Uma situação desesperadora

Lições da Bíblia

5. Leia Jeremias 14:1-10. Qual foi o acontecimento relatado nesse texto? “1 Palavra do SENHOR que veio a Jeremias a respeito da grande seca. 2 Anda chorando Judá, as suas portas estão abandonadas e, de luto, se curvam até ao chão; e o clamor de Jerusalém vai subindo. 3 Os seus poderosos enviam os criados a buscar água; estes vão às cisternas e não acham água; voltam com seus cântaros vazios e, decepcionados e confusos, cobrem a cabeça. 4 Por não ter havido chuva sobre a terra, esta se acha deprimida; e, por isso, os lavradores, decepcionados, cobrem a cabeça. 5 Até as cervas no campo têm as suas crias e as abandonam, porquanto não há erva. 6 Os jumentos selvagens se põem nos desnudos altos e, ofegantes, sorvem o ar como chacais; os seus olhos desfalecem, porque não há erva. 7 Posto que as nossas maldades testificam contra nós, ó SENHOR, age por amor do teu nome; porque as nossas rebeldias se multiplicaram; contra ti pecamos. 8 Ó Esperança de Israel e Redentor seu no tempo da angústia, por que serias como estrangeiro na terra e como viandante que se desvia para passar a noite? 9 Por que serias como homem surpreendido, como valente que não pode salvar? Mas tu, ó SENHOR, estás em nosso meio, e somos chamados pelo teu nome; não nos desampares. 10 Assim diz o SENHOR sobre este povo: Gostam de andar errantes e não detêm os pés; por isso, o SENHOR não se agrada deles, mas se lembrará da maldade deles e lhes punirá o pecado.” (Jeremias 14:1-10 ARA). “Houve uma grande seca, e todos sofreram muito, tanto homens quanto animais. O povo clamava, mas não havia verdadeiro arrependimento.”1

“A 0seca atingiu o país; todas as cidades e aldeias estavam sofrendo. Pobres e ricos sofriam juntamente. Nem mesmo os animais selvagens conseguiam resistir à falta de água. Os ricos aguardavam seus servos nos portões da cidade, esperando que tivessem encontrado água, mas as fontes haviam secado. Não havia água e, sem ela, a vida não podia continuar. A miséria crescia a cada dia. O povo se vestia de roupas de luto e andava abatido; repentinamente se ajoelhavam e clamavam, pronunciando uma oração desesperada.”1

“No tempo em que ocorreu essa catástrofe natural, era costume visitar o templo de Jerusalém (Jl 1:13, 14; 2:15-17) para jejuar e fazer ofertas especiais a Deus. Jeremias viu a ansiedade do povo, mas sabia bem que eles não estavam buscando o Senhor, mas a água. Isso entristeceu o profeta ainda mais. Jeremias estava orando também, não por água, mas pela misericórdia e presença de Deus.”1

“Além disso, Jeremias entendia que esse era só o começo das provações que viriam. Deus via o coração das pessoas e sabia que, se removesse a seca, o arrependimento também desapareceria. As pessoas faziam de tudo para tentar mudar a situação, inclusive indo a Jerusalém, orando, jejuando, vestindo-se de pano de saco e fazendo ofertas, mas se esqueciam de uma coisa: a verdadeira conversão e arrependimento. Estavam procurando apenas remover os resultados do problema, e não o problema em si, que era seu pecado e sua desobediência.”1

“6. Leia Jeremias 14:11-16. Como entender esse texto?” “11 Disse-me ainda o SENHOR: Não rogues por este povo para o bem dele. 12 Quando jejuarem, não ouvirei o seu clamor e, quando trouxerem holocaustos e ofertas de manjares, não me agradarei deles; antes, eu os consumirei pela espada, pela fome e pela peste. 13 Então, disse eu: Ah! SENHOR Deus, eis que os profetas lhes dizem: Não vereis espada, nem tereis fome; mas vos darei verdadeira paz neste lugar. 14 Disse-me o SENHOR: Os profetas profetizam mentiras em meu nome, nunca os enviei, nem lhes dei ordem, nem lhes falei; visão falsa, adivinhação, vaidade e o engano do seu íntimo são o que eles vos profetizam. 15 Portanto, assim diz o SENHOR acerca dos profetas que, profetizando em meu nome, sem que eu os tenha mandado, dizem que nem espada, nem fome haverá nesta terra: À espada e à fome serão consumidos esses profetas. 16 O povo a quem eles profetizam será lançado nas ruas de Jerusalém, por causa da fome e da espada; não haverá quem os sepulte, a ele, a suas mulheres, a seus filhos e a suas filhas; porque derramarei sobre eles a sua maldade.” (Jeremias 14:11-16 ARA). “Deus disse a Jeremias que não orasse pelo bem-estar do povo porque Ele sabia que aquelas pessoas não queriam se arrepender e não se arrependeriam; o Senhor revelou isso ao profeta.1

“‘Não ore pelo bem-estar deste povo’ (Jr 14:11, NVI), disse Deus a Jeremias, ainda que o profeta tivesse apresentado anteriormente um grande exemplo de oração intercessória: ‘Embora os nossos pecados nos acusem, age por amor do Teu nome, ó Senhor!’ (Jr 14:7, NVI). Conquanto sejamos instruídos a orar ‘sem cessar’ (1Ts 5:17), nesse caso o Senhor, que conhece tudo do princípio ao fim, estava revelando a Jeremias o quanto aquelas pessoas eram corruptas e estavam caídas. Ao contrário do ser humano, Deus conhece o coração das pessoas e também o futuro. Portanto, a admoestação do Novo Testamento para que oremos, mesmo em favor de nossos inimigos, não perde nada de sua força diante do texto de Jeremias.”1

Quinta-feira, 22 outubro de 2015 . Saiba mais, ouça o Comentário em áudio  da Lição da Escola Sabatina (LES) ou se preferir faça um Curso Bíblico.

__________________

1 LIÇÕES da escola sabatina. Jeremias. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 482, Out. Nov. Dez. 2015. Adulto, Professor.

2 BIBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s