O acordo sobre a terra (Gn 35:12)

Lições da Bíblia1

A promessa de que uma terra seria concedida ao povo de Deus, Israel, foi primeiramente dada a Abraão e depois repetida a Isaque e a Jacó. No leito de morte, José repetiu essa promessa (Gn 50:24). No entanto, Deus informou a Abraão que “quatrocentos anos” se passariam antes que a descendência dele tomasse posse da terra (Gn 15:13, 16). O cumprimento da promessa começou nos dias de Moisés e Josué. Moisés repetiu a ordem divina: “Eis aqui a terra que Eu pus diante de vocês; entrem e tomem posse da terra” (Dt 1:8).

2. O que está implícito no texto de Deuteronômio 28:1, 15? Em resumo, a terra lhes seria dada como parte da aliança em que havia obrigações. Quais obrigações Israel tinha?

Deuteronômio 28:1, 15 (ARA)2: “1 Se atentamente ouvires a voz do Senhor, teu Deus, tendo cuidado de guardar todos os seus mandamentos que hoje te ordeno, o Senhor, teu Deus, te exaltará sobre todas as nações da terra. […] 15 Será, porém, que, se não deres ouvidos à voz do Senhor, teu Deus, não cuidando em cumprir todos os seus mandamentos e os seus estatutos que, hoje, te ordeno, então, virão todas estas maldições sobre ti e te alcançarão:

A primeira parte de Deuteronômio 28 descreve as bênçãos que Israel receberia se obedecesse a vontade de Deus. A outra parte do capítulo trata das maldições que lhe sucederiam caso não a cumprisse. Essas maldições eram “em grande parte, mas não completamente, ocasionadas simplesmente dando espaço para que o pecado desenvolvesse seus resultados prejudiciais […]. ‘Quem semeia para a sua própria carne, da carne colherá corrupção’ (Gl 6:8). Como a água, que, deixada por conta própria, não deixa de correr até achar seu nível; como um relógio que, deixado por si mesmo, não deixará de funcionar até que se esgote completamente; como uma árvore que, deixada a crescer, não deixa de produzir seu fruto apropriado – assim também o pecado tem um nível a buscar, um curso a correr, um fruto a amadurecer, e seu fim é a morte” (Rm 6:21; The Pulpit Commentary: Deuteronomy [Comentário Púlpito: Deuteronômio], H. D. M. Spence e Joseph S. Exell, orgs. Peabody, MA: Hendrickson Publishers, 1890, v. 3, p. 439).

As promessas sobre a terra não eram incondicionais, mas faziam parte da aliança. Israel deveria cumprir sua parte no acordo; caso contrário, as promessas poderiam ser anuladas. Várias vezes, o Senhor deixou claro que, se eles desobedecessem, a terra lhes seria tomada (Lv 26:27-33). É difícil imaginar como o Senhor poderia ter sido mais explícito em Suas palavras.

Esperamos ansiosamente receber a terra prometida celestial e a nova Terra. Nós a receberemos, assim como os hebreus receberam a terra prometida. A diferença é que, quando chegarmos lá, não haverá chance de perdê-la (Dn 7:18). Mas existem condições para chegar lá. Quais são as condições, especialmente no contexto da salvação somente pela fé?

Segunda-feira, 03 de maio de 2021. Saiba mais, faça gratuitamente um Curso Bíblico

_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. A promessa: a aliança eterna de Deus. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 504, abr. maio. jun. 2021. Adulto, Professor. 
2 BÍBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s