Das profundezas da terra

Lições da Bíblia1

3. Leia o Salmo 71. O que o salmista quis dizer quando pediu a Deus que o tirasse de novo “das profundezas da terra” (Sl 71:20)?

Salmo 71 (ARA)2: “1 Em ti, Senhor, me refugio; não seja eu jamais envergonhado. 2 Livra-me por tua justiça e resgata-me; inclina-me os ouvidos e salva-me. 3 Sê tu para mim uma rocha habitável em que sempre me acolha; ordenaste que eu me salve, pois tu és a minha rocha e a minha fortaleza. 4 Livra-me, Deus meu, das mãos do ímpio, das garras do homem injusto e cruel.  5 Pois tu és a minha esperança, Senhor Deus, a minha confiança desde a minha mocidade. 6 Em ti me tenho apoiado desde o meu nascimento; do ventre materno tu me tiraste, tu és motivo para os meus louvores constantemente. 7 Para muitos sou como um portento, mas tu és o meu forte refúgio. 8 Os meus lábios estão cheios do teu louvor e da tua glória continuamente. 9 Não me rejeites na minha velhice; quando me faltarem as forças, não me desampares. 10 Pois falam contra mim os meus inimigos; e os que me espreitam a alma consultam reunidos, 11 dizendo: Deus o desamparou; persegui-o e prendei-o, pois não há quem o livre. 12 Não te ausentes de mim, ó Deus; Deus meu, apressa-te em socorrer-me. 13 Sejam envergonhados e consumidos os que são adversários de minha alma; cubram-se de opróbrio e de vexame os que procuram o mal contra mim. 14 Quanto a mim, esperarei sempre e te louvarei mais e mais. 15 A minha boca relatará a tua justiça e de contínuo os feitos da tua salvação, ainda que eu não saiba o seu número. 16 Sinto-me na força do Senhor Deus; e rememoro a tua justiça, a tua somente. 17 Tu me tens ensinado, ó Deus, desde a minha mocidade; e até agora tenho anunciado as tuas maravilhas. 18 Não me desampares, pois, ó Deus, até à minha velhice e às cãs; até que eu tenha declarado à presente geração a tua força e às vindouras o teu poder. 19 Ora, a tua justiça, ó Deus, se eleva até aos céus. Grandes coisas tens feito, ó Deus; quem é semelhante a ti? 20 Tu, que me tens feito ver muitas angústias e males, me restaurarás ainda a vida e de novo me tirarás dos abismos da terra. 21 Aumenta a minha grandeza, conforta-me novamente. 22 Eu também te louvo com a lira, celebro a tua verdade, ó meu Deus; cantar-te-ei salmos na harpa, ó Santo de Israel. 23 Os meus lábios exultarão quando eu te salmodiar; também exultará a minha alma, que remiste. 24 Igualmente a minha língua celebrará a tua justiça todo o dia; pois estão envergonhados e confundidos os que procuram o mal contra mim.”

No Salmo 49 encontramos uma expressão tocante de esperança na ressurreição, em contraste com a falsa certeza do tolo que confiou em sua riqueza. No Salmo 71, o salmista buscou segurança e esperança em Deus enquanto estava cercado por inimigos e falsos acusadores que diziam que o Senhor o havia abandonado (Sl 71:10, 11).

Em meio às provações, o salmista encontrou consolo e segurança ao relembrar como Deus tinha cuidado dele no passado. Primeiro, observou que Ele o havia sustentado desde o nascimento e até mesmo o tirou do ventre de sua mãe (Sl 71:6). Então, reconheceu que o Senhor o havia ensinado desde sua juventude (Sl 71:17).

Com a certeza de que Deus era sua rocha e fortaleza, o salmista suplicou: “Sê Tu para mim uma rocha habitável, em que eu sempre possa me refugiar”. “Não me rejeites na minha velhice; quando me faltarem as forças, não me desampares”. “Ó Deus, não Te ausentes de mim; Deus meu, apressa-Te em me socorrer!” Então, ele acrescentou: “Tu, que me fizeste passar muitas e duras tribulações, restaurarás a minha vida, e das profundezas da terra de novo me farás subir” (Sl 71:3, 9, 12, 20, NVI).

A expressão “das profundezas da terra” poderia ser entendida literalmente como uma alusão à futura ressurreição física do salmista. Mas o contexto parece favorecer uma descrição metafórica da condição de profunda depressão do salmista como se a terra o estivesse engolindo (compare com o Sl 88:6 e 130:1). Portanto, podemos dizer que se trata, “em primeiro plano, de linguagem figurada, mas também aponta para a ressurreição física” (Bíblia de Estudo Andrews, nota sobre o Sl 71:20).

No final, o que importa é compreendermos que, seja qual for a situação, Deus está lá, Ele Se importa e, no fim das contas, nossa esperança não se encontra nesta vida, mas na vida futura – a vida eterna que teremos em Jesus após a nossa ressurreição, por ocasião de Seu retorno.

Todos nós já passamos por momentos terríveis de desânimo. No entanto, manter o foco no modo pelo qual o Senhor atuou em nossa vida no passado pode ajudar-nos a seguir em frente, com fé e confiança, nos momentos em que Ele parecer distante?

Terça-feira, 18 de outubro de 2022. Saiba mais, faça gratuitamente um Curso Bíblico

_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. Vida, morte e eternidade. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 510, out. nov. dez. 2022. Adulto, Professor. 
2 BÍBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s