Cuidado com doutrinas diferentes e estranhas

Lições da Bíblia1

Leia Hebreus 13:9; 2:9; 4:16 e 6:19, 20. Onde se obtém a graça? Como nosso coração é fortalecido?

Hebreus 13:9 (ARA)2: “Não vos deixeis envolver por doutrinas várias e estranhas, porquanto o que vale é estar o coração confirmado com graça e não com alimentos, pois nunca tiveram proveito os que com isto se preocuparam.”

Hebreus 2:9 (ARA)2: “vemos, todavia, aquele que, por um pouco, tendo sido feito menor que os anjos, Jesus, por causa do sofrimento da morte, foi coroado de glória e de honra, para que, pela graça de Deus, provasse a morte por todo homem.”

Hebreus 4:16 (ARA)2: “Acheguemo-nos, portanto, confiadamente, junto ao trono da graça, a fim de recebermos misericórdia e acharmos graça para socorro em ocasião oportuna.

Hebreus 6:19, 20 (ARA)2: “19 a qual temos por âncora da alma, segura e firme e que penetra além do véu, 20 onde Jesus, como precursor, entrou por nós, tendo-se tornado sumo sacerdote para sempre, segundo a ordem de Melquisedeque.”

A relação entre falsos ensinos e alimentos, mencionada em Hebreus 13:9, provavelmente não se refira à distinção entre alimentos limpos e impuros. Por quê?

Primeiro, Paulo não parecia preocupado na epístola com a distinção entre alimentos limpos e impuros. Sabemos que a igreja cristã primitiva pregava a salvação pela graça (At 15:7-11) e que os crentes deveriam continuar a observar alguns regulamentos alimentares (At 15:19, 20). A distinção entre alimentos limpos e impuros e outros regulamentos bíblicos não se opõe à graça. Na verdade, Paulo argumentou que a nova aliança colocou a lei no coração (Hb 8:10-12). O que o autor deixa muito claro, no entanto, é que os sacrifícios de animais e a mediação sacerdotal levítica no santuário foram substituídos pelo sacrifício superior e pela mediação sacerdotal de Jesus (Hb 8:4, 5; 10:1-18).

Em segundo lugar, o contexto sugere que Paulo não estava criticando ninguém por se abster de certos alimentos, mas pelo fato de consumi-los com a esperança de obter graça de alguma forma (Hb 13:9). É provável que estivesse alertando contra a participação em rituais judaicos ou refeições que eram celebradas como uma extensão dos sacrifícios de animais no templo e que deveriam fornecer benefícios espirituais, ou graça. Mas a graça não é mediada por meio dessas refeições; a graça vem somente por meio do sacrifício e da mediação sacerdotal de Jesus Cristo. Os crentes têm um altar (Hb 13:10), a cruz de Cristo, da qual podem se alimentar (Jo 6:47-58).

Em Hebreus, “graça” vem do trono de Deus (Hb 4:16). Essa graça, mediada por Cristo, é a “âncora”, “segura e firme”, presa ao próprio trono de Deus (Hb 6:19, 20; compare com 4:16). Essa graça, que recebemos por meio do sacrifício de Cristo, dá estabilidade e segurança ao coração. Quando o coração é “confirmado” dessa forma, não será levado por novas doutrinas (Hb 13:9), nem se desviará da verdade de Deus (Hb 2:1).

Pense no sacrifício de Cristo. Por que “acrescentar” algo a esse sacrifício é contrário ao evangelho e à graça que encontramos em Jesus?

Quarta-feira, 23 de março de 2022. Saiba mais, faça gratuitamente um Curso Bíblico

_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. Hebreus mensagem para os últimos dias. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 507, jan. fev. mar. 2022. Adulto, Professor. 
2 BÍBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s