O clamor dos profetas – Estudo adicional

Lições da Bíblia

Textos de Ellen G. White: Profetas e Reis, p. 279-292 (“O Cativeiro Assírio”), e p. 303-310 (“O Chamado de Isaías”).

“Contra a indisfarçada opressão, a flagrante injustiça, o luxo inusitado e extravagante, despudorados banquetes e bebedeiras, a grosseira licenciosidade e deboche de seu tempo, os profetas ergueram a voz; mas seus protestos foram vãos, inútil foi a denúncia do pecado” (Ellen G. White, Profetas e Reis, p. 282).1

Para Isaías, “A perspectiva era particularmente desencorajadora em relação à condição social do povo. Em seu desejo de ganho, estavam os homens adicionando casa a casa, campo a campo. […] A justiça havia sido pervertida; e nenhuma piedade era mostrada ao pobre. […] Mesmo os juízes, cujo dever era proteger o desamparado, faziam-se surdos aos clamores do pobre e necessitado, das viúvas e dos órfãos. […]

“Em face de tais condições, não é surpreendente que Isaías recuasse da responsabilidade, quando chamado a levar a Judá as mensagens de advertência e reprovação da parte de Deus. […] Ele bem sabia que haveria de encontrar obstinada resistência” (Profetas e Reis, p. 306, 307).1

“Esses claros pronunciamentos dos profetas […] deviam ser recebidos por nós como a voz de Deus a cada pessoa. Não devemos perder a oportunidade de praticar obras de misericórdia, de terna previdência e cortesia cristã em favor do sobrecarregado e oprimido” (Profetas e Reis, p. 327).1

Perguntas para discussão

“1. A função da profecia é vista como predição do futuro. Porém, o foco dos profetas estava no mundo em que viviam. Isso muda sua percepção da função de um profeta?”1

“2. A vida e a mensagem dos profetas demonstram como pode ser perigoso defender a verdade. Por que eles atuaram dessa maneira?”

“3. Deus parece alternar a ira e a preocupação para com o povo. Como você une esses dois aspectos do caráter de Deus?”

Resumo:

“Os profetas eram impetuosos, irados e consternados defensores da vontade de Deus. Esse ímpeto envolvia uma ênfase na justiça. As exortações dos profetas para que o povo retornasse a Deus incluíam o fim da injustiça, algo que Ele prometeu fazer em Sua visão de um futuro melhor para o povo.”1

Sexta-feira, 02 de agosto de 2019. Saiba mais, faça um Curso Bíblico

_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. “Meus pequeninos irmãos”: servindo aos necessitados. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 496, jul. ago. set. 2019. Adulto, Professor. 

Isaías

Lições da Bíblia

“6. Leia Isaías 1:15-23; 3:13-15; 5:7, 8. Qual foi a resposta do profeta ao observar a sociedade ao seu redor?”1

Isaías (1:15-23; 3:13-15; 5:7, 8)2: 1:15-23 “15 Pelo que, quando estendeis as mãos, escondo de vós os olhos; sim, quando multiplicais as vossas orações, não as ouço, porque as vossas mãos estão cheias de sangue. 16 Lavai-vos, purificai-vos, tirai a maldade de vossos atos de diante dos meus olhos; cessai de fazer o mal. 17 Aprendei a fazer o bem; atendei à justiça, repreendei ao opressor; defendei o direito do órfão, pleiteai a causa das viúvas.  18 Vinde, pois, e arrazoemos, diz o SENHOR; ainda que os vossos pecados sejam como a escarlata, eles se tornarão brancos como a neve; ainda que sejam vermelhos como o carmesim, se tornarão como a lã. 19 Se quiserdes e me ouvirdes, comereis o melhor desta terra. 20 Mas, se recusardes e fordes rebeldes, sereis devorados à espada; porque a boca do SENHOR o disse. 21 Como se fez prostituta a cidade fiel! Ela, que estava cheia de justiça! Nela, habitava a retidão, mas, agora, homicidas. 22 A tua prata se tornou em escórias, o teu licor se misturou com água. 23 Os teus príncipes são rebeldes e companheiros de ladrões; cada um deles ama o suborno e corre atrás de recompensas. Não defendem o direito do órfão, e não chega perante eles a causa das viúvas.”; 3:13-15 “3 o capitão de cinquenta, o respeitável, o conselheiro, o hábil entre os artífices e o encantador perito. 4 Dar-lhes-ei meninos por príncipes, e crianças governarão sobre eles. 5 Entre o povo, oprimem uns aos outros, cada um, ao seu próximo; o menino se atreverá contra o ancião, e o vil, contra o nobre. 6 Quando alguém se chegar a seu irmão e lhe disser, na casa de seu pai: Tu tens roupa, sê nosso príncipe e toma sob teu governo esta ruína; 7 naquele dia, levantará este a sua voz, dizendo: Não sou médico, não há pão em minha casa, nem veste alguma; não me ponhais por príncipe do povo.  8 Porque Jerusalém está arruinada, e Judá, caída; porquanto a sua língua e as suas obras são contra o SENHOR, para desafiarem a sua gloriosa presença. 9 O aspecto do seu rosto testifica contra eles; e, como Sodoma, publicam o seu pecado e não o encobrem. Ai da sua alma! Porque fazem mal a si mesmos. 10 Dizei aos justos que bem lhes irá; porque comerão do fruto das suas ações. 11 Ai do perverso! Mal lhe irá; porque a sua paga será o que as suas próprias mãos fizeram. 12 Os opressores do meu povo são crianças, e mulheres estão à testa do seu governo. Oh! Povo meu! Os que te guiam te enganam e destroem o caminho por onde deves seguir. 13 O SENHOR se dispõe para pleitear e se apresenta para julgar os povos. 14 O SENHOR entra em juízo contra os anciãos do seu povo e contra os seus príncipes. Vós sois os que consumistes esta vinha; o que roubastes do pobre está em vossa casa. 15 Que há convosco que esmagais o meu povo e moeis a face dos pobres? —diz o Senhor, o SENHOR dos Exércitos.”; 5:7, 8 “7 Porque a vinha do SENHOR dos Exércitos é a casa de Israel, e os homens de Judá são a planta dileta do SENHOR; este desejou que exercessem juízo, e eis aí quebrantamento da lei; justiça, e eis aí clamor. 8 Ai dos que ajuntam casa a casa, reúnem campo a campo, até que não haja mais lugar, e ficam como únicos moradores no meio da terra!

“O sermão inicial de Isaías, nos primeiros cinco capítulos, é uma mistura de 1) críticas severas ao tipo de sociedade que o povo de Deus havia formado, 2) advertências do juízo iminente em resposta à sua rejeição a Deus e contínuas transgressões, e 3) ofertas de esperança caso o povo se voltasse para Deus e reformasse sua vida e sua sociedade. Mas talvez a emoção mais forte expressa nas palavras do profeta seja um sentimento de pesar. Fundamentado em sua compreensão de quem era Deus e do que Ele desejava para Seu povo, o profeta estava lamentando o que havia se perdido, as inúmeras pessoas negligenciadas que estavam sendo feridas e o juízo que estava para vir sobre a nação.”1

“Isaías continuou nesse padrão ao longo de seu ministério profético. Ele exortava o povo a se lembrar do que Deus havia feito por eles e oferecia ao povo a esperança do que Deus desejava fazer por eles no futuro. Portanto, eles deveriam buscar o Senhor naquele momento, pois esse relacionamento renovado com Ele incluía o arrependimento de seus erros e a mudança na maneira de tratar os outros.”1

“Nos capítulos 58 e 59 de Isaías, o profeta voltou a falar especificamente da preocupação com a justiça. Ele novamente descreveu uma sociedade em que ‘o direito se retirou, e a justiça se pôs de longe; porque a verdade’ andava ‘tropeçando pelas praças, e a retidão não’ podia ‘entrar’ (Is 59:14). Mas ele também declarou que Deus estava ciente disso e que Ele resgataria Seu povo – ‘Virá o Redentor’ (Is 59:20).”1

“Ao longo do livro de Isaías, uma parte significativa da atenção do profeta é dada à proclamação da vinda do Messias, aquele que finalmente restabeleceria o reino de Deus na Terra e traria consigo justiça, misericórdia, cura e restauração.”1

“7. Leia Isaías 9:6, 7; 11:1-5; 42:1-7; 53:4-6. Como essas profecias se encaixam no que você compreende da vida, ministério e morte de Jesus? O que essas profecias sugerem sobre o propósito de Sua vinda a este mundo?”1

Isaías (9:6, 7; 11:1-5; 42:1-7; 53:4-6)2:  9:6, 7 “6 Porque um menino nos nasceu, um filho se nos deu; o governo está sobre os seus ombros; e o seu nome será: Maravilhoso Conselheiro, Deus Forte, Pai da Eternidade, Príncipe da Paz; 7 para que se aumente o seu governo, e venha paz sem fim sobre o trono de Davi e sobre o seu reino, para o estabelecer e o firmar mediante o juízo e a justiça, desde agora e para sempre. O zelo do SENHOR dos Exércitos fará isto.”; 11:1-5 “1 Do tronco de Jessé sairá um rebento, e das suas raízes, um renovo. 2 Repousará sobre ele o Espírito do SENHOR, o Espírito de sabedoria e de entendimento, o Espírito de conselho e de fortaleza, o Espírito de conhecimento e de temor do SENHOR. 3 Deleitar-se-á no temor do SENHOR; não julgará segundo a vista dos seus olhos, nem repreenderá segundo o ouvir dos seus ouvidos; 4 mas julgará com justiça os pobres e decidirá com equidade a favor dos mansos da terra; ferirá a terra com a vara de sua boca e com o sopro dos seus lábios matará o perverso. 5 A justiça será o cinto dos seus lombos, e a fidelidade, o cinto dos seus rins.”; 42:1-7 “1 Eis aqui o meu servo, a quem sustenho; o meu escolhido, em quem a minha alma se compraz; pus sobre ele o meu Espírito, e ele promulgará o direito para os gentios. 2 Não clamará, nem gritará, nem fará ouvir a sua voz na praça. 3 Não esmagará a cana quebrada, nem apagará a torcida que fumega; em verdade, promulgará o direito. 4 Não desanimará, nem se quebrará até que ponha na terra o direito; e as terras do mar aguardarão a sua doutrina. 5 Assim diz Deus, o SENHOR, que criou os céus e os estendeu, formou a terra e a tudo quanto produz; que dá fôlego de vida ao povo que nela está e o espírito aos que andam nela. 6 Eu, o SENHOR, te chamei em justiça, tomar-te-ei pela mão, e te guardarei, e te farei mediador da aliança com o povo e luz para os gentios;para abrires os olhos aos cegos, para tirares da prisão o cativo e do cárcere, os que jazem em trevas.”; 53:4-6 “4 Certamente, ele tomou sobre si as nossas enfermidades e as nossas dores levou sobre si; e nós o reputávamos por aflito, ferido de Deus e oprimido. 5 Mas ele foi traspassado pelas nossas transgressões e moído pelas nossas iniquidades; o castigo que nos traz a paz estava sobre ele, e pelas suas pisaduras fomos sarados. 6 Todos nós andávamos desgarrados como ovelhas; cada um se desviava pelo caminho, mas o SENHOR fez cair sobre ele a iniquidade de nós todos.”.

“No dia 24 de agosto, será realizado o Projeto ‘Quebrando o Silêncio’. Leve esperança à sua comunidade.”1

Quinta-feira, 01 de agosto de 2019. Saiba mais, faça um Curso Bíblico

_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. “Meus pequeninos irmãos”: servindo aos necessitados. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 496, jul. ago. set. 2019. Adulto, Professor. 
2 BÍBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

Ezequiel

Lições da Bíblia

“Se perguntássemos a um grupo de cristãos sobre os ‘pecados de Sodoma’, é provável que muitos começassem a descrever os vários pecados sexuais e outras formas de depravação dessa cidade. Afinal, Gênesis 19:1-13 retrata uma sociedade doente e pervertida, pronta para ser destruída.”1

“Curiosamente, porém, a resposta é mais complexa do que essa. Considere a descrição de Ezequiel: ‘Eis que esta foi a iniquidade de Sodoma, tua irmã: soberba, fartura de pão e próspera tranquilidade teve ela e suas filhas; mas nunca amparou o pobre e o necessitado’ (Ez 16:49). Embora claramente o Senhor não tenha ignorado as outras formas de depravação encontradas na cidade, o foco de Ezequiel foi a injustiça econômica e a falta de cuidado para com os necessitados.”1

“Será que, aos olhos de Deus, esses pecados econômicos eram tão graves quanto as perversões sexuais?”1

“Tendo sido apresentadas após os dias de Amós, Miqueias e Isaías, as primeiras profecias de Ezequiel emitem uma nota de advertência similar a respeito da destruição futura. No entanto, após a queda de Jerusalém diante dos babilônios, quando o povo foi levado cativo, a ênfase de Ezequiel mudou mais completamente para as divinas promessas de restauração.”1

“5. Leia Ezequiel 34:2-4, 7-16. Compare a avaliação que Deus fez dos líderes corruptos de Israel com Seu próprio pastoreio. O tratamento deles para com a ‘ovelha mais fraca’ era diferente dos métodos divinos?”1

Ezequiel (34:2-4, 7-16 ARA)2: “2 Filho do homem, profetiza contra os pastores de Israel; profetiza e dize-lhes: Assim diz o SENHOR Deus: Ai dos pastores de Israel que se apascentam a si mesmos! Não apascentarão os pastores as ovelhas? 3 Comeis a gordura, vestis-vos da lã e degolais o cevado; mas não apascentais as ovelhas. 4 A fraca não fortalecestes, a doente não curastes, a quebrada não ligastes, a desgarrada não tornastes a trazer e a perdida não buscastes; mas dominais sobre elas com rigor e dureza. […]  7 Portanto, ó pastores, ouvi a palavra do SENHOR: 8 Tão certo como eu vivo, diz o SENHOR Deus, visto que as minhas ovelhas foram entregues à rapina e se tornaram pasto para todas as feras do campo, por não haver pastor, e que os meus pastores não procuram as minhas ovelhas, pois se apascentam a si mesmos e não apascentam as minhas ovelhas, 9 portanto, ó pastores, ouvi a palavra do SENHOR: 10 Assim diz o SENHOR Deus: Eis que eu estou contra os pastores e deles demandarei as minhas ovelhas; porei termo no seu pastoreio, e não se apascentarão mais a si mesmos; livrarei as minhas ovelhas da sua boca, para que já não lhes sirvam de pasto. 11 Porque assim diz o SENHOR Deus: Eis que eu mesmo procurarei as minhas ovelhas e as buscarei. 12 Como o pastor busca o seu rebanho, no dia em que encontra ovelhas dispersas, assim buscarei as minhas ovelhas; livrá-las-ei de todos os lugares para onde foram espalhadas no dia de nuvens e de escuridão. 13 Tirá-las-ei dos povos, e as congregarei dos diversos países, e as introduzirei na sua terra; apascentá-las-ei nos montes de Israel, junto às correntes e em todos os lugares habitados da terra. 14 Apascentá-las-ei de bons pastos, e nos altos montes de Israel será a sua pastagem; deitar-se-ão ali em boa pastagem e terão pastos bons nos montes de Israel. 15 Eu mesmo apascentarei as minhas ovelhas e as farei repousar, diz o SENHOR Deus. 16 A perdida buscarei, a desgarrada tornarei a trazer, a quebrada ligarei e a enferma fortalecerei; mas a gorda e a forte destruirei; apascentá-las-ei com justiça.”

“Embora tenham sido muito maus, a ponto de ser comparados com Sodoma, o Senhor ainda estava Se achegando a eles na esperança de afastá­los de sua iniquidade. No renovado plano de Deus para Seu povo, eles voltariam à sua terra, Jerusalém seria restaurada e o templo seria reconstruído. As festas que Deus estabeleceu seriam novamente celebradas, e a terra seria novamente dividida de maneira igualitária entre o povo como herança (veja Ez 47:13-48:29). A intenção de Deus era que Seu plano para o povo, dado primeiramente a Moisés e à nação de Israel após seu resgate do Egito, fosse reiniciado com o retorno de Seu povo do cativeiro. Isso incluía o interesse pelos membros mais fracos da sociedade e pelos estrangeiros.”1

“Deus oferece novas oportunidades até para quem anda no erro após ter tido a chance de fazer escolhas melhores. Por que essa verdade é importante para você?”1

Quarta-feira, 31 de julho de 2019. Saiba mais, faça um Curso Bíblico

_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. “Meus pequeninos irmãos”: servindo aos necessitados. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 496, jul. ago. set. 2019. Adulto, Professor. 
2 BÍBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

Miqueias

Lições da Bíblia

“3. ‘Ele te declarou, ó homem, o que é bom e que é o que o Senhor pede de ti: que pratiques a justiça, e ames a misericórdia, e andes humildemente com o teu Deus’ (Mq 6:8). Como você pode viver essas palavras?”1

O texto de Miqueias 6:8 talvez seja um dos mais conhecidos das Escrituras. No entanto, como muitos versos que transformamos em slogans ou ‘cartazes’, provavelmente estejamos menos familiarizados com o contexto do verso do que admitimos.”1

“4. Leia Miqueias 2:8-11 e 3:8-12. Quais ações do povo o profeta condenou? Assinale a alternativa correta:”1

Miqueias (2:8-11 e 3:8-12 ARA)2: 2:8-11 “8 mas, há pouco, se levantou o meu povo como inimigo; além da roupa, roubais a capa àqueles que passam seguros, sem pensar em guerra. 9 Lançais fora as mulheres de meu povo do seu lar querido; dos filhinhos delas tirais a minha glória, para sempre. 10 Levantai-vos e ide-vos embora, porque não é lugar aqui de descanso; ide-vos por causa da imundícia que destrói, sim, que destrói dolorosamente. 11 Se houver alguém que, seguindo o vento da falsidade, mentindo, diga: Eu te profetizarei do vinho e da bebida forte, será este tal o profeta deste povo.” 3:8-12 “8 Eu, porém, estou cheio do poder do Espírito do SENHOR, cheio de juízo e de força, para declarar a Jacó a sua transgressão e a Israel, o seu pecado. 9 Ouvi, agora, isto, vós, cabeças de Jacó, e vós, chefes da casa de Israel, que abominais o juízo, e perverteis tudo o que é direito, 10 e edificais a Sião com sangue e a Jerusalém, com perversidade. 11 Os seus cabeças dão as sentenças por suborno, os seus sacerdotes ensinam por interesse, e os seus profetas adivinham por dinheiro; e ainda se encostam ao SENHOR, dizendo: Não está o SENHOR no meio de nós? Nenhum mal nos sobrevirá. 12 Portanto, por causa de vós, Sião será lavrada como um campo, e Jerusalém se tornará em montões de ruínas, e o monte do templo, numa colina coberta de mato.”

A. (   ) Corrupção, desonestidade, suborno e idolatria.
B. (   ) O desrespeito deles por seus antepassados.

Resposta sugestiva: Alternativa A.

“No reinado de Acaz, em Judá, o povo de Deus atingiu um nível ainda mais baixo na espiritualidade de sua nação. A idolatria e suas várias práticas perversas estavam aumentando. Ao mesmo tempo, como outros profetas da época também observaram, os pobres continuavam a ser explorados e saqueados.”1

“Miqueias era um profeta da condenação tanto quanto seus contemporâneos. A maior parte dos três primeiros capítulos de seu livro expressa a ira e a tristeza de Deus pelo mal que Seu povo havia feito, bem como a destruição que lhe sobreviria.”1

“Porém, Deus não havia desistido dele. Até mesmo as vozes estridentes e mensagens duras dos profetas indicavam o contínuo interesse de Deus por Seu povo. Ele lhes deu advertências por causa de Seu amor e cuidado para com eles. O Senhor desejava muito perdoá-los e restaurá-los. Sua ira não duraria para sempre

(veja Mq 7:18-20)2 ‘18 Quem, ó Deus, é semelhante a ti, que perdoas a iniquidade e te esqueces da transgressão do restante da tua herança? O SENHOR não retém a sua ira para sempre, porque tem prazer na misericórdia. 19 Tornará a ter compaixão de nós; pisará aos pés as nossas iniquidades e lançará todos os nossos pecados nas profundezas do mar. 20 Mostrarás a Jacó a fidelidade e a Abraão, a misericórdia, as quais juraste a nossos pais, desde os dias antigos.’

Esse é o contexto da conhecida ‘fórmula’: ‘pratiques a justiça, e ames a misericórdia, e andes humildemente’. Pode parecer simples, mas viver essa fé de maneira prática é muito mais desafiador, especialmente quando vivê-la parece estar tão fora de sintonia com a sociedade à nossa volta. Quando os outros lucram com a injustiça, zombam da misericórdia e andam orgulhosamente, a prática da justiça, o amor pela misericórdia e a humildade no comportamento demandam coragem e perseverança. No entanto, não fazemos isso sozinhos. Quando agimos assim, estamos andando com Deus.”1

“Qual é a relação entre praticar a justiça, amar a misericórdia e andar humildemente diante de Deus?”1

Terça-feira, 30 de julho de 2019. Saiba mais, faça um Curso Bíblico

_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. “Meus pequeninos irmãos”: servindo aos necessitados. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 496, jul. ago. set. 2019. Adulto, Professor. 
2 BÍBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

Amós

Lições da Bíblia

“Eu não sou profeta, nem discípulo de profeta, mas boieiro e colhedor de sicômoros. Mas o Senhor me tirou de após o gado e o Senhor me disse: Vai e profetiza ao Meu povo de Israel” (Am 7:14, 15).1

“Amós foi bastante franco em admitir sua falta de qualificação para ser um profeta; porém, ao apresentar sua mensagem à nação israelita, ele mostrou uma evidente habilidade de atrair seus ouvintes.”1

“‘Amós começou seu discurso com uma observação popular, listando as nações vizinhas (Síria, Filístia, Fenícia, Edom, Amom e Moabe), e detalhando os crimes, ultrajes e atrocidades pelos quais Deus os castigaria.

(veja Am 1:3-2:3 [‘3 Assim diz o SENHOR: Por três transgressões de Damasco e por quatro, não sustarei o castigo, porque trilharam a Gileade com trilhos de ferro. 4 Por isso, meterei fogo à casa de Hazael, fogo que consumirá os castelos de Ben-Hadade. 5 Quebrarei o ferrolho de Damasco e eliminarei o morador de Biqueate-Áven e ao que tem o cetro de Bete-Éden; e o povo da Síria será levado em cativeiro a Quir, diz o SENHOR. 6 Assim diz o SENHOR: Por três transgressões de Gaza e por quatro, não sustarei o castigo, porque levaram em cativeiro todo o povo, para o entregarem a Edom. 7 Por isso, meterei fogo aos muros de Gaza, fogo que consumirá os seus castelos. 8 Eliminarei o morador de Asdode e o que tem o cetro de Asquelom e volverei a mão contra Ecrom; e o resto dos filisteus perecerá, diz o SENHOR. 9 Assim diz o SENHOR: Por três transgressões de Tiro e por quatro, não sustarei o castigo, porque entregaram todos os cativos a Edom e não se lembraram da aliança de irmãos. 10 Por isso, meterei fogo aos muros de Tiro, fogo que consumirá os seus castelos. 11 Assim diz o SENHOR: Por três transgressões de Edom e por quatro, não sustarei o castigo, porque perseguiu o seu irmão à espada e baniu toda a misericórdia; e a sua ira não cessou de despedaçar, e reteve a sua indignação para sempre. 12 Por isso, meterei fogo a Temã, fogo que consumirá os castelos de Bozra. 13 Assim diz o SENHOR: Por três transgressões dos filhos de Amom e por quatro, não sustarei o castigo, porque rasgaram o ventre às grávidas de Gileade, para dilatarem os seus próprios limites. 14 Por isso, meterei fogo aos muros de Rabá, fogo que consumirá os seus castelos, com alarido no dia da batalha, com turbilhão no dia da tempestade. 15 O seu rei irá para o cativeiro, ele e os seus príncipes juntamente, diz o SENHOR. 2:1 Assim diz o SENHOR: Por três transgressões de Moabe e por quatro, não sustarei o castigo, porque queimou os ossos do rei de Edom, até os reduzir a cal. 2 Por isso, meterei fogo a Moabe, fogo que consumirá os castelos de Queriote; Moabe morrerá entre grande estrondo, alarido e som de trombeta. 3 Eliminarei o juiz do meio dele e a todos os seus príncipes com ele matarei, diz o SENHOR.’]2).’

É fácil imaginar os israelitas aplaudindo essas acusações aos seus inimigos, especialmente porque os próprios israelitas tinham sido alvo de muitos crimes dessas nações.”1

“Em seguida, Amós se voltou para sua pátria ao declarar o juízo de Deus contra o povo de Judá, vizinhos ao sul de Israel depois da separação dos dois reinos. Falando em nome de Deus, Amós citou a rejeição deles a Deus, a desobediência aos Seus mandamentos e os castigos que lhes sobreviriam.

(veja Am 2:4, 5 [‘4 Assim diz o SENHOR: Por três transgressões de Judá e por quatro, não sustarei o castigo, porque rejeitaram a lei do SENHOR e não guardaram os seus estatutos; antes, as suas próprias mentiras os enganaram, e após elas andaram seus pais. 5 Por isso, meterei fogo a Judá, fogo que consumirá os castelos de Jerusalém.’]2).

Mais uma vez, imaginamos o povo do reino do Norte aplaudindo. Mas, então, Amós se voltou para seu público. O restante do livro se concentra no mal, na idolatria, na injustiça e nos repetidos fracassos do povo de Israel aos olhos de Deus.”1

“2. Leia Amós 3:9-11; 4:1, 2; 5:10-15; 8:4-6. Contra quais pecados ele advertiu? Assinale ‘V’ para verdadeiro ou ‘F’ para falso:”1

Amós (3:9-11; 4:1, 2; 5:10-15; 8:4-6 ARA)2:3:9-11 “9 Fazei ouvir isto nos castelos de Asdode e nos castelos da terra do Egito e dizei: Ajuntai-vos sobre os montes de Samaria e vede que grandes tumultos há nela e que opressões há no meio dela. 10 Porque Israel não sabe fazer o que é reto, diz o SENHOR, e entesoura nos seus castelos a violência e a devastação. 11 Portanto, assim diz o SENHOR Deus: Um inimigo cercará a tua terra, derribará a tua fortaleza, e os teus castelos serão saqueados.”; 4:1, 2 1 “Ouvi esta palavra, vacas de Basã, que estais no monte de Samaria, oprimis os pobres, esmagais os necessitados e dizeis a vosso marido: Dá cá, e bebamos. 2 Jurou o SENHOR Deus, pela sua santidade, que dias estão para vir sobre vós, em que vos levarão com anzóis e as vossas restantes com fisga de pesca.”; 5:10-15 “10 Aborreceis na porta ao que vos repreende e abominais o que fala sinceramente. 11 Portanto, visto que pisais o pobre e dele exigis tributo de trigo, não habitareis nas casas de pedras lavradas que tendes edificado; nem bebereis do vinho das vides desejáveis que tendes plantado. 12 Porque sei serem muitas as vossas transgressões e graves os vossos pecados; afligis o justo, tomais suborno e rejeitais os necessitados na porta. 13 Portanto, o que for prudente guardará, então, silêncio, porque é tempo mau. 14 Buscai o bem e não o mal, para que vivais; e, assim, o SENHOR, o Deus dos Exércitos, estará convosco, como dizeis. 15 Aborrecei o mal, e amai o bem, e estabelecei na porta o juízo; talvez o SENHOR, o Deus dos Exércitos, se compadeça do restante de José.”; 8:4-6 4 Ouvi isto, vós que tendes gana contra o necessitado e destruís os miseráveis da terra, 5 dizendo: Quando passará a Festa da Lua Nova, para vendermos os cereais? E o sábado, para abrirmos os celeiros de trigo, diminuindo o efa, e aumentando o siclo, e procedendo dolosamente com balanças enganadoras,para comprarmos os pobres por dinheiro e os necessitados por um par de sandálias e vendermos o refugo do trigo?

A. (   ) Orgias e bebedices.
B. (   ) Violência, opressão aos pobres e suborno.

Resposta sugestiva: F; V.

“Embora Amós não tenha sido diplomático em sua linguagem e suas advertências sejam de condenação, sua mensagem foi temperada com súplicas para que o povo voltasse ao seu Deus. Isso incluía uma renovação do senso de justiça do povo e o cuidado para com os pobres entre eles: ‘Antes, corra o juízo como as águas; e a justiça, como ribeiro perene!’ (Am 5:24). Os últimos versículos da profecia de Amós indicam uma futura restauração do povo de Deus

(veja Am 9:11-15 [‘11 Naquele dia, levantarei o tabernáculo caído de Davi, repararei as suas brechas; e, levantando-o das suas ruínas, restaurá-lo-ei como fora nos dias da antiguidade; 12 para que possuam o restante de Edom e todas as nações que são chamadas pelo meu nome, diz o SENHOR, que faz estas coisas. 13 Eis que vêm dias, diz o SENHOR, em que o que lavra segue logo ao que ceifa, e o que pisa as uvas, ao que lança a semente; os montes destilarão mosto, e todos os outeiros se derreterão. 14 Mudarei a sorte do meu povo de Israel; reedificarão as cidades assoladas e nelas habitarão, plantarão vinhas e beberão o seu vinho, farão pomares e lhes comerão o fruto. 15 Plantá-los-ei na sua terra, e, dessa terra que lhes dei, já não serão arrancados, diz o SENHOR, teu Deus.’]2):

‘Em sua hora de mais profunda apostasia e maior necessidade, a mensagem de Deus a eles foi de perdão e esperança’ (Ellen G. White, Profetas e Reis, p. 283).”1

“Há momentos em que precisamos estar preparados para falar severamente a fim de corrigir o erro. Como podemos discernir quando essa linguagem é apropriada?”1

Segunda-feira, 29 de julho de 2019. Saiba mais, faça um Curso Bíblico

_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. “Meus pequeninos irmãos”: servindo aos necessitados. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 496, jul. ago. set. 2019. Adulto, Professor. 
2 BÍBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

Justiça e misericórdia no Antigo Testamento: parte 1 – Estudo adicional

Lições da Bíblia

Assista em vídeo a discussão do tema da semana.

 

Estudo adicional

“Leia, de Ellen G. White, ‘Israel Recebe a Lei’ e ‘O Cuidado de Deus para com os Pobres’, emPatriarcas e Profetas, p. 307-314; 530-536.”1

“Os conceitos de justiça e misericórdia são vistos ao longo de todo o Antigo Testamento. Examine, por exemplo,Deuteronômio 24:10-22.”1

“10 Se emprestares alguma coisa ao teu próximo, não entrarás em sua casa para lhe tirar o penhor. 11 Ficarás do lado de fora, e o homem, a quem emprestaste, aí te trará o penhor. 12 Porém, se for homem pobre, não usarás de noite o seu penhor; 13 em se pondo o sol, restituir-lhe-ás, sem falta, o penhor para que durma no seu manto e te abençoe; isto te será justiça diante do SENHOR, teu Deus. 14 Não oprimirás o jornaleiro pobre e necessitado, seja ele teu irmão ou estrangeiro que está na tua terra e na tua cidade. 15 No seu dia, lhe darás o seu salário, antes do pôr-do-sol, porquanto é pobre, e disso depende a sua vida; para que não clame contra ti ao SENHOR, e haja em ti pecado. 16 Os pais não serão mortos em lugar dos filhos, nem os filhos, em lugar dos pais; cada qual será morto pelo seu pecado. 17 Não perverterás o direito do estrangeiro e do órfão; nem tomarás em penhor a roupa da viúva. 18 Lembrar-te-ás de que foste escravo no Egito e de que o SENHOR te livrou dali; pelo que te ordeno que faças isso. 19 Quando, no teu campo, segares a messe e, nele, esqueceres um feixe de espigas, não voltarás a tomá-lo; para o estrangeiro, para o órfão e para a viúva será; para que o SENHOR, teu Deus, te abençoe em toda obra das tuas mãos. 20 Quando sacudires a tua oliveira, não voltarás a colher o fruto dos ramos; para o estrangeiro, para o órfão e para a viúva será. 21 Quando vindimares a tua vinha, não tornarás a rebuscá-la; para o estrangeiro, para o órfão e para a viúva será o restante. 22 Lembrar-te-ás de que foste escravo na terra do Egito; pelo que te ordeno que faças isso.” (Deuteronômio 24:10-22 ARA)2.

“Esses conceitos eram muito importantes para ser deixados totalmente por conta das noções das pessoas sobre justiça e benevolência. O Senhor fez com que eles se recordassem do que tinham sido no passado, quando certamente estiveram entre os menos afortunados. ‘Lembrem-se de que vocês foram escravos no Egito; por isso lhes ordeno que façam tudo isso’ (Dt 24:22,NVI). Precisamos sempre nos lembrar da graça e do favor imerecido que Deus nos concedeu. Assim, com a riqueza e a plenitude do que temos em Cristo (Ef 3:19; Cl 2:10), precisamos estar prontos a servir e a ajudar aqueles que precisam de nosso serviço e de nossa ajuda.”1

Perguntas para reflexão

“1. De que maneira a ordem do quarto mandamento para que os servos descansem no sábado revela a ideia da igualdade de todos os seres humanos perante Deus? Como a universalidade do que Cristo fez na cruz revela, de maneira ainda maior, a igualdade de todos os seres humanos diante de Deus?”1

“2. ‘Descubram qual é a necessidade dos pobres e sofredores, e então, com amor e bondade, ajudem essas pessoas a ter coragem, esperança e confiança, compartilhando com elas as boas coisas que Deus deu a vocês’ (Ellen G. White, emPacific Union Recorder, 21 de julho de 1904). Como fazer isso? Como compartilhar o que Cristo nos concedeu, mas de maneira palpável, ajudando verdadeiramente os necessitados?”1

Sexta-feira, 15 de julho de 2016. Saiba mais, ouça o Comentário em áudio  da Lição da Escola Sabatina (LES) ou se preferir faça um Curso Bíblico.
__________________
1 LIÇÕES da escola sabatina. O papel da igreja na comunidade. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 485, Jul. Ago. Set. 2016. Adulto, Professor.

2 BIBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.