O protesto de Jó

Lições da Bíblia

“Elifaz, Bildade e Zofar tinham um argumento: Deus pune o mal. Infelizmente, o argumento deles não se aplicava à situação de Jó. O sofrimento de Jó não era um exemplo de castigo retributivo. Deus não o estava punindo por seus pecados, como posteriormente Ele fez com Coré, Datã e Abirão. Jó também não estava colhendo o que plantara, como muitas vezes pode ser o caso. Nada disso! Jó era um homem justo; o próprio Deus havia dito isso (Jó 1:8). Portanto, Jó não somente não merecia o que havia lhe acontecido, ele sabia que não merecia aquilo. Foi isso que tornou suas queixas tão fortes e amargas.”1

“1. Leia Jó 10. Ao considerar as circunstâncias de Jó, suas palavras ao Senhor faziam sentido? O que estava errado e o que estava certo em seu discurso?”1

1 A minha alma tem tédio à minha vida; darei livre curso à minha queixa, falarei com amargura da minha alma. 2 Direi a Deus: Não me condenes; faze-me saber por que contendes comigo. 3 Parece-te bem que me oprimas, que rejeites a obra das tuas mãos e favoreças o conselho dos perversos? 4 Tens tu olhos de carne? Acaso, vês tu como vê o homem? 5 São os teus dias como os dias do mortal? Ou são os teus anos como os anos de um homem, 6 para te informares da minha iniqüidade e averiguares o meu pecado? 7 Bem sabes tu que eu não sou culpado; todavia, ninguém há que me livre da tua mão. 8 As tuas mãos me plasmaram e me aperfeiçoaram, porém, agora, queres devorar-me. 9 Lembra-te de que me formaste como em barro; e queres, agora, reduzir-me a pó? 10 Porventura, não me derramaste como leite e não me coalhaste como queijo? 11 De pele e carne me vestiste e de ossos e tendões me entreteceste. 12 Vida me concedeste na tua benevolência, e o teu cuidado a mim me guardou. 13 Estas coisas, as ocultaste no teu coração; mas bem sei o que resolveste contigo mesmo. 14 Se eu pecar, tu me observas; e da minha iniqüidade não me perdoarás. 15 Se for perverso, ai de mim! E, se for justo, não ouso levantar a cabeça, pois estou cheio de ignomínia e olho para a minha miséria. 16 Porque, se a levanto, tu me caças como a um leão feroz e de novo revelas poder maravilhoso contra mim. 17 Tu renovas contra mim as tuas testemunhas e multiplicas contra mim a tua ira; males e lutas se sucedem contra mim. 18 Por que, pois, me tiraste da madre? Ah! Se eu morresse antes que olhos nenhuns me vissem! 19 Teria eu sido como se nunca existira e já do ventre teria sido levado à sepultura. 20 Não são poucos os meus dias? Cessa, pois, e deixa-me, para que por um pouco eu tome alento, 21 antes que eu vá para o lugar de que não voltarei, para a terra das trevas e da sombra da morte; 22 terra de negridão, de profunda escuridade, terra da sombra da morte e do caos, onde a própria luz é tenebrosa.” (Jó 10 ARA)2.

“Aqueles que creem em Deus não fazem perguntas semelhantes em momentos de grande tragédia? ‘Por que, Senhor, Tu tiveste o trabalho de me criar?’, ou ‘Por que Tu estás fazendo isso comigo?’ ou ainda ‘Não teria sido melhor se eu nunca tivesse nascido do que ter sido criado e agora enfrentar tudo isso?’”

“Além disso, o que tornava tudo mais difícil de compreender era o fato de que Jó sabia da sua fidelidade a Deus. Ele clamou ao Senhor: ‘Bem sabes Tu que eu não sou culpado; todavia, ninguém há que me livre da Tua mão’ (Jó 10:7).”1

“Há uma ironia difícil nessa história: diferente do que seus amigos diziam, Jó não estava sofrendo por causa de seu pecado. O próprio livro revela o contrário: Jó estava sofrendo exatamente porque ele era muito fiel. Os dois primeiros capítulos do livro defendem essa ideia. Jó não tinha como saber que era essa a causa. E, mesmo que tivesse, provavelmente isso teria aumentado sua frustração e amargura.”1

“Por mais singular que seja a situação de Jó, ela é também universal no sentido de que lida com o problema universal do sofrimento, especialmente quando a dor parece tão desproporcional diante do mal que alguém possa ter feito. Uma coisa é exceder o limite de velocidade e receber uma multa; outra é fazer a mesma coisa com o objetivo de matar alguém.”1

“O que você pode dizer a alguém que acredita que está sofrendo injustamente?”1

Permaneça em oração pelo grande evangelismo e pelas pessoas que estão se preparando para o batismo.

Domingo, 13 de novembro de 2016. Saiba mais, ouça o Comentário em áudio  da Lição da Escola Sabatina (LES) ou se preferir faça um Curso Bíblico.
__________________
1 LIÇÕES da escola sabatina. O livro de Jó. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 486, Out. Nov. Dez. 2016. Adulto, Professor.

2 BIBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s