A guarda do sábado

Lições da Bíblia

“Como está claro pelo relato dos evangelhos, Jesus não aboliu o sábado. O que Ele fez foi restaurá-lo, libertando-o dos pesados fardos que as pessoas haviam colocado sobre ele. Centenas de anos mais tarde os cristãos ainda estavam descansando e adorando no sábado. O historiador Sócrates Escolástico escreveu: ‘Quase todas as igrejas ao redor do mundo celebram os mistérios sagrados [a Ceia do Senhor] no sábado todas as semanas, mas os cristãos de Alexandria e de Roma, por causa de alguma tradição antiga, se recusam a fazê-lo’ (História Eclesiástica, livro 5, p. 289). Não há dúvida de que, sejam quais forem as razões pelas quais todos esses incidentes foram registrados nos evangelhos, o motivo não era que as pessoas deixassem de observar o sábado.”1

“5. Leia novamente Mateus 12:12 e se concentre na frase: ‘Logo, é lícito, nos sábados, fazer o bem’. O que isso significa no contexto imediato ao qual Jesus estava se referindo? O que a guarda do sábado deve incluir?”

O sábado é dia de fazer o bem às pessoas, aos animais e à natureza. É dia de amar, servir e ajudar o próximo. O sábado é o dia de descanso físico e espiritual, mas é também o dia de atuar para levar descanso aos cansados.1

“Embora a lei judaica permitisse o cuidado médico no sábado para uma pessoa cuja vida estivesse em perigo, Jesus levou isso um passo adiante: as curas, talvez até aquelas que pudessem ser feitas em outros dias, foram realizadas no sábado. Com isso em mente, leia o que Jesus disse posteriormente em Mateus: ‘Por isso, todo mestre da lei instruído quanto ao Reino dos céus é como o dono de uma casa que tira do seu tesouro coisas novas e coisas velhas’ (Mt 13:52, NVI). Sem dúvida, Jesus também estava tirando novas coisas de Seu tesouro.”

6. Leia Isaías 58:7-13. De que forma esse texto ajuda a refletir sobre o significado verdadeiro de seguir o Senhor e viver os princípios da lei, inclusive o sábado? Como entender a frase ‘reparador de brechas’, especialmente no contexto das três mensagens angélicas?

1 Clama a plenos pulmões, não te detenhas, ergue a voz como a trombeta e anuncia ao meu povo a sua transgressão e à casa de Jacó, os seus pecados. 2 Mesmo neste estado, ainda me procuram dia a dia, têm prazer em saber os meus caminhos; como povo que pratica a justiça e não deixa o direito do seu Deus, perguntam-me pelos direitos da justiça, têm prazer em se chegar a Deus, 3 dizendo: Por que jejuamos nós, e tu não atentas para isso? Por que afligimos a nossa alma, e tu não o levas em conta? Eis que, no dia em que jejuais, cuidais dos vossos próprios interesses e exigis que se faça todo o vosso trabalho. 4 Eis que jejuais para contendas e rixas e para ferirdes com punho iníquo; jejuando assim como hoje, não se fará ouvir a vossa voz no alto. 5 Seria este o jejum que escolhi, que o homem um dia aflija a sua alma, incline a sua cabeça como o junco e estenda debaixo de si pano de saco e cinza? Chamarias tu a isto jejum e dia aceitável ao SENHOR? 6 Porventura, não é este o jejum que escolhi: que soltes as ligaduras da impiedade, desfaças as ataduras da servidão, deixes livres os oprimidos e despedaces todo jugo? 7 Porventura, não é também que repartas o teu pão com o faminto, e recolhas em casa os pobres desabrigados, e, se vires o nu, o cubras, e não te escondas do teu semelhante? 8 Então, romperá a tua luz como a alva, a tua cura brotará sem detença, a tua justiça irá adiante de ti, e a glória do SENHOR será a tua retaguarda; 9 então, clamarás, e o SENHOR te responderá; gritarás por socorro, e ele dirá: Eis-me aqui. Se tirares do meio de ti o jugo, o dedo que ameaça, o falar injurioso; 10 se abrires a tua alma ao faminto e fartares a alma aflita, então, a tua luz nascerá nas trevas, e a tua escuridão será como o meio-dia. 11 O SENHOR te guiará continuamente, fartará a tua alma até em lugares áridos e fortificará os teus ossos; serás como um jardim regado e como um manancial cujas águas jamais faltam. 12 Os teus filhos edificarão as antigas ruínas; levantarás os fundamentos de muitas gerações e serás chamado reparador de brechas e restaurador de veredas para que o país se torne habitável. 13 Se desviares o pé de profanar o sábado e de cuidar dos teus próprios interesses no meu santo dia; se chamares ao sábado deleitoso e santo dia do SENHOR, digno de honra, e o honrares não seguindo os teus caminhos, não pretendendo fazer a tua própria vontade, nem falando palavras vãs,” (Isaías 25:1-13 ARA)2.

Seguir o Senhor é amar as pessoas e aliviar-lhes o sofrimento, inclusive no sábado. É repartir as bênçãos divinas com os necessitados. Os fiéis a esse aspecto da lei do amor, entendem e vivem a verdadeira essência do sábado e da lei. Por isso, são iluminados e sustentados por Deus. A plenitude do descanso do sábado é concedida aos que trabalham para Deus durante a semana, levando amor aos sofredores e restaurando corações iludidos e enganados pelo pecado.1

Quinta-feira, 05 de maio de 2016. Saiba mais, ouça o Comentário em áudio  da Lição da Escola Sabatina (LES) ou se preferir faça um Curso Bíblico.

__________________

1 LIÇÕES da escola sabatina. O Evangelho de Mateus. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 485, Abr. Mai. Jun. 2016. Adulto, Professor.

2 BIBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s