De Abrão a Abraão (Gn 17:4, 5)

Lições da Bíblia1

Embora os nomes de Deus apresentassem significado espiritual e teológico, isso não era uma exclusividade de Deus. Os nomes das pessoas no antigo Oriente Próximo não eram apenas formas de identificação sem sentido, como costumam ser para nós. Dar o nome de Maria ou Suzana a uma menina não faz muita diferença hoje. Contudo, para os semitas antigos, os nomes eram carregados de significado espiritual. Todos os nomes semíticos de pessoas tinham significado e geralmente consistiam numa frase ou sentença curta que compreendia um desejo ou uma expressão de gratidão por parte dos pais. Por exemplo, Daniel significa “Deus é juiz”; Joel significa “Javé é Deus” e Natã significa “Dom de Deus”.

Devido ao significado atribuído aos nomes, estes costumavam ser alterados para refletir uma mudança radical na vida e nas circunstâncias da pessoa que levava o nome.

2. Procure os seguintes textos. Quais situações eles abordam e por que os nomes foram alterados nessas situações?

Gn 32:28 (ARA)2: “Então, disse: Já não te chamarás Jacó, e sim Israel, pois como príncipe lutaste com Deus e com os homens e prevaleceste.”

Gn 41:45 (ARA)2: “E a José chamou Faraó de Zafenate-Paneia e lhe deu por mulher a Asenate, filha de Potífera, sacerdote de Om; e percorreu José toda a terra do Egito.”

Dn 1:7 (ARA)2: “O chefe dos eunucos lhes pôs outros nomes, a saber: a Daniel, o de Beltessazar; a Hananias, o de Sadraque; a Misael, o de Mesaque; e a Azarias, o de Abede-Nego.

No entanto, em certo sentido, não é tão difícil, mesmo para as mentes modernas, entender a importância de como uma pessoa é chamada. Existem efeitos sutis e, às vezes, não tão sutis. Se alguém é constantemente chamado de “estúpido” ou “feio” e se essas são as denominações usadas o tempo todo por muitas pessoas – mais cedo ou mais tarde esses nomes podem ter um impacto na maneira como a pessoa se vê. Da mesma forma, ao dar às pessoas certos nomes ou ao mudar seus nomes, parece possível influenciar sua maneira de se enxergarem e, assim, influenciar seu modo de agir.

Com isso em mente, não é tão difícil entender por que Deus desejava mudar o nome “Abrão” para “Abraão”. Abrão significa “Pai excelso”; Deus o mudou para Abraão, que significa “Pai de uma multidão”. Se observarmos a promessa da aliança na qual Deus disse: “Farei com que você seja extraordinariamente fecundo. De você farei surgir nações, e reis procederão de você” (Gn 17:6), a mudança de nome faz mais sentido. Talvez essa tenha sido a maneira de Deus ajudar Abraão a confiar na promessa da aliança, que estava sendo feita a um homem de 99 anos, casado com uma idosa que, até então, tinha sido estéril. Em resumo, Deus fez isso para aumentar a fé de Abraão em Suas promessas para ele.

Terça-feira, 20 de abril de 2021. Saiba mais, faça gratuitamente um Curso Bíblico

_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. A promessa: a aliança eterna de Deus. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 504, abr. maio. jun. 2021. Adulto, Professor. 
2 BÍBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s