Livre-arbítrio

Lições da Bíblia

“No relato da criação está incrustada a advertência dada por Deus sobre a ordem de não comer da ‘árvore do conhecimento do bem e do mal’ (Gn 2:9). Portanto, desde o princípio podemos ver o elemento moral concedido à humanidade, algo que não é visto em nenhuma das outras criaturas vivas. Como dissemos ontem, a capacidade de discernimento moral é uma das formas pelas quais os seres humanos revelam a imagem e semelhança de Deus.”1

“2. O que Gênesis 2:15-17 diz sobre a realidade do livre-arbítrio nos seres humanos?”1 “15 Tomou, pois, o SENHOR Deus ao homem e o colocou no jardim do Éden para o cultivar e o guardar. 16 E o SENHOR Deus lhe deu esta ordem: De toda árvore do jardim comerás livremente, 17 mas da árvore do conhecimento do bem e do mal não comerás; porque, no dia em que dela comeres, certamente morrerás.” (Gênesis 2:15-17 ARS). “Deus disse a Adão que ele não deveria comer da árvore proibida, e que no dia em que dela comesse, morreria; o que implica que ele era livre para comer dela no momento que desejasse, embora tivesse que arcar com as consequências de seu ato.1

“Deus poderia ter criado os seres humanos de forma que cumprissem automaticamente Sua vontade. Essa é a maneira pela qual foram criadas as outras coisas, como a luz, o Sol, a Lua e as estrelas. Elas obedecem a Deus sem nenhum elemento de escolha; cumprem a vontade de Deus automaticamente, por meio de leis naturais que guiam suas ações.”1

“Mas a criação do homem e da mulher foi especial. Deus os criou para Si. Desejava que eles fizessem suas próprias escolhas e que escolhessem adorá-Lo voluntariamente, em vez de serem forçados a fazê-lo. Do contrário não poderiam amá-Lo, porque o amor, para ser verdadeiro, precisa ser dado livremente.”1

“Por ser de origem divina, o livre-arbítrio é protegido e respeitado por Deus. O Criador não interfere nas escolhas mais profundas e persistentes dos homens e mulheres. As escolhas erradas também têm consequências e, às vezes terríveis, mas é contra o caráter de nosso soberano Senhor forçar a submissão ou a obediência.”1

“O princípio do livre-arbítrio humano tem três importantes implicações: Para a religião: O Deus onipotente não dirige a vontade e as escolhas individuais de maneira unilateral. Para a ética: Os indivíduos serão considerados moralmente responsáveis por seus atos. Para a ciência: Os atos do corpo e do cérebro não são inteiramente determinados pela lei da causa e do efeito. As leis físicas estão envolvidas em nossos atos, mas o livre-arbítrio significa que temos escolha com respeito a eles, especialmente quanto aos atos morais.”1

“Quais escolhas morais livres você terá que fazer nas próximas horas, dias e semanas? Como você pode ter certeza de que está usando corretamente o sagrado dom do livre-arbítrio? Pense nas consequências do uso errado desse dom.”1

Segunda-feira, 29 de junho de 2015 . Saiba mais, ouça o Comentário em áudio  da Lição da Escola Sabatina (LES) ou se preferir faça um Curso Bíblico.

__________________

1 LIÇÕES da escola sabatina. Missionários. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 481, Jul. Ago. Set. 2015. Adulto, Professor.

2 BIBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s