Mulheres de gratidão e fé

Lições da Bíblia

“Em Lucas 7:36-50, Jesus transformou uma refeição num evento de magnitude espiritual que deu dignidade a uma mulher pecadora. Simão, um cidadão importante, fariseu, convidou Jesus para uma refeição. Depois de os convidados já estarem sentados, houve uma repentina interrupção: ‘Eis que uma mulher da cidade, pecadora’ (v. 37) foi direto até Jesus, rapidamente, quebrou um frasco de alabastro de um perfume muito caro, derramou o unguento sobre Ele, inclinou-­se aos Seus pés e os lavou com suas lágrimas.”1

“36 Convidou-o um dos fariseus para que fosse jantar com ele. Jesus, entrando na casa do fariseu, tomou lugar à mesa. 37 E eis que uma mulher da cidade, pecadora, sabendo que ele estava à mesa na casa do fariseu, levou um vaso de alabastro com ungüento; 38 e, estando por detrás, aos seus pés, chorando, regava-os com suas lágrimas e os enxugava com os próprios cabelos; e beijava-lhe os pés e os ungia com o ungüento. 39 Ao ver isto, o fariseu que o convidara disse consigo mesmo: Se este fora profeta, bem saberia quem e qual é a mulher que lhe tocou, porque é pecadora. 40 Dirigiu-se Jesus ao fariseu e lhe disse: Simão, uma coisa tenho a dizer-te. Ele respondeu: Dize-a, Mestre. 41 Certo credor tinha dois devedores: um lhe devia quinhentos denários, e o outro, cinqüenta. 42 Não tendo nenhum dos dois com que pagar, perdoou-lhes a ambos. Qual deles, portanto, o amará mais? 43 Respondeu-lhe Simão: Suponho que aquele a quem mais perdoou. Replicou-lhe: Julgaste bem. 44 E, voltando-se para a mulher, disse a Simão: Vês esta mulher? Entrei em tua casa, e não me deste água para os pés; esta, porém, regou os meus pés com lágrimas e os enxugou com os seus cabelos. 45 Não me deste ósculo; ela, entretanto, desde que entrei não cessa de me beijar os pés. 46 Não me ungiste a cabeça com óleo, mas esta, com bálsamo, ungiu os meus pés. 47 Por isso, te digo: perdoados lhe são os seus muitos pecados, porque ela muito amou; mas aquele a quem pouco se perdoa, pouco ama. 48 Então, disse à mulher: Perdoados são os teus pecados. 49 Os que estavam com ele à mesa começaram a dizer entre si: Quem é este que até perdoa pecados? 50 Mas Jesus disse à mulher: A tua fé te salvou; vai-te em paz.” (Lucas 7:36-50 ARA)2.

“3. Que lições podemos aprender com esse transbordamento de gratidão da mulher e com a aceitação de seu ato de fé por parte de Jesus?”1Se amamos a Cristo, devemos demonstrar-Lhe nosso amor, como fez Maria. Jesus aceitou e apreciou a demonstração de amor de Maria, e anseia receber demonstrações de amor de nossa parte igualmente.1

“’Quando, aos olhos humanos, seu caso parecia desesperado, Cristo viu em Maria aptidões para o bem. Viu os melhores traços de seu caráter. O plano da redenção dotou a humanidade de grandes possibilidades, e em Maria se deviam as mesmas realizar. Mediante Sua graça, tornou-se participante da natureza divina. […] Foi a primeira a estar junto ao sepulcro, depois da ressurreição. A primeira a proclamar o Salvador ressuscitado’ (Ellen G. White, O Desejado de Todas as Nações, p. 568).”1

“Em Lucas 8:43-48, um caso de extrema miséria se torna objeto da suprema consideração do Salvador. Durante muito tempo a mulher tivera uma doença incurável que lhe havia devastado o corpo e a alma. Contudo, em meio a essa tragédia que já durava 12 anos, uma centelha de esperança surgiu repentinamente em cena: ela ‘ouviu falar de Jesus’ (Mc 5:27, NVI). O que ela ouviu falar? Se muito ou pouco, não sabemos. Mas ela sabia que Jesus Se importava com os pobres; que Ele acolhia os marginalizados pela sociedade; que tocava leprosos; que transformara água em vinho; e, acima de tudo, que Se interessava por pessoas desesperadas, e ela era uma delas. Mas apenas ouvir não era suficiente; o ato de ouvir precisava levar à fé (Rm 10:17). E essa fé a levou a um ato simples de tocar a orla das vestes de Jesus. Esse toque foi movido pela fé, foi proposital, eficaz e centralizado em Cristo. Somente uma fé assim pode receber a bênção do Doador da vida: ‘A tua fé te salvou’ (Lc 8:48).”1

“É tão fácil olhar para as pessoas e julgá-las! Como podemos aprender a parar de julgar os outros, mesmo em nossos pensamentos, quando não sabemos o que faríamos se estivéssemos na situação deles?”1

Terça-feira, 05 de maio de 2015 . Saiba mais, ouça o Comentário em áudio  da Lição da Escola Sabatina (LES) ou se preferir faça um Curso Bíblico.

__________________

1 LIÇÕES da escola sabatina. O evangelho de Lucas. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 480, Abr. Mai. Jun. 2015. Adulto, Professor.

2 BIBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s