Ame a mulher certa

Lições da Bíblia

“1. Enumere as consequências e problemas envolvidos em uma relação sexual antes do casamento ou um caso extraconjugal, conforme descritos em Provérbios 5:3-14. Assinale a alternativa correta:”1

Provérbios (5:3-14 ARA)2: “4 mas o fim dela é amargoso como o absinto, agudo, como a espada de dois gumes. 5 Os seus pés descem à morte; os seus passos conduzem-na ao inferno. 6 Ela não pondera a vereda da vida; anda errante nos seus caminhos e não o sabe. 7 Agora, pois, filho, dá-me ouvidos e não te desvies das palavras da minha boca. 8 Afasta o teu caminho da mulher adúltera e não te aproximes da porta da sua casa; 9 para que não dês a outrem a tua honra, nem os teus anos, a cruéis; 10 para que dos teus bens não se fartem os estranhos, e o fruto do teu trabalho não entre em casa alheia; 11 e gemas no fim de tua vida, quando se consumirem a tua carne e o teu corpo, 12 e digas: Como aborreci o ensino! E desprezou o meu coração a disciplina! 13 E não escutei a voz dos que me ensinavam, nem a meus mestres inclinei os ouvidos!

  1. ( ) Gravidez indesejada, doenças sexualmente transmissíveis e tristeza.
  2. ( ) Morte; perda da honra, dos anos de vida e dos bens.

Resposta sugestiva: Alternativa 2.

“A pessoa piedosa reserva (se não for casada) e preserva (se for casada) suas mais profundas afeições e intimidade sexual para o casamento. O livro de Provérbios é especificamente endereçado aos homens, mas a mesma ideia relacionada às mulheres é expressa em Cântico dos Cânticos de Salomão (compare com Ct 4:12-15). A poderosa atração do amor ilícito deve ser contrastada com as terríveis consequências desse pecado. Relações sexuais casuais não possuem compromisso e, portanto, ficam muito aquém da verdadeira intimidade. Recursos materiais, físicos e emocionais são desperdiçados. E, o mais importante, devemos responder a Deus pelas escolhas feitas na vida.”1

“A intimidade sexual, um dos maiores presentes de Deus para o ser humano, é um privilégio apenas do casamento (Mt 19:5; 1Co 7:3, 4; Hb 13:4). Em Provérbios, a imagem de um abundante manancial que satisfaz é usada como um delicado símbolo do prazer e satisfação que os cônjuges devem obter, juntos, em seu amor. Isso é contrastado com o desperdício que resulta da infidelidade. A expressão ‘a mulher da tua mocidade’ (Pv 5:18) indica que, mesmo quando os dois amadurecem e envelhecem, o compromisso deles deve continuar. Um marido ainda é arrebatado (‘embriagado’ [Pv 5:19]) pelos encantos de sua esposa.”1

“Na condição humana caída, os instintos sexuais podem seduzir indivíduos, afastando-os do propósito divino para a sexualidade. No entanto, Deus também deu à humanidade o poder de raciocinar e escolher. Essas tentações, se não forem continuamente subjugadas, podem se tornar irresistíveis. Um firme compromisso com o propósito divino para a sexualidade no casamento pode impedir o desenvolvimento de relações sexuais ilícitas. A escolha da permanente fidelidade ao propósito de Deus para a sexualidade no casamento não é apenas prudente, mas também traz recompensas abundantes.”1

“Imagine alguém que esteja sofrendo com tentações sexuais capazes de destruir o casamento. Qual conselho você daria a essa pessoa?”1

Fortaleça sua vida por meio do estudo da Palavra de Deus: acesse o site http://reavivadosporsuapalavra.org

Domingo, 28 de abril de 2019. Saiba mais, ouça o Comentário em áudio da Lição da Escola Sabatina (LES) ou se preferir faça um Curso Bíblico.
_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. Estações da vida. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 496, abr. maio. jun. 2019. Adulto, Professor.
2 BIBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

A mulher e o dragão

Lições da Bíblia

“1. Leia Apocalipse 12:1-5. João viu dois grandes sinais: uma mulher grávida de um filho e um dragão. Quem é essa mulher e o que esses versos ensinam?”1

Apocalipse (12:1-5 ARA): “1 Viu-se grande sinal no céu, a saber, uma mulher vestida do sol com a lua debaixo dos pés e uma coroa de doze estrelas na cabeça, 2 que, achando-se grávida, grita com as dores de parto, sofrendo tormentos para dar à luz. 3 Viu-se, também, outro sinal no céu, e eis um dragão, grande, vermelho, com sete cabeças, dez chifres e, nas cabeças, sete diademas. 4 A sua cauda arrastava a terça parte das estrelas do céu, as quais lançou para a terra; e o dragão se deteve em frente da mulher que estava para dar à luz, a fim de lhe devorar o filho quando nascesse. 5 Nasceu-lhe, pois, um filho varão, que há de reger todas as nações com cetro de ferro. E o seu filho foi arrebatado para Deus até ao seu trono.

“Na Bíblia, a palavra ‘mulher’ é usada como símbolo do povo de Deus (2Co 11:2): uma mulher pura representa cristãos fiéis, enquanto uma prostituta representa cristãos apóstatas. A mulher de Apocalipse 12 simboliza primeiramente Israel, a quem o Messias veio (Ap 12:1-5); nos versos 13 a 17 ela representa a igreja verdadeira que dá à luz o remanescente.”1

“O Sol representa a glória do caráter de Cristo, a Sua justiça (Ml 4:2). Ele é ‘a luz do mundo’ (Jo 8:12), e Seu povo deve refletir a luz do Seu caráter amoroso (Mt 5:14-16). A Lua, um luzeiro menor (Gn 1:16), aponta para as promessas do Antigo Testamento, prefigurando a obra de Cristo.”1

“Outro sinal que João observou na visão foi um dragão vermelho, posteriormente identificado como o diabo e Satanás, a antiga serpente (Ap 12:9). A sua cauda, simbolizando os meios usados para enganar (Is 9:14, 15; Ap 9:10), arrastou um terço das estrelas do Céu para a Terra. Ao cair de sua posição exaltada no Céu (Is 14:12-15), Satanás conseguiu enganar um terço dos anjos. Esses anjos caídos são demônios que auxiliam o diabo na oposição a Deus e à Sua obra de salvação (veja 1Tm 4:1 [‘Ora, o Espírito afirma expressamente que, nos últimos tempos, alguns apostatarão da fé, por obedecerem a espíritos enganadores e a ensinos de demônios,’]). O dragão é descrito como tendo ‘sete cabeças e dez chifres’ (Ap 12:3, ARC), símbolo dos agentes no mundo usados por Satanás: Roma pagã (Ap 12:4) e o espiritismo (Ap 16:13). ‘Declara-se que o dragão é Satanás (Ap 12:9); foi ele que atuou sobre Herodes a fim de matar o Salvador. Mas o principal agente de Satanás, ao fazer guerra contra Cristo e Seu povo, durante os primeiros séculos da era cristã, foi o Império Romano, em que o paganismo era a religião dominante. Assim, embora o dragão represente primeiramente Satanás, é, em sentido secundário, símbolo de Roma pagã’ (Ellen G. White, O Grande Conflito, p. 438).”1

“2. Leia Apocalipse 12:9. Satanás foi chamado de ‘a antiga serpente’. Qual é a relação entre Gênesis 3:15 e a tentativa do dragão de destruir o Descendente da mulher ‘quando [Este] nascesse’ (Ap 12:4)?”1

Apocalipse (12:9 ARA)2: “E foi expulso o grande dragão, a antiga serpente, que se chama diabo e Satanás, o sedutor de todo o mundo, sim, foi atirado para a terra, e, com ele, os seus anjos.

Gênesis (3:15 ARA)2: “Porei inimizade entre ti e a mulher, entre a tua descendência e o seu descendente. Este te ferirá a cabeça, e tu lhe ferirás o calcanhar.

Apocalipse (12:4 ARA)2: “A sua cauda arrastava a terça parte das estrelas do céu, as quais lançou para a terra; e o dragão se deteve em frente da mulher que estava para dar à luz, a fim de lhe devorar o filho quando nascesse.

“Desde o princípio, Satanás esteve à espera do Messias, o Filho que nasceria para destruí-lo. Quando o Messias nasceu, Satanás usou Roma pagã (simbolizada pelo dragão em Ap 12:4) a fim de destruí-Lo (veja Mt 2:13-16 [‘13 Tendo eles partido, eis que apareceu um anjo do Senhor a José, em sonho, e disse: Dispõe-te, toma o menino e sua mãe, foge para o Egito e permanece lá até que eu te avise; porque Herodes há de procurar o menino para o matar. 14 Dispondo-se ele, tomou de noite o menino e sua mãe e partiu para o Egito; 15 e lá ficou até à morte de Herodes, para que se cumprisse o que fora dito pelo Senhor, por intermédio do profeta: Do Egito chamei o meu Filho. 16 Vendo-se iludido pelos magos, enfureceu-se Herodes grandemente e mandou matar todos os meninos de Belém e de todos os seus arredores, de dois anos para baixo, conforme o tempo do qual com precisão se informara dos magos.’]2). Mas o Filho ‘foi arrebatado para Deus até ao Seu trono’ (Ap 12:5).”1

Dez Dias de Oração: Enoque intercedia pelas pessoas que ele procurava salvar. Interceda pelos seguintes amigos da igreja:

Domingo, 17 de fevereiro de 2019. Saiba mais, ouça o Comentário em áudio da Lição da Escola Sabatina (LES) ou se preferir faça um Curso Bíblico.
_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. O livro do Apocalipse. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 495, jan. fev. mar. 2019. Adulto, Professor.
2 BIBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

Deus criou o homem e a mulher

Lições da Bíblia

“Uma das perguntas recorrentes que têm sido feitas pelos seres humanos é: ‘De onde vim?’ Nos dois primeiros capítulos da Bíblia (e, na verdade, ao longo de toda ela) nos é dada a resposta para essa pergunta que muitos consideram a mais importante que alguém possa fazer. Afinal de contas, somente sabendo de onde viemos é que podemos começar a saber quem somos, por que existimos, como devemos viver, e, no fim, para onde vamos.”1

“1. Leia Gênesis 1 e 2, mas especialmente Gênesis 1:26-28. Que grandes diferenças aparecem na criação da humanidade, em contraste com o restante da criação? O que destaca os seres humanos das outras criaturas?”1 “26 Também disse Deus: Façamos o homem à nossa imagem, conforme a nossa semelhança; tenha ele domínio sobre os peixes do mar, sobre as aves dos céus, sobre os animais domésticos, sobre toda a terra e sobre todos os répteis que rastejam pela terra. 27 Criou Deus, pois, o homem à sua imagem, à imagem de Deus o criou; homem e mulher os criou.” (Gênesis 1:26-28 ARA)2. “Os seres humanos foram criados por último e, de maneira diferente do restante da criação, foram criados à imagem e semelhança de Deus, e deveriam ter domínio sobre o restante dos seres criados.1

“1. O homem e a mulher foram criados por último. Tinham diante deles toda a criação visível para estudar e cuidar.”1

“2. O modo divino de criar o homem e a mulher foi diferente daquele pelo qual vieram à existência as outras criaturas. Até esse ponto, a ordem divina tinha sido: ‘Haja’ (luz, firmamento, água, peixes, aves, animais, etc.). Então a ordem se transformou numa decisão conjunta: ‘Façamos o homem […]’ As três pessoas da Divindade – Pai, Filho e Espírito Santo – conversaram sobre o assunto para tomar uma decisão. Embora esses dois capítulos tratem da criação da Terra e das criaturas que ela contém, não há dúvida de que o principal enfoque estava na criação da humanidade.”1

“3. O homem e a mulher foram criados à imagem e semelhança de Deus, algo que não é dito a respeito de nada mais do que foi criado naquela ocasião. Embora o texto não diga o que significa ser criado à imagem e semelhança de Deus, isso deve significar que os seres humanos, de alguma forma, refletem o caráter de seu Criador. Uma vez que temos uma capacidade moral que não é vista em outras criaturas, ser feito à imagem e semelhança de Deus certamente significa que os seres humanos refletem, até certo ponto, o caráter moral de Deus. As borboletas, por exemplo, podem ser belas, mas não se preocupam com questões relativas ao que é certo ou errado.”1

“4. O homem e a mulher deveriam ter domínio, representar Deus na Terra e governar sobre o restante da criação. Esse chamado necessariamente acarreta responsabilidade.”1

“Os seres humanos são apresentados no primeiro capítulo da Bíblia, mas não isoladamente. Existimos, mas dentro de um relacionamento com Deus. Que importância Deus deve ter em nossa vida? Podemos ser realmente ‘completos’ sem Ele? Leia também Atos 17:28 [‘pois nele vivemos, e nos movemos, e existimos, como alguns dos vossos poetas têm dito: Porque dele também somos geração.’]2.”1

Domingo, 28 de junho de 2015 . Saiba mais, ouça o Comentário em áudio  da Lição da Escola Sabatina (LES) ou se preferir faça um Curso Bíblico.

__________________

1 LIÇÕES da escola sabatina. Missionários. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 481, Jul. Ago. Set. 2015. Adulto, Professor.

2 BIBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

As mulheres no ministério de Jesus – Estudo adicional

Lições da Bíblia

Assista em vídeo a discussão do tema da semana.

Estudo adicional

“Aquele ‘que não esqueceu Sua mãe quando em agonia, suspenso na cruz; que apareceu às mulheres em pranto e as tornou mensageiras da primeira boa-nova do Salvador ressuscitado – […] é o melhor amigo da mulher hoje e está pronto a ajudá-la em seus relacionamentos da vida’ (Ellen G. White, O Lar Adventista, p. 204).”1

“‘O Senhor tem uma obra para as mulheres assim como para os homens. Elas podem ocupar seus lugares em Sua obra nessa crise, e Ele atuará por meio delas. Uma vez que se deixem possuir pelo senso do dever, e trabalhem sob a influência do Espírito Santo, terão o domínio de si mesmas que este tempo requer. O Salvador fará refletir a luz de Seu rosto sobre essas abnegadas mulheres, e lhes dará poder que ultrapassa o dos homens. Elas podem fazer nas famílias uma obra que os homens não podem realizar, obra que alcança a vida íntima. Podem chegar bem perto do coração daqueles que estão além do alcance dos homens. Seu trabalho é necessário’ (Ellen G. White, Evangelismo, p. 464, 465).”1

Perguntas para reflexão

“1. Os evangelhos falam de mulheres como as primeiras a ver o Cristo ressuscitado e a proclamar aos outros Sua ressurreição. Os apologistas bíblicos têm conseguido usar esse fato para ajudar a afirmar a realidade da ressurreição de Jesus. Por que o papel das mulheres é tão importante? Se, como alguns afirmam, as histórias da ressurreição de Jesus foram fabricadas pelos autores, por que eles teriam colocado mulheres, que não eram tidas em alta estima naquela sociedade, como as primeiras a ver Jesus? Se eles estavam inventando histórias para tentar fazer com que as pessoas acreditassem, por que usar mulheres em vez de homens?”1

“2. Numa sociedade que nem sempre reconhecia a dignidade das mulheres, Jesus lhes deu o status que lhes pertence na divina ordem da criação: elas são filhas de Deus, filhas de Abraão, e iguais aos homens na nova era do evangelho. Ao mesmo tempo, embora sejam iguais perante Deus, homens e mulheres não são idênticos. Como podemos afirmar a igualdade dos homens e das mulheres perante Deus? Como podemos afirmar e reconhecer as diferenças, e saber como essas diferenças aparecem na vida da igreja?”1

Sexta-feira, 08 de maio de 2015 . Saiba mais, ouça o Comentário em áudio  da Lição da Escola Sabatina (LES) ou se preferir faça um Curso Bíblico.

__________________

1 LIÇÕES da escola sabatina. O evangelho de Lucas. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 480, Abr. Mai. Jun. 2015. Adulto, Professor.

Algumas mulheres que seguiram Jesus

Lições da Bíblia

“4. Leia Lucas 10:38-42. Que importantes verdades espirituais podemos tirar dessa história para nós mesmos (ver também Lc 8:14)?”1 “38 Indo eles de caminho, entrou Jesus num povoado. E certa mulher, chamada Marta, hospedou-o na sua casa. 39 Tinha ela uma irmã, chamada Maria, e esta quedava-se assentada aos pés do Senhor a ouvir-lhe os ensinamentos. 40 Marta agitava-se de um lado para outro, ocupada em muitos serviços. Então, se aproximou de Jesus e disse: Senhor, não te importas de que minha irmã tenha deixado que eu fique a servir sozinha? Ordena-lhe, pois, que venha ajudar-me. 41 Respondeu-lhe o Senhor: Marta! Marta! Andas inquieta e te preocupas com muitas coisas. 42 Entretanto, pouco é necessário ou mesmo uma só coisa; Maria, pois, escolheu a boa parte, e esta não lhe será tirada.” (Lucas 10:38-42 ARA). “A que cai entre espinhos são os que ouviram e, no decorrer dos dias, foram sufocados com os cuidados, riquezas e deleites da vida; os seus frutos não chegam a amadurecer.” (Lucas 8:14 ARA). “Devemos ser ativos no serviço do Senhor, mas a prioridade é a comunhão com Ele; sem isso nossos esforços não serão de utilidade alguma.1

“Como anfitriã, Marta estava ‘ocupada em muitos serviços’ (Lc 10:40) e preocupada em fazer o melhor para os convidados. Mas Maria ‘quedava-se assentada aos pés do Senhor a ouvir-Lhe os ensinamentos’ (v. 39). A tal ponto que Marta reclamou para Jesus que todo o trabalho duro tinha ficado para ela. Embora Jesus não tenha censurado Marta por sua preocupação com o serviço, enfatizou a necessidade de prioridades corretas na vida. O companheirismo com Jesus é o primeiro ponto essencial no discipulado; o junta-panelas pode vir mais tarde.”1

“‘A causa de Cristo requer obreiros cuidadosos e enérgicos. Existe vasto campo para as Martas, com seu zelo na obra religiosa ativa. Primeiramente, porém, sentem-se elas com Maria aos pés de Jesus. Sejam a diligência, prontidão e energia santificadas pela graça de Cristo; então a vida será uma invencível força para o bem’ (Ellen G. White, O Desejado de Todas as Nações, p. 525).”1

“5. Leia Lucas 8:1-3; 23:55, 56; 24:1-12. O que esses versos ensinam sobre o papel das mulheres no ministério de Cristo?”1 “1 Aconteceu, depois disto, que andava Jesus de cidade em cidade e de aldeia em aldeia, pregando e anunciando o evangelho do reino de Deus, e os doze iam com ele, 2 e também algumas mulheres que haviam sido curadas de espíritos malignos e de enfermidades: Maria, chamada Madalena, da qual saíram sete demônios; 3 e Joana, mulher de Cuza, procurador de Herodes, Suzana e muitas outras, as quais lhe prestavam assistência com os seus bens.” (Lucas 8:1-3 ARA); “55 As mulheres que tinham vindo da Galiléia com Jesus, seguindo, viram o túmulo e como o corpo fora ali depositado. 56 Então, se retiraram para preparar aromas e bálsamos. E, no sábado, descansaram, segundo o mandamento.” (Lucas 23:55, 56 ARA); 1 Mas, no primeiro dia da semana, alta madrugada, foram elas ao túmulo, levando os aromas que haviam preparado. 2 E encontraram a pedra removida do sepulcro; 3 mas, ao entrarem, não acharam o corpo do Senhor Jesus. 4 Aconteceu que, perplexas a esse respeito, apareceram-lhes dois varões com vestes resplandecentes. 5 Estando elas possuídas de temor, baixando os olhos para o chão, eles lhes falaram: Por que buscais entre os mortos ao que vive? 6 Ele não está aqui, mas ressuscitou. Lembrai-vos de como vos preveniu, estando ainda na Galiléia, 7 quando disse: Importa que o Filho do Homem seja entregue nas mãos de pecadores, e seja crucificado, e ressuscite no terceiro dia. 8 Então, se lembraram das suas palavras. 9 E, voltando do túmulo, anunciaram todas estas coisas aos onze e a todos os mais que com eles estavam. 10 Eram Maria Madalena, Joana e Maria, mãe de Tiago; também as demais que estavam com elas confirmaram estas coisas aos apóstolos. 11 Tais palavras lhes pareciam um como delírio, e não acreditaram nelas. 12 Pedro, porém, levantando-se, correu ao sepulcro. E, abaixando-se, nada mais viu, senão os lençóis de linho; e retirou-se para casa, maravilhado do que havia acontecido.” (Lucas 24:1-12 ARA)2. “As mulheres muitas vezes acompanhavam Cristo em Suas viagens e Lhe prestavam assistência com seus bens. Foram as primeiras a proclamar Sua ressurreição.1

“À medida que Seu ministério se expandia, ‘andava Jesus de cidade em cidade e de aldeia em aldeia, pregando e ensinando (Lc 8:1), e os 12 discípulos O acompanhavam. Lucas também registra o poderoso testemunho de que certas mulheres que Jesus havia curado, que foram tocadas por Sua pregação e que eram ricas, também O seguiam em Seu ministério ampliado. Eis aqui algumas que Lucas menciona: (1) certas mulheres curadas de espíritos maus, inclusive Maria Madalena; (2) Joana, mulher de Cuza, procurador de Herodes; (3) Susana; e (4) ‘muitas outras, as quais Lhe prestavam assistência com os seus bens’ (v. 3).”1

“Quando compreendemos que Jesus morreu por todo ser humano, podemos entender melhor a verdadeira igualdade de todas as pessoas diante de Deus. Refletimos bem essa verdade em nossa atitude para com os outros? Isto é, como você pode desarraigar, se necessário, qualquer atitude pela qual se incline a olhar para os outros como se, de alguma forma, tivessem menos valor que você?”1

Quarta-feira, 06 de maio de 2015 . Saiba mais, ouça o Comentário em áudio  da Lição da Escola Sabatina (LES) ou se preferir faça um Curso Bíblico.

__________________

1 LIÇÕES da escola sabatina. O evangelho de Lucas. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 480, Abr. Mai. Jun. 2015. Adulto, Professor.

2 BIBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

Mulheres de gratidão e fé

Lições da Bíblia

“Em Lucas 7:36-50, Jesus transformou uma refeição num evento de magnitude espiritual que deu dignidade a uma mulher pecadora. Simão, um cidadão importante, fariseu, convidou Jesus para uma refeição. Depois de os convidados já estarem sentados, houve uma repentina interrupção: ‘Eis que uma mulher da cidade, pecadora’ (v. 37) foi direto até Jesus, rapidamente, quebrou um frasco de alabastro de um perfume muito caro, derramou o unguento sobre Ele, inclinou-­se aos Seus pés e os lavou com suas lágrimas.”1

“36 Convidou-o um dos fariseus para que fosse jantar com ele. Jesus, entrando na casa do fariseu, tomou lugar à mesa. 37 E eis que uma mulher da cidade, pecadora, sabendo que ele estava à mesa na casa do fariseu, levou um vaso de alabastro com ungüento; 38 e, estando por detrás, aos seus pés, chorando, regava-os com suas lágrimas e os enxugava com os próprios cabelos; e beijava-lhe os pés e os ungia com o ungüento. 39 Ao ver isto, o fariseu que o convidara disse consigo mesmo: Se este fora profeta, bem saberia quem e qual é a mulher que lhe tocou, porque é pecadora. 40 Dirigiu-se Jesus ao fariseu e lhe disse: Simão, uma coisa tenho a dizer-te. Ele respondeu: Dize-a, Mestre. 41 Certo credor tinha dois devedores: um lhe devia quinhentos denários, e o outro, cinqüenta. 42 Não tendo nenhum dos dois com que pagar, perdoou-lhes a ambos. Qual deles, portanto, o amará mais? 43 Respondeu-lhe Simão: Suponho que aquele a quem mais perdoou. Replicou-lhe: Julgaste bem. 44 E, voltando-se para a mulher, disse a Simão: Vês esta mulher? Entrei em tua casa, e não me deste água para os pés; esta, porém, regou os meus pés com lágrimas e os enxugou com os seus cabelos. 45 Não me deste ósculo; ela, entretanto, desde que entrei não cessa de me beijar os pés. 46 Não me ungiste a cabeça com óleo, mas esta, com bálsamo, ungiu os meus pés. 47 Por isso, te digo: perdoados lhe são os seus muitos pecados, porque ela muito amou; mas aquele a quem pouco se perdoa, pouco ama. 48 Então, disse à mulher: Perdoados são os teus pecados. 49 Os que estavam com ele à mesa começaram a dizer entre si: Quem é este que até perdoa pecados? 50 Mas Jesus disse à mulher: A tua fé te salvou; vai-te em paz.” (Lucas 7:36-50 ARA)2.

“3. Que lições podemos aprender com esse transbordamento de gratidão da mulher e com a aceitação de seu ato de fé por parte de Jesus?”1Se amamos a Cristo, devemos demonstrar-Lhe nosso amor, como fez Maria. Jesus aceitou e apreciou a demonstração de amor de Maria, e anseia receber demonstrações de amor de nossa parte igualmente.1

“’Quando, aos olhos humanos, seu caso parecia desesperado, Cristo viu em Maria aptidões para o bem. Viu os melhores traços de seu caráter. O plano da redenção dotou a humanidade de grandes possibilidades, e em Maria se deviam as mesmas realizar. Mediante Sua graça, tornou-se participante da natureza divina. […] Foi a primeira a estar junto ao sepulcro, depois da ressurreição. A primeira a proclamar o Salvador ressuscitado’ (Ellen G. White, O Desejado de Todas as Nações, p. 568).”1

“Em Lucas 8:43-48, um caso de extrema miséria se torna objeto da suprema consideração do Salvador. Durante muito tempo a mulher tivera uma doença incurável que lhe havia devastado o corpo e a alma. Contudo, em meio a essa tragédia que já durava 12 anos, uma centelha de esperança surgiu repentinamente em cena: ela ‘ouviu falar de Jesus’ (Mc 5:27, NVI). O que ela ouviu falar? Se muito ou pouco, não sabemos. Mas ela sabia que Jesus Se importava com os pobres; que Ele acolhia os marginalizados pela sociedade; que tocava leprosos; que transformara água em vinho; e, acima de tudo, que Se interessava por pessoas desesperadas, e ela era uma delas. Mas apenas ouvir não era suficiente; o ato de ouvir precisava levar à fé (Rm 10:17). E essa fé a levou a um ato simples de tocar a orla das vestes de Jesus. Esse toque foi movido pela fé, foi proposital, eficaz e centralizado em Cristo. Somente uma fé assim pode receber a bênção do Doador da vida: ‘A tua fé te salvou’ (Lc 8:48).”1

“É tão fácil olhar para as pessoas e julgá-las! Como podemos aprender a parar de julgar os outros, mesmo em nossos pensamentos, quando não sabemos o que faríamos se estivéssemos na situação deles?”1

Terça-feira, 05 de maio de 2015 . Saiba mais, ouça o Comentário em áudio  da Lição da Escola Sabatina (LES) ou se preferir faça um Curso Bíblico.

__________________

1 LIÇÕES da escola sabatina. O evangelho de Lucas. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 480, Abr. Mai. Jun. 2015. Adulto, Professor.

2 BIBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

As mulheres e o ministério de cura de Jesus

Lições da Bíblia

“Leia Lucas 7:11-17, [11 Em dia subseqüente, dirigia-se Jesus a uma cidade chamada Naim, e iam com ele os seus discípulos e numerosa multidão. 12 Como se aproximasse da porta da cidade, eis que saía o enterro do filho único de uma viúva; e grande multidão da cidade ia com ela. 13 Vendo-a, o Senhor se compadeceu dela e lhe disse: Não chores! 14 Chegando-se, tocou o esquife e, parando os que o conduziam, disse: Jovem, eu te mando: levanta-te! 15 Sentou-se o que estivera morto e passou a falar; e Jesus o restituiu a sua mãe. 16 Todos ficaram possuídos de temor e glorificavam a Deus, dizendo: Grande profeta se levantou entre nós; e: Deus visitou o seu povo. 17 Esta notícia a respeito dele divulgou-se por toda a Judéia e por toda a circunvizinhança. (Lucas 7:11-17 ARA)2.] a história sobre o milagre de Naim. Aquela mulher, pobre e viúva, enfrentava outra provação: a morte de seu único filho. Uma grande multidão de pranteadores estava com ela no cortejo fúnebre, expressando a dor e a simpatia do público. A perda de seu único filho, juntamente com o futuro incerto da vida na solidão, transformavam a viúva numa figura de tristeza e desesperança absolutas.”1

“Mas o cortejo fúnebre que estava saindo da cidade se encontrou com outro cortejo que estava entrando. À frente do grupo que saía estava a morte num caixão; à frente do grupo que entrava havia a vida na majestade do Criador. Quando os dois grupos se encontraram, Jesus viu a viúva, desesperada e cheia de dor. ‘Vendo-a, o Senhor se compadeceu dela e lhe disse: Não chores!’ (Lc 7:13). O pedido para que ela não chorasse teria sido sem sentido caso não tivesse vindo de Jesus, o Senhor da vida. Por trás da ordem ‘Não chores!’ estava o poder de remover a razão do choro: Jesus Se achegou, tocou o esquife, e ordenou ao jovem que se levantasse. Esse toque era considerado uma impureza cerimonial (Nm 19:11-13), mas para Jesus a compaixão era mais importante que cerimônias. Satisfazer as necessidades humanas era mais urgente do que seguir meros rituais.”1

“A aldeia de Naim não só testemunhou um grande milagre, mas também recebeu uma mensagem maravilhosa: em Jesus não há diferença entre as dores emocionais dos homens e as das mulheres. E Sua presença confronta e confunde o poder da morte.”1

“Leia também Lucas 8:41, 42, 49-56. [41 Eis que veio um homem chamado Jairo, que era chefe da sinagoga, e, prostrando-se aos pés de Jesus, lhe suplicou que chegasse até a sua casa. 42 Pois tinha uma filha única de uns doze anos, que estava à morte. Enquanto ele ia, as multidões o apertavam. […] 46 Contudo, Jesus insistiu: Alguém me tocou, porque senti que de mim saiu poder. 47 Vendo a mulher que não podia ocultar-se, aproximou-se trêmula e, prostrando-se diante dele, declarou, à vista de todo o povo, a causa por que lhe havia tocado e como imediatamente fora curada. 48 Então, lhe disse: Filha, a tua fé te salvou; vai-te em paz. 49 Falava ele ainda, quando veio uma pessoa da casa do chefe da sinagoga, dizendo: Tua filha já está morta, não incomodes mais o Mestre. 50 Mas Jesus, ouvindo isto, lhe disse: Não temas, crê somente, e ela será salva. 51 Tendo chegado à casa, a ninguém permitiu que entrasse com ele, senão Pedro, João, Tiago e bem assim o pai e a mãe da menina. 52 E todos choravam e a pranteavam. Mas ele disse: Não choreis; ela não está morta, mas dorme. 53 E riam-se dele, porque sabiam que ela estava morta. 54 Entretanto, ele, tomando-a pela mão, disse-lhe, em voz alta: Menina, levanta-te! 55 Voltou-lhe o espírito, ela imediatamente se levantou, e ele mandou que lhe dessem de comer. 56 Seus pais ficaram maravilhados, mas ele lhes advertiu que a ninguém contassem o que havia acontecido. (Lucas 8:41, 42, 49-56.)2.] Jairo era alguém influente – o chefe da sinagoga, isto é, um oficial encarregado de cuidar da sinagoga e de seus serviços. A cada sábado ele escolhia a pessoa que dirigiria a oração, a leitura das Escrituras e a pregação. Ele era não apenas importante e influente, mas também rico e poderoso. Amava a filha, e não hesitou em se aproximar de Jesus e pedir a cura para ela.”1

“Nessas histórias, foi o poder das palavras de Jesus que trouxe um filho morto de volta para a mãe e uma filha morta de volta ao pai. O que esses relatos nos dizem sobre o poder de Deus? O que eles nos dizem sobre quão limitados somos na compreensão desse poder? E o mais importante: quaisquer que sejam nossas circunstâncias atuais, o que precisamos fazer para aprender a confiar nesse poder e na bondade do Deus que o exerce?”1

Segunda-feira, 04 de maio de 2015 . Saiba mais, ouça o Comentário em áudio  da Lição da Escola Sabatina (LES) ou se preferir faça um Curso Bíblico.

__________________

1 LIÇÕES da escola sabatina. O evangelho de Lucas. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 480, Abr. Mai. Jun. 2015. Adulto, Professor.

2 BIBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.