A renovação do planeta Terra – Estudo adicional

Lições da Bíblia1

Texto de Ellen G. White: O Grande Conflito, p. 662-678 (“A vitória do amor”). “E ao transcorrerem os anos da eternidade, trarão cada vez mais abundantes e gloriosas revelações de Deus e de Cristo. Assim como o conhecimento é progressivo, também o amor, a reverência e a felicidade aumentarão. Quanto mais as pessoas aprenderem a respeito de Deus, mais admirarão Seu caráter. Ao Jesus lhes revelar as riquezas da redenção e os impressionantes feitos do grande conflito com Satanás, o coração dos resgatados baterá com mais forte devoção, e com alegria mais arrebatadora dedilharão as harpas de ouro. E milhões de vozes se unirão para avolumar o poderoso coro de louvor.

“‘Toda criatura que há no Céu e sobre a Terra, debaixo da Terra e sobre o mar, e tudo o que neles há, [dirá]: Àquele que está sentado no trono e ao Cordeiro, seja o louvor, e a honra, e a glória, e o domínio pelos séculos dos séculos’ (Ap 5:13).

“O grande conflito terminou. Pecado e pecadores não mais existem. O Universo inteiro está purificado. Uma única pulsação de harmonia e felicidade vibra por toda a vasta criação. Daquele que tudo criou emanam vida, luz e alegria por todos os domínios do espaço infinito. Desde o minúsculo átomo até o maior dos mundos, todas as coisas, animadas e inanimadas, em sua serena beleza e perfeita alegria, declaram que Deus é amor” (Ellen G. White, O Grande Conflito, p. 678).

Perguntas para consideração

1. Por que a promessa da vida eterna em um novo Céu e uma nova Terra é tão fundamental para nós? Para que serviria nossa fé sem essa promessa?

2. Leia 2 Pedro 3:10-14. Como esses versos refletem a mesma ideia apresentada em Isaías 66?

Resumo: Isaías apresentou uma visão de alcance impressionante. Deus purificaria e restauraria Sua comunidade de fé e aumentaria suas fronteiras para abranger todas as nações. Por fim, a recriação da comunidade levaria à recriação do planeta. Sua presença seria o consolo do povo.

Sexta-feira, 26 de março de 2021. Saiba mais, faça um Curso Bíblico

_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. Isaías: Consolo para o povo de Deus. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 503, jan. fev. mar. 2021. Adulto, Professor. 

A posteridade e o nome dos salvos (Is 66:22-24)

Lições da Bíblia1

10. O que Isaías 66:22 revela? Qual esperança encontramos nesse verso?

Isaías 66:22 (ARA)2: “Porque, como os novos céus e a nova terra, que hei de fazer, estarão diante de mim, diz o Senhor, assim há de estar a vossa posteridade e o vosso nome.”

Uma das promessas mais maravilhosas de Isaías encontra-se no capítulo 66:22. Nos novos céus e na nova Terra, nossos descendentes e nosso nome permanecerão para sempre. Não haverá mais esquecimento, morte, enxerto, remoção nem extermínio. Temos aqui uma promessa de vida eterna em um mundo renovado, sem pecado, morte nem sofrimento, a consumação do que Cristo realizou por nós na cruz.

11. Por que há festas da Lua Nova juntamente com sábados na representação dos novos céus e da nova Terra? Is 66:23

Isaías 66:23 (ARA)2: “E será que, de uma Festa da Lua Nova à outra e de um sábado a outro, virá toda a carne a adorar perante mim, diz o Senhor.”

Uma abordagem para esse texto difícil é a seguinte: Deus criou o sábado antes da existência do sistema sacrifical (Gn 2:2, 3). Portanto, embora o sábado tenha sido honrado pelo sistema ritual, não dependia dele. Assim, ele deve continuar de modo ininterrupto no período de restauração até a nova Terra. Não há indicação bíblica de que as festas da Lua Nova fossem dias legítimos de adoração à parte do sistema sacrifical. Mas talvez eles sejam dias de adoração (não necessariamente dias de descanso, como o sábado semanal) na nova Terra, possivelmente em conexão com o ciclo mensal da árvore da vida (Ap 22:2).

Seja qual for o significado específico de Isaías 66:23, o ponto crucial é que o povo de Deus O adorará por toda a eternidade.

12. Por que Isaías concluiu com a imagem negativa dos salvos olhando os cadáveres dos rebeldes destruídos por Deus? Is 66:24

Isaías 66:24 (ARA)2: “Eles sairão e verão os cadáveres dos homens que prevaricaram contra mim; porque o seu verme nunca morrerá, nem o seu fogo se apagará; e eles serão um horror para toda a carne.”

Como uma advertência vívida ao povo de sua época, Isaías resumiu o contraste entre os fiéis sobreviventes da destruição babilônica e os rebeldes, que seriam destruídos. Esse não era um tormento eterno – os rebeldes eram mortos por “fogo”, uma destruição que não cessaria até que se cumprisse seu propósito, para que a recriação de Jerusalém pudesse começar.

Isaías aponta para o cumprimento final: a destruição dos pecadores, de Satanás e da morte no lago de fogo (Ap 20), após o qual haverá um “novo Céu” e uma “nova Terra” (Ap 21:1-4; Is 65:17-19); haverá uma nova existência, com vida eterna para todos os que forem redimidos da Terra.

À luz da cruz e da comissão do evangelho, por que todo elitismo espiritual, étnico ou mesmo político é tão repugnante aos olhos de Deus? Examine a si mesmo: você tem nutrido algum senso de superioridade espiritual ou étnica? Precisa se arrepender?

Quinta-feira, 25 de março de 2021. Saiba mais, faça um Curso Bíblico

_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. Isaías: Consolo para o povo de Deus. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 503, jan. fev. mar. 2021. Adulto, Professor. 
2 BÍBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

Novos céus e nova Terra (Is 65:17-25)

Lições da Bíblia1

1. Que tipo de restauração o Senhor prometeu em Isaías 65:17-25?

Isaías 65:17-25 (ARA)2: “17 Pois eis que eu crio novos céus e nova terra; e não haverá lembrança das coisas passadas, jamais haverá memória delas. 18 Mas vós folgareis e exultareis perpetuamente no que eu crio; porque eis que crio para Jerusalém alegria e para o seu povo, regozijo. 19 E exultarei por causa de Jerusalém e me alegrarei no meu povo, e nunca mais se ouvirá nela nem voz de choro nem de clamor. 20 Não haverá mais nela criança para viver poucos dias, nem velho que não cumpra os seus; porque morrer aos cem anos é morrer ainda jovem, e quem pecar só aos cem anos será amaldiçoado. 21 Eles edificarão casas e nelas habitarão; plantarão vinhas e comerão o seu fruto. 22 Não edificarão para que outros habitem; não plantarão para que outros comam; porque a longevidade do meu povo será como a da árvore, e os meus eleitos desfrutarão de todo as obras das suas próprias mãos. 23 Não trabalharão debalde, nem terão filhos para a calamidade, porque são a posteridade bendita do Senhor, e os seus filhos estarão com eles. 24 E será que, antes que clamem, eu responderei; estando eles ainda falando, eu os ouvirei. 25 O lobo e o cordeiro pastarão juntos, e o leão comerá palha como o boi; pó será a comida da serpente. Não se fará mal nem dano algum em todo o meu santo monte, diz o Senhor.

Deus prometeu uma nova criação: “Eis que Eu crio novos Céus e nova Terra; e não haverá lembrança das coisas passadas, jamais haverá memória delas” (Is 65:17). O Senhor prometeu “criar Jerusalém para regozijo, e Seu povo para alegria” (Is 65:18). Na cidade, não haveria mais choro (Is 65:19). As pessoas normalmente viveriam muito mais de um século antes de morrer (Is 65:20). Elas mesmas desfrutariam de Sua obra e se alegrariam com seus filhos (Is 65:21-23). Deus lhes responderia antes mesmo que clamassem (Is 65:24).

2. Por mais agradável que seja essa descrição, por que ela não é um quadro completo da restauração e esperança final? Assinale a alternativa correta:

A. ( ) Porque a esperança será mais grandiosa do que essa descrição.
B. ( ) Porque, apesar da vida longa, a morte ainda existirá.

Resposta sugestiva: Alternativa A.

Até o momento, o texto apresenta uma imagem de uma vida longeva e tranquila na terra prometida. Porém, embora as pessoas pudessem viver mais ali, elas ainda morreriam. Onde estaria a transformação radical da natureza tão esperada com a criação dos “novos céus” e da “nova Terra”? O verso seguinte revela: “O lobo e o cordeiro pastarão juntos, e o leão comerá palha como o boi; pó será a comida da serpente. Não se fará mal nem dano algum em todo o Meu santo monte, diz o Senhor” (Is 65:25).

Para que carnívoros como os leões se tornem vegetarianos, é necessário muito mais do que uma aula de culinária vegetariana. Isso requer uma recriação para restaurar o mundo ao seu estado ideal, como ele era antes da introdução da morte por meio do pecado no Éden.

Em Isaías 65, Deus apresenta a criação de “novos céus” e de uma “nova Terra” como um processo, uma série de etapas, que começaria com a recriação de Jerusalém. Compare com Isaías 11, em que o Messias traria justiça (Is 11:1-5 [“1 Do tronco de Jessé sairá um rebento, e das suas raízes, um renovo. 2 Repousará sobre ele o Espírito do Senhor, o Espírito de sabedoria e de entendimento, o Espírito de conselho e de fortaleza, o Espírito de conhecimento e de temor do Senhor. 3 Deleitar-se-á no temor do Senhor; não julgará segundo a vista dos seus olhos, nem repreenderá segundo o ouvir dos seus ouvidos; 4 mas julgará com justiça os pobres e decidirá com equidade a favor dos mansos da terra; ferirá a terra com a vara de sua boca e com o sopro dos seus lábios matará o perverso. 5 A justiça será o cinto dos seus lombos, e a fidelidade, o cinto dos seus rins.”]). Em seguida, haveria paz no “santo monte” mundial de Deus; as imagens usadas em Isaías 11 são semelhantes às encontradas em Isaías 65: “O lobo habitará com o cordeiro […] o leão comerá palha como o boi” (Is 11:6, 7) Embora o “santo monte” do Senhor começasse com o Monte Sião em Jerusalém, este era apenas um precursor, um símbolo do que Deus prometeu fazer, em última análise, em um novo mundo com Seu povo redimido

E se as pessoas vivessem um milhão de anos? Por que, ainda assim, o problema não seria resolvido? Por que a vida eterna é a única resposta para nossas mais profundas necessidades?

Domingo, 21 de março de 2021. Saiba mais, faça um Curso Bíblico

_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. Isaías: Consolo para o povo de Deus. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 503, jan. fev. mar. 2021. Adulto, Professor. 
2 BÍBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

Não mais lágrimas nem dor

Lições da Bíblia

“6. Leia Apocalipse 21:1-5; 22:1-5 e tente imaginar como será a vida descrita nesses versos. Por que é difícil imaginar a vida sem pecado, morte, dor e lágrimas?”1

Apocalipse (21:1-5 ARA)2: “1 Vi novo céu e nova terra, pois o primeiro céu e a primeira terra passaram, e o mar já não existe. 2 Vi também a cidade santa, a nova Jerusalém, que descia do céu, da parte de Deus, ataviada como noiva adornada para o seu esposo. 3 Então, ouvi grande voz vinda do trono, dizendo: Eis o tabernáculo de Deus com os homens. Deus habitará com eles. Eles serão povos de Deus, e Deus mesmo estará com eles.E lhes enxugará dos olhos toda lágrima, e a morte já não existirá, já não haverá luto, nem pranto, nem dor, porque as primeiras coisas passaram.E aquele que está assentado no trono disse: Eis que faço novas todas as coisas. E acrescentou: Escreve, porque estas palavras são fiéis e verdadeiras.”

Apocalipse (22:1-5 ARA)2: “1 Então, me mostrou o rio da água da vida, brilhante como cristal, que sai do trono de Deus e do Cordeiro. 2 No meio da sua praça, de uma e outra margem do rio, está a árvore da vida, que produz doze frutos, dando o seu fruto de mês em mês, e as folhas da árvore são para a cura dos povos. 3 Nunca mais haverá qualquer maldição. Nela, estará o trono de Deus e do Cordeiro. Os seus servos o servirão, 4 contemplarão a sua face, e na sua fronte está o nome dele. 5 Então, já não haverá noite, nem precisam eles de luz de candeia, nem da luz do sol, porque o Senhor Deus brilhará sobre eles, e reinarão pelos séculos dos séculos.”

“As descrições bíblicas da vida após o pecado são indiscutivelmente maravilhosas e gloriosas e, sem dúvida, representam somente em parte o que nos espera. Mesmo nesses versículos, as descrições tratam quase tanto do que não haverá ali quanto do que haverá. Visto que esse mundo é tudo o que conhecemos, é difícil imaginar a vida sem dor, sofrimento, morte, medo, injustiça nem pobreza.”1

“Ali, não apenas não haverá mais essas coisas, mas a descrição do Apocalipse acrescenta um toque pessoal: ‘E lhes enxugará dos olhos toda lágrima’ (Ap 21:4). No contexto dos salvos, a compaixão de Deus pelos que sofreram ao longo da história humana atinge um clímax nessa sentença. O Senhor não apenas acabará com o sofrimento deles, mas também enxugará suas lágrimas.”1

“Feridos e marcados por uma vida de pecado e um mundo de injustiças e tragédias, podemos ver no livro do Apocalipse um processo de cura para todos os que foram vítimas do pecado de diversas maneiras. Descrevendo a árvore da vida, João explicou que ‘as folhas da árvore são para a cura dos povos’ (Ap 22:2). Mais uma vez, Deus mostrará Sua compaixão pelo ser humano, que sente, experimenta, testemunha e sofre o mal neste mundo. Seu plano de recriar a Terra inclui restaurar e curar cada um de nós.”1

“Até esse tempo, busquemos ser tudo o que podemos em Cristo, fazendo nossa parte, por mais que ela seja pequena, a fim de ministrar àqueles que precisam do que temos para oferecer. Seja o que for – palavras gentis, uma refeição quente, ajuda médica, atendimento odontológico, roupas ou aconselhamento – devemos fazê-lo com o amor abnegado que Jesus manifestou quando esteve aqui.”1

“Evidentemente, o mundo ainda vai piorar cada vez mais, apesar dos nossos melhores esforços. Jesus sabia disso; no entanto, essa verdade não O impediu de ministrar aos outros, e isso também não deve nos impedir.”1

Quinta-feira, 12 de setembro de 2019. Saiba mais, faça um Curso Bíblico

_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. “Meus pequeninos irmãos”: servindo aos necessitados. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 496, jul. ago. set. 2019. Adulto, Professor. 
2 BÍBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

“Um novo Céu e uma nova Terra”

Lições da Bíblia

“Após a erradicação do pecado, a Terra será transformada no lar dos remidos. Como ela será?”1

“Em Apocalipse 21:1, João relata a visão de ‘um novo Céu e uma nova Terra’ (NVI). A Bíblia faz referência a três céus: o firmamento, o espaço sideral e o lugar em que Deus habita (veja 2Co 12:2 [‘Conheço um homem em Cristo que, há catorze anos, foi arrebatado até ao terceiro céu (se no corpo ou fora do corpo, não sei, Deus o sabe)’]). Em Apocalipse 21:1, há uma referência à atmosfera da Terra. O planeta contaminado e o Céu não poderão suportar a presença de Deus (Ap 20:11). Em grego, a palavra ‘novo’ (kainós) se refere a algo novo em qualidade, não em origem nem em tempo. Este planeta será purificado pelo fogo e restaurado ao seu estado original (2Pe 3:10-13).”1

“A primeira coisa observada por João na nova Terra foi que não havia mar, o que é especialmente interessante. O fato de João ter se referido ‘[ao] mar’ (com o artigo definido) mostra que ele provavelmente tivesse em mente o mar que o cercava em Patmos, que havia se tornado um símbolo de separação e sofrimento. Para João, a ausência desse mar na nova Terra significava a ausência da dor causada por sua separação daqueles a quem ele amava.”1

“5. Leia Apocalipse 21:2-8 e 7:15-17. Quais paralelos existem na descrição da nova Terra e do Jardim do Éden, em Gênesis 2?”1

Apocalipse (21:2-8 ARA)2: “2 Vi também a cidade santa, a nova Jerusalém, que descia do céu, da parte de Deus, ataviada como noiva adornada para o seu esposo. 3 Então, ouvi grande voz vinda do trono, dizendo: Eis o tabernáculo de Deus com os homens. Deus habitará com eles. Eles serão povos de Deus, e Deus mesmo estará com eles. 4 E lhes enxugará dos olhos toda lágrima, e a morte já não existirá, já não haverá luto, nem pranto, nem dor, porque as primeiras coisas passaram. 5 E aquele que está assentado no trono disse: Eis que faço novas todas as coisas. E acrescentou: Escreve, porque estas palavras são fiéis e verdadeiras. 6 Disse-me ainda: Tudo está feito. Eu sou o Alfa e o Ômega, o Princípio e o Fim. Eu, a quem tem sede, darei de graça da fonte da água da vida. 7 O vencedor herdará estas coisas, e eu lhe serei Deus, e ele me será filho. 8 Quanto, porém, aos covardes, aos incrédulos, aos abomináveis, aos assassinos, aos impuros, aos feiticeiros, aos idólatras e a todos os mentirosos, a parte que lhes cabe será no lago que arde com fogo e enxofre, a saber, a segunda morte.

Apocalipse (7:15-17 ARA)2: “15 razão por que se acham diante do trono de Deus e o servem de dia e de noite no seu santuário; e aquele que se assenta no trono estenderá sobre eles o seu tabernáculo. 16 Jamais terão fome, nunca mais terão sede, não cairá sobre eles o sol, nem ardor algum, 17 pois o Cordeiro que se encontra no meio do trono os apascentará e os guiará para as fontes da água da vida. E Deus lhes enxugará dos olhos toda lágrima.1

“A presença de Deus entre Seu povo garantirá uma vida sem sofrimento e sem morte na Terra renovada. Essa presença se manifestará na Nova Jerusalém, e o ‘tabernáculo de Deus’ (Ap 21:3), onde Ele habitará entre Seu povo. A presença do Senhor tornará a vida na Terra renovada verdadeiramente um paraíso.”1

“A presença de Deus garantirá a libertação do sofrimento. Não haverá mais lágrimas, morte, tristeza, choro nem dor, que são consequências do pecado. Com a erradicação do pecado, ‘as primeiras coisas’ terão passado (Ap 21:4).”1

“Essa ideia foi bem articulada por Maria e Marta na morte de seu irmão Lázaro: ‘Senhor, se estivesses aqui meu irmão não teria morrido’ (Jo 11:21, NVI). As irmãs sabiam que a morte não podia existir na presença de Cristo. Da mesma forma, a presença permanente de Deus na nova Terra assegurará a libertação da dor e do sofrimento que experimentamos nesta vida. Essa é a grande esperança que nos foi prometida em Cristo, uma esperança selada com Seu sangue.”1

“Por que essa promessa de uma nova existência em um mundo novo é tão central para nossa crença? Sem ela, de que serviria nossa fé?”1

Quarta-feira, 27 de março de 2019. Saiba mais, ouça o Comentário em áudio da Lição da Escola Sabatina (LES) ou se preferir faça um Curso Bíblico.
_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. O livro do Apocalipse. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 495, jan. fev. mar. 2019. Adulto, Professor.
2 BIBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

Novo céu e nova Terra

Lições da Bíblia

“Opecado e a rebelião têm sido intrusos. Nunca deviam ter existido aqui. Causaram grande dano, mas quando a causa desse dano não mais existir, será tempo de restaurar tudo à perfeição. Só quando isso acontecer é que o grande conflito estará terminado.”1

“4. Leia Apocalipse 21:1, 2, 9, 10; 22:1-3. Quais são as principais características da descrição de João? O que elas significam?”1 1 Vi novo céu e nova terra, pois o primeiro céu e a primeira terra passaram, e o mar já não existe. 2 Vi também a cidade santa, a nova Jerusalém, que descia do céu, da parte de Deus, ataviada como noiva adornada para o seu esposo. […] 9 Então, veio um dos sete anjos que têm as sete taças cheias dos últimos sete flagelos e falou comigo, dizendo: Vem, mostrar-te-ei a noiva, a esposa do Cordeiro; 10 e me transportou, em espírito, até a uma grande e elevada montanha e me mostrou a santa cidade, Jerusalém, que descia do céu, da parte de Deus,” (Apocalipse 21:1, 2, 9, 10 ARA)2.  “1 Então, me mostrou o rio da água da vida, brilhante como cristal, que sai do trono de Deus e do Cordeiro. 2 No meio da sua praça, de uma e outra margem do rio, está a árvore da vida, que produz doze frutos, dando o seu fruto de mês em mês, e as folhas da árvore são para a cura dos povos. 3 Nunca mais haverá qualquer maldição. Nela, estará o trono de Deus e do Cordeiro. Os seus servos o servirão,” (Apocalipse 22:1-3 ARA)2. “Não haverá mais tristezas, nem separação das pessoas que amamos. A cidade estará em festa para receber Cristo e reinaremos com Ele. Na nova Jerusalém não entrará a maldição do pecado.”1

“Quando João descreve o novo céu e a nova Terra, está repetindo o que Pedro disse: ‘Os céus passarão com estrepitoso estrondo, e os elementos se desfarão abrasados’ (2Pe 3:10). Como sabemos muito bem, a Terra precisa desesperadamente de mais do que uma simples renovação. Tudo aqui ficará completamente destruído, o que vai dar lugar para uma existência inteiramente nova.”1

“João falou também que o mar já não existirá (Ap 21:1). Ele escreveu isso de uma ilha-prisão (Patmos), onde o mar o impedia de escapar. Mesmo num barco moderno, leva horas para se chegar à ilha em que João escreveu essas palavras. Na Nova Terra não mais haverá nenhum tipo de barreira que impeça os redimidos de se locomoverem livremente ou de ver seus queridos.”1

“A Nova Jerusalém parece incrivelmente espetacular. É descrita em termos de uma cidade dos tempos bíblicos porque essa era toda a realidade que João conhecia. Contudo, as impressões dos artistas que a ilustram com uma arquitetura romana do primeiro século d.C. lhe prestam um grande desserviço, porque essa é uma cidade ‘da qual Deus é o arquiteto e edificador’ (Hb 11:10).”1

“Nossa mente mal pode captar essas descrições. Mas como é prazeroso deixar nossa imaginação se demorar naquilo que nos espera! Mal podemos começar a imaginar. Além disso, as grandes dimensões da cidade nos informam que não há escassez de espaço; há lugar para todos.”1

“Olhe ao redor a beleza do mundo natural e considere o que ela diz sobre o caráter de Deus, apesar das devastações causadas pelo pecado. Como essa visão nos inspira a confiar na esperança do que ainda não vemos?”1

Hoje teremos a quinta noite da Semana Santa. Vá ao pequeno grupo e aprenda mais sobre a “ComPaixão” de Cristo.
Envolva-se e seja abençoado!

Quarta-feira, 23 de março de 2016. Saiba mais, ouça o Comentário em áudio  da Lição da Escola Sabatina (LES) ou se pref//8ça um Curso Bíblico.

__________________

1 LIÇÕES da escola sabatina. Rebelião e redenção. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 484, Jan. Fev. Mar. 2016. Adulto, Professor.

2 BIBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.