Se…

Lições da Bíblia1

6. O que os versos a seguir têm em comum? O que isso ensina sobre a natureza da aliança? Gn 18:19; 26:4, 5; Êx 19:5; Lv 26:3

Gn 18:19 (ARA)2: “Porque eu o escolhi para que ordene a seus filhos e a sua casa depois dele, a fim de que guardem o caminho do Senhor e pratiquem a justiça e o juízo; para que o Senhor faça vir sobre Abraão o que tem falado a seu respeito.”

Gn 26:4, 5 (ARA)2: “4 Multiplicarei a tua descendência como as estrelas dos céus e lhe darei todas estas terras. Na tua descendência serão abençoadas todas as nações da terra; 5 porque Abraão obedeceu à minha palavra e guardou os meus mandados, os meus preceitos, os meus estatutos e as minhas leis.

Êx 19:5 (ARA)2: “Agora, pois, se diligentemente ouvirdes a minha voz e guardardes a minha aliança, então, sereis a minha propriedade peculiar dentre todos os povos; porque toda a terra é minha;”

Lv 26:3 (ARA)2: “Se andardes nos meus estatutos, guardardes os meus mandamentos e os cumprirdes,”

Deus reconheceu abertamente a fiel obediência de Abraão aos Seus mandamentos, preceitos, estatutos e leis (Gn 26:5). Ele esperava esse estilo de vida de Seus parceiros humanos na aliança. A declaração completa da aliança bíblica no Sinai tornou evidente que a obediência é um dos aspectos fundamentais da aliança.

Êxodo 19:5 deixou isso claro: “Se ouvirem…”. É inegável o aspecto condicional da aliança. Embora tenham sido concedidas pela graça, embora sejam imerecidas, embora fossem um presente para eles, as promessas da aliança não eram incondicionais. O povo poderia rejeitar o presente, negar a graça e abandonar as promessas. A aliança, como acontece com a salvação, jamais anula o livre-arbítrio. O Senhor não força as pessoas a ter um relacionamento salvífico com Ele e não lhes impõe uma aliança. Ele a oferece gratuitamente a todos; todos são convidados a aceitá-la. Quando uma pessoa a aceita, as obrigações vêm não como meio de obter as bênçãos da aliança, mas como manifestação exterior de tê-las recebido. Israel deveria obedecer, não a fim de obter as promessas, mas para que as promessas fossem cumpridas nele. Sua obediência era uma expressão de como é ser abençoado pelo Senhor. A obediência não compra as bênçãos, como se Deus fosse obrigado a concedê-las; a obediência, em vez disso, cria um ambiente em que as bênçãos da fé podem se manifestar.

“Andem em todo o caminho que o Senhor, seu Deus, lhes ordenou, para que vocês vivam, para que tudo lhes vá bem, e para que se prolonguem os seus dias na terra que irão possuir” (Dt 5:33). Estaria o Senhor dizendo aos israelitas que, se eles obedecessem, obteriam aquelas bênçãos, como se aqueles benefícios divinos fossem uma dívida Sua para com o povo? Ou o Senhor queria dizer que, se eles obedecessem, essas bênçãos poderiam vir como resultado de sua submissão, pois a obediência abriria o caminho para que Ele pudesse lhes trazer as bênçãos? Qual é a diferença entre as duas ideias?

Quinta-feira, 20 de maio de 2021. Saiba mais, faça gratuitamente um Curso Bíblico

_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. A promessa: a aliança eterna de Deus. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 504, abr. maio. jun. 2021. Adulto, Professor. 
2 BÍBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s