Para todas as gerações – Estudo adicional

Lições da Bíblia1

Textos de Ellen G. White: Patriarcas e Profetas, p. 90-104 (“O dilúvio”) e p. 105-110 (“O mundo pós-diluviano”).

“O arco-íris, um fenômeno físico natural, era um símbolo apropriado da promessa de Deus de nunca mais destruir a Terra por uma inundação. Uma vez que as condições climáticas da Terra seriam diferentes após o dilúvio, e que, na maioria dos lugares do mundo, a chuva tomaria o lugar do antigo orvalho que molhava o solo, era necessário algo para aquietar os temores humanos cada vez que chuva começasse a cair. A mente espiritual pode ver, nos fenômenos naturais, revelações que Deus faz de Si mesmo (ver Rm 1:20). Assim, o arco-íris é uma evidência, para o crente, de que a chuva trará bênçãos, e não destruição universal” (Comentário Bíblico Adventista do Sétimo Dia, v. 1, p. 255).

Perguntas para consideração

1. “Naqueles dias o mundo fervilhava, o povo se multiplicava, o mundo bradava como um touro selvagem, e o grande deus foi despertado pelo alarido do povo. Enlil ouviu aquele alarido e disse aos deuses no concílio: ‘O alvoroço da humanidade é intolerável e não se pode mais dormir por causa de babel’. Então os deuses concordaram em exterminar a humanidade” (“The Story of the Flood” em The Epic of Gilgamesh, trad. N. K. Sanders. Londres: The Penguin Group, 1972, p. 108). Compare essa razão dada para o dilúvio com aquela apresentada na Bíblia.

2. Além de advertir sua geração sobre o iminente juízo de Deus, Noé buscou ajudá-la a sentir a necessidade de salvação. Por que essa verdade é impopular?

Jo 3:19 (ARA)2: “O julgamento é este: que a luz veio ao mundo, e os homens amaram mais as trevas do que a luz; porque as suas obras eram más.”

Jo 7:47, 48 (ARA)2: “47 Replicaram-lhes, pois, os fariseus: Será que também vós fostes enganados? 48 Porventura, creu nele alguém dentre as autoridades ou algum dos fariseus?

Jo 12:42, 43 (ARA)2: “42 Contudo, muitos dentre as próprias autoridades creram nele, mas, por causa dos fariseus, não o confessavam, para não serem expulsos da sinagoga; 43 porque amaram mais a glória dos homens do que a glória de Deus.

Tg 4:4 (ARA)2: “Infiéis, não compreendeis que a amizade do mundo é inimiga de Deus? Aquele, pois, que quiser ser amigo do mundo constitui-se inimigo de Deus.”

Sexta-feira, 16 de abril de 2021. Saiba mais, faça gratuitamente um Curso Bíblico

_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. A promessa: a aliança eterna de Deus. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 504, abr. maio. jun. 2021. Adulto, Professor. 
2 BÍBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

“Ficou somente Noé”

Lições da Bíblia1

“Assim, foram exterminados todos os seres que havia sobre a face da Terra: as pessoas e os animais, os seres que rastejam e as aves dos céus foram extintos da Terra; ficou somente Noé e os que com ele estavam na arca” (Gn 7:23).

Nesse texto, encontra-se a primeira menção do conceito de remanescente nas Escrituras. A palavra traduzida como “ficou” vem de outra palavra cujas formas do radical são usadas muitas vezes no Antigo Testamento para transmitir a ideia de remanescente.

“Mas Deus me enviou à frente de vocês para lhes preservar um remanescente nesta Terra e para salvar-lhes a vida com grande livramento” (Gn 45:7; NVI; ênfase nossa). “Os restantes de Sião e os que ficarem em Jerusalém serão chamados santos, isto é, todos os que estão inscritos em Jerusalém, para a vida” (Is 4:3; ênfase nossa). “Naquele dia, o Senhor tornará a estender a mão para resgatar o resto do Seu povo” (Is 11:11; ênfase nossa).

Em todos esses casos, as palavras em itálico estão ligadas às palavras semelhantes “ficou somente Noé”, encontradas em Gênesis 7:23.

7. Leia Gênesis 7:23 e os outros exemplos. Como você entende o conceito de remanescente? Quais foram as condições que levaram à existência de um remanescente? Como a aliança se encaixa na ideia de um remanescente?

Gênesis 7:23 (ARA): “Assim, foram exterminados todos os seres que havia sobre a face da terra; o homem e o animal, os répteis e as aves dos céus foram extintos da terra; ficou somente Noé e os que com ele estavam na arca.

Na época do dilúvio, o Criador do mundo Se tornou o Juiz do mundo. O juízo mundial que se aproximava levantou a seguinte questão: toda a vida na Terra, até mesmo a vida humana, deveria ser destruída? Se não, quem seriam os sobreviventes, os remanescentes?

Nesse caso, o remanescente foi Noé e sua família. No entanto, a salvação de Noé estava ligada à aliança de Deus com ele (Gn 6:18) – uma aliança que se originou e foi executada por um Deus de misericórdia e graça. Eles sobreviveram somente por causa do que Deus havia feito por eles, por mais importante que tenha sido sua cooperação. Quaisquer que fossem as obrigações da aliança de Noé, e não importando quão fielmente ele as executasse, sua única esperança estava na misericórdia de Deus.

Com base em nossa compreensão dos eventos finais, que incluem um tempo em que Deus terá um remanescente (Ap 12:17), como a história de Noé nos prepara para fazer parte do remanescente? Nossas decisões diárias impactam a posição em que estaremos naquele dia?

Quinta-feira, 15 de abril de 2021. Saiba mais, faça gratuitamente um Curso Bíblico

_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. A promessa: a aliança eterna de Deus. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 504, abr. maio. jun. 2021. Adulto, Professor. 
2 BÍBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

Aliança com Noé

Lições da Bíblia1

“Mas com você estabelecerei a Minha aliança, e você entrará na arca, você e os seus filhos, a sua mulher, e as mulheres dos seus filhos” (Gn 6:18).

Nesse verso, temos o fundamento da aliança bíblica que Deus fez com a humanidade: Deus e o homem entraram em acordo. Muito simples!

No entanto, existem mais elementos do que o que inicialmente salta aos olhos. Em primeiro lugar, existe o elemento da obediência humana. Deus disse a Noé que ele e sua família entrariam na arca. Eles tinham que desempenhar sua parte e, se não a fizessem, a aliança seria quebrada. Nesse caso, eles seriam os maiores perdedores, pois, no fim, eram os beneficiários da aliança. Afinal, se Noé dissesse “não” a Deus e não fosse fiel ao pacto ou se dissesse “sim”, mas mudasse de ideia, quais teriam sido os resultados para ele e sua família?

4. Deus disse “Minha aliança”. O que isso revela sobre a natureza fundamental da aliança? Que diferença haveria em nosso conceito de aliança se o Senhor a chamasse de “nossa aliança”?

Deus oferece a Sua aliança para nos salvar

Por mais singular que seja essa situação específica, vemos aqui a dinâmica fundamental entre Deus e o ser humano na aliança. Ao estabelecer Sua aliança com Noé, Deus novamente mostrou Sua graça. Ele demonstrou que estava disposto a salvar o ser humano dos resultados dos seus pecados. Em suma, essa aliança não deve ser entendida como uma espécie de união de iguais na qual cada “participante” depende do outro. Deus “Se beneficia” da aliança, mas em um sentido radicalmente diferente da maneira em que o ser humano é favorecido. O benefício do Senhor seria o fato de que os amados de Deus receberiam a vida eterna – o que seria uma grande satisfação para Ele (Is 53:11). Mas isso não significa que Ele Se beneficia da mesma forma que nos favorecemos como parte recebedora da mesma aliança.

Considere a seguinte analogia: um homem cai de um barco no mar em meio a uma tempestade. Alguém no convés diz que jogará uma boia salvavidas amarrada em uma corda para trazê-lo para dentro do barco outra vez. O homem que está na água, no entanto, tem que concordar com a sua parte do “acordo”, ou seja, agarrar-se ao que lhe é providenciado. Disso se trata, em muitos aspectos, a aliança entre Deus e a humanidade.

Essa analogia esclarece o conceito de graça na aliança? Qual deve ser a base do seu relacionamento com Deus?

Terça-feira, 13 de abril de 2021. Saiba mais, faça gratuitamente um Curso Bíblico

_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. A promessa: a aliança eterna de Deus. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 504, abr. maio. jun. 2021. Adulto, Professor. 
2 BÍBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

Noé (Gn 6:9)

Lições da Bíblia1

2. Em meio a todos os textos que tratam do mal do mundo antediluviano, Gênesis 6:9 destaca Noé em contraste com as pessoas que o rodeavam. Examine o texto, especialmente os três pontos específicos que a Bíblia menciona sobre Noé. Escreva o que cada um desses pontos significa em sua opinião:

Gênesis 6:9 (ARA)2: “Eis a história de Noé. Noé era homem justo e íntegro entre os seus contemporâneos; Noé andava com Deus.”

Ele era um “homem justo”

Ele era “íntegro”

Ele “andava com Deus”

Evidentemente, Noé tinha um relacionamento salvífico com o Senhor. Ele era alguém em quem Deus podia operar, alguém que O ouvia, O obedecia e que confiava Nele. Por essa razão, o Senhor foi capaz de usar Noé para cumprir Seus propósitos e, por isso, Pedro, no Novo Testamento, o chamou de “pregador da justiça” (2Pe 2:5).

3. Como Gênesis 6:8 nos ajuda a entender o relacionamento entre Noé e o Senhor? Assinale a alternativa correta:

Gênesis 6:8 (ARA)2: “Porém Noé achou graça diante do Senhor.”

A. ( ) Era um relacionamento fundamentado na graça.

B. ( ) Era um relacionamento de igual para igual, já que Noé era perfeito.

Resposta sugestiva: Alternativa A.

A palavra “graça” ocorre, pela primeira vez nas Escrituras, nesse texto e claramente possui o mesmo significado dessa palavra nas ocorrências do Novo Testamento, em que é descrito o favor misericordioso e imerecido de Deus, exercido para com os pecadores que não merecem. Portanto, precisamos entender que, por mais que Noé fosse íntegro e justo, ele ainda era um pecador que necessitava do favor imerecido de Deus. Nesse sentido, Noé não era diferente de qualquer um dos que buscam sinceramente obedecer ao Senhor.

Ao compreender que Noé precisava da graça de Deus, como todos nós, analise sua vida e faça a si mesmo esta pergunta: Será que as pessoas poderiam dizer que, como Noé, sou justo, íntegro e que ando com Deus? Escreva as razões para a sua resposta e compartilhe-as com a classe.

Segunda-feira, 12 de abril de 2021. Saiba mais, faça gratuitamente um Curso Bíblico

_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. A promessa: a aliança eterna de Deus. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 504, abr. maio. jun. 2021. Adulto, Professor. 
2 BÍBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

Para todas as gerações

Lições da Bíblia1

“Porém Noé encontrou favor aos olhos do Senhor” (Gn 6:8).

Bactérias são organismos muito pequenos para serem vistos sem o auxílio de um microscópio. Uma única bactéria redonda comum não parece maior que uma ponta de lápis, mesmo depois de ser visualizada com um aumento de mil vezes. Dadas condições favoráveis ao crescimento – calor, umidade e alimentos suficientes – as bactérias se multiplicam com grande velocidade. Algumas bactérias se reproduzem por simples fissão: uma célula madura se divide em duas células filhas. Quando a fissão ocorre a cada hora, algumas bactérias podem produzir mais de 18 milhões de novas bactérias em 24 horas. Ao fim de 48 horas, centenas de bilhões de bactérias terão surgido!

Esse fenômeno microscópico ilustra o rápido crescimento do mal após a queda. Com imenso intelecto, saúde robusta e longevidade, a humanidade abandonou Deus e degradou suas capacidades. Embora as bactérias sejam exterminadas pela luz solar, produtos químicos ou altas temperaturas, Deus conteve a rebelião humana por meio de um dilúvio universal.

Resumo da semana: O que o pecado fez à criação? Quais eram as características de Noé? Quais são os elementos da aliança com Noé? A graça foi revelada na aliança com Noé? O que a aliança que Deus fez com a humanidade depois do dilúvio ensina sobre Seu amor universal por nós?

Sábado, 10 de abril de 2021. Saiba mais, faça gratuitamente um Curso Bíblico

_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. A promessa: a aliança eterna de Deus. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 504, abr. maio. jun. 2021. Adulto, Professor. 

Aliança com Noé

Lições da Bíblia1

“Com você estabelecerei a Minha aliança, e você entrará na arca, você e os seus filhos, a sua mulher, e as mulheres dos seus filhos” (Gn 6:18).

No verso acima, a palavra aliança aparece pela primeira vez na Bíblia e, nesse contexto, Deus havia acabado de contar a Noé sobre Sua decisão de destruir a Terra por causa da imensa e contínua disseminação do pecado. Embora essa destruição viesse na forma de um dilúvio mundial, Deus não estava abandonando o mundo que Ele havia criado. Ele continuou a propor a aliança estabelecida pela primeira vez após a queda. O divino “Eu” que propôs a aliança era Ele mesmo o fundamento da segurança de Noé.

Como o Deus que cumpria a aliança, o Senhor prometeu proteger os familiares do patriarca que estivessem dispostos a viver em um relacionamento de compromisso com Ele, que resultasse em obediência.

2. A aliança com Noé foi unilateral? Lembre-se de que uma aliança implica mais de uma parte. Noé teve que cumprir sua parte no acordo? Que lição aprendemos com isso?

Não. A aliança era mútua. Deus disse que destruiria a Terra, mas prometeu salvar Noé e sua família. Noé teve que preparar a arca e pregar durante 120 anos. A aliança com Deus é um acordo entre duas partes.

Deus declarou a Noé que haveria um dilúvio e que o mundo seria destruído. Porém, fez um acordo com ele, no qual prometia salvar Noé e sua família. Portanto, os riscos eram bastante grandes, pois se Deus não mantivesse Sua parte da promessa, então não importava o que Noé fizesse, ele seria exterminado com o restante do mundo.

Deus disse que faria uma “aliança” com Noé. A própria palavra sugere uma intenção de honrar o que se diz que será feito. Não era uma declaração incerta. A palavra em si vem carregada de compromisso. Imagine que o Senhor tivesse dito a Noé: “Veja, o mundo terminará em um terrível dilúvio, e Eu posso salvá-lo. Enquanto isso, faça isso ou aquilo, e depois veremos o que acontece, mas não estou dando nenhuma garantia”. Essas declarações dificilmente vêm com o tipo de garantia e promessa encontradas na própria palavra “aliança”.

Alguns defendem que o dilúvio de Noé não foi mundial, mas local. Nesse caso, no contexto do que Deus prometeu em Gênesis 9:15 (veja também Is 54:9), toda vez que outro dilúvio local acontece (e parece que acontece o tempo todo), a promessa da aliança de Deus é quebrada. Por outro lado, o fato de não ter havido outro dilúvio mundial prova a validade da promessa da aliança de Deus. O que isso revela sobre a confiança que podemos ter em Suas promessas?

Segunda-feira, 05 de abril de 2021. Saiba mais, faça um Curso Bíblico

_______________
1 LIÇÃO da Escola Sabatina. A promessa: a aliança eterna de Deus. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 504, abr. maio. jun. 2021. Adulto, Professor. 
2 BÍBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

De Noé a Abraão (Gn 6:5-9)

Lições da Bíblia.

“O mundo no qual Noé nasceu era pior do que qualquer sociedade que já existiu, o que significa que deve ter sido muito ruim. Com pessoas vivendo por quase mil anos, não é difícil imaginar como o mal podia se tornar enraizado na sociedade, a tal ponto que Deus se arrependeu de ter criado as pessoas!”1

“2. Leia Gênesis 6 e, depois, responda às seguintes perguntas:”1 “Como se foram multiplicando os homens na terra, e lhes nasceram filhas, vendo os filhos de Deus que as filhas dos homens eram formosas, tomaram para si mulheres, as que, entre todas, mais lhes agradaram. Então, disse o SENHOR: O meu Espírito não agirá para sempre no homem, pois este é carnal; e os seus dias serão cento e vinte anos. Ora, naquele tempo havia gigantes na terra; e também depois, quando os filhos de Deus possuíram as filhas dos homens, as quais lhes deram filhos; estes foram valentes, varões de renome, na antiguidade. Viu o SENHOR que a maldade do homem se havia multiplicado na terra e que era continuamente mau todo desígnio do seu coração; então, se arrependeu o SENHOR de ter feito o homem na terra, e isso lhe pesou no coração. Disse o SENHOR: Farei desaparecer da face da terra o homem que criei, o homem e o animal, os répteis e as aves dos céus; porque me arrependo de os haver feito. Porém Noé achou graça diante do SENHOR. Eis a história de Noé. Noé era homem justo e íntegro entre os seus contemporâneos; Noé andava com Deus. Gerou três filhos: Sem, Cam e Jafé. A terra estava corrompida à vista de Deus e cheia de violência. Viu Deus a terra, e eis que estava corrompida; porque todo ser vivente havia corrompido o seu caminho na terra. Então, disse Deus a Noé: Resolvi dar cabo de toda carne, porque a terra está cheia da violência dos homens; eis que os farei perecer juntamente com a terra. Faze uma arca de tábuas de cipreste; nela farás compartimentos e a calafetarás com betume por dentro e por fora. Deste modo a farás: de trezentos côvados será o comprimento; de cinquenta, a largura; e a altura, de trinta. Farás ao seu redor uma abertura de um côvado de altura; a porta da arca colocarás lateralmente; farás pavimentos na arca: um em baixo, um segundo e um terceiro. Porque estou para derramar águas em dilúvio sobre a terra para consumir toda carne em que há fôlego de vida debaixo dos céus; tudo o que há na terra perecerá. Contigo, porém, estabelecerei a minha aliança; entrarás na arca, tu e teus filhos, e tua mulher, e as mulheres de teus filhos. De tudo o que vive, de toda carne, dois de cada espécie, macho e fêmea, farás entrar na arca, para os conservares vivos contigo. Das aves segundo as suas espécies, do gado segundo as suas espécies, de todo réptil da terra segundo as suas espécies, dois de cada espécie virão a ti, para os conservares em vida. Leva contigo de tudo o que se come, ajunta-o contigo; ser-te-á para alimento, a ti e a eles. Assim fez Noé, consoante a tudo o que Deus lhe ordenara.” (Gênesis 6:1-22 RA)2.

“a. Como devemos entender a ideia de que Deus Se ‘arrependeu’ de ter criado a humanidade? Isso significa que Deus não havia previsto o que aconteceria? Por quê?” “Então, o SENHOR apareceu, ali, na coluna de nuvem, a qual se deteve sobre a porta da tenda. Disse o SENHOR a Moisés: Eis que estás para dormir com teus pais; e este povo se levantará, e se prostituirá, indo após deuses estranhos na terra para cujo meio vai, e me deixará, e anulará a aliança que fiz com ele. Nesse dia, a minha ira se acenderá contra ele; desampará-lo-ei e dele esconderei o rosto, para que seja devorado; e tantos males e angústias o alcançarão, que dirá naquele dia: Não nos alcançaram estes males por não estar o nosso Deus no meio de nós?” (Dt 31:15-17 RA)2. Deus não se arrepende com se arrepende o homem, nesse contexto da humanidade antes do dilúvio, pesou no coração de Deus o estado pecaminoso do povo, isso O levou a uma mudança de atitude, embora, em Sua onisciência já soubesse o que ocorreria. O texto de Deuteronômio 31:15-17 nos revela claramente esta realidade.

“b. Ellen G. White escreveu que as designações ‘filhos de Deus’ e ‘filhas dos homens’ se referem ao casamento entre homens fiéis e mulheres infiéis. Que lições podemos aprender em Gênesis 6 sobre a interação da igreja com o mundo?”1 O julgo desigual seculariza a igreja podendo levar os indivíduos para mais longe de Deus.

“c. Quais foram algumas das coisas que essas pessoas fizeram que desagradaram a Deus? Essas coisas estão relacionadas com a Sua lei?”1 “Mistura de fiéis com infiéis; sujeição às paixões carnais; violência e maldade; injustiça, desonestidade e incredulidade. Essas coisas existiam por falta de comunhão com Deus e obediência a Suas leis.”1

“d. Considere a descrição de Noé em Gênesis 6. Que tipo de homem ele era, especialmente em um mundo tão corrompido? Ao mesmo tempo, por que Noé necessitava de ‘graça’ aos olhos do Senhor? O que isso nos diz sobre a relação entre a fé e a lei de Deus, mesmo naquela época?”1 “Noé achou graça diante do Senhor. Ele era justo e íntegro e andava com Deus. Sua obediência às leis divinas era o resultado da graça e da salvação em sua vida.”1

Segunda-feira, 16 de junho de 2014. Saiba mais, ouça o Comentário em áudio da Lição da Escola Sabatina (LES) ou se preferir faça um Curso Bíblico.

__________________

1 LIÇÕES da escola sabatina. Cristo e sua lei. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 476, Abr. Maio Jun. 2013. Adulto, Professor.

2 BIBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

De Adão a Noé

Lições da Bíblia.

“Em certo sentido, podemos falar de uma ‘igreja de Cristo’ apenas a partir da época do Novo Testamento, quando os crentes primeiro testemunharam a vida, morte e ressurreição de Jesus. No entanto, podemos ver a ‘igreja de Cristo’ em um contexto mais amplo. O termo grego para ‘igreja’ é ekklesia. Emprestada do mundo secular, essa palavra se refere àqueles que foram ‘chamados’. Em cada geração Deus ‘chamou’ um povo para refletir Sua vontade por meio de uma vida de fidelidade, confiança, amor e obediência.”1

“1. Leia Gênesis 2:16–3:7. Qual foi o teste dado a Adão e Eva? Por que seres perfeitos necessitariam de tal teste?”1 E o SENHOR Deus lhe deu esta ordem: De toda árvore do jardim comerás livremente, mas da árvore do conhecimento do bem e do mal não comerás; porque, no dia em que dela comeres, certamente morrerás. Disse mais o SENHOR Deus: Não é bom que o homem esteja só; far-lhe-ei uma auxiliadora que lhe seja idônea. Havendo, pois, o SENHOR Deus formado da terra todos os animais do campo e todas as aves dos céus, trouxe-os ao homem, para ver como este lhes chamaria; e o nome que o homem desse a todos os seres viventes, esse seria o nome deles. Deu nome o homem a todos os animais domésticos, às aves dos céus e a todos os animais selváticos; para o homem, todavia, não se achava uma auxiliadora que lhe fosse idônea. Então, o SENHOR Deus fez cair pesado sono sobre o homem, e este adormeceu; tomou uma das suas costelas e fechou o lugar com carne. E a costela que o SENHOR Deus tomara ao homem, transformou-a numa mulher e lha trouxe. E disse o homem: Esta, afinal, é osso dos meus ossos e carne da minha carne; chamar-se-á varoa, porquanto do varão foi tomada. Por isso, deixa o homem pai e mãe e se une à sua mulher, tornando-se os dois uma só carne. Ora, um e outro, o homem e sua mulher, estavam nus e não se envergonhavam. Mas a serpente, mais sagaz que todos os animais selváticos que o SENHOR Deus tinha feito, disse à mulher: É assim que Deus disse: Não comereis de toda árvore do jardim? Respondeu-lhe a mulher: Do fruto das árvores do jardim podemos comer, mas do fruto da árvore que está no meio do jardim, disse Deus: Dele não comereis, nem tocareis nele, para que não morrais. Então, a serpente disse à mulher: É certo que não morrereis. Porque Deus sabe que no dia em que dele comerdes se vos abrirão os olhos e, como Deus, sereis conhecedores do bem e do mal. Vendo a mulher que a árvore era boa para se comer, agradável aos olhos e árvore desejável para dar entendimento, tomou-lhe do fruto e comeu e deu também ao marido, e ele comeu. Abriram-se, então, os olhos de ambos; e, percebendo que estavam nus, coseram folhas de figueira e fizeram cintas para si. (Gênesis 2:16–3:7)2. O teste para Adão e Eva consistia que estes permanecessem fieis a Deus não comendo da árvore do conhecimento do bem e do mal que Deus ordenara que não comessem. A perfeição humana consistia em poder desobedecer a Deus, a obediência deveria ser uma decisão livre de qualquer imposição.

“A fim de serem capazes de amar, Adão e Eva tiveram que ser criados como seres moralmente livres. Eles tinham que ter a capacidade e a liberdade de fazer o mal, mesmo que não tivessem nenhuma razão válida para fazê-lo. O teste da árvore era um teste moral: De que maneira eles usariam a liberdade moral que Deus lhes havia concedido?”1

“Nós sabemos a resposta.”1

“No centro da moralidade está a lei de Deus, que define para nós o bem e o mal. Observe que a árvore foi chamada de ‘árvore do conhecimento do bem e do mal’. Qual seria o propósito de uma lei que proibisse mentir, furtar e matar se, no início, esses seres fossem impedidos de fazer qualquer uma dessas coisas? A própria lei seria sem sentido em um universo de autômatos, seres capazes de fazer somente o bem. Porém, não foi assim que Deus nos criou. Ele não podia fazer isso se quisesse pessoas capazes de amar. Embora após a queda Adão e Eva devessem ‘passar o bastão’ para a próxima geração, a espiral descendente no aspecto moral foi rápida e sórdida. De seus dois primeiros filhos, somente Abel escolheu se unir à igreja de Deus, enquanto Caim se tornou possuído pelo espírito de cobiça, mentira, homicídio e desrespeito aos pais. As coisas iam de mal a pior até que o mal ofuscou o bem, e no tempo do Dilúvio apenas Noé e sua família podiam afirmar que eram membros da igreja de Cristo.”1

“Quantas vezes nas últimas 24 horas você fez escolhas, usando a liberdade que lhe foi dada desde o Éden? Suas escolhas estavam em harmonia com a lei moral de Deus?”1

Domingo, 15 de junho de 2014. Saiba mais, ouça o Comentário em áudio da Lição da Escola Sabatina (LES) ou se preferir faça um Curso Bíblico.

__________________

1 LIÇÕES da escola sabatina. Cristo e sua lei. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, n. 476, Abr. Maio Jun. 2013. Adulto, Professor.

2 BIBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.