Ação de graças de Paulo (2Ts 1:3, 4)

Lições da Bíblia.

“Irmãos, cumpre-nos dar sempre graças a Deus no tocante a vós outros, como é justo, pois a vossa fé cresce sobremaneira, e o vosso mútuo amor de uns para com os outros vai aumentando, a tal ponto que nós mesmos nos gloriamos de vós nas igrejas de Deus, à vista da vossa constância e fé, em todas as vossas perseguições e nas tribulações que suportais, sinal evidente do reto juízo de Deus, para que sejais considerados dignos do reino de Deus, pelo qual, com efeito, estais sofrendo; se, de fato, é justo para com Deus que ele dê em paga tribulação aos que vos atribulam e a vós outros, que sois atribulados, alívio juntamente conosco, quando do céu se manifestar o Senhor Jesus com os anjos do seu poder, em chama de fogo, tomando vingança contra os que não conhecem a Deus e contra os que não obedecem ao evangelho de nosso Senhor Jesus. Estes sofrerão penalidade de eterna destruição, banidos da face do Senhor e da glória do seu poder, quando vier para ser glorificado nos seus santos e ser admirado em todos os que creram, naquele dia (porquanto foi crido entre vós o nosso testemunho).” (2 Ts 1:3-10).

“Paulo tinha uma tendência para frases longas. O texto de 2 Tessalonicenses 1:3-10 é uma única frase que enfatiza principalmente os eventos em torno da segunda vinda de Jesus. A parte central da frase, no entanto, não focaliza a vinda de Cristo: ‘Constantemente somos obrigados a dar graças a Deus a respeito de vocês’ (2Ts 1:3, tradução do autor). Os comentários de Paulo sobre a vinda de Jesus (2Ts 1:6-10) são parte da razão pela qual ele agradecia a Deus a respeito dos tessalonicenses.”

“4. Leia 2 Tessalonicenses 1:3, 4. Que importante princípio espiritual encontramos nesses versos em relação à questão da fé? O que acontece com a fé quando ela não cresce?” “Irmãos, cumpre-nos dar sempre graças a Deus no tocante a vós outros, como é justo, pois a vossa fé cresce sobremaneira, e o vosso mútuo amor de uns para com os outros vai aumentando, a tal ponto que nós mesmos nos gloriamos de vós nas igrejas de Deus, à vista da vossa constância e fé, em todas as vossas perseguições e nas tribulações que suportais,” (2 Ts 1:3-4). “É necessário e natural que haja crescimento na fé, no mútuo amor cristão e na perseverança em meio às tribulações; essa experiência é motivo de gratidão.”

“A principal expressão de 2 Tessalonicenses 1:3-10 é ‘Somos obrigados’, ou ‘Devemos’ dar graças a Deus. Paulo se sentia obrigado a agradecer a Deus pelos tessalonicenses porque sua fé estava se tornando cada vez mais forte. Enquanto isso, o amor de uns pelos outros também estava crescendo. No original, os dois verbos estão no tempo presente. Isso significa que seu crescimento na fé e no amor era consistente e contínuo. Esse tipo de crescimento é fundamental para toda igreja sadia. Como uma planta, se uma igreja não crescer espiritualmente, ela vai morrer.”

“Paulo continua apresentando uma significativa crítica à igreja nos capítulos 2 e 3 dessa epístola. Mas ele sabe que as pessoas precisam de muita afirmação antes que possam lidar com as críticas de forma construtiva. Ele oferece esse tipo de afirmação no capítulo 1.”

“Uma das razões para essas afirmações é que a igreja em Tessalônica continuava a ser perseguida. Paulo elogia particularmente sua ‘paciência’ em aflição. Em vez de fé, esperança e amor, Paulo fala sobre a fé, o amor e a paciência deles. O fato de que, nesse texto, a ‘paciência’ substitui a ‘esperança’, levou Paulo à sua exposição sobre a segunda vinda de Jesus mais adiante no capítulo.”

“O resultado do crescimento dos cristãos na fé e no amor foi que a coragem deles diante da aflição se tornou uma fonte de alegria para os apóstolos entre todas as igrejas que eles visitavam. Os tessalonicenses se tornaram modelo do comprometimento cristão sob ataque.”

“Como as provas e aflições podem aumentar nossa fé? Ao mesmo tempo, quem já não lutou para manter a fé justamente por causa das provações?”

Saiba mais, estude a Lição da Escola Sabatina (LES) – segunda-feira 10 de setembro de 2012. Escolha o formato para o estudo: Texto, Comentário em áudio ou se preferir faça um Curso Bíblico. Este conteúdo é uma adaptação da LES e é publicado simultaneamente em: Blogspot, WordPress. Para impressão acesse arquivo em PDF

Promessa aos perseguidos (2Ts 1:1-12)

Lições da Bíblia.

“Por isso, também não cessamos de orar por vós, para que o nosso Deus vos torne dignos da Sua vocação e cumpra com poder todo propósito de bondade e obra de fé” (2Ts 1:11).

“Pensamento-chave: A segunda vinda de Jesus é o clímax de toda esperança cristã.”

“Conceito-chave para o crescimento espiritual: Ao longo de todas as eras da história terrena, a certeza da volta de Cristo para resgatar Seus seguidores e punir os ímpios tem trazido encorajamento e esperança aos cristãos em tempos de dificuldade.”

“Visto que a comunicação era tão demorada, quando os membros de uma igreja quisessem falar com Paulo, tinham que localizá-lo e enviar uma mensagem para ele, o que nem sempre era um processo fácil, com certeza. Uma vez que o contato fosse finalmente feito, o apóstolo ditava uma resposta e a enviava em mãos para a igreja. O processo podia levar meses. Enquanto isso, falsas crenças tinham tempo de se desenvolver e se espalhar.”

“Isso parece ter acontecido em Tessalônica, onde novos problemas surgiram na igreja. Esses problemas podem até ter aumentado devido à aplicação errada do que Paulo havia escrito na primeira carta. A segunda carta aos Tessalonicenses foi a tentativa de ajudar a corrigir a situação.”

“Na lição desta semana, as palavras de Paulo se resumem ao seguinte: na segunda vinda de Jesus, os crentes serão resgatados pela intervenção espetacular de Deus em Cristo. Essa passagem provê mais informações sobre a natureza de Sua vinda.”

Saiba mais, estude a Lição da Escola Sabatina (LES) – sábado 08 de setembro de 2012. Escolha o formato para o estudo: Texto, Comentário em áudio ou se preferir faça um Curso Bíblico. Este conteúdo é uma adaptação da LES e é publicado simultaneamente em: Blogspot, WordPress. Para impressão acesse arquivo em PDF

Santidade no tempo do fim (1Ts 5:23-28)

Lições da Bíblia.

“5. O que significa ser santificados ‘em tudo’ e ser ‘conservados íntegros e irrepreensíveis’ na vinda do Senhor? Não deveríamos estar nessa condição agora mesmo?” O mesmo Deus da paz vos santifique em tudo; e o vosso espírito, alma e corpo sejam conservados íntegros e irrepreensíveis na vinda de nosso Senhor Jesus Cristo. Fiel é o que vos chama, o qual também o fará.” (1 Ts 5:23-24). ”A cada dia e no dia da vinda de Jesus, devemos consagrar toda a nossa vida ao Senhor, espírito, alma e corpo; se aceitarmos o desafio, Deus é fiel para realizá-lo.”

“No texto de hoje, Paulo volta à linguagem da oração. Seu estilo é semelhante ao de 1 Tessalonicenses 3:11-13. Seu tema principal também é semelhante: estar irrepreensível em santidade na segunda vinda de Jesus. Paulo faz aqui uma transição do que os tessalonicenses deviam fazer (1Ts 5:12-22) para o que Deus faz em nós (santidade) e por nós (a segunda vinda de Cristo).”

“Muitas vezes, os cristãos têm discordado a respeito do que exatamente esse texto revela sobre a natureza dos seres humanos e do tipo de caráter que eles podem esperar ter quando Jesus voltar. Em nosso breve encontro com essa passagem, focalizaremos o que pode ser dito claramente com base no texto.”

“Paulo está dizendo que Deus alcança a pessoa inteira do crente. Cada parte da vida do cristão deve ser afetada pela santificação à medida que se aproxima a vinda de Jesus. Ao falar de ‘espírito, alma e corpo’, Paulo não está tentando ser científico e preciso acerca das várias camadas da pessoa humana (no pensamento bíblico, mente e corpo são um todo unificado, não partes que existem separadamente). Ao contrário, ele está expressando que cada parte de nossa mente e do corpo deve ser submetida a Deus. O Senhor deve ter o controle total de nossos pensamentos, sentimentos e ações.”

“A oração de Paulo se estende do tempo presente até a segunda vinda de Cristo. Os crentes devem ser conservados ou mantidos irrepreensíveis até a vinda do Senhor. Paulo está orando para que a plenitude de sua dedicação a Deus seja mantida até o fim. De acordo com essa carta, os tessalonicenses estavam longe da perfeição, mas o que eles já haviam alcançado valia a pena preservar até a volta de Jesus. Entre outras coisas, Paulo está orando para que eles continuem crescendo na graça por meio de um relacionamento com Jesus (leia também Jo 15:4-6).” “permanecei em mim, e eu permanecerei em vós. Como não pode o ramo produzir fruto de si mesmo, se não permanecer na videira, assim, nem vós o podeis dar, se não permanecerdes em mim. Eu sou a videira, vós, os ramos. Quem permanece em mim, e eu, nele, esse dá muito fruto; porque sem mim nada podeis fazer. Se alguém não permanecer em mim, será lançado fora, à semelhança do ramo, e secará; e o apanham, lançam no fogo e o queimam.” (João 15:4-6).

“De que forma você pode e deve se preparar a cada dia para a vinda do Senhor?”

Saiba mais, estude a Lição da Escola Sabatina (LES) – quinta-feira 06 de setembro de 2012. Escolha o formato para o estudo: Texto, Comentário em áudio ou se preferir faça um Curso Bíblico. Este conteúdo é uma adaptação da LES e é publicado simultaneamente em: Blogspot, WordPress. Para impressão acesse arquivo em PDF

Vigilância constante (1Ts 5:6-8)

Lições da Bíblia.

“5. Como a analogia do embriagado e do sóbrio nos ajuda a entender melhor a preparação para a segunda vinda de Jesus?” Assim, pois, não durmamos como os demais; pelo contrário, vigiemos e sejamos sóbrios. Ora, os que dormem dormem de noite, e os que se embriagam é de noite que se embriagam. Nós, porém, que somos do dia, sejamos sóbrios, revestindo-nos da couraça da fé e do amor e tomando como capacete a esperança da salvação;” (1 Ts 5:6-8). “Na noite do pecado, as pessoas se embriagam e dormem o sono da distração espiritual, ao contrário dos sóbrios, que vigiam, vivem na luz, na fé e na esperança.”

“Paulo começou o verso 6 com ‘Assim, pois’ ou ‘Portanto’, dependendo da tradução. Ele demonstrou que os verdadeiros seguidores de Jesus são filhos da luz e do dia. No texto para hoje, ele levou adiante a metáfora a fim de exortá-los a estar cada vez mais preparados para a vinda de Jesus. Embora o verso 7 apresente um desvio, os versos 6 e 8 encorajam os tessalonicenses a estar acordados, sóbrios e armados para os desafios futuros.”

“Paulo começou com o contraste entre adormecido e vigilante. Visto que os crentes são ‘do dia’, eles não devem dormir. A noite, sim, é para dormir. Paulo estava escrevendo metaforicamente. Aqui é uma metáfora para a preguiça espiritual ou falta de interesse (no verso 10, é uma metáfora para a morte). A expressão ‘não durmamos’ no original significa ‘nem sequer comece’ a dormir. Paulo presumia que eles já estivessem acordados, mas os encorajou a perseverar cada vez mais na vigilância.”

“Paulo os encorajou a ser sóbrios e não embriagados. No mundo antigo, a sobriedade era símbolo da razão filosófica. Paulo desejava que os tessalonicenses fossem pensativos e cuidadosos em seu raciocínio a partir das Escrituras. Alguns usam a Bíblia para fixar datas e para especulação. Em vez disso, Paulo queria que os crentes se concentrassem nas implicações das Escrituras para sua preparação espiritual. A metáfora do sóbrio e do embriagado pode também apontar para o tipo de restrição ética que ele incentivou em 1 Tessalonicenses 4:1-12.”

’O dia’ é associado com estar acordado e sóbrio. É à noite que as pessoas dormem e, geralmente, à noite, elas se embebedam. Mas no verso 8 Paulo mudou para a imagem de um guarda militar. Os guardas precisam estar acordados e sóbrios em todo o tempo, dia e noite. Os soldados precisam exceder a norma quando se trata de vigilância. De idêntico modo, Paulo também esperava que os cristãos excedessem a norma quando se tratava da preparação para a segunda vinda de Jesus. E, como soldados, os cristãos devem colocar todo o seu equipamento antes de assumir seus postos.”

“Tome as palavras de Paulo nessa passagem como se ele estivesse escrevendo especificamente e pessoalmente para você. Como você traduziria essas palavras na prática? Isto é, o que precisa mudar em sua vida para que você faça o que ele diz?”

Saiba mais, estude a Lição da Escola Sabatina (LES) – quarta-feira 29 de agosto de 2012. Escolha o formato para o estudo: Texto, Comentário em áudio ou se preferir faça um Curso Bíblico. Este conteúdo é uma adaptação da LES e é publicado simultaneamente em: Blogspot, WordPress. Para impressão acesse arquivo em PDF

A vantagem do crente (1Ts 5:4, 5)

Lições da Bíblia.

“Nos primeiros versos do capítulo 5, Paulo abordou a condição dos que, por alguma razão, não estavam preparados. Os tessalonicenses já sabiam que a realidade da segunda vinda é certa. Apenas o tempo é desconhecido. A surpresa será trágica para os que não estiverem preparados. Alguns não estão prontos porque não acreditam na segunda vinda de Cristo; outros porque acham que podem adiar sua preparação até que os eventos os convençam de que o fim está próximo.”

“Foi no fim da década de 1950. Um jovem ouviu um pregador dizer que Jesus viria em 1964. Portanto, a igreja deveria se preparar. O jovem decidiu que, visto que ainda faltavam vários anos, ele não se incomodaria em se preparar até por volta de 1962. Em outras palavras, a intenção do pregador de aumentar o senso de urgência teve o efeito oposto sobre o jovem. Essa demora é perigosa, é claro, porque você não sabe se viverá sequer até o fim deste dia. A boa notícia é que não precisamos saber quando Jesus voltará para estar prontos agora.”

“4. Qual é o significado espiritual de metáforas como ‘luz e dia, escuridão e luz’? Que aspectos de sua vida poderiam ser descritos como luz e quais como a escuridão? O que você pode fazer para ter uma vida mais iluminada?” “Mas vós, irmãos, não estais em trevas, para que esse Dia como ladrão vos apanhe de surpresa; porquanto vós todos sois filhos da luz e filhos do dia; nós não somos da noite, nem das trevas.” (1 Ts 5:4-5). “A luz é a Palavra de Deus e o caminho indicado por Ele; o contrário de tudo o que Deus ensina é escuridão; quem anda em trevas não se prepara para o dia do Senhor.”

“Nesses versos, Paulo começou uma série de contrastes com dia/noite e escuridão/luz (um contraste entre ruína/resgate está implícito no verso 3). Os incrédulos serão surpreendidos pelos eventos do fim, mas os crentes não serão surpreendidos. Por quê? Porque vivem na luz. A Bíblia é uma ‘lâmpada para os [nossos] pés… e… luz para [o nosso] caminho’ (Sl 119:105, RC). A profecia é dada a fim de que tenhamos informação suficiente para estar espiritualmente preparados para o que está adiante de nós.”

“A preparação para a segunda vinda de Cristo envolve investir tempo considerável na Palavra de Deus. A preparação é o ato de acumular um tesouro no Céu. A preparação é uma entrega diária ao Senhor.”

“Há muitas distrações no mundo, como trabalhos, e-mails, entretenimento e diversas drogas e outras substâncias que melhoram o humor.”

“O apelo de Paulo vem até nós através dos corredores do tempo. Coloque as distrações de lado. Ponha a Palavra de Deus em primeiro lugar em sua vida, e você não será surpreendido pelos acontecimentos, não importando quão inesperado seja o tempo.”

Saiba mais, estude a Lição da Escola Sabatina (LES) – terça-feira 28 de agosto de 2012. Escolha o formato para o estudo: Texto, Comentário em áudio ou se preferir faça um Curso Bíblico. Este conteúdo é uma adaptação da LES e é publicado simultaneamente em: Blogspot, WordPress. Para impressão acesse arquivo em PDF

Repentina e inesperada (1Ts 5:1-3)

Lições da Bíblia.

“2. Qual é o significado de ‘tempos e épocas’ nos textos do Novo Testamento?” “Mas, irmãos, acerca dos tempos e das épocas não necessitais de que se vos escreva: porque vós mesmos sabeis perfeitamente que o dia do Senhor virá como vem o ladrão de noite; pois quando estiverem dizendo: Paz e segurança! então lhes sobrevirá repentina destruição, como as dores de parto àquela que está grávida; e de modo nenhum escaparão.” (1Ts 5:1-3), “Aqueles, pois, que se haviam reunido perguntavam-lhe, dizendo: Senhor, é nesse tempo que restauras o reino a Israel? Respondeu-lhes: A vós não vos compete saber os tempos ou as épocas, que o Pai reservou à sua própria autoridade.” (Ats 1:6-7). ”O dia do Senhor, a segunda vinda de Jesus, o fim da história do pecado, o dia do juízo, o tempo da restauração final.”

“’O dia do Senhor’ é uma expressão encontrada frequentemente em passagens do Antigo Testamento sobre o juízo. Ela descreve uma intervenção divina decisiva no tempo do fim, com forte ênfase sobre as consequências negativas da desobediência (‘Uivai, porque o dia do Senhor está perto; virá do Todo-Poderoso como assolação. Pelo que todas as mãos se debilitarão, e se derreterá o coração de todos os homens. E ficarão desanimados; e deles se apoderarão dores e ais; e se angustiarão, como a mulher que está de parto; olharão atônitos uns para os outros; os seus rostos serão rostos flamejantes. Eis que o dia do Senhor vem, horrendo, com furor e ira ardente; para pôr a terra em assolação e para destruir do meio dela os seus pecadores.’ Isa 13:6-9; ‘Porque aquele dia é o dia do Senhor Deus dos exércitos, dia de vingança para ele se vingar dos seus adversários. A espada devorará, e se fartará, e se embriagará com o sangue deles; pois o Senhor Deus dos exércitos tem um sacrifício na terra do Norte junto ao rio Eufrates.’ Jer 46:10; ‘Filho do homem, profetiza, e dize: Assim diz o Senhor Deus: Gemei: Ah! aquele dia! Porque perto está o dia, sim, perto está o dia do Senhor; dia de nuvens será, o tempo das nações. E uma espada virá ao Egito, e haverá angústia na Etiópia, quando caírem os traspassados no Egito; o seu povo será levado para o cativeiro e serão destruídos os seus fundamentos. Etiópia, e Pute, e Lude, e todo o povo da Arábia, e Cube, e os filhos da terra da aliança cairão juntamente com eles à espada. Assim diz o Senhor: Também cairão os que sustêm o Egito, e descerá a soberba de seu poder; desde Migdol até Sevené cairão nela à espada, diz o Senhor Deus. E ficarão desolados no meio das terras assoladas; e as suas cidades estarão no meio das cidades desertas. E saberão que eu sou o Senhor, quando eu puser fogo ao Egito, e forem destruídos todos os que lhe davam auxílio. Naquele dia sairão mensageiros de diante de mim em navios, para amedrontarem os etíopes descuidados; e sobre eles haverá angústia, como no dia do Egito; pois eis que já vem. Assim diz o Senhor Deus: Também farei cessar do Egito a multidão, por mão de Nabucodonozor, rei de Babilônia. Ele e o seu povo com ele, os terríveis dentre as nações, serão introduzidos para destruírem a terra; e desembainharão as suas espadas contra o Egito, e encherão a terra de mortos. E eu secarei os rios, e venderei a terra, entregando-a na mão dos maus, e assolarei a terra e a sua plenitude pela mão dos estranhos; eu, o Senhor, o disse.’ Eze 30:2-12). Em nosso texto para hoje, Paulo combinou esse conceito anterior com a analogia do ladrão, introduzida por Jesus (‘sabei, porém, isto: se o dono da casa soubesse a que vigília da noite havia de vir o ladrão, vigiaria e não deixaria minar a sua casa.’ Mat 24:43; ‘Sabei, porém, isto: se o dono da casa soubesse a que hora havia de vir o ladrão, vigiaria e não deixaria minar a sua casa.’ Luc 12:39).”

“A tripla combinação do dia do Senhor, do ladrão na noite e das contrações antes do nascimento de um bebê ilustra o mesmo ponto: a segunda vinda de Jesus será repentina, inesperada e inevitável para os ímpios. O tempo do fim não é o momento para se preparar para o fim. O tempo de preparação é agora.”

“O verso 4 deixa claro, no entanto, que Paulo não estava repreendendo os tessalonicenses. Eles já sabiam que o dia do Senhor virá como um ladrão de noite. São os outros, aqueles que clamam ‘paz e segurança’, que serão surpreendidos pela futura destruição.”

“Em Atos 1:6, 7, os discípulos de Jesus perguntaram sobre o tempo dos eventos finais da história da Terra. Mas Jesus não satisfez sua curiosidade sobre essas coisas. O tempo do fim não devia ser conhecido por eles. Podemos perceber que a expressão ‘tempos e épocas’ diz respeito a tentativas de calcular o tempo do fim. Tais tentativas atraem a atenção, mas são espiritualmente contraproducentes. Elas causam desapontamento, quando passa o tempo calculado, ou demora na preparação, quando o tempo previsto está muito à frente.”

Saiba mais, estude a Lição da Escola Sabatina (LES) – segunda-feira 27 de agosto de 2012. Escolha o formato para o estudo: Texto, Comentário em áudio ou se preferir faça um Curso Bíblico. Este conteúdo é uma adaptação da LES e é publicado simultaneamente em: Blogspot, WordPress. Para impressão acesse arquivo em PDF

Os mortos em Cristo (1Ts 4:13-18) Vídeo

Lições da Bíblia.

Assista em vídeo a discussão do tema da semana.

 

Muitos dão a esta passagem [1Ts 4:14] a interpretação de que os que dormem serão trazidos com Cristo do Céu; mas Paulo quis dizer que, assim como Cristo ressuscitou dos mortos, também Deus chamará de suas sepulturas os santos que dormem e os levará consigo para o Céu” (Ellen G. White, Atos dos Apóstolos, p. 259).

“Os tessalonicenses tinham se apegado com avidez à ideia de que Cristo havia de vir para transformar os fiéis que estivessem vivos, levando-os com Ele. Haviam cuidadosamente guardado a vida de seus amigos, para que não morressem e perdessem assim a bênção que eles aguardavam receber na vinda de seu Senhor. Porém, um após outro, seus amados foram separados deles. Com angústia, os tessalonicenses tinham contemplado pela última vez o rosto de seus mortos, quase não ousando esperar encontrá-los na vida futura.

“Ao ser a epístola de Paulo aberta e lida, grande alegria e consolação foi levada à igreja pelas palavras que revelavam o verdadeiro estado dos mortos. Paulo mostrou que os que estivessem vivos quando Cristo voltasse não iriam ao encontro do seu Senhor precedendo os que tinham dormido em Jesus” (Ibid., p. 258).

Perguntas para reflexão
1. Comente o significado de “viver como adventista”. Que aspectos de nossas crenças devem ser refletidos em um estilo de vida distintivo?
2. Pense na queda da humanidade, no plano da salvação, e na promessa da vida eterna. O que Jesus fez que nos dá a esperança de que a morte não será para sempre? Como a ressurreição de Jesus nos oferece esperança de que nós seremos ressuscitados? Como podemos obter conforto no plano da salvação, especialmente quando a morte parece tão definitiva, tão completa e tão implacável?
3. Peça que a classe leia 1 Tessalonicenses 4:13-18. Que esperança encontramos no texto?

Resumo: Paulo corrigiu uma série de equívocos sobre o estado dos mortos e os acontecimentos em torno da volta de Jesus. Os mortos em Cristo ressuscitarão primeiro, e todos os crentes subirão ao encontro dEle. Os fiéis podem obter grande conforto em saber que a separação dos entes queridos cristãos é apenas temporária.

Consolem uns aos outros (1Ts 4:13, 17, 18)

Lições da Bíblia.

“6. Leia 1 Tessalonicenses 4:13, 17, 18. Qual é o objetivo final dessa passagem sobre a segunda vinda de Jesus?” ”Não queremos, porém, irmãos, que sejais ignorantes com respeito aos que dormem, para não vos entristecerdes como os demais, que não têm esperança. […] depois, nós, os vivos, os que ficarmos, seremos arrebatados juntamente com eles, entre nuvens, para o encontro do Senhor nos ares, e, assim, estaremos para sempre com o Senhor. Consolai-vos, pois, uns aos outros com estas palavras.” (1 Ts 4:13,17-18). “Instruir, alegrar e trazer esperança de vida eterna e consolo.”

“Como dissemos anteriormente, o propósito da profecia não é satisfazer nossa curiosidade sobre o futuro, mas nos ensinar a viver hoje. Para Paulo, a ordem dos eventos finais tinha implicações práticas para a vida cristã cotidiana. A profecia é valiosa na medida em que influencia nosso relacionamento com Deus e com os outros. Nesse caso, Paulo quis usar os eventos dos últimos dias para trazer conforto àqueles que perderam entes queridos.”

“7. Que aspectos importantes da segunda vinda de Jesus não são abrangidos em 1 Tessalonicenses 4:16, 17? Jo 14:1-3; Mt 24:31; At 1:9-11” “Porquanto o Senhor mesmo, dada a sua palavra de ordem, ouvida a voz do arcanjo, e ressoada a trombeta de Deus, descerá dos céus, e os mortos em Cristo ressuscitarão primeiro; depois, nós, os vivos, os que ficarmos, seremos arrebatados juntamente com eles, entre nuvens, para o encontro do Senhor nos ares, e, assim, estaremos para sempre com o Senhor.” (1 Ts 4:16-17). “Não se turbe o vosso coração; credes em Deus, crede também em mim. Na casa de meu Pai há muitas moradas. Se assim não fora, eu vo-lo teria dito. Pois vou preparar-vos lugar. E, quando eu for e vos preparar lugar, voltarei e vos receberei para mim mesmo, para que, onde eu estou, estejais vós também.” (João 14:1-3).E ele enviará os seus anjos, com grande clangor de trombeta, os quais reunirão os seus escolhidos, dos quatro ventos, de uma a outra extremidade dos céus.” (Mat. 24:31). “Ditas estas palavras, foi Jesus elevado às alturas, à vista deles, e uma nuvem o encobriu dos seus olhos. E, estando eles com os olhos fitos no céu, enquanto Jesus subia, eis que dois varões vestidos de branco se puseram ao lado deles e lhes disseram: Varões galileus, por que estais olhando para as alturas? Esse Jesus que dentre vós foi assunto ao céu virá do modo como o vistes subir.” (Atos 1:9-11). ”Na segunda vinda, Jesus não ficará na Terra, mas levará Seu povo para a casa do Pai; os anjos serão enviados a todos os lugares da Terra para reunir os salvos; Jesus voltará assim como foi visto subir.”

“Esse texto diz que os crentes se unirão a Jesus nos ares para estar com Ele para sempre. O tema principal é o ato de se reunir uns com os outros e estar com Jesus. O texto não explica para onde eles irão após o encontro inicial nos ares, embora Paulo não tenha dito claramente que, na segunda vinda, Jesus e os crentes descerão do Céu para a Terra e reinarão ali. Na verdade, dentro da própria passagem, o movimento dos santos é apenas para cima. Os crentes mortos primeiro se erguem de seus túmulos. Em seguida, eles e os crentes vivos sobem juntos para encontrar seu Senhor nos ares.”

“Paulo provê informações adicionais em 1 Coríntios 15:23, 24. Ali, ele traça um forte paralelo entre a experiência de Jesus e dos que estão ‘em Cristo.’ Jesus ressuscitou e subiu ao Céu como as ‘primícias’, o que implica que os que estão nEle terão uma experiência similar.”

“O destino imediato dos santos é esclarecido fora dos escritos de Paulo, em João 14:1-3. Quando Jesus vier, levará Seus discípulos para estar onde Ele está (Céu). Ele não virá para Se unir a eles onde eles estão (na Terra). Por isso, os adventistas creem que, durante os mil anos após a volta de Jesus (Ap 20:4-6), os justos estarão com Ele no Céu, os maus estarão mortos e Satanás estará confinado à Terra, sem ninguém para tentar nem aborrecer. Somente após todos os eventos associados com o milênio, os fiéis voltarão a habitar na Terra (‘Nós, porém, segundo a sua promessa, esperamos novos céus e nova terra, nos quais habita justiça.’ 2 Ped. 3:13; ’Ao vencedor, fá-lo-ei coluna no santuário do meu Deus, e daí jamais sairá; gravarei também sobre ele o nome do meu Deus, o nome da cidade do meu Deus, a nova Jerusalém que desce do céu, vinda da parte do meu Deus, e o meu novo nome.’ (Apoc. 3:12).”

“Considere como a nossa grande esperança é uma coisa do ‘outro mundo’. Entretanto, como poderia ser diferente? Afinal, que esperança real este mundo nos oferece em longo prazo? Como podemos aprender a não ficar tão envolvidos naquilo que não nos traz nenhuma esperança?”

Saiba mais, estude a Lição da Escola Sabatina (LES) – quinta-feira 23 de agosto de 2012. Escolha o formato para o estudo: Texto, Comentário em áudio ou se preferir faça um Curso Bíblico. Este conteúdo é uma adaptação da LES e é publicado simultaneamente em: Blogspot, WordPress. Para impressão acesse arquivo em PDF