nos salvar. Os sintomas não curam; eles mostram a necessidade da cura. É assim que funciona a lei.”1

“Seus esforços para guardar a lei têm sido bem-sucedidos? O que essa resposta revela sobre a futilidade de tentar se salvar mediante a obediência à lei?”1

De 19 a 26 de novembro haverá o evangelismo de colheita. Mais de 4 mil pregadores serão usados por Deus e milhares de pessoas tomarão a decisão pelo batismo. O que você pode fazer para motivar sua igreja e tornar esse movimento um sucesso?

Domingo, 22 de outubro de 2017. Saiba mais, ouça o Comentário em áudio  da Lição da Escola Sabatina (LES) ou se preferir faça um Curso Bíblico.
_______________
1 LIÇÃO da escola sabatina. Salvação somente pela fé: o livro de Romanos. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 490, Out. Nov. Dez. 2017. Adulto, Professor.
2 BIBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999

“Ainda que Ele me mate”

Lições da Bíblia

“No começo deste trimestre, fomos direto para o fim do livro de Jó e vimos como as coisas acabaram bem para ele. Vimos que, mesmo em meio ao seu terrível sofrimento, Jó tinha realmente uma esperança. Na verdade, vivendo nestes dias e conhecendo toda a Bíblia, de Gênesis a Apocalipse, podemos perceber que Jó tinha muito mais a esperar do que ele sequer podia imaginar naquela época.”1

“Porém, quando seus filhos morreram, quando sua propriedade foi tomada e sua saúde foi arruinada, Jó não teve a vantagem de saber como as coisas terminariam. Em vez disso, sabia que a vida, de repente, havia se tornado horrível.”1

“Entretanto, mesmo em meio aos seus amargos lamentos, Jó ainda expressava esperança, e essa esperança estava em Deus – o mesmo Deus que, aos seus olhos, estava lidando de maneira muito injusta com ele.”1

“2. Leia Jó 13:15. Que esperança é apresentada nesse verso? O que Jó estava dizendo? Assinale V para verdadeiro ou F para falso:”1

Embora ele me mate, ainda assim esperarei nele; certo é que defenderei [26]os meus caminhos diante dele.” (Jó 13:15 NVI)2.

(   ) Mesmo em face da morte, sua confiança em Deus não seria abalada.

(   ) Jó acreditava que seu sofrimento estivesse chegando ao fim porque Deus o mataria.

(   ) Se Deus não o livrasse da morte, Jó abandonaria sua fé.

Resposta: V; F; F.

“‘Ainda que Ele me mate, nEle esperarei.’ Que poderosa declaração de fé! Com tudo o que lhe havia acontecido, Jó sabia que muito possivelmente a última coisa, a única que ainda não lhe tinha ocorrido, a morte, poderia acontecer – e Deus também poderia causá-la. No entanto, mesmo que isso acontecesse, Jó morreria confiando no Senhor de toda maneira.”1

“As riquezas da graça de Cristo devem ser conservadas diante da mente. Entesoure as lições providas por Seu amor. Que sua fé seja como a de Jó, de maneira que você possa declarar: ‘Ainda que Ele me mate, nEle esperarei.’ Apodere-se das promessas de seu Pai celestial, e lembre-se da maneira pela qual Ele tratou você e Seus servos no passado, pois ‘todas as coisas contribuem juntamente para o bem daqueles que amam a Deus’ (Rm 8:28, ARC; Ellen G. White, Para Conhecê-Lo, p. 254).”1

“De uma perspectiva puramente humana, Jó não tinha razão para ter esperança. Mas ele não estava olhando a partir de uma perspectiva humana. Se tivesse feito isso, que esperança poderia ter? Em vez disso, quando Jó fez essa maravilhosa declaração de fé e esperança, ele o fez no contexto de Deus e de sua confiança nEle.”1

“Como Jó conseguiu manter sua fé em Deus em meio a tudo o que lhe acontecera? Leia Jó 1:1 [‘Na terra de Uz vivia um homem chama­do Jó. Era homem íntegro e justo; temia a Deus e evitava fazer o mal.2] e Tiago 2:20-22 [‘20 Insensato! Quer certificar-se de que a fé sem obras é inútil[5]? 21 Não foi Abraão, nosso antepassado, justificado por obras, quando ofereceu seu filho Isaque sobre o altar? 22 Você pode ver que tanto a fé como as obras estavam atuando juntas, e a fé foi aperfeiçoada pelas obras.2]. Como esses textos ajudam a responder a essa pergunta? Qual é a importância da fidelidade e da obediência em nossa vida cristã? (Veja a lição 13).”1

Segunda-feira, 21 de novembro de 2016. Saiba mais, ouça o Comentário em áudio  da Lição da Escola Sabatina (LES) ou se preferir faça um Curso Bíblico.
__________________
1LIÇÕES da escola sabatina. O livro de Jó. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 486, Out. Nov. Dez. 2016. Adulto, Professor.

2 BÍBLIA. Português. Biblia Sagrada: nova versao internacinoal, NVI. São Paulo, SP: Sociedade Biblica Internacional, 2003.

A aliança do Sinai

Lições da Bíblia

“4. Como foi feita a aliança entre Deus e Israel no monte Sinai? Êx 24”1 1 Disse também Deus a Moisés: Sobe ao SENHOR, tu, e Arão, e Nadabe, e Abiú, e setenta dos anciãos de Israel; e adorai de longe. 2 Só Moisés se chegará ao SENHOR; os outros não se chegarão, nem o povo subirá com ele. 3 Veio, pois, Moisés e referiu ao povo todas as palavras do SENHOR e todos os estatutos; então, todo o povo respondeu a uma voz e disse: Tudo o que falou o SENHOR faremos. 4 Moisés escreveu todas as palavras do SENHOR e, tendo-se levantado pela manhã de madrugada, erigiu um altar ao pé do monte e doze colunas, segundo as doze tribos de Israel. 5 E enviou alguns jovens dos filhos de Israel, os quais ofereceram ao SENHOR holocaustos e sacrifícios pacíficos de novilhos. 6 Moisés tomou metade do sangue e o pôs em bacias; e a outra metade aspergiu sobre o altar. 7 E tomou o livro da aliança e o leu ao povo; e eles disseram: Tudo o que falou o SENHOR faremos e obedeceremos. 8 Então, tomou Moisés aquele sangue, e o aspergiu sobre o povo, e disse: Eis aqui o sangue da aliança que o SENHOR fez convosco a respeito de todas estas palavras. 9 E subiram Moisés, e Arão, e Nadabe, e Abiú, e setenta dos anciãos de Israel. 10 E viram o Deus de Israel, sob cujos pés havia uma como pavimentação de pedra de safira, que se parecia com o céu na sua claridade. 11 Ele não estendeu a mão sobre os escolhidos dos filhos de Israel; porém eles viram a Deus, e comeram, e beberam. 12 Então, disse o SENHOR a Moisés: Sobe a mim, ao monte, e fica lá; dar-te-ei tábuas de pedra, e a lei, e os mandamentos que escrevi, para os ensinares. 13 Levantou-se Moisés com Josué, seu servidor; e, subindo Moisés ao monte de Deus, 14 disse aos anciãos: Esperai-nos aqui até que voltemos a vós outros. Eis que Arão e Hur ficam convosco; quem tiver alguma questão se chegará a eles. 15 Tendo Moisés subido, uma nuvem cobriu o monte. 16 E a glória do SENHOR pousou sobre o monte Sinai, e a nuvem o cobriu por seis dias; ao sétimo dia, do meio da nuvem chamou o SENHOR a Moisés. 17 O aspecto da glória do SENHOR era como um fogo consumidor no cimo do monte, aos olhos dos filhos de Israel. 18 E Moisés, entrando pelo meio da nuvem, subiu ao monte; e lá permaneceu quarenta dias e quarenta noites.” (Êxodo 24 ARA)2. “Alguns líderes subiram com Moisés ao monte Sinai e, enquanto ficavam de longe, Moisés foi até onde Deus estava. Depois, voltou e referiu ao povo todas as palavras do Senhor e todos os estatutos; então, todo o povo disse: ‘Tudo o que falou o Senhor faremos’. Moisés escreveu todas as palavras do Senhor e ratificou a aliança, espargindo o sangue dos sacrifícios sobre o santuário, sobre o livro da aliança e sobre o povo.”1

“Moisés e alguns líderes foram para o monte Sinai. Entre esses líderes estavam Arão e seus dois filhos, que representavam os sacerdotes, e os 70 anciãos, líderes e juízes, que representavam a nação. Os homens que acompanharam Moisés tiveram que ficar parados de longe, mas foi permitido que Moisés continuasse subindo até onde Deus havia aparecido.”1

“Mais tarde, Moisés voltou e confirmou a aliança com toda a nação. Ele proclamou o que Deus lhe havia dito, ao que a nação respondeu com as seguintes palavras: ‘Tudo o que falou o Senhor faremos’ (Êx 24:3).”1

“Obviamente, como a história sagrada tem demonstrado e como nossa própria experiência frequentemente prova, uma coisa é afirmar que seremos obedientes, e outra, completamente diferente, é exercer fé e realizar a entrega necessária para nos ligar ao poder divino, o qual nos dará graça para fazer o que dissemos que faríamos.”1

“5. Leia Hebreus 4:2. Qual foi a razão do fracasso de Israel? Como podemos evitar o mesmo erro?”1 Porque também a nós foram anunciadas as boas-novas, como se deu com eles; mas a palavra que ouviram não lhes aproveitou, visto não ter sido acompanhada pela fé naqueles que a ouviram.” (Hebreus 4:2 ARA)2. “As boas-novas (o evangelho) foram pregadas a eles, mas a mensagem de nada lhes valeu, pois não foi acompanhada pela fé naqueles que a ouviram. Evitamos o mesmo erro compreendendo que o ponto central da religião é a fé em Cristo e Sua justiça, que nos levam à obediência à lei.1

“Somente pela fé, e pela firme confiança nas promessas que vêm pela fé, podemos ser obedientes, uma obediência que será expressa pela lealdade à lei de Deus. A obediência à lei não era contrária à aliança eterna no tempo de Moisés, assim como não é hoje. A noção comum e equivocada a respeito da lei e das alianças, que geralmente surge a partir da leitura dos escritos de Paulo, provém da falha em levar em conta o contexto em que ele estava escrevendo, ou seja, o fato de que estava lidando com oponentes judaizantes. Eles desejavam fazer da lei e da obediência a ela o centro da religião. Paulo, ao contrário, desejava tornar Cristo e Sua justiça o elemento central.”1

“Você já disse: ‘Tudo o que o Senhor me disse, eu farei’, e depois falhou em cumprir a promessa? Por que essa triste realidade torna a promessa da graça muito mais preciosa? Que esperança você teria sem essa promessa?”1

Terça-feira, 08 dezembro de 2015. Saiba mais, ouça o Comentário em áudio  da Lição da Escola Sabatina (LES) ou se preferir faça um Curso Bíblico.

__________________

1 LIÇÕES da escola sabatina. Jeremias. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 482, Out. Nov. Dez. 2015. Adulto, Professor.

2 BIBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999

Fé morta

Lições da Bíblia

“1. ‘Meus irmãos, qual é o proveito, se alguém disser que tem fé, mas não tiver obras? Pode, acaso, semelhante fé salvá-lo?’ (Tg 2:14). Como entender esse verso no contexto da salvação unicamente pela fé?”1. “15 Se um irmão ou uma irmã estiverem carecidos de roupa e necessitados do alimento cotidiano, 16 e qualquer dentre vós lhes disser: Ide em paz, aquecei-vos e fartai-vos, sem, contudo, lhes dar o necessário para o corpo, qual é o proveito disso? 17 Assim, também a fé, se não tiver obras, por si só está morta.” (Tiago 2:15-17 RA)2. “27 Onde, pois, a jactância? Foi de todo excluída. Por que lei? Das obras? Não; pelo contrário, pela lei da fé. 28 Concluímos, pois, que o homem é justificado pela fé, independentemente das obras da lei.” (Romanos 3:27-28 RA)2. “8 Porque pela graça sois salvos, mediante a fé; e isto não vem de vós; é dom de Deus; 9 não de obras, para que ninguém se glorie.” (Efésios 2:8-9 RA)2. As obras devem ser o resultado da fé, aquele que diz ter fé e não produz as obras da fé, o fruto do Espírito, não possui fé genuína. Todo aquela que é nascido de novo produzirá obras coerente com a salvação operada por Deus.

“Fé sem obras. Tiago dá uma vívida ilustração desse tipo de fé falsa (Tg 2:15, 16). Como já vimos, a obediência no livro de Tiago é relacional. Então, como nos relacionamos com uma pessoa na igreja que está em necessidade? Palavras não são suficientes. Não podemos simplesmente dizer: ‘Vá em paz. Deus proverá’, quando Deus nos deu meios para ajudar essa pessoa.”1

“As necessidades podem ser infinitas, e não podemos atender a todas. Mas há um princípio chamado ‘o poder de um’. Somos as mãos e os pés de Jesus, e podemos ajudar os outros, uma pessoa de cada vez. Na verdade, era assim que Jesus costumava trabalhar. Em Marcos 5:22-34, um homem cuja filha estava morrendo apelou a Ele em busca de ajuda. No caminho, uma mulher se aproximou por trás e tocou as vestes de Jesus. Após a cura, Jesus poderia ter prosseguido e a mulher teria partido com alegria. Mas Jesus sabia que ela precisava de mais do que cura física. Então, Ele parou e tomou tempo para que ela aprendesse a ser uma testemunha dEle, para compartilhar e também receber. Então Ele disse as mesmas palavras que encontramos em Tiago 2:16: ‘Vá em paz’ (Mc 5:34, NVI). Mas, ao contrário das palavras de Tiago, neste caso elas realmente significavam alguma coisa!”1

“Quando reconhecemos uma necessidade, mas não fazemos nada a respeito dela, perdemos a oportunidade de exercer fé. Dessa forma, nossa fé se enfraquece e fica mais apática. Isso ocorre porque a fé sem obras morre. Tiago a descreve de modo ainda mais forte: a fé já está morta. Se ela estivesse viva, as obras existiriam. Se não existem, qual é o proveito? No fim do verso 14, Tiago faz uma pergunta sobre esse tipo de fé sem obras e sem utilidade. Ele comunica uma ideia muito mais forte em grego do que na maioria das traduções: ‘Essa fé não pode salvá-lo, pode?’ Certamente, a resposta que Tiago espera que demos é ‘Não’.”1

“Como podemos aprender a melhor expressar nossa fé mediante nossas obras e ao mesmo tempo nos proteger do engano de que elas nos salvam?”1

“O próximo sábado, dia 8 de novembro, será o dia dedicado ao Espírito de Profecia. Utilize o sermão especial para esse dia. Entre em contato com seu pastor. Faça um programa especial à tarde sobre esse tema.”1

Domingo, 02 de novembro de 2014. Saiba mais, ouça o Comentário em áudio da Lição da Escola Sabatina (LES) ou se preferir faça um Curso Bíblico.

__________________

1 BIBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

2 LIÇÕES da escola sabatina. Carta de Tiago. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 478, Out. Nov. Dez. 2014. Adulto, Professor.

Unicamente Pela Fé

Lições da Bíblia.

“Todos os que são batizados devem tornar evidente que se converteram. Não há um ponto que necessite ser realçado com mais diligência, repetido com mais frequência ou estabelecido com mais firmeza na mente de todos, do que a impossibilidade de o homem caído merecer alguma coisa por suas próprias e melhores boas obras. A salvação é unicamente pela fé em Jesus Cristo.

Quando é examinada essa questão, ficamos com o coração magoado ao ver quão triviais são as observações dos que deviam compreender o mistério da piedade. Eles falam tão irrefletidamente das verdadeiras ideias de nossos irmãos que professam crer na verdade e ensiná-la! Ficam muito aquém dos fatos reais, segundo me têm sido revelados. O inimigo confundiu sua mente de tal modo na névoa do mundanismo, e ela parece estar tão arraigada em seu entendimento, que se tornou uma parte de sua fé e de seu caráter. Só uma nova conversão pode transformá-los e levá-los a abandonar essas falsas ideias – pois isso é exatamente o que elas são, segundo me foi revelado. Apegam-se a elas como quem está afogando se apega a um salva-vidas, para evitar que desanimem e naufraguem na fé.

Cristo me deu estas palavras a serem proferidas: ‘Se alguém não nascer de novo, não pode ver o Reino de Deus.’ João 3:3. Portanto, todos os que têm correta compreensão desse assunto devem deixar de lado seu espírito polêmico e buscar o Senhor de todo o coração. Então acharão a Cristo e poderão dar um caráter distinto a sua experiência religiosa. Devem manter este assunto – a simplicidade da verdadeira piedade – distintamente perante as pessoas em todo sermão. Isso impressionará o coração de todo ser faminto e sedento que almeja desfrutar a segurança de esperança, fé e perfeita confiança em Deus por meio de nosso Senhor Jesus Cristo.” (Ellen G. White, Fé e obras, p. 19).

Saiba mais, estude a Lição da Escola Sabatina (LES) – sexta-feira 21 de outubro de 2011. Escolha o formato para o estudo: Texto, Comentário em áudio ou se preferir faça um Curso Bíblico. Este conteúdo é uma adaptação da LES e é publicado simultaneamente em: Blogspot, WordPress. Para impressão acesse arquivo em PDF

Vivendo do passado.

Lições da Bíblia.

A última narrativa da Bíblia sobre Geazi relata o ex-servo de Eliseu falando com o rei sobre as obras do profeta. “Falou Eliseu àquela mulher cujo filho ele restaurara à vida, dizendo: Levanta-te, vai com os de tua casa e mora onde puderes; porque o SENHOR chamou a fome, a qual virá sobre a terra por sete anos. Levantou-se a mulher e fez segundo a palavra do homem de Deus: saiu com os de sua casa e habitou por sete anos na terra dos filisteus. Ao cabo dos sete anos, a mulher voltou da terra dos filisteus e saiu a clamar ao rei pela sua casa e pelas suas terras. Ora, o rei falava a Geazi, moço do homem de Deus, dizendo: Conta-me, peço-te, todas as grandes obras que Eliseu tem feito. Contava ele ao rei como Eliseu restaurara à vida a um morto, quando a mulher cujo filho ele havia restaurado à vida clamou ao rei pela sua casa e pelas suas terras; então, disse Geazi: Ó rei, meu senhor, esta é a mulher, e este, o seu filho, a quem Eliseu restaurou à vida. Interrogou o rei a mulher, e ela lhe contou tudo. Então, o rei lhe deu um oficial, dizendo: Faze restituir-se-lhe tudo quanto era seu e todas as rendas do campo desde o dia em que deixou a terra até agora.” (2 Reis 8:1-6).

“Muitos anos se haviam passado desde o grande milagre da ressurreição do filho da sunamita. A doença de pele de Geazi não deve tê-lo deixado muito desfigurado, pois o encontramos na corte real. Geazi, ex-servo de Eliseu, estava falando sobre o que havia acontecido. Ele estava se gabando sobre Eliseu e seus milagres e, fazendo assim, é mais provável que estivesse destacando a própria importância por sua ligação com Eliseu.”

“Talvez nunca tivéssemos ouvido falar dessa sessão de histórias se não fosse pelo tempo exato desse evento. O autor bíblico diz que no momento preciso em que Geazi estava contando sobre o milagre do filho da sunamita devolvido à vida, a própria sunamita apareceu diante do rei. Em Sua providência, Deus usou a jactância de Geazi para ajudar a mulher de Suném. Provavelmente, a mulher de Suném seria, então, viúva, visto que não se faz nenhuma menção a seu marido, e é incomum que uma mulher comparecesse diante do rei em um negócio tão importante em lugar do marido. Mais provavelmente, ela tivesse sustentado a família até que seu filho tivesse idade suficiente. Ela havia estado fora do país por sete anos, durante uma seca severa. Ter as relações certas e conhecer as pessoas certas pode ser importante e considerado vantajoso do ponto de vista humano, mas Deus vê as coisas de modo diferente.”

A relação realmente eficaz é aquela que realiza com Deus. “Assim diz o SENHOR: Não se glorie o sábio na sua sabedoria, nem o forte, na sua força, nem o rico, nas suas riquezas; mas o que se gloriar, glorie-se nisto: em me conhecer e saber que eu sou o SENHOR e faço misericórdia, juízo e justiça na terra; porque destas coisas me agrado, diz o SENHOR.” (Jer. 9:23-24).

“E então, Geazi desapareceu da história. A parte triste da narrativa é o fato de que Geazi poderia ter feito o trabalho de Deus. Ele poderia ter aprendido de Eliseu. Poderia ter sido o profeta importante seguinte ou, talvez, um líder e professor nas escolas dos profetas. Agora, tudo o que ele podia fazer era falar sobre os bons dias do passado, quando ele havia trabalhado com o profeta. Geazi poderia ter feito história; agora, tudo o que ele podia fazer era contá-la.”

Saiba mais, estude a Lição da Escola Sabatina – quinta-feira 16 de dezembro de 2010. Escolha o formato para o estudo: Texto, Comentário em áudio ou se preferir faça um Curso Bíblico. Este conteúdo é publicado simultaneamente em: Blogspot, WordPress. Para impressão acesse arquivo em PDF

Religião sem Cristo. “[…] porque sem mim nada podeis fazer.” (Jo 15:5).

Lições da Bíblia.

“A repreensão de Jesus aos fariseus é aplicável aos que perderam do coração o primeiro amor. Uma religião fria, legalista, jamais pode levar almas a Cristo; pois é destituída de amor, é religião sem Cristo. Quando o jejuar e orar é praticado num espírito de justificação própria, são abomináveis a Deus. A solene assembléia de culto, a rotina de cerimônias religiosas, a humilhação exterior, o sacrifício imposto – tudo proclama ao mundo o testemunho de que o praticante dessas coisas se considera justo. Estas coisas chamam a atenção para o observador de deveres rigorosos, dizendo: Este homem tem direito ao Céu. Mas tudo é engano. As obras não nos comprarão a entrada ao Céu. A grande Oferta que foi feita é ampla para todos os que crêem. O amor de Cristo animará o crente com nova vida. Aquele que bebe da água da fonte da vida, será farto com o novo vinho do reino. A fé em Cristo será o meio pelo qual espírito e motivo retos atuarão no crente, e toda a bondade e espiritualidade procederão daquele que olha para Jesus, autor e consumador de sua fé. Olhai para Deus, e não para os homens. Deus é vosso Pai celestial, disposto a suportar pacientemente vossas fraquezas, perdoá-las e saná-las. "A vida eterna é esta: que Te conheçam, a Ti só, por único Deus verdadeiro, e a Jesus Cristo, a quem enviaste." João 17:3. Contemplando a Cristo, tornar-vos-eis transformados, até ao ponto de odiardes vosso orgulho anterior, vossa anterior vaidade e estima própria, vossa justiça própria e incredulidade. Lançareis para o lado esses pecados, como cargas inúteis, e andareis humilde, mansa e confiantemente perante Deus. Praticareis amor, paciência, afabilidade, bondade, misericórdia e todas as graças que habitam no filho de Deus, e afinal encontrareis um lugar entre os santos e puros.” (Ellen G. Whirte, Mensagens escolhidas, v. 1, p. 388).

Saiba mais, estude a Lição da Escola Sabatina – Sexta-feira, 30 de julho de 2011. Escolha o formato para o estudo: Texto, Comentário em áudio ou se preferir faça um Curso Bíblico.

Este conteúdo é publicado simultaneamente em: Blogspot, WordPress, Livejournal.

Para impressão acesse arquivo em formato PDF